SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 14
Baixar para ler offline
COLÉGIO EDUCACIONAL DE SUPLÊNCIA E
TÉCNICO
AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL
TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL
FABIANO ANCELMO
FLÁVIO MARÇAL
JÉSSICA FERREIRA COELHO
Ipatinga – MG
2014
2
SUMÁRIO
1- INTRODUÇÃO ................................................................................................. 4
2-CONCEITO......................................................................................................... 4
3 – OBJETIVOS .....................................................................................................5
4- FINALIDADES .................................................................................................6
5 – O PROCESSO DE TREINAMENTO............................................................7
6-TIPOS DE TREINAMENTO......................................................................... ...7
7- EXIGÊNCIAS DO T&D PARA AS ORGANIZAÇÕES................................7
8- VALIDAÇÃO E AVALIAÇÃO DE T&D 8.....................................................8
9-. MEIOS DE LEVANTAMENTO DAS NECESSIDADES DE
TREINAMENTO....................................................................................................8
10 - ETAPAS DO DESENVOLVIMENTO DO TREINAMENTO....................9
10.1.-Estruturando um plano de treinamento............................................................10.
10.2-Identificação das necessidades de treinamento................................................10
10.3-Planejamento e programação do treinamento...................................................10
10.4-Execução do treinamento.................................................................................11
10.5-Avaliação dos resultados do treinamento.........................................................11
11-11- TECNOLOGIA DE TREINAMENO......................................................12
12-CONCLUSÃO...................................................................................................12
3
13- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ........................................................13
4
1- INTRODUÇÃO
Um dos temas de grande importância para as empresas da atualidade, que necessitam de
colaboradores no perfil exigido, é o treinamento e desenvolvimento, tratado também
como T&D. Com profissionais adequados ao padrão da organização, essas, poderão,
assim, competir entre a concorrência direta ou indireta que o mercado possui.
Anteriormente, a demanda por competências das pessoas era baseada mais nas
exigências do trabalho técnico e burocrático, por isso, as pessoas se concentravam mais
no processo produtivo. A busca pela racionalidade e eficiência na produção de bens fez
com que essa tendência permanecesse até meados da década de 80. A partir daí, a
crescente competição internacional passou a exigir mudanças até então não vivida pelas
organizações.
As tecnologias de produção, informação, foco na qualidade tiveram uma evolução
rápida. Com isso, surge a necessidade das empresas contarem com funcionários que
tivessem competências, não apenas para manejar essas tecnologias, mas também para
entenderem e gerarem resultados nos negócios empresariais. A área de treinamento e
desenvolvimento é uma das áreas de maior desafio da gestão de pessoas.
Treinamento significa dizer que é a preparação de pessoas para os cargos em questão.
Já a área de Desenvolvimento se aproxima mais da educação que é o preparo da pessoa
para a vida, e pela vida. Segundo Barreto (1995) treinamento é uma educação
profissional que visa adaptar o homem ao trabalho em determinada empresa,
preparando-o adequadamente para o exercício de um cargo podendo ser aplicado a
todos os níveis ou setores da empresa. Já segundo Milkovich e Boudreau (2000),
desenvolvimento significa aperfeiçoar as capacidades e motivações dos empregados a
fim de torná-los futuros membros valiosos da organização.
2- CONCEITO
É importante ressaltar que treinamento e desenvolvimento são coisas distintas. Por
mais que possuam semelhanças e cheguem a utilizar técnicas em comum, os objetivos
traçados possuem diferentes trajetórias.
Em um mercado altamente competitivo há uma preocupação das organizações com o
padrão dos serviços oferecidos, preços, e agilidade nos processos. Diante da
instabilidade mundial observa-se a necessidade de algumas mudanças em relação ao
5
que o cliente quer e o que a empresa pode fazer para fidelizá-lo. Utilizar estratégias
que aumentam a vantagem competitiva será um diferencial que poderá definir a
preferência do consumidor.
Para que serve o processo de treinamento e desenvolvimento? O processo é uma forma
de ação intencional com objetivo de fornecer meios para possibilitar a aprendizagem.
Onde aprendizagem pode ser definida como o processo pelo qual adquirimos
experiência que nos levam a aumentar a capacidade, que nos levam a alterar
disposições de ações em relação ao ambiente que nos levam a mudança de
comportamento.
Investir em treinamento e desenvolvimento é uma das formas que as instituições
encontram para trabalhar suas equipes de maneira a capacitá-las e consequentemente
garantir o seu sucesso no ramo de atividade. Capacitar o grupo favorece a qualidade
dos serviços prestados, além de padronizar e melhorar as tomadas de decisões.
Treinamento é o processo educacional de curto prazo aplicado de maneira sistemática
e organizada, através do qual as pessoas aprendem conhecimentos, atitudes e
habilidades em função de objetivos definidos. O treinamento envolve a transmissão de
conhecimentos específicos relativos ao trabalho, atitudes frente a aspectos da
organização, da tarefa e do ambiente, e desenvolvimento de habilidade
(CHIAVENATO, 2006, p. 402)
Treinamento é um processo de assimilação cultural a curto prazo, que objetiva
repassar ou reciclar conhecimentos, habilidades ou atitudes relacionados diretamente à
execução de tarefas ou à sua otimização no trabalho. O treinamento produz um estado
de mudança no conjunto de conhecimentos, Habilidades e Atitudes (CHA) de cada
trabalhador, uma vez que implementa ou modifica a bagagem particular de cada um.
afirma-se ainda que o T&D é um dos subsistemas mais importantes da área de RH e é
composta pelo levantamento das necessidades, planejamento, programação de
módulos, treinamento (operacional e administrativo), avaliação de desempenho,
desenvolvimento (executivos e talentos), biblioteca e banco de dados;
3- OBJETIVOS
Treinamento e Desenvolvimento auxiliam nas estratégias das organizações, pois, lida
com o alcance dos objetivos, treina os trabalhadores da organização nos requisitos
necessários a fim de competir no mercado altamente concorrente, desenvolve
6
competências, dissemina a cultura, os valores, a missão, a visão, os objetivos, as metas
da organização, entre outros;
Tem como principais objetivos:
