Avaliação do Processo Formativo

10.312 visualizações

Publicada em

Avaliação Processo

  • Seja o primeiro a comentar

Avaliação do Processo Formativo

  1. 1. Módulo: O Processo de Avaliação da Formação PARTE 2 Avaliação do Processo
  2. 2. Fases do Processo de Avaliação Linha temporal de Execução da Intervenção da Formação (Desenvolvimento) Avaliação “ EX-ANTE” (Pré-Avaliação) Situação Pós-Formação Avaliação “ ON-GOING” (Avaliação do Processo) Avaliação “ EX-POST” (Impacto) Incide sobre: Contexto, Características e Objectivos da intervenção formativa. Centra-se no momento de execução da formação . (Integra elementos da avaliação “ex-ante” e desenvolve-se em função dos aspectos a considerar numa avaliação “ex-post”.) Efectuada algum tempo após a realização da formação para apuramento de impactes.
  3. 3. AVALIAÇÃO “ON-GOING” <ul><li>Conceito: </li></ul><ul><li>“ Efectuada durante a realização da formação, acompanha a execução da mesma, produzindo informação para a monitorização e controlo de gestão do processo formativo, numa óptica de melhoria contínua” </li></ul><ul><li>Fonte: Rodrigues (1993); Patton (1997) </li></ul>
  4. 4. AVALIAÇÃO “ON-GOING” <ul><li>Conceitos Associados: </li></ul>Avaliação Ex-ante Avaliação Ex-Post Avaliação Diagnóstica Avaliação Formativa Avaliação de Reacções Avaliação Qualitativa/Quantitativa Avaliação Sumativa Avaliação de Aprendizagens
  5. 5. AVALIAÇÃO DE REACÇÕES <ul><li>Conceito: </li></ul><ul><li>“ Permite aferir o grau de satisfação dos participantes em relação à acção de formação e às condições em que a mesma decorreu, visando o eventual desenvolvimento de acções de melhoria”. </li></ul><ul><li>Fontes: Kirkpatrick (1998); Meignant (1999). </li></ul>
  6. 6. AVALIAR O QUÊ? Coerência Conformidade Eficácia Eficiência Oportunidade Pertinência Utilidade
  7. 7. AVALIAR O QUÊ? <ul><li>Avaliar a Coerência: Verificar a relação entre as características e componentes do processo formativo. </li></ul><ul><li>Avaliar a Conformidade: Verifica se um produto, processo ou serviço cumpre requisitos, prescrições, procedimentos ou normas especificadas. </li></ul><ul><li>Avaliar a Eficácia: Verifica em que medida os resultados obtidos reportam aos objectivos previamente estabelecidos. </li></ul><ul><li>Avaliar a Eficiência: Verifica em que medida os resultados do processo formativo justificam os recursos mobilizados. </li></ul>
  8. 8. AVALIAR O QUÊ? <ul><li>Avaliar a Oportunidade: Verifica em que medida determinado projecto dá resposta atempada às necessidades dos respectivos destinatários. </li></ul><ul><li>Avaliar a Pertinência: Verifica em que medida os objectivos de uma intervenção formativa correspondem às necessidades que estiveram na sua origem. </li></ul><ul><li>Avaliar a Utilidade: Verifica em que medida os resultados da formação correspondem às necessidades que estiveram na sua origem. </li></ul>
  9. 9. COMPETÊNCIA PROFISSIONAL <ul><li>Conceito: </li></ul><ul><li>“ Saber agir que implica a mobilização/combinação/transposição de recursos (conjunto de saberes) numa situação profissional específica, com vista a determinada finalidade.” </li></ul><ul><li>Fonte: Meignant (1999); Gomes (1999) e outros. </li></ul>
  10. 10. Competências - Sistematização <ul><li>“ Redigir ou formular uma competência implica utilizar um ou mais verbos de acção que devem descrever comportamentos observáveis com a indicação de um nível de proficiência esperado.” </li></ul><ul><li>Fonte: Avaliação da Formação – Glossário Anotado. </li></ul>
  11. 11. Competências - Sistematização <ul><li>Identificação das competências estratégicas a desenvolver no contexto de uma organização. </li></ul><ul><li>Identificação das competências transversais. </li></ul><ul><li>Identificação de competências específicas. </li></ul><ul><li>Identificação de competências-chave. </li></ul><ul><li>Identificação de níveis de proficiência/desempenho desejadas. </li></ul><ul><li>Validação dos referenciais de competências. </li></ul><ul><li>Identificação de níveis de proficiência/desempenho mínimos. </li></ul><ul><li>Identificação das condições necessárias à mobilização das competências pretendidas. </li></ul>Planificação do Processo de Avaliação de Competências
  12. 12. AVALIAÇÃO DA TRANSFERÊNCIA DE APRENDIZAGENS <ul><li>Conceito: </li></ul><ul><li>“ Visa aferir em que medida os saberes adquiridos pela via da formação foram efectivamente mobilizados para os respectivos contextos de aplicação.” </li></ul><ul><li>Fonte: Meignant (1999); Philips (1997) </li></ul>
  13. 13. PLANO DE DESENVOLVIMENTO INDIVIDUAL Modelo (Fonte: Kirpatrick 1997) Níveis de Proficiência Desejados (Ex.): Nível 1 – Realiza as actividades com apoio da chefia; Nível 2 – Realiza as actividades com relativa autonomia; Nível 3 – Realiza as actividades com total autonomia. Desejado Actual Data para avaliação de resultados Tempo a afectar a cada uma das actividades Condições para a realização das actividades Nível de Proficiência Objectivos a alcançar <ul><li>Área Funcional </li></ul><ul><li>Prioridades da Intervenção </li></ul><ul><li>Identificação de competências a mobilizar </li></ul>Actividades a Desenvolver (Elementos a Envolver) Data de regresso ao contexto de trabalho Plano de Desenvolvimento Individual

×