SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 49
Desenvolvimento de instrumentos
      de coletas de dados



                 Francisco Arsego de Oliveira
                  CEARGS – julho de 2007
Roteiro da apresentação

 Pressupostos fundamentais
 Etapas do processo de
 desenvolvimento de questionários
 Formatos principais
 Lembretes importantes
 Teste Piloto
Um questionário ideal deve ser:

 Apropriado
 Inteligível
 Claro
 Sem viéses
 Capaz de conter todas as possíveis
 respostas
 Testado
 Ético
Um questionário ideal deve ser:

 Apropriado
 Inteligível
 Claro
 Sem viéses
 Capaz de conter todas as possíveis
 respostas
 Testado
 Ético
 NÃO HÁ RECEITA PRONTA!
“Um bom questionário é
  aquele que funciona”.
              DH Stone, 1993
Um instrumento de coleta
  de informações falho
inevitavelmente levará o
 pesquisador a conduzir
  uma pesquisa falha.
Questionário:
pressupostos fundamentais
 O questionário é apenas um dos possíveis
 instrumentos de coleta de informações:
 há outros!
 É composto por um conjunto de perguntas
 que, adequadamente respondidas, dão ao
 pesquisador as informações que ele busca
 atingir.
 O informante é um ser pensante, que tem
 motivações próprias!
Questionários:
pressupostos fundamentais        (cont.)

 O questionário é uma conseqüência natural
 do processo de pesquisa.
 A elaboração do questionário é uma das
 etapas intermediárias do projeto (e não o
 início nem o seu final).
 O questionário reflete as indagações e
 pressupostos do pesquisador.
Questionários:
pressupostos fundamentais (cont.)
 O questionário constitui um conjunto de perguntas
 elaboradas por uma ou mais pessoas e respondidas
 por outras, de um forma planejada por quem
 pergunta.
 A exploração da realidade envolve a interação com
 outras pessoas: O OUTRO.
 O questionário será o nosso instrumento de
 intervenção junto ao OUTRO.
 As respostas obtidas através do questionário
 estão diretamente relacionadas à maneira que são
 perguntadas (forma, sequência, etc.).
pesquisador   questionário   respondente
Importante lembrar que

Os fenômenos estudados passam a ser
limitados pela estruturação feita pelo
pesquisador (que inclui o Questionário!).
Não há “pesquisa definitiva”
Toda pesquisa é apenas um recorte e,
portanto, possuirá limitações.
É freqüente a necessidade de
fazermos várias pesquisas para ter
um conhecimento razoável sobre
determinado tema.
Em relação ao questionário,
as perguntas básicas devem ser:
  Os tópicos contidos no questionário
  respondem adequadamente a minha
  pergunta de pesquisa?
  Com o questionário, responderei os
  objetivos da minha pesquisa?
  O questionário é coerente com o projeto de
  pesquisa como um todo?
ETAPAS DO PROCESSO DE
 DESENVOLVIMENTO DE
   QUESTIONÁRIOS
1. O que buscamos saber?

 Evitar “jaquismo”: informações
 “interessantes”, mas sem relação direta
 com os objetivos da pesquisa não devem ser
 incluídas.
 Agrupar as questões de acordo com o tipo
 de informação a ser obtida: dados
 demográficos, comportamentos,
 conhecimentos, etc.
2. Quem é o público-alvo?

 Quais as características?
 Limitações?
 Onde estão localizados?
 Poderão dar as respostas que queremos?
3. Qual a melhor forma de
buscar esses dados?
 Há formas mais adequadas de coleta de
 determinadas informações?
 População/amostra: tamanho, forma de
 contato, nível sócio-econômico,
 características culturais.
 Como assegurar privacidade dos dados?
 Logística da pesquisa: treinamento dos
 entrevistadores, recursos financeiros, etc.
4. Como vamos formular as
questões?
 Uma idéia = uma questão.
 Clareza na formulação das perguntas e
 enunciados.
 Não direcionar as respostas.
 “Falar” diretamente com o entrevistado.
 Cuidado com os termos empregados:
 “freqüentemente”, “regularmente”, etc.
5. O que deve ser evitado?
 O uso excessivo da palavra “porquê”.
 Estratificação das respostas já no
 questionário.
 Perguntas ambíguas
 – “Você tem assistido a peças de teatro
   ultimamente?”
 Perguntas capciosas
 – “Você concorda com a maioria da população que
   afirma que o SUS não funciona bem?”
5. O que deve ser evitado?                         (cont.)

