Resumaoportuguesregencia 120922042427-phpapp01

305 visualizações

Publicada em

2015

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
305
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Resumaoportuguesregencia 120922042427-phpapp01

  1. 1. wwwubafisa. com. br *í HH lllllí l SAIBA QUAL A LIDAR COM AS Como existe uma dependência ou correlação muito grande entre as palavras, a maneira de combina-las umas com as outras pode constituir sério complicador para quem se preocupa com o uso adequado da linguagem. Alguns vocábulos, por exemplo, exercem o papel de um maestro e comandam ou regem ou- tros termos da frase. Esses regentes são principal- mente os verbos. substantivos e adjetivos, que comandam, em geral, uma preposição. O capítulo inicial deste Resumão relaciona grande número dos mais comuns no dia-a-dia de todos nos, com a preposição que deve acompanha-los. Em outros casos. porém, a correspondência entre os vocábulos se expressa pela semelhança quase absoluta de grafia ou de som, causando confusões nem sempre evitadas com facilidade. Embora parecidas, essas palavras, chamadas de parônimas (falsas gêmeas para nos), divergem consideravelmente no sentido, a exemplo de aci- dente/ incide/ ite, ¡›o. x'ar/ ¡›oiz. vur, aja/ haja, vul- tosoivuitztoso, ao encontro (lc/ dc encontro a. ao inves zltà/ 'cm vc: de, a par/ ao par_ a princípio/ en: princípio, etc. Por fim, conheça melhor as redundâncias ou ideias repetidas, para fugir delas a todo o custo. Maibai A regência verbal ó a relação existente entre os verbos e os termos que completam o seu sen- tido (objetos c adjuntos). Quanto ao comple- mento, os verbos podem ser transitivos ou intransitivos. Nos transitivos, a ação passa ou transita do sujeito a um objeto, direto (sem pre- posição) ou indireto (com preposição). Nos intransitivos, a ação ou estado não transita do sujeito a nenhum objeto, tendo scntido comple- to. Explicando melhor cada tipo de verbo: Transitivo direto a) Pede complemento sem preposição (objeto direto): A emprcst¡ construir¡ novo ¡trédio (construiu o qué? novo prédio). 0 caiu/ alan¡ (lira/ gnu as denúncias'. b) Admite como objeto dircto os pronomes o, a, os e as: constriziii-r¡ (o prédio). divulgou-as (as denúncias). Transitivo indireto a) Pede complemento com preposição (objeto indireto): Todos precisam de antigos (precisam de quê? de amigos). A tropa obedeceu ao geiteral. v: O che/ c conversava com todos os_ fitncionátirtr. b) Admite como objeto indireto os pronomes lhe c lhes (principalmente com os verbos que exi- gem a preposição a): Obradeccu-lhcs: N17!) lhe perdoei. Ogtilnzc lhe agradou. Não lhes respondeu. ll-&zl- its-ç) : atum DO IDIOMA, APRENDA ENTRE SI E FUJA O MAIS POSSÍVEL DAS Transitivo direto e indireto Exige dois complementos, um sem prepo- sição (objeto direto) e outro com (objeto indireto): Deu as instruções' ao entregador (deu o que? as instruções; a quem? ao entregador). Disse-lhe (objeto indireto) a verdade (obje- to direto). indicou-o (objeto direto) ti chefia (objeto indireto). lntransitivo Dispensa complemento por já ter sentido completo e pode estar acompanhado de palavra ou expressão que designe tempo, modo, intensi- dade, etc. : l 0 convidado chegou. Carlos Gomes Iiasccu em Campinas. Ele venceu na vida. 0 carro capotou na curva. f* HU» -l -lblllii- A-iÍ'Í'/ ~Í Agradarldesagradar a) São transitivos indiretos (com preposição a) no sentido de satisfazer, contentar: As novas nzedidas agradaram/ desagrado- ram aos contribuintes'. A reportagem agmdou/ desagradott a maio- ria dos leitores. Nada lhes agradaria/ dessagradaria mais' (nada agradaria/ desagradaria mais a eles). b) Agradar, apenas, pode ser transitivo direto (sem preposição), equivalendo a acariciar, afagar: Agrutlou o filho. Gostava ntuito de agradar os . seus galos. Agradecer a) Mostrar-se grato por: ' Agradeceu a ajuda dos colegas. , A giadeccram a promoção. b) Demonstrar gratidão a (transitivo indireto): u Recebi o livro e vou zigradccei' ao autor. c) Demons 'ar gratidão a alguem (transitivo direto e indireto): Agradeceu a Deus a graça alcançada. Agmdcccu-lhes ofavoi: d) Mostrar gratidão, apenas (intrans¡tiv0): A Ganhou um presente e nem agradeceu. Ajudar a) Exige objeto direto de pessoa (ajudar al- guém): ' Sempre ajuda os antigos. Gosta de ajudar quem está em tlificulzlatles. b) Ajudar alguém a (antes de infinitivo): ' Ajudozi-tt a_ fazer' o trabalho. A/ udaram a empresa a progredir. c) Ajudar alguém em (antes de substantivo): Ajudou o escritor nas pesquisas. d) Ajudar-se: Ajudam-. sc em tudo. Ajutlou-. stt dos colegas para conquistar cargos. Aposentar i a) Dar aposentadoria a alguém, pôr de lado alguma coisa: A O governo t1[)(). '('I1l1)ll osfuncionarios. 0 ÚXCLVIÍÍVO aposwztoii seus velhos ternos. Os Ini/ itantcs* aposcntaram o radicalismo. b) Obter aposentadoria. retirar-se do trabalho (exige o pronome se): Ele se apostwtoir (e não “ele cutosentoti") aos 60 anos dc idade. Os juncionárirts' vão aposentar-st» (e não “aposentar”, apenas) este ano. Não vê a hora de se aposentar Aspirar a) Sorver, inalar, absorver, respirar (transítivo direto): Aspirou o ar poluído da Marginal, x Prefcria aspirar o doce pcr/ itme da amada. b) Desejar muito. pretender (transitivo indireto): Aspiravu ao cargo de diretor: Ter uma casa no Clllllpü era tudo a que aspi- rllVll. Assistir a) No sentido de presenciar ou comparecer, exi- ge a preposição a (ó transitivo indireto): ' Assista ao espetáculo, l Osfiéis' asxvistiratit à ntiszsa. 1 Todos a imos ao show, a . sessão, aos tra- t bolhas. u Gostava Inuito dc assistir' (l TV b) Como não existe voz passiva com verbo tran- sitivo indireto, não se deve dizer: - Ojogo “Í oi assist/ ido" (o certo: visto, [JFUSUII- viado) por 50 mil pessoas', c) Por ser indireto, também rejeita as formas pronominais 0, a, Io, la, os, as. los e las como complemento. Portanto, não diga nem escreva: Perdi a corrida, mas queria tanto '“zzs'. x'i. sti-la". Chegou cedo ao treino e “aszvtvtiii-o" com , interesse. Unica alternativa possivel: Perdi a corrida, mas queria tanto ttsvilstii' a ela. Chegou cedo ao treino e assista¡ a ele com in tercsxvc. d) Com a preposição a, pode ainda equivaler a favorecer, caber (direito ou razão), caso em que admite também o pronome lhe: Não assistia direito algun¡ aos FCCÍCIIIIUHÍCA'. - 0 juiz admitiu que lhes (a eles) assiste razão nessa demanda. e) Como sinônimo de prestar assistência a, aju- dar, socorrer, o verbo constrói-sc em geral com objeto direto (sem preposição): s O ntédicít) asxsistii¡ o tloentc. Os Estados assistiI'an1 os _flageladosz Neste caso, admite a voz passiva: As vitintas' da enchente _foram as istidcrs' pelo governo.
