Reflexões sobre temas polêmicos

486 visualizações

Publicada em

Free ebook

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
486
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Reflexões sobre temas polêmicos

  1. 1. Índice1 Introdução................................................52 Reflexões sobre o que nós somos............63 Refl. s/a consciência e o antropocent......94 Reflexões sobre a morte........................135 Reflexões sobre a verdade.....................166 Reflexões sobre a vontade.....................207 Reflexões sobre as leis...........................228 Reflexões sobre o destino......................259 Reflexões sobre a política......................2810 Reflexões sobre a alma..........................3111 Reflexões sobre o livre-arbítrio.............3512 Refl. s/cientistas, deístas e teístas..........3713 Refl. s/o maior equívoco dos cientistas.3914 Refl. sobre o poder dos números...........4015 Reflexões sobre o sobrenatural..............4216 Refl. s/o pior equívoco da humanidade.4517 Reflexões sobre o ceticismo..................4818 Refl. sobre as religiões e similares........5119 Refl. s/a base das religiões e similares..5520 Refl. s/o “status quo” e as religiões.......5721 Refl. p/explicar a criação logicamente..6022 Reflexões sobre a forma divina.............6223 Refl. sobre a racionalidade divina.........65
  2. 2. 24 Refl. s/a competência das ciências........6525 Reflexões sobre a Teoria do Big Bang..6826 Reflexões sobre a matéria......................7127 Refl. sobre a matéria e energia escuras..7428 Reflexões sobre o Boson de Higgs........7829 Refl. s/a essência da realidade natural...8130 Reflexões sobre a viagem no tempo......8331 Reflexões sobre a sustentabilidade........8632 Reflexões sobre o universo 1.................8833 Reflexões sobre o universo 2.................9134 A Teoria do Big Brain...........................9435 Considerações Finais.............................9536 Minibio..................................................95
  3. 3. Reflexões sobre temas polêmicos1 IntroduçãoEste ebook tem o título de “Reflexões Sobre Temas Polêmicos”porque a sua finalidade é apresentar a visão que o seu autor temsobre temas importantes que favorecem a discórdia. No fundotodas as reflexões estão relacionadas entre si, mas é inútil tentarconectá-las, pois faltam muitos elementos para fazer isto.Portanto, a sugestão é ler as reflexões como se fossemtotalmente independentes. IMPORTANTE Este ebook pode ser reproduzido e distribuído a vontade. 5
  4. 4. Jairo Alves2 Reflexões sobre o que nós somos.Nós somos computadores dotados de vontade própria. Este tipode computador é denominado “ser humano”. Em outraspalavras, os seres humanos são computadores vivos. Esta visãodo ser humano não é nova, mas ela nunca teve a atenção quedeveria, pois ela gera um grande dilema. Antes de dizer qual éeste dilema, seguem as principais características doscomputadores humanos.Nós somos computadores que pensamos ao invés de computar.O pensar envolve consciência, autonomia e sentimentos. Apesardo pensar ser mais poderoso do que o computar ambos sãocomplementares, pois o computar é a base do pensar. Isto ocorreporque para pensar é obrigatório lidar com números. É muitodifícil perceber isto porque o ser humano é um computadormuito sofisticado. Em outras palavras, o pensar é uma evidênciade que somos computadores, pois ele é uma evolução docomputar.O nosso corpo é um hardware (equipamento) cujo software(programa) pode executar funções metabólicas, mentais emotoras. O cérebro é a principal parte deste conjunto, pois ele é 6
  5. 5. Reflexões sobre temas polêmicosprocessador, memória, hard disk e programas simultaneamente.Os membros são assessórios para andar, pular, pegar, modelar,atirar, alisar, afagar, empurrar, puxar, chutar, socar, penduraretc. Os órgãos sensoriais e genitais são assessórios decomunicação. As demais partes do corpo servem apenas parainterligar o cérebro aos assessórios, alimentar este mecanismo eenvolver os seus módulos. Em outras palavras, a estrutura donosso corpo também é evidência de que nós somoscomputadores.Nós somos computadores que conseguem processar informaçõese matéria simultaneamente. As entradas deste processamento,isto é, as informações e a matéria podem ser capturadas pelosórgãos sensoriais e até pelos genitais. As saídas desteprocessamento podem ser realizadas pelos membros, pelosórgãos genitais e por alguns dos órgãos sensoriais. Em outraspalavras, o funcionamento do nosso corpo é mais uma evidênciade que nós somos computadores.O DNA constitui também é uma importantíssima evidência deque somos computadores, pois tudo que somos e seremosdepende dele. Ele é o nosso principal programa. Entretanto, ele 7
  6. 6. Jairo Alvesse processa no nosso corpo inteiro. Este fato demonstra que onosso corpo inteiro atua como um computador. Contudo, estapeculiaridade não impede que sejamos computadores, apenasdemonstra que somos computadores diferentes.Nós funcionamos interligados em redes, exatamente como oscomputadores. A sobrevivência da nossa espécie depende umaimensa rede natural, onde tudo é complementar. As redes sociaistambém são cruciais para a nossa sobrevivência, pois ahumanidade somente consegue sobreviver trabalhando emconjunto. As redes sociais sempre existiram, mesmo antes daexistência dos computadores e da internet. Em outras palavras,trabalhar em rede é outra grande evidência de que somoscomputadores.A aceitação de que o ser humano é o mais poderoso doscomputadores gera o seguinte dilema: Somos obrigados aescolher entre a visão que já temos do criador e umainteiramente nova. Pois: “Se filho de peixe, peixinho é.”, “Paide peixinho também é peixe.” Fazer isto é muito difícil, masnão se pode fazer uma omelete sem quebrar os ovos. Se vocêgosta de conhecer novos pontos de vista, leia também o artigo 8
  7. 7. Reflexões sobre temas polêmicos“Reflexões sobre universo 1 e 2”. Nele você saberá porque ouniverso pode gerar computadores biológicos e onde encontraros detalhes de como isso acontece. Lembre-se que a melhormaneira de evoluir é mantendo a mente aberta para novaspossibilidades.3 Reflexões sobre a consciência e o antropocentrismoO neurocientista canadense Philip Low (Stanford/MIT) e mais25 pesquisadores podem deixar muitas pessoas e organizaçõesem uma situação muito embaraçosa, pois eles estão prestes aassinar um manifesto que fere o antropocentrismo mortalmente.O antropocentrismo é o modo de pensar no qual o ser humano évisto como o centro do universo ou da criação. Em outraspalavras, os antropocentristas acreditam e propagam queabsolutamente tudo na natureza e no universo gira em torno doser humano. Esta condição privilegiada do ser humano nunca foicomprovada pelos antropocentristas nem por ciência alguma.Entretanto, o antropocentrismo pode ser encontrado em todas asreligiões, inclusive nas orientais. 9
  8. 8. Jairo AlvesO Principal motivo para algumas pessoas e organizaçõesdiscursarem em prol do antropocentrismo é conquistarseguidores. Este discurso ajuda a convencer mais facilmente aspessoas que as suas almas podem ser salvas. Geralmente, aspessoas e organizações antropocêntricas prometem trabalharpara salvar a alma de qualquer um que se arrependa de seuspecados, desde que este aceite incondicionalmente as suascrenças e valores. Usualmente, estas crenças e valores sãoatribuídos a fontes sagradas, pois isto impõe respeito e medo.O medo de surtar por estar maltratando, matando e comendoseres semelhantes é outro motivo para ser antropocentrista. Emoutras palavras, o antropocentrismo também é a maneira quealguns seres humanos encontraram para justificarem alguns dosseus atos e aplacar as suas consciências simultaneamente.O manifesto dos cientistas criará um imenso conflito, poisquando eles reconhecerem formalmente a existência deconsciência em todos os mamíferos, aves e outras criaturas,como o polvo, estará implícito que o antropocentrismo éinviável. Em outras palavras, o manifesto dos cientistas 10
  9. 9. Reflexões sobre temas polêmicospermitirá deduzir que o ser humano não é tão especial quanto osantropocentristas acreditam.Os neurocientistas deduziram que alguns seres da fauna tambémteem consciência porque um estudo mostrou que algumas dassuas estruturas cerebrais equivalem as que são responsáveis pelaprodução de consciência nos seres humanos. Este estudoenvolveu cães, golfinhos, chimpanzés, bonobos, cães e umaespécie de pássaro chamada pica-pica. Entretanto, os cientistasreconhecem que ainda são incapazes de medir a similaridadeentre consciências de espécies diferentes. Contudo, eles achamque a tarefa de produzir consciência artificial ficou menospenosa, pois os cérebros animais teem muito menos neurôniospara serem estudados.Os cientistas desconsideraram a possibilidade de que todas asentidades animadas do micro ao macro cosmo sejam conscientese que o nível de consciência possa variar conforme asofisticação de cada entidade. Como as raízes de árvores semconsciência alguma de si poderiam saber que teem que desviarde obstáculos? Como elétrons sem consciência alguma de sipoderiam saber quais são as partículas que eles teem que repelir 11
  10. 10. Jairo Alvesou atrair. As células podem manifestar consciência? Em suma,os cientistas darão um grande passo quando reconhecerem aconsciência nos animais, mas talvez isso seja apenas a ponta doice-berg.Certamente, o manifesto dos cientistas levará muita gente areivindicar novas leis de amparo aos animais. Entretanto,ninguém precisa se tornar vegetariano por causa dele, pois osseres humanos apenas exercem uma prerrogativa natural dequem está no topo da cadeia alimentar. Convém lembrar que osanimais não teem crise de consciência alguma por devoraremuns aos outros ou aos seres humanos. A crise de consciência éexclusiva dos humanos, pois somente nós cultivamos crenças evalores a este nível.A principal consequência do manifesto dos cientistas em prol daconsciência animal pode ser a criação de uma nova visão maisadequada ao desenvolvimento pessoal e social. Nesta nova visãoo ser humano passaria a ser apenas mais uma das engrenagensdo mecanismo da natureza. Uma engrenagem muito sofisticada,mas sem privilégio sistêmico algum. Para conhecer uma visão 12
  11. 11. Reflexões sobre temas polêmicosmais realista do ser humano, que se enquadra nesta idéia, leia oartigo “Reflexões sobre o que nós somos” deste mesmo autor.4 Reflexões sobre a morteA morte pode ser definida como o fim da capacidade deexecutar o conjunto de processos que é responsável pelaexistência das entidades que integram a flora e a fauna ousimplesmente como o fim da existência de uma entidade naturalautônoma. Entretanto, muita gente acha que há algo de místico,mágico ou misterioso nela.A maioria das pessoas entra em pânico com a possibilidade deque a morte acabe permanentemente com a sua existência. Estesentimento torna-as vulneráveis a estórias e explicaçõesestapafúrdias cujo principal objetivo é agregar seguidores.Entretanto, há muitas outras pessoas que preferem enfrentar osseus sentimentos a aceitar este tipo de estórias e explicações. Asrelações entre estes grupos sempre foi muito difícil, pois cadaum deles tenta impor as suas crenças e valores aos demais.Muitas vezes até a morte é utilizada para isto. É uma grandeironia, mas o medo da morte também é um dos principaisagentes da morte. 13
