Apresentação carteira de câmbio e produtos

2.208 visualizações

Publicada em

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.208
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
6
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação carteira de câmbio e produtos

  1. 1. Treinamento 2012 Junho / 2012 1
  2. 2. Câmbio e Comercio Exterior
  3. 3. Estrutura da Carteira de câmbio DIRETOR RESPONSAVELCOMPLIANCE DECOL DECRE DECAM DEINT MESA CÂMBIO DEFIN MIDLLE B.I GT Câmbio Informativos Risco Mercado e Aprovação Cambio Clientes Internacional Clientes legais Liquidez Clientes Contabilidade Cambio Local Bancos SPB Corporativa Interbancário Conciliação Importação e Liquidações contábil e Garantias em ME Financeiras carteiras Conciliação Exportação contas M.E 3
  4. 4. Responsabilidades PLATAFORMA COMERCIAIS  Obter documentos cadastrais  Elaborar relatório de conheça seu cliente (câmbio)  Propor limites para operação de credito  Propor limites operacionais (GT Câmbio)  Cotar operações de credito  Acompanhar posições e vencimentos de clientes 4
  5. 5. Responsabilidades COMPLIANCE E CONTROLES INTERNOS  Aplicar procedimentos de conheça seu cliente  Aplicar procedimentos de prevenção a lavagem de dinheiro  Aplicar procedimentos de controles internos  Aplicar procedimentos de gerenciamento de risco operacional GT CÂMBIO  Aprovar clientes para operar câmbio  Estabelecer limites operacionais (capacidade econômica) 5
  6. 6. Responsabilidades CAPTAÇÃO  Estabelecer correspondência com Bancos no exterior  Estabelecer correspondência com Bancos no Brasil  Propor limites para instituições financeiras  Captação de recursos para financiamento ao COMEX  Suporte a vendas (plataformas comerciais) MESA DE CÂMBIO  Fechar operações de clientes comerciais  Fechar operações interbancárias e clearing câmbio  Gerenciar posição de câmbio  Administrar caixa em moeda estrangeira  Suporte a vendas (plataformas comerciais) 6
  7. 7. Responsabilidades FORMALIZAÇÃO (DECAM)  Formalizar operações de câmbio  Formalizar operações de credito e garantias vinculadas  Registrar, manter e liquidar operações de câmbio  Administrar caixa em moeda estrangeira  Suporte normativo 7
  8. 8. Responsabilidades CREDITO E RISCO DE CREDITO  Avaliar e estabelecer limites de credito clientes  Avaliar e estabelecer limites de credito Bancos  Estabelecer garantias vinculadas  Determinar ratings (cliente e operação)  Gerenciar riscos de créditos (liquidação, soberano, etc.) RISCO DE MERCADO E LIQUIDEZ  Gerenciar exposição cambial  Gerenciar caixa e fluxo de caixa MN E ME 8
  9. 9. Responsabilidades IMS  Apurar rentabilidade das operações LIQUIDAÇÃO FINANCEIRA  Aprovar liquidação financeira ME (SWIFT)  Aprovar liquidação financeira MN (SPB) 9
  10. 10. Responsabilidades CONTABILIDADE  Conciliar carteiras e saldos contábeis  Conciliar contas em moeda estrangeira CONTROLADORIA  Emitir informativos legais e para legais  Aplicar procedimentos de controle fiscal e tributário 10
  11. 11. PRODUTOS & MERCADOS
  12. 12. Produtos & MercadosTESOURARIA COMERCIAL INTERB. PRONTO  CAMBIO SPOT/FUTURO INTERB. FUTURO  EXPORTAÇÃO INTERB. TERMO  IMPORTAÇÃO ARBITRAGENS  GARANTIAS M.E. 12
  13. 13. PRODUTOS TESOURARIA
  14. 14. Câmbio Interbancário Definição • Compra e venda de moeda estrangeira mercado secundário Conceito • Nivelamento posição de câmbio Finalidade • Manutenção de posições proprietárias Público • Instituições financeiras no Brasil • Instituições financeiras no exterior Alvo 14
  15. 15. Câmbio Interbancário As operações no mercado interbancário podem ser celebradas para liquidação PRONTA, FUTURA ou a TERMO. Uma vez confirmada representa compromisso firme e irrevogável entre as partes, vedados o cancelamento, a baixa, a prorrogação ou a liquidação antecipada das mesmas. São contratadas nas modalidades de COMPRA e VENDA, sob a ótica do BANCO. 15
