SlideShare uma empresa Scribd logo
CAP 5.3 em busca da qualidade total
A missão do DAPS na CAP 5.3
   Dar suporte técnico-administrativo às unidades de
    saúde da área.
Dificuldades decorrentes de mudanças na
estrutura da SMS/RJ
   Mudança da secretaria municipal de saúde após um longo tempo
    período com um mesmo gestor: Ronaldo Luiz Gazolla.
   Expansão da estratégia de saúde da família em várias fases
    distintas: 1996-2003 (fase experimental), 2003-2008 (saúde onde
    você mora), 2008-atual (saúde presente/TEIAS)
   Inclusão de novas modalidades de gestão na política nacional
    do SUS: NOAS, Pacto pela saúde, Política nacional de atenção básica
    2006, Política nacional de atenção básica 2011, Política nacional de
    promoção da saúde, etc.
   Implantação do processo de publicização da gestão
    (organizações sociais).
   Mudança de paradigmas na gestão em saúde – ações
    programáticas versus ciclo de vida.
   Autonomia administrativa e orçamentária das CAPS
   Alta rotatividade de profissionais na atenção e na gestão.
Problemas
   Os novos processos sobrepõe-se sobre os antigos, sem
    que haja uma adequada adaptação.
O QUE É QUALIDADE?
   Fazer bem aquilo que estamos fazendo mal
   Fazer melhor aquilo que estamos fazendo bem
   Fazer aquilo que não estamos fazendo e fazê-lo bem
“Pensando na qualidade em todas as etapas, o
 resultado final é melhor e pode ser mais
 barato, uma vez que elimina todo tipo de
 desperdícios, inclusive os retrabalhos”.
  Kaoru Ishikawa
Conceito
   Refere-se às atividades que avaliam,
    monitoram ou regulamentam os
    serviços prestados aos consumidores.
   Segundo      DONABEDIAM         (1980)
    “Qualidade da assistência à saúde deve
    maximizar            medidas
    abrangentes para o bem-
    estar do cliente, em todas as
    suas partes, tomando em
    consideração o equilíbrio
    entre ganhos e perdas,
    inerentes ao processo de atenção
    médico hospitalar”.
Características
   A   qualidade     se dá em um
    continuum       , de inaceitável a
    excelente;
   O foco recai nos serviços oferecidos
    pelo sistema de prestação de
    cuidados em saúde, em oposição
    aos comportamentos individuais;
   A qualidade pode ser avaliada a partir
    da perspectiva dos indivíduos,
    populações ou comunidades.
   A ênfase está nos resultados de
    saúde desejados;
   Evidências de pesquisas definirão
    aquilo que melhora os resultados de
    saúde.
Etapas
   É determinado um critério ou
    padrão.
   São coletadas informações pra
    observar se o padrão foi
    alcançado.
   São tomadas medidas educativas
    ou corretivas se o critério não foi
    atendido
Desenvolvimento de padrões
   Um       padrão      é    um    nível
    predeterminado de excelência que
    funciona como um modelo a ser
    seguido e praticado.
   Os padrões possuem características
    distintivas, são predeterminados,
    estabelecidos por uma autoridade e
    comunicados às pessoas influenciadas
    por eles, sendo aceitos pelos
    indivíduos.
   Pelo fato de os padrões serem
    empregados como instrumentos de
    medida, devem         ser  objetivos,
    mensuráveis e atingíveis.
Conceitos - Donabediam
   ESTRUTURA - recursos físicos,
    humanos,       materiais   e   financeiros
    necessários para a assistência médica.
    Inclui financiamento e disponibilidade de
    mão-de-obra qualificada.
   PROCESSO - atividades envolvendo
    profissionais de saúde e pacientes, com
    base em padrões aceitos. A análise pode
    ser sob o ponto de vista técnico e/ou
    administrativo.
   RESULTADO - produto final da
    assistência prestada, considerando saúde,
    satisfação de padrões e de expectativas.
Só que antes de
  dar a festa , é
preciso arrumar a
      casa!
1º etapa - A metodologia 5s

Preparando o serviço para adoção de práticas de qualidade
                                                     total
O que é 5 “Ss”?
Prática desenvolvida no Japão com o objetivo de
desenvolver padrões de limpeza e organização,
para proporcionar bem estar a todos.




        “TAMBÉM É CONHECIDO COMO HOUSE KEEPING”
Quais os significados dos 5 “Ss”?
SEIRI (UTILIZAÇÃO) : Separar as coisas necessárias e eliminar as desnecessárias.

SEITON (ARRUMAÇÃO) : Arrumar as coisas necessárias, agrupando-as para facilitar
seu acesso e manuseio.

SEISO (LIMPEZA) : Eliminar sujeira, poeira, manchas de óleo do chão e
equipamentos.

SEIKETSU (SAÚDE E HIGIENE) : Conservar a limpeza dos ambientes, criando
padronização.

SHITSUKE (AUTO DISCIPLINA) : Cumprir rigorosamente o que foi determinado,
preservando os padrões estabelecidos.
Adotar os 5s é
 uma questão
  de atitude!
                         “OS DEZ MANDAMENTOS DOS 5S”
                 I. Ficarei com o estritamente necessário.
                 II. Definirei um lugar para cada coisa.
                 III. Manterei cada coisa no seu lugar.
                 IV. Manterei tudo limpo e em condições de uso.
                 V. Combaterei as causas de sujeira.
                 VI. Identificarei toda situação de risco.
                 VII.Trabalharei com segurança.
                 VIII. Questionarei toda norma ou padrão até
                   entendê-lo completamente.
                 IX. Procurarei formas de melhorar meu trabalho.
                 X. Honrarei todos os compromissos.
SEIRI - Senso de Utilização
Devemos ter apenas o que necessitamos, distinguindo o que é
necessário do que não é, evitando o desperdício de coisas materiais
e de nosso próprio esforço.




                                                           ?
PERGUNTAS NORMALMENTE UTILIZADAS:
•“Este equipamento tem realmente conserto?”
•“Esta máquinas voltará a ser utilizada?”
•“Estes relatórios precisam ser mantidos por quanto tempo?”
•“O que realmente é importante para que eu possa tomar minhas
decisões?”
5s cap 53
Conscientize-se ...

               “Você não precisa ... Não adquira”

             “A pessoa não precisa ... Não forneça”

               “Antes de falar ... Pense e resuma”

                   “Está ruim ... Não aceite”
O que é necessário?
            Perfeitas condições de
            uso, quantidade adequa         Pode ser
            da e freqüência de utili-      utilizado
            zação adequada.


             Sem condições de uso,
  ITEM       quantidade inadequada       Não pode ser
             e freqüência de utiliza -    utilizado
             ção inadequada.


