SlideShare uma empresa Scribd logo
UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS
LEITURAS LITERÁRIAS COMPARTILHADAS
Obra: EURICO, O PRESBÍTERO
Autor: ALEXANDRE HERCULANO
Parintins/AM
2014
COMPONENTES
Claudenilza Bezerra de Souza
Emerson Arcângelo Vasconcelos da Silva
Itacy Andrea Carmo Piedade
Karol Farias Garcia
Tânia Mara Ribeiro
INTRODUÇÃO
O presente trabalho pretende analisar o livro
Eurico, o presbítero, do escritor Alexandre
Herculano, numa abordagem clara e objetiva
com a finalidade de expor os principais
elementos da obra. A história trata de um
emocionante romance épico de cavalaria que
relata a história de um amor proibido entre
Eurico e Hermengarda. Nessa obra, o autor dá
ênfase aos fatos históricos ao redor do cenário
romântico. Eurico, o presbítero é considerado
um clássico da literatura portuguesa.
BIOGRAFIA DO AUTOR
 Alexandre Herculano de Carvalho
e Araújo 1810-1877;
 Escritor da primeira geração do
romantismo Português;
 Participante ativo das lutas
políticas do seu tempo;
 Os temas predominantes de suas
obras eram as origens da nação
portuguesa, suas obras possuem a
presença do caráter histórico
como fonte de explicação dos
fatos;
 “Eurico, o presbítero”, lançado
em 1844, é considerado a sua
melhor obra.
ANÁLISEDAS CAPAS
1844 1980
2011
2002
2010
1978
2012
Enredo
O romance conta a triste
história de amor entre
Eurico e Hermengarda, no
século VIII.
Os árabes invadem a
Península Ibérica e Eurico
se vê obrigado a escolher
entre o amor a sua pátria e
a fé em Deus. Esta obra
consagra o herói medieval,
personificado na figura de
Eurico.
ROMANTISMO
O Romantismo foi, antes de tudo, um
novo modo de viver, um grande
movimento artístico e intelectual,
marcado por uma grande alternância dos
grupos sociais da Europa,
contextualizado com o declínio de um
classe e ascensão de outra, impulsionadas
pelas duas maiores revoluções do
período: Revolução Francesa e Industrial.
CARACTERÍSTICAS DO ROMANTISMO
NA OBRA
• Escapismo, volta ao passado;
• A idealização do herói;
• A valorização dos sentimentos;
• A não concretização do amor;
• O suicídio e a loucura.
CONTEXTO HISTÓRICO
O período de maior vigor da estética romântica
corresponde à primeira metade do século XIX,
época em que a civilização ocidental vive profundas
contradições, grande parte delas trazida pela
Revolução Industrial e pelo aumento de
complexidade social determinado por ela.
FOCO NARRATIVO
O narrador se apresenta em 3ª pessoa onisciente.
ESPAÇO
AMBIENTE FÍSICO: A
narrativa se desenrola no território da
Península Ibérica.
“ A raça dos visigodos, conquistadora das
Espanhas, subjugara toda a Península havia
mais de um século” (p. 17)
AMBIENTE SOCIAL: A
historia registra o conflito civil e religioso
entre os cristãos godos e muçulmanos
árabes.
“ Como os árabes, os godos tinham no
meio de si uma nuvem de peões armados,
não menos bárbaros e ferozes que os filhos
da Mauritânia.” (p. 70)
TEMPO
TEMPO CRONOLÓGICO
“Na Ilha Verde. Ao pôr-do-sol das
calendas de abril da era de 749.”
(p. 41)
TEMPO PSICOLÓGICO
“Tal era eu quando me assentei
sobre as fragas; e a minha alma via
passar diante de si esta geração
vaidosa e má, que se crê grande e
forte, porque sem horror derrama
em lutas civis o sangue e seus
irmãos.” (p. 35)
PERSONAGENS
Protagonistas: Eurico e Hermengarda.
Antagonistas: Fávila, pai de
Hermengarda.
Secundários: Pélagio, Teodomiro.
• Planos
“ A nova existência de Eurico tinha
modificado, porém não destruído o
seu brilhante caráter”.(p. 24)
CONSIDERAÇÕES GERAIS
Qual a importância da obra
para os alunos do curso de
Letras?
Por que ler ainda hoje a
obra?
REFERÊNCIAS
HERCULANO, Alexandre. Eurico, o presbítero. 7ªed. São
Paulo : Ática, 1988 (Bom Livro).

