Feira de Santana      2011
Faculdade de Tecnologia e Ciências de Feira de Santana   Enfermagem- 4ª Semestre   Disciplina:Bioética e Deontologia   Doc...
CONCEPÇÃO DOS USUÁRIOS DO SUS NO MUNICÍPIO DE FEIRA   DE SANTANA A RESPEITO DOS SEUS DIREITOS E DEVERES• Resumo:• Trata-se...
Introdução:• O momento social aponta para a emergência de novos paradigmas na  relação profissional de saúde com seu pacie...
Introdução:• A Bioética por seu caráter multidisciplinar fornece elementos e  subsídios para o trabalho voltado para a con...
Metodologia:• Consiste na elaboração de uma pesquisa de abordagem  descritiva exploratória onde visa a descrição de determ...
Metodologia/ Questionário:•   1° PASSO: COLETA DOS DADOS DO ENTREVISTADO:•   Dados Pessoais:•   Nome:•   Idade•   Sexo:•  ...
Metodologia:• Os parâmetros de analise estabelecidos mediante o  questionário, visam 1) a verificação quantitativa sobre a...
Desenvolvimento e Demonstração dos resultados:•   Os pacientes usuários, foram escolhidos mediante a disponibilidade e ace...
Considerações Finais:•   A análise dos dados podem nos levar a algumas considerações:•   -Diante do questionamento quanto ...
Considerações Finais:• -Apesar do respeito aos direitos do usuário fazer parte do código de ética  dos profissionais da sa...
Referências:• CONSELHO NACIONAL DE SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Legislação do  SUS. Brasília: CONASS, 2003. Acessado em 24 de  se...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação1

508 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
508
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação1

  1. 1. Feira de Santana 2011
  2. 2. Faculdade de Tecnologia e Ciências de Feira de Santana Enfermagem- 4ª Semestre Disciplina:Bioética e Deontologia Docente:Lúcia Alves Autora: Jeane Abreu
  3. 3. CONCEPÇÃO DOS USUÁRIOS DO SUS NO MUNICÍPIO DE FEIRA DE SANTANA A RESPEITO DOS SEUS DIREITOS E DEVERES• Resumo:• Trata-se de um estudo de pesquisa descritiva, referente à concepção dos direitos e deveres do usuário do SUS. Para tanto, foi realizada a coleta de dados através de entrevista, sob a luz da Cartilha dos direitos dos usuários do SUS, (Ministério da Saúde, 2006) que baseia-se em princípios básicos de cidadania e de humanização do processo de cuidado. O estudo apresentou como caráter norteador a bioética e seus princípios a fim de quantificar e qualificar o conhecimento dos clientes como importante instrumento de educação para a cidadania.• Palavras chave: Conhecimento. Usuários. SUS.
  4. 4. Introdução:• O momento social aponta para a emergência de novos paradigmas na relação profissional de saúde com seu paciente. A Bioética, por sua característica interdisciplinar e crescimento nos últimos 20 anos, reafirma o momento de transição epistemológica. Nesta transição novos conhecimentos vêm se fortalecendo através de ações que conduzem à construção da consciência plena da cidadania entre os sujeitos sociais.• O referencial teórico onde a Bioética busca fortalecer-se resgata consistentemente os valores ético-humanísticos para a enfermagem e consequentemente para a saúde. A partir destas evidências torna-se necessária uma intervenção sobre a população através de ações educativas na área da saúde, para o alcance da consciência adequada dos novos contornos sociais e dos compromissos bilaterais dos atores da relação cidadão e Estado.• O projeto está estruturado sobre a concepção que emana dos novos paradigmas sociais na exigência da conscientização de direitos e deveres dos cidadãos e que precisa transitar por espaços de reflexão sobre os processos sociais e suas implicações sobre a saúde.
  5. 5. Introdução:• A Bioética por seu caráter multidisciplinar fornece elementos e subsídios para o trabalho voltado para a consciência crítica sobre os problemas ao tratar questões que abrangem amplamente discussões emanadas das atuais circunstâncias sociais. Caracteriza- se por estar estruturada sobre 4 princípios fundamentais como: Autonomia, Beneficência, Não- maleficência e Justiça. Estes são princípios oriundos de múltiplos saberes e que precisam ter o acesso a eles garantido por projetos que propiciem condições para que as pessoas construam a capacidade de se reconhecerem como cidadãos, com direitos e responsabilidades.• O presente estudo terá como publico alvo os pacientes usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) que fazem uso da rede hospitalar do município de Feira de Santana. Foi escolhido o HGCA (Hospital Geral Cleriston Andrade) que se apresenta com uma alta demanda de usuários e oferece uma diversidade de casos e situações propícios à aplicação de questionamentos e elaboração de um perfil realista frente às dificuldades que o sistema apresenta.