             Parece desnecessário ,
                                           Utilização
             preferivelmente não uti-
                                          improvável
             lizar.
BENEFÍCIOS SEIRI:

        › Liberação do espaço físico

         › Diminuição   de acidentes
   › Diminuição de custos de manutenção

         › Reutilização de recursos

     › Melhoria no ambiente de trabalho
Como Praticar o SEIRI




                                                               EMPRESA EM CASA
É identificar materiais, equipamentos, ferramentas,
utensílios, informações    e    dados   necessários    e
desnecessários, descartando ou dando a devida destinação
àquilo considerado desnecessário ao exercício das
atividades
Basta verificar aquele espaço da casa onde colocamos tudo
que não serve, os brinquedos quebrados que não usamos
mais, a roupa velha que guardamos, as revistas e jornais
que jamais serão lidos novamente, dentre outros exemplos
que você já deve estar imaginando .
Utilização é preservar consigo apenas os sentimentos




                                                               NA VIDA
valiosos     como      amor,    amizade,        sinceridade,
companheirismo, compreensão, descartando aqueles
sentimentos negativos e criando atitudes positivas para
fortalecer e ampliar a convivência , apenas com sentimentos
valiosos.
SEITON - Senso de Arrumação
Devemos arrumar o que for necessário utilizando uma
metodologia eficiente para facilitar o acesso e manuseio.
Arrumar simplesmente não basta, devemos estabelecer critérios
para ordenação pois só assim, conseguiremos organizar tudo com
eficácia.
AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO DO SEITON:
• Padronizar a nomenclatura dos objetos
• Utilizar um sistema de cores para facilitar identificação
• Um lugar diferente para cada objeto e cada objeto em seu lugar
• Identificar o conteúdo das estantes e dos armários
• Identificar documentos com numeração apropriada
• Utilizar o FIFO (´1º que entra é o 1º que sai)
• Identificar locais perigosos
• Organizar quadro de avisos
Como guardar os itens?

  Freqüência de uso           Local adequado

      Todo Dia            Junto ao posto de trabalho

                      De fácil acesso, próximo ao posto
    Toda Semana
                                 de trabalho

                      Onde possa ser compartilhado com
      Todo Mês
                                 os demais
BENEFÍCIOS SEITON:
          › Ambiente de trabalho mais agradável

                  › Economia de tempo

              › Diminuição do cansaço físico

  › Facilidade para implementação da multifuncionalidade

                › Diminuição de acidentes
Como Praticar o SEITON




                                                                EMPRESA EM CASA
Na definição dos locais apropriados, adota-se como critério a
facilidade   para   estocagem,    identificação,   manuseio,
reposição, retorno ao local de origem após uso, consumo dos
itens mais velhos primeiro.
Não é incomum para você as cenas de correria pela manhã à
procura da agenda, dos Crachá, dos cadernos, das chaves,
do uniforme. E na hora de declarar o imposto de renda? E as
idas e vindas ao mercado? Cada hora falta alguma coisa
para comprar.
É distribuir adequadamente o seu tempo dedicado ao




                                                                NA VIDA
trabalho, ao lazer, à família, aos amigos. É ainda não
misturar suas preferências profissionais com as pessoais, ter
postura coerente, serenidade nas suas decisões, valorizar e
elogiar os atos bons, incentivar as pessoas e não somente
criticá-las.
SEISO - Senso de Limpeza
Manter o local de trabalho e equipamentos limpos e adequados
para uso imediato, assim, dá oportunidade para identificar o motivo
da sujeira e mau funcionamento do equipamentos.
A limpeza deve ser encarada como uma forma de inspeção,
pois, se houver sistemática poderemos detectar e corrigir as falhas
nos equipamentos e máquinas.



                                                          Limpeza
AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO DO SEISO:
• Levantamento dos materiais necessários à limpeza
• Definir equipe de funcionários para realizar trabalho
• Responsabilizar cada um pela limpeza de seu posto de trabalho
• Limpar locais não observados
• Utilizar limpeza como forma de inspeção
• Eliminar manchas e poeiras.
Três passos da limpeza
 sistemática:

       MACRO             INDIVIDUAL            MICRO

                                            Limpar partes dos
     Limpar todas as                         equipamentos e
                         Limpar áreas e
     áreas e procurar                     ferramentas especí-
                          equipamentos
   lidar com as causas                    ficas, para encontrar
                           específicos
     gerais da sujeira                     e eliminar as causas
                                                 da sujeira
PENSE...
Incorpore a limpeza no seu cotidiano e reserve
uma pequena parte do seu tempo para esta
tarefa. Isso tornará tudo muito mais fácil. Procure
fazer isso no começo ou no final de seu expediente.
LEMBRE - SE...
Apesar de passarmos o dia todo em nosso trabalho, damos pouca
atenção em relação a limpeza deste local. Mantenha o padrão de
limpeza como é o de sua casa.


 Tenha no trabalho o mesmo cuidado com a limpeza como você
                         tem em sua casa!


       Cada um é responsável pela limpeza,
pois isto não é tarefa apenas do pessoal da faxina
CRIE NOVOS HÁBITOS!
• Atenção à detalhes
• Não sabe consertar...Chame quem saiba
• Sujou...Crie formas de não sujar
• Limpando...Escute o barulho e sinta a temperatura
BENEFÍCIOS SEISO:

            ›Melhora no ambiente de trabalho

    ›Possibilidade de detectar precocemente falhas nos
                       equipamentos

         ›Aumento da vida útil dos equipamentos

          ›Melhora do moral dos colaboradores
Como Praticar o SEISO




                                                               EMPRESA EM CASA
É eliminar a sujeira ou objetos estranhos para manter limpo
o ambiente (parede, armários, o teto, gaveta, estante, piso)
bem como manter dados e informações atualizados para
garantir a correta tomada de decisões.
Também é eliminar a sujeira ou objetos estranhos para
manter limpo o ambiente (parede, armários, o teto, gaveta,
estante, piso), usar roupas, lençóis, lingerie, limpos e
passados, manter lixeiras, quintal e banheiro sempre
limpos.




                                                               NA VIDA
É procurar ser honesto ao se expressar, ser transparente,
cordial, prestativo, sem segundas intenções, com os amigos,
com a família, com os subordinados, com os vizinhos, etc.
SEIKETSU - Senso de Saúde e Higiene
Também considerado como senso de colaboração,
permite     criar   comprometimento    entre   os
funcionários para que os mesmos criem e
mantenham os padrões de limpeza. Preocupa-se com
a saúde dos colaboradores em e os aspectos
relacionados com a poluição ambiental.
AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO SEIKETSU:
• Implementar os 3 S iniciais
• Elaborar plano de manutenção dos 3 S iniciais
• Incentivar cada área e elaborar projeto de melhoria
• Estabelecer condições para implantação e controle visual
• Cuidar da saúde dos colaboradores
• Padronizar o estilo de limpeza dos equipamentos e máquinas
Mude seus comportamentos ...