  16. 16. Câmbio Interbancário a Termo As operações de câmbio interbancárias a termo têm as seguintes características especificas:  a) a taxa de câmbio é livremente pactuada entre as partes e deve espelhar o preço negociado da moeda estrangeira para a data da liquidação da operação de câmbio;  c) são celebradas para liquidação em data futura, com entrega efetiva e simultânea das moedas, nacional e estrangeira, na data da liquidação das operações de câmbio;  d) não são admitidos adiantamentos das moedas. 16
  17. 17. Câmbio Interbancário – Outras Finalidades Giro financeiro – contratadas por bancos que atuam em posição intermediária e final em uma cadeia de operações negociada cujo resultado corresponde a uma operação entre dois bancos que não seria comportada por seus próprios limites operacionais recíprocos ou por outros fatores impeditivos; Passagem de linha - um banco entrega moeda estrangeira a outro através de uma operação de venda de moeda estrangeira para liquidação em determinada data e, simultaneamente, contrata uma operação de compra para liquidação em um dia a mais em relação à data de liquidação da operação de venda. 17
  18. 18. Interbancário - Ambiente Negociação 18
  19. 19. Interbancario-Registro Negociação Formaliza Formaliza Captura e Confirma Registro Confirmação 19
  20. 20. Interbancario-Liquidação MN 20
  21. 21. Interbancario-Liquidação ME 21
  22. 22. Interbancário Compra 22
  23. 23. Interbancário Venda 23
  24. 24. Interbancário Pronto Preço do câmbio de acordo com a negociação com a CUSTO TOTAL contraparte. Prazo minimo D+0 PRAZOS Prazo maximo D + 2 uteis Taxa de câmbio de Compra ou venda do mercado a TAXAS vista MN: LBTR (fora da clearing) ou LDL (Clearing de FORMA DE Cambio) LIQUIDAÇÃO ME: Credito ou Debito na conta corrente do Banco no Exterior UTILIZAÇÃO Gerenciamento da posição de câmbio e manutenção RECURSOS de posições proprietarias 24
  25. 25. Interbancário Pronto Risco • Mercado e Liquidez • Decorrente do risco de liquidação da contraparte, nas Intrínseco operações contratadas fora da clearing de câmbio.Formalização • Contrato de câmbio modelo padrão BACEN Garantias • Não se aplica vinculadas • Estipulado pela Clearing (BM&F) Limites • Estipulado pelo Banco (limite de credito) 25
  26. 26. POSIÇÃO DE CÂMBIO E CAIXA - COMPRA MOVIMENTO POSIÇÃO CÂMBIO CAIXA DATA EVENTO COMPRA VENDA R$ ME Emprest D zero 0 U$ 1.000 Externo Posição D zero Propriet. U$ 1.000 0 0 R$ 1,80 INTERB. D zero (U$ 1.000) 0 0 R$ 1,80 Liquidação D+2 R$ 1.800 (U$ 1.000) Interbanc Posição D+2 0 0 Propriet. SALDOS 0 R$ 1.800 0 26
  27. 27. POSIÇÃO DE CÂMBIO E CAIXA - VENDA MOVIMENTO POSIÇÃO CÂMBIO CAIXA DATA EVENTO COMPRA VENDA R$ ME Posição D zero Propriet. (U$ 1.000) 0 0 R$ 1,90 INTERB. D zero U$ 1.000 0 0 R$ 1,90 Liquidação D+2 (R$ 1.900) U$ 1.000 Interbanc Liquidação D+2 0 (U$ 1.000) Credor SALDOS 0 (R$ 1.900) 0 27
  28. 28. Câmbio Arbitragem Definição • Troca de uma moeda estrangeira por USD (parâmetro internacional) Conceito • Nivelamento posição de câmbio Finalidade • Manutenção de posições proprietárias Público • Instituições financeiras no Brasil • Instituições financeiras no exterior Alvo 28
  29. 29. ARBITRAGEM - COMPRA 2) ENVIA ORDEM DE PAGAMENTO USDE X T E R I O R CORRESP. CORRESP. INTERBANCARIO NO EXTERIOR NO EXTERIOR (BANCO EUR) (BANCO USD) 2) ENVIA ORDEM DE 2) C/C M.E. 2) C/C M.E. PAGAMENTO EUR 1) COMPRA EUR X VENDA USD REGISTRO BACEN B A N C O POSIÇÃO CAIXA CAIXA PROPRIETARIA EUR USD 29