  2. 2. Atender a) Para pessoas, prefira a regência direta (aten- der alguém): a O hospital atendeu os acidentados. A diretoria atendeu os funcionários, 0 presidente vai atende-las. b) Empregue também essa forma para telefone. campainha, bairro, cidade, região, departa- mento, seção, ctc. , porque esta' implícito que se atendeu quem fez a ligação, tocou a cam- painha, etc. : - Atender¡ o telepme com rapidez. O pre cito e o vice tztenderanz a Vila Maria. › O gerente de Compras atenderá o Departa- mento de Tráfego. c) Para coisas (pedidos, sugestões, intimações, etc. ), adote a regência indireta (atender a alguma coisa): . z A diretoria atendeu aos pedidos dos ge- rentes. Atender-am as . solicitações, às recomenda- ções', às sugestoes'. as intimaçoes', ao reque- rimento, aos avisos de todos. Avisar, informar a) Avisar ou informar alguma coisa: Ja avisamos (informamos) os contribuintes. Já os avisanzos' (informamos). b) Avisar ou informar de: - Os cartazes' avisavam (in/ orntavattt) da epi- rlemia. c) Avisar ou informar alguém de alguma coisa: A direção _já avisou (informou) os fun- cionários' das mudanças na empresa. Já os civis-amos (informamos) do nosso novo endereço. .lá avisomos' (informamos) os amigos de que (de que e não “que”) vamos entrar em férias. .v Eles a avisaranz (informaram) de que era hora de sait: d) Avisar ou informar alguma coisa a alguém: »n ¡Vinguem queria avisar (informar) a eles o risco que corriam. Avisarani-llies' (informaram-lhes) que a mis- são era dificil. e) Avisar ou infomiar, apenas (intransitivos): W Quem civisa amigo é. A inzprensa _forma e iiifrbrma. Chamar a) C onvocar alguém: , Chamou o técnico de . som. a C humou-o às 5 horas. o Chamou osgfuncionários' para uma reunião. b) Chamar por alguém: .Nu hora de zlificulzladc, chamava pelos amigos'. c) Classificar de: Chamou o inimigo de covarde. . Chamou a idéia de absurda. d) Chamar, apenas: Todos se puseram u chamar ao mesmo ÍCIHINI. , O ¡Ultffllllc está chanzanilo. e) Designar-se: - Cihamou-. sc louco. Disse chanutr-. v › . Napoleão. f) Outras construções possíveis. mas de uso res- trito: O amigo chanzairu-o perdulário. »i C home-lhe “o Giego". se quiser. Chamou-lhe de ingênuo. Chamou . sonhador ao cimigo. Chegar (e os demais verbos de movimento) a)Na norma culta da língua, chegar exige a e não em: A comissão da ONU chegou ontem a (e não ' “em”) São Paulo. a Os jogadores chegaram atrasados ao campo. Tiveram dificuldades para chegar ao aero- porto. b) Chegar deve ser acompanhado de a também no sentido figurado: a Ele chegou a uma conclusão inesperada. M¡ Sua tolerância chegara ao limite. c)O único caso em que se pode empregar em com chegar é na referência a tempo: 'u O cantor chegará em dez minutos. .a Chegamos em cima da hora. d) Com chegada, use igualmente a e não em: a A chegada do ministro ao (e não "no" Brasil está marcada para amanhã, e) Os demais verbos de movimento (ir, levar, des- cer, subir, etc. ) também se constroem com a: 4 Fui ao (e não “no”) teatro. M Levou os filhos ao (e não “no") circo. «t Desceu pelas escadas ao (e não “no”) se- gundo andar a Saiu à (e não “na")janela. f) Proceda da mesma forma com os substanti- vos correspondentes: Sua ida ao circo estava marcada para o sábado. ~ Na sua saida à janela, viu uma bela moça. x Pretendia resolver muitos problemas na sua vinda a São Paulo. l l Comunicar a) Comunica-se alguma coisa a alguém: i r 0 diretor comunicou as decisões aos asses- i . seres. a 0 diretor comunicou-lhes as decisões. w 4 O amigo comunicou-lhe o seu (rasamento. b) Nunca diga nem escreva, porém: w O ministro “comunicou os assessores? ” so- bre ou das decisões. t) Da mesma forma, ninguém pode “ser comu- nicado" de ou sobre alguma coisa. Pode, isso sim, ser informado, avisado, cientificado ou notificado: =s Foi informado sobre a decisão. . r Foi avisado de que não deveria voltar aqui. u Os funcionários _foram cientificados sobre as mudanças na empresa. 1 O réufoi notificado da decisão da Justiça. Atenção. Escrever que alguém "foi comunica- do de” alguma coisa é considerado um dos erros graves do idioma. Confraternizar Não é verbo pronominal: a Os amigos confraternizaram. - Confraternizava até com os adversários'. Contribuir a) Contribuir para (concorrer para alguma coisa, cooperar para que alguma coisa ocorra): Ojui: condenou o réu a contribuir para o Fome Zero. A sua presence¡ contrihiiitt para a melhoria do debate. A imprensa contribuiu para a divulgação da campanha. b) Contribuir com (dar apoio material a): 4 Cada um vai contribuir com 1.000 reais. A empresa contribuiu com l (ll) mil reais para as obras da igreja. Convidado a escrever na revista, o escritor contribuiu com dois artigos. - Contribuiram com tijolos e cimento para a reconstrução do muro. Custar a) Custar tanto ou alguma coisa: 'r O livro custava 50 reais. x. A vitória custou muitos . sacrriflcios. b) Custar alguma coisa a alguém: 's A falta de visão citstou-lhe a _falência d. empresa. t A aprovação no exame custou a eles lllllilr esforço. c) Com infinítivo, sempre na terceira pessoa: n Custou-me acreditar nessa história. w Custa a crer que não virão para as boda dos pais. n Custa muito manter umafamilia. d) Custar a, conjugado em todas as pessoas (for ma popular, que encontra restrições dos gra máticos): v4 Eles custaram a chegar 's O bolo custou a ficar pronto. = Custe¡ muito u escrever a carta. ; a O sol custam a se por, Esquecer a) Esquecer alguma coisa: 's Esqueceu o tema do relatório. a Esqueceu que era o dia do pagamento. a Esqueceu o que queria escrever_ b) Esquecer-se de alguma coisa: Esqueceu-sie tlefzizet' o trabalho. Esqueceram-sc da _festa Queria que ninguém se esquecesse dele. c) Esquecer de (embora usual, esta regência condenada por muitos gramáticos e, por iss( convém evitá-la): w Ele esquece de tudo. Esqueceu de pedir o que queria, Favorecer a) Favorecer alguém ou alguma coisa: O árbitro