  6. 6. Metodologia:• Consiste na elaboração de uma pesquisa de abordagem descritiva exploratória onde visa a descrição de determinados fatos ou fenômenos de determinada realidade, a fim de investigar uma temática na qual há escasso conhecimento acumulado e sistematizado.• Para tanto, foi realizada a coleta de dados através de entrevista com quatro pacientes do Hospital G. C. Andrade sob a luz da Cartilha dos direitos dos usuários do SUS, (Ministério da Saúde, 2006).• Os dados foram coletados entre os dias 28 e 30 de setembro de 2011 em diferentes setores do hospital.• A entrevista foi composta por duas etapas, sendo a primeira, a coleta dos dados pessoais e a segunda, a aplicação de três questões, apresentando as duas primeiras um caráter objetivo e a segunda, margem à subjetividade como expressa o questionário a seguir:
  7. 7. Metodologia/ Questionário:• 1° PASSO: COLETA DOS DADOS DO ENTREVISTADO:• Dados Pessoais:• Nome:• Idade• Sexo:• Escolaridade:• 2° PASSO: APLICAÇÃO DAS QUESTÕES:• 1.Você se julga conhecedor (a) a cerca dos direitos e deveres como usuário do SUS (Sistema Único de Saúde)?• ( ) Sim ( ) Pouco ( ) Não• 2. Marque sobre o que tiver conhecimento relacionado aos seus direitos e deveres:• Direitos:• ( ) Ser atendido primeiro se estiver em estado grave ou em maior sofrimento. ( ) Receber informações claras sobre o seu estado de saúde.• ( ) Atendimento sem nenhum preconceito de raça, cor, idade, orientação sexual, estado de saúde ou nível social. ( ) Ver seu prontuário médico sempre que achar necessário. ( ) Ser informado sobre qualquer exame a que queiram submeter você. ( ) Recusar procedimento médico, desde que assuma a responsabilidade.• Deveres:• ( )Nunca mentir sobre seu estado de saúde (isso prejudica muito o sucesso do tratamento). ( ) Sempre disponibilizar documentos e resultados de exames quando os profissionais solicitarem.• 3. Você acha que nas unidades de atendimento do SUS tem sido possível o cumprimento dos seus direitos e deveres? O que pode ser feito para facilitar o acesso e conscientização dos usuários sobre os seus direitos e deveres?
  8. 8. Metodologia:• Os parâmetros de analise estabelecidos mediante o questionário, visam 1) a verificação quantitativa sobre a presença, ausência ou mesmo pouco conhecimento a respeito dos direitos e deveres por parte do usuário, levando este em conta suas experiências e informações construídas previamente. 2) Com base na Cartilha dos direitos e deveres do usuário do SUS, se estabelecer meios de analise qualitativa do conhecimento, mediante a apresentação de situações que englobam os direitos e deveres dos quais o usuário denote conhecimento. Serve como meio de graduação e complementação do primeiro quesito. 3) A incitação da problemática na execução dos direitos e deveres em forma de questionamento, agregado a subjetividade de opinião quanto a novas formas de acesso do usuário aos meios de divulgação dos seus direitos e deveres.
  9. 9. Desenvolvimento e Demonstração dos resultados:• Os pacientes usuários, foram escolhidos mediante a disponibilidade e aceitação para a entrevista. O perfil geral dos entrevistados consiste na presença dos gêneros, homem e mulher, idade entre 27 e 59 anos e grau de escolaridade de fundamental a médio. Os dados coletados mostram que:• 1) três entre os quatro entrevistados, o equivalente a 75%, julgam conhecer pouco a cerca dos seus direitos e deveres, respondendo um deles (25%) negativamente, julgando-se desconhecedor.• 2) embora a maioria acreditasse conhecer pouco, ou ainda nem conhecer, o percentual de quesitos marcados referentes aos direitos e deveres se mostrou alto, em torno de 78%, considerando-se a totalidade dos dados referentes à questão.• 3) No que diz respeito ao cumprimento dos direitos e deveres nas unidades do SUS, a resposta foi unânime quanto a impossibilidade de execução plena. Foi proposto a seguir a sugestão de meios facilitadores e viáveis ao acesso e conhecimento dos pacientes. Foram apresentadas as seguintes respostas e sugestões:• G.V.O, 46, “ Se espera que os profissionais da saúde, conheçam e passem o que precisamos saber sobre os nossos direitos”.• C.A.D.S, 27, “ Mais comunicação entre todos pode nos esclarecer mais”.• P.F.S, 59, “. Que os órgãos de saúde e governo disponibilizassem nos pontos de atendimentos informativos sobre os direitos e deveres”• V.S.M.O, 31, “Deve anunciar no colégio, TV , até se for possível no jornal, tentar educar a população através propagandas, para que a população primeiro conheça pra depois poder cobrar”.