  30. 30. ARBITRAGEM - VENDA 2) ENVIA ORDEM DE PAGAMENTO USDE X T E R I O R CORRESP. CORRESP. INTERBANCARIO NO EXTERIOR NO EXTERIOR (BANCO EUR) (BANCO USD) 2) ENVIA ORDEM DE 2) C/C M.E. 2) C/C M.E. PAGAMENTO EUR 1) VENDO EUR X COMPRO USD REGISTRO BACEN B A N C O POSIÇÃO CAIXA CAIXA PROPRIETARIA EUR USD 30
  31. 31. POSIÇÃO DE CÂMBIO E CAIXA - COMPRA MOVIMENTO POSIÇÃO CÂMBIO CAIXA DATA EVENTO COMPRA VENDA USD EUR Posição D zero U$ 2.000 0 U$ 2.000 0 Câmbio Pos. Prop. D+1 € 1.000 (U$ 1.300) 0 0 1,30 Liquidação D+2 U$ 1.300 €1.000 Arbitragem U$ 700 SALDOS U$ 700 € 1.000 € 1.000 31
  32. 32. POSIÇÃO DE CÂMBIO E CAIXA - VENDA MOVIMENTO POSIÇÃO CÂMBIO CAIXA DATA EVENTO COMPRA VENDA USD EUR Posição D zero € 2.000 0 0 € 2.000 Câmbio Pós. Prop. D+1 U$ 1.300 (€ 1.000) 0 0 1,30 Liquidação D+2 U$ 1.300 (€1.000) Arbitragem U$ 1.300 SALDOS 0 U$ 1.300 € 1.000 € 1.000 32
  33. 33. Arbitragem Preço da moeda de acordo com a negociação com a CUSTO TOTAL contraparte. Prazo minimo D+0 PRAZOS Prazo maximo D + 2 uteis TAXAS Paridade de Compra ou venda do mercado a vista FORMA DE ME: Credito ou Debito na conta corrente do Banco no LIQUIDAÇÃO Exterior UTILIZAÇÃO Gerenciamento da posição de câmbio e manutenção RECURSOS de posições proprietarias 33
  34. 34. Arbitragem Risco • Mercado e Liquidez • Decorrente do risco de liquidação da Intrínseco contraparte.Formalização • Contrato de câmbio modelo padrão BACEN Garantias • Não se aplica vinculadas Limites • Estipulado pelo Banco (limite de credito) 34
  35. 35. PRODUTOS COMERCIAIS
  36. 36. Cambio Spot/Pronto Definição • Compra e venda de moeda estrangeira (Sacado ou manual) Conceito • Conversão de direitos e obrigações Finalidade em moeda nacional (compra) ou moeda estrangeira (venda). Público • Pessoas Físicas Alvo • Pessoas Jurídicas 36
  37. 37. Cambio Spot/Pronto Benefícios para o Banco • Tarifa • Ganhos na taxa de câmbio. 37
  38. 38. CAMBIO COMPRA E X T E R I O R 1) ENVIA ORDEM DE PAGAMENTO M.E. CORRESP. ORDENANTE NO EXTERIOR (BANCO/REM) 2) C/C M.E. 4 ª ) 3a) PAGA MN – (IOF + Tarifa) TB A N C O R A CAIXA CAIXA N MN 3) COMPRA M.E. M/E S F REGISTRO BACEN E R 4) VENDE M.E. E REGISTRO BACEN M E R C A D O M E 4b) CREDITA MN RESERVA BACEN CLIENTE INTERBANCARIO 3) VENDE M.E. 38
  39. 39. POSIÇÃO DE CÂMBIO E CAIXA - COMPRA MOVIMENTO POSIÇÃO CÂMBIO CAIXA DATA EVENTO COMPRA VENDA R$ ME D zero OP 0 U$ 1.000 CLIENTE D+1 U$ 1.000 0 U$ 1.000 R$ 1,70 INTERB. D+1 (U$ 1.000) 0 U$ 1.000 R$ 1,80 Liquidação D+2 R$ 1.800 (U$ 1.000) Interbanc Liquidação D+2 (R$ 1.700) Cliente SALDOS 0 R$ 100 0 RECEITA OPERACAO 39
  40. 40. CAMBIO VENDA E X T E R I O R 6) ENVIA ORDEM DE PAGAMENTO M.E. CORRESP. BENEFICIARIO NO EXTERIOR (BANCO/REM) 5) C/C M.E. 4 b ) 2) RECEBE MN + (IOF + TARIFA) TB A N C O R A CAIXA CAIXA N MN 1) VENDE M.E. M/E S F REGISTRO BACEN E R 3) COMPRA M.E. E REGISTRO BACEN M E R C A D O M E 4a) CREDITA MN RESERVA BACEN CLIENTE INTERBANCARIO 1) COMPRA M.E. 40
  41. 41. POSIÇÃO DE CÂMBIO E CAIXA - VENDA MOVIMENTO POSIÇÃO CÂMBIO CAIXA DATA EVENTO COMPRA VENDA R$ ME CLIENTE D zero (U$ 1.000) R$ 1.900 R$ 1,90 INTERB. D zero U$ 1.000 0 R$ 1,80 Liquidação D+2 (R$ 1.800) U$ 1.000 Interbanc Liquidação (U$ 1.000) D+2 Cliente SALDOS 0 R$ 100 0 RECEITA OPERACAO 41
  42. 42. Cambio Spot/Pronto Taxa de câmbio + Tarifas de acordo com a negociação CUSTO TOTAL com o cliente. PRAZOS SPOT = até D + 2 dias uteis da data da contratação Taxa de Compra ou Venda do mercado de câmbio a TAXAS vista MN: Debito (venda) ou Credito (compra) em conta FORMA DE corrente ou TED (Especie até R$ 10.000) PAGAMENTO ME: Credito (compra) ou Debito (venda) na conta corrente do Banco no Exterior UTILIZAÇÃO Liquidação de direitos e obrigações em moeda RECURSOS estrangeira conforme a natureza da operação 42
