Curso fotografia e historia 2013

1.342 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.342
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
340
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
46
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Curso fotografia e historia 2013

  1. 1. O mundo é o que você enxerga!Curso de fotografia para iniciantes – UFTM 2013Fotografia e históriaFotografia de Henri Cartier-Bresson 1932. Fonte: cincofoto.wordpress.com“De todos os meios de expressão, a fotografia é o único que fixa para sempre o instantepreciso e transitório. Nós, fotógrafos, lidamos com coisas que estão continuamentedesaparecendo e, uma vez desaparecidas, não há mecanismo no mundo capaz de fazê-Iasvoltar outra vez. Não podemos revelar ou copiar uma memória.”Henri Cartier-Bresson
  2. 2. Conhecer é preciso!O curso “Fotografia e história”, fotografia básica para iniciantes, traz deforma sucinta a história da fotografia, conceitos práticos, algumas definiçõestécnicas e reflexões sobre a arte fotográfica.O curso possuí carga horária de 30h, sendo 22h a distância e 8hpresenciais. Para o conteúdo EAD serão indicados textos, artigos, vídeos,sites, enfim conhecimentos que já estão disponíveis no mundo online e quedeverão ser utilizados na construção do saber.O objetivo do curso é apontar os caminhos existentes e estimular acriação. Não se pode ficar preso a regras e conceitos, mas é preciso conhecerpara transformar o meio, entender como ampliar a visão de mundo, o que éessencial para a prática da fotografia. A fotografia é a versão do seu autorfrente aos fatos que registra.A fotografia, antes de ser uma técnica é uma linguagem. Enquantolinguagem, esta possui língua, estética e cultura própria. A fotografia é um dosinúmeros modos de divulgar cultura e produzir conhecimento. Portanto, aimagem fotográfica não é a princípio, uma forma de arte. Como linguagem, elaé o meio pelo qual a obra de arte é realizada (Leite,2011).11Leite, Enio. Fotografia digital: aprendendo a fotografar com qualidade/ Enio Leite – 1. Ed. -- Santa Cruzdo Rio Pardo, SP : Editora Viena, 2011.
  3. 3. A câmera escura, o princípio da fotografiaA fotografia não tem um único inventor. Ela é uma síntese devárias observações e inventos em momentos distintos. A primeiradescoberta importante para a photographia foi a "câmaraobscura". O conhecimento de seus princípios óticos se atribui aAristóteles, anos antes de Cristo, e seu uso para observação deeclipses e ajuda ao desenho, a Giovanni Baptista Della Porta.Sentado sob uma árvore, Aristóteles observou a imagem do sol,durante um eclipse parcial, projetando-se no solo em forma demeia lua quando seus raios passarem por um pequeno orifícioentre as folhas. Observou também que quanto menor fosse o orifício, mais nítida era a imagem.Séculos de ignorância e superstições ocuparam a Europa, sendoos conhecimentos gregos resguardados no oriente. Um eruditoárabe, Alhazem, descreveu a câmara escura em princípios doséculo XI.No século XIV já se aconselhava o uso da câmara escura comoauxílio ao desenho e à pintura. Leonardo da Vinci fez uma descrição da câmara escura em seu livro denotas, mas não foi publicado até 1797. Giovanni Baptista Della Porta, cientista napolitano, publicou em1558 uma descrição detalhada da câmara e de seus usos. Esta câmara era um quarto estanque à luz,possuía um orifício de um lado e a parede à sua frente pintada de branco. Quando um objeto era postodiante do orifício, do lado de fora do compartimento, sua imagem era projetada invertida sobre a paredebranca.Alguns, na tentativa de melhorar a qualidade da imagemprojetada, diminuíam o tamanho do orifício, mas a imagemescurecia proporcionalmente, tornando-se quase impossível aoartista identificá-la.Este problema foi resolvido em 1550 pelo físico milanês GirolamoCardano, que sugeriu o uso de uma lente biconvexa junto aoorifício, permitindo desse modo aumentá-lo, para se obter umaimagem clara sem perder a nitidez.Isto foi possível graças à capacidade de refração do vidro, que tornava convergentes os raios luminososrefletidos pelo objeto. Assim, a lente fazia com que a cada ponto luminoso do objeto correspondesse umpequeno ponto de imagem, formando-se assim, ponto por ponto da luz refletida do objeto, uma imagempuntiforme.Desse modo, o uso da câmara escura se difundiu entreos artistas e intelectuais da época, que logo perceberama impossibilidade de se obter nitidamente a imagem,quando os objetos captados pelo visor estivessem adiferentes distâncias da lente. Ou se focalizava o objetomais próximo, variando a distância da lente / visor(foco), deixando todo o mais distante desfocado, ouvice-versa. Danielo Brabaro, em 1568, no seu livro "Aprática da perspectiva" mencionava que variando o diâmetro do orifício, era possível melhorar a nitidez daimagem. Assim, outro aprimoramento na câmara escura apareceu: foi instalado um sistema, junto com alente, que permitia aumentar e diminuir o orifício. Este foi o primeiro "diaphragma".Quanto mais fechado o orifício, maior era a possibilidade de focalizar dois objetos a distâncias diferentesda lente.Nesta altura, já tínhamos condições de formar uma imagem satisfatoriamente controlável na câmara