          “Antes das refeições ... Lave as mãos”

             “Consertos provisórios ... Evite”

         “Não sabe como funciona ... Não mexa”

               “É prejudicial ... Não faça”

           “ Não está de acordo ... Esclareça”
BENEFÍCIOS SEIKETSU:

          › Melhora das condições de higiene

     › Melhora   do moral e saúde dos colaboradores

       › Melhora do relacionamento interpessoal

         › Melhora da segurança do trabalho

                 › Melhora da produtividade
Como Praticar o SEIKETSU




                                                                  EMPRESA EM CASA
Manter boas condições sanitárias nas áreas comuns
(lavatórios, banheiros, cozinha, restaurante, etc.), zelar pela
higiene pessoal usar EPI e cuidar para que as informações
e comunicados sejam claros, de fácil leitura e compreensão.

Cuidar do asseio de banheiro, cozinha, higienizar alimentos,
vacinação em dias, usar tapetes, cortinas, capas de
proteção, escovar os dentes, manter limpos, cabelos, barba,
unhas, roupas e calçados.




                                                                  NA VIDA
Ter comportamento ético, promover um ambiente saudável
nas relações interpessoais, sejam sociais, familiares ou
profissionais, cultivando um clima de respeito mútuo nas
diversas relações.
SHITSUKE - Senso de Autodisciplina
Tem como objetivo criar maior respeito e
comprometimento em relação a empresa, cumprindo-
se disciplinadamente o que foi determinado.
Hábitos são vícios. Para mudarmos, utilizamos uma tática
chamada “Só hoje vou fazer diferente”. Assim, nosso
cérebro aceita mais fácil a mudança dos hábitos. Com
esta tática, repetiremos os novos e bons
comportamentos de auto-organização, e essa
disciplina cria o hábito, que torna os comportamentos
fáceis de serem seguidos
AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO SHITSUKE:

•Reconhecer a importância da existência e cumprimento das regras
• Elaborar normas e procedimentos de maneira clara
• Não ser tolerante com erros
• Tomar providências no menor espaço de tempo possível
• Saber criticar e receber críticas
• Ser rigoroso no cumprimento de horários
• Seguir o padrão de limpeza e organização do setor
BENEFÍCIOS SHITSUKE:
  › Conscientização   sobre a importância da administração
                          participativa

     › Melhora   do relacionamento entre colaboradores

                   › Melhora da qualidade

                  › Diminuição de acidentes

    › Aumento da liberdade com responsabilidade dos
                     colaboradores
Abriu...Feche
                 Ligou...Desligue
    Sujou...Limpe e crie forma de não sujar
              Desarrumou...Arrume
      Usou...Procure deixar como estava
         Precisou...Deixe de fácil acesso
   Precisa usar...É de graça...Não desperdice
               Quebrou...Conserte
   Não sabe consertar...Chame quem o saiba
          Consertos provisórios...Evite
Limpando...Escute o barulho, sinta a temperatura
     Não sabe como funciona...Não mexa
             É prejudicial...Não faça
         Não está de acordo...Esclareça
               Prometeu...Assuma
COMO DEVEMOS PENSAR
                    E AGIR?

      Praticando o 5S sem deixar para amanhã o que
                    deve ser feito hoje

       Todos os programas são programas de todos

              Nada muda se você não mudar

        Se você fizer o que sempre fez, terá o que
                       sempre teve.

      Limpar não é só responsabilidade da turma da
                         faxina

   Cada coisa em seu lugar e um lugar para cada coisa

Virando a própria mesa, sem entulhar os arquivos dos outros

          Empresa suja transpira desorganização
Como Praticar o SHITSUKE




                                                              EMPRESA EM CASA
Seguir os procedimentos, regras e normas da empresa, bem
como a cultura, buscando contribuir sempre para melhoria do
ambiente de trabalho com sugestões e instruindo os colegas
com boas práticas.


Ensinar aos familiares o que aprender na empresa, praticar
as técnicas que se encaixarem em casa e se policiar para
não voltar os velhos costumes.




                                                              NA VIDA
Desenvolver o autocontrole (contar sempre até dez), ter
paciência, ser persistente na busca de seus sonhos, anseios
e aspirações, respeitar o espaço e a vontade alheias.
O 5S destaca-se dos demais sistemas de Qualidade por
ser simples e de fácil assimilação.
 Veja os resultados:


                 Visão dos Funcionários                 Visão da Empresa
              • Maior colaboração entre as        • Melhoria da produtividade.
              pessoas.                            • Redução nos custos
              • Banheiros e ambientes mais        operacionais.
              limpos e organizados.               • Redução no absenteísmo.
              • Local mais fácil de trabalhar e   • Melhor aproveitamento de
              mais harmonioso e bonito.           materiais e equipamentos.
              • Melhoria da disciplina.           • Redução nos desperdícios.
              • Facilidade na localização de      • Melhoria do moral, uso
              objetos e documentos.               eficiente do tempo.
              • Menos chances de acidentes.       • Melhoria do ambiente de
              • Melhor rendimento do serviço.     trabalho.
              • Mais espaço para tudo.            • Conscientização em relação ao
              • Retirada de materiais velhos.     meio ambiente e a cidadania.
              • Conscientização em relação ao
              meio ambiente e a cidadania.
2º Etapa- A estratégia
   Uma vez definido o alicerce das práticas rotineiras
    nas relações: (Usuário – equipe de saúde, Equipe de
    saúde – gerência, Gerência – DAPS, DAPS – SMS),
    deveremos fazer um diagnóstico dos principais
    problemas de saúde da área e classifica-los em três
    níveis de intervenção.
   Nível vermelho – não estamos conseguindo oferecer o
    básico para nossa clientela.
   Nível amarelo – ofereceu o básico, mas os resultados
    não são satisfatórios.
   Nível verde – o resultado são minimamente satisfatórios
   Nível azul – resultados alcançam alto nível de qualidade.
4-azul
 3-verde
2-amarelo
1-vermelho
3º- Reorganização das práticas
                   de trabalho
Proposta atual
   O trabalho do DAPS foi dividido em eixos de
    planejamento, grupos de ciclo de vida (neles
    incluídos os programas), apoio institucional das
    unidades e ações transversais.
Contra-proposta (integração dos eixos)
1.  Gerenciamento de linhas de cuidado
2. Apoio a práticas institucionais (apoio às unidades)
3. Ações transversais
4. Ações estratégicas de melhoria da qualidade (Ex:
    informatização dos processos)
Obs: Nesta divisão cada profissional do DAPS
participaria no máximo de dois eixos, sendo que os
eixos 1 e 2 seriam excludentes (ou participa de um ou do
outro). Cabe ressaltar, que isto não significa que os
profissionais dos eixos 1 e 2 não tenham noção do
trabalho do outro.
Linhas de
                 cuidado




                  Ações
               transversais


   Ações                          apoio
estratégicas                  institucional
   Planejamento – uma vez definidos os grupos de
    trabalho daremos início às ações de intervenção em
    busca do alcance do nível mais alto da qualidade nos
    indicadores.
   Monitoramento – Sugiro que cada linha de cuidado
    escolha 1 (hum) indicador de acompanhamento,
    que seja o que tenha a maior sensibilidade, para
    acompanhamento mensal das equipes, gerentes das
    unidades e DAPS. Os outros indicadores terão avaliações
    semestrais e anuais.
Visão geral

                                   5s




              Monitoramento
                                             Diagnóstico
               e avaliação




