Jairo AlvesSumário1   Introdução................................................32   Evidências Existenciais.................
A Essência Universal1 IntroduçãoA intenção desta obra é chamar a atenção para um fato queparece bastante óbvio, mas que ce...
Jairo Alves2 Evidências ExistenciaisA finalidade deste tópico é apresentar fatos que corroborem comafirmação de que todas ...
A Essência Universalsai pó. Este sentimento é uma percepção coletiva que no fundonos informa que todas as coisas possuem a...
Jairo Alvesconduz a possibilidade de que todas as coisas sejam feitas damesma entidade. Uma prova disto é a construção de ...
A Essência Universalse em formas materiais. Segundamente, ela também teria que serviva, consciente, inteligente, autônoma ...
Jairo Alves“Essência Universal” de “pré-matéria”. Esta conclusão nospossibilita concluir e afirmar que o Bóson de Higgs ou...
A Essência Universaltransformam porque são eventos, nós seremos obrigados aconcluir que a “Essência Universal é uma força....
Jairo Alvesfenômenos ou acontecimentos sempre designam entidadestemporais. O tempo é a única entidade capaz de produzirmov...
A Essência Universalcomo ciência, pois a probabilidade de ocorrência casual de umevento desta magnitude é igual a zero.Em ...
Jairo Alvesnós tentamos responder esta pergunta, nós conseguimosdescobrir apenas as três categorias de fatos a nossa histó...
A Essência Universalprópria que constitui tudo mais no universo. Em outras palavras,o tempo também é a nossa essência, ist...
Jairo Alvesautonomia para dobrar-se sozinho em todas as esculturas físicas,químicas    e   biológicas     que     constitu...
A incrível essência universal - eBook grátis
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A incrível essência universal - eBook grátis

752 visualizações

Publicada em

Este ebook revela o principal segredo da natureza.

