OXI - A PEDRA MORTÍFERA!

4.373 visualizações

Publicada em

OXI - A PEDRA MORTÍFERA!

  • Seja o primeiro a comentar

OXI - A PEDRA MORTÍFERA!

  1. 1. OXI<br />A Pedra Mortífera!<br />Diga “não” ás drogas!<br />Jesus Te Ama!<br />JUNIOR OMNI<br />“OXI – DROGA DEVASTADORA”<br />Oxi é um tipo de droga de abuso altamente viciante derivada da cocaína. Trata-se de uma mistura de base livre de cocaína e combustível, como por exemplo o querosene, gasolina, diesel, etc, com cal ou permanganato de potássio. O nome é uma abreviação de oxidado.[1]Sua potência é avaliada em 5 vezes maior que o crack.[2]<br />Surgiu no Brasil quando entrou pelo Acre, vinda da Bolívia e Peru.[1]De janeiro a maio de 2011, a polícia de São Paulo já apreendeu cerca de 60 kg da droga na região da cracolândia.[3] Na zona sul de São Paulo foi apreendido o primeiro tijolo da droga.[4]<br />Padrões de uso<br />A droga é fumada assim como o crack. Utiliza-se cachimbo ou lata de alumínio perfurada que queima as pedras.[1]Em alguns casos é utilizado triturado, incluido com cigarros de tabaco ou maconha, ou ainda, em pó, onde é sugado pelo nariz.[5]<br />Efeitos<br />Euforia<br />Sentimento de medo<br />Paranóia<br />Sentimento de perseguição<br />Popularização e reações<br />A droga está se tornando popular por causa que o oxi pode estimular o dobro da euforia que a cocaína causa.Também é por causa que ela é mais barata que o crack, sendo comercializada a dois reais.[6]<br />Além disso, as reações são muito fortes, por causa dos componentes químicos.Ela causa vômitos, diarréias, aparecimento de lesões precoces no sistema nervoso central e a degeneração das funções hepáticas.[6]<br />Referências<br />↑ a b c O Globo. Derivado de cocaína e mais letal que o crack, oxi destroi jovens e crianças no Acre. Acesso em 18 de abril de 2011<br />↑ Impacto. Oxi a nova droga. Acesso em 18 de abril de 2011<br />↑ Agora. Polícia apreende 60 kg de oxi na capital. Acesso em 6 de maio de 2011<br />↑ O Globo. Polícia apreende primeiro tijolo de oxi na zona sul de São Paulo. Acesso em 6 de maio de 2011<br />↑ Narco News. Oxi: a nova droga na fronteira amazônica. Acesso em 18 de abril de 2011<br />↑ a b Oxi, uma nova e devastadora droga se espalha pelo país. Veja (06 de maio de 2011). Página visitada em 07 de maio de 2011.<br />Ligações externas<br />Oxi - A nova droga. Conexão Repórter SBT<br />Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre<br />O X I<br />“...Agora o<br />‘Crack’ Já não <br />Faz sucesso<br />Pois chegou<br />O ‘OXI’<br />Trazendo as <br />“Boas novas”<br />Ele veio<br />Por o cérebro<br />Ao avesso<br />E levar <br />Milhares pra <br />Dentro da cova...”.<br />Diga “não” ás drogas!<br />Jesus Te Ama!<br />O X I – 2 <br />...O “OXI”<br />Já cruzou <br />Nossas fronteiras<br />E agora<br />Rouba o<br />Nosso oxigênio<br />Quem nunca <br />Usou, não faça <br />Tal besteira<br />A aranha<br />Prende as moscas <br />Em sua teia<br />E as devora<br />Pois este é<br />O seu <br />Grande engenho...<br />Diga “não” ás drogas!<br />Jesus Te Ama!<br />Escravo do “OXI”<br />Eu sou um OXIDEPENDENTE!<br />Eu vivo na OXILÂNDIA!<br />Eu tenho o OXI em minha mente!<br />Estou longe da Disneylândia!<br />O X I – 3 <br />...A morte <br />Agora corre<br />Pelas ruas<br />Das cidades<br />E o “OXI” <br />Espalha a <br />Grande mortandade <br />Meninos e <br />Meninas, Jovens <br />De toda idade<br />Estão sumindo<br />Deixando a dor <br />E a saudade...