•Preparar as pessoas para a execução de tarefas
•Mudar a atitudes das pessoas em diversas finalidades.
•Desenvolver novas habilidades, conceitos;
• Transmissão de informações;
• Aumento da produtividade;
• Melhorar a comunicação;
• Diminuir o retrabalho;
• Melhorar o relacionamento interpessoal;
• Preparar as pessoas e a organização no que diz respeito à substituição e a
movimentação de pessoas;
Assim, a área de Treinamento e Desenvolvimento é a responsável pelo processo de
preparação de pessoas para desempenharem de maneira eficaz todas as tarefas
específicas do cargo que deverá ocupar. Porém, o conhecimento deve ser compartilhado
e distribuído. Quanto mais informação você compartilha maior é o seu retorno. Tanto
para você, quanto para sua organização.
Então a área de e Treinamento e Desenvolvimento facilita que a empresa inteira possa
produzir com maior eficiência.
4- FINALIDADES
O T&D tem como finalidade alcançar os objetivos organizacionais trazendo aos
colaboradores oportunidade de conhecer a prática e a conduta solicitada pela empresa.
Como a maioria das instituições possui equipes, seria interessante o programa de
treinamento pelo fato de possuírem empregados com diferentes princípios, sendo
importante trabalhar cada grupo no intuito de alcançar e buscar efetivamente os
resultados almejados., a saber:
a) O diagnóstico é a fase que permite definir com clareza se o problema é passível de
solução através do treinamento;
b) O planejamento é fase que permite esclarecer e operacionalizar os objetivos e tomar
decisões estratégicas sobre em que treinar, quem treinar, como treinar, como organizar,
7
onde treinar, quando treinar e como avaliar todo processo;
c) A execução é fase de preparação e implementação do que foi programado;
d) E a avaliação é fase final, que verifica se os objetivos traçados foram alcançados e
quais futuras projeções poderão ser feitas para haver continuidade nos processos de
melhoria.
5- O PROCESSO DE TREINAMENTO
..
O treinamento pode ser interno ou externo, de acordo com o local onde ele será
realizado. O interno se divide em introdutório (novos empregados), e de trabalho
(reciclar, aplicar técnicas específicas de aprendizagem), o externo pode ser somente
com empregados de uma mesma empresa como também pode ser aberto .
No processo de treinamento é viável buscar as necessidades a serem satisfeitas, o
diagnóstico alinhado aos objetivos organizacionais, as competências necessárias e os
resultados da avaliação de desempenho.
É possível levantar as necessidades de treinamento através das análises organizacional,
dos recursos humanos e da estrutura de cargos.
6- TIPOS DE TREINAMENTO
Treinamento Técnico / operacional: está mais próximo dos processos e reflete-se mais
diretamente nos resultados visíveis.
Treinamento e Desenvolvimento de equipes, treinamento comportamental,
desenvolvimento de líder: manifesta-se de forma mais indireta nos resultados
operacionais, mas são tão importantes quanto aos treinamentos técnicos/operacionais.
Treinamento Operacional: Capacitação teórica/prática dos níveis operacionais,
voltada a adequar o conhecimento técnico às exigências provenientes dos equipamentos,
dos novos processos, etc.
7- EXIGÊNCIAS DO T&D PARA AS ORGANIZAÇÕES
É importante que as organizações tenham foco estabelecido para que o cliente esteja
sempre em primeiro lugar. A estrutura organizacional precisa estar alinhada
favorecendo os fatores que influenciaram na satisfação dos clientes e na expectativa que
8
os mesmos possuem em relação ao trabalho da organização.
De acordo com Chiavenato (2010, p. 376), o planejamento do treinamento é decorrência
do diagnóstico das necessidades de treinamento. Geralmente, os recursos e as
competências colocadas à disposição do treinamento estão relacionados com a
problemática.
Diante do proposto é necessária a execução do projeto, onde fatores importantes para
que ocorra um processo bem direcionado são: qualidade dos treinados, qualidade dos
instrutores, qualidade dos materiais e das técnicas instrucionais, envolvimento da chefia
e adequação ao programa.
8- VALIDAÇÃO E AVALIAÇÃO DE T&D
A importância da avaliação é determinar se "valeu a pena", se os objetivos do
treinamento foram atingidos, se o processo deve ou não continuar e se deve ser feita
alguma,alteração.
Perante o resultado deverá ser avaliado se o processo de T&D foi satisfatório ou não
para a empresa.
Contudo, o projeto de T&D é importante para organização mensurar, avaliar e medir o
grau de importância daquele funcionário para a organização e também para saber como
e quando a empresa deve treinar seus funcionários a fim de mantê-los motivados para
alcançarem objetivos e metas propostas.
9- MEIOS DE LEVANTAMENTO DAS NECESSIDADES DE TREINAMENTO
Segundo Chiavenato (1995, p. 149), a pesquisa das necessidades de treinamento deve
ser contínua e permanente. Obviamente deverá ser o primeiro passo no processo de
treinamento, mesmo que feito de maneira informal e assistemática. - o importante é que
ela forneça dados que permita definir claramente, no planejamento, os objetivos da ação
de treinamento.
É importante definir o que deverá ser feito de acordo com as necessidades
organizacionais. Através de um planejamento de pesquisa será avaliado o meio em que
facilitará o trabalho das pessoas envolvidas nos processos. Entrevista com pessoal de
linha, com supervisores, questionários, avaliação de desempenho, pesquisa de atitude
(ou de clima), reuniões, cursos gerenciais entre outros são alguns dos métodos
9
utilizados para o levantamento das necessidades. Neste caso não há vantagem ou
desvantagem, não se considera um meio como melhor ou mais propicio, vai depender
de cada empresa. E finalmente será possível através das informações obtidas verificar se
o problema é passível de solução através dos métodos utilizados no programa de
treinamento ou não.
10- ETAPAS DEDESENVOLVIMENTO E TREINAMENTO
As atividades do processo de treinamento devem ser integradas aos outros órgãos que
compõem a área de Recursos Humanos, mantendo uma relação direta que contribua
com a eficácia do treinamento. Através das atividades do treinamento é possível
aumentar o conhecimento das pessoas, melhorar as habilidades e as destrezas,
desenvolver ou modificar comportamentos e elevar o nível de abstração. Para
Chiavenato (2004), o processo de treinamento em geral requer o cumprimento de
algumas fases para que possa ser executado e responda aos propósitos da organização:
a) Levantamento das necessidades: É o diagnóstico. Nesta fase são identificadas as
lacunas ou deficiências de uma determinada área. Essas necessidades não
necessariamente tem de ser presentes, elas podem ser futuras ao anteciparem uma
preparação de acordo com a visão organizacional e o planejamento tático de uma
determinada área.
b) Planejamento: É o “desenho” do treinamento. Ele deve ser elaborado mediante as
necessidades outrora identificadas. É importante para que a eficácia dos resultados seja
