Histórias em quadrinhos na sala de aula

39.945 visualizações

Publicada em

Apresentação para ser usada em sala de aula. Linguagem simples e de fácil compreensão.
Se precisar do plano de aula do conteúdo, acesse:
nainamsn@hotmail.com
janainaamorim@professor.to.gov.br

Publicada em: Educação
2 comentários
10 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
39.945
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
35
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1.409
Comentários
2
Gostaram
10
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Histórias em quadrinhos na sala de aula

  1. 1. HistóriaHistória emem quadrinhosquadrinhos Professora:Professora: Janaina AmorimJanaina Amorim Graduada em LetrasGraduada em Letras Especialista em Metodologias da LínguaEspecialista em Metodologias da Língua Portuguesa e Língua InglesaPortuguesa e Língua Inglesa
  2. 2. Um pouco de históriaUm pouco de história As HQs têm sua origem no final doAs HQs têm sua origem no final do século XIX, publicados em jornaisséculo XIX, publicados em jornais ou revistas ( EUA e Alemanha)ou revistas ( EUA e Alemanha) No Brasil - O italiano radicado noNo Brasil - O italiano radicado no Brasil, Angelo Agostini, desenhou eBrasil, Angelo Agostini, desenhou e publicou, no dia 30 de janeiro depublicou, no dia 30 de janeiro de 1869, na revista1869, na revista Vida FluminenseVida Fluminense,, os quadrinhosos quadrinhos As Aventuras deAs Aventuras de Nhô QuimNhô Quim ouou Impressões de umaImpressões de uma Viagem à CorteViagem à Corte.. Em 1895, o francês GeorgesEm 1895, o francês Georges Colomb criouColomb criou A FamíliaA Família FenouillardFenouillard, que inovou trazendo, que inovou trazendo balõezinhos contendo as falas dosbalõezinhos contendo as falas dos personagens e a ação fragmentadapersonagens e a ação fragmentada e seqüenciada, as tirinhas,e seqüenciada, as tirinhas, iniciando uma nova forma deiniciando uma nova forma de expressão.expressão.
  3. 3. Nhô QuimNhô Quim
  4. 4. Em maio de 1939, no rastro doEm maio de 1939, no rastro do sucesso do homem de aço, asucesso do homem de aço, a revista Detective Comics n.º 27revista Detective Comics n.º 27 lançou o Batman.lançou o Batman. Durante a Segunda GuerraDurante a Segunda Guerra Mundial, era fácil encontrar osMundial, era fácil encontrar os super-heróis lutando contra ossuper-heróis lutando contra os nazistas e os japoneses. A ondanazistas e os japoneses. A onda nacionalista ajudou a criar onacionalista ajudou a criar o Capitão América, o Capitão MarvelCapitão América, o Capitão Marvel e até a Mulher-Maravilha. Todose até a Mulher-Maravilha. Todos faziam parte das fileirasfaziam parte das fileiras americanas contra o fascismo.americanas contra o fascismo.
  5. 5. A primeira HQ brasileira seA primeira HQ brasileira se chamavachamava O Tico-TicoO Tico-Tico e surgiu eme surgiu em 1905.1905. Em 1939, surgiu a revistaEm 1939, surgiu a revista GibiGibi. A. A rigor, a palavra significavarigor, a palavra significava "moleque" e ficou tão popular entre"moleque" e ficou tão popular entre seus leitores que emprestou seuseus leitores que emprestou seu nome para designar todos os tiposnome para designar todos os tipos de HQ no Brasil.de HQ no Brasil. Ziraldo criou, em 1960, a primeiraZiraldo criou, em 1960, a primeira revista em quadrinhos brasileirarevista em quadrinhos brasileira feita por um só autor: afeita por um só autor: a Turma doTurma do PererêPererê. Os personagens dessa. Os personagens dessa revista eram um pequeno índio erevista eram um pequeno índio e vários animais que compõem ovários animais que compõem o universo folclórico brasileiro, taisuniverso folclórico brasileiro, tais como a onça, o jabuti, o tatu, ocomo a onça, o jabuti, o tatu, o coelho e a coruja.coelho e a coruja.