favoreceu o (e nunca “ao") tim da casa. a 0 talento_favoreceu-a A temperatura agradavel osjovorecici. b) Favorecer alguém com: A natureza _favoreceu u atriz com rar. beleza. Implicar a) No scntido de pressupor, acarretar, envolve¡ adote a regência direta (sem a): Medicina implica . sacrifício (e não “implici em sacrificio"). A promoção implicava maiores responsabi lidar/ es. A reforma tributária implicará perda de re ceita para os Estados. b) Use preposição apenas quando o verbo exigi dois complementos ou objeto indireto: A policia implicou o acusado no crime a' receptação (dois objetos). ¡Vinguém sabia por que ele implicava tam. com os colegas (objeto indireto). Iniciar a) Começar alguma coisa: u 0 clube iniciou as obras da piscina. b) Instruir alguém numa atividade ou ciência: ~ Ele os iniciou em zirtes' Inarciuis'. . O tio o iniciou no jornalisvno. c) Exige se como sinônimo de começar, apenas A _festa inicia-sc (e não “inicia") hoje. As inscrições ; iara o vestibular iniciaram-su (c não “iniciaram”) donzingo. Lembrar a) Lembrar alguma coisa: Lembrou os ensinamentos' do pai. ' Lembrou que era dia de paga/ Menta. ' Lembrou o que ¡irecisava_fazer
  3. 3. b) Lembrar-se de alguma coisa: 'a Lembrou-sc da infância, com muita sau- dade. 'a Queria que todos se lembrassem dele de maneirajavorável. c) Lembrar de (a exemplo de esquecer de, esta regência também sofre restrições por parte dos gramáticos e, por isso, convém evita-la): w Lentbrou de todos os amigos. : Lembrava de tomar o remédio na hora certa. Morar, residir Constroem-sc com a preposição em: x Eles moram (resident) no campo. v: 0 casal ntorava (residia) na Rua do Bosque. A _familia morou (residiu) na Praça da República. s Não conheço a casa em que ele mora (reside). Obedecer/ desobedecer a) Exigem sempre a preposição a: 1 Obedeceu/ desobedeceu aos superiores. u Obedecia/ desobedecia às ordens. u Obedecia-lhe/ desobedecia-lhe sem hesitar (obedecia/ dctsobedecia a ele). l b) Embora indiretos, admitem a voz passiva: « Suas determinações foram obedecidas/ de- sobedecidas pelos . subordinados. Pagar a) Pagar alguma coisa: 1 Pagou a consulta, as compras, a camisa. u Pagou a camisa barato. u Pagou os pecados. '- Pagou o que devia. b) Pagar a alguém ou a uma entidade: 'x4 O deputado não pagou ao assessor: -u Ospuudadores devem pagar aos lesados. a Os Estados afinal pagaram às empreiteiras. n Devia pagar-lhe religiosamente. c) Pagar alguma coisa a alguém: c 0 Estado pagou o salário aos . servidores. a Pagou-lhe o que prometera. Perdoar a) Perdoar alguma coisa: u Perdoou as indiretas dos antigos. 1 E (liflcil ¡Jerdoar um crime. 1 lVão conseguiu perdoar tanta falsidade. b) Perdoar a alguém: v. - Perdoai aos pobres de espirito, t: E mais _facil perdoar aos invejosos' do que aos iual-intencionados. a Achou mais conveniente ¡ierdocir-lhes. c) Perdoar alguma coisa a alguém: e Perdoou-lhes' os tle/ citos. -. 0 padre perdoou os pecados u todos'. d) Admite a voz passiv . - Seus pecadosforztm perdoados pelo padre. observação. Embora comum. a regência ¡ier- doar alguém e' condenada pelos gramáticos. Evite. pois. frases como: A policia perdoou “os” infratores' (o adequado: A policia perdoou aos infratorcsl/ Eles perdoaratn “os” seus deve- dores (o adequado: Eles perdoarant aos . seus devedores ). Precisar, necessitar a) Precisar é transitivo direto quando significa indicar com precisão. particularizar: lVão . soube precisar o dia da partida, Era difícil precisar' o número de pessoas presenteit. b)No sentido de carência, use precisar c neces- sitar, de preferência. com a preposição de: Resumão v¡ Todos precisamos (necessitamos) de amigos. u O País precisa (necessita) de novos empregos. 'a Era o sinal de que precisávamos (necessita- vamos). c) Precisar/ necessitar (carência) alguma coisa (regência usual quando o objeto direto é uma oração, mas rara antes de substantivos co- muns): 2.¡ Preciso/ necessito que me façam um favor. Todos precisamos/ necessitamos dinheiro (evite). d) Antes de infinitivo, dispense o de: n Eles precisavam (necessitavam) sair cedo. n O País precisa (necessita) criar empregos. e) Podem também ser usados com o pronome se: n Precisa-se (necessita-se) de ascensoristas. Não se precisa (necessita) de muita coisa para viver ali. Preferir a)Usa-se com a preposição a e não com a locu- ção do que: z Prefere a mãe ao pa¡ (e não “do que” o pai). ›. Os alunos preferiam jogar futebol a (e não “do que") praticar atletismo. n “Prefiro os que colocam bem as idéias aos que colocam bem os pronomes. ” (Sílvio Romero) b) Também não se deve empregar preferir com em vez de: u O lateral prefere jogar no Brasil a (e não “em vez de") ir para a Espanha. c) Como preferir já tem valor absoluto, são ina- dequadas construções deste tipo: 'a Prefiro “antes” morrer a renunciar: a Os times preferem “mais” atacantes a deferi- sores. n Preferia “mil vezes" brincar a estudar Atenção. O "antes", o “mais" e o “mil vezes” estão sobrando nas frases, do ponto de vista da norma culta do idioma. d) Com preferível, proceda da mesma forma: ~ Alchou preferível sair ajican n E preferível lutar a morrer sem glória. e) O do que pode ser usado com melhor: e E melhor um pássaro na mão do que dois voando. Achou melhor sair do queficar em casa. Querer a) Desejar alguma coisa: 'a Ele quis a todo o custo voltar para a cidade natal. A secretária queria um computador mais potente. a Todos queriam o prêmio do campeonato. b) Com o significado de gostar de ou ter apreço por, exige a preposição a ou o pronome lhe: '-5 Todos sabiam que ela queria muito ao noivo. :a Receba o abraço do amigo que muito lhe quer. Jurou que lhe queria demais. Reclamar a) Exigir alguma coisa: | Reclaniaram melhores . salários. n O empregado reclamou seus direitos. b) Protestar contra alguma coisa: v. Rec/ amou das condições de trabalho. Reclamarant contra as injustiças. c) Exigir alguma coisa de alguém: v Rec/ amou da entpresa o pagamento de ho- ras extras. Recorrer a) Pedir ajuda a alguém ou a alguma coisa: ' Ofiel recrorre a Deus quando está aflito. 