garantida.
c) Execução: É a implementação do treinamento, sua própria aplicação.
d) Avaliação: É a validação. Para que um treinamento seja considerado efetivo, deverá
implicar numa reação, ou seja, os benefícios trazidos para os colaboradores e para a
consequentemente para a organização.
A área de treinamento e desenvolvimento, no sentido de proporcionar a contínua
aprendizagem das pessoas e das organizações, tem investido em processos e ferramentas
a fim de alavancar o grau de desempenho dos colaboradores. De acordo com
Mascarenhas (2009), com a tendência da gestão por competências, a área de T&D
assume uma dimensão mais dinâmica na educação e volta-se ao crescimento pessoal e
profissional contínuo dos indivíduos. Este fato permite a articulação aos objetivos
10
estratégicos de longo prazo das organizações através de uma nova tendência
denominada de Universidade Corporativa.
10.1- Estruturando um plano de treinamento
Segundo as normas da ISO 10015, o Processo de Treinamento deve ser dividido em
quatro etapas:
 Identificação das necessidades de treinamento.
 Planejamento e programação do treinamento.
 Execução do treinamento.
 Avaliação dos resultados do treinamento.
10.2- Identificação das necessidades de treinamento
O gestor neste momento precisa ter uma visão clara dos membros da sua equipe para
poder fazer a clara identificação das reais necessidades de treinamento. É neste
momento que ele identifica o nível de eficiência e competência do seu colaborador e
compara com os níveis desejados para aquela função.
A partir disso o líder começará a construir o que seus colaboradores deverão aprender
para atingir o patamar desejado para executar a sua função com maestria.
10.3- Planejamento e programação do treinamento
A partir do momento que as lideranças identificaram as reais necessidades de
treinamento, o planejamento do programa de treinamento irá desenvolver a estrutura
conteúdo a ser abordado, de forma sinérgica com o público-alvo e da cultura da
empresa. Neste momento também definiremos os recursos que serão necessários para
atingir este objetivo.
Uma forma simples de estruturar esta fase é usar a ferramenta 5W2H, que apesar do
nome lembrar uma fórmula química, nada mais é do que transcrição em inglês de
perguntas fundamentais em qualquer planejamento. Vejam o quad
11
 Programação do treinamento
 • O que deve ser ensinado?
 • Quem deve aprender?
 • Quando deve ser ensinado?
 • Onde deve ser ensinado?
 • Como se deve ensinar?
 • Quem deve ensinar?
10.4- Execução do treinamento
A execução do treinamento é o ápice de todo um planejamento. Se a execução não for
bem feita compromete-se todo o programa. Para isso devem-se concentrar esforços para
que esta parte do processo seja bem sucedida.
10.5- Avaliação dos resultados do treinamento
Indicadores são essenciais ao planejamento e controle dos processos das organizações
porque possibilitam o estabelecimento de metas quantificadas. Com base nestes
indicadores podemos elaborar análises críticas do desempenho dos processos de
treinamento e desenvolvimento, e redirecionar caso seja necessário, para novos pontos
onde poderemos atingir os objetivos previamente traçados.
Vamos listar alguns exemplos de indicadores que poderemos utilizar para avaliar um
programa de treinamento:
 índice de satisfação de clientes
12
 tempo médio de produção
 taxa de assiduidade
 taxa de rotatividade
 taxa de não conformidades
 crescimento de vendas
 aumento de lucratividade da empresa
11- TECNOLOGIA DE TREINAMENTO
A tecnologia de treinamento refere-se aos recursos didáticos, pedagógicos e
instrucionais utilizados no treinamento. A TI está influenciando os métodos de
treinamento e reduzindo custos operacionais. As novas técnicas de treinamento são:
1. Recursos audio-visuais: imagens visuais e informação em áudio são poderosas
ferramentas de comunicação. O videocassete, o CD-ROM e o DVD (Digital Video
Disc) permitem gravar programas de treinamento para vários locais diferentes e em
qualquer ocasião.
2. Teleconferência: é o uso de equipamento de áudio e vídeo para permitir que pessoas
participem em reuniões, mesmo quando distantes entre si ou da localidade do evento.
3. Comunicações eletrônicas: a TI permite comunicações interativas entre pessoas
fisicamente distantes através do correio de voz (voice mail) dentro da rede de telefones
de uma empresa.
4. Correio eletrônico: o e-mail é uma forma de comunicação eletrônica que permite às
pessoas comunicarem-se com outras através de mensagens eletrônicas através de
computadores ligados à Internet e redes internas baseadas na Internet (Intranets).
5. Tecnologia de multimidia: é a comunicação eletrônica que integra voz, vídeo e texto,
codificados digitalmente e transportados por redes de fibras óticas.
6. Treinamento a distância: ou e-learning ou treinamento virtual – é o treinamento
através da Internet e pode ser feito a qualquer hora e em qualquer lugar a um custo
baixíssimo
12 - CONCLUSÃO
Conclui-se, portanto, que tanto o treinamento quanto o desenvolvimento de pessoas são
essenciais para o crescimento da organização e também para a vida das pessoas
13
envolvidas. Mesmo sendo o treinamento ocorrendo de forma rápida ou seja, espaço
mais curto de tempo e o desenvolvimento sendo conhecimentos e habilidades adquiridas
ao longo de toda a vida os dois juntos são o caminho para o sucesso pessoal e
profissional
No ambiente empresarial, as pessoas tomam uma dimensão de valor extremamente
significante, pois, não apenas fazem parte da empresa, a pessoa, efetivamente é a
própria empresa.
O ser humano vive em função do seu progresso e não há dúvidas de que, qualquer
tentativa ou ameaça a este progresso pode provocar uma reação indesejada e quase
sempre prejudicial.
Podemos afirmar que a valorização dos (as) colaboradores (as) que fazem a empresa é
além de prudente, aconselhável e forte incentivador para o desenvolvimento do capital
intelectual.
Uma vês que uma pessoa alcança um determinado nível de progresso destacando-se das
demais, estas tendem a buscar seu lugar ao sol.
Trocando em miúdos:
As pessoas procuram todo o tempo atingir o progresso que outras já atingirão.
13- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ARAÚJO, Luís César G. Organização, Sistemas e Métodos e as Tecnologias de
Gestão Organizacional. 5,d.São Paulo:Atlas S.A.2011
CARPINETTI, Luis. Gestão da Qualidade: conceitos e técnicas. 2.d.São Paulo:Atlas
S.A,2012.11.
CHIAVENATO, I. Comportamento Organizacional: a dinâmica do sucesso das
organizações. 2 ed. Rio de Janeiro: Elsevier. 2005.
CHIAVENATO, I. Recursos Humanos: o capital humano das organizações. São
Paulo: Atlas, 2004.
14
FEUILLETTE, I. RH: o novo perfil dos treinados: como preparar, conduzir e
avaliar um processo de treinamento. São Paulo: Nobel. 1991.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Recrutamento e Seleção
Recrutamento e SeleçãoRecrutamento e Seleção
Recrutamento e SeleçãoCaroline Ricci
 