  12. 12. Jairo AlvesOs seguidores das estórias e explicações estapafúrdias asdefendem alegando que nem tudo que existe é lógico. Contudo,isto é uma grande inverdade, pois é empírico que a existência deabsolutamente tudo é devida exclusivamente às leis da natureza.A Teoria do Big Bang é um exemplo de explicação estapafúrdia,pois é inaceitável que os cientistas tentem explicar como surgiuo universo sem antes explicar como surgiram as leis da naturezaque o suportam. Eles se esquecem que sem estas leis as ciênciase as suas teorias inexistiriam. A divisão do ser humano emmatéria e espírito é outro exemplo de explicação estapafúrdia,pois ela simplesmente exclui os animais e os organismosacéfalos. É como se eles não fossem animados. Esta últimaexplicação comete um pecado maior ainda, pois institui ummundo material e outro imaterial sem prova alguma nemmostrar como ambos se unificam. Isto é uma evidência que aprincipal preocupação desta explicação é aplacar o medo damorte sem compromisso algum com a verdade.Os principais motivos que levam a maioria das pessoas a pensarque a matéria e o espírito são entidades distintas são osseguintes: as pessoas não conseguem entender como os seussentimentos e capacidades se relacionam com a matéria dos seus 14
  13. 13. Reflexões sobre temas polêmicoscorpos; as pessoas percebem a natureza em ação, mas não sabemexatamente o que ela é nem conseguem localizá-la em lugaralgum. Entretanto, estes motivos não constituem prova algumade que a matéria e o espírito sejam entidades distintas apenasdemonstram a nossa incapacidade em compreender a natureza ea realidade natural.O desequilíbrio emocional provocado pelo medo da morte podeprovocar mais males do que a própria morte. Ele pode afetar aqualidade de vida de qualquer pessoa, dos seus familiares, dasociedade e até mesmo da humanidade inteira. Ele tem estepoder porque pode favorecer a mistificação e atrapalhar aaquisição de novos conhecimentos que poderiam alavancar odesenvolvimento pessoal e social. Em outras palavras, o medoda morte pode afetar a razão e gerar conflitos ideológicosintermináveis e de conseqüências incomensuráveis. O serhumano deveria aprender a lidar melhor com os seussentimentos ao invés de fugir da sua insegurança através deestórias e explicações estapafúrdias, pois este remédio possuiefeitos colaterais que vão da mediocridade até a morte. 15
  14. 14. Jairo AlvesÉ ponto pacífico que a morte é um fim inevitável que éindispensável à renovação e evolução da vida. Entretanto, amorte também pode ser conceituada de outra maneira que é umpouco mais precisa do que esta. Esta conceituação se apóia emuma visão inédita da realidade que não incorre nas incoerênciasexpostas previamente. Esta nova visão revela qual é a únicacoisa imaterial que pode se materializar-se para servir de basepara absolutamente tudo. Esta revelação é feita passo a passo esem jamais contrariar a lógica. Esta visão ainda não existiaporque é muito difícil e demorado para concebê-la. “A tarefanão é tanto ver o que ninguém viu ainda, mas pensar o queninguém pensou sobre algo que todos vêem.(Schopenhauer)” Se você quiser saber mais sobre essa visãoleia os artigos “Reflexões sobre o que nós somos” e “Reflexõessobre o universo 1 e 2.”5 Reflexões sobre a verdadeA palavra “verdade” vem de “verus” do latim, que significa“real, autêntico e sincero” e de “aletheia” do grego, que significa 16
  15. 15. Reflexões sobre temas polêmicos“o não oculto”, “não escondido” e “não dissimulado”.Conceituar verdade corretamente é um dos grandes desafios dahumanidade. Entretanto, o exercício a seguir pode tornar asreflexões sobre a verdade bem coerentes.Imagine um cenário no qual o universo não tivesse seresracionais em lugar algum. Exatamente como o nosso planeta jáfoi um dia. Nesta situação existiriam apenas possibilidades e osfatos decorrentes das mesmas. Estes fatos não poderiam gerarconflitos nem incoerências, pois a natureza é harmônica e nãohaveria quem os constatasse e interpretasse subjetivamente.A existência dos seres racionais é imprescindível para aexistência da verdade, pois toda verdade tem que ser constatadapor eles. Exemplo: A chuva antes de cair é apenas umapossibilidade, caindo é um fato, ela se torna uma verdadesomente após a sua constatação. Em outras palavras, oconhecimento dos fatos é indispensável para a caracterização daverdade.Uma das principais evidências da coerência desta visão daverdade é o próprio adjetivo “verdadeiro”, pois ele éinconcebível sem que algum fato tenha sido constatado. Esta 17
  16. 16. Jairo Alvesnecessidade também pode ser detectada em sinônimos deverdadeiro tais como: real, puro, genuíno, exato, sincero, certo,fiel a algo, autêntico etc. Outra importante evidência desta visãoda verdade está nas ciências, pois a verdade científica tambémnão pode prescindir da constatação de fatos. Resumindo, aconstatação de fatos é a chave para a identificação da verdade.A verdade está sempre mudando, pois os fatos e as constataçõesse transformam continuamente. Exemplo: A constatação dosfatos “dia” e “noite” sustenta duas verdades diferentes que sealternam continuamente. Em outras palavras, qualquerpossibilidade pode tornar-se uma verdade, basta que ela se torneum fato que seja constatado por alguém.A verdade pode ser objetiva ou subjetiva. A verdade é objetivaquando um mesmo fato é interpretado da mesma maneira portodos observadores. Exemplo: A situação “morte” é a mesmapara todos observadores. A verdade é subjetiva quando ummesmo fato pode ser interpretado diferentemente por váriosobservadores. Exemplo: O tempo pode ser bom, ruim ouregular, isso depende de quem for o observador. O tempo que ébom para a pessoa de uma região pode ser ruim para a de outra. 18
  17. 17. Reflexões sobre temas polêmicosPortanto, Nietzsche estava parcialmente certo ao supor que averdade é um ponto de vista. A idoneidade, responsabilidade eintenção também afetam a interpretação dos fatos. Entretanto,por mais veemente que seja a defesa das verdades subjetivasisso jamais as tornará objetivas.Algumas pretensas verdades sequer teem fatos constatados. Elassimplesmente são impostas aos mais fracos ou despreparadospelos mais fortes ou espertos respectivamente. Exemplo: Aigreja impingia às pessoas que a Terra era o centro do universo(geocentrismo), pois isto era essencial para atender aos seusinteresses mercadológicos.Em suma, a verdade é um fato que já foi constatado por alguém,pois ela existe apenas para os seres racionais. Em outraspalavras, o fato que sustenta uma verdade é sempre uma certeza.Portanto, René Descartes tinha razão ao supor que a certeza éo critério da verdade. 19
  18. 18. Jairo Alves6 Reflexões sobre a vontadeA palavra “vontade” aparece ou está subentendida em quasetodas as mensagens humanas. Isso ocorre porque ela está diretaou indiretamente envolvida em todos os tipos de eventos. Façaum teste. Pegue um texto qualquer e tente retirar os conflitos,declarações, descrições, relações, organizações, reivindicaçõesou outras manifestações de vontade para ver o que sobra.A vontade é conceituada de duas formas diferentes nodicionário. Em uma, ela é a faculdade ou capacidade de quererou manifestar desejo. Na outra, ela é um querer, desejo, anseio,aspiração, ambição, cobiça, pretensão. Entretanto, ela tambémpode ser uma necessidade, isto é, uma vontade obrigatória.Exemplo: As vontades de comer e beber também sãonecessidades, pois elas são imprescindíveis à sobrevivência.Viajar pode ser uma necessidade ou um desejo, pois umaviagem pode ser uma obrigação ou escolha.As necessidades naturais são evidências de que a naturezatambém manifesta vontades que são impostas pelos processosnaturais. As vontades naturais são muito mais poderosas do queas humanas, pois elas teem que suportar absolutamente tudo: os 20
  19. 19. Reflexões sobre temas polêmicosátomos, as moléculas, a flora, a fauna e o universo inteiro.Entretanto, explicar como a natureza pode ser uma obra deengenharia da sua própria vontade é assunto para outro artigo.A vontade humana está em quase tudo que somos, fazemos oupensamos. Ela é o motor do sucesso nos esportes, nos estudos,na profissão e nos relacionamentos pessoais ou profissionais.Ela é a razão do desequilíbrio ambiental, pois é por causa delaque alteramos o meio ambiente. A vontade dos pais é uma dasvariáveis responsáveis pela modelagem do comportamento dosfilhos. As vontades dos parentes são responsáveis peloestabelecimento do comportamento familiar. As vontadesprecisam ser hierarquizadas para estruturar qualquerorganização, seja ela formal ou informal. A vontade do patrãodetermina o comportamento das vontades dos empregados. Asvontades dos consumidores e fornecedores definem as relaçõescomerciais. As vontades empreendedoras são responsáveis pelaestruturação das organizações humanas. A vontade éimprescindível em qualquer governo, pois somente ela podecontrolar as forças necessárias para dominar e conduzir outrasvontades. Em suma, a vontade é o agente e o paciente de todasas relações humanas. 21
  20. 20. Jairo AlvesA existência e a capacidade de sobrevivência das entidadesnaturais estão diretamente ligadas capacidade de manifestaçãodas suas vontades. A atividade que trata da relação entre asvontades de entidades distintas é conhecida por política. Emoutras palavras, a política é o meio pelo qual as vontades sedominam e integram para se realizarem. Entretanto, o papel quea vontade desempenha na realidade natural somente pode serinteiramente entendido por quem enxergar o universoholisticamente. Para dar um passo nessa direção sugiro ler ositens “Reflexões sobre o universo 1 e 2”.7 Reflexões sobre as leisA palavra “lei” vem do latim e significa “ligar”. Em outraspalavras, onde há uma lei há uma ligação obrigatória. Estaligação tecnicamente é conhecida como relação causal, ou seja,as relações de causa e efeito são suportadas por leis. Portanto, asleis são os instrumentos através dos quais a lógica éimplementada na realidade. Os principais tipos de leis são: asleis da natureza e as leis concebidas pelos seres racionais. 22
