SlideShare uma empresa Scribd logo

RESUMO PARECER DCNEM Nº: 5/2011 PÁGINA 39 A 52

IRACI  SARTORI
IRACI  SARTORI
IRACI SARTORICOORDENADORA PEDAGÓGICA

O SLIDE FAZ UM RESUMO DA 39 A 52 DAS DIRETRIZES CURRICULARES DO ENSINO MÉDIO- PARECER 5/2011 PÁGINA 39 A 52. TRABALHO REALIZADO NO PACTO PELO FORTALECIMENTO DO ENSINO MÉDIO 2014.

RESUMO PARECER DCNEM Nº: 5/2011 PÁGINA 39 A 52

1 de 22
Baixar para ler offline
E. E. TANCREDO DE ALMEIDA 
NEVES 
DCNEM -RESUMO
RESUMO 
PARECER DCNEM 
Nº: 5/2011 
Página 39 a 52
Currículo e trabalho 
pedagógico 
O currículo é entendido como a seleção dos 
conhecimentos historicamente acumulados, 
considerados relevantes e pertinentes em um 
dado contexto histórico, e definidos tendo por 
base o projeto de sociedade e de formação 
humana que a ele se articula; se expressa por 
meio de uma proposta pela qual se explicitam 
as intenções da formação, e se concretiza por 
meio das práticas escolares realizadas com 
vistas a dar materialidade a essa proposta.
Os conhecimentos escolares são 
reconhecidos como aqueles produzidos 
pelos homens no processo histórico de 
produção de sua existência material e 
imaterial, valorizados e selecionados pela 
sociedade e pelas escolas que os 
organizam a fim de que possam ser 
ensinados e aprendidos, tornando-se 
elementos do desenvolvimento cognitivo 
do estudante, bem como de sua formação 
ética, estética e política.
Organização curricular do Ensino 
Médio 
 O planejamento curricular passa a ser 
compreendido de forma estreitamente vinculada 
às relações que se produzem entre a escola e o 
contexto histórico-cultural em que a educação 
se realiza e se institui, como um elemento, 
portanto, integrador entre a escola e a 
sociedade. 
 As decisões sobre o currículo resultam de um 
processo seletivo, fazendo-se necessário que a 
escola tenha claro quais critérios orientam esse 
processo de escolha.
O currículo não se limita ao caráter instrumental, 
assumindo condição de conferir materialidade às 
ações politicamente definidas pelos sujeitos da 
escola. 
 Para concretizar o currículo, essa perspectiva 
toma, ainda, como principais orientações os 
seguintes pontos: 
 I – a ação de planejar implica na participação de 
todos os elementos envolvidos no processo; 
 II – a necessidade de se priorizar a busca da 
unidade entre teoria e prática; 
 III – o planejamento deve partir da realidade 
concreta e estar voltado para atingir as finalidades 
legais do Ensino Médio e definidas no projeto 
coletivo da escola; 
 IV – o reconhecimento da dimensão social e 
histórica do trabalho docente.

Recomendados

Diretrizes curriculares ensino médio aprovada
Diretrizes curriculares ensino médio aprovadaDiretrizes curriculares ensino médio aprovada
Diretrizes curriculares ensino médio aprovadaMoacyr Anício
 
10 parecer 07-2010 - diretrizes curriculares
10 parecer 07-2010 - diretrizes curriculares10 parecer 07-2010 - diretrizes curriculares
10 parecer 07-2010 - diretrizes curricularesHernando Professor
 
Diretrizes curriculares nacionais para a educação
Diretrizes curriculares nacionais para a educaçãoDiretrizes curriculares nacionais para a educação
Diretrizes curriculares nacionais para a educaçãoElicio Lima
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

PCN'S
PCN'SPCN'S
PCN'Sufmt
 
Resolução CNE CEB 002 - Diretrizes Curriculares Ensino Médio
Resolução CNE CEB  002 - Diretrizes Curriculares Ensino MédioResolução CNE CEB  002 - Diretrizes Curriculares Ensino Médio
Resolução CNE CEB 002 - Diretrizes Curriculares Ensino MédioImpactto Cursos
 
Resolução 2, de 30 de janeiro de 2012 cne - ensino médio
Resolução 2, de 30 de janeiro de 2012   cne - ensino médioResolução 2, de 30 de janeiro de 2012   cne - ensino médio
Resolução 2, de 30 de janeiro de 2012 cne - ensino médioEduarda Bonora Kern
 