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Caracteristicas de Cesário Verde
Caracteristicas de Cesário VerdeCaracteristicas de Cesário Verde
Caracteristicas de Cesário Verde
MariaVerde1995
 
Romantismo português
Romantismo portuguêsRomantismo português
Romantismo português
Karen Olivan
 
Eurico o presbítero
Eurico o presbíteroEurico o presbítero
Eurico o presbítero
Márcio Nunes
 
O herói romântico em _Amor de Perdição_ (1).pptx
O herói romântico em _Amor de Perdição_ (1).pptxO herói romântico em _Amor de Perdição_ (1).pptx
O herói romântico em _Amor de Perdição_ (1).pptx
SANDRAMARLENEBARBOSA1
 
Folhas caídas características gerais da obra
Folhas caídas  características gerais da obraFolhas caídas  características gerais da obra
Folhas caídas características gerais da obra
Helena Coutinho
 
Viagens na minha terra - Almeida Garret - 3ª A - 2013
Viagens na minha terra - Almeida Garret - 3ª A -  2013Viagens na minha terra - Almeida Garret - 3ª A -  2013
Viagens na minha terra - Almeida Garret - 3ª A - 2013
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Os Maias - presságios
Os Maias - presságiosOs Maias - presságios
Os Maias - presságios
António Fernandes
 
Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Claudia Ribeiro
 
Aula 04 camões épico - os lusíadas
Aula 04   camões épico - os lusíadasAula 04   camões épico - os lusíadas
Aula 04 camões épico - os lusíadas
Jonatas Carlos
 
O primo basílio
O primo basílioO primo basílio
O primo basílio
Marcia Oliveira
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
becastanheiradepera
 
Mecanismos de Coesão
Mecanismos de CoesãoMecanismos de Coesão
Mecanismos de Coesão
nelsonalves70
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
MariaVerde1995
 
Resumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os MaiasResumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os Maias
Raffaella Ergün
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
Colégio Santa Luzia
 
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no HipódromoMaias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Pedro Oliveira
 
Os maias a intriga
Os maias   a intrigaOs maias   a intriga
Os maias a intriga
margaridafelisberto
 
Orgulho e Preconceito de Jane Austen
Orgulho e Preconceito de Jane AustenOrgulho e Preconceito de Jane Austen
Orgulho e Preconceito de Jane Austen
Rita Silva
 
Caracteristicas trágicas e romanticas da obra-Frei Luis de Sousa
Caracteristicas trágicas e romanticas da obra-Frei Luis de SousaCaracteristicas trágicas e romanticas da obra-Frei Luis de Sousa
Caracteristicas trágicas e romanticas da obra-Frei Luis de Sousa
nanasimao
 
Coesão gramatical
Coesão gramaticalCoesão gramatical
Coesão gramatical
ALYNNE FERREIRA
 

Mais procurados (20)

Caracteristicas de Cesário Verde
Caracteristicas de Cesário VerdeCaracteristicas de Cesário Verde
Caracteristicas de Cesário Verde
 
Romantismo português
Romantismo portuguêsRomantismo português
Romantismo português
 
Eurico o presbítero
Eurico o presbíteroEurico o presbítero
Eurico o presbítero
 
O herói romântico em _Amor de Perdição_ (1).pptx
O herói romântico em _Amor de Perdição_ (1).pptxO herói romântico em _Amor de Perdição_ (1).pptx
O herói romântico em _Amor de Perdição_ (1).pptx
 
Folhas caídas características gerais da obra
Folhas caídas  características gerais da obraFolhas caídas  características gerais da obra
Folhas caídas características gerais da obra
 