  21. 21. Reflexões sobre temas polêmicosAs leis da natureza são responsáveis pela criação e manutençãode absolutamente tudo do micro ao macrocosmo. São elas queorganizam a realidade natural física, química e biologicamente.Portanto, as leis da natureza são imprescindíveis para aexistência até das ciências, pois sem elas não existiriam relaçõescausais para serem identificadas. Em outras palavras, as leis danatureza não podem ser transgredidas nem revogadas, pois sãoelas que suportam a realidade natural.As leis da natureza são consideradas divinas por muitas pessoase organizações religiosas. Essa visão não impede que as leisnaturais possam ser identificadas e entendidas pelas ciências.Entretanto, também é usual a cobrança de respeito a valores emnome de divindades, isto é, a instituição de leis em nome dedivindades.Isso é feito se apoiando apenas em relatos desociedades primitivas e de pessoas consideradas porta-vozesdivinos. A defesa dessas crenças e valores muitas vezes ésangrenta. Os transgressores dessas crenças e valores geralmentesão denominados pecadores ou infiéis.As leis concebidas pelos seres racionais teem a finalidade deestabelecer situações que sejam dos seus interesses. Essas leis 23
  22. 22. Jairo Alvesdependendo do contexto são denominadas: regras, estatutos,normas, regulamentos etc.Exemplos: As leis de trânsito, leisesportivas, o código civil, o código penal, a constituição, regrasde condomínios etc. Os animais também concebem e impõemleis, porém elas são mais rudimentares do que as humanas. Elasservem para estruturar o bando, dividir o trabalho, ritualizar oacasalamento, construir moradias (ninhos, cupinzeiros,formigueiros, favos etc.).As leis dos seres racionais sãoextremamente importantes, mas mesmo assim podem sertransgredidas. Quando isso acontece com os seres humanos, ostransgressores são denominados infratores, criminosos,traidores, contraventores etc.A coerção e a coação são os principais instrumentos dosguardiões das leis dos seres racionais e divindades, pois aameaça e a força são indispensáveis para dominar o livre-arbítrio dos seres racionais. Perguntas: Porque os valoresdivinos necessitam de guardiões? Por que eles não são impostosatravés de leis intransponíveis, tal qual acontece na natureza?Resposta: Isso acontece porque esses valores foram criadospelos seres humanos para padronizar o comportamento dos seussemelhantes. Em outras palavras, as leis divinas e o pecado 24
  23. 23. Reflexões sobre temas polêmicosforam inventados para que o nosso comportamento sejacompatível com interesses ou valores culturais vigentes.Em suma as leis são indispensáveis para a criação e amanutenção da realidade, mas nem sempre são oriundas dasvontades que pensamos. Em outras palavras, nós temos que termuita cautela para não sermos manipulados para fins escusos.Esta manipulação constitui um desserviço à evolução pessoal,social, cultural e humanística. O melhor modo de evitá-la éconhecendo a natureza holisticamente.8 Reflexões sobre o destinoA palavra destino informa quando um fato é inevitável ou quase.Ela tem esta conotação porque os eventos que geram um fatoteem 100% de probabilidade de ocorrência ou quase isso.Exemplo: Todos nós vamos morrer; O destino dele é o Rio deJaneiro; Esse é o meu destino; Ela vai ser professora. O únicoexemplo cujo fato tem 100% de probabilidade de ocorrênciarefere-se à morte, pois os demais eventos podem falhar. Emoutras palavras, o destino nem sempre é garantido. 25
  24. 24. Jairo AlvesA garantia de um destino é sempre assegurada por umaprogramação que pode ser natural ou não. Exemplo: Osorganismos teem os seus destinos programados através do DNA.Os destinos dos vôos, ônibus, taxis são programados pelosinteresses dos passageiros. Em outras palavras, a programação éimprescindível para que haja um destino.A percepção da relação entre o destino e a programação induzmuita gente a crer que absolutamente tudo na vida éprogramado, inclusive a sua sorte sentimental e profissional.Neste caso a palavra sorte é usada para qualificar o destino. Abusca por explicações e a ignorância abriram as portas para omisticismo e levaram as pessoas a creditarem os seus destinos adeuses, à configuração astral e até mesmo aos números. Este é omotivo delas tentarem descobrir os seus destinos por meio depráticas primitivas e estranhas, tais como: cartas, vidência,astrologia, numerologia, quiromancia, búzios, borra café, cháetc.A crença de que Deus traça o nosso destino quando nascemos éextremamente nociva ao ser humano. Ela nos reduz a marionetesde uma vontade superior que teoricamente poderia fazer 26
  25. 25. Reflexões sobre temas polêmicosqualquer coisa conosco. A aceitação desta idéia possibilita aoscharlatões usarem a nossa boa fé para nos ameaçarem com oinferno e a desgraça para nos venderem o paraíso e as graçasdivinas. Em outras palavras, a crença no destino nos deixavulneráveis à charlatanice.A única certeza que temos com relação ao destino é que eleexiste nos processos naturais. Em outras palavras, a naturezadefine o destino de todos os seus componentes, pois nenhumdeles escapa às suas leis. A natureza nos impõe limites, masmuitas vezes eles podem ser derrubados e o nosso destinoreescrito. Isto depende da forma que esses limites nos afetam eda nossa capacidade de superar barreiras.O livre-arbítrio é a principal evidência de que algumas vezes épossível se reescrever ou modificar o destino. Quase todomundo conhece ou já ouviu falar de alguém que estariadestinado à miséria, ignorância, solidão ou ao anonimato devidoas suas impossibilidades, mas que mudou isso porque superou assuas limitações. A natureza não nos dotaria de livre-arbítrio casoa sua intenção fosse nos dominar completamente. Esta 27
  26. 26. Jairo Alvesconclusão humaniza a natureza, mas pela lógica, pai de peixe sópode ser peixe.Está em suas mãos decidir se você quer ser ator ou diretor daobra que define o seu destino. Se você optar pela direção e teráque descobrir como e até onde a natureza programa o seudestino. Esta tarefa não é fácil, mas lembre-se: o destinosomente é inevitável prá quem aceitá-lo passivamente.9 Reflexões sobre a políticaO homem é um animal social, pois ele depende de vários tiposde “bandos” (organizações) para sobreviver. O primeiro deles éfamília, pois ela é a célula da organização social.Depois veem as empresas, as cidades, os estados, os países etc.As organizações se destacam pelos seus componentes físicos,mas a base de todas elas é constituída pelos eventos queintegram os seus processos. Em outras palavras, as organizaçõesdependem de eventos, pois são eles que padronizam os seusfuncionamentos. 28
  27. 27. Reflexões sobre temas polêmicosOs eventos que padronizam os funcionamentos organizacionaissão impostos pelas vontades das pessoas que estão no comandodas organizações. Em outras palavras, o funcionamento dasorganizações é sempre produto da vontade humana. Exemplo:As vontades dos pais estabelecem a conduta da família. Asvontades dos empresários determinam os funcionamentos dasempresas. As vontades dos políticos definem a atuação dasorganizações governamentais.A Vontade é a principal responsável pela criação, movimentaçãoe manutenção de todos os tipos de mecanismos sociais(organizações). Geralmente, estas tarefas e atividades sãoexecutadas por vontades de pessoas distintas, pois elas podemser delegadas a terceiros. Exemplo: As empresas privadaspodem ser criadas e geridas pela vontade de seus proprietáriosou representantes. As organizações governamentais somentepodem ser criadas e geridas pelos representantes da vontade doseleitores.As eleições servem para escolher quais vontades podem criar egerir as organizações públicas para atender as vontades doseleitores. Entretanto, as vontades que compõe a sociedade teem, 29
  28. 28. Jairo Alvesalgumas vezes, interesses divergentes. Este conflito pode fazercom que os nossos representantes priorizem as suas vontades aoinvés das nossas. Muitos deles alegam impossibilidade técnicapara atender aos interesses sociais, mas isso é uma falácia, poistudo pode ser resumido a uma questão de vontade.A impunidade favorece o uso da máquina pública para finsprivados, pois ela afasta o medo da punição. Melhorar o sistemaeleitoral e votar corretamente são medidas paliativas, pois elasnão conseguem evitar que as vontades pessoais (interesses)prevaleçam sobre as coletivas. Sempre existirá uma maneirapara enganar os eleitores. Melhorar as organizações públicastambém é inócuo, pois elas são feudos quase impenetráveis.Uma maneira de adequar as organizações públicas aos interessessociais seria instituindo um poder totalmente independente paraseguir, apurar, julgar, intervir e punir qualquer representante ouorganização públicos que desrespeitasse estes interesses.Entretanto, a escolha dos funcionários, a estruturação e ocontrole deste poder “Corregitivo” deveria ser dos eleitores e deninguém mais. Caso contrário, ele poderia ser desvirtuado, comoacontece com as organizações públicas já existentes. 30
  29. 29. Reflexões sobre temas polêmicosEm suma, ninguém em sã consciência atiraria no próprio pé,mas quando alguém diz: “eu quero distância de política” o efeitoé o mesmo, pois está agindo contra os interesses sociais quetambém são seus. A conscientização e a participação daspessoas boas e honestas na política são os únicos meios para aformação de uma sociedade mais justa.10 Reflexões sobre a almaA alma é muito difícil de conceituar. Tudo que sabemos dela sãomuitas suposições contraditórias. Aparentemente, o únicoconsenso sobre a alma vem da apercepção da nossa capacidadede pensar. Ela é tida como evidência de que há “algo imaterial”,capaz de pensar e controlar corpos. Este pensamento foiimortalizado na frase “Penso, logo existo.” Em outras palavras,para muita gente a apercepção da capacidade de pensar é umaprova definitiva da existência da alma. Algumas pessoas achamo mesmo com relação à animação ou vida. Talvez seja por istoque a palavra alma tem a sua origem em “nephesh” do hebraicoe “animu” do latim que significam “vida ou criatura” e “o queanima” respectivamente. 31
  30. 30. Jairo AlvesA percepção da alma é comum às culturas humanas, mas cadauma delas vê a alma sua maneira. Exemplo: Ela é vista pelasreligiões como aquilo que capacita os indivíduos a viverem e afazerem coisas complexas; Os materialistas acham que ela surgee morre junto com a vida orgânica material, ou seja, eles achamque a alma é efeito e não causa; Os panteístas já acham que háapenas uma alma no universo, que os novos seres absorvem umaparte dela ao nascerem, que após a sua morte ela se reunifica aotodo; os espiritualistas acham que a alma é individual, imateriale causa (não efeito), o que lhe permite resistir à morte.As diferenças geralmente chamam mais atenção do que assemelhanças, mas no caso da alma devemos prestar atenção aosseguintes pontos: a suposição materialista é incoerente, poistenta respeitar as leis da natureza, mas a sua premissa é apenasuma suposição, pois não há evidência alguma de que a alma sejaefêmera; a suposição panteísta desrespeita as leis da natureza,pois parte premissa que a alma e a matéria pertencem a mundosdistintos, mas não prova isso; a suposição espiritualista repete oerro da panteísta, pois ela assume a mesma coisa. Em outraspalavras, tudo que se diz sobre a alma é apenas suposição ouespeculação, pois nenhuma das premissas utilizadas é empírica. 32
