SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA O
DESCARTE DE LIXOS E MATERIAIS PERFUROCORTANTES
Cód.

Versão: 01

Páginas: Anexo:
02

Elaborado por:
Fabiana Trento de O. Ângelo
Farmacêutica Responsável
Aprovado por:
Herli Terezinha da Silva
Farmacêutica

Data de Elaboração
01/11/2010
Data de revisão:
01/11/2011

1- OBJETIVO
Padronizar o descarte de lixo comum, materiais biológico e não biológico e
perfurocortantes.
2- RESPONSABILIDADES
Farmacêuticos e auxiliares de farmácia que receberam o treinamento.
3- MATERIAIS
Caixa de descarte (descartex®)
Recipiente para lixo seco
Recipiente para lixo orgânico
Saco plástico de cor azul para lixo seco
Saco plástico de cor preta para lixo orgânico
Saco plástico de cor branca (lixo Hospitalar) para lixos contaminados como: luvas,
máscaras, seringas.
4-DEFINIÇÕES
Segundo as legislações sanitárias e ambientais, os objetos perfurocortantes incluem
lâminas de barbear, bisturis, agulhas, escalpes, ampolas de vidro, vidrarias, lancetas e
outros assemelhados, contaminados ou não por agentes químicos ou biológicos. Cabe ao
profissional a segregação (separação), identificação e pré-tratamento de todos os resíduos
gerados.
5- PROCEDIMENTOS
1. Após utilizar o material perfurocortante descartar imediatamente na caixa de
descarte (descartex®) que devem estar localizadas o mais próximo possível do
local de uso;
2. Não quebrar, entortar ou recapear agulhas ou qualquer material perfurocortante
após o uso;
3. Não é permitido retirar manualmente a agulha da seringa. Caso seja indispensável,
a sua retirada só é permitida utilizando-se procedimento mecânico;
4. No caso das seringas de vidro, é necessário descartar a seringa juntamente com a
agulha;
5. Os recipientes devem ser preenchidos somente até dois terços de sua capacidade,
6.
7.
8.
9.

não podendo ser esvaziados ou reaproveitados;
Não deve se haver contato com as mãos e a tampa de isolamento;
A caixa de descarte deve ser fechada e manipulada pelas alças.
Armazenar a caixa de descarte na sala de deposito de material de limpeza (DML)
até o momento da coleta realizada pela empresa especializada conforme contrato.
O controle da coleta bem como o protocolo de entrega a empresa é de
responsabilidade do farmacêutico;

10. O lixo seco e orgânico é armazenado na sala de DML até a data de coleta
realizada pela prefeitura municipal e o orgânico até a coleta realizada pela
empresa especializada conforme contrato;
6- CONSIDERAÇÕES GERAIS
Localização dos recipientes de coleta de lixo:
Sala administrativa: Lixo seco;
Sala de Serviços Farmacêuticos: Lixo biológico, perfurocortantes, e lixo seco;
Sanitário: Lixo Orgânico
Todos os recipientes receberam identificação externa do tipo de lixo a ser coletado.
É necessário descartar o material perfurocortante em recipientes de paredes rígidas, com
tampa e resistentes à esterilização.
O uso de Luvas descartáveis é imprescindível durante a manipulação de objetos
perfurocortantes e as mesmas devem ser descartadas junto ao lixo biológico contaminantes
7- REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA
Desenvolvimento Local
Identificação do Funcionário

Declaro através da minha
assinatura ter recebido as
informações citadas acima.

________________________________
Fabiana Trento de Oliveira Ângelo
Farmacêutica Responsável
CRF/PR 14341

Data

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Fluxograma de acidentes com material perfuro cortante
Fluxograma de acidentes com material  perfuro  cortanteFluxograma de acidentes com material  perfuro  cortante
Fluxograma de acidentes com material perfuro cortanteTersio Gorrasi
 
Pop gerenciamento de resíduos de serviços de saúde
Pop   gerenciamento de resíduos de serviços de saúdePop   gerenciamento de resíduos de serviços de saúde
Pop gerenciamento de resíduos de serviços de saúdeJuciê Vasconcelos
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemJuliana Maciel
 
Treinamento para serviços de apoio
Treinamento para serviços de apoioTreinamento para serviços de apoio
Treinamento para serviços de apoioWelder Souza Goulão
 
PGRSS Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde
PGRSS   Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúdePGRSS   Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde
PGRSS Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúdeRebeca Purcino
 
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA PROCEDIMENTOS REALIZADOS NAS UNIDADES BÁ...
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA PROCEDIMENTOS REALIZADOS NAS UNIDADES BÁ...PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA PROCEDIMENTOS REALIZADOS NAS UNIDADES BÁ...
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA PROCEDIMENTOS REALIZADOS NAS UNIDADES BÁ...Cínthia Lima
 