  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

A incrível essência universal - eBook grátis

  1. 1. Jairo AlvesSumário1 Introdução................................................32 Evidências Existenciais............................43 Pré-requisitos Existenciais.......................64 Identificação da Essência Universal........85 A Essência Vital.....................................116 Considerações Finais..............................13 2
  2. 2. A Essência Universal1 IntroduçãoA intenção desta obra é chamar a atenção para um fato queparece bastante óbvio, mas que certamente passa despercebidopara muita gente. Este fato é o nome desta obra, ou seja, “AEssência Universal”. Como o próprio nome sugere, “A EssênciaUniversal” é o único insumo que existe na natureza. Em outraspalavras, todas as coisas que existem no universo do micro aomacrocosmo são constituídas desta essência. Para ser maisespecífico, esta obra pretende mostrar porque o seu autorconcluiu que todas as formas materiais existentes, da menorpartícula até as galáxias, são feitas de uma única entidade, ouseja, que existe uma “Essência Universal”. Para mostrar acoerência desta suposição, que para o autor é uma certeza, seráadotado o seguinte procedimento: Primeiramente,apresentaremos evidências da existência desta “EssênciaUniversal”. Posteriormente, listaremos os seus pré-requisitosexistenciais. Em seguida, identificaremos de maneira clara einequívoca a ”Essência Universal”, para mostrar que ela já éuma velha conhecida nossa. Por último, mostraremos mais umafaceta desta essência que é imprescindível para o funcionamentodo universo. Sem mais delongas, vejamos quais são os fatos quesuportam a existência desta essência universal. 3
  3. 3. Jairo Alves2 Evidências ExistenciaisA finalidade deste tópico é apresentar fatos que corroborem comafirmação de que todas as coisas do universo são constituídaspor uma única entidade, isto é, revelar porque todas as coisas douniverso possuem uma mesma essência.O primeiro fato que nos permite inferir a existência de umaessência universal é o conhecimento subliminar que nósassimilamos por causa da necessidade de comer e dainevitabilidade da morte. A necessidade de comer e a morte nosinduzem a certeza de que nós somos “processadores”, “saída” eaté “entrada” em um imenso sistema. Nós somos“processadores” porque processamos substâncias captadas doambiente, grande parte delas é resíduo cósmico que já foiprocessado por outros organismos. Nós também somos “saída”porque expelimos para o ambiente gases, fluídos, excrementos eaté o nosso corpo por ocasião da nossa morte. É importantenotar que as nossas “saídas” são “entradas” do ponto de vista domeio ambiente. Esta relação de interdependência sistêmica nosinduz o sentimento de que somos feitos de pó e que ao póretornaremos, ou seja, que nós somos sistemas onde entra pó e 4
  4. 4. A Essência Universalsai pó. Este sentimento é uma percepção coletiva que no fundonos informa que todas as coisas possuem a mesma essência.O segundo fato que suporta a existência de uma essênciauniversal está na organização natural. A organização douniverso é incontestável, pois todos os seus componentes domicro ao macrocosmo são complementares. Não vale dizer queo funcionamento do universo é caótico, pois esta visão pode serapenas fruto do nosso estágio de desenvolvimento cultural. Emoutras palavras, até termos provas reais do contrário, nóspodemos afirmar no máximo que o funcionamento domecanismo do universo é desconhecido. As ciências podem nomáximo dizer que a única magia realmente comprovada é que ouniverso do micro ao macrocosmo está integralmenteestruturado em conformidade com as leis da natureza. Estaestruturação é uma evidência que possibilita confirmar aexistência de uma essência universal, pois é fato que adecomposição estrutural das formas materiais e a redução dadiversidade existencial caminham juntas. Em outras palavras,quanto mais fundo mergulharmos no microcosmo, menospossibilidades existenciais serão encontradas, ou seja, quantomenor for a partícula observada menos componentes ela conterá.A Física admite tacitamente que a estruturação do universo 5
  5. 5. Jairo Alvesconduz a possibilidade de que todas as coisas sejam feitas damesma entidade. Uma prova disto é a construção de umacelerador de partículas com quase 30 kms de extensão noCERN na Europa, pois ele tem a finalidade de localizar a menorporção de matéria que existe, o Bóson de Higgs ou a Partículade Deus.Como se vê, na prática não há conflito entre a percepçãocoletiva e a visão científica, pois ambas conduzem ao mesmoponto, portanto só falta levantar quais são os pontos relevantespara que uma essência possa ser considerada universal.3 Pré-requisitos ExistenciaisEste tópico vai apresentar alguns fatos que embasam a certezade que todas as coisas do universo são constituídas por umaúnica entidade. Para obtê-los vamos começar tentando imaginarquais seriam as propriedades necessárias para que uma entidadeconseguisse se transformar em todas as coisas do universo.Primeiramente, esta entidade deveria ser capaz de transformar- 6
  6. 6. A Essência Universalse em formas materiais. Segundamente, ela também teria que serviva, consciente, inteligente, autônoma e sensível. Em outraspalavras, esta entidade deveria ser capaz de suportar corpos epossuir vontade própria.Esta essência universal não poderia ser material. Esta restrição étão importante quanto as propriedades acima. Há dois motivospara isto: Primeiro motivo, porque é fato que a capacidadeintervencionista de uma forma depende do seu estágio evolutivo.Em outras palavras, é sabido que quanto mais simplória a formamenor é a sua capacidade de interferir no meio ambiente.Exemplo: Um átomo não tem o nosso poder de transformar oambiente, pois a sua estrutura não lhe permite pensar e mobilizaroutras forças como nós fazemos; Segundo motivo, uma essênciauniversal não pode ser decomposta em nada mais, pois aexistência de qualquer entidade que seja passível dedecomposição está condicionada a existência de outra entidade,portanto ela não possui autonomia para se transformar sozinhaem todas as coisas materiais do universo.Em suma, qualquer entidade candidata a essência universal deveter vontade própria e ser imaterial, mas com capacidade para sematerializar. Com base nisto, provisoriamente chamaremos a 7