  31. 31. Reflexões sobre temas polêmicosA suposição materialista exclui as demais suposições em prol daalma porque impossibilita que algo possa existir antes daformação de qualquer entidade material. Isso ocorre porque elase baseia na visão científica, que não consegue conceber algodissociado das leis da natureza nem achar provas de que a almasobrevive fora do corpo. A visão ocidental da alma deve muito aSócrates, filósofo que viveu de 470 a.C. - 399 a.C. Para ele, aalma era imaterial, indivisível, ética, dotada de sentido, vontade,liberdade e inteligência. Obviamente, esta visão e crença seestabeleceram porque é muito difícil aceitar que a morte seja ofim do “eu”. É muito mais fácil acreditar na imortalidade daalma ou na reencarnação do que suportar a insegurança geradapela ignorância.A crença de que a alma é imaterial e apartada da matéria éextremamente nefasta para a humanidade. Ela contribui para aformação de culturas intolerantes para com os valores alheios.Isto acontece porque a separação da alma e da matériapossibilita a existência de um mundo que não está sob as leis danatureza. Esta possibilidade favorece o aparecimento e aaceitação de explicações sobrenaturais. Explicaçõessobrenaturais diferentes geram culturas com crenças e valores 33
  32. 32. Jairo Alvesdivergentes. Pronto, está formado o principal componente dosconflitos culturais.Há muitas perguntas associadas à alma a serem respondidas.Exemplo: A alma existe? O que é a alma? Osanimais teem alma? A alma é causa ou efeito? A alma precisaser salva de algo? Para que as respostas destas perguntas sejamcoerentes, a alma deveria ser “algo” cujas propriedadespossibilitassem criar todas as entidades da natureza e não apenasos seres humanos. Caso contrário, faltaria explicar “o queanima” ou “dá vida” a tudo mais. Este “algo” deveria serimaterial, mas capaz de materializar-se e ainda de construirtodas as coisas físicas, químicas e biológicas do micro aomacrocosmo. Será que existe “algo” assim? Há sim! Entretanto,ninguém em sã consciência pode acreditar nisso sem que hajauma explicação detalhada e evidências para suportá-la, mas tudoisso pode ser encontrado na Teoria do Big Brain (resumo nofinal). 34
  33. 33. Reflexões sobre temas polêmicos11 Reflexões sobre o livre-arbítrioA expressão “livre-arbítrio” é utilizada para referenciar acapacidade de realizar escolhas livremente. Teoricamente, elapode ser atribuída a todos os organismos dotados de cérebros,pois todos eles estão capacitados para perceber, comparar eescolher.Alguns cientistas supõem que todas as nossas reações já estãoprogramadas e que o livre arbítrio é apenas uma ilusão.Entretanto, outros acham isso um exagero por considerarem queos testes utilizados são muito rudimentares para refletirem averdade e que muitas das nossas reações somente podem serjustificadas mediante o livre-arbítrio. Para saber mais sobre estadivergência visite: http://is.gd/2DJLa7Os fatos mostram as reações dos seres racionais são em partepré-definidas e em parte decididas em tempo real. As reaçõesinvoluntárias são evidências de que parte do comportamentoracional é pré-definida ou programada. As reações que se 35
  34. 34. Jairo Alvesrealizam entre múltiplas possibilidades são evidências de queparte do comportamento racional se suporta no livre-arbítrio.Os programas constituem a principal evidência da existência dolivre-arbítrio. Eles sequer existiriam sem ele, pois os seusdetalhes teem que ser minuciosamente escolhidos para que eleconsiga satisfazer a vontade de alguém. Esta relação é muitofácil de ser percebida e aceita nos programas que sãodesenvolvidos e instituídos pelos seres racionais. Entretanto, háuma grande resistência em fazer isso para os programas naturais,pois seria necessário admitir a existência de uma entidadesuperior que pense a realidade natural.A negação do livre-arbítrio reflete uma limitação do métodocientífico, pois ele serve para identificar as leis da natureza, masnão pode identificar como elas surgem. Em outras palavras, ométodo científico influencia a visão dos pesquisadores edificulta a percepção de que todos os tipos de leis são impostospela vontade de alguém que pode optar. A limitação do métodocientífico é muito grave, pois propicia o surgimento deespeculações e oportunistas. 36
  35. 35. Reflexões sobre temas polêmicosAs religiões e similares admitem o livre arbítrio e atribuem asleis da natureza à vontade de uma entidade superior. Entretanto,as formas e desejos atribuídos a estas entidades refletem ascrenças e valores das culturas onde eles foram concebidos e nãoa realidade, pois eles não harmonizam com os fatos nem as leisnaturais. Aceitar isso é o mesmo que desprezar tudo que asciências conquistaram para a humanidade. Em suma, a únicamaneira para demonstrar a existência do livre-arbítrio éconhecendo muito bem o papel da vontade, mas ninguém vaiconseguir isso através das ciências ou das religiões, pois ambasjá provaram serem incapazes disso.12 Reflexões sobre cientistas, deístas e teístasO impasse entre os cientistas, deístas e teístas é muito antigo equase impossível acabar, pois os cientistas acreditam no acaso,enquanto os demais na existência de um deus. Os deístas sediferenciam dos teístas, pois eles evitam as escrituras, religiões ecultos. Quem tem razão? Os seguintes fatos vão ajudar aresponder esta pergunta: 37
  36. 36. Jairo Alves1) Nada escapa as leis da natureza, pois absolutamente tudo no universo depende delas;2) As ciências dependem das leis da natureza, pois são elas que sustentam as relações causais;3) A finalidade de qualquer lei é impor uma intenção ou interesse;4) Tudo no universo é complementar e interdependente.Com base nos quatro fatos acima é possível deduzir o seguinte:a) Nada acontece por acaso, pois tudo no universo é interdependente;b) O sobrenatural não existe, pois tudo no universo está subordinado às leis naturais;c) O universo é o corpo de um único mecanismo, pois tudo nele é complementar e interdependente.Então, quem tem razão? Os cientistas ou os deístas/teístas?Nenhum deles está totalmente certo ou errado, pois a análiseacima possibilita concluir que o universo é uma única entidade einteiramente natural. Esta conclusão torna mais difícil sair doimpasse, pois para isso é necessário apresentar uma explicação 38
  37. 37. Reflexões sobre temas polêmicosque respeite as leis e a complementaridade naturalsimultaneamente. Esta explicação pode melindrar aoscientistas, deístas e teístas, pois ela impossibilita o misticismo eo casuísmo ao mesmo tempo. Quem não se importar com issopode ler os itens “Reflexões sobre o universo 1 e 2”., pois elesintroduzem uma explicação que tem todas essas qualidades.13 Reflexões sobre o maior equívoco dos cientistasO maior equívoco dos cientistas é pensar que o universo, abiosfera e a vida foram gerados por fenômenos casuais. Estaconclusão se baseia nos seguintes fatos: as ciências devem assuas existências às leis da natureza; o universo inteiro do microao macrocosmo é estruturado pelas leis da natureza; As leis danatureza são evidências de intencionalidade. Em outras palavras,atribuir fatos naturais ao acaso é uma grande incoerência, poistodos os eventos do universo são executados conforme asintenções que as leis da natureza sustentam. Os cientistasdeveriam ser as últimas pessoas a admitirem o acaso, pois elessabem disso melhor do que ninguém. Pensar o contrário é comosupor que a internet se formou acidentalmente. Alegar que 39
  38. 38. Jairo Alvesfaltam evidências de que as leis da natureza sustentem intençõesé ilógico, pois isso acabaria com a finalidade de qualquer lei.Em suma, a visão caótica que algumas pessoas teem do universoresulta da incapacidade de enxergá-lo sistemicamente.Entretanto, há uma visão bem contemporânea que pode acabarcom isso. Para saber mais dela leia também os itens “Reflexõessobre o universo 1 e 2”.14 Reflexões sobre o poder dos númerosOs números sempre intrigaram a humanidade, pois elesaparecem em absolutamente tudo. Aparentemente, a naturezanão pode prescindir deles. Eles também constituem um dos maisfortes argumentos contra a existência do sobrenatural e dedeuses mágicos. A humanidade aprendeu a utilizá-los, masainda não conseguiu responder perguntas, tais como: De ondeeles vêem? Por que eles estão em absolutamente tudo? Comoeles são implementados na natureza? Este tema é tão fascinanteque levou Mário Lívio, astrofísico, matemático e chefe dadivisão científica de telescópio espacial Hubble a escrever umlivro perguntando: “Deus é matemático?” 40
  39. 39. Reflexões sobre temas polêmicosAlgumas das dúvidas relacionadas ao poder dos númerospodem desaparecer desde que a estrutura da realidade naturalseja vista como uma construção totalmente digitalizada.Estruturas digitais são construções feitas exclusivamente denúmeros. Exemplo: Os textos, planilhas, apresentações, vídeos,áudios e tudo mais que é processado por equipamentos digitais,tais como: computadores, TVs e centrais de telefonia. Em outraspalavras, a única forma de justificar o poder dos números éprovando que as estruturas de todas as coisas da realidadenatural são numéricas, isto é, digitais. Essa idéia não é nova,pois Pitágoras que era um homem muito à frente do seu tempojá tinha percebido que: “tudo é número”.O leitor provavelmente deve estar pensando: “Onde estão osnúmeros que compõem todas as coisas materiais do universo?”Este é um dos grandes segredos da natureza. As nossas crençassempre foram um empecilho para desvendá-lo, pois elasdeturpam a nossa visão da realidade. Para desvendar essesegredo é preciso compreender o mecanismo da natureza porinteiro. Esta compreensão requer muita dedicação e oconhecimento de sistemas de processamento de dados etelecomunicações, pois a estrutura e a sofisticação do sistema de 41
  40. 40. Jairo Alvesprocessamento da natureza são impressionantes. Felizmente,você já pode contar com uma obra que descreve o mecanismo danatureza de forma integral, simples e minuciosa. Este artigo étotalmente baseado na “Teoria do Big Brain - Uma versãodigital da criação”. Entretanto, para saber como são os númerosque digitalizam o universo é necessário ler a obra inteira, pois éuma explicação longa e totalmente estruturada.Em suma, o poder dos números está ligado à forma que foiescolhida para criar a realidade natural. A única maneira deentendê-lo é através de uma visão holística da natureza quepossa explicar a lógica da realidade natural. Para saber mais delanão deixe de ler os itens “Reflexões sobre o universo 1 e 2”.15 Reflexões sobre o sobrenaturalMuitos fenômenos teem as suas causas atribuídas aosobrenatural por serem desconhecidas, mas poucas pessoassabem conceituar com precisão o que seria o “sobrenatural”.Admitir a existência de fenômenos sobrenaturais é o mesmo que 42
