POLÍTICA COM CAUSAS

MOÇÃO DE ESTRATÉGIA
CONTEXTO
Juventude Socialista da Maia – uma política com causas
O Partido Socialista sofreu, nas últimas eleições autárqui...
Consideramos que é da maior importância a afirmação da JS junto da população e do Partido Socialista
como uma estrutura pr...
CONTEXTO

Portugal e Europa
Portugal vive um momento particularmente difícil. A palavra “austeridade” que não só está na o...
PROPOSTAS POLÍTICAS

RELAÇÕES
INSTITUCIONAIS

DIÁLOGO COM A
SOCIEDADE

FORMAÇÃO
POLÍTICA

ORGANIZAÇÃO
INTERNA

EIXOS DE
AÇ...
FORMAR - FORMAÇÃO POLÍTICA
 Realização de iniciativas de formação política tais como conferências, seminários e/ou tertúl...
 Aproximação aos estudantes do Ensino Básico, Secundário e Universitário através da regular
distribuição de flyers com pr...
 “Kit do Militante” - reunir a informação necessária, para o novo militante, sobre a JS. Pretendemos, por
isso, atualizar...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Moção de Estratégia | Política com Causas

394 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
394
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Moção de Estratégia | Política com Causas

  1. 1. POLÍTICA COM CAUSAS MOÇÃO DE ESTRATÉGIA
  2. 2. CONTEXTO Juventude Socialista da Maia – uma política com causas O Partido Socialista sofreu, nas últimas eleições autárquicas, uma pesada derrota no concelho da Maia. Urge assim, a necessidade de reunir esforços e desenvolver um projeto alternativo e credível para a Maia. A Juventude Socialista, em colaboração com o PS, pretende desenvolver um projeto para os próximos quatro anos que visa a reflexão interna, bem como o diálogo com as forças vivas do concelho. É tempo de seguir em frente. É tempo de refletir, dialogar, conhecer e debater, com base naquilo que define toda a nossa ação política: o Socialismo Democrático. Os constrangimentos impostos pela crise que vivemos, faz crescer, na sociedade portuguesa e, em particular, nos seus jovens, um sentimento de grande angústia, incerteza e desânimo. Emerge o neoliberalismo, que ataca a democracia e retira confiança aos cidadãos. Acentua-se o desinteresse e descrédito pela participação cívica e política e crescem as assimetrias sociais. Os jovens portugueses, vêm as suas aspirações pessoais e coletivas limitadas e vêm degradar-se, dia-a-dia, as possibilidades para a sua emancipação. Um país em que os Jovens não têm o seu espaço e são obrigados a emigrar, é um país fracassado. Não nos revemos nesta política! Acreditamos que os graves problemas que a Europa e Portugal atravessam, poderão ser resolvidos sem descurar os que não têm voz, nem pondo em causa do Estado Social que a Europa construiu desde o Pós Guerra. No próximo mandato, daremos especial atenção à formação política e ideológica dos nossos militantes. Temos de ter a capacidade de debater ideias, trocar opiniões e construir novas linhas de pensamento dentro da Social-Democracia, nunca esquecendo os valores de Abril. Trata-se de um desafio mas também de uma necessidade transversal às estruturas políticas, de forma a serem entendidas como verdadeiras estruturas de alternativas políticas, de confiança e com propostas credíveis. Só poderemos encontrar políticas alternativas se conhecermos a nossa história, as nossas gentes, o nosso partido, a nossa identidade, ou seja, quem somos e o que queremos para a nossa sociedade. 2
  3. 3. Consideramos que é da maior importância a afirmação da JS junto da população e do Partido Socialista como uma estrutura preparada, autónoma e renovada, uma juventude capaz de desenvolver políticas com causas que vão ao encontro dos principais anseios dos maiatos. “Política com Causas” traduz-se num projeto do coletivo para o coletivo, apostando na emancipação e na participação cívica jovem, em defesa da República e da identidade da Esquerda Democrática, onde o interesse geral estará acima de todo e qualquer interesse pessoal. Por essa razão, pretendemos desenvolver um trabalho de proximidade com