 Perguntas duplas
 – “Você acha que o brasileiro deve comer menos e se
   exercitar mais?”
 Perguntas com jargão e terminologia técnica
 Perguntas emocionais
 – “O que deve ser feito com os responsáveis pelo brutal
   assassinato do menino de 7 meses em Ipitanga do Sul?”
 Perguntas negativas
 – “Você é contrário à lei que não permite a venda de
   cigarros a menores de idade?”
 Excesso de siglas e abreviações
6. Qual o formato e a
seqüência das perguntas?
 Instruções claras no início do questionário
 e em cada bloco de perguntas.
 Definir a temporalidade das questões:
 presente, passado, futuro.
 Ritmo das respostas/cadência da
 entrevista.
 Evitar questões controversas logo no início:
 “conquistar” o entrevistado.
 Preferir ir do geral para o particular.
6. Qual o formato e a seqüência
das perguntas? (cont.)
 Cuidado na diagramação: evitar cortes,
 espaços insuficientes para as respostas.
 O questionário deve ser visualmente
 agradável.
 Título do projeto no questionário.
 Numeração clara de questões e páginas.
 Evitar questionários muito extensos.
 Questões demográficas ao final (idade,
 sexo, grau de instrução, etc.).
7. Revisão externa

 Peça auxílio a alguém que conheça o
 assunto.
 Não menospreze a revisão ortográfica e de
 digitação.
 Simule respostas durante o seu
 planejamento.
 Simule a entrada dos dados.
Inferência estatística


 É um ramo da Estatística cujo objetivo
 é fazer afirmações a partir de um
 conjunto de valores representativo (
 amostra) sobre um universo.
O método não-paramétrico coloca os
resultados numa ordem de grandeza,
portanto, apenas mede a variabilidade
dos resultados de forma indireta.
O método paramétricos podem medir a
proporção exata de variabilidade total
dos resultados.
Formatos: categorias simples

[ ] sim             Simples
[ ] não             Fácil entendimento
                    Rápidas para respostas
                    e análise
[ ] não sei         Bons para análise
[ ] não se aplica   estatística não-
                    paramétrica
[ ] __________
Formatos: escalas
A pena de morte deve ser instituída no Brasil?

 Discordo    Discordo    Sem      Concordo    Concordo
totalmente              opinião              totalmente


    1           2         3          4           5

  • Escala Likert

  • Também pode ter 7 pontos
  • Quantifica atitudes
  • Bons para análise estatística não-paramétrica
Formatos: escala visual

A sua apreciação geral sobre esse produto

Ruim                                        Bom
___________________X_______

  • Quantificação de atitudes.
  • Deve ser transformada em números para análise
  estatística.
  • Geralmente usa-se uma linha de 10 cm.
Ranqueamento

  Numere os itens de        Em relação aos recursos
                                utilizados para sua
  acordo com a                       informação:
  importância que         Jornal diário
  você atribui a eles
                          Revista semanal
(0 nenhuma importância;
  5 muito importante)     Internet

                          Livros
Formatos: símbolos


 Como você qualificaria o atendimento
  recebido nesta Unidade de Saúde?
      (circule a alternativa mais adequada)



                 
Formatos: questões abertas
Na sua opinião, o que você considerou mais
  importante em relação ao atendimento
 recebido hoje nesta Unidade de saúde?
       (escreva a sua resposta no espaço abaixo)




    • Avaliação qualitativa
Alguns lembretes importantes
Como será feita a análise das
respostas?
 Software adequado.
 Questões fechadas são mais rápidas
 (mas é o pesquisador quem determina
 o tipo de resposta).
 Questões abertas tomam mais tempo
 e dependem de interpretação.
Aspecto do questionário:

 Agradável.
 Claro e fácil de ser respondido: não é
 uma gincana!
 Tamanho de fonte adequada.
 Não deve ter perguntas muito longas.
 Lembre-se que não é um teste!
Questionários falham por

 Dificuldades de compreensão
 Serem muito longos
 Chatearem os respondentes
 Ofenderem os respondentes
 Terem o visual de gosto duvidoso