  41. 41. Reflexões sobre temas polêmicosadmitir que a mágica, a feitiçaria e a bruxaria existem e que elascompartilham a geração da realidade com a lógica da natureza.Acreditar que o sobrenatural existe é uma evidência do estágiode desenvolvimento em que uma cultura se encontra, pois ahistória mostra que quanto mais primitiva é a cultura, maismísticos são os seus membros. Os fatos também mostram que asdivindades e os demônios mudam com o passar do tempo, mas aincoerência continua a mesma. Em outras palavras, ahumanidade continua dizendo e acreditando em besteiras talcomo faziam os trogloditas.Os motivos que levam a acreditar no sobrenatural, emdivindades e demônios são muitos e variam de pessoa parapessoa. Os principais são a ignorância, o medo, a necessidade eos interesses. Eles podem deixar a pessoa em um estado quedificulta a percepção da realidade e que propicia a aceitação deincoerências.A crença no sobrenatural pode ser uma vantagem, pois ela podeevitar a insegurança e o sofrimento que o desconhecido e aincerteza provocam em algumas pessoas. A principal 43
  42. 42. Jairo Alvesdesvantagem da crença no sobrenatural é tornar as pessoasvulneráveis aos oportunistas, pois muitas delas podem serfacilmente manipuladas através de promessas ou ameaças quesão atribuídas as divindades ou demônios.O culto ao sobrenatural cria uma barreira à percepção darealidade, pois as pessoas tendem a rejeitar outras possibilidadescausais para os fenômenos cujas origens ainda sãodesconhecidas. Em outras palavras, o condicionamento culturalpode atrapalhar o próprio desenvolvimento cultural.A existência de fenômenos sobrenaturais não se sustentalogicamente, pois a palavra “sobrenatural” é utilizada parareferenciar qualquer fenômeno que pareça estar além do natural.Entretanto, essa possibilidade simplesmente inexiste, pois atéprova em contrário, todos os fenômenos sem exceção algumasão causados pela natureza. Em outras palavras, até osfenômenos ditos sobrenaturais devem as suas existências as leisda natureza. Em suma, alguns fenômenos são chamados desobrenaturais devido a nossa incompetência em compreendê-los.Convém lembrar que as ciências já provaram a naturalidade dealguns fenômenos que outrora eram considerados sobrenaturais. 44
  43. 43. Reflexões sobre temas polêmicosA divergência sobre a existência do sobrenatural é muito antigae grande, mesmo a razão apontando a contradição acima. Osdefensores do sobrenatural simplesmente dizem que as leis danatureza não se aplicam a alguns fenômenos. Os descrentesacham que sobrenatural somente é viável na nossa imaginação,pois apenas ela pode conceber coisas que não estão sujeitas asleis da natureza. A única maneira de assumir uma posiçãosegura frente a esse impasse é demonstrando que absolutamentetudo é natural. Esta possibilidade já existe, para saber mais arespeito dela, leia também o ítem “Reflexões sobre acompetência das ciências”.16 Reflexões sobre o pior equívoco da humanidadeO pior equívoco da humanidade é acreditar que a matéria e oespírito são entidades distintas. Esta crença é responsável porconflitos que geram desde simples desavenças até guerrasintermináveis. Esses conflitos podem envolver apenas a defesade pontos de vista ou interesses corporativos muito lucrativos. 45
  44. 44. Jairo AlvesA crença de que a matéria e o espírito são entidades distintasresulta da incapacidade das pessoas identificarem o que é oespírito. Esta incapacidade não é apenas das pessoas, pois asciências lidam muito bem com a matéria, mas não conseguemfazer o mesmo com o espírito. Entretanto, isso não é razão paradizer que o espírito não existe ou não pode ser identificado.A incapacidade de entender e explicar o espírito logicamenteleva as pessoas a crerem que ele e a matéria pertencem amundos ou dimensões distintas. Elas imaginam que os espíritoshabitam mundos que nós não podemos entender. Esta idéia émuito utilizada pelas corporações religiosas para embasarestórias que servem aos seus propósitos. Em outras palavras, aseparação da matéria e do espírito possibilita o aparecimento deexplicações sobrenaturais. O termo sobrenatural é utilizado paraindicar eventos que desrespeitam as leis da natureza. Estedesrespeito constitui um desserviço a compreensão holística danatureza, pois evento algum consegue realizar esta proeza.A transgressão das leis da natureza gera problemas, tais como:atrapalhar aos desenvolvimentos intelectual, humanístico epropiciar a ação de aproveitadores da boa fé alheia.Em outras 46
  45. 45. Reflexões sobre temas polêmicospalavras, o desrespeito as leis naturais propicia o aparecimentode crenças que já demonstraram serem nocivas ao ser humano.Este desrespeito é a causa da humanidade rejeitar a lógica eacreditar em entidades mágicas.Há uma maneira lógica e bem simples de demonstrar que aseparação da matéria e do espírito não faz sentido algum. Ela sebaseia no seguinte fato: “na natureza tudo se transforma”. Estefato é uma evidência de que todas as coisas são eventos,inclusive o espírito, pois até ele faz parte da natureza. Em outraspalavras, não há razão alguma para pensar que o espírito habitaoutro mundo ou dimensão, pois ele é da mesma categoriaexistencial que a matéria. Quem alegar o contrário tem aobrigação de provar que esta dimensão ou mundo desconhecidorealmente existe.A conclusão de que todas as coisas são eventos torna muito maisdifícil perceber que é o espírito. Esta tarefa somente poderealizada mediante muito estudo e por pessoas que sejamespecialistas sistemas, pois mecanismo algum é tão sofisticadoquanto a natureza. Em outras palavras, fuja das explicações 47
  46. 46. Jairo Alvessimplistas, pois elas estão totalmente equivocadas e podemservir a objetivos maléficos.Este tema é muito complexo, porém já existe uma visão lógicado espírito, que não pretende tirar proveito algum da boa fé deninguém. Conhecê-la é o melhor caminho para evitar que asegregação da matéria e do espírito continue sendo o piorequívoco da humanidade. Se você se interessou por ela nãodeixe de ler os itens “Reflexões sobre o universo 1 e 2”.17 Reflexões sobre o ceticismoO cético é uma pessoa que não consegue aceitar verdades quesejam impostas através de falácias ou emoções, pois ele valorizamuito a racionalidade. Como se diz, o cético precisa “ver paracrer”, pois o único meio de convencê-lo é através de argumentoslógicos que se apóiem em evidências incontestáveis.A convicção de que a lógica está em absolutamente tudo queexiste é o principal motivo para alguém tornar-se cético. Estacerteza não se baseia apenas em conhecimentos, pois as crenças, 48
  47. 47. Reflexões sobre temas polêmicosos valores e o equilíbrio emocional também são importantespara formar o cético. Em outras palavras, o cético é uma pessoaquestionadora porque teem características que o diferenciam dasdemais pessoas.O cético é um gerador de conflitos em potencial, pois as suasopiniões geralmente divergem da maioria das pessoas. Osmaiores conflitos ocorrem quando o assunto é religião, pois asreligiões e similares se sustentam em “estórias” que contrariamas possibilidades naturais. Em outras palavras, o cético tende agerar conflitos porque não aceita que o desenvolvimento culturale humanístico seja atrapalhado por verdades sustentadas emincoerências.Para o cético a verdade tem que ser demonstrada logicamente.Ele não consegue aceitar que a verdade que se baseie apenas emdepoimentos ou registros, mesmo que estes sejam consideradossagrados. Ele pensa assim porque sabe que nada pode garantirque os depoentes ou registros contem a verdade. Em outraspalavras, o cético não abre mão da lógica, porque os fatosdemonstram que as pessoas e os registros não são totalmenteconfiáveis. O cético também sabe que algumas vezes a mentira 49
  48. 48. Jairo Alvespode ser involuntária. A mentira involuntária pode ser geradapor interpretações equivocadas ou por disfunções mentais. Apercepção de que a mediunidade pode ser apenas uma disfunçãomental é bem antiga. A história conta que a igreja já acusoudoentes mentais de possessão demoníaca para atender aos seusinteresses.A esquizofrenia é uma disfunção mental que pode criarsituações que parecem verdadeiras para os esquizofrênicos epara as pessoas desavisadas, despreparadas e influenciáveis. Aesquizofrenia pode provocar alucinações fazendo com que osesquizofrênicos conversem e vejam pessoas que existem apenasnas suas mentes. Alguns esquizofrênicos chegam até a acreditarque são pessoas famosas como Napoleão Bonaparte ou JesusCristo. Portanto, a probabilidade de que a telepatia e acomunicação com o além sejam apenas manifestaçõesesquizofrênicas é muito grande. A telepatia é a comunicaçãodireta de pensamentos. Convém lembrar que a maioria doscientistas não acredita na telepatia porque as ciências jápesquisaram muito sobre ela e não comprovaram a suaexistência. Atualmente, os esquizofrênicos são cerca de 1% dapopulação mundial e no Brasil aparecem cerca de 56.000 novos 50
  49. 49. Reflexões sobre temas polêmicoscasos por ano. Imagine quantos esquizofrênicos já existiram.Certamente, muitos deles já pensaram ou pensam seremmédiuns, profetas ou divindades. Certamente, muita gente deboa fé já seguiu ou segue esquizofrênicos.Em suma, ser cético não é necessariamente ruim como muitospensam, pois os fatos demonstram que é muita imprudênciaacreditar naquilo que pareça contrariar as leis danatureza. Entretanto, ninguém é cético por opção, pois ocondicionamento cultural fala mais alto. Em outras palavras, aspessoas são socializadas (programadas) pelos seus meiosculturais para serem crédulas ou céticas. Entretanto, novosconhecimentos podem melhorar a visão crítica. Sugiro a leiturado item “Reflexões sobre a verdade”.18 Reflexões sobre as religiões e similaresA palavra religião é oriunda do latim e significa religação com odivino. As religiões e similares são entidades que deveriamservir apenas para tentar impor as suas crenças e valores com apretensão de ajustar o comportamento humano para fazer jus asgraças divinas. Entretanto, elas teem servido de fachada para 51
  50. 50. Jairo Alvesmuitas barbáries e o expansionismo de um comérciodesenfreado que é capaz de vender qualquer coisa.Evangelização é o nome da atividade que conquista adeptos paraas religiões cristãs, mas também pode ser empregado para asdemais religiões e similares. A conquista de adeptos é umaatividade na qual alguém vende algo para outrem, tal comoacontece nas relações comerciais. Os principais benefíciosoferecidos nesta venda são conforto, segurança e sucesso, masela também é coercitiva para quem recusa a oferta. A relaçãoreligiosa é tão singular, que o adepto é responsabilizado por nãoreceber graça alguma e mesmo assim atua como vendedor semremuneração.As religiões e similares são vendidas através de mensagens quetransmitem crenças e valores. A credibilidade destas mensagensdepende de pessoas, artefatos, símbolos, lugares e eventos quesão rotulados de sagrados ou santificados para causarem maiorimpacto e evitar o questionamento. É por isso que as religiões esimilares defendem ferrenhamente os seus porta-vozes e livros.As pessoas sagradas recebem títulos, tais como: profetas, santos,sacerdotes, pagés etc. Exemplos de pessoas sagradas: Jesus, 52