  43. 43. POSIÇÃO DE CÂMBIO E CAIXA - VENDA MOVIMENTO POSIÇÃO CÂMBIO CAIXA DATA EVENTO COMPRA VENDA R$ ME CLIENTE D zero (€ 1.000) R$ 2.300 0 R$ 2,30 Arbitragem D zero € 1.000 (U$ 1.300) 0 0 1,30 INTERB. D zero U$ 1.300 0 0 R$ 1,80 Liquidação D+2 (R$ 1.800) U$ 1.300 Interbancário Liquidação (U$ 1.300) D+2 0 Arbitragem € 1.000 Liquidação D+2 (€ 1.000) Cliente SALDOS 0 R$ 500 0 RECEITA OPERACAO 43
  44. 44. Treinamento 2012 Maio / 2012 44
  45. 45. Cambio Exportação ACC Definição Conceito • Adiantamento sobre Contrato de Câmbio, ou ACC, é a aquisição pelo Banco de direitos de credito em ME do exportador a performar Finalidade • Fomento a produção de bens e serviços destinados a exportação. Público Alvo • Empresas exportadoras de bens e serviços 45
  46. 46. Cambio Exportação ACC Benefícios • Para o Cliente • Antecipação dos recebíveis de exportação em até 360 dias em relação a data prevista de embarque para o exterior, ou da prestação do serviço. • Para o Banco • Spread obtido pela diferença do custo de captação externa , em relação a taxa de deságio (juros antecipados) ou juros (postecipados) cobrados do exportador; • Receita obtida pela diferença de taxa de câmbio, praticada pela compra da moeda estrangeira do cliente e a taxa de nivelamento obtida pela Tesouraria na venda da moeda estrangeira, no mercado secundário; 46
  47. 47. Cambio Exportação ACC Taxa de câmbio + Juros ou desagio + Tarifas de CUSTO TOTAL acordo com a negociação com o cliente. D + n dias uteis da data da contratação limitado a 360 PRAZOS dias da data prevista para embarque da mercadoria ou prestação do serviço. Desagio Pre Fixado TAXAS Juros Pre Fixado ou pos fixado (qualquer indexador inclusive CDI, IGPM, etc) MN: Credito em conta corrente ou TED exportador FORMA DE ME: Credito na conta corrente do Banco ou embarque LIQUIDAÇÃO da mercadoria UTILIZAÇÃO Capital de Giro RECURSOS 47
  48. 48. Cambio Exportação ACE Definição Conceito • Adiantamento Cambais Entregues ou ACE, é a aquisição pelo Banco de direitos de credito em ME do exportador performados (embarcado) Finalidade • Financiamento a exportação de bens e serviços Público Alvo • Empresas exportadoras de bens e serviços 48
  49. 49. Cambio Exportação ACE Benefícios • Para o Cliente • Antecipação dos recebíveis de exportação em até 360 dias em relação a data prevista de pagamento pelo importador no exterior. • Para o Banco • Spread obtido pela diferença do custo de captação externa , em relação a taxa de deságio (juros antecipados) ou juros (postecipados) cobrados do exportador; • Receita obtida pela diferença de taxa de câmbio, praticada pela compra da moeda estrangeira do cliente e a taxa de nivelamento obtida pela Tesouraria na venda da moeda estrangeira, no mercado secundário; 49
  50. 50. Cambio Exportação ACE Taxa de câmbio + Juros + Tarifas de acordo com a CUSTO TOTAL negociação com o cliente. Data prevista para pagamento pelo importador PRAZOS indicada nos documentos de exportação limitado a 360 dias Desagio Pre Fixado TAXAS Juros Pre Fixado ou pos fixado (qualquer indexador inclusive CDI, IGPM, etc) FORMA DE MN: Credito em conta corrente ou TED exportador LIQUIDAÇÃO ME: Credito na conta corrente do Banco no exterior UTILIZAÇÃO Capital de Giro RECURSOS 50
  51. 51. Cambio Exportação ACE • Crédito Determinado pela capacidade do cliente em honrar seus Risco compromissos na possibilidade de insolvência . • Mercado e Liquidez Determinado por atraso ou inadimplência no Intrínseco pagamento pelo cliente, acarretando entraves no fluxo de pagamentos do Banco, seja em moeda nacional ou em moeda estrangeira Formalização • Contrato de câmbio modelo padrão BACEN. Garantias • Conforme deliberação de credito, podendo ser alienação, penhor, trava domicilio, caução, cessão... vinculadas Limites • Estipulado pelo Banco (limite de credito) 51