  4. 4. escura, mas gravar essa imagem diretamente sobre o papel sem intermédio do artista era a nova meta,só alcançada mais tarde com o desenvolvimento da química.Fonte: Site da Kodak/Brasil acessado em 04 de Maio de 2013História da FotografiaA primeira descrição de algo parecido com uma máquina fotográfica foi escrita por um árabe,Alhaken de Basora, que viveu há aproximadamente 1000 anos. Ele descobriu como seformavam as imagens no interior de sua tenda quando a luz do sol passava pelas frestas dotecido. Assim foram relatados os princípios do que viria a ser a câmera fotográfica.Câmera significa pequeno quarto. Mais tarde, a câmera escura, quando não existia afotografia, era um artifício empregado para conseguir imagens projetadas desde o exterior ecujas siluetas eram desenhadas na referida câmera escura. Sua existência é conhecida desdeo século XVI, quando artistas como Leonardo Da Vinci e outros pintores a usavam paradesenhar.No século XVII, as câmeras escuras deixam de ser grandes e passaram a ser móveis,desmontáveis e semiportáteis. Desenhar com luz, este, na verdade, era a utilidade destesobjetos, por isso o significado etimológico das palavras gregas: foto (luz) e grafein(desenhar).Os irmãos franceses Jean Niceforo e Claude Niepce são os primeiros a relacionar a imagemrealizada com luz e uma câmera escura. Mas eles não foram os únicos investigadores destaatividade, em que pese que foram os únicos a chegar ao fim de esta prática.Mais tarde, o artista francês Louis Jaques Mandé Daguerre (1789 – 1851) trabalhou, duranteanos, em um sistema para conseguir que a luz incidisse sobre uma suspensão de saisde prata, de tal maneira que a escurecesse seletivamente e fosse capaz de produzir aduplicação de alguma cena. Em 1839, Daguerre tinha aprendido a dissolver os sais intatosmediante uma solução de tissulfato de sódio o que permitia gravar permanentemente aimagem.Mesmo o avanço tendo sido notável, levava de 25 a 30 minutos para tirar uma fotografia, ese houvesse sol. Mas este não era seu principal inconveniente, senão a dificuldade de obtercópias. E foi outro inventor, William Henry Talbot (1800 – 1877), que fazia experiências como que chamou de calótipos, que superou o problema em 1841. Com seus calótipos obtinham-se negativos que logo deveriam ser passados aos positivos em outras folhas. Em 1844, foipublicado o primeiro livro com fotografias.A partir de então, as investigações se concentraram em conseguir um papel para osnegativos que fosse suficientemente sensível para ser rapidamente impresso. Em 1848, umescultor inglês, Frederick Scott Archer, inventou o processo de colódio úmido. O colódio(composto por partes iguais de éter e álcool numa solução de nitrato e celulose) eraempregado como substância ligante para fazer aderir o nitrato de prata fotossensível à chapade vidro que constituía a base do negativo. A exposição era feita com o negativo úmido (estaé a origem do nome colódio úmido). A revelação tinha de ser feita logo após a tomada dafotografia.Só depois de alguns avanços científicos foram obtidas fotografias coloridas. Gabriel Lippmanfoi o primeiro investigador que mediante um complexo método conseguiu fotografaro espectro visível com toda sua riqueza cromática. Os irmãos Lumière também contribuíram,
  5. 5. mas foram Luis Ducos du Hauron e Carlos Cross as pessoas que criaram um método queconsistia na impressão de três negativos através de filtros coloridos em vermelho e azul.Fonte: Site da InfoEscola acessado em 04 de Maio de 2013Disponível em: http://www.infoescola.com/curiosidades/historia-da-fotografia/Assista ao vídeocriado pela Ecopix Brasil que conta, de formarápida e divertida a história da fotografia. Link: Click aqui para assistir ao vídeoFotografia no BrasilAcesse abaixo o link do site Enciclopédia Itaú Cultural – Artes Visuais.Site Enciclopédia Itaú CulturalPara conhecer alguns nomes e obras de fotógrafosbrasileiros visite o blog “Fotógrafos brasileiros”. Blog
  6. 6. Visite também o site Olhares, uma galeria virtual de fotografia.Site OlharesExercício 1:Escolha um fotógrafo (brasileiro ou estrangeiro) e pesquise sobre ele e, ascaracterísticas de seu trabalho. Depois de fazer uma boa leitura escolha umade suas obras e cole-a em uma folha branca. Abaixo, escreva o nome do autor,data da fotografia e o nome da obra.Depois de fazer isso, descreva o que você vê na imagem, o motivo pelo qualvocê escolheu essa obra, o que lhe chamou atenção. Tente transformar, empalavras, o sentimento, a ideia que a imagem passa e por fim dê um novo títuloà foto.Todos os exercícios propostos nesta apostila deverão serentregues no dia da aula presencial para efeitos de avaliação e debate em salade aula. Também não se esqueça de levar sua câmera fotográfica no dia daaula.
  7. 7. Para Pensar!!!Leia o artigo Todos devem fotografar: Todos Devem fotografarAssista à palestra: Instante (in) decisivo: o talento está em nãoapertar o disparador.Descrição: Hoje é cada vez mais fácil fotografar. As câmeras estão potentese estáveis, em altíssima definição. Nesse contexto, para onde foi a expressãofotográfica? Como utilizar as tecnologias disponíveis para criar umarepresentação da realidade que seja ao mesmo tempo única econtemporânea?Palestrante: Luli Radfahrer – Professor-Doutor da USP, Colunista da Folhae Curador do InterCon.
  8. 8. Exercício 2:Responda: (a) E para você o que é arte?(b) Qual o seu artista preferido?(c) Você utiliza o celular para fotografar?(d) Você posta suas fotos em redes sociais?
  9. 9. Exercício 3:Para exercitar a criatividade, escolha um texto, uma frase, uma músicaou um poema e em seguida faça uma fotografia que ilustre o texto. Cole otexto e a fotografia em uma folha branca.

×