PDP

1.482 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.482
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
118
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
27
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

PDP

  1. 1. INSTRUMENTOS DE APOIO À CONSTRUÇÃO DE UM PROJECTO VOCACIONAL NOS CENTROS NOVAS OPORTUNIDADES 22 de Janeiro de 2009 Instituto de Orientação Profissional, U.L. Agência Nacional para a Qualificação, I.P.
  2. 2. O porquê deste projecto <ul><li>Iniciativa Novas Oportunidades </li></ul>Visando a Qualificação da População Adulta Portuguesa através de: estímulo à utilização efectiva das ofertas de Educação e Formação de Adultos balanço do capital de competências adquirido em contextos não formais ou informais de vida e/ou
  3. 3. O porquê deste projecto <ul><li>Iniciativa Novas Oportunidades </li></ul>Partilha finalidades comuns às Intervenções Vocacionais : Potenciar a assumpção de um papel profissional com significado pessoal e utilidade social Activar e potenciar conhecimentos , atitudes e comportamentos promotores de adaptação social e
  4. 4. Movimentos de Orientação e de Educação de Carreiras e de Qualificação <ul><li>são considerados nos seus fundamentos </li></ul><ul><li>importantes propulsores: </li></ul><ul><li>da integração social </li></ul><ul><li>da empregabilidade </li></ul><ul><li>do desenvolvimento e da integração dos recursos humanos em contextos cívicos, sociais e económicos </li></ul>
  5. 5. Cooperação entre a Agência Nacional para a Qualificação e o Instituto de Orientação Profissional <ul><li>Instrumentos de apoio à construção de um projecto vocacional nos Centros Novas Oportunidades </li></ul><ul><li>Concepção de uma metodologia de trabalho dirigida aos processos de Acolhimento, Diagnóstico/Triagem e Encaminhamento de Adultos </li></ul><ul><li>Preparação de linhas orientadoras para um Plano de Desenvolvimento Pessoal dos Adultos </li></ul>
  6. 6. Aspectos Metodológicos e Conceptuais Na base da estruturação dos Instrumentos de Apoio à Construção de um Projecto Vocacional nos Centros Novas Oportunidades Visitas de acompanhamento a Centros Novas Oportunidades Análise de documentação diversa Reuniões de trabalho com responsáveis e técnicos dos serviços da ANQ
  7. 7. Aspectos Metodológicos e Conceptuais Fundamentos que estão na base da estruturação dos Instrumentos de Apoio à Construção de um Projecto Vocacional nos Centros Novas Oportunidades Filosofia da Educabilidade Vocacional Perspectivas de Desenvolvimento Vocacional que emergiram em meados do Séc. XX nos EUA (Super, 1953) Justificação social da Orientação
  8. 8. Aspectos Metodológicos e Conceptuais As primeiras formulações dos Modelos de Desenvolvimento Vocacional enunciaram outras proposições fundamentais: Valorização das características individuais e da sua relação com padrões de desempenho em actividades formativas e profissionais Evolução dessas características ao longo do tempo e sua interacção com experiências vivenciadas pelas pessoas em diferentes contextos Identificação de fases e tarefas de desenvolvimento vocacional permite planeamento de intervenção que promova esse desenvolvimento
  9. 9. Aspectos Metodológicos e Conceptuais De formulações posteriores na Teorização Vocacional de Super (1980) tomámos ainda duas dimensões fundamentais: Dimensão longitudinal (perspectiva de ciclo de vida) Dimensão latitudinal ou interactiva (constelação de posições e papéis de vida que interagem ao longo do ciclo de vida em diferentes teatros, Como a família, a escola, o trabalho ou a comunidade)
  10. 10. Aspectos Metodológicos e Conceptuais Os modelos desenvolvimentistas (Super, 1990) evoluíram para um Quadro Teórico centrado no conceito de Construto Pessoal Determinantes Pessoais e Situacionais Significados atribuídos pelas pessoas a determinantes Pessoais e Situacionais Construção de Projectos Vocacionais