Viagens na minha terra - Almeida Garret - 3ª A - 2013
Viagens na minha terra - Almeida Garret - 3ª A -  2013Viagens na minha terra - Almeida Garret - 3ª A -  2013
Viagens na minha terra - Almeida Garret - 3ª A - 2013
 
Os Maias - presságios
Os Maias - presságiosOs Maias - presságios
Os Maias - presságios
 
Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo BrancoAmor de Perdição - Camilo Castelo Branco
Amor de Perdição - Camilo Castelo Branco
 
Aula 04 camões épico - os lusíadas
Aula 04   camões épico - os lusíadasAula 04   camões épico - os lusíadas
Aula 04 camões épico - os lusíadas
 
O primo basílio
O primo basílioO primo basílio
O primo basílio
 
Recursos expressivos
Recursos expressivosRecursos expressivos
Recursos expressivos
 
Mecanismos de Coesão
Mecanismos de CoesãoMecanismos de Coesão
Mecanismos de Coesão
 
Impressionismo
ImpressionismoImpressionismo
Impressionismo
 
Resumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os MaiasResumos de Português: Os Maias
Resumos de Português: Os Maias
 
Fernando pessoa
Fernando pessoaFernando pessoa
Fernando pessoa
 
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no HipódromoMaias Episódio Corrida no Hipódromo
Maias Episódio Corrida no Hipódromo
 
Os maias a intriga
Os maias   a intrigaOs maias   a intriga
Os maias a intriga
 
Orgulho e Preconceito de Jane Austen
Orgulho e Preconceito de Jane AustenOrgulho e Preconceito de Jane Austen
Orgulho e Preconceito de Jane Austen
 
Caracteristicas trágicas e romanticas da obra-Frei Luis de Sousa
Caracteristicas trágicas e romanticas da obra-Frei Luis de SousaCaracteristicas trágicas e romanticas da obra-Frei Luis de Sousa
Caracteristicas trágicas e romanticas da obra-Frei Luis de Sousa
 
Coesão gramatical
Coesão gramaticalCoesão gramatical
Coesão gramatical
 

Destaque

Alexandre herculano eurico o presbitero
Alexandre herculano   eurico o presbiteroAlexandre herculano   eurico o presbitero
Alexandre herculano eurico o presbitero
sapi
 
Alexandre herculano
Alexandre herculanoAlexandre herculano
Alexandre herculano
Helena Coutinho
 
Apresentação do livro eurico o presbitero
Apresentação do livro eurico o presbiteroApresentação do livro eurico o presbitero
Apresentação do livro eurico o presbitero
Juliane Chiarello
 
Alexandre herculano
Alexandre herculanoAlexandre herculano
Alexandre herculano
Verónica Lidónio
 
Romantismo em Portugal
Romantismo em PortugalRomantismo em Portugal
Romantismo em Portugal
Vívian mourett
 
Romantismo em portugal aula 03
Romantismo em portugal   aula 03Romantismo em portugal   aula 03
Romantismo em portugal aula 03
xipolito
 
Last Ficha de Leitura - Ana
Last Ficha de Leitura - AnaLast Ficha de Leitura - Ana
Last Ficha de Leitura - Ana
12anogolega
 
Alexandre herculano biobibliografia comemorativa do bicentenário
Alexandre herculano biobibliografia comemorativa do bicentenárioAlexandre herculano biobibliografia comemorativa do bicentenário
Alexandre herculano biobibliografia comemorativa do bicentenário
Domingos Boieiro
 
Viagens a minha Terra - 2ª A - 2011
Viagens a minha Terra - 2ª A - 2011Viagens a minha Terra - 2ª A - 2011
Viagens a minha Terra - 2ª A - 2011
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terraViagens na minha terra
Viagens na minha terra
Octávio Da Matta
 
Viagens na minha terra (Garrett)
Viagens na minha terra (Garrett)Viagens na minha terra (Garrett)
Viagens na minha terra (Garrett)
maariane27
 