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...Proqualis
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoConceição Quirino
 
Manual de procedimentos de higienização e limpeza em controlo da infecção
Manual de procedimentos de higienização e limpeza em controlo da infecçãoManual de procedimentos de higienização e limpeza em controlo da infecção
Manual de procedimentos de higienização e limpeza em controlo da infecçãoPaulo Vaz
 
Treinamento de política de higienização das mãos
Treinamento de política de higienização das mãos Treinamento de política de higienização das mãos
Treinamento de política de higienização das mãos Fonte Medicina Diagnóstica
 
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'SBOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'SCelina Martins
 
Higienização das mãos
Higienização das mãosHigienização das mãos
Higienização das mãoscrisenf
 
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELOMANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELOMARIA ELIZABETE DE LIMA MONTEIRO
 
Processo de esterilização
Processo de esterilizaçãoProcesso de esterilização
Processo de esterilizaçãoAmanda Amate
 
Aula higienização das mãos
Aula higienização das mãosAula higienização das mãos
Aula higienização das mãosProqualis
 
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.Bruno Pires
 

Mais procurados (20)

Fluxograma de acidentes com material perfuro cortante
Fluxograma de acidentes com material  perfuro  cortanteFluxograma de acidentes com material  perfuro  cortante
Fluxograma de acidentes com material perfuro cortante
 
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃOPROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO
 
Pop gerenciamento de resíduos de serviços de saúde
Pop   gerenciamento de resíduos de serviços de saúdePop   gerenciamento de resíduos de serviços de saúde
Pop gerenciamento de resíduos de serviços de saúde
 
Biossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagemBiossegurança na enfermagem
Biossegurança na enfermagem
 
Limpeza e higienização hospitalar
Limpeza e higienização hospitalarLimpeza e higienização hospitalar
Limpeza e higienização hospitalar
 
Treinamento para serviços de apoio
Treinamento para serviços de apoioTreinamento para serviços de apoio
Treinamento para serviços de apoio
 
Indicadores e teste biológicos
Indicadores e teste biológicosIndicadores e teste biológicos
Indicadores e teste biológicos
 
Lixo Hospitalar
Lixo HospitalarLixo Hospitalar
Lixo Hospitalar
 
PGRSS Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde
PGRSS   Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúdePGRSS   Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde
PGRSS Plano de gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde
 
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA PROCEDIMENTOS REALIZADOS NAS UNIDADES BÁ...
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA PROCEDIMENTOS REALIZADOS NAS UNIDADES BÁ...PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA PROCEDIMENTOS REALIZADOS NAS UNIDADES BÁ...
PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA PROCEDIMENTOS REALIZADOS NAS UNIDADES BÁ...
 
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 2: Limpeza e desinfecção de superficíes e equipamentos na pandemia de Co...
 
Aula Central de material Esterilizado
Aula Central de material EsterilizadoAula Central de material Esterilizado
Aula Central de material Esterilizado
 
Manual de procedimentos de higienização e limpeza em controlo da infecção
Manual de procedimentos de higienização e limpeza em controlo da infecçãoManual de procedimentos de higienização e limpeza em controlo da infecção
Manual de procedimentos de higienização e limpeza em controlo da infecção
 
Treinamento de política de higienização das mãos
Treinamento de política de higienização das mãos Treinamento de política de higienização das mãos
Treinamento de política de higienização das mãos
 
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'SBOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
BOAS PRATICAS DE FABRICAÇÃO E POP'S
 
Higienização das mãos
Higienização das mãosHigienização das mãos
Higienização das mãos
 
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELOMANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
MANUAL DE CONTROLE NOS PROCESSOS DE ESTERILIZAÇÃO- MODELO
 
Processo de esterilização
Processo de esterilizaçãoProcesso de esterilização
Processo de esterilização
 
Aula higienização das mãos
Aula higienização das mãosAula higienização das mãos
Aula higienização das mãos
 
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.
Pop 43 limpeza aparelhos ar condicionado.
 