 SOLUÇÃO?
Questionários falham por

 Dificuldades de compreensão
 Serem muito longos
 Chatearem os respondentes
 Ofenderem os respondentes
 Terem o visual de gosto duvidoso

 SOLUÇÃO?  “Pilotar” sempre!
Teste piloto

 O instrumento está adequado à população a
 ser estudada?
 O instrumento é fácil de responder?
 Tempo de preenchimento foi adequado?
 O instrumento gera respostas
 consistentes?
 Comitê de Ética.
 Aproveitamento de dados.
Teste piloto

 Mede o que pretende medir?
  VALIDADE
   • Ingesta calórica em obesos
   • Manejo clínico de patologias
 Aplicado à mesma amostra, oferece os
 mesmos resultados?
  FIDEDIGNIDADE/CONFIABILIDADE
Polidez nunca é demais!

                Na introdução,
                oferecer
                informações
                prévias,
                introduzindo o
                tema de pesquisa
                (mas sem induzir as
                respostas).
                Agradecer ao final.
Questionários testados e validados
 Economiza tempo.
 Permite comparações
 mais diretas.
 Deve estar dentro do
 contexto e responder
 a pergunta da pesquisa.
 Cuidado: a publicação
 de um questionário não
 garante que ele seja
 válido e confiável.
 Validação é um
 processo que requer
 cuidados extras.
Revisão final

            Ufa!
     Versão definitiva do
         questionário!
Resumo

 Planejamento adequado.
 Testagem.
 O questionário é uma forma de comunicação
 com o respondente.
Bibliografia útil:
Bom trabalho e boa sorte!


Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 04 pesquisa_qualitativa_09 e 12_03
Aula 04 pesquisa_qualitativa_09 e 12_03Aula 04 pesquisa_qualitativa_09 e 12_03
Aula 04 pesquisa_qualitativa_09 e 12_03Imes Fafica Catanduva
 
As 3 partes do TCC
As 3 partes do TCCAs 3 partes do TCC
As 3 partes do TCCSam Kupka
 
testes psicotecnicos
 testes psicotecnicos testes psicotecnicos
testes psicotecnicosAna Sobrenome
 
Teste de usabilidade - Materiais do teste
Teste de usabilidade - Materiais do testeTeste de usabilidade - Materiais do teste
Teste de usabilidade - Materiais do testeLuiz Agner
 
Cap. 11 análise de dados e observações
Cap. 11   análise de dados e observaçõesCap. 11   análise de dados e observações
Cap. 11 análise de dados e observaçõesLuiz Agner
 
Teste de usabilidade - Debriefing
Teste de usabilidade - DebriefingTeste de usabilidade - Debriefing
Teste de usabilidade - DebriefingLuiz Agner
 
Aula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científicaAula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científicaMarina Atzingen
 
CAPÍTULO 12 - Handbook of Usability Testing” de Rubin e Chsinell
CAPÍTULO 12 - Handbook of Usability Testing” de Rubin e ChsinellCAPÍTULO 12 - Handbook of Usability Testing” de Rubin e Chsinell
CAPÍTULO 12 - Handbook of Usability Testing” de Rubin e ChsinellFernanda Sarmento
 
Cap. 7 selecionando participantes
Cap. 7   selecionando participantesCap. 7   selecionando participantes
Cap. 7 selecionando participantesLuiz Agner
 
Método Estudo de Caso para Pesquisa de Groupware na Educação
Método Estudo de Caso para Pesquisa de Groupware na EducaçãoMétodo Estudo de Caso para Pesquisa de Groupware na Educação
Método Estudo de Caso para Pesquisa de Groupware na EducaçãoRicardo Rodrigues Nunes
 
Roteiro para interpretação de artigo científico
Roteiro para interpretação de artigo científicoRoteiro para interpretação de artigo científico
Roteiro para interpretação de artigo científicoMichele De Carli
 

Mais procurados (17)

Aula 04 pesquisa_qualitativa_09 e 12_03
Aula 04 pesquisa_qualitativa_09 e 12_03Aula 04 pesquisa_qualitativa_09 e 12_03
Aula 04 pesquisa_qualitativa_09 e 12_03
 