  52. 52. Financiamento ACC + ACE CONTRATAÇÃO DO CAMBIO EMBARQUE MERCADORIA ENTREGA DA M.E AO BANCO LIBERAÇÃO MN AO APRESENTAÇÃO DOCUMENTOS AO BANCO LIQUIDAÇÃO PRINCIPAL EXPORTADOR NEGOCIAÇÃO E PAGAMENTO JUROS Sai R$ Sai R$ Entra ME Pré-embarque Pós-embarque Entra ME Entra ME Sai ME ACC 360 dias ACE 360 dias PRE- EXPORT – CAPTAÇÃO VINCULADA À EXPORTAÇÃO 52
  53. 53. Financiamento ACC + ACEC L I E N T E CREDITA MOEDA NACIONAL EXPORTADOR OPERAÇÃO ACC/ACEB B S CUSTO (JUROS) CORRESP MESA CAMBIO CAIXA BANKING VENDE M.E. CAPTA FUNDING (PRE EXPORT)M E R C A D O BANCOS INTERBANCARIO EXTERIOR CREDITA MOEDA ESTRANGEIRA CREDITA MOEDA NACIONAL 53
  54. 54. MODALIDADES PAGAMENTO A escolha da modalidade de pagamento é feita de comum acordo entre o exportador e o importador e vai depender, basicamente, do grau de confiança comercial existente entre as partes, das exigências do país importador e das disponibilidades das linhas de financiamento. PAGAMENTO ANTECIPADO REMESSA DIRETA ou REMESSA SEM SAQUE COBRANÇA DOCUMENTARIA CREDITO DOCUMENTARIO ou CARTA DE CREDITO 54
  55. 55. MODALIDADES PAGAMENTO PAGAMENTO ANTECIPADO O importador remete previamente o valor da transação, após o que, o exportador providencia a exportação da mercadoria e o envio da respectiva documentação. Do ponto de vista cambial, o exportador deve providenciar, obrigatoriamente, o contrato de câmbio, antes do embarque, junto a um banco, pelo qual receberá reais em troca da moeda estrangeira, cuja conversão é definida pela taxa de câmbio vigente no dia. Esta modalidade de pagamento não é muito freqüente, pois coloca o importador na dependência do exportador. 55
  56. 56. MODALIDADES PAGAMENTO REMESSA SEM SAQUE O importador recebe diretamente do exportador os documentos de embarque, sem o saque; promove o desembaraço da mercadoria na alfândega e, posteriormente, providencia a remessa da quantia respectiva diretamente para o exportador. Esta modalidade de pagamento é de alto risco para o exportador, uma vez que, em caso de inadimplência, não há nenhum título de crédito que lhe garanta a possibilidade de protesto e início de ação judicial. No entanto, quando existir confiança entre o comprador e o vendedor, possui algumas vantagens, entre as quais:  a agilidade na tramitação de documentos;  a isenção ou redução de despesas bancárias. 56
  57. 57. MODALIDADES PAGAMENTO COBRANÇA DOCUMENTÁRIA Ao contrário das duas modalidades anteriores, a cobrança documentária é caracterizada pelo manuseio de documentos pelos bancos. Os bancos intervenientes nesse tipo de operação atuam como cobradores internacionais de uma operação de exportação, cuja transação foi fechada diretamente entre o exportador e o importador, não lhes cabendo a responsabilidade quanto ao resultado da cobrança documentária. O exportador embarca a mercadoria e remete os documentos de embarque a um banco, que os remete para outro banco, na praça do importador, para que sejam apresentados para pagamento (cobrança a vista) ou para aceite e posterior pagamento (cobrança a prazo). Após retirar os documentos do banco, pagando a vista ou aceitando (assina, manifestando concordância) a cambial para posterior pagamento, o importador estará apto a liberar a mercadoria. 57
  58. 58. FLUXO OPERACIONAL COBRANÇA EXTERIOR BRASIL (1) Embarque SACADO CEDENTE (5) pagamento (3A) ACEITE (2) Documentos (7) pagamento de Embarque (3) Remessa dos Documentos Embarque BANCO BANCO COBRADOR MANDATARIO (6) Pagamento 58