                                             Divisão dos
                Execução                      eixos de
                                              trabalho




                              Planejamento
VAMOS COMEÇAR?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os 5S's da gestão
Os 5S's da gestãoOs 5S's da gestão
Os 5S's da gestão
Thiago Inacio de Matos
 
Housekeeping 5 s
Housekeeping 5 sHousekeeping 5 s
Housekeeping 5 s
Alexandre Esteves Reis
 
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
Rogério Souza
 
01. treinamento 6S final
01. treinamento 6S final01. treinamento 6S final
01. treinamento 6S final
Taysa Mattos
 
Palestra 5 sensos
Palestra   5 sensosPalestra   5 sensos
Palestra 5 sensos
Daniel Petrovitch
 
5s[1]
5s[1]5s[1]
5s[1]
kleber1
 
5s
5s5s
Programação 5S
Programação 5SProgramação 5S
Programação 5S
Dênerson Dias
 
Trabalho 5s
Trabalho 5sTrabalho 5s
Trabalho 5s
Vitor Savicki
 
Apresentação 5s
Apresentação 5sApresentação 5s
Apresentação 5s
Auryelle Correia
 
Ferramenta 5 s´s
Ferramenta 5 s´sFerramenta 5 s´s
Ferramenta 5 s´s
Fran Lima
 
Apresentação 5 s 38 slides
Apresentação 5 s 38 slidesApresentação 5 s 38 slides
Apresentação 5 s 38 slides
JOSEHB
 
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
Filipe Fuscaldi
 
Seminário 5 s
Seminário 5 sSeminário 5 s
Treinamento 5 S
Treinamento 5 STreinamento 5 S
Treinamento 5 S
Rubia Soraya Rabello
 
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
Nyedson Barbosa
 
Um Prática de 5S Bem Conduzida Contribui para Controlar A Corrosão
Um Prática de 5S Bem Conduzida Contribui para Controlar A CorrosãoUm Prática de 5S Bem Conduzida Contribui para Controlar A Corrosão
Um Prática de 5S Bem Conduzida Contribui para Controlar A Corrosão
ScienceTec & CorrTec-Engineering
 
5s
5s5s
5s
5s5s
Sistema 5 s
Sistema 5 sSistema 5 s

Mais procurados (20)

Os 5S's da gestão
Os 5S's da gestãoOs 5S's da gestão
Os 5S's da gestão
 
Housekeeping 5 s
Housekeeping 5 sHousekeeping 5 s
Housekeeping 5 s
 
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
 
01. treinamento 6S final
01. treinamento 6S final01. treinamento 6S final
01. treinamento 6S final
 
Palestra 5 sensos
Palestra   5 sensosPalestra   5 sensos
Palestra 5 sensos
 
5s[1]
5s[1]5s[1]
5s[1]
 
5s
5s5s
5s
 
Programação 5S
Programação 5SProgramação 5S
Programação 5S
 
Trabalho 5s
Trabalho 5sTrabalho 5s
Trabalho 5s
 
Apresentação 5s
Apresentação 5sApresentação 5s
Apresentação 5s
 
Ferramenta 5 s´s
Ferramenta 5 s´sFerramenta 5 s´s
Ferramenta 5 s´s
 
Apresentação 5 s 38 slides
Apresentação 5 s 38 slidesApresentação 5 s 38 slides
Apresentação 5 s 38 slides
 
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
 
Seminário 5 s
Seminário 5 sSeminário 5 s
Seminário 5 s
 
Treinamento 5 S
Treinamento 5 STreinamento 5 S
Treinamento 5 S
 
Programa 5S
Programa 5SPrograma 5S
Programa 5S
 
Um Prática de 5S Bem Conduzida Contribui para Controlar A Corrosão
Um Prática de 5S Bem Conduzida Contribui para Controlar A CorrosãoUm Prática de 5S Bem Conduzida Contribui para Controlar A Corrosão
Um Prática de 5S Bem Conduzida Contribui para Controlar A Corrosão
 
5s
5s5s
5s
 
5s
5s5s
5s
 
Sistema 5 s
Sistema 5 sSistema 5 s
Sistema 5 s
 

Semelhante a 5s cap 53

Apresentação do sidnei do 5 s
Apresentação do sidnei  do 5 sApresentação do sidnei  do 5 s
Apresentação do sidnei do 5 s
Sergio Teles
 
5s
5s5s
Apostila 5s hoje.pdf
Apostila 5s hoje.pdfApostila 5s hoje.pdf
Apostila 5s hoje.pdf
maysom
 
Cartilha8 S
Cartilha8 SCartilha8 S
Cartilha8 S
christianocassio
 
02 aula sistemas dos 5s
02 aula sistemas dos 5s02 aula sistemas dos 5s
02 aula sistemas dos 5s
Homero Alves de Lima
 
Os 5 Sensos da Qualidade
Os 5 Sensos da QualidadeOs 5 Sensos da Qualidade
Os 5 Sensos da Qualidade
COTIC-PROEG (UFPA)
 
Treinamento 5S tttttttttttttttttttttttttt
Treinamento 5S ttttttttttttttttttttttttttTreinamento 5S tttttttttttttttttttttttttt
Treinamento 5S tttttttttttttttttttttttttt
RicardoSantos667697
 
Cinco Sensos da Qualidade
Cinco Sensos da Qualidade Cinco Sensos da Qualidade
Cinco Sensos da Qualidade
PauloSouza1962
 
Cinco s
Cinco sCinco s
18
1818
Palestra 5 s
Palestra 5 sPalestra 5 s
Palestra 5 s
Jonatas f.siqueira
 
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4Gerenciamento da Rotina_MODULO_4
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4
Thiago Reis
 
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA IFerramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
Anderson Pontes
 
5 s
5 s5 s
5 s
5 s5 s
programa-5-s1 (1).ppt
programa-5-s1 (1).pptprograma-5-s1 (1).ppt
programa-5-s1 (1).ppt
Bruno Araújo
 
programa-5-s1 (1).ppt
programa-5-s1 (1).pptprograma-5-s1 (1).ppt
programa-5-s1 (1).ppt
LeandroDeMosDadas
 
programa-5-s1.ppt
programa-5-s1.pptprograma-5-s1.ppt
programa-5-s1.ppt
RIU20FAMILIAMACARJ
 
programa-5-s1- Porque e como implementar 5S.ppt
programa-5-s1- Porque e como implementar 5S.pptprograma-5-s1- Porque e como implementar 5S.ppt
programa-5-s1- Porque e como implementar 5S.ppt
IvanildoNascimento12
 
Programa 5-s1
Programa 5-s1Programa 5-s1
Programa 5-s1
Arthur Lopes
 

Semelhante a 5s cap 53 (20)

Apresentação do sidnei do 5 s
Apresentação do sidnei  do 5 sApresentação do sidnei  do 5 s
Apresentação do sidnei do 5 s
 
5s
5s5s
5s
 
Apostila 5s hoje.pdf
Apostila 5s hoje.pdfApostila 5s hoje.pdf
Apostila 5s hoje.pdf
 