As 3 partes do TCC
As 3 partes do TCCAs 3 partes do TCC
As 3 partes do TCC
 
Projeto integrador
Projeto integradorProjeto integrador
Projeto integrador
 
A Entrevista quês e porquês
A Entrevista quês e porquêsA Entrevista quês e porquês
A Entrevista quês e porquês
 
testes psicotecnicos
 testes psicotecnicos testes psicotecnicos
testes psicotecnicos
 
Teste de usabilidade - Materiais do teste
Teste de usabilidade - Materiais do testeTeste de usabilidade - Materiais do teste
Teste de usabilidade - Materiais do teste
 
Cap. 11 análise de dados e observações
Cap. 11   análise de dados e observaçõesCap. 11   análise de dados e observações
Cap. 11 análise de dados e observações
 
Teste de usabilidade - Debriefing
Teste de usabilidade - DebriefingTeste de usabilidade - Debriefing
Teste de usabilidade - Debriefing
 
Aula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científicaAula 1. metodologia científica
Aula 1. metodologia científica
 
Pesquisa comportamento a2
Pesquisa comportamento a2Pesquisa comportamento a2
Pesquisa comportamento a2
 
CAPÍTULO 12 - Handbook of Usability Testing” de Rubin e Chsinell
CAPÍTULO 12 - Handbook of Usability Testing” de Rubin e ChsinellCAPÍTULO 12 - Handbook of Usability Testing” de Rubin e Chsinell
CAPÍTULO 12 - Handbook of Usability Testing” de Rubin e Chsinell
 
Cap. 7 selecionando participantes
Cap. 7   selecionando participantesCap. 7   selecionando participantes
Cap. 7 selecionando participantes
 
Método Estudo de Caso para Pesquisa de Groupware na Educação
Método Estudo de Caso para Pesquisa de Groupware na EducaçãoMétodo Estudo de Caso para Pesquisa de Groupware na Educação
Método Estudo de Caso para Pesquisa de Groupware na Educação
 
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisaRoteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
Roteiro elaboracao-projeto-de-pesquisa
 
Aula Projeto TCC
Aula Projeto TCCAula Projeto TCC
Aula Projeto TCC
 
Roteiro para interpretação de artigo científico
Roteiro para interpretação de artigo científicoRoteiro para interpretação de artigo científico
Roteiro para interpretação de artigo científico
 
Entrevista
EntrevistaEntrevista
Entrevista
 

Semelhante a Francisco arsego

Metodologia de trabalho de campo ufvjm junho 2010
Metodologia de trabalho de campo ufvjm  junho 2010Metodologia de trabalho de campo ufvjm  junho 2010
Metodologia de trabalho de campo ufvjm junho 2010Bruno Dias Bento
 
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentesComo elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentesHelena Degreas
 
O questionário na pesquisa cientifica
O questionário na pesquisa cientificaO questionário na pesquisa cientifica
O questionário na pesquisa cientificaRonilson de Souza Luiz
 
35. unidade 5_-_instrumentos_e_tecnicas_de_coleta_e_analise_de_dados_26_pags._
35. unidade 5_-_instrumentos_e_tecnicas_de_coleta_e_analise_de_dados_26_pags._35. unidade 5_-_instrumentos_e_tecnicas_de_coleta_e_analise_de_dados_26_pags._
35. unidade 5_-_instrumentos_e_tecnicas_de_coleta_e_analise_de_dados_26_pags._Tanise de Abreu
 
MANUAL_ESCALAS Likert_FINAL.pdf
MANUAL_ESCALAS Likert_FINAL.pdfMANUAL_ESCALAS Likert_FINAL.pdf
MANUAL_ESCALAS Likert_FINAL.pdfFábia Martins
 
Equipe cepaof progestão ix
Equipe cepaof progestão ixEquipe cepaof progestão ix
Equipe cepaof progestão ixprogestaoanguera
 
As Etapas de uma pesquisa científica - Universo
As Etapas de uma pesquisa científica - UniversoAs Etapas de uma pesquisa científica - Universo
As Etapas de uma pesquisa científica - Universoniviaferreiratr
 
Transformational Design Thinking - Aula 10
Transformational Design Thinking - Aula 10Transformational Design Thinking - Aula 10
Transformational Design Thinking - Aula 10Lu Terceiro
 