Viagens na minha terra 3ª B - 2013
Viagens na minha terra 3ª B -  2013Viagens na minha terra 3ª B -  2013
Viagens na minha terra 3ª B - 2013
Maria Inês de Souza Vitorino Justino
 
Viagens na Minha Terra - Almeida Garrett
Viagens na Minha Terra - Almeida GarrettViagens na Minha Terra - Almeida Garrett
Viagens na Minha Terra - Almeida Garrett
Milena Castro
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terraViagens na minha terra
Viagens na minha terra
Edvaldo Rofatto
 
Romantismo - Literatura
Romantismo - LiteraturaRomantismo - Literatura
Romantismo - Literatura
Matheus Brito
 
Estética Romântica e o Romantismo em Portugal
Estética Romântica e o Romantismo em PortugalEstética Romântica e o Romantismo em Portugal
Estética Romântica e o Romantismo em Portugal
elenir duarte dias
 
Principios de Ingenieria de Cimentaciones braja m das
Principios de Ingenieria de Cimentaciones   braja m dasPrincipios de Ingenieria de Cimentaciones   braja m das
Principios de Ingenieria de Cimentaciones braja m das
Fenbgroup Enterprise
 
Escolas literarias - 2º ano
Escolas literarias -  2º anoEscolas literarias -  2º ano
Escolas literarias - 2º ano
Prof Palmito Rocha
 
Texto a abóbada
Texto a abóbadaTexto a abóbada
Texto a abóbada
Vanda Marques
 
Fundamentos de ingeniería geotécnica braja m. das
Fundamentos de ingeniería geotécnica   braja m. dasFundamentos de ingeniería geotécnica   braja m. das
Fundamentos de ingeniería geotécnica braja m. das
Ronald Lozada Vilca
 

Destaque (20)

Alexandre herculano eurico o presbitero
Alexandre herculano   eurico o presbiteroAlexandre herculano   eurico o presbitero
Alexandre herculano eurico o presbitero
 
Alexandre herculano
Alexandre herculanoAlexandre herculano
Alexandre herculano
 
Apresentação do livro eurico o presbitero
Apresentação do livro eurico o presbiteroApresentação do livro eurico o presbitero
Apresentação do livro eurico o presbitero
 
Alexandre herculano
Alexandre herculanoAlexandre herculano
Alexandre herculano
 
Romantismo em Portugal
Romantismo em PortugalRomantismo em Portugal
Romantismo em Portugal
 
Romantismo em portugal aula 03
Romantismo em portugal   aula 03Romantismo em portugal   aula 03
Romantismo em portugal aula 03
 
Last Ficha de Leitura - Ana
Last Ficha de Leitura - AnaLast Ficha de Leitura - Ana
Last Ficha de Leitura - Ana
 
Alexandre herculano biobibliografia comemorativa do bicentenário
Alexandre herculano biobibliografia comemorativa do bicentenárioAlexandre herculano biobibliografia comemorativa do bicentenário
Alexandre herculano biobibliografia comemorativa do bicentenário
 
Viagens a minha Terra - 2ª A - 2011
Viagens a minha Terra - 2ª A - 2011Viagens a minha Terra - 2ª A - 2011
Viagens a minha Terra - 2ª A - 2011
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terraViagens na minha terra
Viagens na minha terra
 
Viagens na minha terra (Garrett)
Viagens na minha terra (Garrett)Viagens na minha terra (Garrett)
Viagens na minha terra (Garrett)
 
Viagens na minha terra 3ª B - 2013
Viagens na minha terra 3ª B -  2013Viagens na minha terra 3ª B -  2013
Viagens na minha terra 3ª B - 2013
 
Viagens na Minha Terra - Almeida Garrett
Viagens na Minha Terra - Almeida GarrettViagens na Minha Terra - Almeida Garrett
Viagens na Minha Terra - Almeida Garrett
 
Viagens na minha terra
Viagens na minha terraViagens na minha terra
Viagens na minha terra
 
Romantismo - Literatura
Romantismo - LiteraturaRomantismo - Literatura
Romantismo - Literatura
 