0 clube recorreu à Justiça. ~ Quando tem dúvidas, recorre a um dicio- nário. b) Apresentar recurso contra: 2a' 0 acusado recorreu da decisão (e nunca “recorreu à decisão") n¡ A empresa recorreu da multa. c) Passar (palavras) para a outra linha: u O diagramador recorreu o texto. Responder a) No sentido de dar resposta a alguém ou a al- guma coisa, prefira a regência indireta (com preposição): u Respondeu à carta, ao oficio, ao documen- to, ao processo. = Evitava responder às calúnias. '- A polícia respondeu aos tiros dos assal- fontes. b) Como transitivo direto (sem preposição). significa dizer em resposta: 'e Respondeu o que quis. z Respondeu que não aceitava a proposta. :a Respondeu cobras e lagartos. c) Apesar de indireto. admite a voz passiva: w A carta foi respondida pela secretária. sobressair Não deve ser usado com o pronome se: w Ele sobressala (e não “se . sobi'es. saia") entre os colegas. u Os pinheiros sobressaíam na paisagem. x Na vida, alguns nau/ ragam e outros . sobres- saem. v. Sua doçura sobressai pela naturalidade. Socorrer a) Socorrer, ajudar alguém: 'u O policial . socorreu os acidentados. u Sempre que pode, socorre os pobres. b) Socorrer alguém em algum lugar: 'a Socorrerant os atropelados na rua. a 0 médico socorreu-a no consultório. c) Ser socorrido em: : As vítinzas-_foianz socorridas no Hospital das Clinicas (e não “socorridasy para o HC por influência de “levadas ao HC para serem . soc'or'rida. s”), suceder a) Como sinônimo de acontecer, e' intransítivo: 14 0 acidente sucedeu ao anoitecer: b) No sentido de substituir ou vir depois, exige a preposição a: z Os acertos sitcedenz aos erros no trabalho. u O_/ ilho sucedeu ao pai na (tire/ la da familia. ,a George W Bush . sucedeu a Bill Clinton no governo dos Estados Unizlos'. c) Pode ainda significar passar-se com: w Recordou a desgraça que lhe . sttcedera. Visar a)Como equivalente a ter em vista ou ter por objetivo, exige a preposição a: w Visou exclusivamente aos seus intereszves'. s Nunca visaram aos bens ntateriais. - Tudo a que visavam era melhorar de vida. Observação. A norma valc também quando visar precede infinitivo: ^ Visava a atender aos pedidos dos parentes. O bom governo visa a Inelhorar as condi- ções da população. b) Empregue a regência direta apenas no scnti- do de mirar ou dar o visto a: - O atirador visou o alvo. A polícia visou o pasavaporte. v O gerente do banco não quis visar o cheque. mas
  4. 4. ill lllll'l'“›lT Hà substantivos e adjetivos que exigem a presença de determinada preposição para que o seu sentido sc complete na oração. Essas duas categorias gramaticais são consideradas nomes e. por isso. dão origem à chamada regência nominal. Alguns desses nomes se constroem com uma única preposição. Assim, o adjetivo con- trário pede a preposição a: contrário a tudo, contrário aos meus' princípios, contrário a guerra. Por sua vez, o substantivo perda liga- se a de: perda da honra, perda dos sentidos, perda de dinheiro. Na maior parte dos casos, porém, os subs- 3 tantivos c adjetivos combinam-se com mais de uma preposição. Intolerância, por exem- plo, compõe-se com as preposições a, com, contra, em e para com: intolerância ao governo, intolerância com os' adversários. intolerância contra os críticos, intolerância em aceitar opiniões opostas. intolerância para com os escritores jovens. Já o adjetivo preocupado pode ser seguido por com, de, em, para com c por: preocupado com os parentes, preocupado da qualidade de vida, preocupado em sair cedo, preocupado para com os antigos_ preocupado pela saúde dos filhos. “idlillf- : r : i-'qgxndl-, fñ-x- Veja, a seguir, uma relação de substantivos c adjetivos acompanhados da preposição ou das preposições mais usualmente empregadas com eles: A Abrigado de; aceito a; acessivel a; acostu- mado a, com; adaptado a. para; adequado u; admiração a, por; afável com, para, para com; afeição u, por; afeiçoado a, por; aflito com, em, para, por; agradável a, de, para; alheio a, de; aliado a, com; alienado a. de; alternativa u, para; alusão a; amante de: : ambicioso de; amigo de; amizade a, com, por; amor a, por; amoroso com, para com; analogia cont, entre; análogo a; ansioso de, para, por; anterior a; antipatia a, contra, por; ' apaixonado de, por; aparentado com; apto a. para; atencioso com, para, para com; atenta- do u. contra; atentatório a, de; atento a, em; avaro de; aversão a, para. por; avesso a; ávido de, por, B Bacharel em; baseado em, sobre; bastante a, para; benéfico a; benevolência com, em, para, para com: boato de, .vUbreL bom (leg para; bordado a, com, de; briga com, entre, por; brinde a: busca a, de, por. C Capacidade de. pur capaz de, para; carita- tivo com, de, para com; caro a; cego a; certo de; cheio de: Cheiro u. de; circunvizinho de; cobi- çoso de; coerente com; comemorativo de; com- paixão de, ¡nira com, por; compatível com; compreensível a; comum u, de; condizente com; confiante em; conforme u, com; conscien- tc de; cônscio de; constante de, em; constituído com. de. por; contemporâneo u. de; contente com. de. em. por: contíguo u; contraditório com: contrário a; convênio entre; cruel com, 1 para, para com; cuidadoso com; cúmplice em; l curioso t/ e. para, por. D _ Dedicado a; depressivo de; deputado a, ° por; desatento a; descontente com; desejoso de; desfavorável a; desgostoso com, de; des- leal a; desprezo a, de, por; desrespeito a, con- tra; devoção a, para com, por; devoto a, de; diferente de; dificil de; digno de; diligente em, para; disposto a; ditoso com; diverso de; doce a; dócil a; doente de; domiciliado em; dotado de; doutor em; duro de; dúvida acerca de, de, em, sobre. E Empenho de, em, por; êmulo de; encarre- gado de; entendido em; equivalente a; erudito em; escasso de; essencial