  51. 51. Reflexões sobre temas polêmicosMoisés, Buda, Pedro, Paulo, o Papa etc. Exemplos de artefatossagrados: a Bíblia, o livro de Mórmon, o Mahabharata, oBagavadguitá, o Torá, o Zend Avesta, a Tábua dos dezmandamentos, o crucifixo, o santo graal etc. Exemplos delugares sagrados: o monte das oliveiras, as mesquitas, as igrejas,os santuários etc. Exemplos de símbolo sagrados: a cruz, aestrela de Davi etc. Os eventos considerados sagrados sãodenominados milagres. Exemplo: a divisão do pão e do vinho, aressurreição etc. Em suma, a credibilidade das religiões esimilares depende inteiramente de um discurso, cujo objetivo éconquistar a fé através de contos que prometem recompensas epunições.A fé incondicional é imprescindível para a aceitação dasreligiões e similares, pois elas são altamente incoerentes.Exemplos: 1. Ignoram o método científico. 2. Pregam o amor por meio do temor. 3. Enaltecem o livre-arbítrio, mas impõe regras. 4. Pregam a paz, mas teem histórias de guerras. 5. Pregam a resignação, mas são exemplos do oposto. 6. Pregam a servidão, mas são os principais beneficiários. 53
  52. 52. Jairo Alves 7. Pregam a igualdade, mas são os primeiros a discriminar. 8. Pregam a salvação, mas sempre cobram adiantado.As atividades e rituais religiosos são apenas tentativas primitivasde comunicação. Exemplos: Orar é uma tentativa decomunicação; Os transes nos rituais decorrem de tentativas decomunicação; Os templos são locais para tentativas decomunicações individuais ou coletivas. Enfim, os cultos erituais não fazem outra coisa senão tentar ou fomentar acomunicação com divindades.As contradições e limitações das religiões e similares sãomuitas, mas há muita gente predisposta a aderir a elas apenas emtroca da promessa de conforto, segurança ou sucesso.Entretanto, também há muitas pessoas que não abrem mão daracionalidade. Se você é uma delas, não deixe de ler oartigo “Reflexões sobre o status quo e as religiões”. Se vocêquiser conhecer uma obra que desmistifica as religiõesocidentais, leia “Cidade Antiga” do historiador francês Fustelde Coulanges. 54
  53. 53. Reflexões sobre temas polêmicos19 Reflexões sobre a base das religiões e similaresOs testemunhos e depoimentos constituem a base das religiões esimilares, pois é neles que todas elas se sustentam. Para provarisso, primeiramente, é preciso explicar como elas conseguemconquistar os seus seguidores. As religiões e similaresconquistam os seus seguidores através da evangelização. Aevangelização é o processo através do qual as religiões esimilares transmitem as suas crenças e valores. O sucesso daevangelização depende dos seguintes elementos: uma história ouestória muito boa e emocionante, uma fonte confiável e umevangelizador que pareça respeitável. A finalidade das estóriasou histórias é transmitir crenças e valores. A finalidade da fonteconfiável é legitimar a estória ou história. A finalidade doevangelizador respeitável é disseminar a estória ou história. Paraaumentar a confiabilidade da fonte ela é qualificada comosagrada. A fonte confiável sempre é humana, pois até os livrossagrados são escritos por pessoas. Portanto, as evangelizaçõessempre se utilizam de relatos (depoimentos ou testemunhos) depessoas que alegam terem presenciado ou participado de eventosque envolvem divindades. Em outras palavras, acomunicação extranatural é imprescindível para a instituição dequalquer religião ou similar. Todas as religiões e similares se 55
  54. 54. Jairo Alvessustentam em comunicações que as suas divindades,supostamente, mantêm para transmitir os seus desejos e valores.Os seguintes fatos são evidência disso: os evangelizadorespassam a maior parte do tempo dessiminando desejos e valoresque supostamente foram transmitidos (comunicados) pelas suasdivindades; Quase todos os cultos e rituais se resumem atentativas de comunicação extranaturais. A única garantia daexistência e eficácia deste tipo de comunicação está nosdepoimentos e testemunhos das “fontes confiáveis” quesustentam as religiões e similares. Em suma, aceitar umareligião ou similar se resume a acreditar em uma possibilidadede comunicação que não se aplica a qualquer pessoa, isto é, écomo se as leis da natureza não fossem aplicadas á grandemaioria. Acreditar nesta possibilidade é uma prerrogativa dequalquer um, mas duvidar também é. Se você quiser ler umpouco mais sobre este assunto leia também “Reflexões sobre asreligiões e similares”. 56
  55. 55. Reflexões sobre temas polêmicos20 Reflexões sobre o “status quo” e as religiões.As pessoas veem se desentendendo a milênios por causa dassuas opções religiosas ou pela falta delas. Por que será que aopção religiosa é tão importante para a humanidade? Será que adivergência de opinião com relação à existência de Deus, doparaíso, do inferno, do mal, de profetas, do diabo ou dos anjos érealmente o ponto central do desentendimento entre os sereshumanos ou há algo mais? Para tentar responder a esta perguntavamos analisar dois fenômenos culturais; o etnocentrismo e o“status quo”, pois o peso de ambos é muito significativo nosdesentendimentos humanos.O etnocentrismo é a tendência de acreditarmos que os valores donosso povo são os certos. Isso acontece porque os valores sãotransmitidos e memorizados juntamente com emoções. Emoutras palavras, nós defendemos os pontos de vista coletivosporque o ataque a eles nos emociona. O etnocentrismo éresponsável por muitos conflitos, pois ele sustenta a fé atémesmo contra a razão. Até as pessoas boas fazem coisas máspor causa do etnocentrismo. O etnocentrismo pode causarmuitas divergências, mas sozinho ele é insuficiente parajustificar toda hostilidade que pode ser produzida quando o tema 57
  56. 56. Jairo Alvesem questão é a religião. A única maneira de atribuir essacapacidade para etnocentrismo é associá-lo a manutenção do“status quo”.O termo “status quo” serve para designar o estado atual dealguma coisa. A expressão “manutenção do status quo” égeralmente utilizada para mostrar que algo ou alguém tempropensão em defender os estados que são do seu interesse, ousimplesmente, defender os seus interesses. A “manutenção dostatus quo” é o principal motivo dos conflitos que são atribuídosao posicionamento religioso. Em outras palavras, a defesa deinteresses é o principal motivo da hostilidade relativa aoposicionamento religioso. Algumas pessoas e organizaçõesfazem qualquer coisa para defender os seus interesses. Umadelas é fomentar o etnocentrismo, pois a divergência de pontosde vista causa um entrave à evolução cultural que ajuda a mantero “status quo” e os benefícios decorrentes dele. Os doisprincipais interesses que a manutenção do “status quo” religiosoajuda a preservar são: os interesses financeiros e o modo devida. 58
  57. 57. Reflexões sobre temas polêmicosO “status quo” que suporta aos interesses financeiros édefendido por qualquer pessoa ou organização que percebaameaças as suas receitas financeiras. Exemplos: Grande partedas guerras teem como fachada o etnocentrismo, mas narealidade são motivadas por interesses financeiros. Muitasorganizações cultivam o etnocentrismo para manter um estadodiscriminatório que lhe é financeiramente favorável. Esta práticageralmente é conhecida como fidelização. Note que esteconceito é aplicável a qualquer tipo de organização. Em suma, ohomem manipula a situação do homem em prol dos seusinteresses. Este fato é tão evidente que foi imortalizado nacelebre frase: “Homo lupus homini est”, que significa: “Ohomem é o lobo do homem”.O “status quo” que suporta ao modo de vida é defendido pelaspessoas que acreditam na religião como única maneira desustentar as estruturas sociais que lhes interessam. Essas pessoasconsideram que as mudanças de valores são as maiores ameaçasque os seus estilos de vida podem sofrer. Elas fazem qualquercoisa para não sair da sua zona de conforto. Elas não admitemque uma nova visão da realidade possa alterar o seu modo devida. Principalmente, se as mudanças afetarem o poder da 59
  58. 58. Jairo Alvesestrutura familiar ou organizacional que lhes interessa. É adefesa do “way of life” (modo de vida).Em suma, o etnocentrismo pode causar muitos males, mas atéele pode servir de bode expiatório. Todo assunto que envolvereligião é sempre muito polêmico. Se você quiser conheceroutros pontos de vista a respeito da criação não deixe de ler ositens ”Reflexões para explicar a criação logicamente” e“Reflexões sobre o universo 1 e 2”.21 Reflexões para explicar a criação logicamenteInventar uma estória para explicar a criação é fácil, difícil étorná-la lógica. Os principais requisitos para explicar a criaçãologicamente são: • Jamais contrariar as leis da natureza, pois nada escapa dela. • Integrar fatos tangíveis e intangíveis, pois ambos existem. 60
  59. 59. Reflexões sobre temas polêmicos • Identificar a origem da matemática, pois a criação depende dela. • Possibilitar a estatística, pois a existência é feita de possibilidades. • Explicar o funcionamento do universo, pois ele executa a criação. • Explicar a engenharia da natureza, pois a criação depende dela. • Explicar como surge a matéria, pois ela é a base da criação. • Explicar a estrutura da matéria, idem acima. • Estruturar do micro ao macrocosmo, pois o universo é o mecanismo da criação. • Fornecer hipóteses lógicas para as grandes questões da humanidade. • Lembrar pensamentos famosos que se integram com a explicação.Isso parece impossível, mas não é não. Pedir que alguémacredite nisto seria muito. Portanto, sugiro continuar a leituradeste ebook para avaliar se vale à pena ler outra obra que temtodas as qualidades acima. 61
  60. 60. Jairo Alves22 Reflexões sobre a forma divinaA história nos mostra que a humanidade sempre acreditou queas divindades teem formas. As formas divinas podem serenquadradas em três categorias básicas: a zoomórfica, aantropomórfica e a antropozoomórfica. A categoria zoomórficaabrange as divindades cujas formas são animais. A categoriaantropomórfica abrange as divindades cujas formas sãohumanas. A categoria antropozoomórficas abrange asdivindades cujas formas combinam características humanas eanimais.A humanidade tem uma grande dificuldade em conceberdivindades amórficas, isto é, disformes. Esta limitação aconteceporque nós somos condicionados para raciocinar através damanipulação de formas. Em outras palavras, o condicionamentocultural ajuda a criar uma barreira que dificulta muito aimaginação de entidades sem formas.As formas divinas estão diretamente ligadas com o estágio dedesenvolvimento cultural dos povos. Em outras palavras, adefinição das formas das divindades depende das nossas crençase valores, pois os fatos mostram que elas tendem a se modificar 62