Pos aula - quantitativo xqualitativo
Pos aula - quantitativo xqualitativoPos aula - quantitativo xqualitativo
Pos aula - quantitativo xqualitativoT Viana
 
Projeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - MetodologiaProjeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - MetodologiaKarlos Aires
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisaKarlos Aires
 

Semelhante a Francisco arsego (20)

Pesquisa Complemento
Pesquisa ComplementoPesquisa Complemento
Pesquisa Complemento
 
Metodologia de trabalho de campo ufvjm junho 2010
Metodologia de trabalho de campo ufvjm  junho 2010Metodologia de trabalho de campo ufvjm  junho 2010
Metodologia de trabalho de campo ufvjm junho 2010
 
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentesComo elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
Como elaborar um projeto de pesquisa: elementos componentes
 
O questionário na pesquisa cientifica
O questionário na pesquisa cientificaO questionário na pesquisa cientifica
O questionário na pesquisa cientifica
 
Etapas de pesquisa
Etapas de pesquisaEtapas de pesquisa
Etapas de pesquisa
 
Coleta de dados
Coleta de dadosColeta de dados
Coleta de dados
 
Como fazer uma pesquisa?
Como fazer uma pesquisa?Como fazer uma pesquisa?
Como fazer uma pesquisa?
 
Projeto GráFico5
Projeto GráFico5Projeto GráFico5
Projeto GráFico5
 
35. unidade 5_-_instrumentos_e_tecnicas_de_coleta_e_analise_de_dados_26_pags._
35. unidade 5_-_instrumentos_e_tecnicas_de_coleta_e_analise_de_dados_26_pags._35. unidade 5_-_instrumentos_e_tecnicas_de_coleta_e_analise_de_dados_26_pags._
35. unidade 5_-_instrumentos_e_tecnicas_de_coleta_e_analise_de_dados_26_pags._
 
MANUAL_ESCALAS Likert_FINAL.pdf
MANUAL_ESCALAS Likert_FINAL.pdfMANUAL_ESCALAS Likert_FINAL.pdf
MANUAL_ESCALAS Likert_FINAL.pdf
 
Equipe cepaof progestão ix
Equipe cepaof progestão ixEquipe cepaof progestão ix
Equipe cepaof progestão ix
 
Pesquisa de mercado
Pesquisa de mercadoPesquisa de mercado
Pesquisa de mercado
 
Aula 02 Mtc Mba 2009
Aula 02 Mtc Mba 2009Aula 02 Mtc Mba 2009
Aula 02 Mtc Mba 2009
 
As Etapas de uma pesquisa científica - Universo
As Etapas de uma pesquisa científica - UniversoAs Etapas de uma pesquisa científica - Universo
As Etapas de uma pesquisa científica - Universo
 
Transformational Design Thinking - Aula 10
Transformational Design Thinking - Aula 10Transformational Design Thinking - Aula 10
Transformational Design Thinking - Aula 10
 
Pos aula - quantitativo xqualitativo
Pos aula - quantitativo xqualitativoPos aula - quantitativo xqualitativo
Pos aula - quantitativo xqualitativo
 
Workshop de Surveys
Workshop de SurveysWorkshop de Surveys
Workshop de Surveys
 
Questionário
QuestionárioQuestionário
Questionário
 
Projeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - MetodologiaProjeto de Pesquisa - Metodologia
Projeto de Pesquisa - Metodologia
 