a, para; estéril de; l estranho a; estreito de; exato em. F _ Fácil a, de, para; falho de, em; falta a, cont, l para; falto de; fanático por; farto em; favorá- ' vel a; fecundo em; feliz com, de, em, por; fér- til de, em; fiel a; firme em; forte de, em; fraco ' de, em; franco de, em, para com; frouxo de; furioso com, de. Generoso com; gordo de; gosto por; gosto- so a; grande de; grato a, por; gravoso a; grosso de; guerra a, com, contra, entre. H Hábil em, para; habilidade de, em, para; habilitado a, em, para; habituado a; harmonia com, entre; hino a; homenagem a; hora de, para; horror a; horrorizado com, de, por, sobre; hostil a, para, para com. lda a; idêntico a; idôneo para; imbuído de, em; imediato a; impaciência com; impa- ciente com; impenetrável a; impossibilida- de de; impossível de; impotente contra, para; impróprio para; imune a, de; inábil para; inacessível a; incansável em; incapaz de, para; incerto de, em; incessante em; inclinação a, para, por; incompatível com; incompreensível a; inconseqüente com; em; independente de, em; indiferente a; indigno de; indócil a; indulgente com, para com; inerente a; inexorável a; infatigável em; inferior a, de; infiel a; inflexivel a; influência . vobi-e; ingrato com, para com; inimigo de; inocente de; insaciável de: insensível a; inseparável de; insipido a; interesse em, por; intolerância a, contra. em, para, para com; intolerante com, para com; inútil a, para; isento de. ; .l Jeito de, para; jeitoso para; jcjuno em; jogo julgamento de, sobre; junto a, de; juramento a, de; justificativa de, para. l Leal a; lento em; liberal com; ligeiro de: limitado a, com, em; limpo de; livre ale: lon- gínquo de; louco de, com. para, por. M Maior de; manco de; manifestação a favor com, contra, entre; jubilado em; juízo sobre; ~ inconstante em; incrível a, para; indeciso ' (lt), COHHTI, ele; ITIBDSO (lí): mau coimpara 00ml _ mediano de, em; medo a, de; menor de; mise- ricordioso com, para, para com; molesto a; morador em; moreno de. N Nascido de, em, para; natural a, de, para; necessário a. para; necessitado de; negligentc em; negociado com: nivelado a. com, por; nobre de, em, por; noção de, sobre; nocivo a; nojo a, de; notável em, por; núpcias com. O Obediente a; oblíquo a; obrigação de: obse- quioso com; ódio a, contra, de, para com; odioso a, para; ojeriza a, contra, por; onero- so a; oposto a; orgulhoso com, de, para com. P Pálido de; paralelo a; parco de, em; pareci- do a, com; pasmado de; passível de; peculiar a; pendente de; perito em; permissivo a; per- nicioso a; perpendicular a; pertinaz em; pesa- do a; piedade com, de, para, por; pobre de; poderoso para, em; possível de; possuído de; posterior a; prático em; preferível a; prejudi- cial a; prcócupaçao com, de, em, para, para com, por, sobre; preocupado com, de, em, para com, por; prestes a, para; presto a, para; primeiro a, de, dentre, em; pródigo de, em; proeminência de, sobre; pronto a, em, para; propenso a, para; propício a; proporcionado a, com; proprio de, para; protesto a, contra, de; proveitoso a; proximo a, de. Q Qualificado de, para, por; queimado de, por; queixa a, contra por; questionado sob quite com, de. R Rebelde a; relacionado com; relativo a; rente a, com, de; residente em; respeito a, com, de, para, para com, por; responsável por; rico de, em; rigido de; rijo de. S Sábio em; são de; satisfeito com, de, em, por' seco de; sedento de, por; seguido a, de. por, 'eguro de, em; semelhante u; senador por; sensível a; serviço em; severo com, em, para com: simpatia a, para com, por; sito em; situado a, em, entre; soberbo com, de; sóbrio de, sobre; querido de. ; de, em; sofrido em; solicito com; solidário: com; solto de; sujo de: superior a; surdo a, de: suspeito a, de. T Tachado de; talentoso em_ para; tardo u, em; tarjado de; taxado em; tédio a, de_ por; temente a_ de; temcrário em; temeroso de; temido de, por; temível a; temperado com, de, em, por; tenaz em; tendência a_ de, para; tco- ria de, .ro/ ire; terminado em, por; terno de; tcrror de, por, more; testemunha de; tinto de, em; traidor a, de; transido de; trespassado de; triste com, de. U Último u, de. em; ultraje a; unânime em; união a, com, entre; único u, em, entre, .vobi-e; unido u, ufavor de, contra, entre; unificado ~ em; usciro em; útil a, para; utilidade em, [Ja/ Zl; utilizado em, para. V Vacina contra; vaga de, para; vaia o, con- tra, em; vaidade de. em; vaidoso de; valioso a, para; valor em, para: vantagem a, de, em, para. sobre; vantajoso u, para; vussalzigcm a; vazado em; vazio dc; vedado a; vcleidudc de; venda a. de, para; vendido a; veneração u, de. para com. por: verdade sobre; verea- dor a, por; vergonha de, para; versado em; versão para, .vobrcn vestido com. de, em; veterano em; vexado com, de. por; viciado em; vidrado em; vinculado u, com, entre; visivel u; vital u, para; viúvo de; vizinhança com, de; vizinho u. cont, de; vocação u, (lc. para; voltado u, contra, para, .vohrez vontade de, para; vulnerável u. lia- 3n- ; ta- ris- ; ou na hu go. ttcr á e raí- : ta- em : us 'ío- ou lçào 2006 un a cul- lllr