as diversas forças do nosso concelho: associações de estudantes, associações cívicas e juvenis, entre outras que desenvolvem o seu trabalho com e para os jovens. O primordial desafio, nos próximos dois anos, será a valorização do modelo democrático republicano, segundo os valores do socialismo democrático com um verdadeiro serviço e entrega à causa pública, lutando por uma sociedade mais livre, mais justa e com igualdade de oportunidades. Foi esse o legado que Abril deixou às gerações vindouras, a qualificação da democracia proclamando a liberdade, a solidariedade e a igualdade. Pautaremos a nossa ação na reflexão teórica e prática para a construção de uma projeto socialista, através de uma análise crítica e serena do passado e do presente, por forma a estarmos na linha da frente do campo das ideias e para melhor atuarmos no futuro. Por uma JS Forte! Por uma Juventude Dinâmica! Por uma “Política com Causas”! João José de Magalhães Torres Militante nº 103345 3
  4. 4. CONTEXTO Portugal e Europa Portugal vive um momento particularmente difícil. A palavra “austeridade” que não só está na ordem do dia como também nos é imposta, contribui, dia após dia, para a degradação económica e social dos portugueses. Num contexto mais amplo e abrangente temos a Europa. A crise das dívidas soberanas, o agravamento do desemprego, a pobreza e desigualdade social no seio da União Europeia, colocam em causa a prossecução do seu modelo de organização política e económica. Reafirmamos a nossa total convicção que é na Europa e dentro de uma Europa fraterna, solidária e democrática que prosseguimos o desenvolvimento de Portugal. Por isso, consideramos fundamental a previsão de medidas e tomar atitudes proativas. Continuar a insistir numa solução de austeridade e contenção orçamental é provocar a decadência efetiva do projeto europeu e despoletar ainda mais efeitos devastadores ao nível da economia, com mais desemprego, mais desigualdades entre Estados-Membros, mais recessão, mais precariedade no trabalho e mais pobreza. Sem uma solução coletiva e sem uma estratégia global de resposta à crise financeira e às dívidas soberanas, a situação portuguesa e dos restantes países da Europa unida não mudará. Essa estratégia global terá que passar por combate determinado ao mercado especulativo e às agências de rating, lutando por uma União Europeia genuinamente unida, de pensamento comum e solidário, onde os partidos socialistas terão um papel decisivo nessa mudança de políticas. É necessário construir um novo paradigma, que tenha por base e medida um modelo de crescimento económico, centralizado na ética e nas pessoas, promovendo o bemestar, a justiça social, qualificando a democracia e o respeito pelos direitos humanos. Os Socialistas Europeus devem rejeitar o modelo que a direita pretende impor, que destrói o projeto político e económico comum. Precisamos de uma Europa unida, solidária que promova a igualdade entre EstadosMembros e que o individuo, enquanto Ser Humano volte a ocupar o centro da discussão. É necessário uma alternativa de esquerda e equilibrada que possa criar políticas que vão ao encontro do Estado Protetor, do crescimento do emprego, da diminuição das desigualdades e que promova a igualdade de oportunidades e fundamentalmente políticas que conjuguem a solidariedade e equidade na afetação dos recursos, com competitividade e eficiência na sua aplicação, restaurando a confiança nos mercados e colocando a economia a crescer de forma sustentável, preservando a estabilidade Europeia. 4
  5. 5. PROPOSTAS POLÍTICAS RELAÇÕES INSTITUCIONAIS DIÁLOGO COM A SOCIEDADE FORMAÇÃO POLÍTICA ORGANIZAÇÃO INTERNA EIXOS DE AÇÃO POLÍTICA 5
