Redes sociaiscomo ferramentas na educação

164 visualizações

Publicada em

COMO AS REDES SOCIAIS TÊM SIDO USADAS COMO FERRAMENTAS NA EDUCAÇÃO”

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
164
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Redes sociaiscomo ferramentas na educação

  1. 1. “COMO AS REDES SOCIAIS TÊM SIDO USADAS COMO FERRAMENTAS NA EDUCAÇÃO” Jésus Aparecido da Rosa Podemos verificar e reconhecer, dentro da sociedade contemporânea, praticamente em todas as atividades humanas, uma grande dependência tecnológica, principalmente dentro da educação. Neste novo contexto de sociedade do conhecimento, impulsionada pela velocidade com que se difundem e armazenam novas informações, a educação certamente é a área que merecerá e exigirá uma nova abordagem onde esse novo componente tecnológico não poderá ser ignorado. O aumento exponencial das informações levará a sociedade a uma nova organização para o trabalho e consequentemente afetará as novas metodologias de formação humana. O surgimento da internet e o aparecimento de novas ferramentas e aplicações online possibilitam cada vez mais a interação e a colaboração entre as pessoas e de certa forma isso veio a contribuir em muito para o crescimento vertiginoso da modalidade de educação a distância, fomentado inclusive pelo uso de ambientes formais e informais, que trazem como característica a flexibilidade e portabilidade de ações e interações entre seus agentes. Muitas são as ferramentas que vieram a facilitar a criação de novas metodologias e conteúdos de maneira dinâmica e simplificada tanto para os educadores, quanto para aqueles que necessitam de uma determinada formação, seja ela, acadêmica, profissional ou simplesmente para exercer sua cidadania. Dentro dessa premissa, buscamos verificar e analisar dentro dessas novas tecnologias, aquela ferramenta que mais se insere dentro da vida das pessoas atualmente, as “redes sociais”. Essas são o “local” onde pessoas podem se encontrar, se comunicar, interagir, partilhar informações e ideias de cunho profissional e muitas das vezes pessoais. As redes sociais são aplicações que suportam um espaço comum de interesses, necessidades e metas semelhantes para a colaboração, a partilha de conhecimento, a interacção e a comunicação (Pettenati et al., 2006, Brandtzaeg et al., 2007). Vivemos no auge das redes sociais, impulsionada pelo interesse de grandes empresas em divulgar seus produtos e serviços a uma grande quantidade de propensos “consumidores”,
  2. 2. aliado a um ambiente informal, de grande poder multimídia, dinâmico, muito atrativo e principalmente gratuito. Muitas são as ferramentas e tecnologias Web utilizadas para educação, seja ela presencial ou à distância, que permitem aos professores a definição e criação de novas estruturas e estratégias pedagógicas inovadoras, que a partir de agora ganhará uma grande aliada que são as redes sociais. Dentre essas redes sociais, iremos citar a mais utilizada e conhecida por todos que o Facebook, onde pessoas interagem principalmente por comentários a perfis e pela participação em grupos de discussões nas mais variadas áreas, ou até mesmo pela participação em seus aplicativos e jogos online. Febre, principalmente entre adolescentes, essas redes sociais tem como característica a facilidade de uso, “favorecendo uma melhor e rápida adaptação dos alunos às tecnologias, na medida que a internet se transformou numa plataforma simples e fácil de usar” (Tim O’Reilly & Battelle (2009) apud PATRÍCIO e GONÇALVES, 2010 p. 598) e que não necessita de grandes recursos de hardware e softwares para seu uso, funcionando em diversos tipos de equipamentos, como celulares e tablets, proporcionando a seus usuários uma grande flexibilidade de utilização dada a sua outra importante característica que á a portabilidade. Mesmo que informalmente, essa rede social já vem sendo usada por instituições, educadores e alunos, como espaço para troca e divulgação de informações e experiências, e muitas das vezes sendo usadas em cursos específicos propiciando a seus usuários a participação a atividades dinâmicas, interativas e contextualizadas. De acordo com Anderson (2007), “a Internet tem vindo gradualmente a abandonar as suas origens de ferramenta de escrita e leitura, e a entrar numa fase cada vez mais social e participativa”. Essas redes sociais possibilitam a seus participantes o fortalecimento da afetividade através da interatividade, de modo que os mesmos possam de uma forma atrativa e motivadora construir e valorizar os conhecimentos. Porém é preciso que dentro deste novo ambiente inovador para promoção da educação o planejamento didático-pedagógico, seja, também considerado e utilizado para que os processos interacionais e colaborativos não fiquem enfraquecidos e que o uso de seus recursos sejam aproveitados como forma de auxílio da aprendizagem e não somente como um elemento de “autoinstrução”. Assim essas redes e suas aplicações devem assumir diante dos dados, concepções com propósito de ser: facilitadora, mediadora e motivadora (Ota, 2011), articuladas pelo papel do
  3. 3. professor, que deverá estar engajado e comprometido com todo esse processo inovador, consciente não só das capacidades dessas novas tecnologias, mas também de todo seu potencial e suas limitações, para que o mesmo possa selecionar a melhor hora e maneira de utilizar-se dessas ferramentas de modo a contribuir para a melhoria de todo processo educacional por meio de todas essas fantásticas inovações tecnológicas. REFERÊNCIAS BRANDTZAEG, Petter Bae & HEIM, Jan; (2007). Initial context, user and social requirements for the Citizen Media applications: Participation and motivations in off- and online communities. Citizen Media Project. DA MATTA, Cláudia Eliane; Ambientes Virtuais de Aprendizagem. 2012 Disponível em <http://www.ead.unifei.edu.br/moodle/mod/resource/view.php?id=33410> Acesso em 23 fev. 2015. FERNANDES, Luís. Redes Sociais Online e Educação: Contributo do Facebook no Contexto das Comunidades Virtuais de Aprendentes. Lisboa: Universidade de Nova Lisboa. Acedido em agosto, v. 29, p. 2012, 2011. Disponível em <http://www.trmef.lfernandes.info/ensaio_TRMEF.pdf>. Acesso em 23 fev 2015 MARTELETO, Regina Maria. Análise de redes sociais: aplicação nos estudos de transferência da informação. Ciência da informação, v. 30, n. 1, p. 71-81, 2001. Disnponível em <http://www.scielo.br/pdf/ci/v30n1/a09v30n1> Acesso em 23 fev. 15 OTA, Marcos Andrei; VIEIRA, Paulo Luiz. PRODUÇÃO DE CONTEÚDOS PARA EAD: PLANEJAMENTO, EXECUÇÃO E AVALIAÇÃO. Disponível em <http://www.ileel.ufu.br/anaisdosielp/pt/arquivos/sielp2012/687.pdf> Acesso em: 18 jul. 2013. PATRÍCIO, Maria Raquel; GONÇALVES, Vitor. Facebook: rede social educativa?. 2010. Disponível em <https://bibliotecadigital.ipb.pt/bitstream/10198/3584/1/118.pdf>. Acesso em 23 fev. 2015. PETTENATI, Maria Chiara & RANIERI, Maria; (2006). Informal learning theories and tools to support knowledge management in distributed CoPs. IN Innovative Approaches for Learning and Knowledge Sharing, EC-TEL. Workshop Proceeding.

×