E
N
C
O
N
T
R
O
CONHECIMENTOS
E PRÁTICAS
DE
INCLUSÃO
Por: JANETE BRITO
JANETE PEREIRA DE BRITO
CURRÍCULO:
* MAGISTÉRIO - ISA
* CURSO ADCIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA – ISA
* LICENCIADA EM GEOGRAFIA ...
CONHECIMENTO
 PONTO DE PARTIDA – TEXTOS E
ESTUDOS SOBRE INCLUSÃO
 ESTRATÉGIAS
 DESAFIOS (QUESTIONAMENTOS)
PRÁTICA
 EXPERIÊNCIA EM SALA DE AEE
 DIMENSÕES – TEMPO E ESPAÇO
 FUNDAMENTOS – AMPLIAR SABERES
CONTEXTO ATUAL – DESAFI...
CONHECIMENTO E PRÁTICA
ADOTAR UM ENCONTRO REFLEXIVO
DINÂMICO E PARTICIPATIVO COM A
EXPERIÊNCIA BEM SUCEDIDA NA
SALA DO AEE.
“ SE UMA PESSOA NÃO PODE
APRENDER DA MANEIRA QUE LHE É
ENSINADA, É MELHOR ENSINÁ-LA DA
MANEIRA QUE POSSA APRENDER.”
(Mario...
CONHECIMENTO
PONTO DE PARTIDA
*O QUE É AEE – ATENDIMENTO EDUCACIONAL
ESPECIALIZADO
•INTEGRAR O TEXTO NA ÍNTEGRA DO PORTAL ...
ESTRATÉGIAS
•PLANEJAMENTO DE ATENDIMENTO NA SALA
DO AEE.
•OFERECER NO ESPAÇO E NO TEMPO
ESCOLAR UM CONHECIMENTO PARA OS
AL...
O QUE É O AEE (ATENDIMENTO
EDUCACIONAL ESPECIALIZADO)
Um serviço da educação especial desenvolvido
na rede regular de ensi...
O QUE FAZ O AEE
• apóia o desenvolvimento do aluno com
deficiência, transtornos gerais de desenvolvimento e
altas habilida...
PARA QUEM
O AEE se destina a alunos com deficiência,
aqueles que tem impedimento de longo prazo de
natureza física, intele...
ESCOLA INCLUSIVA
TEMPO/ESPAÇO ESCOLAR CAIC
SALA DO AEE – CAIC/CURVELO
INFORMÁTICA INCLUSIVA
ACESSIBILIDADE
CONHECIMENTO E PRÁTICAS DE INCLUSÃO
T
E
M
P
O
ENSINO-
APRENDIZAGEM
GESTÃO
DIMENSÕES
DESAFIOS
MUROS
SABERES
DESENVOLVIMENTO...
COMO FAZER A DIFERENÇA
QUAL É A ESCOLA...
QUE TEMOS???
QUE QUEREMOS???
CONSIDERAÇÕES FINAIS
DEVEMOS RESPEITAR O TEMPO DE CADA UM.
O TEMPO DO CUIDAR E AMAR, DO CONHECER E DO
RECONHECER...
O TEMP...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:
* COLÓQUIO DE EDUCAÇÃO INTEGRAL
CEMPEC – 2010
•MACEDO, LINO DE. COLETÂNEA ESPAÇOS E
TEMPOS ESC...
JUNTE-SE A NÓS PORQUE:
COM
AMOR
ILUMINAREMOS
CAMINHOS
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Conhecimentos e praticas da inclusão
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Conhecimentos e praticas da inclusão

494 visualizações

Publicada em

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Belo trabalho minha querida! Você faz a diferença, você é a diferença. Que sua gestão seja sempre de sucesso como tem sido até agora. Parabéns.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
494
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Conhecimentos e praticas da inclusão