Cartilha8 S
Cartilha8 SCartilha8 S
Cartilha8 S
 
02 aula sistemas dos 5s
02 aula sistemas dos 5s02 aula sistemas dos 5s
02 aula sistemas dos 5s
 
Os 5 Sensos da Qualidade
Os 5 Sensos da QualidadeOs 5 Sensos da Qualidade
Os 5 Sensos da Qualidade
 
Treinamento 5S tttttttttttttttttttttttttt
Treinamento 5S ttttttttttttttttttttttttttTreinamento 5S tttttttttttttttttttttttttt
Treinamento 5S tttttttttttttttttttttttttt
 
Cinco Sensos da Qualidade
Cinco Sensos da Qualidade Cinco Sensos da Qualidade
Cinco Sensos da Qualidade
 
Cinco s
Cinco sCinco s
Cinco s
 
18
1818
18
 
Palestra 5 s
Palestra 5 sPalestra 5 s
Palestra 5 s
 
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4Gerenciamento da Rotina_MODULO_4
Gerenciamento da Rotina_MODULO_4
 
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA IFerramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
Ferramentas da Qualidade - GESTAO APLICADA I
 
5 s
5 s5 s
5 s
 
5 s
5 s5 s
5 s
 
programa-5-s1 (1).ppt
programa-5-s1 (1).pptprograma-5-s1 (1).ppt
programa-5-s1 (1).ppt
 
programa-5-s1 (1).ppt
programa-5-s1 (1).pptprograma-5-s1 (1).ppt
programa-5-s1 (1).ppt
 
programa-5-s1.ppt
programa-5-s1.pptprograma-5-s1.ppt
programa-5-s1.ppt
 
programa-5-s1- Porque e como implementar 5S.ppt
programa-5-s1- Porque e como implementar 5S.pptprograma-5-s1- Porque e como implementar 5S.ppt
programa-5-s1- Porque e como implementar 5S.ppt
 
Programa 5-s1
Programa 5-s1Programa 5-s1
Programa 5-s1
 

Mais de Ismael Costa

Aprim sp2e 3-ebserh
Aprim sp2e 3-ebserhAprim sp2e 3-ebserh
Aprim sp2e 3-ebserh
Ismael Costa
 
Pep – hiv – protocolo 2015
Pep – hiv – protocolo 2015Pep – hiv – protocolo 2015
Pep – hiv – protocolo 2015
Ismael Costa
 
Aprimore sp3-unirio
Aprimore sp3-unirioAprimore sp3-unirio
Aprimore sp3-unirio
Ismael Costa
 
Tuberculose, Hanseníase, Meningites - 2016 - UNIRIO
Tuberculose, Hanseníase, Meningites - 2016 - UNIRIOTuberculose, Hanseníase, Meningites - 2016 - UNIRIO
Tuberculose, Hanseníase, Meningites - 2016 - UNIRIO
Ismael Costa
 
Manual hipertensão 2013
Manual hipertensão 2013Manual hipertensão 2013
Manual hipertensão 2013
Ismael Costa
 
Manual diabetes - 2013
Manual diabetes - 2013Manual diabetes - 2013
Manual diabetes - 2013
Ismael Costa
 
Manual de normas e procedimentos de vacinacao_2014
Manual de normas e procedimentos de vacinacao_2014Manual de normas e procedimentos de vacinacao_2014
Manual de normas e procedimentos de vacinacao_2014
Ismael Costa
 
Manual rede frio 4ed - 2013
Manual rede frio 4ed -  2013Manual rede frio 4ed -  2013
Manual rede frio 4ed - 2013
Ismael Costa
 
Nova portaria de notificação compulsória 2014
Nova portaria de notificação compulsória 2014Nova portaria de notificação compulsória 2014
Nova portaria de notificação compulsória 2014
Ismael Costa
 
Preparacao resposta virus_chikungunya_brasil
Preparacao resposta virus_chikungunya_brasilPreparacao resposta virus_chikungunya_brasil
Preparacao resposta virus_chikungunya_brasil
Ismael Costa
 
Guia vigilancia saude_completo
Guia vigilancia saude_completoGuia vigilancia saude_completo
Guia vigilancia saude_completo
Ismael Costa
 
Política de saúde 1
Política de saúde 1Política de saúde 1
Política de saúde 1
Ismael Costa
 
Saúde - UFRJ-2013 lei 8112
Saúde - UFRJ-2013 lei 8112Saúde - UFRJ-2013 lei 8112
Saúde - UFRJ-2013 lei 8112
Ismael Costa
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentos
Ismael Costa
 
Questões complementares aula de sus – intensivo sms
Questões complementares aula de sus – intensivo smsQuestões complementares aula de sus – intensivo sms
Questões complementares aula de sus – intensivo sms
Ismael Costa
 
Novo calendário da vacinação 2013
Novo calendário da vacinação 2013Novo calendário da vacinação 2013
Novo calendário da vacinação 2013
Ismael Costa
 
Convocação de parceiros
Convocação de parceirosConvocação de parceiros
Convocação de parceiros
Ismael Costa
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regular
Ismael Costa
 
Questões saúde pública
Questões saúde públicaQuestões saúde pública
Questões saúde pública
Ismael Costa
 
Imunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhadorImunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhador
Ismael Costa
 

Mais de Ismael Costa (20)

Aprim sp2e 3-ebserh
Aprim sp2e 3-ebserhAprim sp2e 3-ebserh
Aprim sp2e 3-ebserh
 
Pep – hiv – protocolo 2015
Pep – hiv – protocolo 2015Pep – hiv – protocolo 2015
Pep – hiv – protocolo 2015
 
Aprimore sp3-unirio
Aprimore sp3-unirioAprimore sp3-unirio
Aprimore sp3-unirio
 
Tuberculose, Hanseníase, Meningites - 2016 - UNIRIO
Tuberculose, Hanseníase, Meningites - 2016 - UNIRIOTuberculose, Hanseníase, Meningites - 2016 - UNIRIO
Tuberculose, Hanseníase, Meningites - 2016 - UNIRIO
 
Manual hipertensão 2013
Manual hipertensão 2013Manual hipertensão 2013
Manual hipertensão 2013
 
Manual diabetes - 2013
Manual diabetes - 2013Manual diabetes - 2013
Manual diabetes - 2013
 
Manual de normas e procedimentos de vacinacao_2014
Manual de normas e procedimentos de vacinacao_2014Manual de normas e procedimentos de vacinacao_2014
Manual de normas e procedimentos de vacinacao_2014
 
Manual rede frio 4ed - 2013
Manual rede frio 4ed -  2013Manual rede frio 4ed -  2013
Manual rede frio 4ed - 2013
 
Nova portaria de notificação compulsória 2014
Nova portaria de notificação compulsória 2014Nova portaria de notificação compulsória 2014
Nova portaria de notificação compulsória 2014
 
Preparacao resposta virus_chikungunya_brasil
Preparacao resposta virus_chikungunya_brasilPreparacao resposta virus_chikungunya_brasil
Preparacao resposta virus_chikungunya_brasil
 