Semelhante a Pop uso e descarte de material perfurocortante

Trab de biologia e saude
Trab de biologia e saudeTrab de biologia e saude
Trab de biologia e saudeMaria Menezes
 
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptxResíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptxRaquelOlimpio1
 
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptxResíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptxRaquelOlimpio1
 
RESIDOS HOSPITALARES
                  RESIDOS HOSPITALARES                  RESIDOS HOSPITALARES
RESIDOS HOSPITALARESwgnwagner
 
10 lixo hospitalar[1]
10 lixo hospitalar[1]10 lixo hospitalar[1]
10 lixo hospitalar[1]Renatbar
 
– Descarte de lixo e materiais
– Descarte de lixo e materiais– Descarte de lixo e materiais
– Descarte de lixo e materiaisMara de Oliveira
 
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador Hospitalar
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador HospitalarGerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador Hospitalar
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador HospitalarFernanda Cabral
 
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01NayaraOliver
 
[Apostila] aplicacao de injetaveis
[Apostila]   aplicacao de injetaveis[Apostila]   aplicacao de injetaveis
[Apostila] aplicacao de injetaveisRoberto Taffarel
 
26º POP manejo de resíduos sólidos.pdf
26º POP manejo de resíduos sólidos.pdf26º POP manejo de resíduos sólidos.pdf
26º POP manejo de resíduos sólidos.pdfJAQUELINE BARRETO
 
2ª Edição do 1º Seminário CME - Sobre Resíduos Hospitalares Frente a RDC 15-2014
2ª Edição do 1º Seminário CME - Sobre Resíduos Hospitalares Frente a RDC 15-20142ª Edição do 1º Seminário CME - Sobre Resíduos Hospitalares Frente a RDC 15-2014
2ª Edição do 1º Seminário CME - Sobre Resíduos Hospitalares Frente a RDC 15-2014Seminário CME
 
Poluição Ambiental - Tema Lixo Hospitalar
Poluição  Ambiental - Tema Lixo HospitalarPoluição  Ambiental - Tema Lixo Hospitalar
Poluição Ambiental - Tema Lixo HospitalarLukas Lima
 
Gereciamento de residuos na area de saude grupo ii
Gereciamento de residuos na area de saude grupo iiGereciamento de residuos na area de saude grupo ii
Gereciamento de residuos na area de saude grupo iiTatiane Silva
 
Gerenciamento de resíduos biológicos
Gerenciamento de resíduos biológicosGerenciamento de resíduos biológicos
Gerenciamento de resíduos biológicosRicardo Alanís
 
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.LATEC - UFF
 

Semelhante a Pop uso e descarte de material perfurocortante (20)

Trab de biologia e saude
Trab de biologia e saudeTrab de biologia e saude
Trab de biologia e saude
 
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptxResíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
 
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptxResíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
Resíduos de serviço de saúde e lixo hospitalar.pptx
 
RESIDOS HOSPITALARES
                  RESIDOS HOSPITALARES                  RESIDOS HOSPITALARES
RESIDOS HOSPITALARES
 
Higiene hospitalar: quais as recomendações da legislação e os problemas mais ...
Higiene hospitalar: quais as recomendações da legislação e os problemas mais ...Higiene hospitalar: quais as recomendações da legislação e os problemas mais ...
Higiene hospitalar: quais as recomendações da legislação e os problemas mais ...
 
10 lixo hospitalar[1]
10 lixo hospitalar[1]10 lixo hospitalar[1]
10 lixo hospitalar[1]
 
– Descarte de lixo e materiais
– Descarte de lixo e materiais– Descarte de lixo e materiais
– Descarte de lixo e materiais
 
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador Hospitalar
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador HospitalarGerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador Hospitalar
Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e Incinerador Hospitalar
 
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01
Aula residuosdeserviosdasade2-110528110549-phpapp01
 
[Apostila] aplicacao de injetaveis
[Apostila]   aplicacao de injetaveis[Apostila]   aplicacao de injetaveis
[Apostila] aplicacao de injetaveis
 
26º POP manejo de resíduos sólidos.pdf
26º POP manejo de resíduos sólidos.pdf26º POP manejo de resíduos sólidos.pdf
26º POP manejo de resíduos sólidos.pdf
 
Gestão de resíduos químicos
Gestão de resíduos químicosGestão de resíduos químicos
Gestão de resíduos químicos
 
2ª Edição do 1º Seminário CME - Sobre Resíduos Hospitalares Frente a RDC 15-2014
2ª Edição do 1º Seminário CME - Sobre Resíduos Hospitalares Frente a RDC 15-20142ª Edição do 1º Seminário CME - Sobre Resíduos Hospitalares Frente a RDC 15-2014
2ª Edição do 1º Seminário CME - Sobre Resíduos Hospitalares Frente a RDC 15-2014
 
Poluição Ambiental - Tema Lixo Hospitalar
Poluição  Ambiental - Tema Lixo HospitalarPoluição  Ambiental - Tema Lixo Hospitalar
Poluição Ambiental - Tema Lixo Hospitalar
 
Gereciamento de residuos na area de saude grupo ii
Gereciamento de residuos na area de saude grupo iiGereciamento de residuos na area de saude grupo ii
Gereciamento de residuos na area de saude grupo ii
 
Resíduos.pdf
Resíduos.pdfResíduos.pdf
Resíduos.pdf
 
Gerenciamento de resíduos biológicos
Gerenciamento de resíduos biológicosGerenciamento de resíduos biológicos
Gerenciamento de resíduos biológicos
 
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.
LATEC - UFF. PALESTRA - RESÍDUOS DE SERVIÇOS DA SAÚDE.
 