<br /> <br />Diga “não” ás drogas!<br />Jesus Te Ama!<br />O X I – 4 <br />...Um novo produto<br />Agora entra<br />No mercado<br />E a sua <br />Oferta é<br />Muito tentadora<br />O “OXI”<br />Chegou e <br />Vem deixando<br />O seu recado:<br />_Eu sou <br />A “DROGA” <br />Mais “DEVASTADORA”...<br />Diga “não” ás drogas!<br />Jesus Te Ama!<br />CONEXÃO REPORTER<br />Roberto Cabrini<br />Oxi - A Nova Droga<br />+ Assista ao programa na íntegra<br />left0Uma nova droga. Uma ameaça aos brasileiros que provoca alucinações e paranóia. Cria dependência com rapidez e poder de destruição jamais vistos. Uma droga que não para de entrar em nosso país. Que ameaça é essa? O Oxi ainda é pouco falado. Praticamente desconhecido pela maioria das pessoas. A primeira vista inofensivo, logo mostra sua verdadeira face e seus efeitos são devastadores. Age no organismo em poucos segundos. Debilita, enfraquece e é capaz de levar o usuário a cometer ações impensáveis.De onde ele vem? Do que é composto? Como é processado? Quem produz? Quem são os traficantes? Qual é o mapa do Oxi? Em busca de respostas, desembarcamos em um dos estados mais distantes do Brasil: o Acre, uma das principais fronteiras abertas do território brasileiro. Nossa equipe fica diante de uma realidade assustadora. Encontramos histórias de jovens, mulheres e inocentes vítimas da nova droga. Durante duas semanas, nos infiltramos pelas noites de Rio Branco, no Acre. Um a um começamos a revelar os efeitos dessa nova droga. Vítimas dominadas pelo Oxi a espera de socorro. Quase todos muito jovens, os prisioneiros do Oxi andam sem rumo.<br />Nem de longe lembram os seres humanos que eram. A droga afasta os usuários de tudo: família, amigos, dignidade, auto-estima. Muitos não conseguem sequer manter uma conversa. Encontramos uma mulher drogada circulando pela cidade. Ela é abordada por um carro, se oferece e diz que não é garota de programa, apenas se prostitui para manter o vício. Nesta cidade não é difícil encontrar os becos onde a droga é vendida. Em nossa investigação descobrimos que um dos principais pontos está bem perto de uma movimentada avenida. É na comunidade de casas improvisadas conhecida como" favela do Papouco".right0Nossas imagens não deixam dúvidas. Neste local o entra e sai é constante. Todos sabem e conhecem o beco da droga. Tudo acontece a poucos metros de uma das principais instituições que deveriam combater esse comércio clandestino e ilegal. Com uma micro-câmera e com o conhecimento do Ministério Público registramos como é fácil chegar até os traficantes. Qualquer pessoa tem livre acesso. Para documentar como acontecem as vendas de Oxi, nosso produtor se passa por um viciado. Seguimos pela rua que leva até a favela do Papouco. Metros a frente, somos abordados por um usuário, que para manter o vício leva fregueses aos traficantes. Ele quer saber o que procuramos. Pergunta se o interesse é comprar ´poeira´, na linguagem dos usuários: cocaína. Acompanhamos o rapaz que prometeu comprar o "Oxi". Nos momentos de lucidez quer se libertar da clausura do Oxi, mas não reluta em levar o cliente ao traficante. Como recompensa, costuma exigir  algumas pedras para seu próprio consumo. Em uma Viela, somos abordados por uma traficante. Nas mãos, carrega uma pedra com aproximadamente duzentos gramas de "Oxi". A traficante senta e começa a quebrar a pedra em pedaços. A angústia do viciado