  61. 61. Reflexões sobre temas polêmicosjuntamente com a nossa evolução cultural. Isso significa que asformas são evidências de que as divindades são frutosimaginação humana, independentemente da veemência dos seusdefensores.A forma é uma faca de dois gumes, pois ela viabiliza o corpo einviabiliza a divindade. Isso acontece porque tudo que temcorpo está obrigatoriamente sujeito as leis da natureza. Emoutras palavras, a forma facilita a venda de divindades, pois lhesdá corpo e imagem, mas gera uma grande incoerência, poisnenhum ser fisicamente delimitado pode contrariar as leis danatureza. Outro motivo que impossibilita aos seres fisicamentedelimitados serem divindades é a existência condicionada, poistoda forma tem a sua existência condicionada à outra que lhe éhierarquicamente superior. Em outras palavras, a limitaçãoimposta pela forma é uma evidência de que a existência do seurespectivo ser não é incondicionada, tal como deveria ser umadivindade. Um deus cuja existência esteja condicionada a outrodeus, não é um deus, é apenas um produto de uma imaginaçãomuito rudimentar. 63
  62. 62. Jairo AlvesUma forma somente poderá ser considerada divina se o seucorpo for o universo, pois somente nesta condição ela poderiaser responsabilizada por todas as coisas. Esta visão é conhecidacomo panteísta. Uma divindade com esta configuração não teriamembros, órgãos nem cabeça, pois tudo isso não teria utilidadenem faria sentido algum. Em outras palavras, Deus somentepoderia gerar e manter todas as coisas do universo, caso elefosse o próprio universo. A existência de um deus panteístaexclui qualquer possibilidade de divindades que tenham formaszoomórficas, antropomórficas ou antropozoomórficas. Emoutras palavras, as formas são ótimos motivos para ahumanidade rejeitar todas as divindades que lhe foram impostasatravés dos tempos.Em suma, a forma antropomórfica inviabiliza a existência deDeus, mas será que há uma forma panteísta que possibilite aconstrução do universo e de tudo que existe nele? A resposta aesta pergunta parece impossível a primeira vista, mas você podese surpreender, se ler o meu artigo: “Uma visão surpreendentedo universo”, que foi publicado neste mesmo site. 64
  63. 63. Reflexões sobre temas polêmicos23 Reflexões sobre a racionalidade divinaMuita gente acha que Deus é capaz de pensar. Para isto eleprecisaria de um cérebro. Este cérebro teria que ser do tamanhodo universo. Caso contrário, ele não seria de Deus. A existênciade Deus não pode estar condicionada a outra existência, ou seja,a existência de Deus tem que ser completamenteincondicionada. Em outras palavras, Deus deveria ter o tamanhodo universo. Esta seria a única possibilidade para que elepudesse conceber e controlar absolutamente tudo. Isto equivale adizer que o universo seria o corpo de Deus. Também significariaque absolutamente tudo está dentro de Deus, inclusive nós. Emsuma, nós seríamos filhos de Deus vivendo dentro do próprioDeus. Em outras palavras, nós seríamos parte do corpo de Deus.Esta visão panteísta faz sentido ou é apenas mais uma besteira?Para saber mais deste assunto leia também “Reflexões sobre ouniverso 1 e 2”.24 Reflexões sobre a competência das ciênciasA intenção deste texto é mostrar uma lacuna que precisa de umanova ciência para evitar o aparecimento e a continuidade decrenças que sejam nocivas para o nosso desenvolvimento 65
  64. 64. Jairo Alvestécnico e humanístico. Em outras palavras há uma ocasião quepossibilita o aparecimento, a existência e a proliferação dasnossas crenças e de todo mal que as acompanha. Evidentemente,algumas destas crenças estão nas bases das religiões.A melhor maneira de mostrar esta lacuna é conceituando o quesão as ciências. As ciências são procedimentos formais paraidentificar as leis da natureza, pois todos os fenômenos naturaisdependem delas. Estas identificações são realizadas testandopossibilidades que geralmente são chamadas de hipóteses. Cadaciência abrange uma área específica da natureza. Exemplo: afísica, a química ou a biológica.As ciências são interdependentes, pois tudo na natureza écomplementar. Isso possibilita concluir que as leis naturais sãoinstruções operacionais de um mecanismo sofisticadíssimo aoqual chamamos de natureza. A lacuna carecendo de ocupaçãoprecede as ciências, pois ela precisa responder perguntas, taiscomo: Quem criou as leis naturais? Como elas são elaboradas?De que elas são constituídas? Por que elas conseguem suportar arealidade natural? Por que elas possibilitam às ciênciasestudarem a natureza segmentadamente? Estas perguntas se 66
  65. 65. Reflexões sobre temas polêmicossituam em uma nova área de conhecimento que poderia serchamada de “Naturalogia”, pois a sua finalidade é estudar alógica da natureza holisticamente.Seria uma enorme incoerência preencher a lacuna da qualtratamos com respostas ilógicas, pois são as leis naturais quesuportam toda a lógica da natureza. Entretanto, até agora temacontecido exatamente o contrário. Isso tem sido nefasto parahumanidade, pois ela se divide em grupos que são capazes delutarem até a morte para defenderem as suas crenças. Em suma,o comportamento do ser humano é influenciado ou dirigido porinformações que ainda constituem um grande mistério. Emoutras palavras, a lacuna em evidência não deve sermenosprezada, pois a ocasião que ela propicia tem umaimportância gigantesca para a formação da nossa opinião. Nãodeixe de ler os itens “Reflexões sobre o maior equívoco doscientistas” e “Reflexões sobre o pior equívoco da humanidade,pois ambas demonstram bem quão temerário é acreditar nas“verdades” atuais. 67
  66. 66. Jairo Alves25 Reflexões sobre a Teoria do Big Bang.As ciências também podem gerar crenças nocivas à nossaevolução técnica e humanística. Um bom exemplo disto é aTeoria do Big Bang, pois ela leva as pessoas a crerem que ouniverso é fruto do acaso e caótico. Isso acontece por doismotivos. Primeiro, ela não se encaixa em uma visão sistêmica danatureza. Segundo, os seus simpatizantes a defendem da mesmamaneira que os fiéis defendem as suas crenças.A Teoria do Big Bang atribui a existência e a configuração douniverso a uma grande explosão (Big Bang) que teria ocorridopor volta de 13,7 bilhões de anos em função de uma grandeconcentração de massa e energia. Os astrofísicos chegaram aesta conclusão baseados em várias pistas.As duas principaisforam: a expansão do universo que foi detectada em 1929 porEdwin Powell Hubble e a radiação cósmica de fundo que foiprevista em 1948 e confirmada em 1965.A Teoria do Big Bang ignora dois fatos muito importantes: asleis da natureza e a complementaridade natural. As leis danatureza constituem a razão de existir de todas as coisas,inclusive das ciências. A complementaridade natural é umaevidência de que todas as coisas do universo estão integradas em 68
  67. 67. Reflexões sobre temas polêmicosum gigantesco mecanismo natural. Aceitar a possibilidade deque absolutamente tudo no universo tenha se originado de umaexplosão é admitir que o mecanismo da natureza e as leis que osuportam tenham surgido do nada.Supor que absolutamente todaa energia do universo estava condensada em um único ponto dotamanho de uma ervilha faz menos sentido ainda.As leis e o mecanismo da natureza são sinais de inteligência. Emoutras palavras, os fatos demonstram que a natureza se concebeintelectualmente. Portanto, qualquer explosão que não estejasubordinada as leis da natureza é um evento caótico sem asqualidades necessárias para construir uma obra de engenhariatão complexa como a natureza. Admitir esta possibilidade fazmenos sentido do que pensar que uma explosão sozinha poderia:projetar, produzir, encaixar as peças e montar os veículos emuma fábrica automotiva.A Teoria do Big Bang também não leva em conta que ouniverso é um sistema fechado. Todo sistema fechado éobrigatoriamente um moto-contínuo, pois seu mecanismo temque ser autofágico, isto é, ele deve se alimentar de si próprioporque não tem exterior. A frase “Na natureza nada se cria, nada 69
  68. 68. Jairo Alvesse perde, tudo se transforma!” é uma evidência disto. Atransformação é uma prova de que o universo sempre existiu econtinuará a existir, pois a única coisa que justifica a suaautofagia é uma vida eterna.Uma justificativa mais lógica para a expansão do universo éatribuí-la a um imenso processo autofágico, pois ele teria que semovimentar e transformar os corpos celestes. Para realizar estamovimentação e transformação, o universo precisaria se inflar edesinflar, tal qual, um pulmão faz para bombear ar. Os corposcelestes se afastariam na inflação e se aproximariam nadesinflação, pois eles seriam a carga e a bombasimultaneamente. A expansão do universo não seria eterna, poisde tempos em tempos o universo teria que se contrair causandoo refluxo dos corpos celestes. Observar as duas etapas desteprocesso seria impossível, pois o universo é gigantesco e elaspoderiam durar bilhões ou até mesmo trilhões de anos. Estanova possibilidade poderia ser chamada de “Teoria da BigPump”, pois ela presume que o mecanismo do universo semovimenta como se fosse uma grande bomba. Esta nova visãotem o mérito de conseguir justificar a expansão do universo e acomplementaridade natural simultaneamente. 70
  69. 69. Reflexões sobre temas polêmicosA radiação cósmica de fundo é um evento eletromagnético quepreenche todo o universo. Os físicos se apóiam nele parajustificar a Teoria do Big Bang, pois ele é térmico e só pode serencontrado em movimentos corporais. Entretanto, nada impedeque ele seja inerente ao mecanismo da natureza, pois nela tudose transforma eternamente. Em suma, a radiação cósmica defundo também é compatível com a nova justificativa para aexpansão do universo que foi introduzida no parágrafo anterior.Acreditar na Teoria do Big Bang é tão primitivo quantoacreditar em deuses mágicos, pois ela não consegue se integrarem uma visão sistêmica da natureza. Provavelmente, este artigoseja insuficiente para demonstrar isso, mas você pode saber umpouco mais lendo os itens “Reflexões sobre o universo 1 e 2”.26 Reflexões sobre a matériaA mídia constantemente divulga que o laboratório europeuCERN está usando um equipamento gigantesco e caríssimochamado LHC para tentar descobrir a menor partícula material.Os pesquisadores denominam esta partícula de Bóson 71
  70. 70. Jairo Alvesde Higgs ou Partícula de Deus. Eles depositam nesta descobertaa esperança de entender melhor o universo e talvez ahumanidade.O Bóson de Higgs ou Partícula de Deus não é o último segredonatural a ser desvendado, pois todos nós percebemos que amatéria não é tudo, isto é, que existe algo mais. A identificaçãodeste algo mais não concerne a Física, tampouco às religiões,mesmo que algumas pessoas pensem o contrário, pois ele éintangível, mas está inserido na realidade natural que étotalmente lógica. Este algo mais provisoriamente será chamadode pré-matéria ou insumo da matéria.A existência da pré-matéria pode ser demonstrada a partir doseguinte exercício que se baseia apenas em fatos. Lembre-se queos fatos jamais mentem.Fato: Na natureza tudo se transforma!Lembrete: Toda transformação é um evento.Conclusão: O Bóson de Higgs ou Partícula de Deus tambémé um evento natural. 72