  11. 11. Aspectos Metodológicos e Conceptuais Mudanças profundas nas carreiras do mundo actual levam à proposição de novos quadros teóricos (p. ex., McAdams, 1995; Savickas, 2001) Maior flexibilização quanto à sequência de estádios e à sua caracterização Acentuação da importância da singularidade individual e da autonomia na condução do curso de vida Auto-regulação do comportamento torna-se importante elemento de adaptabilidade em contextos cada vez mais complexos, imprecisos e efémeros
  12. 12. Aspectos Metodológicos e Conceptuais Em síntese, consideram-se: três grandes domínios interdependentes para a fundamentação dos Instrumentos de Apoio Abordagem da pessoa na sua singularidade Consideração de diferentes papéis desempenhados em diferentes contextos Consideração da história temporalizada da evolução pessoal nesses contextos
  13. 13. Aspectos Metodológicos e Conceptuais Consideram-se ainda: quatro níveis de abordagem desses domínios para a fundamentação dos Instrumentos de Apoio Nível descritivo Nível interpretativo Nível extensivo Nível desenvolvimental
  14. 14. Aspectos Metodológicos e Conceptuais Finalmente, foi ainda tomado como fundamental o factor motivacional -Teoria da Acção Intencional (Vallack, Young, & Lynam, 2002) Conceito de Projecto Vocacional Conceito de adaptabilidade ao meio Mecanismos de selecção, optimização e compensação, bem como de interacção e auto-regulação
  15. 15. Contexto de Intervenção Assim, propõe-se uma estrutura de actividades potenciadora do desenvolvimento vocacional de adultos utentes dos Centros Novas Oportunidades, procurando: Permitir o trabalho em grupo, mas salvaguardando requisitos de privacidade Facultar actividades e conteúdos adequados às realidades de um público-alvo adulto Adoptar uma linguagem simples, porém, introduzindo conceitos e contribuindo para a aquisição de um repertório conceptual em si próprio estruturante para o desenvolvimento vocacional
  16. 16. Componentes Pedagógicos <ul><li>Organização em três módulos: </li></ul>Módulo I – SER – Como é que eu sou? Módulo II – ESTAR – Como me relaciono com os outros? Módulo III – AGIR – O que quero fazer?
  17. 17. Objectivos <ul><li>De natureza: </li></ul>COGNITIVA ATITUDINAL ACCIONAL
  18. 18. Objectivos Gerais Competências pessoais, relacionais e accionais Aprendizagem ao longo da vida Competências de gestão de carreira Pró-actividade Conceito de si próprio Valorização pessoal
  19. 19. Componentes Pedagógicos Módulo I – SER – Como é que eu sou? Módulo II – ESTAR – Como me relaciono com os outros? Módulo III – AGIR – O que quero fazer?
  20. 20. Módulo I – SER Módulo II – ESTAR Módulo III - AGIR Como é que eu sou?
  21. 21. Objectivos Promover a valorização pessoal , a partir da aquisição de conhecimentos e do desenvolvimento de atitudes e de competências facilitadores do processo de construção do conceito de si próprio Desenvolver favorabilidade à exploração, identificação, reconhe- cimento e clarificação de diferentes dimensões do auto-conceito Facilitar a aquisição de conhecimentos e o treino de competências pessoais importantes na construção do auto-conceito Módulo I – SER Módulo II – ESTAR Módulo III - AGIR
  22. 22. Temas do Módulo I - SER   Como é que eu sou? Tema 1 – Conhecer-se melhor   Tema 2 – Reconhecer atributos   Tema 3 – Valorizar-se mais
  23. 23. Módulo I – SER Módulo II – ESTAR Módulo III - AGIR Actividades do Tema 1: Descrição de si próprio Apresentação da descrição de si próprio Características pessoais e papéis desempenhados Tema 1 – Conhecer-se melhor Tema 2 – Reconhecer atributos Tema 3 – Valorizar-se mais
  24. 24. Módulo I – SER Módulo II – ESTAR Módulo III - AGIR Tema 1 – Conhecer-se melhor Tema 2 – Reconhecer atributos Tema 3 – Valorizar-se mais Actividades do Tema 2: Análise e identificação de conhecimentos e competências Aquisição e desenvolvimento de conhecimentos e competências Desenvolvimento pessoal em diversos papéis de vida
  25. 25. Módulo I – SER Módulo II – ESTAR Módulo III - AGIR Tema 1 – Conhecer-se melhor Tema 2 – Reconhecer atributos Tema 3 – Valorizar-se mais Actividades do Tema 3: A síntese do meu percurso de vida Dizer aos outros quem sou Valorizar quem sou
  26. 26. Módulo I – SER Módulo II – ESTAR Módulo III - AGIR Como me relaciono com os outros?