Guia vigilancia saude_completo
Guia vigilancia saude_completoGuia vigilancia saude_completo
Guia vigilancia saude_completo
 
Política de saúde 1
Política de saúde 1Política de saúde 1
Política de saúde 1
 
Saúde - UFRJ-2013 lei 8112
Saúde - UFRJ-2013 lei 8112Saúde - UFRJ-2013 lei 8112
Saúde - UFRJ-2013 lei 8112
 
Acidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentosAcidentes com animais peçonhentos
Acidentes com animais peçonhentos
 
Questões complementares aula de sus – intensivo sms
Questões complementares aula de sus – intensivo smsQuestões complementares aula de sus – intensivo sms
Questões complementares aula de sus – intensivo sms
 
Novo calendário da vacinação 2013
Novo calendário da vacinação 2013Novo calendário da vacinação 2013
Novo calendário da vacinação 2013
 
Convocação de parceiros
Convocação de parceirosConvocação de parceiros
Convocação de parceiros
 
Aula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regularAula saúde do idoso - turma regular
Aula saúde do idoso - turma regular
 
Questões saúde pública
Questões saúde públicaQuestões saúde pública
Questões saúde pública
 
Imunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhadorImunização em saúde do trabalhador
Imunização em saúde do trabalhador
 

5s cap 53

  • 1. CAP 5.3 em busca da qualidade total
  • 2. A missão do DAPS na CAP 5.3  Dar suporte técnico-administrativo às unidades de saúde da área.
  • 3. Dificuldades decorrentes de mudanças na estrutura da SMS/RJ  Mudança da secretaria municipal de saúde após um longo tempo período com um mesmo gestor: Ronaldo Luiz Gazolla.  Expansão da estratégia de saúde da família em várias fases distintas: 1996-2003 (fase experimental), 2003-2008 (saúde onde você mora), 2008-atual (saúde presente/TEIAS)  Inclusão de novas modalidades de gestão na política nacional do SUS: NOAS, Pacto pela saúde, Política nacional de atenção básica 2006, Política nacional de atenção básica 2011, Política nacional de promoção da saúde, etc.  Implantação do processo de publicização da gestão (organizações sociais).  Mudança de paradigmas na gestão em saúde – ações programáticas versus ciclo de vida.  Autonomia administrativa e orçamentária das CAPS  Alta rotatividade de profissionais na atenção e na gestão.
  • 4. Problemas  Os novos processos sobrepõe-se sobre os antigos, sem que haja uma adequada adaptação.
  • 5. O QUE É QUALIDADE?
  • 6. Fazer bem aquilo que estamos fazendo mal  Fazer melhor aquilo que estamos fazendo bem  Fazer aquilo que não estamos fazendo e fazê-lo bem
  • 7. “Pensando na qualidade em todas as etapas, o resultado final é melhor e pode ser mais barato, uma vez que elimina todo tipo de desperdícios, inclusive os retrabalhos”. Kaoru Ishikawa
  • 8. Conceito  Refere-se às atividades que avaliam, monitoram ou regulamentam os serviços prestados aos consumidores.  Segundo DONABEDIAM (1980) “Qualidade da assistência à saúde deve maximizar medidas abrangentes para o bem- estar do cliente, em todas as suas partes, tomando em consideração o equilíbrio entre ganhos e perdas, inerentes ao processo de atenção médico hospitalar”.
  • 9. Características  A qualidade se dá em um continuum , de inaceitável a excelente;  O foco recai nos serviços oferecidos pelo sistema de prestação de cuidados em saúde, em oposição aos comportamentos individuais;  A qualidade pode ser avaliada a partir da perspectiva dos indivíduos, populações ou comunidades.  A ênfase está nos resultados de saúde desejados;  Evidências de pesquisas definirão aquilo que melhora os resultados de saúde.
  • 10. Etapas  É determinado um critério ou padrão.  São coletadas informações pra observar se o padrão foi alcançado.  São tomadas medidas educativas ou corretivas se o critério não foi atendido
  • 11. Desenvolvimento de padrões  Um padrão é um nível predeterminado de excelência que funciona como um modelo a ser seguido e praticado.  Os padrões possuem características distintivas, são predeterminados, estabelecidos por uma autoridade e comunicados às pessoas influenciadas por eles, sendo aceitos pelos indivíduos.  Pelo fato de os padrões serem empregados como instrumentos de medida, devem ser objetivos, mensuráveis e atingíveis.
  • 12. Conceitos - Donabediam  ESTRUTURA - recursos físicos, humanos, materiais e financeiros necessários para a assistência médica. Inclui financiamento e disponibilidade de mão-de-obra qualificada.  PROCESSO - atividades envolvendo profissionais de saúde e pacientes, com base em padrões aceitos. A análise pode ser sob o ponto de vista técnico e/ou administrativo.  RESULTADO - produto final da assistência prestada, considerando saúde, satisfação de padrões e de expectativas.
  • 13. Só que antes de dar a festa , é preciso arrumar a casa!
  • 14. 1º etapa - A metodologia 5s Preparando o serviço para adoção de práticas de qualidade total
  • 15. O que é 5 “Ss”? Prática desenvolvida no Japão com o objetivo de desenvolver padrões de limpeza e organização, para proporcionar bem estar a todos. “TAMBÉM É CONHECIDO COMO HOUSE KEEPING”
  • 16. Quais os significados dos 5 “Ss”? SEIRI (UTILIZAÇÃO) : Separar as coisas necessárias e eliminar as desnecessárias. SEITON (ARRUMAÇÃO) : Arrumar as coisas necessárias, agrupando-as para facilitar seu acesso e manuseio. SEISO (LIMPEZA) : Eliminar sujeira, poeira, manchas de óleo do chão e equipamentos. SEIKETSU (SAÚDE E HIGIENE) : Conservar a limpeza dos ambientes, criando padronização. SHITSUKE (AUTO DISCIPLINA) : Cumprir rigorosamente o que foi determinado, preservando os padrões estabelecidos.
  • 17. Adotar os 5s é uma questão de atitude! “OS DEZ MANDAMENTOS DOS 5S” I. Ficarei com o estritamente necessário. II. Definirei um lugar para cada coisa. III. Manterei cada coisa no seu lugar. IV. Manterei tudo limpo e em condições de uso. V. Combaterei as causas de sujeira. VI. Identificarei toda situação de risco. VII.Trabalharei com segurança. VIII. Questionarei toda norma ou padrão até entendê-lo completamente. IX. Procurarei formas de melhorar meu trabalho. X. Honrarei todos os compromissos.
  • 18. SEIRI - Senso de Utilização Devemos ter apenas o que necessitamos, distinguindo o que é necessário do que não é, evitando o desperdício de coisas materiais e de nosso próprio esforço. ? PERGUNTAS NORMALMENTE UTILIZADAS: •“Este equipamento tem realmente conserto?” •“Esta máquinas voltará a ser utilizada?” •“Estes relatórios precisam ser mantidos por quanto tempo?” •“O que realmente é importante para que eu possa tomar minhas decisões?”
  • 20. Conscientize-se ... “Você não precisa ... Não adquira” “A pessoa não precisa ... Não forneça” “Antes de falar ... Pense e resuma” “Está ruim ... Não aceite”