Estética Romântica e o Romantismo em Portugal
Estética Romântica e o Romantismo em PortugalEstética Romântica e o Romantismo em Portugal
Estética Romântica e o Romantismo em Portugal
 
Principios de Ingenieria de Cimentaciones braja m das
Principios de Ingenieria de Cimentaciones   braja m dasPrincipios de Ingenieria de Cimentaciones   braja m das
Principios de Ingenieria de Cimentaciones braja m das
 
Escolas literarias - 2º ano
Escolas literarias -  2º anoEscolas literarias -  2º ano
Escolas literarias - 2º ano
 
Texto a abóbada
Texto a abóbadaTexto a abóbada
Texto a abóbada
 
Fundamentos de ingeniería geotécnica braja m. das
Fundamentos de ingeniería geotécnica   braja m. dasFundamentos de ingeniería geotécnica   braja m. das
Fundamentos de ingeniería geotécnica braja m. das
 

Semelhante a Eurico, o presbitero

Slides barroco
Slides barrocoSlides barroco
Slides barroco
Aline Ferreira
 
História da literatura perspectiva universal
História da literatura perspectiva universalHistória da literatura perspectiva universal
História da literatura perspectiva universal
heleira02
 
Humanismo
HumanismoHumanismo
Humanismo
Likaa
 
Historia da Literatura
Historia da LiteraturaHistoria da Literatura
Historia da Literatura
Miriam Zelmikaitis
 
3º-ano-Literatura-material-complementar-Escolas-Literárias-Linha-do-Tempo-sem...
3º-ano-Literatura-material-complementar-Escolas-Literárias-Linha-do-Tempo-sem...3º-ano-Literatura-material-complementar-Escolas-Literárias-Linha-do-Tempo-sem...
3º-ano-Literatura-material-complementar-Escolas-Literárias-Linha-do-Tempo-sem...
mariaArajo934492
 
Prosa romântica
Prosa românticaProsa romântica
Prosa romântica
João Mendonça
 
Escola literaria.ppt
Escola literaria.pptEscola literaria.ppt
Escola literaria.ppt
GrazielaLima12
 
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.pptESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
CsarMarin3
 
Revisão literária
Revisão literária Revisão literária
Revisão literária
MichellyMadalena1
 
revisc3a3o-literc3a1ria.ppt
revisc3a3o-literc3a1ria.pptrevisc3a3o-literc3a1ria.ppt
revisc3a3o-literc3a1ria.ppt
MaiteFerreira4
 
Romantismo 2.0
Romantismo 2.0Romantismo 2.0
Romantismo 2.0
José Ricardo Lima
 
Romantismo Prosa
Romantismo ProsaRomantismo Prosa
Romantismo Prosa
Gabriella Lima
 
Ft21 Lusiadas Textos Introdutorios
Ft21 Lusiadas Textos IntrodutoriosFt21 Lusiadas Textos Introdutorios
Ft21 Lusiadas Textos Introdutorios
Fernanda Soares
 
Pré-modernismo - Parte 1.ppt
Pré-modernismo - Parte 1.pptPré-modernismo - Parte 1.ppt
Pré-modernismo - Parte 1.ppt
ValdenirSilva15
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
patriciasofiacunha18
 
O romantismo em_portugal
O romantismo em_portugalO romantismo em_portugal
O romantismo em_portugal
DaianniSilv
 
Romantismo No Brasil
Romantismo No BrasilRomantismo No Brasil
Romantismo No Brasil
martinsramon
 
Literatura em portugal
Literatura em portugalLiteratura em portugal
Literatura em portugal
Sinziana Socol
 
Linha de tempo
Linha de tempo Linha de tempo
Linha de tempo 1
Linha de tempo 1Linha de tempo 1

Semelhante a Eurico, o presbitero (20)

Slides barroco
Slides barrocoSlides barroco
Slides barroco
 
História da literatura perspectiva universal
História da literatura perspectiva universalHistória da literatura perspectiva universal
História da literatura perspectiva universal
 