aumenta. Inquietação, inpaciência, desejo  incontrolável de ter a droga. A traficante entrega as cinco pedras de ´Oxi´ em um pedaço de plástico branco. Quem a recebe é o rapaz que faz a intermediação da compra. Como faz com todos os clientes, retira uma parte  e entrega o restante da droga. <br />Rapidamente deixamos o local. O rapaz reclama da qualidade da pedra. Obedecendo orientação do Ministério Público, todas as pedras de Oxi, cuja compra registramos, são imediatamente descartadas. Nesse caso despejadas em um vaso sanitário. Voltamos à entrada da favela do Papouco. Ali, encontramos outros viciados. As imagens são  gravadas com uma câmera escondida e são escuras porque há pouca iluminação. No local, o consumo é livre e muitos compartilham o mesmo cachimbo. A região é conhecida pelas autoridades, mas isso não atrapalha o tráfico e o consumo, que fazem parte da rotina das todas as noites aqui. Mais à frente, abordamos um jovem que está prestes a passar por um momento que ele define como de êxtase total. Sabe que a droga é pura ilusão, um caminho sem volta, mas mesmo assim, reluta em deixá-la. A preparação não exige muito e acontece ali mesmo no meio da rua. O cachimbo é improvisado e o ´Oxi´ é consumido em latas de alumínio. Em poucos segundos, a droga em seu organismo o transformao. Sua personalidade antes escondida, agora é revelada. Ele não é mais apenas sua própria sombra. Vamos chamá-lo de Luis, nome fictício para proteger sua identidade. Ele é usuário de ´Oxi´ há quatro anos e ficou nove meses internado em uma clínica. Retornou ao ´Oxi´ dias depois de receber alta. Em pouco tempo, Luis emagreceu vinte quilos. left0Fica fácil entender porque os traficantes agem nesta região. O Acre está localizado na fronteira entre o Peru e a Bolívia, os maiores produtores de folhas de coca do mundo. O ´Oxi´, ou oxidado, é uma substância ilícita mais forte e com efeitos mais devastadores que o crack. Uma droga poderosa resultante de uma mistura do resto do refino das folhas de coca, ácido sulfúrico, querosene ou gasolina. Assim como o crack, quando a pessoa fuma o ´oxi´, as substâncias exaladas pela droga são rapidamente absorvidas pelos pulmões e enviadas para o coração, através do sistema circulatório. Do coração segue ao cérebro em menos de dez segundos. Tudo isso atinge muito rápido o sistema nervoso central e aumenta a concentração de dopamina, neurotransmissor que dá ao corpo a sensação de prazer. O efeito dura cerca de quatro minutos e logo a pessoa volta a usar.<br />Segundo a Polícia Civil, o ´Oxi´ está presente hoje em outros seis estados brasileiros. São eles: Amazonas, Pará, Rondônia, Amapá, Maranhão e Goiás. Em breve deve atingir outras regiões. Imagens captadas em 2004 mostram registros de uma operação da polícia peruana, na cidade de San Gabán, na província de Carabaya. Infiltrados, policiais peruanos chegaram até uma fábrica artesanal de pasta base e de ´Oxi´ no meio da selva. No local, foram encontrados sacos de folhas de coca e galões de dez litros de gasolina e querosene, substâncias utilizadas na produção do ´Oxi´. Os materiais eram escondidos em buracos abertos pelos traficantes. A maior parte da produção do ´Oxi´ era destinada ao mercado brasileiro. Ações como esta acontecem frequentemente na região de fronteira. Hoje, combater o tráfico nesta região é uma tarefa quase improvável. Quem revela é Eduardo Padilha da Silva, subdelegado da Polícia Civil em Assis Brasil, na fronteira