  1. 1. E N C O N T R O CONHECIMENTOS E PRÁTICAS DE INCLUSÃO Por: JANETE BRITO
  2. 2. JANETE PEREIRA DE BRITO CURRÍCULO: * MAGISTÉRIO - ISA * CURSO ADCIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA – ISA * LICENCIADA EM GEOGRAFIA E HISTÓRIA – FACIC * ESPECIALISTA EM SUPERVISÃO ESCOLAR * ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO ESCOLAR (UFMG) ATUAÇÃO: * ATUEI COMO PROFESSORA POR 6 (SEIS) ANOS. * EX-INTEGRANTE DA ASSOCIAÇÃO DE DIRIGENTES DE CAIC'S DE MINAS GERAIS * ATUEI COMO DIRETORA DA ESCOLA MUNICIPAL JOÃO BATISTA * ATUALMENTE DIRETORA DA ESCOLA MUNICIPAL DR. VIRIATO MASCARENHAS GONZAGA – CAIC (15 ANOS) CASADA COM PAULO HENRIQUE FERNANDES DE BRITO MÃE DE: VINÍCIUS HENRIQUE FERNANDES DE BRITO VICTOR HENRIQUE FERNANDES DE BRITO
  3. 3. CONHECIMENTO  PONTO DE PARTIDA – TEXTOS E ESTUDOS SOBRE INCLUSÃO  ESTRATÉGIAS  DESAFIOS (QUESTIONAMENTOS)
  4. 4. PRÁTICA  EXPERIÊNCIA EM SALA DE AEE  DIMENSÕES – TEMPO E ESPAÇO  FUNDAMENTOS – AMPLIAR SABERES CONTEXTO ATUAL – DESAFIOS DA INCLUSÃO
  5. 5. CONHECIMENTO E PRÁTICA ADOTAR UM ENCONTRO REFLEXIVO DINÂMICO E PARTICIPATIVO COM A EXPERIÊNCIA BEM SUCEDIDA NA SALA DO AEE.
  6. 6. “ SE UMA PESSOA NÃO PODE APRENDER DA MANEIRA QUE LHE É ENSINADA, É MELHOR ENSINÁ-LA DA MANEIRA QUE POSSA APRENDER.” (Mario Welchmann)
  7. 7. CONHECIMENTO PONTO DE PARTIDA *O QUE É AEE – ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO •INTEGRAR O TEXTO NA ÍNTEGRA DO PORTAL DA EDUCAÇÃO •DINÂMICA • INSERÇÃO DOS ASPECTOS BIOLÓGICO CORPORAL •SOCIABILIDADE, A COGNIÇÃO DO AFETO E O CONTEXTO TEMPO - ESPAÇO
  8. 8. ESTRATÉGIAS •PLANEJAMENTO DE ATENDIMENTO NA SALA DO AEE. •OFERECER NO ESPAÇO E NO TEMPO ESCOLAR UM CONHECIMENTO PARA OS ALUNOS COM NECESSIDADES ESPECIAIS PAUTADO NA LÓGICA DA INCLUSÃO DE ACORDO COM A REALIDADE DOS ALUNOS DA ESCOLA.
  9. 9. O QUE É O AEE (ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO) Um serviço da educação especial desenvolvido na rede regular de ensino que organiza recursos pedagógicos e de acessibilidade que eliminem barreiras para a plena participação dos alunos, considerando as suas necessidades específicas. O AEE complementa e/ou suplementa a formação do aluno com vistas à autonomia e independência na escola e fora dela.
  10. 10. O QUE FAZ O AEE • apóia o desenvolvimento do aluno com deficiência, transtornos gerais de desenvolvimento e altas habilidades • disponibiliza o ensino de linguagens e códigos específicos de comunicação e sinalização • oferece tecnologia assistiva – TA • adéqua e produz materiais didáticos e pedagógicos, tendo em vista as necessidades especificas dos alunos • oportuniza ampliação e suplementação curricular (para alunos com altas habilidades) O AEE deve se articular com a proposta da escola comum, embora suas atividades se diferenciem das realizadas em salas de aula de ensino comum.
  11. 11. PARA QUEM O AEE se destina a alunos com deficiência, aqueles que tem impedimento de longo prazo de natureza física, intelectual, sensorial (visual e pessoas com surdez parcial ou total) Alunos com transtorno gerais de desenvolvimento e com altas habilidades (que constituem o público alvo da educação especial), também podem ser atendidos por esse serviço. (TEXTO RETIRADO NA INTEGRA DO PORTAL DA EDUCAÇÃO)
  12. 12. ESCOLA INCLUSIVA
  13. 13. TEMPO/ESPAÇO ESCOLAR CAIC
  14. 14. SALA DO AEE – CAIC/CURVELO INFORMÁTICA INCLUSIVA
  15. 15. ACESSIBILIDADE
  16. 16. CONHECIMENTO E PRÁTICAS DE INCLUSÃO T E M P O ENSINO- APRENDIZAGEM GESTÃO DIMENSÕES DESAFIOS MUROS SABERES DESENVOLVIMENTO ESPAÇO ESCOLAR FAMILIA EDUCAÇÃO SENSIBILIZAÇÃO INCLUSÃO
  17. 17. COMO FAZER A DIFERENÇA
  18. 18. QUAL É A ESCOLA... QUE TEMOS??? QUE QUEREMOS???
  19. 19. CONSIDERAÇÕES FINAIS DEVEMOS RESPEITAR O TEMPO DE CADA UM. O TEMPO DO CUIDAR E AMAR, DO CONHECER E DO RECONHECER... O TEMPO DE INTEGRA-SE E RELACIONAR-SE... O TEMPO DE APRENDER E DE ENSINAR...................................................................................... ................... O TEMPO DA VIDA.................................................. ..........................INÍCIO................................................................. ..............................................MEIO............................................... ........................................FIM. JANETE BRITO
  20. 20. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: * COLÓQUIO DE EDUCAÇÃO INTEGRAL CEMPEC – 2010 •MACEDO, LINO DE. COLETÂNEA ESPAÇOS E TEMPOS ESCOLARES •www.educacao.saobernardo.sp.gov.br •www.slideshare.net/PatyAlmada/palestra-incluso •PROPOSTA PEDAGÓGICA DO CAIC •ECA •portal.mec.gov.br/arquivos/pdf/ldb.pdf
  21. 21. JUNTE-SE A NÓS PORQUE: COM AMOR ILUMINAREMOS CAMINHOS

×