3. inspiração (hermínio correa, marcos oliveira júnior e roger menezes)

2.134 visualizações

Publicada em

Publicada em: Espiritual, Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.134
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
920
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
64
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3. inspiração (hermínio correa, marcos oliveira júnior e roger menezes)

  1. 1. Hermínio Correa, Marcos Oliveira Júnior<br /> e Roger Menezes<br />
  2. 2.
  3. 3. Como a Bíblia chegou até nós?<br />Posso confiar que a Bíblia é <br />a palavra de Deus?<br />O que é e qual a importância da inspiração?<br />
  4. 4. Daniel Rops no livro Que é a Bíblia?, página 40 define inspiração como sendo a operação divina que toma conta do autor sagrado, esclarecendo-o, guiando-o, assistindo-o na execução do seu trabalho. <br />
  5. 5. Etmologia da palavra<br />Também é uma palavra latina, derivada do verbo inspiro, que quer dizer "soprar para dentro". <br />
  6. 6. O que é Inspiração?<br />Inspiração é o processo pelo qual os escritores humanos, sob a supervisão e assistência do Espírito Santo, colocaram em forma escrita o que Deus lhes revelara.<br />A inspiração completa o processo da revelação.<br />Deus operou na mente dos escritores bíblicos a fim de estabelecer uma conexão entre o que Ele havia revelado e o que foi escrito por eles.<br />
  7. 7. O que é Inspiração?<br />A escrita foi uma ponte entre a revelação e a inspiração.<br />O Espírito Santo atuou no homem influenciando o produto escrito<br />
  8. 8.
  9. 9. A necessidade da Inspiração:<br />A ecessidade da inspiração:<br />Se a revelação fosse o fim do processo, seríamos forçados a questionar a confiabilidade das Escrituras, pois não haveria garantia de que as escrituras descrevessem com precisão os pensamentos e a vontade divina.<br />
  10. 10. O papel essencial da inspiração<br />Sem a inspiração o conteúdo da revelação seria perdido na sua essência no processo de transmissão. <br />
  11. 11. A revelação alcança uma pessoa, enquanto a inspiração abrange várias pessoas, possibilitando a estas ter acesso ao conteúdo da revelação.<br />O Espírito Santo acompanhou diretamente os escritores na produção escrita da Bíblia<br />
  12. 12. O lócus da Inspiração<br />O lócus da inspiração, ou seja, o local em que ela acontece, é na mente dos profetas.<br />1º O escritores eram o “lugar” onde o ato da inspiração ocorria.<br />2º A mente dos escritores era o agente que de fato estava no controle da produção escrita das Escrituras.<br />
  13. 13. Perigo dos Extremos<br />A visão clássica e evangélica fazem do texto final o próprio lócus da inspiração, ignoram o agente humano<br />A visão moderna, em contraste, nega por completo a intervenção divina no processo da escrita – para eles a bíblia é um produto meramente humano.<br />
  14. 14. As Contribuições Humanas<br />
  15. 15. 1ª Modo lingüístico <br /> As Escrituras foram registradas em linguagem humana, portanto tem todas as suas características e limitações. <br />Deus atuou no processo da elaboração da escrita para que os seus pensamentos divinos fossem registrados. <br />
  16. 16. 2ª A Composição do Livro <br />os escritores humanos são os responsáveis pela composição literária dos livros bíblicos. Deus ordenou que seus servos simplesmente escrevessem o que Ele já tinha revelado.<br />Eles puderam planejar e organizar o conteúdo da revelação, aplicando seus talentos literários dentro da suas individualidades, para que a mensagem fosse a mais apropriada para atingir seus destinatários.<br />
  17. 17. 3ª As Palavras<br />Deus se comunicou (revelação) com os autores bíblicos de maneira sobrenatural (sonhos, visões), mas também de maneira natural (eventos históricos). <br />Os profetas por sua vez, se comunicavam apenas com palavras (inspiração). <br />
  18. 18. A contribuição dos profetas foi também comunicar as verdades da revelação através de palavras que expressavam sua capacidade lingüística e mentais (Ex 4:15-16) <br />As palavras dos profetas porém não expressavam seus pontos de vista, mas os de Deus. <br />
  19. 19. 4ª Formas Literárias <br />No processo da escrita, os autores bíblicos expressaram diferentes formas e estilos literários: códigos de leis, contratos legais, alianças, enigmas, decretos reais, salmos, orações, parábolas, figuras e literatura apocalíptica. <br />