Humanismo
HumanismoHumanismo
Humanismo
 
Historia da Literatura
Historia da LiteraturaHistoria da Literatura
Historia da Literatura
 
3º-ano-Literatura-material-complementar-Escolas-Literárias-Linha-do-Tempo-sem...
3º-ano-Literatura-material-complementar-Escolas-Literárias-Linha-do-Tempo-sem...3º-ano-Literatura-material-complementar-Escolas-Literárias-Linha-do-Tempo-sem...
3º-ano-Literatura-material-complementar-Escolas-Literárias-Linha-do-Tempo-sem...
 
Prosa romântica
Prosa românticaProsa romântica
Prosa romântica
 
Escola literaria.ppt
Escola literaria.pptEscola literaria.ppt
Escola literaria.ppt
 
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.pptESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
ESCOLAS LITERÁRIAS.ppt
 
Revisão literária
Revisão literária Revisão literária
Revisão literária
 
revisc3a3o-literc3a1ria.ppt
revisc3a3o-literc3a1ria.pptrevisc3a3o-literc3a1ria.ppt
revisc3a3o-literc3a1ria.ppt
 
Romantismo 2.0
Romantismo 2.0Romantismo 2.0
Romantismo 2.0
 
Romantismo Prosa
Romantismo ProsaRomantismo Prosa
Romantismo Prosa
 
Ft21 Lusiadas Textos Introdutorios
Ft21 Lusiadas Textos IntrodutoriosFt21 Lusiadas Textos Introdutorios
Ft21 Lusiadas Textos Introdutorios
 
Pré-modernismo - Parte 1.ppt
Pré-modernismo - Parte 1.pptPré-modernismo - Parte 1.ppt
Pré-modernismo - Parte 1.ppt
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
O romantismo em_portugal
O romantismo em_portugalO romantismo em_portugal
O romantismo em_portugal
 
Romantismo No Brasil
Romantismo No BrasilRomantismo No Brasil
Romantismo No Brasil
 
Literatura em portugal
Literatura em portugalLiteratura em portugal
Literatura em portugal
 
Linha de tempo
Linha de tempo Linha de tempo
Linha de tempo
 
Linha de tempo 1
Linha de tempo 1Linha de tempo 1
Linha de tempo 1
 

Último

Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Luzia Gabriele
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
shirleisousa9166
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Luzia Gabriele
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
Sandra Pratas
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
Espanhol Online
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
marcos oliveira
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
orquestrasinfonicaam
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
Sandra Pratas
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mary Alvarenga
 
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
Sandra Pratas
 

Último (20)

TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsxNoite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
Noite Alva! José Ernesto Ferraresso.ppsx
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
apresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacionalapresentação metodologia terapia ocupacional
apresentação metodologia terapia ocupacional
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsxGuerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
Guerra e Paz Maria Inês Aroeira Braga.ppsx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
FILMES DE ABRIL_BECRE D. CARLOS I_2023_24
 
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
A experiência do professor. Publicado EM 08.07.2024
 
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdfoficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
oficia de construção de recursos para aluno DI.pdf
 
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _RECORDANDO BONS MOMENTOS!               _
RECORDANDO BONS MOMENTOS! _
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptxAPA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
APA fonoaudiologia Pratica Trabalho Prontos.pptx
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O MONSTRO DAS CORES_ANGELINA & MÓNICA_22_23
 
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História. Mini livro  sanfona - Minha Escola Tem História.
Mini livro sanfona - Minha Escola Tem História.
 
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO                .
FOTOS_AS CIÊNCIAS EM AÇÃO .
 