  10. 10. Considerações Finais:• A análise dos dados podem nos levar a algumas considerações:• -Diante do questionamento quanto ao auto-julgamento a cerca do conhecimento dos direitos e deveres, comparado ao grau de acerto nas proposições do segundo enunciado, torna-se notório que mesmo desprovidos de informativos e leis teóricas, o que induz a resposta pouco positiva ou negativa, o cliente do SUS, apresenta um bom domínio ou pelo menos é capaz de identificar aspectos referentes às situações que envolvam caráter ético, como na execução de seus direitos e deveres;• -Não houve acentuada distinção de respostas, mesmo em meio a uma ampla faixa etária, ou mesmo pela variação no grau de instrução dos entrevistados, aspectos relevantes na heterogeneidade de resultados, sendo possível se traçar um perfil um tanto “homogêneo” de usuário.• -A unanimidade sobre o não cumprimento dos direitos e deveres de pacientes, reflete o caos ético no qual está inserido o SUS e a sociedade na forma de cidadãos e usuários. Princípios e regulamentações expressando os direitos e deveres agora tornam-se distantes pela falha bilateral. Além da linha de pesquisa, sabe-se o quanto a saúde pública deixa a desejar. A forma de o cidadão garantir o seu direito a saúde é ter conhecimento dos seus direitos além de participar das ações de controle social, possibilitando ao usuário o exercício da cidadania.• -Um importante meio de participação cidadã foi apresentado na pesquisa mediante a sugestão de vias de acesso ao conhecimento a cerca dos direitos e deveres englobando aspectos pertinentes à participação dos profissionais de saúde bem como a ampliação dos meios de divulgação.
  11. 11. Considerações Finais:• -Apesar do respeito aos direitos do usuário fazer parte do código de ética dos profissionais da saúde, dos princípios do SUS e também, da carta dos direitos do usuário de saúde (meios de divulgação), essa vivência demonstrou que alguns profissionais têm resistência ao tema. Entretanto, enquanto profissionais da saúde devemos informar e esclarecer aos usuários sobre seus direitos, para facilitar a compreensão do seu atendimento na saúde, seja na prevenção, promoção ou tratamento de doenças, dando ao sujeito a possibilidade de agir e exercer a sua autonomia (princípio bioético) na tomada de decisão e no exercício da cidadania.• -O desafio de formar multiplicadores nos direitos do paciente perpassa pela informação advinda do interesse em se divulgar. Trabalhos nesse sentido já foram elaborados e até mesmo colocados em prática como a cartilha de direitos e deveres do usuário do SUS, mas diante da ausência de princípios éticos, e alarmante situação de descaso na saúde, torna-se evidente a carência ou inacessibilidade do conhecimento por parte da população, necessitando-se a ampliação de meios divulgadores.• -Quando a população conhecer de fato seus direitos como usuários da saúde, ela vai saber exigi-la no seu dia-a-dia, sempre que houver a negação, utilizando-se dos recursos certos para o cumprimento da lei.
  12. 12. Referências:• CONSELHO NACIONAL DE SECRETÁRIOS DE SAÚDE. Legislação do SUS. Brasília: CONASS, 2003. Acessado em 24 de setembro de 2011 em http://www.aids.gov.br/incentivo/manual/le gislacao_sus.pdf (Acessível também a partir do DATASUS).• MINISTÉRIO DA SAÚDE. Sistema Único de Saúde (SUS): princípios e conquistas. Brasília: Ministério da Saúde, 2000. 44p. il.ISBN 85-334- 0325-9.• MINISTÉRIO DA SAÚDE. Secretaria Nacional de Assistência à Saúde. ABC do SUS: Comunicação visual/Instruções Básicas. Brasília: Secretaria Nacional de Assistência à Saúde, 1991. Acessado em 28 de setembro de 2011 emhttp://www.ensp.fiocruz.br/radis/web/ABCdo SUS.pdf.

×