  59. 59. MODALIDADES PAGAMENTO CARTA DE CRÉDITO A carta de crédito, também conhecida por crédito documentário, é a modalidade de pagamento mais difundida no comércio internacional, pois oferece maiores garantias, tanto para o exportador como para o importador. É um instrumento emitido por um banco (o banco emitente), a pedido de um cliente (o tomador do crédito). De conformidade com instruções deste, o banco compromete-se a efetuar um pagamento a um terceiro (o beneficiário), contra entrega de documentos estipulados, desde que os termos e condições do crédito sejam cumpridos. Por termos e condições do crédito, entende-se a concretização da operação de acordo com o combinado, especialmente no que diz respeito aos itens: valor do crédito, beneficiário, prazos, porto de embarque e de destino, discriminação da mercadoria, quantidades, embalagens, permissão ou não para embarques parciais e para transbordo, conhecimento de embarque, faturas, certificados, etc.. A carta de crédito é uma ordem de pagamento condicionada, ou seja, o exportador só terá direito ao recebimento se atender a todas as exigências por ela convencionadas 59
  60. 60. MODALIDADES PAGAMENTO CARTA DE CREDITO OU CREDITO DOCUMENTARIO Empresa Compradora/Importador, Tomador de aquele que instrui um banco a Crédito emitir um crédito; Instituidor Banco emitente da carta de crédito Exportador ou beneficiário da Beneficiário garantia; Banco que presta o serviço de avisar Avisador o beneficiário, após averiguar a autenticidade do crédito; Banco que negocia (confere) os documentos, Negociador efetua o pagamento ou aceita os saques; Banco que a pedido do instituidor se Confirmador coobriga na responsabilidade de pagar o crédito; 60
  61. 61. FLUXO OPERACIONAL L/C EXTERIOR BRASIL COMPRADOR (1) Contrato Comercial VENDEDOR (2) Contrato de Abertura de Crédito/Garantias (5) Autentica e Avisa (3) Solicitação de Confirmação (4) Expedição BANCO BANCO BANCO INSTITUIDOR CONFIRMADOR AVISADOR 61
  62. 62. FLUXO OPERACIONAL L/C EXTERIOR BRASIL (1) Embarque COMPRADOR VENDEDOR (6) Pagamento (7) Documentos (2) Documentos (5) Pagamento de Embarque de Embarque (3) Remessa dos Documentos Embarque BANCO BANCO INSTITUIDOR NEGOCIADOR (4) Pagamento 62
  63. 63. Cambio Importação FINIMP Definição Conceito • Alongamento de prazo de pagamento de importação de bens e serviços brasileiros Finalidade • Financiamento de importação de bens e serviços. Público Alvo • Empresas importadoras de bens e serviços 63
  64. 64. Cambio Importação FINIMP Benefícios • Para o Cliente • Alongar o prazo de pagamento de suas importações utilizando linhas de financiamento ao comércio exterior em moeda estrangeira. • Para o Banco • Spread obtido pela diferença do custo de captação externa , em relação a taxa de juros cobrados do importador. • Receita obtida pela diferença de taxa de câmbio, praticada pela venda da moeda estrangeira do cliente e a taxa de nivelamento obtida pela Tesouraria na compra da moeda estrangeira, no mercado secundário. 64
  65. 65. Cambio Importação FINIMP Taxa de câmbio + Juros + I.R sobre juros +Tarifas deCUSTO TOTAL acordo com a negociação com o cliente. Não há prazo minimo ou maximo regulamentar PRAZOS estipulado, porem operações acima de 360 dias exigem RDE-ROF. Juros Pre Fixado ou Pos Fixado (qualquer indexador TAXAS inclusive CDI, IGPM, etc) MN: Debito em conta corrente ou TED importador no FORMA DE vencimento da operação. LIQUIDAÇÃO ME: Credito na conta corrente do exportador ou do financiador na contratação da operação. UTILIZAÇÃO Pagamento ao exportador ou financiador no exterior RECURSOS 65