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdfRelatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
Relatório de Atividades 2018 CENSIPAM.pdf
 
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_O SONHO DO EVARISTO_RITA E CLÁUDIA_22_23
 

Eurico, o presbitero

  • 1. UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS LEITURAS LITERÁRIAS COMPARTILHADAS Obra: EURICO, O PRESBÍTERO Autor: ALEXANDRE HERCULANO Parintins/AM 2014
  • 2. COMPONENTES Claudenilza Bezerra de Souza Emerson Arcângelo Vasconcelos da Silva Itacy Andrea Carmo Piedade Karol Farias Garcia Tânia Mara Ribeiro
  • 3. INTRODUÇÃO O presente trabalho pretende analisar o livro Eurico, o presbítero, do escritor Alexandre Herculano, numa abordagem clara e objetiva com a finalidade de expor os principais elementos da obra. A história trata de um emocionante romance épico de cavalaria que relata a história de um amor proibido entre Eurico e Hermengarda. Nessa obra, o autor dá ênfase aos fatos históricos ao redor do cenário romântico. Eurico, o presbítero é considerado um clássico da literatura portuguesa.
  • 4. BIOGRAFIA DO AUTOR  Alexandre Herculano de Carvalho e Araújo 1810-1877;  Escritor da primeira geração do romantismo Português;  Participante ativo das lutas políticas do seu tempo;  Os temas predominantes de suas obras eram as origens da nação portuguesa, suas obras possuem a presença do caráter histórico como fonte de explicação dos fatos;  “Eurico, o presbítero”, lançado em 1844, é considerado a sua melhor obra.
  • 6. Enredo O romance conta a triste história de amor entre Eurico e Hermengarda, no século VIII. Os árabes invadem a Península Ibérica e Eurico se vê obrigado a escolher entre o amor a sua pátria e a fé em Deus. Esta obra consagra o herói medieval, personificado na figura de Eurico.
  • 7. ROMANTISMO O Romantismo foi, antes de tudo, um novo modo de viver, um grande movimento artístico e intelectual, marcado por uma grande alternância dos grupos sociais da Europa, contextualizado com o declínio de um classe e ascensão de outra, impulsionadas pelas duas maiores revoluções do período: Revolução Francesa e Industrial.
  • 8. CARACTERÍSTICAS DO ROMANTISMO NA OBRA • Escapismo, volta ao passado; • A idealização do herói; • A valorização dos sentimentos; • A não concretização do amor; • O suicídio e a loucura.
  • 9. CONTEXTO HISTÓRICO O período de maior vigor da estética romântica corresponde à primeira metade do século XIX, época em que a civilização ocidental vive profundas contradições, grande parte delas trazida pela Revolução Industrial e pelo aumento de complexidade social determinado por ela.
  • 10. FOCO NARRATIVO O narrador se apresenta em 3ª pessoa onisciente.
  • 11. ESPAÇO AMBIENTE FÍSICO: A narrativa se desenrola no território da Península Ibérica. “ A raça dos visigodos, conquistadora das Espanhas, subjugara toda a Península havia mais de um século” (p. 17) AMBIENTE SOCIAL: A historia registra o conflito civil e religioso entre os cristãos godos e muçulmanos árabes. “ Como os árabes, os godos tinham no meio de si uma nuvem de peões armados, não menos bárbaros e ferozes que os filhos da Mauritânia.” (p. 70)
  • 12. TEMPO TEMPO CRONOLÓGICO “Na Ilha Verde. Ao pôr-do-sol das calendas de abril da era de 749.” (p. 41) TEMPO PSICOLÓGICO “Tal era eu quando me assentei sobre as fragas; e a minha alma via passar diante de si esta geração vaidosa e má, que se crê grande e forte, porque sem horror derrama em lutas civis o sangue e seus irmãos.” (p. 35)
  • 13. PERSONAGENS Protagonistas: Eurico e Hermengarda. Antagonistas: Fávila, pai de Hermengarda. Secundários: Pélagio, Teodomiro. • Planos “ A nova existência de Eurico tinha modificado, porém não destruído o seu brilhante caráter”.(p. 24)
  • 14. CONSIDERAÇÕES GERAIS Qual a importância da obra para os alunos do curso de Letras? Por que ler ainda hoje a obra?
  • 15. REFERÊNCIAS HERCULANO, Alexandre. Eurico, o presbítero. 7ªed. São Paulo : Ática, 1988 (Bom Livro).