  6. 6. Mauricio de Sousa, pai da TurmaMauricio de Sousa, pai da Turma da Mônica, criou seu primeiroda Mônica, criou seu primeiro personagem, o cachorrinho Bidu,personagem, o cachorrinho Bidu, em 1959. Lançou seu primeiro gibiem 1959. Lançou seu primeiro gibi em 1970, quando a revista daem 1970, quando a revista da Mônica estreou já com umaMônica estreou já com uma tiragem de 200 mil exemplares. Elatiragem de 200 mil exemplares. Ela foi seguida, dois anos depois, pelafoi seguida, dois anos depois, pela revistarevista CebolinhaCebolinha e, nos anose, nos anos seguintes, pelas publicações doseguintes, pelas publicações do Chico Bento, Cascão, Magali,Chico Bento, Cascão, Magali, Pelezinho e outras.Pelezinho e outras.
  7. 7. Organização eOrganização e recursos visuaisrecursos visuais das HQsdas HQs
  8. 8. Os quadrinhosOs quadrinhos Sequência de dois ou maisSequência de dois ou mais quadrinhos - transmite a açãoquadrinhos - transmite a ação da história.da história.  Formato retangular,Formato retangular, delimitado por linhas retas. Àsdelimitado por linhas retas. Às não apresentam essanão apresentam essa delimitação, sugerindo adelimitação, sugerindo a integração ou simultaneidadeintegração ou simultaneidade da ação.da ação.
  9. 9. A imagemA imagem Desenho colocado no interiorDesenho colocado no interior do quadrinho: cenário,do quadrinho: cenário, personagens, balões e/oupersonagens, balões e/ou letreiros.letreiros.
  10. 10. O enquadramentoO enquadramento O quadrinista, tal qual oO quadrinista, tal qual o cameraman pode aproximarcameraman pode aproximar ou distanciar da cena;ou distanciar da cena; Apresenta os personagens deApresenta os personagens de corpo inteiro ou apenas partescorpo inteiro ou apenas partes de seus corpos;de seus corpos; Plano geral: personagem dePlano geral: personagem de corpo inteiro dentro de umcorpo inteiro dentro de um cenário;cenário; Plano total: Personaaagem porPlano total: Personaaagem por inteiro, sem preocupar com ointeiro, sem preocupar com o cenário.cenário.
  11. 11. Recursos textuaisRecursos textuais As histórias em quadrinhosAs histórias em quadrinhos utilizam tanto desenhos quantoutilizam tanto desenhos quanto textos, que aparecem em 3textos, que aparecem em 3 situações básicas:situações básicas: Nos diálogos e pensamentosNos diálogos e pensamentos dos personagens;dos personagens; Nas legendas ou letreiros;Nas legendas ou letreiros; Nas onomatopéias (palavrasNas onomatopéias (palavras usadas para representar osusadas para representar os sons).sons).
  12. 12. Os balõesOs balões Elementos criados para conter aElementos criados para conter a fala dos personagens.fala dos personagens. Tipos de balõesTipos de balões
  13. 13. Balão coletivoBalão coletivo Balão de xingamentoBalão de xingamento
  14. 14. Há autores que substituem aHá autores que substituem a fala pela idéia dos símbolosfala pela idéia dos símbolos
  15. 15. As legendas ou letreiros sãoAs legendas ou letreiros são utilizados na história comoutilizados na história como introdução ou no decorrerintrodução ou no decorrer desta, ligando um quadro adesta, ligando um quadro a outrooutro
  16. 16. OnomatopéiasOnomatopéias Fora dos balõesFora dos balões
  17. 17. Dentro dos balõesDentro dos balões

×