  66. 66. Cambio Importação FINIMP • Crédito Determinado pela capacidade do cliente em honrar seus Risco compromissos e na possibilidade de insolvência. • Mercado e Liquidez Determinado por atraso ou inadimplência no Intrínseco pagamento pelo cliente, acarretando entraves no fluxo de pagamentos do Banco, seja em moeda nacional ou em moeda estrangeira Formalização • Contrato de FINIMP minuta da instituição Garantias • Conforme deliberação de credito, podendo ser alienação, penhor, trava domicilio, caução, cessão... vinculadas Limites • Estipulado pelo Banco (limite de credito) 66
  67. 67. Cambio Importação FINIMP PAGAMENTO ME AO EMBARQUE MERCADORIA ENTREGA DA M.E AO BANCO EXPORTADOR PAGAMENTO ME AO FINANCIADOR OU LIQUIDAÇÃO PRINCIPAL EXPORTADOR E PAGAMENTO JUROS Sai ME Sai ME Entra ME Pré-embarque Pós-embarque Entra ME Entra ME Sai ME PPI 180 dias FINIMP 360 dias IMPORT FINANCE – CAPTAÇÃO VINCULADA À IMPORTAÇÃO 67
  68. 68. Cambio Importação FINIMP 68
  69. 69. Cambio Garantias M.E. Definição Conceito • Obrigação acessória assumida pelo BBS junto a uma entidade no exterior, quando se responsabiliza através de um instrumento de garantia internacional, total ou parcialmente, pelo cumprimento de uma obrigação do cliente tomador da garantia Finalidade • Garantia de pagamento, de fazer, de performance, licitações, leilões, etc. Público Alvo • Pessoas físicas e jurídicas em geral 69
  70. 70. Cambio Garantias M.E. Benefícios • Para o Cliente • Permite que empresas que tenham pouco ou nenhum relacionamento entre si possam concretizar negócios, valendo-se de uma garantia bancária. Tem como principais vantagens a facilidade na emissão, aceitação em praticamente todo o mercado internacional e viabilização de qualquer operação ou negociação que exija uma garantia ou fiança bancária internacional. • Para o Banco • Comissão de intermediação financeira baseada sobre o valor e prazo da garantia emitida 70
  71. 71. Cambio Garantias M.E. Comissão de intermediação de acordo com aCUSTO TOTAL negociação com o cliente. Não há prazo minimo ou maximo regulamentar PRAZOS estipulado. Geralmente comissão flat paga antecipadamente, TAXAS baseada no risco do cliente/operação e prazo MN: Debito em conta corrente ou TED importador no FORMA DE vencimento da operação. LIQUIDAÇÃO ME: Credito na conta corrente do exportador ou do(se executada) financiador na contratação da operação. UTILIZAÇÃO Garantia de obrigações contraídas no exterior RECURSOS 71
  72. 72. Cambio Garantias M.E. • Crédito Determinado pela capacidade do cliente em honrar seus Risco compromissos e na possibilidade de insolvência. • Mercado e Liquidez Determinado por atraso ou inadimplência no Intrínseco pagamento pelo cliente, acarretando entraves no fluxo de pagamentos do Banco, seja em moeda nacional ou em moeda estrangeira Formalização • Contrato de Garantia M.E minuta da instituição Garantias • Conforme deliberação de credito, podendo ser alienação, penhor, trava domicilio, caução, cessão... vinculadas Limites • Estipulado pelo Banco (limite de credito) 72
  73. 73. Cambio Garantias M.E. PRINCIPAIS MODALIDADES  Standby letter of credit • Garantia de pagamento incondicional  Advanced payment bond • Garantia de repagamento incondicional  Carta de credito ou credito documentario • Garantia de pagamento condicional  Performance Bid • Garantia para participar em licitações internacionais  Performance Bond • Garantia de cumprimento de contrato  Aval em saques • Garantia de pagamento (coobrigação) 73
  74. 74. Cambio Garantias M.E. 74
  75. 75. Cambio Garantias M.E. 75
  76. 76. PRODUTOS CAPTAÇÃO
  77. 77. Captações vinculadas COMEX Definição Conceito • Linhas de credito abertas por bancos no exterior para BBS Finalidade • Financiamento ao comercio exterior Público Alvo • BBS (Importadores e exportadores) 77