Projeto de pesquisa
Projeto de pesquisaProjeto de pesquisa
Projeto de pesquisa
 

Francisco arsego

  • 1. Desenvolvimento de instrumentos de coletas de dados Francisco Arsego de Oliveira CEARGS – julho de 2007
  • 2. Roteiro da apresentação Pressupostos fundamentais Etapas do processo de desenvolvimento de questionários Formatos principais Lembretes importantes Teste Piloto
  • 3. Um questionário ideal deve ser: Apropriado Inteligível Claro Sem viéses Capaz de conter todas as possíveis respostas Testado Ético
  • 4. Um questionário ideal deve ser: Apropriado Inteligível Claro Sem viéses Capaz de conter todas as possíveis respostas Testado Ético NÃO HÁ RECEITA PRONTA!
  • 5. “Um bom questionário é aquele que funciona”. DH Stone, 1993
  • 6. Um instrumento de coleta de informações falho inevitavelmente levará o pesquisador a conduzir uma pesquisa falha.
  • 7.
  • 8.
  • 9. Questionário: pressupostos fundamentais O questionário é apenas um dos possíveis instrumentos de coleta de informações: há outros! É composto por um conjunto de perguntas que, adequadamente respondidas, dão ao pesquisador as informações que ele busca atingir. O informante é um ser pensante, que tem motivações próprias!
  • 10. Questionários: pressupostos fundamentais (cont.) O questionário é uma conseqüência natural do processo de pesquisa. A elaboração do questionário é uma das etapas intermediárias do projeto (e não o início nem o seu final). O questionário reflete as indagações e pressupostos do pesquisador.
  • 11. Questionários: pressupostos fundamentais (cont.) O questionário constitui um conjunto de perguntas elaboradas por uma ou mais pessoas e respondidas por outras, de um forma planejada por quem pergunta. A exploração da realidade envolve a interação com outras pessoas: O OUTRO. O questionário será o nosso instrumento de intervenção junto ao OUTRO. As respostas obtidas através do questionário estão diretamente relacionadas à maneira que são perguntadas (forma, sequência, etc.).
  • 12. pesquisador questionário respondente
  • 13. Importante lembrar que Os fenômenos estudados passam a ser limitados pela estruturação feita pelo pesquisador (que inclui o Questionário!).
  • 14. Não há “pesquisa definitiva” Toda pesquisa é apenas um recorte e, portanto, possuirá limitações. É freqüente a necessidade de fazermos várias pesquisas para ter um conhecimento razoável sobre determinado tema.
  • 15. Em relação ao questionário, as perguntas básicas devem ser: Os tópicos contidos no questionário respondem adequadamente a minha pergunta de pesquisa? Com o questionário, responderei os objetivos da minha pesquisa? O questionário é coerente com o projeto de pesquisa como um todo?
  • 16. ETAPAS DO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE QUESTIONÁRIOS
  • 17. 1. O que buscamos saber? Evitar “jaquismo”: informações “interessantes”, mas sem relação direta com os objetivos da pesquisa não devem ser incluídas. Agrupar as questões de acordo com o tipo de informação a ser obtida: dados demográficos, comportamentos, conhecimentos, etc.
  • 18. 2. Quem é o público-alvo? Quais as características? Limitações? Onde estão localizados? Poderão dar as respostas que queremos?
  • 19. 3. Qual a melhor forma de buscar esses dados? Há formas mais adequadas de coleta de determinadas informações? População/amostra: tamanho, forma de contato, nível sócio-econômico, características culturais. Como assegurar privacidade dos dados? Logística da pesquisa: treinamento dos entrevistadores, recursos financeiros, etc.
  • 20. 4. Como vamos formular as questões? Uma idéia = uma questão. Clareza na formulação das perguntas e enunciados. Não direcionar as respostas. “Falar” diretamente com o entrevistado. Cuidado com os termos empregados: “freqüentemente”, “regularmente”, etc.
  • 21. 5. O que deve ser evitado? O uso excessivo da palavra “porquê”. Estratificação das respostas já no questionário. Perguntas ambíguas – “Você tem assistido a peças de teatro ultimamente?” Perguntas capciosas – “Você concorda com a maioria da população que afirma que o SUS não funciona bem?”
  • 22. 5. O que deve ser evitado? (cont.) Perguntas duplas – “Você acha que o brasileiro deve comer menos e se exercitar mais?” Perguntas com jargão e terminologia técnica Perguntas emocionais – “O que deve ser feito com os responsáveis pelo brutal assassinato do menino de 7 meses em Ipitanga do Sul?” Perguntas negativas – “Você é contrário à lei que não permite a venda de cigarros a menores de idade?” Excesso de siglas e abreviações
