Colecistectomia

6.928 visualizações

Publicada em

Apresentação do aluno Italo Felipe pela Liga Acadêmica de Cirurgia do Aparelho Digestico - LACAD - UFAM.

Publicada em: Educação
0 comentários
6 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.928
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
24
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
172
Comentários
0
Gostaram
6
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Colecistectomia

  1. 1. ITALO FELIPE - 5º PERÍODO/UFAM
  2. 2. INTRODUÇÃO  Colecistolitíase – 9,7% ~ 19,2% de incidência na população brasileira.  Colecistectomia é a extirpação cirúrgica da vesícula biliar.  Paciente padrão: Mulher, multíparas, mais que 50 anos, obesas.  Fator familiar.  Via Laparoscópica é o padrão ouro do tratamento e corresponde a 90% dos procedimentos. 23/01/20152 LACAD - COLECISTECTOMIA
  3. 3. ANATOMIA 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA3
  4. 4. ANATOMIA 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA4
  5. 5. ANATOMIA 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA5
  6. 6. ANATOMIA 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA6
  7. 7. CONVENCIONAL 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA7  Paciente em decúbito dorsal.  Anestesia geral.  Intubação orotraqueal.  Antissepsia ampla.
  8. 8. CONVENCIONAL 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA8  Classificação:  Quanto aVia de acesso  Laparotomia subcostal direita  Laparotomia mediana Incisão de Kocher  Laparotomia paramediana direita  Exploração da cavidade abdominal.  Quanto a Colecistectomia  Do ducto cístico para o fundo – ANTERÓGRADA  Do fundo para o ducto cístico – RETRÓGADA  Método misto
  9. 9. CONVENCIONAL 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA9  ANTERÓGRADA (do ducto para o fundo)  Isolamento, ligadura e secção da artéria cística.  Dificuldade da identificação das estruturas do hilo hepático.  Menos sangramentos durante procedimento.  RETRÓGADA (do fundo para o ducto)  Deslocamento da vesícula de forma cuidadosa do seu leito hepático.  Possibilidade de migração de cálculos.  Sangramento constante durante a liberação da vesícula.
  10. 10. CONVENCIONAL 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA10  Complicações:  Perfuração da vesícula e derramamento de líquido biliar.  Hemoperitônio devido soltura da ligadura da artéria cistíca.  Secção errônea de estruturas (hepático em vez de cístico).
  11. 11. LAPAROSCÓPICA 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA11  Paciente em decúbito dorsal.  Anestesia geral.  Intubação orotraqueal.  Antissepsia ampla.  Incisão umbilical (~1,5cm).  Insuflação com CO² (12mmHg)
  12. 12. LAPAROSCÓPICA 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA12  Pontos de incisão dos trocartes 1 4 3 2
  13. 13. LAPAROSCÓPICA 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA13  Tração do fundo da vesícula em direção cefálica e tração lateral do infundíbulo expondo oTriângulo de Calot.  Dissecção para exposição de Ducto Cístico e Artéria Cística.
  14. 14. LAPAROSCÓPICA 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA14  Colocação de três clips no ducto cistíco:  2 proximais.  1 distal.  Colocação de três clips na artéria cistíca:  2 proximais.  1 distal.  Secção de estruturas.  Liberação da vesícula biliar do leito hepático.
  15. 15. LAPAROSCÓPICA 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA15  Retirada da vesícula pelo portal umbilical.  Pode ser necessário seu esvaziamento ou colocar dentro de saco plástico nos casos de colecistite aguda.  Limpeza rigorosa da cavidade.  Eliminação do pneumoperitônio.
  16. 16. COLANGIOGRAFIA PEROPERATÓRIA  Vantagens:  Oferece um mapa da anatomia da árvore biliar,;  Diagnóstico de coledocolitíase;  Pode prevenir a lesão iatrogênica das vias biliares e diagnostica a eventual lesão já praticada  Desvantagens:  Alonga o tempo cirúrgico,;  Aumenta os custos;  Expõe a equipe médica e paramédica à irradiação ionizante;  Pode resultar em falso-positivo. 23/01/201516 LACAD - COLECISTECTOMIA
  17. 17. COLANGIOGRAFIA PEROPERATÓRIA 23/01/201517 LACAD - COLECISTECTOMIA Vídeo
  18. 18. COLANGIOGRAFIA PEROPERATÓRIA 23/01/201518 LACAD - COLECISTECTOMIA  1% dos casos apresentou Coledocolitíase insuspeitável no pré-operatório.  A Colangiografia é segura e deve ser empregada no procedimento cirúrgico.
  19. 19. CONVERSÃO 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA19  Quando em algum momento da cirurgia videolaparoscópica há complicações que torna prudente a conversão para cirurgia convencional com acesso por Laparotomia.  Importância do cirurgião dominar as duas técnicas!
  20. 20. CONVERSÃO 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA20
  21. 21. REFERÊNCIAS 23/01/2015LACAD - COLECISTECTOMIA21  Lima EC, Queiroz FL, Ladeira FN, Ferreira BM, Bueno JGP, Magalhães E A. Análise dos fatores implicados na conversão da colecistectomia laparoscópica. Rev Col Bras Cir. 2007;34(5). Disponível em URL: www.scielo.br/rcbc.  Vídeo de Colecistectomia com colangiografia do Dr. Roberto Rizzi. Disponível em: https://www.youtube.com/watch?v=odPKLAjzOrg.  NETTER, Frank H.. Atlas de Anatomia Humana. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.  MONTEIRO E SANTANA: Técnica Cirúrgica: Editora Guanabara Koogan, Rio de Janeiro, 2006.  Goffi, FS. Técnica cirúrgica – bases anatômicas, fisiopatológicas e técnicas de cirurgia. Ed. Atheneu. 2004.  MATTOX KL; TOWNSEND CM; BEAUCHAMP RD. Sabiston - Tratado de cirurgia – 18. ed. São Paulo: Elsevier, 2010.

×