  5. 5. b)' a) b) d) do. l'. iltl tio ill” b)l I ri , r-. ,I : - i r , . , i bHÊJi-J: y É) : lili : lilo Pôr em cheque ou em xeque? Cassar ou caçar a licença? Calda ou cauda de carame- lo? As formas corretas são: pôr em xeque, cassar a licença e calda de caramelo. Palavras desse tipo se chamam parônimas c, como se pode ver na lista a seguir, são pare- , cidas na grafia e na pronúncia, mas apresen- tam sentido muito diferente. Segue-se, em ordem alfabética, uma rela- ção de algumas dezenas desses vocábulos. A lista o ajudará a escolher a palavra correta em cada caso. A preposição que exprime distância ou tempo futuro: 0 amigo morava a meia qua- dra de distância/ Ele chegará daqui a dois mesesz/ O avião estava a cinco minutos de São Paulo. Há flexão do verbo haver, indica passado e equivale a faz: O analista entrou na empresa há (faz) 20 anos/ Eles' chegaram há (faz) pouco/ A mudança ocor- reu há (faz) dois meses. Absolver inocentar: absolver o réu. Absorver assimilar: absorver energia, absorver ensinamentos. Acender ligar, pôr fogo: acender a luz, a fogueira. Ascender subir, progredir: ascender aos (réus, ascender na carreira. Acento - sinal gráfico: acento agudo. Assento - t acomodação: assento do carro, tomar as- _ sento em. Acidente acontecimento infeliz, desastre: acidente pós-operatório, acidente de traba- , lho, acidente de trânsito. Incidente cir- cunstância casual. episódio, atrito: Houve um incidente entre os dois deputados/ O incidente/ ez que rompesseni a amizade. Aja - atue (de agir): E preciso que você aja sem demora/ Não aja sem pensar. Haja exista (de haver): E preciso que haja pes- soal competente nas empresas/ Haja dinheiro ou não, o trabalho tem de ser/ eita. Amoral - desprovido do senso da moral: Para Oscar PVilde. a arte e amora! , Imoral libertino, lascivo: livro imoral, individuo imoral. Arrear - aparelhar (animal): arrear o cavalo. Arriar -- baixar: arriar a bandeira. caçar procurar: caçar animais, caçar os assaltantes. Cassar - tomar nulo: cassar um mandato. calção -- peça de vestuário, maiô: vestir o cal- ção. Canção garantia: titulo em caução. Calda solução de açúcar: doce em caldo, calda de caramelo. cauda - rabo, prolonga- mento: cauda do animal, cauda do vestido, piano de cauda. Cela aposento: cela da cadeia, cela do con- vento. Sela assento: sela do cavalo. Censo recenseamento: censo da população. Senso - juizo: bom . senso, senso de justiça. Cerrar -- fechar: cerrar as portas. Serrar - cor- tar: ,serror o tronco. Cessão ato de ceder: cessão de direitos autorais, cessão de bens, cessão de unz prédio. Sessão -- tempo que dura um espe- táculo, trabalho, ou esse próprio ato: ses- « são de cinema, sessão de radioterapia, ses- são de pancadas. Seção - divisão, segmen- N to, parte de uma publicação, setor: Seção ~ Eleitoral, Seção de Esportes (num jornal), _ seção de metais (numa orquestra), capitulo dividido em . seções, seção de brinquedos. Secção -- variante de seção ou amputação, l corte: Secção Eleitoral, .secção da aorta, irzwssecçao. icheque documento bancário: Emitiu um Cheque ao portador Xeque - lance do xadrez ou ameaça: 0 rei estava em xeque/ A inflação pás a economia em xeque. Comprimento - extensão: dois metros' de com- primento. Cumprimento - saudação, obser- vância, execução: cumprimento afetuoso, cumprimento da lei, cumprimento das ordens. O verbo é cumprimentar: Cumpri- mentou os amigos. Concerto peça ou sessão musical: concerto de piano. Conserto - reparo: conserto do aparelho, conserto de . sapatos. Coser -- costurar: coser a roupa. Cozer -- cozi- nhar: cozer os alimentos. Deferir - atender: de erir Houve - existiu: Houve vontade, mas não houve tempo de mudar o processo. Ouve - escuta: Ele não ouve bem/ As vezes, a moça ouve ruídos estranhos. Infligir ~ aplicar: infligir derrota ao inimigo. lnfringir - violar: infringir os preceitos. (Atenção: não existe a forma “inflingir”. ) Intercessão - intervenção: Todos pediram a sua inlercensãr) no caso. interseção - corte, cruza- mento: interseção de duas retas, a interseção das tuas. intersecção - o mesmo que interse- ção: As ruas tem intersecções perigosas. Mais - em maior quantidade: exigir sempre mais. Mas -- porém: Des- um pedido. Diferir divergir: diferir de alguém. Substantivos: deferimento e diferi- mento. Descrição narrativa: descrição dos _fatos e o seu significado: Discrição reserva: agir com discrição. (Atenção: “discreçãd” não existe. ) Descriminar inocentar: descriminar o réu, descriminar o uso da droga. Discriminar especificar, segregar: discriminar os produ- tos, discriminar as minorias raciais. Subs- tantivos: descrimina- ção e discriminação. Despensa ~ parte da ca- sa: abastecer a des- pensa. Dispensa - licença, demissão: pe- dir dispensa, dispensa do emprego. Despercebido - que não foi notado: Ofízto pas- sou despercebido. De- rentes: mento). Os vocábulos e os sons As palavras podem ser classificadas em quatro grandes grupos quanto à relação entre a sua pronúncia e grafia a) Homônimas. Têm a mesma pronún- cia e grafia, mas significado dife- rente. Exemplos: caso (de casar) e caso (fato); cedo (de ceder) e cedo (antes da hora). b) Homógrafas. Têm a mesma grafia, mas pronúncia e significado dife- rentes: almoço (de almoçar) c almoço (refeição); este (pronome) e este (ponto cardeal). c) Homófonas. Têm a mesma pronún- cia, mas grafia e significado dife- concerto musical) e conserto (reparo); cessão (ato de ceder), seção (repartição) e sessão (tempo de uma reunião). d) Parõnimas. Têm grafia e pronúncia parecidas, mas significado diferen- te: iminente (prestes a acontecer) e eminente (ilustre); acidente (de- sastre) e incidente (desentendi- culpe, mas isso e boba- gem/ Banitinha, mas or- * dinária. Mal opõe-se a bem: mal-humorado, mal-in- tenciopado, praticar o mal. E também sinôni- mo de doença: mal de Chagas, mal de Par- kinson. Mau opõe-se a bom: mau humor, mau desempenho, mau chei- ro, mau dia. Mandado - ordem judi- cial: mandado de prisão, mandado de penhora, mandado de busca e apreensão. Mandato - delegação, representa- ção: mandato de deputa- do, mandato de senador Nenhum - antônimo de algum: Não deu nenhum recado/ Nenhum deles saiu. Nem um nem um único, nem um sequer: Não quis ficar nem um ins- tante tnaisz/ Nem um único amigo o consolou. Paço - palácio: paço mu- (apresentação sapercebido - despro- vido, desprevenido: desapercebido dei dinheiro, desapercebido para a guerra. Emergir - sair do fundo, vir à tona: emergir da água. Imergir - mergulhar: imergir no lago. substantivos: emersão c imersão. Adjetivos: emerso e imerso. Emigrar - sair de um pais para se fixar em outro: Emigrou da Itália e se fixou no Brasil. lmigrar entrar em um pais para nele viver: Milhares de