TERRA (o que revela nosso peso)

628 visualizações

Publicada em

(*) O nosso peso relacionado ao peso da Terra e ainda, de maneira especial, ao peso da nossa Alma.

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
628
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
84
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

TERRA (o que revela nosso peso)

  1. 3. Humilde e cuidadosamente, para não desvirtuar as fundamentações científicas da realidade, eu devo destacar que o planejamento da nossa existência não teria sido possível sem o adequado planejamento da existência deste mundo em que vivemos. E escrevo assim por saber que fomos originados pela Terra, com a qual ainda formamos um só corpo de dimensão planetária, como partes de um sistema fechado.
  2. 4. É o que se prova, a meu ver, ou se comprova através da fabulosa “Lei da Conservação das Massas”, esta que inicialmente se traduz na interessante pergunta: “ Se a população humana cresce, aumentando seu peso, em conseqüência o peso da Terra também aumenta?”
  3. 5. Não!, pois somos constituídos de partículas, átomos, que são tirados ou extraídos diretamente da Terra!
  4. 6. Isso, aliás, nos foi revelado já faz algum tempo, séc. XVIII, época em que viveu o brilhante químico francês Antoine Lavoisier  que tirou a química das mãos dos alquimistas, embora sua própria inteligência tenha sido considerada tão brilhante que abeirava o... profético.
  5. 7. Ele foi o autor da “Lei da Conservação das Massas”, resumida popularmente na “Lei de Lavoisier” e traduzida assim:
  6. 8. “ Este mundo se constitui num sistema fechado onde tudo se processa através de reações químicas.
  7. 9. “ E em toda e qualquer reação química a massa se conserva, porque não ocorre criação nem destruição de átomos. Estes são conservados e, na realidade, apenas se rearranjam”, fazendo com que uma coisa se “transforme” em outra coisa...
  8. 10. “ Transformação”, é a palavra chave usada por Antoine Lavoisier, em especial nesta famosa expressão científica que ele inventou: “ Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma”.
  9. 11. Assim nós podemos dizer, mesmo alegoricamente, que dia após dia a Terra se transforma em gente, seres humanos, transferindo e concentrando nestes o seu peso ...
  10. 12. E como ainda não podemos “sair da Terra”, porque, é claro, ainda não conseguimos inventar nenhuma poderosa nave espacial, a Terra se transforma em gente sem perder seu peso  ou massa  , a menos que tenha peso uma das nossas concepções espirituais ...,
  11. 13. E como ainda não podemos “sair da Terra”, porque, é claro, ainda não conseguimos inventar nenhuma poderosa nave espacial, a Terra se transforma em gente sem perder seu peso  ou massa  , a menos que tenha peso uma das nossas concepções espirituais ..., a Alma!
  12. 14. (!) Não pensem que estou aqui a brincar. Reconheço a seriedade deste assunto que, apesar de disperso em sua profunda dimensão, merece ser estudado, em suma, ou em seu sumo.
  13. 15. E para prosseguirmos levaremos em conta os cientistas que afirmam ter medido o peso da Alma  que oscila entre 10 e 21 gramas; pesagem que foi exatamente possível porque “a Alma deixa o corpo humano no instante de sua morte”..., num tipo extraordinário de reação química que nos libera como “energia”...
  14. 17. Essa última afirmação põe em evidência o que muitos dos nossos religiosos ainda acreditam: que para nós existe a ressurreição da Alma  ou a sua simples transportação, quando ascende a um reino no céu..., fora da Terra.
  15. 18. E sendo tudo isso verdadeiro assim (nossas almas têm peso e realmente ascendem ao céu), já está em longo processo a redução do peso da Terra, que nestes últimos tempos, diuturnamente, perde milhares de “gramas” ...
  16. 19. (!) Apesar da inevitável conotação alegórica que envolve o assunto, é relevante, sem dúvida, mas que por agora não é motivo de preocupações, considerando que as perdas relacionadas aos pesos de nossas almas são irrisórias para o enorme peso da Terra.
  17. 20. (!!) Motivos reais para se preocuparem com isso terão os nossos cientistas..., no futuro, quando estiverem habilitados para construir imensas e pesadas espaçonaves  destinadas a nos tirar deste planeta, o que então reduzirá a sua massa, acentuadamente ou em níveis que terão de ser levados em conta ...
  18. 21. (!!!) E espero, leitores e leitoras, que tudo isso sirva para abrir nossas mentes e então modificar a maneira com que interpretamos a nossa existência neste mundo..., reconciliando harmoniosamente as duas naturezas das quais somos dotados: física e mental ou corporal e espiritual.
  19. 23. Em meus estudos, percebi que um momento de grande transformação na mentalidade humana ocorreu quando o genial cientista Galileu Galilei descobriu que a luz tinha peso (pois era constituída de “partículas”) e que a velocidade do seu deslocamento podia também ser medida.
  20. 24. A partir dali, após Galileu descobrir que a própria luz era constituída de algum tipo de “matéria”, deu-se o início para essas novas interpretações, quando buscamos não só analisar, bem como medir  ou pesar  as naturezas de outras coisas..., tais como a natureza do pensamento e, no caso medido por nós aqui, a natureza da alma...
  21. 25. E, o bom mesmo de tudo isso, é perceber que a nossa inteligente ciência, em seu trabalho de desvendar os mistérios do Universo, consegue, isto sim!, destacá-los ou ressaltá-los, tornando-os ainda mais sedutores.
  22. 26. Enfim, o que tentei realmente aqui foi provar, pela natureza quase que profética da inteligência de Lavoisier, que a nossa ciência tem ela mesma um conteúdo profético, inegavelmente... promissor.
  23. 27. E quero ainda aqui me lembrar de dois dos meus antigos filósofos gregos favoritos, Demócrito e Leucipo, que perceberam a existência do “átomo” e, de fato, criaram e deram ao mundo esta palavra (a = não/tomo = divisível) (átomo = indivisível) utilizando-se dela para esta revelação:
  24. 28. “ Tudo o que existe são átomos e espaço..., e todos os diferentes objetos que existem, consistem simplesmente de diferentes coleções de átomos ...”
  25. 29. E assim eles concluíram: “ Os átomos, em si mesmos, são incriados e indestrutíveis, e toda mudança no Universo, são átomos alterando suas formações ou localizações.”
  26. 30. Então, sinceramente, amigos leitores, de tudo que aqueles notáveis gregos formularam e teorizaram, eu destaco as espantosas percepções de Demócrito e Leucipo, pois, naquele tempo, definir a existência “invisível” do átomo apresenta-se como algo que eu endossaria, fielmente, como uma autêntica revelação divina..., mais que uma visão profética. Lanier Wcr

×