  • 21. O que é necessário? Perfeitas condições de uso, quantidade adequa Pode ser da e freqüência de utili- utilizado zação adequada. Sem condições de uso, ITEM quantidade inadequada Não pode ser e freqüência de utiliza - utilizado ção inadequada. Parece desnecessário , Utilização preferivelmente não uti- improvável lizar.
  • 22. BENEFÍCIOS SEIRI: › Liberação do espaço físico › Diminuição de acidentes › Diminuição de custos de manutenção › Reutilização de recursos › Melhoria no ambiente de trabalho
  • 23. Como Praticar o SEIRI EMPRESA EM CASA É identificar materiais, equipamentos, ferramentas, utensílios, informações e dados necessários e desnecessários, descartando ou dando a devida destinação àquilo considerado desnecessário ao exercício das atividades Basta verificar aquele espaço da casa onde colocamos tudo que não serve, os brinquedos quebrados que não usamos mais, a roupa velha que guardamos, as revistas e jornais que jamais serão lidos novamente, dentre outros exemplos que você já deve estar imaginando . Utilização é preservar consigo apenas os sentimentos NA VIDA valiosos como amor, amizade, sinceridade, companheirismo, compreensão, descartando aqueles sentimentos negativos e criando atitudes positivas para fortalecer e ampliar a convivência , apenas com sentimentos valiosos.
  • 24. SEITON - Senso de Arrumação Devemos arrumar o que for necessário utilizando uma metodologia eficiente para facilitar o acesso e manuseio. Arrumar simplesmente não basta, devemos estabelecer critérios para ordenação pois só assim, conseguiremos organizar tudo com eficácia.
  • 25. AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO DO SEITON: • Padronizar a nomenclatura dos objetos • Utilizar um sistema de cores para facilitar identificação • Um lugar diferente para cada objeto e cada objeto em seu lugar • Identificar o conteúdo das estantes e dos armários • Identificar documentos com numeração apropriada • Utilizar o FIFO (´1º que entra é o 1º que sai) • Identificar locais perigosos • Organizar quadro de avisos
  • 26. Como guardar os itens? Freqüência de uso Local adequado Todo Dia Junto ao posto de trabalho De fácil acesso, próximo ao posto Toda Semana de trabalho Onde possa ser compartilhado com Todo Mês os demais
  • 27. BENEFÍCIOS SEITON: › Ambiente de trabalho mais agradável › Economia de tempo › Diminuição do cansaço físico › Facilidade para implementação da multifuncionalidade › Diminuição de acidentes
  • 28. Como Praticar o SEITON EMPRESA EM CASA Na definição dos locais apropriados, adota-se como critério a facilidade para estocagem, identificação, manuseio, reposição, retorno ao local de origem após uso, consumo dos itens mais velhos primeiro. Não é incomum para você as cenas de correria pela manhã à procura da agenda, dos Crachá, dos cadernos, das chaves, do uniforme. E na hora de declarar o imposto de renda? E as idas e vindas ao mercado? Cada hora falta alguma coisa para comprar. É distribuir adequadamente o seu tempo dedicado ao NA VIDA trabalho, ao lazer, à família, aos amigos. É ainda não misturar suas preferências profissionais com as pessoais, ter postura coerente, serenidade nas suas decisões, valorizar e elogiar os atos bons, incentivar as pessoas e não somente criticá-las.
  • 29. SEISO - Senso de Limpeza Manter o local de trabalho e equipamentos limpos e adequados para uso imediato, assim, dá oportunidade para identificar o motivo da sujeira e mau funcionamento do equipamentos. A limpeza deve ser encarada como uma forma de inspeção, pois, se houver sistemática poderemos detectar e corrigir as falhas nos equipamentos e máquinas. Limpeza
  • 30. AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO DO SEISO: • Levantamento dos materiais necessários à limpeza • Definir equipe de funcionários para realizar trabalho • Responsabilizar cada um pela limpeza de seu posto de trabalho • Limpar locais não observados • Utilizar limpeza como forma de inspeção • Eliminar manchas e poeiras.
  • 31. Três passos da limpeza sistemática: MACRO INDIVIDUAL MICRO Limpar partes dos Limpar todas as equipamentos e Limpar áreas e áreas e procurar ferramentas especí- equipamentos lidar com as causas ficas, para encontrar específicos gerais da sujeira e eliminar as causas da sujeira
  • 32. PENSE... Incorpore a limpeza no seu cotidiano e reserve uma pequena parte do seu tempo para esta tarefa. Isso tornará tudo muito mais fácil. Procure fazer isso no começo ou no final de seu expediente.
  • 33. LEMBRE - SE... Apesar de passarmos o dia todo em nosso trabalho, damos pouca atenção em relação a limpeza deste local. Mantenha o padrão de limpeza como é o de sua casa. Tenha no trabalho o mesmo cuidado com a limpeza como você tem em sua casa! Cada um é responsável pela limpeza, pois isto não é tarefa apenas do pessoal da faxina
  • 34. CRIE NOVOS HÁBITOS! • Atenção à detalhes • Não sabe consertar...Chame quem saiba • Sujou...Crie formas de não sujar • Limpando...Escute o barulho e sinta a temperatura
  • 35. BENEFÍCIOS SEISO: ›Melhora no ambiente de trabalho ›Possibilidade de detectar precocemente falhas nos equipamentos ›Aumento da vida útil dos equipamentos ›Melhora do moral dos colaboradores
  • 36. Como Praticar o SEISO EMPRESA EM CASA É eliminar a sujeira ou objetos estranhos para manter limpo o ambiente (parede, armários, o teto, gaveta, estante, piso) bem como manter dados e informações atualizados para garantir a correta tomada de decisões. Também é eliminar a sujeira ou objetos estranhos para manter limpo o ambiente (parede, armários, o teto, gaveta, estante, piso), usar roupas, lençóis, lingerie, limpos e passados, manter lixeiras, quintal e banheiro sempre limpos. NA VIDA É procurar ser honesto ao se expressar, ser transparente, cordial, prestativo, sem segundas intenções, com os amigos, com a família, com os subordinados, com os vizinhos, etc.
  • 37. SEIKETSU - Senso de Saúde e Higiene Também considerado como senso de colaboração, permite criar comprometimento entre os funcionários para que os mesmos criem e mantenham os padrões de limpeza. Preocupa-se com a saúde dos colaboradores em e os aspectos relacionados com a poluição ambiental.
  • 38. AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO SEIKETSU: • Implementar os 3 S iniciais • Elaborar plano de manutenção dos 3 S iniciais • Incentivar cada área e elaborar projeto de melhoria • Estabelecer condições para implantação e controle visual • Cuidar da saúde dos colaboradores • Padronizar o estilo de limpeza dos equipamentos e máquinas