Recrutamento e Seleção (R&S)
Recrutamento e Seleção (R&S)Recrutamento e Seleção (R&S)
Recrutamento e Seleção (R&S)Jader Windson
 
Marketing Pessoal e Planejamento de Carreira
Marketing Pessoal e Planejamento de CarreiraMarketing Pessoal e Planejamento de Carreira
Marketing Pessoal e Planejamento de CarreiraMiguel Mazzoni
 
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégiasTreinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégiasRicardo Silva Coqueiro
 
Treinamento & desenvolvimento...de RH
Treinamento & desenvolvimento...de RHTreinamento & desenvolvimento...de RH
Treinamento & desenvolvimento...de RHRose Oliveira
 
Aula chefia e liderança - 24.04.2010
Aula   chefia e liderança - 24.04.2010Aula   chefia e liderança - 24.04.2010
Aula chefia e liderança - 24.04.2010Michel Moreira
 
Multiplicadores de conhecimento wm
Multiplicadores de conhecimento wmMultiplicadores de conhecimento wm
Multiplicadores de conhecimento wmWRM2013
 
Comunicação Empresarial
Comunicação EmpresarialComunicação Empresarial
Comunicação EmpresarialThais Oliveira
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoRenato Melo
 
Aula 5 aprendizagem_organizacional
Aula 5 aprendizagem_organizacionalAula 5 aprendizagem_organizacional
Aula 5 aprendizagem_organizacionalCarlos Alves
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoNome Sobrenome
 
Desenvolvendo um Plano de Treinamento
Desenvolvendo um Plano de TreinamentoDesenvolvendo um Plano de Treinamento
Desenvolvendo um Plano de TreinamentoKenneth Corrêa
 
Aula -gestão_por_competências
Aula  -gestão_por_competênciasAula  -gestão_por_competências
Aula -gestão_por_competênciasCicero Feitosa
 
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoalTaluana Maron
 
Gestão de recursos humanos
Gestão de recursos humanosGestão de recursos humanos
Gestão de recursos humanosRafael Pozzobon
 

Mais procurados (20)

Treinamento Organizacional
Treinamento OrganizacionalTreinamento Organizacional
Treinamento Organizacional
 
Recrutamento e Seleção
Recrutamento e SeleçãoRecrutamento e Seleção
Recrutamento e Seleção
 
Cultura e clima organizacionais 4
Cultura e clima organizacionais 4Cultura e clima organizacionais 4
Cultura e clima organizacionais 4
 
Recrutamento e Seleção (R&S)
Recrutamento e Seleção (R&S)Recrutamento e Seleção (R&S)
Recrutamento e Seleção (R&S)
 
Desenvolvimento em equipe
Desenvolvimento em equipeDesenvolvimento em equipe
Desenvolvimento em equipe
 
Marketing Pessoal e Planejamento de Carreira
Marketing Pessoal e Planejamento de CarreiraMarketing Pessoal e Planejamento de Carreira
Marketing Pessoal e Planejamento de Carreira
 
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégiasTreinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
Treinamento & Desenvolvimento de Equipes: Modelos, Feramentas e estratégias
 
Treinamento & desenvolvimento...de RH
Treinamento & desenvolvimento...de RHTreinamento & desenvolvimento...de RH
Treinamento & desenvolvimento...de RH
 
Aula chefia e liderança - 24.04.2010
Aula   chefia e liderança - 24.04.2010Aula   chefia e liderança - 24.04.2010
Aula chefia e liderança - 24.04.2010
 
Multiplicadores de conhecimento wm
Multiplicadores de conhecimento wmMultiplicadores de conhecimento wm
Multiplicadores de conhecimento wm
 
Comunicação Empresarial
Comunicação EmpresarialComunicação Empresarial
Comunicação Empresarial
 
Criatividade e Inovação
Criatividade e InovaçãoCriatividade e Inovação
Criatividade e Inovação
 
Aula 5 aprendizagem_organizacional
Aula 5 aprendizagem_organizacionalAula 5 aprendizagem_organizacional
Aula 5 aprendizagem_organizacional
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e Desenvolvimento
 
Desenvolvendo um Plano de Treinamento
Desenvolvendo um Plano de TreinamentoDesenvolvendo um Plano de Treinamento
Desenvolvendo um Plano de Treinamento
 
Aula -gestão_por_competências
Aula  -gestão_por_competênciasAula  -gestão_por_competências
Aula -gestão_por_competências
 
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
 
Plano de carreira
Plano de carreiraPlano de carreira
Plano de carreira
 
Empregabilidade
EmpregabilidadeEmpregabilidade
Empregabilidade
 
Gestão de recursos humanos
Gestão de recursos humanosGestão de recursos humanos
Gestão de recursos humanos
 

Destaque

Treinamento+desenvolvimento
Treinamento+desenvolvimentoTreinamento+desenvolvimento
Treinamento+desenvolvimentoWallace Silva
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoVanderlei Moraes
 
Gerenciamento de RH - Treinamento e Desenvolvimento
Gerenciamento de RH - Treinamento e DesenvolvimentoGerenciamento de RH - Treinamento e Desenvolvimento
Gerenciamento de RH - Treinamento e DesenvolvimentoKenneth Corrêa
 
Treinamento & Desenvolvimento para melhoria do desempenho empresarial
Treinamento & Desenvolvimento para melhoria do desempenho empresarialTreinamento & Desenvolvimento para melhoria do desempenho empresarial
Treinamento & Desenvolvimento para melhoria do desempenho empresarialAna Couto
 
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...Karinie Figueiredo
 
Treinamento e desenvolvimento
Treinamento e desenvolvimentoTreinamento e desenvolvimento
Treinamento e desenvolvimentoJohn Silva
 
Técnicas para Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas - Aula 1 Momento 1
Técnicas para Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas -  Aula 1 Momento 1Técnicas para Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas -  Aula 1 Momento 1
Técnicas para Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas - Aula 1 Momento 1alfamacursos
 
Treinamento apresentação
Treinamento apresentaçãoTreinamento apresentação
Treinamento apresentaçãoCelso Crivelaro
 
Psicologia do trabalho
Psicologia do trabalhoPsicologia do trabalho
Psicologia do trabalhoHugo Cordeiro
 
Linguagens de programação
Linguagens de programaçãoLinguagens de programação
Linguagens de programaçãoessa
 
Apresentação Scratch
Apresentação ScratchApresentação Scratch
Apresentação ScratchMichele Felkl
 
01. Debora Miceli - Desenvolvimento de RH: Introdução
01. Debora Miceli - Desenvolvimento de RH: Introdução01. Debora Miceli - Desenvolvimento de RH: Introdução
01. Debora Miceli - Desenvolvimento de RH: IntroduçãoDebora Miceli
 
Psicologia do trabalho e das organizações
Psicologia do trabalho e das organizaçõesPsicologia do trabalho e das organizações
Psicologia do trabalho e das organizaçõesAna Pereira
 
Capacitação de Secretaria Clinica Odontológica
Capacitação de Secretaria Clinica OdontológicaCapacitação de Secretaria Clinica Odontológica
Capacitação de Secretaria Clinica OdontológicaClaudine Hudson
 
Programação orientada a objetos
Programação orientada a objetosProgramação orientada a objetos
Programação orientada a objetosCleyton Ferrari
 

Destaque (20)

Treinamento+desenvolvimento
Treinamento+desenvolvimentoTreinamento+desenvolvimento
Treinamento+desenvolvimento
 
Treinamento e Desenvolvimento
Treinamento e DesenvolvimentoTreinamento e Desenvolvimento
Treinamento e Desenvolvimento
 
Gerenciamento de RH - Treinamento e Desenvolvimento
Gerenciamento de RH - Treinamento e DesenvolvimentoGerenciamento de RH - Treinamento e Desenvolvimento
Gerenciamento de RH - Treinamento e Desenvolvimento
 
Treinamento & Desenvolvimento para melhoria do desempenho empresarial
Treinamento & Desenvolvimento para melhoria do desempenho empresarialTreinamento & Desenvolvimento para melhoria do desempenho empresarial
Treinamento & Desenvolvimento para melhoria do desempenho empresarial
 
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
A importância do treinamento e desenvolvimento de pessoas na reestruturação d...
 