Diretrizes curriculares nacionais para o ensino médio
Diretrizes curriculares nacionais para o ensino médioDiretrizes curriculares nacionais para o ensino médio
Diretrizes curriculares nacionais para o ensino médioNTE RJ14/SEEDUC RJ
 
Eixo Recuperação slides PCNs
Eixo Recuperação slides PCNsEixo Recuperação slides PCNs
Eixo Recuperação slides PCNsPriscilaLannes
 
Slides Parâmetros curriculares nacionais (Grupo: Ináia, Giliane, Eunice)
Slides Parâmetros curriculares nacionais (Grupo: Ináia, Giliane, Eunice)Slides Parâmetros curriculares nacionais (Grupo: Ináia, Giliane, Eunice)
Slides Parâmetros curriculares nacionais (Grupo: Ináia, Giliane, Eunice)pibidsociais
 
orientações curriculares
 orientações curriculares orientações curriculares
orientações curriculareslucimeirecsf
 
Parâmetros curriculares nacionais
Parâmetros curriculares nacionais Parâmetros curriculares nacionais
Parâmetros curriculares nacionais pibidsociais
 
Introdução aos parâmetros curriculares nacionais
Introdução aos parâmetros curriculares nacionaisIntrodução aos parâmetros curriculares nacionais
Introdução aos parâmetros curriculares nacionaisFAETEC - ETESC
 
Bncc etapa ensino médio
Bncc etapa ensino médioBncc etapa ensino médio
Bncc etapa ensino médiopibidsociais
 
Diretrizes curriculares nacionais
Diretrizes curriculares nacionaisDiretrizes curriculares nacionais
Diretrizes curriculares nacionaismarcaocampos
 
08 lei nº 9493-96 ldb 2ª parte
08 lei nº 9493-96  ldb 2ª parte08 lei nº 9493-96  ldb 2ª parte
08 lei nº 9493-96 ldb 2ª parteHernando Professor
 
Parâmetros Curriculares Nacionais
Parâmetros Curriculares NacionaisParâmetros Curriculares Nacionais
Parâmetros Curriculares NacionaisMarcelo Assis
 

Mais procurados (16)

PCN'S
PCN'SPCN'S
PCN'S
 
Ens fund9
Ens fund9Ens fund9
Ens fund9
 
Resolução CNE CEB 002 - Diretrizes Curriculares Ensino Médio
Resolução CNE CEB  002 - Diretrizes Curriculares Ensino MédioResolução CNE CEB  002 - Diretrizes Curriculares Ensino Médio
Resolução CNE CEB 002 - Diretrizes Curriculares Ensino Médio
 
Resolução 2, de 30 de janeiro de 2012 cne - ensino médio
Resolução 2, de 30 de janeiro de 2012   cne - ensino médioResolução 2, de 30 de janeiro de 2012   cne - ensino médio
Resolução 2, de 30 de janeiro de 2012 cne - ensino médio
 
Diretrizes curriculares nacionais para o ensino médio
Diretrizes curriculares nacionais para o ensino médioDiretrizes curriculares nacionais para o ensino médio
Diretrizes curriculares nacionais para o ensino médio
 
Eixo Recuperação slides PCNs
Eixo Recuperação slides PCNsEixo Recuperação slides PCNs
Eixo Recuperação slides PCNs
 
Pcn
PcnPcn
Pcn
 
Slides Parâmetros curriculares nacionais (Grupo: Ináia, Giliane, Eunice)
Slides Parâmetros curriculares nacionais (Grupo: Ináia, Giliane, Eunice)Slides Parâmetros curriculares nacionais (Grupo: Ináia, Giliane, Eunice)
Slides Parâmetros curriculares nacionais (Grupo: Ináia, Giliane, Eunice)
 
orientações curriculares
 orientações curriculares orientações curriculares
orientações curriculares
 
Parâmetros curriculares nacionais
Parâmetros curriculares nacionais Parâmetros curriculares nacionais
Parâmetros curriculares nacionais
 
Pcn médio
Pcn médioPcn médio
Pcn médio
 
Introdução aos parâmetros curriculares nacionais
Introdução aos parâmetros curriculares nacionaisIntrodução aos parâmetros curriculares nacionais
Introdução aos parâmetros curriculares nacionais
 
Bncc etapa ensino médio
Bncc etapa ensino médioBncc etapa ensino médio
Bncc etapa ensino médio
 