  27. 27. Objectivos Desenvolver a pro-actividade e outras competências adaptadas a contextos de incerteza e de imprevisibilidade Sensibilizar para a importância da agência pessoal na exploração, selecção, interacção e optimização de oportunidades Desenvolver competências de avaliação e de antecipação dos resultados da interacção com diferentes oportunidades Módulo I – SER Módulo II – ESTAR Módulo III - AGIR
  28. 28. Temas do Módulo II - ESTAR Como me relaciono com os outros? Tema 4 – Estar com os outros Tema 5 – Desenvolver a flexibilidade e a adaptabilidade   Tema 6 – Explorar e optimizar oportunidades
  29. 29. Módulo I – SER Módulo II – ESTAR Módulo III - AGIR Tema 4 – Estar com os outros Tema 5 – Flexibilidade e adaptabilidade Tema 6 – Explorar oportunidades Actividades do Tema 4: Resolução de um dilema Discussão e resolução consensual de um dilema Competências sócio-afectivas (intra e interpessoais)
  30. 30. Módulo I – SER Módulo II – ESTAR Módulo III - AGIR Actividades do Tema 5: Auto-descrição sócio-afectiva Treino de competências sócio-afectivas Plano de desenvolvimento de uma competência sócio-afectiva Tema 4 – Estar com os outros Tema 5 – Flexibilidade e adaptabilidade Tema 6 – Explorar oportunidades
  31. 31. Módulo I – SER Módulo II – ESTAR Módulo III - AGIR Tema 4 – Estar com os outros Tema 5 – Flexibilidade e adaptabilidade Tema 6 – Explorar oportunidades Actividades do Tema 6: Exploração e optimização de oportunidades na Internet Análise conjunta das oportunidades exploradas na Internet Plano para a exploração e optimização de oportunidades
  32. 32. Módulo I – SER Módulo II – ESTAR Módulo III - AGIR O que quero fazer?
  33. 33. Objectivos Promover uma atitude favorável à aprendizagem e desenvolvimento ao longo da vida , nos diferentes papéis, fases e contextos de vida Estimular a agência individual e a progressiva adesão e responsabilização pela formulação e implementação do projecto vocacional Facilitar a construção do projecto vocacional como organizador e catalisador de pensamentos, emoções e acções promotores de desenvolvimento Módulo I – SER Módulo II - ESTAR Módulo III – AGIR
  34. 34. Temas do Módulo III - AGIR O que quero fazer? Tema 7 – Aprender ao longo da vida Tema 8 – Desenvolver o poder pessoal   Tema 9 – Construir o projecto vocacional
  35. 35. Módulo I – SER Módulo II - ESTAR Módulo III – AGIR Tema 7 – Aprender ao longo da vida Tema 8 – Desenvolver o poder pessoal Tema 9 – Construir o Projecto vocacional Actividades do Tema 7: Análise de casos de vida Análise conjunta de casos de vida Crenças, atitudes e comportamentos face à aprendizagem Ao longo da vida
  36. 36. Módulo I – SER Módulo II - ESTAR Módulo III – AGIR Tema 7 – Aprender ao longo da vida Tema 8 – Desenvolver o poder pessoal Tema 9 – Construir o Projecto vocacional Actividades do Tema 8: História de vida Agência individual nas histórias de vida Quatro fontes de auto-eficácia
  37. 37. Módulo I – SER Módulo II - ESTAR Módulo III – AGIR Tema 7 – Aprender ao longo da vida Tema 8 – Desenvolver o poder pessoal Tema 9 – Construir o Projecto Vocacional Actividades do Tema 9: Construir o meu projecto vocacional Melhorar o meu projecto vocacional Monitorizar o meu projecto vocacional
  38. 38. INSTRUMENTOS DE APOIO À CONSTRUÇÃO DE UM PROJECTO VOCACIONAL NOS CENTROS NOVAS OPORTUNIDADES Muito Obrigada pela Vossa Atenção

×