Treinamento e desenvolvimento
Treinamento e desenvolvimentoTreinamento e desenvolvimento
Treinamento e desenvolvimento
 
Técnicas para Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas - Aula 1 Momento 1
Técnicas para Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas -  Aula 1 Momento 1Técnicas para Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas -  Aula 1 Momento 1
Técnicas para Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas - Aula 1 Momento 1
 
Treinamento apresentação
Treinamento apresentaçãoTreinamento apresentação
Treinamento apresentação
 
Educação, Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas
Educação, Treinamento e Desenvolvimento de PessoasEducação, Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas
Educação, Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas
 
Aspectos de evaluación 1
Aspectos de evaluación 1Aspectos de evaluación 1
Aspectos de evaluación 1
 
Psicologia do trabalho
Psicologia do trabalhoPsicologia do trabalho
Psicologia do trabalho
 
Linguagens de programação
Linguagens de programaçãoLinguagens de programação
Linguagens de programação
 
TIM | Treinamento de Tecnologia
TIM | Treinamento de TecnologiaTIM | Treinamento de Tecnologia
TIM | Treinamento de Tecnologia
 
Apresentação Scratch
Apresentação ScratchApresentação Scratch
Apresentação Scratch
 
01. Debora Miceli - Desenvolvimento de RH: Introdução
01. Debora Miceli - Desenvolvimento de RH: Introdução01. Debora Miceli - Desenvolvimento de RH: Introdução
01. Debora Miceli - Desenvolvimento de RH: Introdução
 
Liderança e Trabalho em Equipe
Liderança e Trabalho em EquipeLiderança e Trabalho em Equipe
Liderança e Trabalho em Equipe
 
Psicologia do trabalho e das organizações
Psicologia do trabalho e das organizaçõesPsicologia do trabalho e das organizações
Psicologia do trabalho e das organizações
 
Capacitação de Secretaria Clinica Odontológica
Capacitação de Secretaria Clinica OdontológicaCapacitação de Secretaria Clinica Odontológica
Capacitação de Secretaria Clinica Odontológica
 
Programação orientada a objetos
Programação orientada a objetosProgramação orientada a objetos
Programação orientada a objetos
 
Treinamento Motivacao
Treinamento MotivacaoTreinamento Motivacao
Treinamento Motivacao
 

Semelhante a Treinamento e desenvolvimento pessoal em automação industrial

Administração dos recursos humanos
Administração dos recursos humanosAdministração dos recursos humanos
Administração dos recursos humanosPedro Quinanga
 
Apostila treinamento e desenvolvimento
Apostila   treinamento e desenvolvimentoApostila   treinamento e desenvolvimento
Apostila treinamento e desenvolvimentoLeandro Mariano
 
Trabalho tfs
Trabalho tfsTrabalho tfs
Trabalho tfs461987
 
Procedimento Treinamento
Procedimento Treinamento Procedimento Treinamento
Procedimento Treinamento Marcos Abreu
 
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimento
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimentoComo medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimento
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimentoNegrao Alexandre
 
Planejamento estratégico em gestão de pessoas individual- 4 semestre unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas  individual-  4 semestre unoparPlanejamento estratégico em gestão de pessoas  individual-  4 semestre unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas individual- 4 semestre unoparKarina Almeida
 
Briefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestreBriefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestrePaulo Vinicius
 
Briefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestreBriefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestrePaulo Vinicius
 
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoalValéria Braga
 
Curso de gestão de pessoal parte 4/5
Curso de gestão de pessoal   parte 4/5Curso de gestão de pessoal   parte 4/5
Curso de gestão de pessoal parte 4/5ABCursos OnLine
 
Subsistema de desenvolvimento de recursos humanos
Subsistema de desenvolvimento de recursos humanosSubsistema de desenvolvimento de recursos humanos
Subsistema de desenvolvimento de recursos humanosUniversidade Pedagogica
 
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptxPPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptxPriscyllasantos6
 
Desenvolver pessoas[1]
Desenvolver pessoas[1]Desenvolver pessoas[1]
Desenvolver pessoas[1]09108303
 
Planejamento estratégico em gestão de pessoas - grupo - 4 semestre- unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas -  grupo - 4 semestre- unoparPlanejamento estratégico em gestão de pessoas -  grupo - 4 semestre- unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas - grupo - 4 semestre- unoparKarina Almeida
 
04 administração de pessoal (treinamento)
04   administração de pessoal (treinamento)04   administração de pessoal (treinamento)
04 administração de pessoal (treinamento)Elizeu Ferro
 
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetosO Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetosRafaela Espíndola
 
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetosO Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetosRafaela Espíndola
 

Semelhante a Treinamento e desenvolvimento pessoal em automação industrial (20)

1a aula educação corporativa mba rh 2014-1
1a aula educação corporativa   mba rh 2014-11a aula educação corporativa   mba rh 2014-1
1a aula educação corporativa mba rh 2014-1
 
Administração dos recursos humanos
Administração dos recursos humanosAdministração dos recursos humanos
Administração dos recursos humanos
 
TD Treinamento & Desenvolvimento
TD Treinamento & Desenvolvimento TD Treinamento & Desenvolvimento
TD Treinamento & Desenvolvimento
 
Apostila treinamento e desenvolvimento
Apostila   treinamento e desenvolvimentoApostila   treinamento e desenvolvimento
Apostila treinamento e desenvolvimento
 
Trabalho tfs
Trabalho tfsTrabalho tfs
Trabalho tfs
 
Procedimento Treinamento
Procedimento Treinamento Procedimento Treinamento
Procedimento Treinamento
 
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimento
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimentoComo medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimento
Como medir-a-eficacia-dos-programas-de-treinamento-e-desenvolvimento
 
Planejamento estratégico em gestão de pessoas individual- 4 semestre unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas  individual-  4 semestre unoparPlanejamento estratégico em gestão de pessoas  individual-  4 semestre unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas individual- 4 semestre unopar
 
Como Desenvolver CompetêNcias Dentro Da Empresa
Como Desenvolver CompetêNcias Dentro Da EmpresaComo Desenvolver CompetêNcias Dentro Da Empresa
Como Desenvolver CompetêNcias Dentro Da Empresa
 
Briefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestreBriefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestre
 
Briefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestreBriefing oppi 2011_2_semestre
Briefing oppi 2011_2_semestre
 
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
03+aula+rh+treinamento+e+desenvolvimento+pessoal
 
Curso de gestão de pessoal parte 4/5
Curso de gestão de pessoal   parte 4/5Curso de gestão de pessoal   parte 4/5
Curso de gestão de pessoal parte 4/5
 
Subsistema de desenvolvimento de recursos humanos
Subsistema de desenvolvimento de recursos humanosSubsistema de desenvolvimento de recursos humanos
Subsistema de desenvolvimento de recursos humanos
 
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptxPPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
PPT AULA 04 PRÁTICAS DE TREINAMENTO.pptx
 
Desenvolver pessoas[1]
Desenvolver pessoas[1]Desenvolver pessoas[1]
Desenvolver pessoas[1]
 