Lixo5
Lixo5Lixo5
Lixo5
 
Lixo5
Lixo5Lixo5
Lixo5
 

Mais de Itaecio Lane Itaecio Lane (6)

Pop09 limpeza
Pop09 limpezaPop09 limpeza
Pop09 limpeza
 
Pgrss+passo+a+passo
Pgrss+passo+a+passoPgrss+passo+a+passo
Pgrss+passo+a+passo
 
Pgrss
PgrssPgrss
Pgrss
 
Pgrss passo a passo
Pgrss passo a passoPgrss passo a passo
Pgrss passo a passo
 
Pgrss atual bettina
Pgrss atual bettinaPgrss atual bettina
Pgrss atual bettina
 
Anexo 6 pgrss
Anexo 6 pgrssAnexo 6 pgrss
Anexo 6 pgrss
 

Pop uso e descarte de material perfurocortante

  • 1. PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO PARA O DESCARTE DE LIXOS E MATERIAIS PERFUROCORTANTES Cód. Versão: 01 Páginas: Anexo: 02 Elaborado por: Fabiana Trento de O. Ângelo Farmacêutica Responsável Aprovado por: Herli Terezinha da Silva Farmacêutica Data de Elaboração 01/11/2010 Data de revisão: 01/11/2011 1- OBJETIVO Padronizar o descarte de lixo comum, materiais biológico e não biológico e perfurocortantes. 2- RESPONSABILIDADES Farmacêuticos e auxiliares de farmácia que receberam o treinamento. 3- MATERIAIS Caixa de descarte (descartex®) Recipiente para lixo seco Recipiente para lixo orgânico Saco plástico de cor azul para lixo seco Saco plástico de cor preta para lixo orgânico Saco plástico de cor branca (lixo Hospitalar) para lixos contaminados como: luvas, máscaras, seringas. 4-DEFINIÇÕES Segundo as legislações sanitárias e ambientais, os objetos perfurocortantes incluem lâminas de barbear, bisturis, agulhas, escalpes, ampolas de vidro, vidrarias, lancetas e outros assemelhados, contaminados ou não por agentes químicos ou biológicos. Cabe ao profissional a segregação (separação), identificação e pré-tratamento de todos os resíduos gerados. 5- PROCEDIMENTOS 1. Após utilizar o material perfurocortante descartar imediatamente na caixa de descarte (descartex®) que devem estar localizadas o mais próximo possível do local de uso; 2. Não quebrar, entortar ou recapear agulhas ou qualquer material perfurocortante após o uso; 3. Não é permitido retirar manualmente a agulha da seringa. Caso seja indispensável, a sua retirada só é permitida utilizando-se procedimento mecânico; 4. No caso das seringas de vidro, é necessário descartar a seringa juntamente com a agulha; 5. Os recipientes devem ser preenchidos somente até dois terços de sua capacidade,
  • 2. 6. 7. 8. 9. não podendo ser esvaziados ou reaproveitados; Não deve se haver contato com as mãos e a tampa de isolamento; A caixa de descarte deve ser fechada e manipulada pelas alças. Armazenar a caixa de descarte na sala de deposito de material de limpeza (DML) até o momento da coleta realizada pela empresa especializada conforme contrato. O controle da coleta bem como o protocolo de entrega a empresa é de responsabilidade do farmacêutico; 10. O lixo seco e orgânico é armazenado na sala de DML até a data de coleta realizada pela prefeitura municipal e o orgânico até a coleta realizada pela empresa especializada conforme contrato; 6- CONSIDERAÇÕES GERAIS Localização dos recipientes de coleta de lixo: Sala administrativa: Lixo seco; Sala de Serviços Farmacêuticos: Lixo biológico, perfurocortantes, e lixo seco; Sanitário: Lixo Orgânico Todos os recipientes receberam identificação externa do tipo de lixo a ser coletado. É necessário descartar o material perfurocortante em recipientes de paredes rígidas, com tampa e resistentes à esterilização. O uso de Luvas descartáveis é imprescindível durante a manipulação de objetos perfurocortantes e as mesmas devem ser descartadas junto ao lixo biológico contaminantes 7- REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA Desenvolvimento Local Identificação do Funcionário Declaro através da minha assinatura ter recebido as informações citadas acima. ________________________________ Fabiana Trento de Oliveira Ângelo Farmacêutica Responsável CRF/PR 14341 Data