  7. 7. Jairo Alves“Essência Universal” de “pré-matéria”. Esta conclusão nospossibilita concluir e afirmar que o Bóson de Higgs ou aPartícula de Deus não é uma essência universal, pois por menorque este seja ele sempre será matéria. Agora que já dispomosdas regras básicas para a identificação da “Essência Universal”,vejamos qual é a única entidade que as satisfaz integralmente.4 Identificação da Essência UniversalAgora veremos qual é a única entidade que se enquadra no perfilque foi traçado para a “Essência Universal”. Para isto vamosrecorrer a uma premissa incontestável que pode ser encontradana seguinte célebre frase de Lavoisier: “Na natureza nada secria, nada se perde, tudo se transforma!” Esta premissa é atransformação compulsória que a natureza impõe a todos os seusfilhos. Ela é uma evidência de que todas as coisas são efêmeras.Em outras palavras, a transformação, a morte ou o término detodas as coisas do micro ao macrocosmo é o ponto de partidapara a identificação de uma entidade que possa ser uma essênciauniversal. Se partirmos da premissa que todas as coisas se 8
  8. 8. A Essência Universaltransformam porque são eventos, nós seremos obrigados aconcluir que a “Essência Universal é uma força. Para verificar averacidade desta conclusão, primeiramente é necessário explicarmais claramente o que é um evento. Para ficarmos mais próximopossível das ciências, podemos dizer que todo evento é umfenômeno, fato ou acontecimento que é produzido pela ação ereação de um conjunto de forças. Em outras palavras, a força é aúnica entidade habilitada para materializar a realidade. Istosignifica que a força tem que ser imaterial, possuir vontadeprópria e materializável, pois estes são os pré-requisitosexistenciais para qualquer entidade que seja candidata a“Essência Universal”.A única força com as propriedades necessárias para serenquadrada como “Essência Universal” é o tempo. Estaafirmação pode parecer estranha, pois nós estamos acostumadosa enxergar o tempo apenas como um tapete onde ocorrem todosos eventos ou como uma unidade referencial para medir-se aduração de eventos e não como uma força viva. Entretanto,antes de tudo é importante perceber que todo evento é ummovimento temporal. A expressão “movimento é temporal” éuma redundância que foi intencionalmente empregada paradestacar o papel do tempo na realidade, pois os termos fatos, 9
  9. 9. Jairo Alvesfenômenos ou acontecimentos sempre designam entidadestemporais. O tempo é a única entidade capaz de produzirmovimentos temporais, pois é incontestável que: “filho de peixe,peixinho é”. O tempo é a única entidade que consegue seconverter em todas as coisas, porque além de imaterial eletambém é consegue se materializar através de eventos. Aindatemos uma pendência, isto é, como se provar que o tempotambém possui vontade própria? Para conseguir isto, serianecessário explicar toda a estrutura e o funcionamento danatureza. Isto não será feito nesta obra. Entretanto, vamosmostrar outra maneira que também permite enxergar a coerênciada nossa proposição. Para isto consideremos a seguinteexpressão que é muito trivial: “Deixe o tempo resolver isto”. Elareflete a nossa percepção subliminar de que as coisas sãonaturalmente conduzidas pela vontade do tempo. Caso estapercepção seja insuficiente como evidência, convém notar que ouniverso é o maior evento que existe e que o seu movimentotemporal conhecido por evolução, só pode ser justificado, se forconduzida por uma vontade. Em outras palavras, a organização eo funcionamento universo são tão complexos, que não creditá-los a uma vontade é o mesmo que se desprezar a estatística 10
  10. 10. A Essência Universalcomo ciência, pois a probabilidade de ocorrência casual de umevento desta magnitude é igual a zero.Em Suma, apesar da deficiência argumental acima, excetuando-se o tempo não há nenhuma outra entidade que tenha asqualificações necessárias para pleitear a função de “EssênciaUniversal”. Esta capacidade será reforçada no próximo tópicopor meio de uma argumentação que é bem mais accessível atodos.5 A Essência VitalNeste tópico veremos porque o tempo também pode serconsiderado a nossa “Essência Vital”. Para conseguir mostraristo, precisaremos recordar os seguintes conceitos, que forampassados anteriormente: O primeiro conceito é que todas ascoisas são eventos, pois todas elas são efêmeras, inclusive osseres humanos. O segundo conceito é que todos os eventos sãomovimentos temporais realizados por uma força que conseguese transformar em qualquer coisa. Agora precisamos analisarcomo respondemos a seguinte pergunta: O que sou? Sempre que 11
  11. 11. Jairo Alvesnós tentamos responder esta pergunta, nós conseguimosdescobrir apenas as três categorias de fatos a nossa história, osnossos sentidos e o nosso poder de gerar e sentir eventos. Estastrês categorias de fatos podem ser relacionadas aos doisconceitos acima da seguinte maneira: a) Toda história é uma cadeia de eventos interdependentes, portanto toda história é suportada por uma força. b) Como nós somos movidos por sentimentos, eles são evidências da vontade intrínseca a nossa essência ou força vital. c) O nosso poder é fruto de uma força, pois nós também somos filhos da natureza e esta é a única possibilidade existente para gerar e sentir eventos. A força somente é capaz de gerar e sentir eventos porque tem vontade intrínseca.Partindo da premissa que inclusive nós somos eventos, nóstambém somos obrigados a admitir a possibilidade de que anossa essência vital seja a mesma força dotada de vontade 12
  12. 12. A Essência Universalprópria que constitui tudo mais no universo. Em outras palavras,o tempo também é a nossa essência, isto é, o tempo é a essênciavital humana. Para tornar esta possibilidade mais fácil de aceitarpodemos acrescentar ainda o seguinte argumento: A gentesomente consegue falar sobre eventos, porque os verbos podemapenas as ações dos eventos e descrever situações, isto é, fatostemporais, ou seja, eventos.Com base em tudo que foi visto já é possível apresentar umavisão panorâmica da realidade onde o tempo é o único agente. Opróximo tópico empregará uma analogia bem simples parafacilitar a compreensão desta visão.6 Considerações FinaisPara facilitar a compreensão das idéias aqui apresentadas emostrar a viabilidade de que o tempo seja uma essênciauniversal, nós podemos ver o universo como um imenso origamimultidimensional. O termo “Origami” é de origem japonesa eserve para designar esculturas feitas por meio de dobradura depapel. Nesta analogia o tempo é o único papel que existe com 13
  13. 13. Jairo Alvesautonomia para dobrar-se sozinho em todas as esculturas físicas,químicas e biológicas que constituem o universo.Evidentemente, isto significa que só é possível ter uma visãoholística do universo, se soubermos em detalhes como o tempofaz para se transformar em todas as coisas. Para descobrir isto, oautor desta obra por mais de 35 anos, aplicou os seusconhecimentos na área de sistemas de processamento de dados ede telecomunicações para entender a engenharia da natureza.Este estudo produziu “A Teoria do Big Brain”. Esta é a primeirae única obra que consegue explicar de forma contemporânea etotalmente estruturada todo o universo. Para saber mais visite osite www.ateoriadobigbrain.blogspot.com. “Nada é eterno, tudo é evento, tudo é tempo” Jairo Alves http://sites.google.com/site/jairoalvesbigbrain/ 14

×