europeus imigra- ram para o Brasil no começo do século. Assim, a pessoa emigra quando deixa um pais c imigra quando chega a outro. Os japoneses, por exemplo, são emigrantes em relação ao Japão e imigrantes em rela- ção ao Brasil. Eminente ilustre: jurista eminente. Iminente - muito próximo: perigo iminen- te. Substantivos: eminência e iminência. i Espiar - olhar: espiar o jogo. Expiar -- pagar: expiar os pecados. Estático - imóvel: figura estática. Extático -- em êxtase: ar extático. Estrato - tipo de nuvem: cirros e estratos. Extrato - resumo, coisa extraída: extrato da conta, extrato de tomate. Flagrante - evidente; ato de flagranfagrante delito, apanhado enzflagrante. Fragrante - perfumado: flores fragrantes. Substanti- vos: flagrância (desusado) e fragrância (perfume). Fluir -- proceder, escorrer: Tudo flui de Deus/ O trânsito fluia bem. Fruir - aprovei- tar: fruir as coisas boas da vida. Fusível - dispositivo elétrico: A sobrecarga _fez o fusivel queimar. Fuzil - arma: Levou um tiro de fuzil. nicipal. Passo › marcha: ' passo rápido, passo de ganso. Peão - trabalhador: peão de obra. Pião ~ brin- ' quedo: rodar o piâo. Pleito - eleição: vencedor do pleito, .surpresas do pleito. Preito - homenagem: ¡Jreito ao artista, preito da sociedade. Polpa parte da fruta: polpa do pêssego. Poupa - economiza: Ele poupa em tudo. Posar e fazer pose, f ingir-se de: A modelo po- sou para o calendário/ Ele posa de rico. Pousar descer, passar a noite em, descan- sar, pôr em cima de: 0 avião pousou sem problemas/ Pousoram na casa do pai. / A caravana viajou dois dias sem pousar/ A enzpregada pousou a xícara na mesa. Precedente -- anterior, antecedente: livro pre- cedente, precedente histórico. Procedente - originário: procedente do exterior. Subs- tantivos: precedência e procedência. Preeminente superior: advogado preemi- nente. Proeminente que sobra: nariz proeminente. substantivos: preeminência e proeminência. Prescrição ordem, vencimento do prazo: prescrição médica, prescrição do crime. Proscrição - banimento: proscrição dos tes- tes nucleares. Adjetivos: prescrito e pros- crito. Verbos: prescrever e proscrever. Ratificar - confirmar: ratificar o acordo. Retificar - corrigir: retificar o erro. Saldar - pagar: saldar uma divida. Saudar - cumprimentar: saudar um amigo. Sanar v- corrigir: sanar afalha. Sanear - tor- nar habitável, recuperar: sanear o pântano, sanear asfinanças. Sanção - aprovação: sanção do projeto. San- são - herói bíblico: os cabelos de Sansão.
  6. 6. Soar fazer-se ouvir: O . vino . soa na hora da nzixsa. Suar -- transpirar: Ele sua nzuito/ Eu suo bastante. Sob - debaixo de: Eatonclezt-sr¡ . rob a cama/ Firoii soh intenso tiroteio. Sobre - em cima de, a respeito de: O livro estava . sobre a n1e. s'a. /Ii'alou . sobre ax . vilas utivizlatles'. Tachar pôr defeito em: ?Etc/ tou o adversorio de corrupto. 'I'axar - tributar: 0 governo taxou as importações'. Tráfego trânsito: trafego de iteícitlos, Irá/ ego congestionado, corredores' de tráfego. Tráfico -› comércio ilegal, uso de influência: tráfico de drogas, trai/ ivo de armas, tra/ ivo de esrrcivos', trai o de tim/ heroi', It _lion de iri/ Izténcia. Trás atrás: C hogar' para trásn/ Veio de trás. Traz - flexão de trazer: Dinheiro trazfelicidade? /0 ônibus' tra: UA' trabalhadores/ O livro tra: mui- tas ilustrações. Viagem substantivo: a viagem do presidente, Viajem -- flexão verbal: E preciso que viajem logo. Vultoso volumoso: valioso (*IM[)I'ÉS'IÍIH(). Vultuoso com a face congestionada: rosto vultuovo. l l r"| _fl : fl/ l r '“l  J to, ,i J ñ i) : J Locações são conjuntos de palavras que fun- cionam como uma unidade: à CHSIU de. em via de, a Inez/ ida que, .sem dúvida, etc. Quando tem por base o mesmo termo ou outro parecido, costumam provocar confusões idênti- cas às das palavras parônimas. Abaixo está uma lista das principais delas. Vale a pena emprega-las com precisão. Acerca de sobre, a respeito de: Falou : mero da chegada do hortiem (i Lua/ Quero . vaber tudo acerca das pesquisas'. A cerca de - apro- ximadamente: A torcida ficava a cerca de l U metros' tloxjogatl<)›'e. v./ H': o aviso a cerca de I 00funeioacirios'. Cerca de - perto de: Cerca de .70 peizvous' estavam presentes. Há cerca de faz aproximadamente: Há cerca de de: anos ele é o : :expo/ travel pelo . vetor/ O ônibus partiu há cerca de 15 minutos, Afim ~ semelhante ou parente que não tem o mesmo sangue: Lifins, (llWlaS afins, vocábulos tt/ in. , pareatex afirm- (eunhados, por exemplo). Afim de da mesma natureza: O espanhol (idioma) c' a/ im do portugués. A fim de - para: Extra/ e a _fim de . ser uproitaclo. Na linguagem , coloquial. equivale u estar com vontade: Extoa ajim de viajar para o litoral. Não se recomen- da esse uso nos textos formais, porém. Ao encontro de em direção a, em beneficio de (indica situação lhvorável): Foi ao encontro do llIHÍgU/ xl ¡iromoção veio ao encontro da sua expccttttiva (isto e'. o contentou). De encontro a contra (indica choque. oposição): A (ÍBDIÍS- . são veio de encontro aos . reits planos (isto e', o prejudicouy/ O carro/ tb¡ de encontro ao muro. Ao invés de ao contrário de: O preço . subia, ao invex de cair/ Ao invés de distribuir os livros, ficou com eles. Em vez de -- em lugar de (indi- ca substituição): Fo¡ ao cinema, em vezdejlear' em cara (e nunca “ao inví' de": existe mera troca e não situação eontraria). /Comea vege- tais, em ve: dejrzttasz/ Etti vez de viajar de ôni- lvax, jo¡ de ctvião. Se estiver em dúvida, prefira em vez de. que serve para os dois casos. Ao par veram ao pw'. /Câr›ihio ao par/ Tititlos' ao par: A par de ciente de, informado: Estava upar da . rititziçãtr/ Ficoi¡ a par dos aeonferimentos'. A principio - no inicio: A principio ia re/ ornzat* a Casa, mas depois decidiu ampliá-lci, Em principio -- em tese, antes de qualquer consi- de valor igual: 0 real e o dólarjá esti- Resumão deração, antes dc tudo: Em