Planejamento estratégico em gestão de pessoas - grupo - 4 semestre- unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas -  grupo - 4 semestre- unoparPlanejamento estratégico em gestão de pessoas -  grupo - 4 semestre- unopar
Planejamento estratégico em gestão de pessoas - grupo - 4 semestre- unopar
 
04 administração de pessoal (treinamento)
04   administração de pessoal (treinamento)04   administração de pessoal (treinamento)
04 administração de pessoal (treinamento)
 
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetosO Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
 
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetosO Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
O Impacto do EAD no treinamento da sua equipe de projetos
 

Último

UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfManuais Formação
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Centro Jacques Delors
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOColégio Santa Teresinha
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalJacqueline Cerqueira
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxOsnilReis1
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosAntnyoAllysson
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxfabiolalopesmartins1
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesMary Alvarenga
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirIedaGoethe
 

Último (20)

UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdfUFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
UFCD_10392_Intervenção em populações de risco_índice .pdf
 
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO3_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
Apresentação | Eleições Europeias 2024-2029
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃOLEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
LEMBRANDO A MORTE E CELEBRANDO A RESSUREIÇÃO
 
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem OrganizacionalGerenciando a Aprendizagem Organizacional
Gerenciando a Aprendizagem Organizacional
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptxATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
ATIVIDADE AVALIATIVA VOZES VERBAIS 7º ano.pptx
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteirosBingo da potenciação e radiciação de números inteiros
Bingo da potenciação e radiciação de números inteiros
 
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptxA experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
A experiência amorosa e a reflexão sobre o Amor.pptx
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das MãesA Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
A Arte de Escrever Poemas - Dia das Mães
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimirFCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
FCEE - Diretrizes - Autismo.pdf para imprimir
 