  20. 20. 5ª Trabalho Editorial <br />Os profetas e apóstolos editam os seus trabalhos. (Jr 25:1-5 ; 36:2,4,23,28,32 – Exemplo de Jeremias – teve que reescrever o conteúdo da revelação, e neste processo teve que recorrer a sua memória, portanto algumas partes da segunda cópia não eram exatamente iguais a primeira. <br />
  21. 21. 6ª Fontes Literárias <br />Fontes Literárias: fornecem as palavras adequadas que auxiliam o escritor a expressar o que Deus revelou por outros meios (João cap. 1 – o apóstolo se apropria de pensamentos literários correntes em sua época para aplicar ao conceito e significado a pessoa de Cristo – “Logos”)<br />
  22. 22. As Contribuições Divinas<br />
  23. 23. 1 – Permitiu que o homem escreva de maneira criativa<br />2 - O Espírito Santo dirigiu o processo da seleção das fontes, e estes por sua vez, expressaram sua criatividade ao escreverem o conteúdo da revelação. <br />
  24. 24. 3 – Deus supervisionou o processo da inspiração. <br />4 – Deus atuou corrigindo e aprimorando <br />
  25. 25. Deus atuava na mente dos profetas para que eles tivessem discernimento na escolha das fontes (Ef 3:3-4). As fontes necessitavam ser filtradas a luz da revelação anterior – elas não poderiam entrar em contradição com o que fora anteriormente apresentado na revelação.<br />
  26. 26. Pensamentos e Palavras<br />
  27. 27. Os escritores bíblicos estavam a frente do processo de escrever os livros, mas não do processo pelo qual Deus lhes revelou os seus pensamentos. <br />O pensamento é estruturado através das palavras. As palavras é que tornam possível a conexão de idéias, o que por sua vez estabelece a razão.<br />
  28. 28. Por meio da inspiração Deus alcançou as palavras da Bíblia. Ele as supervisionou (não as ditou – isso leva ao perigo da inspiração verbal, ou seja, Deus ditou todas as palavras da bíblia)<br />De alguma forma, os pensamentos eram colocados em palavras. Este foi um processo racional. <br />
  29. 29. O escritor bíblico articula os pensamentos que recebeu de Deus, e as palavras dão forma a esses pensamentos. <br />
  30. 30. O principal é que o pensamento divino permeou o pensamento humano em todos os padrões. <br />
  31. 31. A declaração de que a Escritura é inspirada por Deus é feita de várias formas. No novo Testamento encontramos referências aos profetas do Velho Testamento, como as seguintes: "Homens que falaram da parte de Deus" e "que foram movidos pelo Espírito Santo", "o Espírito de Cristo que estava neles testificou". <br />
  32. 32. O salmista Davi afirma em II Sam. 23:2:<br />"O Espírito do Senhor fala por meu intermédio". <br />
  33. 33. Pedro e João são escritores simples, usando um vocabulário reduzido. Paulo e Lucas são escritores cultos, usando linguagem rica, primorosa e repleta de figuras literárias. <br />
  34. 34. Pela revista "Review and Herald", do dia 18 de outubro de 1887 Urias Smith respondeu à seguinte pergunta: <br />
  35. 35. "Não é uma palavra o sinal de uma idéia? E como pode então uma idéia ser inspirada e os sinais que transferem a idéia de uma mente para outra não ter inspiração?" Sua resposta: "Se houvesse apenas uma palavra para expressar uma idéia, talvez isso pudesse ser assim; mas quando há talvez uma centena de modos para expressar a mesma idéia, o caso se torna muito diferente. Naturalmente se o Espírito Santo ditasse as palavras para uma pessoa escrever, ela seria obrigada a usar aquelas mesmas palavras sem mudança alguma; mas quando uma simples cena ou vista é apresentada à pessoa e nenhuma linguagem é dada, ela terá a liberdade de descrevê-la com suas próprias palavras, como melhor lhe parece expressar a verdade do caso. E se havendo já escrito, uma melhor maneira de expressar lhe ocorre, é perfeitamente lícito riscar o que já escreveu, para tornar a escrever, conservando estritamente as idéias e os fatos que lhe foram apresentados. E na segunda versão haveria, tanto como na primeira, a mesma ideia divinamente comunicada. <br />
  36. 36. Muito do que os profetas escreveram nas Escrituras são palavras faladas diretamente pelo Senhor e não são as suas próprias. Em tais casos, naturalmente, as palavras são inspiradas. <br />
  37. 37. Conclusão:<br />1. A atuação do Espírito Santo ao dirigir a inspiração e a preservação da Bíblia garante confiabilidade as Escrituras.<br />
  38. 38. CONCLUSÃO<br />2. Através da Inspiração podemos ter a segurança de que a Bíblia é realmente a Palavra de Deus! <br />

×