  • 23. 6. Qual o formato e a seqüência das perguntas? Instruções claras no início do questionário e em cada bloco de perguntas. Definir a temporalidade das questões: presente, passado, futuro. Ritmo das respostas/cadência da entrevista. Evitar questões controversas logo no início: “conquistar” o entrevistado. Preferir ir do geral para o particular.
  • 24. 6. Qual o formato e a seqüência das perguntas? (cont.) Cuidado na diagramação: evitar cortes, espaços insuficientes para as respostas. O questionário deve ser visualmente agradável. Título do projeto no questionário. Numeração clara de questões e páginas. Evitar questionários muito extensos. Questões demográficas ao final (idade, sexo, grau de instrução, etc.).
  • 25. 7. Revisão externa Peça auxílio a alguém que conheça o assunto. Não menospreze a revisão ortográfica e de digitação. Simule respostas durante o seu planejamento. Simule a entrada dos dados.
  • 26. Inferência estatística É um ramo da Estatística cujo objetivo é fazer afirmações a partir de um conjunto de valores representativo ( amostra) sobre um universo.
  • 27. O método não-paramétrico coloca os resultados numa ordem de grandeza, portanto, apenas mede a variabilidade dos resultados de forma indireta. O método paramétricos podem medir a proporção exata de variabilidade total dos resultados.
  • 28. Formatos: categorias simples [ ] sim Simples [ ] não Fácil entendimento Rápidas para respostas e análise [ ] não sei Bons para análise [ ] não se aplica estatística não- paramétrica [ ] __________
  • 29. Formatos: escalas A pena de morte deve ser instituída no Brasil? Discordo Discordo Sem Concordo Concordo totalmente opinião totalmente 1 2 3 4 5 • Escala Likert • Também pode ter 7 pontos • Quantifica atitudes • Bons para análise estatística não-paramétrica
  • 30. Formatos: escala visual A sua apreciação geral sobre esse produto Ruim Bom ___________________X_______ • Quantificação de atitudes. • Deve ser transformada em números para análise estatística. • Geralmente usa-se uma linha de 10 cm.
  • 31. Ranqueamento Numere os itens de Em relação aos recursos utilizados para sua acordo com a informação: importância que Jornal diário você atribui a eles Revista semanal (0 nenhuma importância; 5 muito importante) Internet Livros
  • 32. Formatos: símbolos Como você qualificaria o atendimento recebido nesta Unidade de Saúde? (circule a alternativa mais adequada)   
  • 33. Formatos: questões abertas Na sua opinião, o que você considerou mais importante em relação ao atendimento recebido hoje nesta Unidade de saúde? (escreva a sua resposta no espaço abaixo) • Avaliação qualitativa
  • 34.
  • 35.
  • 36.
  • 38. Como será feita a análise das respostas? Software adequado. Questões fechadas são mais rápidas (mas é o pesquisador quem determina o tipo de resposta). Questões abertas tomam mais tempo e dependem de interpretação.
  • 39. Aspecto do questionário: Agradável. Claro e fácil de ser respondido: não é uma gincana! Tamanho de fonte adequada. Não deve ter perguntas muito longas. Lembre-se que não é um teste!
  • 40. Questionários falham por Dificuldades de compreensão Serem muito longos Chatearem os respondentes Ofenderem os respondentes Terem o visual de gosto duvidoso SOLUÇÃO?
  • 41. Questionários falham por Dificuldades de compreensão Serem muito longos Chatearem os respondentes Ofenderem os respondentes Terem o visual de gosto duvidoso SOLUÇÃO?  “Pilotar” sempre!
  • 42. Teste piloto O instrumento está adequado à população a ser estudada? O instrumento é fácil de responder? Tempo de preenchimento foi adequado? O instrumento gera respostas consistentes? Comitê de Ética. Aproveitamento de dados.
  • 43. Teste piloto Mede o que pretende medir?  VALIDADE • Ingesta calórica em obesos • Manejo clínico de patologias Aplicado à mesma amostra, oferece os mesmos resultados?  FIDEDIGNIDADE/CONFIABILIDADE
  • 44. Polidez nunca é demais! Na introdução, oferecer informações prévias, introduzindo o tema de pesquisa (mas sem induzir as respostas). Agradecer ao final.
  • 45. Questionários testados e validados Economiza tempo. Permite comparações mais diretas. Deve estar dentro do contexto e responder a pergunta da pesquisa. Cuidado: a publicação de um questionário não garante que ele seja válido e confiável. Validação é um processo que requer cuidados extras.
  • 46. Revisão final Ufa! Versão definitiva do questionário!
  • 47. Resumo Planejamento adequado. Testagem. O questionário é uma forma de comunicação com o respondente.
  • 49. Bom trabalho e boa sorte! 