Diretrizes curriculares nacionais
Diretrizes curriculares nacionaisDiretrizes curriculares nacionais
Diretrizes curriculares nacionais
 
08 lei nº 9493-96 ldb 2ª parte
08 lei nº 9493-96  ldb 2ª parte08 lei nº 9493-96  ldb 2ª parte
08 lei nº 9493-96 ldb 2ª parte
 
Parâmetros Curriculares Nacionais
Parâmetros Curriculares NacionaisParâmetros Curriculares Nacionais
Parâmetros Curriculares Nacionais
 

Semelhante a RESUMO PARECER DCNEM Nº: 5/2011 PÁGINA 39 A 52

C:\Fakepath\Anfope Et Al 2005
C:\Fakepath\Anfope Et Al 2005C:\Fakepath\Anfope Et Al 2005
C:\Fakepath\Anfope Et Al 2005Solange Soares
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação spUlisses Vakirtzis
 
Que Currículo para o Século XXI?
Que Currículo para o Século XXI?Que Currículo para o Século XXI?
Que Currículo para o Século XXI?Artur Coelho
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação spUlisses Vakirtzis
 
Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...
Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...
Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...curriculoemmovimentopara
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação spUlisses Vakirtzis
 
Orientações curriculares para o ensino médio - história
Orientações curriculares para o ensino médio -  históriaOrientações curriculares para o ensino médio -  história
Orientações curriculares para o ensino médio - históriaLucas Guimarães
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação spUlisses Vakirtzis
 
Orientacoes curriculares para o ensino medio volume mat e ciencias
Orientacoes curriculares para o ensino medio    volume  mat e cienciasOrientacoes curriculares para o ensino medio    volume  mat e ciencias
Orientacoes curriculares para o ensino medio volume mat e cienciasEdinho Fialho
 
Caderno 4- Áreas de Conhecimento e Integração Curricular
Caderno 4- Áreas de Conhecimento e Integração CurricularCaderno 4- Áreas de Conhecimento e Integração Curricular
Caderno 4- Áreas de Conhecimento e Integração CurricularDillzzaa
 
Pacto Nacional do Ensino Medio Caderno4
Pacto Nacional do Ensino Medio Caderno4Pacto Nacional do Ensino Medio Caderno4
Pacto Nacional do Ensino Medio Caderno4jjamesmarques
 

Semelhante a RESUMO PARECER DCNEM Nº: 5/2011 PÁGINA 39 A 52 (20)

C:\Fakepath\Anfope Et Al 2005
C:\Fakepath\Anfope Et Al 2005C:\Fakepath\Anfope Et Al 2005
C:\Fakepath\Anfope Et Al 2005
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
 
Que Currículo para o Século XXI?
Que Currículo para o Século XXI?Que Currículo para o Século XXI?
Que Currículo para o Século XXI?
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
 
Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...
Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...
Formação Docente, Culturas, Saberes E Práticas: Desafios Em Face Das Territor...
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
 
programa mais educação sp
programa mais educação spprograma mais educação sp
programa mais educação sp
 
Book volume 03_internetx
Book volume 03_internetxBook volume 03_internetx
Book volume 03_internetx
 
Orientações curriculares para o ensino médio - história
Orientações curriculares para o ensino médio -  históriaOrientações curriculares para o ensino médio -  história
Orientações curriculares para o ensino médio - história
 
Book volume 03_internet
Book volume 03_internetBook volume 03_internet
Book volume 03_internet
 
Book volume 03_internet
Book volume 03_internetBook volume 03_internet
Book volume 03_internet
 
Politico
PoliticoPolitico
Politico
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
 
Proposta curricular
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
 
1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
 
Orientacoes curriculares para o ensino medio volume mat e ciencias
Orientacoes curriculares para o ensino medio    volume  mat e cienciasOrientacoes curriculares para o ensino medio    volume  mat e ciencias
Orientacoes curriculares para o ensino medio volume mat e ciencias
 
Mg1
Mg1Mg1
Mg1
 
Caderno 4- Áreas de Conhecimento e Integração Curricular
Caderno 4- Áreas de Conhecimento e Integração CurricularCaderno 4- Áreas de Conhecimento e Integração Curricular
Caderno 4- Áreas de Conhecimento e Integração Curricular
 
Pacto Nacional do Ensino Medio Caderno4
Pacto Nacional do Ensino Medio Caderno4Pacto Nacional do Ensino Medio Caderno4
Pacto Nacional do Ensino Medio Caderno4
 