  71. 71. Reflexões sobre temas polêmicosFato: Os eventos naturais são gerados por processosnaturais!Conclusão1: O Bóson de Higgs ou partícula de Deus tambémtem insumos, pois ele também é fruto de um processo natural.Conclusão2: A matéria-prima utilizada pelo processo naturalque gera o Bóson de Higgs ou Partícula de Deus pode serchamada de pré-matéria, pois a sua existência precede a matéria.A pior parte vem após este exercício, isto é, apresentarevidências de que a menor partícula natural também é sustentadapor um processo e identificar os insumos deste processo. Emoutras palavras, O grande desafio é identificar o agente e a pré-matéria que compõem o processo materializador do Bóson deHiggs ou Partícula de Deus. Esta tarefa é árdua, mas já foirealizada e o resultado encontra-se descrito de forma simples eminuciosa e pode ser encontrado na Teoria do Big Brain.Em suma, identificar a menor partícula material pode ser umpasso importante para a compreensão do universo, mas aidentificação da pré-matéria é a verdadeira chave para o sucessodesta empreitada, pois o Bóson de Higgs ou partícula de Deus éapenas um tijolo desta construção. 73
  72. 72. Jairo Alves27 Reflexões sobre a matéria e energia escurasMuitos cientistas acreditam que a maior parte do universo écomposta de matéria e energia escuras. Entretanto, esta crençase baseia em medições que estão sendo postas em dúvida porestudos recentes. Este assunto será retomado mais a frente, poisantes é necessário lembrar porque os cientistas criaram asexpressões “matéria e energia escuras”.Os cientistas supõem que existem dois tipos de matéria,a bariônica e a não-bariônica. A matériabariônica se compõeprincipalmente de prótons, nêutrons e elétrons, isto é, de átomos.A matéria não-bariônica não tem os átomos como base da suacomposição. Em outras palavras, os cientistas supõem que existauma matéria invisível que não se estrutura a partir átomos e adenominam “matéria não-bariônica”.Os cientistas também supõem que a densidade de energia, istoé, a quantidade de energia que dá massa ao universo tem aseguinte composição: aproximadamente 23% de matéria não-bariônica; quase 73% de energia escura; cerca de 4% dematéria bariônica. A quantidade de matéria não-bariônicacorresponderia a quase 85% da matéria no universo. 74
  73. 73. Reflexões sobre temas polêmicosOs cientistas criaram a expressão “matéria escura” porque asmedições indicavam que a velocidade dos giros e as densidadesdas galáxias eram desproporcionais. Eles supuseram que deveriahaver algum tipo de matéria que não estava sendo detectadapelas suas observações. Em outras palavras, os cientistasacharam que deveria haver uma matéria invisível adensando asgaláxias, pois a proporcionalidade entre a massa e a velocidadedos seus giros parecia incompatível.Os cientistas criaram a expressão “energia escura” porquecalcularam que a quantidade de matéria bariônica e não-bariônica do universo seria insuficiente para atingir umadensidade crítica. A densidade crítica é uma medida onde agranulação do universo é tão rarefeita que interrompe a suaexpansão. A criação da energia escura serviu também paraexplicar porque a força da gravidade não esmaga o universo, ouseja, porque o universo não colapsa. Em outras palavras, aenergia escura foi imaginada para explicar como o universoconsegue se equilibrar e expandir.A pesquisa mais extensa e precisa já realizada até hoje indicaque tudo que se supunha sobre a composição do universo pode 75
  74. 74. Jairo Alvesestar errado. Esta indicação se apóia em erros inaceitáveis quepodem ter sido produzidos pelos dados gerados nas observaçõesque embasaram as suposições acima mencionadas. A mediçãodo tamanho das ondulações da radiação de fundo residual parecenão ter sido tão rigorosa como se pensava. Este tipo de mediçãoé realizado para tentar descobrir se o universo tem algum eventoe temperatura de fundo padrão. A priori, a existência da matériae energia escuras pode ser inviável, pois o tamanho dasondulações parece ser menor do que se pensava. Provavelmente,os cientistas somente se posicionarão a favor ou contra o modelodo universo mais aceito atualmente após novas medições.Os cientistas estão tentando encontrar a matéria e a energiaescuras através de medições porque crêem que elas se compõemde partículas invisíveis. Entretanto, Os fatos demonstram queisso é impossível, pois toda partícula possui um corpo e oscorpos precisam de formas para se materializar. Em outraspalavras, a matéria não pode ser invisível, pois não existematéria sem corpo e corpo sem forma. Imaginar o contráriosignifica contrariar os fatos e as leis da natureza ao mesmotempo. Portanto, com base nos fatos é possível afirmar semmedo de errar que: “matéria ou energia que sejam compostas de 76
  75. 75. Reflexões sobre temas polêmicospartículas invisíveis (intangíveis) são ficção”. Entretanto, nadaimpede que exista algo invisível, que não seja partícula, mas quepossa equilibrar e expandir o universo. Contudo, estudar esse“algo” não seria competência de nenhuma das ciências atuais oureligiões.Certamente deve haver explicações lógicas para questões taiscomo: Por que o universo não colapsa? Por que o universo estáem expansão? Por que o universo parece caótico? Entretanto,chegar até elas a partir de eventos ou situações pontuais é muitodifícil, pois muitas das variáveis a serem analisadas acabamsendo ignoradas ou desprezadas. A maneira mais confiável eeficaz para explicar as questões acima e a muitas outras épartindo-se de uma visão sistêmica do universo. Isso pareceimpossível, mas já existe uma teoria que comprova ocontrário. Para saber mais sobre esta visão surpreendente douniverso leia também os itens “Reflexões sobre o universo 1 e2”. 77
  76. 76. Jairo Alves28 Reflexões sobre o Boson de HiggsRecentemente, os pesquisadores do laboratório Europeu CERNnoticiaram que podem ter descoberto o bóson de Higgs ou apartícula de Deus. Os nomes Bóson de Higgs ou partícula deDeus designam uma partícula subatômica imaginária a partir daqual todas as coisas seriam constituídas.Os cientistas esperam que a identificação do bóson de Higgslhes possibilite entender a estrutura básica da matéria e a criaçãodo universo. A intenção é boa, mas nada impede que eles secontentem com uma meia verdade e que continuem a nosimpingir uma visão mecanicista e acidental do universo. Paraescapar desta armadilha eles teem os seguintes desafios:Demonstrar que todas as estruturas materiais podem serreduzidas a uma única partícula. Este procedimento serve paraminimizar a possibilidade de que a partícula errada seja vistacomo bóson de Higgs.Demonstrar que esta partícula sozinha consegue estruturar atodos os átomos da tabela de elementos químicos e provir as 78
  77. 77. Reflexões sobre temas polêmicossuas respectivas qualidades. Somente esta contraprovaconseguiria realmente demonstrar que absolutamente tudo seestrutura a partir de uma única partícula.Demonstrar que esta partícula consegue se materializar sozinha.Esta demonstração é essencial para demonstrar que estapartícula é a mãe de todas as entidades físicas e não apenas maisuma filha como as demais.Estas três demonstrações poderiam convencer a quase todomundo da existência e das qualidades do bóson de Higgs .Entretanto, elas seriam insuficientes para explicar a criação douniverso. Para realizar esta proeza seria necessário identificar aprocedência das leis da natureza, pois as relações causais queestruturam o universo do micro ao macrocosmo e a base detodas as ciências são implementadas através delas para servir auma fonte que precisa ser mais bem identificada.As notícias mostram que os pesquisadores ainda estão tentandocumprir o primeiro desafio, isto é, eles ainda estão tentandoreduzir todas as entidades materiais a uma mesma partícula. Osegundo desafio, isto é, demonstrar que todos os elementosquímicos e as suas respectivas propriedades teem a mesma 79
  78. 78. Jairo Alvespartícula como base será muito mais difícil para eles realizarem.O terceiro desafio poderá inviabilizar que a partícula pesquisadatenha o poder que eles acreditam. Mesmo se o dois desafiosanteriores tiverem sido vencidos. Este caminho é muito árduo,mas é fundamental para evitar que os cientistas nos vendam gatopor lebre.A intenção deste artigo não é mostrar a impossibilidade de quehaja uma partícula na base de todas as entidades materiais, masalertar para que a capacidade de materialização não sejaatribuída à entidade errada. Será que a capacidade dematerialização pode ser atribuída a alguma entidade? Será queesta entidade conseguiria suportar as possibilidades existenciaisreferentes aos átomos de todos os elementos químicos e de suasrespectivas propriedades? Será possível criar uma visão holísticado universo com base nesta entidade? A resposta é sim, maspara conhecê-la e saber como ela consegue fazer isto é precisoenxergar a natureza e o universo por um ângulo bem específico.Para saber um pouco mais desta nova visão leia os artigos “Oque somos nós? Resposta pragmática” e “Reflexões sobre ouniverso 1 e 2”. Lembre-se que é abrindo a mente para novaspossibilidades que se evolui. 80
  79. 79. Reflexões sobre temas polêmicos29 Reflexões sobre a essência da realidade naturalA palavra essência geralmente é utilizada para designar a parteprincipal de algo, mas aqui ela designará o insumo a partir doqual se supõe que sejam materializadas todas as coisas naturaisdo universo. Será que essa essência realmente existe? Seriapossível identificá-la?Os místicos chamam a essência humana de alma, mas não aestendem para todas as entidades naturais. Os físicos tentamdemonstrar que a essência da realidade natural é uma partículaínfima, que eles denominam de bóson de Higgs ou partícula deDeus, pois eles teem uma visão mecanicista do universo.Os fatos demonstram que o tempo é a essência da realidadenatural. A priori esta idéia pode parecer estranha, mas seanalisarmos os fatos um pouco mais profundamente veremosque ela é totalmente coerente. Na famosa frase de Lavoisier:“Na natureza nada se cria, nada se perde tudo se transforma!”está a pista de que o tempo é o único insumo para a construçãoda realidade natural. 81
  80. 80. Jairo AlvesA transformação compulsória da qual nada do universoconsegue escapar é a principal evidência que o tempo é aessência de todas as coisas naturais. Ela é uma prova inequívocade que “nada é eterno”, isto é, de que “tudo na natureza éevento”, ou seja, que todas as entidades naturais sãomovimentos temporais. Em outras palavras, a transformação éuma evidência de que todas as entidades naturais são feitassomente de tempo.O tempo é a única entidade que teoricamente poderia criareventos, pois pai de peixe também tem que ser peixe.Evidentemente, isso significa que o tempo é uma força, pois éempírico que todos os eventos são gerados por meio de ações ereações. Em outras palavras, o tempo é a força que se faznecessária para a geração de qualquer evento.Em suma, o tempo é a essência de todas as coisas do universo,isso é, "nada é eterno, pois tudo é evento, ou seja, tudo étempo". Se você ainda duvida disso, preste atenção nos verbos,pois todos eles descrevem movimentos ou estados temporais.Este texto é muito resumido para apresentar todas as evidênciasde que o tempo é a essência de tudo, pois para se chegar a esta 82

×