Treinamento e desenvolvimento pessoal em automação industrial

  • 1. COLÉGIO EDUCACIONAL DE SUPLÊNCIA E TÉCNICO AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL TREINAMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL FABIANO ANCELMO FLÁVIO MARÇAL JÉSSICA FERREIRA COELHO Ipatinga – MG 2014
  • 2. 2 SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO ................................................................................................. 4 2-CONCEITO......................................................................................................... 4 3 – OBJETIVOS .....................................................................................................5 4- FINALIDADES .................................................................................................6 5 – O PROCESSO DE TREINAMENTO............................................................7 6-TIPOS DE TREINAMENTO......................................................................... ...7 7- EXIGÊNCIAS DO T&D PARA AS ORGANIZAÇÕES................................7 8- VALIDAÇÃO E AVALIAÇÃO DE T&D 8.....................................................8 9-. MEIOS DE LEVANTAMENTO DAS NECESSIDADES DE TREINAMENTO....................................................................................................8 10 - ETAPAS DO DESENVOLVIMENTO DO TREINAMENTO....................9 10.1.-Estruturando um plano de treinamento............................................................10. 10.2-Identificação das necessidades de treinamento................................................10 10.3-Planejamento e programação do treinamento...................................................10 10.4-Execução do treinamento.................................................................................11 10.5-Avaliação dos resultados do treinamento.........................................................11 11-11- TECNOLOGIA DE TREINAMENO......................................................12 12-CONCLUSÃO...................................................................................................12
  • 3. 3 13- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ........................................................13
  • 4. 4 1- INTRODUÇÃO Um dos temas de grande importância para as empresas da atualidade, que necessitam de colaboradores no perfil exigido, é o treinamento e desenvolvimento, tratado também como T&D. Com profissionais adequados ao padrão da organização, essas, poderão, assim, competir entre a concorrência direta ou indireta que o mercado possui. Anteriormente, a demanda por competências das pessoas era baseada mais nas exigências do trabalho técnico e burocrático, por isso, as pessoas se concentravam mais no processo produtivo. A busca pela racionalidade e eficiência na produção de bens fez com que essa tendência permanecesse até meados da década de 80. A partir daí, a crescente competição internacional passou a exigir mudanças até então não vivida pelas organizações. As tecnologias de produção, informação, foco na qualidade tiveram uma evolução rápida. Com isso, surge a necessidade das empresas contarem com funcionários que tivessem competências, não apenas para manejar essas tecnologias, mas também para entenderem e gerarem resultados nos negócios empresariais. A área de treinamento e desenvolvimento é uma das áreas de maior desafio da gestão de pessoas. Treinamento significa dizer que é a preparação de pessoas para os cargos em questão. Já a área de Desenvolvimento se aproxima mais da educação que é o preparo da pessoa para a vida, e pela vida. Segundo Barreto (1995) treinamento é uma educação profissional que visa adaptar o homem ao trabalho em determinada empresa, preparando-o adequadamente para o exercício de um cargo podendo ser aplicado a todos os níveis ou setores da empresa. Já segundo Milkovich e Boudreau (2000), desenvolvimento significa aperfeiçoar as capacidades e motivações dos empregados a fim de torná-los futuros membros valiosos da organização. 2- CONCEITO É importante ressaltar que treinamento e desenvolvimento são coisas distintas. Por mais que possuam semelhanças e cheguem a utilizar técnicas em comum, os objetivos traçados possuem diferentes trajetórias. Em um mercado altamente competitivo há uma preocupação das organizações com o padrão dos serviços oferecidos, preços, e agilidade nos processos. Diante da instabilidade mundial observa-se a necessidade de algumas mudanças em relação ao
  • 5. 5 que o cliente quer e o que a empresa pode fazer para fidelizá-lo. Utilizar estratégias que aumentam a vantagem competitiva será um diferencial que poderá definir a preferência do consumidor. Para que serve o processo de treinamento e desenvolvimento? O processo é uma forma de ação intencional com objetivo de fornecer meios para possibilitar a aprendizagem. Onde aprendizagem pode ser definida como o processo pelo qual adquirimos experiência que nos levam a aumentar a capacidade, que nos levam a alterar disposições de ações em relação ao ambiente que nos levam a mudança de comportamento. Investir em treinamento e desenvolvimento é uma das formas que as instituições encontram para trabalhar suas equipes de maneira a capacitá-las e consequentemente garantir o seu sucesso no ramo de atividade. Capacitar o grupo favorece a qualidade dos serviços prestados, além de padronizar e melhorar as tomadas de decisões. Treinamento é o processo educacional de curto prazo aplicado de maneira sistemática e organizada, através do qual as pessoas aprendem conhecimentos, atitudes e habilidades em função de objetivos definidos. O treinamento envolve a transmissão de conhecimentos específicos relativos ao trabalho, atitudes frente a aspectos da organização, da tarefa e do ambiente, e desenvolvimento de habilidade (CHIAVENATO, 2006, p. 402) Treinamento é um processo de assimilação cultural a curto prazo, que objetiva repassar ou reciclar conhecimentos, habilidades ou atitudes relacionados diretamente à execução de tarefas ou à sua otimização no trabalho. O treinamento produz um estado de mudança no conjunto de conhecimentos, Habilidades e Atitudes (CHA) de cada trabalhador, uma vez que implementa ou modifica a bagagem particular de cada um. afirma-se ainda que o T&D é um dos subsistemas mais importantes da área de RH e é composta pelo levantamento das necessidades, planejamento, programação de módulos, treinamento (operacional e administrativo), avaliação de desempenho, desenvolvimento (executivos e talentos), biblioteca e banco de dados; 3- OBJETIVOS Treinamento e Desenvolvimento auxiliam nas estratégias das organizações, pois, lida com o alcance dos objetivos, treina os trabalhadores da organização nos requisitos necessários a fim de competir no mercado altamente concorrente, desenvolve
  • 6. 6 competências, dissemina a cultura, os valores, a missão, a visão, os objetivos, as metas da organização, entre outros; Tem como principais objetivos: •Preparar as pessoas para a execução de tarefas •Mudar a atitudes das pessoas em diversas finalidades. •Desenvolver novas habilidades, conceitos; • Transmissão de informações; • Aumento da produtividade; • Melhorar a comunicação; • Diminuir o retrabalho; • Melhorar o relacionamento interpessoal; • Preparar as pessoas e a organização no que diz respeito à substituição e a movimentação de pessoas; Assim, a área de Treinamento e Desenvolvimento é a responsável pelo processo de preparação de pessoas para desempenharem de maneira eficaz todas as tarefas específicas do cargo que deverá ocupar. Porém, o conhecimento deve ser compartilhado e distribuído. Quanto mais informação você compartilha maior é o seu retorno. Tanto para você, quanto para sua organização. Então a área de e Treinamento e Desenvolvimento facilita que a empresa inteira possa produzir com maior eficiência. 4- FINALIDADES O T&D tem como finalidade alcançar os objetivos organizacionais trazendo aos colaboradores oportunidade de conhecer a prática e a conduta solicitada pela empresa. Como a maioria das instituições possui equipes, seria interessante o programa de treinamento pelo fato de possuírem empregados com diferentes princípios, sendo importante trabalhar cada grupo no intuito de alcançar e buscar efetivamente os resultados almejados., a saber: a) O diagnóstico é a fase que permite definir com clareza se o problema é passível de solução através do treinamento; b) O planejamento é fase que permite esclarecer e operacionalizar os objetivos e tomar decisões estratégicas sobre em que treinar, quem treinar, como treinar, como organizar,
  • 7. 7 onde treinar, quando treinar e como avaliar todo processo; c) A execução é fase de preparação e implementação do que foi programado; d) E a avaliação é fase final, que verifica se os objetivos traçados foram alcançados e quais futuras projeções poderão ser feitas para haver continuidade nos processos de melhoria. 5- O PROCESSO DE TREINAMENTO .. O treinamento pode ser interno ou externo, de acordo com o local onde ele será realizado. O interno se divide em introdutório (novos empregados), e de trabalho (reciclar, aplicar técnicas específicas de aprendizagem), o externo pode ser somente com empregados de uma mesma empresa como também pode ser aberto . No processo de treinamento é viável buscar as necessidades a serem satisfeitas, o diagnóstico alinhado aos objetivos organizacionais, as competências necessárias e os resultados da avaliação de desempenho. É possível levantar as necessidades de treinamento através das análises organizacional, dos recursos humanos e da estrutura de cargos. 6- TIPOS DE TREINAMENTO Treinamento Técnico / operacional: está mais próximo dos processos e reflete-se mais diretamente nos resultados visíveis. Treinamento e Desenvolvimento de equipes, treinamento comportamental, desenvolvimento de líder: manifesta-se de forma mais indireta nos resultados operacionais, mas são tão importantes quanto aos treinamentos técnicos/operacionais. Treinamento Operacional: Capacitação teórica/prática dos níveis operacionais, voltada a adequar o conhecimento técnico às exigências provenientes dos equipamentos, dos novos processos, etc. 7- EXIGÊNCIAS DO T&D PARA AS ORGANIZAÇÕES É importante que as organizações tenham foco estabelecido para que o cliente esteja sempre em primeiro lugar. A estrutura organizacional precisa estar alinhada favorecendo os fatores que influenciaram na satisfação dos clientes e na expectativa que