  6. 6. FORMAR - FORMAÇÃO POLÍTICA  Realização de iniciativas de formação política tais como conferências, seminários e/ou tertúlias que fomentem e dinamizem a participação ativa e interessada dos nossos militantes.  Criação de um clube de leitura - Esta medida visa contribuir para o debate político interno da estrutura tendo por base a leitura de um livro, um artigo de jornal, entre outros, cujas temáticas se debrucem sobre temas com interesse para a nossa ação política e que resulte numa discussão rica e saudável entre os participantes.  Apoio nas Assembleias de Freguesia e Assembleias Municipais - Em colaboração com o PS, pretendemos fomentar também ações de formação autárquica que visem apoiar os militantes da JS que iniciaram recentemente funções autárquicas. Incentivaremos a participação de todos os militantes nas Assembleias de Freguesia e Municipais para que conheçam a dinâmica de funcionamento destes órgãos, os trâmites na condução dos trabalhos, as propostas e ideias que se discutem para o concelho ou para determinada freguesia. CONHECER - DIÁLOGO COM A SOCIEDADE  Realização da 10ª edição de “Um Brinquedo. Um Sorriso” - A JS Maia em cooperação com a JS Núcleo Vale do Leça e o PS da Secção de Águas Santas dará continuidade a esta iniciativa de Natal que visa a recolha de brinquedos para instituições de Crianças.  Iniciativa “Um dia com...” – Pretendemos dialogar com a sociedade civil. Por isso, propomo-nos dedicar parte do nosso dia junto das Associações de Estudantes e Juvenis, coletividades, Centros de Dia, entre outros, para conhecermos o funcionamento, o trabalho e as necessidades destas instituições, estreitando assim as relações com as mesmas.  Visitas às freguesias – a Maia hoje tem outra realidade geográfica no seguimento da agregação de freguesias. É necessário conhecer as freguesias, identificar os problemas e fazer um levantamento das necessidades das populações que culminará em relatórios e propostas políticas objetivas e concretas. 6
  7. 7.  Aproximação aos estudantes do Ensino Básico, Secundário e Universitário através da regular distribuição de flyers com propostas políticas concretas.  Apostar na realização e participação em iniciativas inseridas em dias temáticos de grande relevância (25 de Abril, Dia do trabalhador, Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, 5 de Outubro, entre outras).  Participar e apoiar o Partido Socialista nas ações de campanha no âmbito das Eleições Europeias. CONSTRUIR - ORGANIZAÇÃO INTERNA  Apostar na Militância Ativa – É necessário a angariação de novos militantes junto das Escolas, associações, bem como contactar com os militantes mais afastados motivando-os a regressar à política ativa, colocando a tónica na renovação da estrutura.  Realização de atividades de convívio e lazer entre os militantes de forma a criar laços de amizade, maior confiança no seio da estrutura e envolvimento nas suas atividades, entusiamando-os através da formação política informal.  Levantamento das associações existentes na Maia.  Reforçar a presença na Internet e nas Redes Sociais , como forma de divulgação do nosso trabalho.  Realizar um arquivo da JS Maia, no espaço da Sede Concelhia para que toda a informação e histórico da estrutura esteja centralizado e possa estar ao dispor dos grupos futuros. 7
  8. 8.  “Kit do Militante” - reunir a informação necessária, para o novo militante, sobre a JS. Pretendemos, por isso, atualizar o ”Guia do militante”, reunindo ainda a “Moção Global de Estratégia”, “flyer da JS Nacional”, entre outros documentos que possam ajudar à rápida e fácil integração do novo militante.  Voltar a trazer para o debate político no seio da JS alguns temas defendidos no passado, mas ainda atuais, tais como a problemática em torno do Rio Leça, do Jardim Zoológico da Maia, Mobilidade, entre outros.  Apostar na representatividade da Juventude Socialista nos órgãos do Partido Socialista, afirmando uma lógica de renovação dos quadros do mesmo. RELAÇÕES INSTITUCIONAIS  Participar nas iniciativas de âmbito inter-concelhio, Federativo e Nacional, apostando na afirmação da estrutura e marcando o seu espaço político no centro das decisões.  Continuar a cooperar com o Partido Socialista em toda a sua actividade política e no desenvolvimento de projetos e no confronto de ideais para a Maia. 8

×