com o Peru e a Bolívia. O delegado Padilha é responsável há trinta anos pelo combate ao tráfico na cidade de Assis Brasil, na tríplice fronteira. Ele é uma voz isolada em um esquema marcado por corrupção e interesses financeiros. Padilha conta que os traficantes constróem cabanas improvisadas à margem do rio para esconder a droga, que autoridades brasileiras se corrompem e aceitam ofertas tentadoras do tráfico, para facilitar a entrada da droga. <br />right0Em uma volta pelo Peru, na cidade de Inhapari, que faz fronteira com o Brasil, o delegado vai nos mostrando pontos principais de onde sai a droga. Os locais onde os traficantes atuam são pequenos comércios que servem de fachada para negociar a o Oxi e a cocaina. <br />Na fronteira Brasil-Bolívia, o livre acesso também contribui para o tráfico. Seguimos para outra cidade explosiva do narcotráfico no Acre. Nosso destino é brasiléia, cidade que faz fronteira com Cobija, na Bolívia. Vamos chamar o adolescente de Pedro, para preservar a sua identidade e conversamos com sua avó paterna, que ele chama de ´mãe´. Dona Aiza conviveu de perto com o sofrimento do neto. Pedro está livre do vício há um ano. Agora, encontra apoio nos estudos e na religião para se manter afastado do ´Oxi´. Tudo acontece a poucos metros da superintendência da Polícia Federal, a instituição que deveria combater o tráfico. <br />Em Rio Branco conhecemos a clínica que trata dependentes de ´Oxi´. Você vai se surpreender com revelações exclusivas dos pacientes que tentam superar o vício. Dia após dia, pais de família e jovens tentam se livrar do vício. O tempo é preenchido com atividades cotidianas. Histórias diferentes que se cruzam. Nomes ou sobrenomes dos pacientes em tratamento se perdem em meio aos dramas de cada um. Detalhes de uma disputa que está longe, muito longe de um final feliz.<br />Jovens consumindo “OXI”<br />“…Disse Jesus: Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei…”<br />Mateus 11:28-29<br />Diga “NÃO” ás drogas!<br />Testemunho de Salvação <br />em Cristo Jesus!<br /> <br /> Que a paz de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo esteja com você. Meu nome é JUNIOR, eu sou ex-roqueiro, ex-amante da música satânica. Fui resgatado das trevas para a Gloriosa Luz de Jesus Cristo. Depois de muitas desilusões nesse mundo de engano e maldade, o Senhor Jesus me salvou. Na expectativa de viver feliz, eu me aprofundava cada vez mais no lamaçal do pecado. Vivendo literalmente no “sexo - drogas e rock n' roll”. Mas, com a alma sempre triste, vazia, e sem rumo na vida. <br /> Depois de muitas vezes pensar em suicídio, e até mesmo tentar tirar a minha própria vida, o Senhor Jesus, com Seu Eterno Amor, salvou-me! Limpou-me, e Curou-me! Então, queimei todos os meus discos de rock n' roll, abandonei os vícios, e me entreguei de coração aos cuidados do Bom Pastor - Jesus Cristo. Hoje, pelas misericórdias de Deus, sou um evangelista.<br /> Minha missão é espalhar o meu testemunho para jovens e adolescentes do mundo inteiro, para edificação de muitas vidas que se encontram aprisionadas pelas trevas. Tudo o que faço é única e exclusivamente para a honra e para a glória do nome Santo de JESUS CRISTO – O ETERNO DEUS QUE SE FEZ CARNE, para nos salvar!<br />A Ele honras e glórias, eternamente, amém.<br />ROCK N’ ROLL - A MÚSICA DO INFERNO<br />WWW.A-VISAO-DO-INFERNO.BLOGSPOT.COM<br />O Autor<br />Diga “Não” ás drogas!<br />Jesus Ama Você!<br />

×