princípio (em tese), todos são iguais perante a lei/ Queria, em principio (antes de tudo), .ser o melhor na profissão/ Em principio (antes de qual- quer eonsideração), essa é a melhor . solução. Por principio -- por convicção: Por principio. não deixo nenhum trabalho incompleto/ Por' prinrípio, não tolero ¡iesxvtnrv raeilstas'. À-toa - sem valor. fácil, desprezível: problema ci-tocr, homem à-lou, .serviço à-toa, peiysoa à- toa. A toa - ao acaso, inutilmente, sem refle- tir: Camirihztita à toa pelo bairro/ Fe: o . sacri- fício à IotL/ Disctttizt à toa com o amigo. Por hora -- por 60 minutos: Ele Cobra o . serviço por hora de trabalho/ Passovatii pelo pedágio 6 mil carros por hora. Por ora -- por enquanto, por agora: Não pretende, por ora, deixar a ("idade/ Por ora, é tudo o ae sei. . q . - . Ter de ter necessidade ou obrigaçao, precisar: Tenho de ir embora/ xl empresa tem de rever . ruas metas/ O Brasil tera' de importar _feijão_ Embora muito comum, o uso de “ter que” como precisar (“Tenho que sair logo”) sofre restrições por parte de alguns gramaticas. Por i. o, é con- veniente evitá-Io. Ter que -- ter para, a: Tenho _ muito que fazer/ Eles nada tem que (para) _ comer/ O ¡Jais tem fronteiras que defender i” ap El : l El Você ouve, a toda a hora, frases como: Ele Chegou ao Brasil há de: anos atrás/ E preciso encarar os desafios de frente/ O meio-de-campo é o elo de ligação entre a defesa e o ataque/ O assaltante entrou dentro do prédio. Elas têm algum problema? Têm. Todas envol- vem redundâncias ou pleonasmos (destacados pelos negritos), que são palavras óbvias, supériluas ou desnecessárias na frase. Na linguagem literária, às vezes se repete ou reforça uma idéia, como nes- tes exemplos: Vi com os olhos que a terra há de Comer/ Sonhei um sonho sonhado/ Andei com as próprias pernas/ Ele riu um riso amarelo. Nos casos citados no início, porém, nada há de literário: trata-se, na verdade, de pleonasmos não apenas cometidos inadvertidamente, mas também facilmente evitáveis. Veja a seguir uma relação dc redundâncias muito comuns e faça o possivel para fugir do óbvio: "Acabamento final". Pode existir “acabamento parcial"? "Almirante da Marinha". Só existem lllmllümôô' na Marinha. , "Brigadeiro da Aeronáutica". Só existem bri- l gadeiros na Aeronáutica. "Conclusão final". Só tem sentido se houver outras conclusões, parciais. u "Continuar, manter, permanecer ainda". Todos esses verbos dão idéia de uma coisa que não se interrompe. Portanto, o ainda está sobran- do: Ele Continua no cargo (e não “ele comi- nua ainda rio Cargo") . "conviver junto". Pode-se “conviver separada- mente"? u. "Criar novos empregos". Tudo que se cria e novo. Por isso, devem-se apenas criar em- pregos. "Descer para baixo". Ninguém desce “para cima". “Despesas com os gastos". Despesas e gastos são sinônimos. "Elo de ligação". Elo já significa ligação. Por isso, use ela apenas. . "Encarar ou enfrentar de frente". Ninguém encara nem enfrenta “de costas" ou "de lado”. Fale em encarar _fírn1en1ente, enfrentar com decisão, etc. u "Entrar dentro". Ninguém entra “fora": o ata- ' cante, por exemplo, entra na área e não “den- tro da” área. r. "Estrelas no céu". Onde mais as estrelas' esta- riam? w "Exultar de alegria". Pode-sc “exaltar de tris- tezzf"? a "Ganhar grátis". Use receber _gira/ ist : liguem ganha “pagandowl a. "General do Exército". Só existem generais no Exército. 't- "Goteira no teto". Onde mais a goteira estaria"? w "Há dez anos atrás". (Tomo não existe "há de7. anos na frente". diga apenas que ele chegou ha de: anos ou de: anox atrai', "Hábitat natural". O “natural” está sobrando: habitat é o lugar habitado por uma espécie em estado natural. "inaugurar ou lançar novo". Ninguem inaugu- ra ou lança “coisas velhas". "Já não há mais motivo". Ojo' e o mais' têm a mesma função na frase. Por isso: já não há motivo ou não há mais motivo. "Labaredas de fogo". Toda ! abarca/ a é dc fogo, "Manter o mesmo time". Pode-se “manter outro time"? v» "Monopólio exclusivo". Se e monopólio, já c total ou ff. '('lll. 'lvll. a "Paises do mundo". De onde podem ser os pai- . sex, a não ser do mundo? "Pequenos detalhes". Existem “grandes deta- lhes"? Fale em detalhes, somente. : r "Planos ou projetos para o futuro". Alguem faz “planos para o passado"? Fale nos seus planos ou projetos, apenas, ou defina o perío- do deles: A enzprcava revelou . veux planos (ou projetos) para o triénio 2003-2005. w "Prefeitura municipal". Existe alguma que não seja municipal? "Regra geral". Toda regra já é uma gencrali- i zação. “Sair fora". Ninguém sai “para dcntro“: alguém sai de casa e o goleiro sai da área, e não sai “para fora" de casa nem sai “fora da area". "Sorriso nos lábios". Onde mais o . sorriso estaria? "Sua autobiografia". Se é autobiogra/ izi, já é sua. "Subir para cima". Ninguém sobe “para baixo". "Surpresa inesperada". Ainda não nasceu a “surpresa esperada". "Todos foram unânimes". Se são todos, tem de ser Llllânllllüó'. Diga: Elesj/ oram anúninzev. "Viúva do falecido". Não pode haver viúva¡ sem jalecicio. Barros, Fischer & Associados _W ? edição . .. Novembro/ ZOOG Resumao Autor: Eduardo lviarims Arte: Maurício Ciotl¡ Revisão: Málclii Menu* Resumão - Regência (Série Lingua Portuguesa, n? 5) publicação da Barros FiseheiéS/ Àssociados Ltoa sob l cerç CCl- Iorin? de Eduardo Martins (O Barros Ftxtílíñ' R. ASSOCIéiKlUS Lin: : 2003 Endereço: Rua Ulpiano 86 Pinheiros Sao Paulo CEP 05050-020 Telefone/ fax 000011 3675-0508 Sue www. bafisa. com. br E-mail' bafisa@uol. i:om. br Impressão: ESKôHaZl Industria Guinea l lílzi Distribuição e vendas: Buitsa, lei 0 (xx)l i 3615-0508 v W Atenção l É exp, esga_, ,e, ,,c ISBN BS-BEPLH-Bl-“l oihirla a reprodu- ' (i0 COIlIfÉKIÓO (msm I publicação sem a previa aiiiorizaçao “mam” 788588 749313 Outros títulos da mesma série: Os 150 erros mais comuns, Ortografia e Hífen, Concordância, Crase e Acentos, e Verbos

×