  • 8. 8 os mesmos possuem em relação ao trabalho da organização. De acordo com Chiavenato (2010, p. 376), o planejamento do treinamento é decorrência do diagnóstico das necessidades de treinamento. Geralmente, os recursos e as competências colocadas à disposição do treinamento estão relacionados com a problemática. Diante do proposto é necessária a execução do projeto, onde fatores importantes para que ocorra um processo bem direcionado são: qualidade dos treinados, qualidade dos instrutores, qualidade dos materiais e das técnicas instrucionais, envolvimento da chefia e adequação ao programa. 8- VALIDAÇÃO E AVALIAÇÃO DE T&D A importância da avaliação é determinar se "valeu a pena", se os objetivos do treinamento foram atingidos, se o processo deve ou não continuar e se deve ser feita alguma,alteração. Perante o resultado deverá ser avaliado se o processo de T&D foi satisfatório ou não para a empresa. Contudo, o projeto de T&D é importante para organização mensurar, avaliar e medir o grau de importância daquele funcionário para a organização e também para saber como e quando a empresa deve treinar seus funcionários a fim de mantê-los motivados para alcançarem objetivos e metas propostas. 9- MEIOS DE LEVANTAMENTO DAS NECESSIDADES DE TREINAMENTO Segundo Chiavenato (1995, p. 149), a pesquisa das necessidades de treinamento deve ser contínua e permanente. Obviamente deverá ser o primeiro passo no processo de treinamento, mesmo que feito de maneira informal e assistemática. - o importante é que ela forneça dados que permita definir claramente, no planejamento, os objetivos da ação de treinamento. É importante definir o que deverá ser feito de acordo com as necessidades organizacionais. Através de um planejamento de pesquisa será avaliado o meio em que facilitará o trabalho das pessoas envolvidas nos processos. Entrevista com pessoal de linha, com supervisores, questionários, avaliação de desempenho, pesquisa de atitude (ou de clima), reuniões, cursos gerenciais entre outros são alguns dos métodos
  • 9. 9 utilizados para o levantamento das necessidades. Neste caso não há vantagem ou desvantagem, não se considera um meio como melhor ou mais propicio, vai depender de cada empresa. E finalmente será possível através das informações obtidas verificar se o problema é passível de solução através dos métodos utilizados no programa de treinamento ou não. 10- ETAPAS DEDESENVOLVIMENTO E TREINAMENTO As atividades do processo de treinamento devem ser integradas aos outros órgãos que compõem a área de Recursos Humanos, mantendo uma relação direta que contribua com a eficácia do treinamento. Através das atividades do treinamento é possível aumentar o conhecimento das pessoas, melhorar as habilidades e as destrezas, desenvolver ou modificar comportamentos e elevar o nível de abstração. Para Chiavenato (2004), o processo de treinamento em geral requer o cumprimento de algumas fases para que possa ser executado e responda aos propósitos da organização: a) Levantamento das necessidades: É o diagnóstico. Nesta fase são identificadas as lacunas ou deficiências de uma determinada área. Essas necessidades não necessariamente tem de ser presentes, elas podem ser futuras ao anteciparem uma preparação de acordo com a visão organizacional e o planejamento tático de uma determinada área. b) Planejamento: É o “desenho” do treinamento. Ele deve ser elaborado mediante as necessidades outrora identificadas. É importante para que a eficácia dos resultados seja garantida. c) Execução: É a implementação do treinamento, sua própria aplicação. d) Avaliação: É a validação. Para que um treinamento seja considerado efetivo, deverá implicar numa reação, ou seja, os benefícios trazidos para os colaboradores e para a consequentemente para a organização. A área de treinamento e desenvolvimento, no sentido de proporcionar a contínua aprendizagem das pessoas e das organizações, tem investido em processos e ferramentas a fim de alavancar o grau de desempenho dos colaboradores. De acordo com Mascarenhas (2009), com a tendência da gestão por competências, a área de T&D assume uma dimensão mais dinâmica na educação e volta-se ao crescimento pessoal e profissional contínuo dos indivíduos. Este fato permite a articulação aos objetivos
  • 10. 10 estratégicos de longo prazo das organizações através de uma nova tendência denominada de Universidade Corporativa. 10.1- Estruturando um plano de treinamento Segundo as normas da ISO 10015, o Processo de Treinamento deve ser dividido em quatro etapas:  Identificação das necessidades de treinamento.  Planejamento e programação do treinamento.  Execução do treinamento.  Avaliação dos resultados do treinamento. 10.2- Identificação das necessidades de treinamento O gestor neste momento precisa ter uma visão clara dos membros da sua equipe para poder fazer a clara identificação das reais necessidades de treinamento. É neste momento que ele identifica o nível de eficiência e competência do seu colaborador e compara com os níveis desejados para aquela função. A partir disso o líder começará a construir o que seus colaboradores deverão aprender para atingir o patamar desejado para executar a sua função com maestria. 10.3- Planejamento e programação do treinamento A partir do momento que as lideranças identificaram as reais necessidades de treinamento, o planejamento do programa de treinamento irá desenvolver a estrutura conteúdo a ser abordado, de forma sinérgica com o público-alvo e da cultura da empresa. Neste momento também definiremos os recursos que serão necessários para atingir este objetivo. Uma forma simples de estruturar esta fase é usar a ferramenta 5W2H, que apesar do nome lembrar uma fórmula química, nada mais é do que transcrição em inglês de perguntas fundamentais em qualquer planejamento. Vejam o quad
  • 11. 11  Programação do treinamento  • O que deve ser ensinado?  • Quem deve aprender?  • Quando deve ser ensinado?  • Onde deve ser ensinado?  • Como se deve ensinar?  • Quem deve ensinar? 10.4- Execução do treinamento A execução do treinamento é o ápice de todo um planejamento. Se a execução não for bem feita compromete-se todo o programa. Para isso devem-se concentrar esforços para que esta parte do processo seja bem sucedida. 10.5- Avaliação dos resultados do treinamento Indicadores são essenciais ao planejamento e controle dos processos das organizações porque possibilitam o estabelecimento de metas quantificadas. Com base nestes indicadores podemos elaborar análises críticas do desempenho dos processos de treinamento e desenvolvimento, e redirecionar caso seja necessário, para novos pontos onde poderemos atingir os objetivos previamente traçados. Vamos listar alguns exemplos de indicadores que poderemos utilizar para avaliar um programa de treinamento:  índice de satisfação de clientes
  • 12. 12  tempo médio de produção  taxa de assiduidade  taxa de rotatividade  taxa de não conformidades  crescimento de vendas  aumento de lucratividade da empresa 11- TECNOLOGIA DE TREINAMENTO A tecnologia de treinamento refere-se aos recursos didáticos, pedagógicos e instrucionais utilizados no treinamento. A TI está influenciando os métodos de treinamento e reduzindo custos operacionais. As novas técnicas de treinamento são: 1. Recursos audio-visuais: imagens visuais e informação em áudio são poderosas ferramentas de comunicação. O videocassete, o CD-ROM e o DVD (Digital Video Disc) permitem gravar programas de treinamento para vários locais diferentes e em qualquer ocasião. 2. Teleconferência: é o uso de equipamento de áudio e vídeo para permitir que pessoas participem em reuniões, mesmo quando distantes entre si ou da localidade do evento. 3. Comunicações eletrônicas: a TI permite comunicações interativas entre pessoas fisicamente distantes através do correio de voz (voice mail) dentro da rede de telefones de uma empresa. 4. Correio eletrônico: o e-mail é uma forma de comunicação eletrônica que permite às pessoas comunicarem-se com outras através de mensagens eletrônicas através de computadores ligados à Internet e redes internas baseadas na Internet (Intranets). 5. Tecnologia de multimidia: é a comunicação eletrônica que integra voz, vídeo e texto, codificados digitalmente e transportados por redes de fibras óticas. 6. Treinamento a distância: ou e-learning ou treinamento virtual – é o treinamento através da Internet e pode ser feito a qualquer hora e em qualquer lugar a um custo baixíssimo 12 - CONCLUSÃO Conclui-se, portanto, que tanto o treinamento quanto o desenvolvimento de pessoas são essenciais para o crescimento da organização e também para a vida das pessoas
  • 13. 13 envolvidas. Mesmo sendo o treinamento ocorrendo de forma rápida ou seja, espaço mais curto de tempo e o desenvolvimento sendo conhecimentos e habilidades adquiridas ao longo de toda a vida os dois juntos são o caminho para o sucesso pessoal e profissional No ambiente empresarial, as pessoas tomam uma dimensão de valor extremamente significante, pois, não apenas fazem parte da empresa, a pessoa, efetivamente é a própria empresa. O ser humano vive em função do seu progresso e não há dúvidas de que, qualquer tentativa ou ameaça a este progresso pode provocar uma reação indesejada e quase sempre prejudicial. Podemos afirmar que a valorização dos (as) colaboradores (as) que fazem a empresa é além de prudente, aconselhável e forte incentivador para o desenvolvimento do capital intelectual. Uma vês que uma pessoa alcança um determinado nível de progresso destacando-se das demais, estas tendem a buscar seu lugar ao sol. Trocando em miúdos: As pessoas procuram todo o tempo atingir o progresso que outras já atingirão. 13- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ARAÚJO, Luís César G. Organização, Sistemas e Métodos e as Tecnologias de Gestão Organizacional. 5,d.São Paulo:Atlas S.A.2011 CARPINETTI, Luis. Gestão da Qualidade: conceitos e técnicas. 2.d.São Paulo:Atlas S.A,2012.11. CHIAVENATO, I. Comportamento Organizacional: a dinâmica do sucesso das organizações. 2 ed. Rio de Janeiro: Elsevier. 2005. CHIAVENATO, I. Recursos Humanos: o capital humano das organizações. São Paulo: Atlas, 2004.
  • 14. 14 FEUILLETTE, I. RH: o novo perfil dos treinados: como preparar, conduzir e avaliar um processo de treinamento. São Paulo: Nobel. 1991.