  • 39. Mude seus comportamentos ... “Antes das refeições ... Lave as mãos” “Consertos provisórios ... Evite” “Não sabe como funciona ... Não mexa” “É prejudicial ... Não faça” “ Não está de acordo ... Esclareça”
  • 40. BENEFÍCIOS SEIKETSU: › Melhora das condições de higiene › Melhora do moral e saúde dos colaboradores › Melhora do relacionamento interpessoal › Melhora da segurança do trabalho › Melhora da produtividade
  • 41. Como Praticar o SEIKETSU EMPRESA EM CASA Manter boas condições sanitárias nas áreas comuns (lavatórios, banheiros, cozinha, restaurante, etc.), zelar pela higiene pessoal usar EPI e cuidar para que as informações e comunicados sejam claros, de fácil leitura e compreensão. Cuidar do asseio de banheiro, cozinha, higienizar alimentos, vacinação em dias, usar tapetes, cortinas, capas de proteção, escovar os dentes, manter limpos, cabelos, barba, unhas, roupas e calçados. NA VIDA Ter comportamento ético, promover um ambiente saudável nas relações interpessoais, sejam sociais, familiares ou profissionais, cultivando um clima de respeito mútuo nas diversas relações.
  • 42. SHITSUKE - Senso de Autodisciplina Tem como objetivo criar maior respeito e comprometimento em relação a empresa, cumprindo- se disciplinadamente o que foi determinado. Hábitos são vícios. Para mudarmos, utilizamos uma tática chamada “Só hoje vou fazer diferente”. Assim, nosso cérebro aceita mais fácil a mudança dos hábitos. Com esta tática, repetiremos os novos e bons comportamentos de auto-organização, e essa disciplina cria o hábito, que torna os comportamentos fáceis de serem seguidos
  • 43. AÇÕES PARA IMPLEMENTAÇÃO SHITSUKE: •Reconhecer a importância da existência e cumprimento das regras • Elaborar normas e procedimentos de maneira clara • Não ser tolerante com erros • Tomar providências no menor espaço de tempo possível • Saber criticar e receber críticas • Ser rigoroso no cumprimento de horários • Seguir o padrão de limpeza e organização do setor
  • 44. BENEFÍCIOS SHITSUKE: › Conscientização sobre a importância da administração participativa › Melhora do relacionamento entre colaboradores › Melhora da qualidade › Diminuição de acidentes › Aumento da liberdade com responsabilidade dos colaboradores
  • 45. Abriu...Feche Ligou...Desligue Sujou...Limpe e crie forma de não sujar Desarrumou...Arrume Usou...Procure deixar como estava Precisou...Deixe de fácil acesso Precisa usar...É de graça...Não desperdice Quebrou...Conserte Não sabe consertar...Chame quem o saiba Consertos provisórios...Evite Limpando...Escute o barulho, sinta a temperatura Não sabe como funciona...Não mexa É prejudicial...Não faça Não está de acordo...Esclareça Prometeu...Assuma
  • 46. COMO DEVEMOS PENSAR E AGIR? Praticando o 5S sem deixar para amanhã o que deve ser feito hoje Todos os programas são programas de todos Nada muda se você não mudar Se você fizer o que sempre fez, terá o que sempre teve. Limpar não é só responsabilidade da turma da faxina Cada coisa em seu lugar e um lugar para cada coisa Virando a própria mesa, sem entulhar os arquivos dos outros Empresa suja transpira desorganização
  • 47. Como Praticar o SHITSUKE EMPRESA EM CASA Seguir os procedimentos, regras e normas da empresa, bem como a cultura, buscando contribuir sempre para melhoria do ambiente de trabalho com sugestões e instruindo os colegas com boas práticas. Ensinar aos familiares o que aprender na empresa, praticar as técnicas que se encaixarem em casa e se policiar para não voltar os velhos costumes. NA VIDA Desenvolver o autocontrole (contar sempre até dez), ter paciência, ser persistente na busca de seus sonhos, anseios e aspirações, respeitar o espaço e a vontade alheias.
  • 48. O 5S destaca-se dos demais sistemas de Qualidade por ser simples e de fácil assimilação. Veja os resultados: Visão dos Funcionários Visão da Empresa • Maior colaboração entre as • Melhoria da produtividade. pessoas. • Redução nos custos • Banheiros e ambientes mais operacionais. limpos e organizados. • Redução no absenteísmo. • Local mais fácil de trabalhar e • Melhor aproveitamento de mais harmonioso e bonito. materiais e equipamentos. • Melhoria da disciplina. • Redução nos desperdícios. • Facilidade na localização de • Melhoria do moral, uso objetos e documentos. eficiente do tempo. • Menos chances de acidentes. • Melhoria do ambiente de • Melhor rendimento do serviço. trabalho. • Mais espaço para tudo. • Conscientização em relação ao • Retirada de materiais velhos. meio ambiente e a cidadania. • Conscientização em relação ao meio ambiente e a cidadania.
  • 49. 2º Etapa- A estratégia
  • 50. Uma vez definido o alicerce das práticas rotineiras nas relações: (Usuário – equipe de saúde, Equipe de saúde – gerência, Gerência – DAPS, DAPS – SMS), deveremos fazer um diagnóstico dos principais problemas de saúde da área e classifica-los em três níveis de intervenção.
  • 51. Nível vermelho – não estamos conseguindo oferecer o básico para nossa clientela.  Nível amarelo – ofereceu o básico, mas os resultados não são satisfatórios.  Nível verde – o resultado são minimamente satisfatórios  Nível azul – resultados alcançam alto nível de qualidade.
  • 53. 3º- Reorganização das práticas de trabalho
  • 54. Proposta atual  O trabalho do DAPS foi dividido em eixos de planejamento, grupos de ciclo de vida (neles incluídos os programas), apoio institucional das unidades e ações transversais.
  • 55. Contra-proposta (integração dos eixos) 1. Gerenciamento de linhas de cuidado 2. Apoio a práticas institucionais (apoio às unidades) 3. Ações transversais 4. Ações estratégicas de melhoria da qualidade (Ex: informatização dos processos) Obs: Nesta divisão cada profissional do DAPS participaria no máximo de dois eixos, sendo que os eixos 1 e 2 seriam excludentes (ou participa de um ou do outro). Cabe ressaltar, que isto não significa que os profissionais dos eixos 1 e 2 não tenham noção do trabalho do outro.
  • 56. Linhas de cuidado Ações transversais Ações apoio estratégicas institucional
  • 57. Planejamento – uma vez definidos os grupos de trabalho daremos início às ações de intervenção em busca do alcance do nível mais alto da qualidade nos indicadores.  Monitoramento – Sugiro que cada linha de cuidado escolha 1 (hum) indicador de acompanhamento, que seja o que tenha a maior sensibilidade, para acompanhamento mensal das equipes, gerentes das unidades e DAPS. Os outros indicadores terão avaliações semestrais e anuais.
  • 58. Visão geral 5s Monitoramento Diagnóstico e avaliação Divisão dos Execução eixos de trabalho Planejamento