  78. 78. Captações vinculadas COMEX Benefícios • Para o Cliente • Linhas de credito com preço e prazo adequados a necessidade de financiamento ao comercio exterior • Para o Banco • Funding para carteira de câmbio 78
  79. 79. Captações vinculadas COMEX Taxa de juros e comissões conforme negociado comCUSTO TOTAL o Banco no exterior. Não há prazo minimo ou maximo regulamentar PRAZOS estipulado. Pre fixada baseada no risco do cliente/operação e no TAXAS prazo FORMA DE LIQUIDAÇÃO ME: Credito na conta corrente do BBS no exterior.(se executada) UTILIZAÇÃO Funding para carteira de COMEX e para RECURSOS gerenciamento do fluxo de caixa 79
  80. 80. Captações vinculadas COMEX • Mercado e Liquidez Determinado por atraso ou Risco inadimplência no pagamento pelo Banco, acarretando entraves no fluxo de pagamentos do Banco, em moeda Intrínseco estrangeira Formalização • Conforme minuta da instituição (geralmente SWIFT) Garantias • Não há vinculadas Limites • Estipulado pelo Banco no exterior (limite de credito) 80
  81. 81. Captações vinculadas COMEX PRINCIPAIS MODALIDADES  Pré Export Finance • Destinado ao financiamento de exportações  Import Finance • Destinado ao financiamento de importações  Clean Advanced • Destinado ao gerenciamento do fluxo de caixa do BBS 81
  82. 82. ASPECTOS JURIDICOS
  83. 83. Aspectos Jurídicos Regra Geral Nas disputas envolvendo o operações de comercio exterior prevalece a arbitragem da Camara de Comercio Internacional, sediada em Paris na França. As leis de cada país regem as relações contratuais existentes entre as partes, sendo que o foro para eventuais disputas será aquele que tiver competência para tal fim. 83
  84. 84. Aspectos Jurídicos ACC/ACE Consoante da leitura do artigo 75, §§ 3º e 4º, da Lei n° 4.728/65, far-se-á a restituição em dinheiro em caso de adiantamento a contrato de câmbio para exportação, mediante preenchimento dos requisitos da norma competente. Art. 75. O contrato de câmbio, desde que protestado por oficial competente para o protesto de títulos, constitui instrumento bastante para requerer a ação executiva. § 1° Por esta via, o credor haverá a diferença entre a taxa de câmbio do contrato e a da data em que se efetuar o pagamento, conforme cotação fornecida pelo Banco Central, acrescida dos juros de mora. § 2º Pelo mesmo rito, serão processadas as ações para cobrança dos adiantamentos feitos pelas instituições financeiras aos exportadores, por conta do valor do contrato de câmbio, desde que as importâncias correspondentes estejam averbadas no contrato, com anuência do vendedor. § 3º No caso de falência ou concordata, o credor poderá pedir a restituição das importâncias adiantadas, a que se refere o parágrafo anterior. § 4º As importâncias adiantadas na forma do § 2º deste artigo serão destinadas na hipótese de falência, liquidação extrajudicial ou intervenção em instituição financeira, ao pagamento das linhas de crédito comercial que lhes deram origem. (grifo nosso) 84
  85. 85. POSIÇÃO CÂMBIO E CAIXA
  86. 86. POSIÇÃO DE CÂMBIO E CAIXA MOVIMENTO POSIÇÃO CÂMBIO CAIXA DATA EVENTO COMPRA VENDA R$ ME D zero ACC U$ 1.000 0 0 D zero Interbanc. (U$ 1.000) 0 0 D+2 Pré export. 0 U$ 1.000 Liquidação D+ 2 R$ 1.700 (U$ 1.000) Interbanc Concessão D+2 (R$ 1.600) ACC D + 180 Liq ACC U$ 1.000 Liq. Pré D + 180 (U$ 1.000) export. SALDOS 0 R$ 100 0 86
  87. 87. POSIÇÃO DE CÂMBIO E CAIXA MOVIMENTO POSIÇÃO CÂMBIO CAIXA DATA EVENTO COMPRA VENDA R$ ME D zero FINIMP 0 0 Import D+2 0 U$ 1.000 Finance Concessão D+ 2 0 (U$ 1.000) FINIMP Liquidação D + 180 (U$ 1000) R$ 1.700 FINIMP D + 180 Interbanc. U$ 1.000 R$ 1.600 U$ 1.000 Liq Import D+ 180 (U$ 1.000) Finance SALDOS 0 R$ 100 0 87
  88. 88. Treinamento 2012 Maio / 2012 88

×