Conceitos Avaliação da Formação

26.397 visualizações

Publicada em

Conceitos

0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
26.397
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
232
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
567
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conceitos Avaliação da Formação

  1. 1. O Processo de Avaliação da Formação PARTE 1 – CONCEITOS Fases da Avaliação da Formação
  2. 2. Introdução: Formação Profissional A formação realizada em Portugal poderá caracterizar-se e sistematizar-se em três grandes áreas e mercados: Escolas (Formação/Educação) Empresas/Entidades Formadoras (Formação Pré-Profissional e Profissional) Formação Empresarial/Consultoria (Formação “on job”/para a Empresa)
  3. 3. AVALIAR - CONCEITO <ul><li>Avaliar: </li></ul><ul><li>“ Determinar a valia ou o valor de algo; apreciar o merecimento de algo; estimar; julgar; orçar; </li></ul><ul><li>reconhecer a força de algo.” </li></ul><ul><li>Dicionário da Língua Portuguesa, Universal </li></ul>
  4. 4. AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO <ul><li>Conceito: </li></ul><ul><li>“ Processo que possibilita a monitorização sistemática de determinada intervenção formativa, recorrendo para o efeito a padrões de qualidade de referência explícitos ou implícitos, com vista à produção de juízos de valor que suportem a eventual tomada de decisões.” </li></ul><ul><li>Fontes: Patton (1997), Barbier (1990), Luís Capucha (1996) e outros. </li></ul>
  5. 5. AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO <ul><li>Resultados: </li></ul><ul><li>1. O auto-conhecimento das instituições , fazendo com que estas sejam capazes de disponibilizar informação relativamente à forma como funcionam, designadamente quanto à respectiva capacidade para cumprirem os objectivos que preconizam; </li></ul><ul><li>2. Uma eficaz monitorização de programas de formação , facilitando uma resposta atempada aquando da detecção de eventuais desvios face a necessidades dos respectivos públicos-alvo; </li></ul><ul><li>3. Apoiar a tomada de decisão dos diferentes actores com responsabilidades ao nível da implementação das intervenções formativas, com vista à introdução de eventuais correcções em tempo oportuno. </li></ul>
  6. 6. AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO <ul><li>Resultados (cont.): </li></ul><ul><li>4. Reforçar os processos de participação interactores envolvidos nas acções, apoiando ainda eventuais processos de negociação relativamente a aspectos críticos a melhorar e/ou reforçar. </li></ul><ul><li>5. Uma melhor sustentação de opções tomadas aquando de processos de auditoria interna. </li></ul><ul><li>Apurar os efeitos/impactes das intervenções formativas efectuadas , facilitando a justificação da utilidade social dos resultados obtidos. </li></ul><ul><li>A justificação de investimentos efectuados , assim como justificação de novos pedidos para intervenção na formação. </li></ul><ul><li>A reflexão e consequente reequacionamento de estratégias de formação, </li></ul><ul><li>assim como ajustamento de metodologias pedagógicas utilizadas. </li></ul>
  7. 7. AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO <ul><li>Actividades/Dimensões alvo de análise: </li></ul><ul><li>Detecção e análise de necessidades de formação. </li></ul><ul><li>(Visa-se conhecer a situação de partida) </li></ul><ul><li>Concepção de conteúdos programáticos. </li></ul><ul><li>(Visa-se aferir se os conteúdos programáticos foram </li></ul><ul><li>concebidos a partir de necessidades concretas.) </li></ul>
  8. 8. AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO <ul><li>Actividades (Cont.): </li></ul><ul><li>Execução da intervenção/projecto formativo. </li></ul><ul><li>(Procura-se verificar em que medida o programa deu uma </li></ul><ul><li>resposta ajustada às necessidades dos formandos.) </li></ul><ul><li>4. Aferição dos impactes da intervenção formativa. </li></ul><ul><li>(Procura-se verificar se a realização da formação provocou os impactes esperados pela realização da formação.) </li></ul>
  9. 9. AVALIAÇÃO DA FORMAÇÃO <ul><li>Actividades (Cont). </li></ul><ul><li>Realização de análises de custo-benefício (RCB). </li></ul><ul><li>(Visa-se apurar se o benefício obtido compensou o valor de investimento realizado na intervenção formativa). </li></ul>
  10. 10. Fases do Processo de Avaliação Linha temporal de Execução da Intervenção da Formação (Desenvolvimento) Avaliação “ EX-ANTE” (Pré-Avaliação) Situação Pós-Formação Avaliação “ ON-GOING” (Avaliação do Processo) Avaliação “ EX-POST” (Impacto) Incide sobre: Contexto, Características e Objectivos da intervenção formativa. Centra-se no momento de execução da formação . (Integra elementos da avaliação “ex-ante” e desenvolve-se em função dos aspectos a considerar numa avaliação “ex-post”.) Efectuada algum tempo após a realização da formação para apuramento de impactes.
  11. 11. AVALIAÇÃO “EX-ANTE” <ul><li>Conceito: </li></ul><ul><li>“ Efectuada antes da realização da formação, apresenta como objectivo último, a compreensão/definição dos indicadores de realização, de resultados e de impactes de formação.” </li></ul><ul><li>Fontes: Rossi (1999), Rodrigues (1993), Kirkpatrick (1998) </li></ul>
  12. 12. AVALIAÇÃO “EX-ANTE” <ul><li>Considerações Gerais: </li></ul><ul><li>“ A avaliação “ex-ante” apresenta como critérios de avaliação mais utilizados: a pertinência/relevância dos objectivos pretendidos face às necessidades pré-identificadas, assim como a coerência do projecto formativo quando considerada a cadeia de objectivos preconizados.” </li></ul><ul><li>Fonte: Rodrigues (1993). </li></ul>
  13. 13. DIAGNÓSTICO DE NECESSIDADES <ul><li>Conceito: </li></ul><ul><li>“ Processo que visa analisar eventuais “gaps” ou discrepâncias existentes entre o perfil de competências detido por um individuo ou conjunto de indivíduos e o respectivo perfil de competências desejado, resultando na elaboração de um plano de formação de natureza correctiva e/ou prospectiva.” </li></ul><ul><li>Fonte: Capela (2000), Meignant (1999) </li></ul>
  14. 14. AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA <ul><li>Conceito: </li></ul><ul><li>“ Modalidade de avaliação efectuada antes de uma acção ou sequência de acções de formação, tendo por finalidade a produção de informações que permitam determinar a situação dos formandos face aos objectivos de aprendizagem a atingir.” </li></ul><ul><li>Fontes: Figari (2000), Rossi (1999) </li></ul>

×