Grade curricular ensinomedia 1o 5o ano
Grade curricular ensinomedia 1o   5o anoGrade curricular ensinomedia 1o   5o ano
Grade curricular ensinomedia 1o 5o ano
 

Último

RUGAS: MARCAS DE EXPRESSÃO DA VIDA (UM ULTIMATO SOBRE O TEMPO!)
RUGAS: MARCAS DE EXPRESSÃO DA VIDA (UM ULTIMATO SOBRE O TEMPO!)RUGAS: MARCAS DE EXPRESSÃO DA VIDA (UM ULTIMATO SOBRE O TEMPO!)
RUGAS: MARCAS DE EXPRESSÃO DA VIDA (UM ULTIMATO SOBRE O TEMPO!)Adriano De Souza Sobrenome
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoPaula Meyer Piagentini
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024excellenceeducaciona
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOxogilo3990
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfalexandrerodriguespk
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfssuser2af87a
 
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfLINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfAnaRitaFreitas7
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfkeiciany
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfalexandrerodriguespk
 
CURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfCURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfdaniele690933
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...manoelaarmani
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdfkelvindasilvadiasw
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIAHisrelBlog
 
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfApresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfAndreiaSilva852193
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...manoelaarmani
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfkeiciany
 

Último (20)

RUGAS: MARCAS DE EXPRESSÃO DA VIDA (UM ULTIMATO SOBRE O TEMPO!)
RUGAS: MARCAS DE EXPRESSÃO DA VIDA (UM ULTIMATO SOBRE O TEMPO!)RUGAS: MARCAS DE EXPRESSÃO DA VIDA (UM ULTIMATO SOBRE O TEMPO!)
RUGAS: MARCAS DE EXPRESSÃO DA VIDA (UM ULTIMATO SOBRE O TEMPO!)
 
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e QuinhentismoTrovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
Trovadorismo, Humanismo, Classicismo e Quinhentismo
 
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
MAPA - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
 
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
1° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptxSlides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
Slides Lição 8, CPAD, A Disciplina na Igreja, 1Tr24, Pr Henrique, EBD NA TV.pptx
 
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGOLUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
LUSSOCARS TRABAJO PARA LA CLASE QUE TENGO
 
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdfCOSMOLOGIA DA ENERGIA -  ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
COSMOLOGIA DA ENERGIA - ESTRELAS - MODELO DO UNIVERSO VOLUME 6.pdf
 
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
2° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdfIntrodução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
Introdução à teoria do cinema - Robert Stam.pdf
 
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdfLINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
LINKS 25 DE ABRIL TRABALHO DAC HISTORIA.pdf
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 6º ANO.pdf
 
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdfCosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
Cosmologia Modelo Matemático do Universo 5.pdf
 
CURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdfCURRICULO ed integral.pdf
CURRICULO ed integral.pdf
 
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
Minimalismo Fitness Simplifique sua Rotina de Exercícios e Maximize Resultado...
 
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
3° ENSINO MÉDIO PLANO ANUAL ARTES 2024.pdf
 
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIACOMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
COMTE, O POSITIVISMO E AS ORIGENS DA SOCIOLOGIA
 
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdfApresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
Apresentacao_Geral_Plataformas_200604.pdf
 
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
Transforme seu Corpo em Casa_ Dicas e Estratégias de Rotinas de Exercícios Si...
 
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptxSlides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
Slides Lição 8, Betel, Família, uma Obra em permanente construção, 1Tr24.pptx
 
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdfPLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
PLANO DE CURSO 2O24- ENSINO RELIGIOSO 7º ANO.pdf
 

RESUMO PARECER DCNEM Nº: 5/2011 PÁGINA 39 A 52

  • 1. E. E. TANCREDO DE ALMEIDA NEVES DCNEM -RESUMO
  • 2. RESUMO PARECER DCNEM Nº: 5/2011 Página 39 a 52
  • 3. Currículo e trabalho pedagógico O currículo é entendido como a seleção dos conhecimentos historicamente acumulados, considerados relevantes e pertinentes em um dado contexto histórico, e definidos tendo por base o projeto de sociedade e de formação humana que a ele se articula; se expressa por meio de uma proposta pela qual se explicitam as intenções da formação, e se concretiza por meio das práticas escolares realizadas com vistas a dar materialidade a essa proposta.
  • 4. Os conhecimentos escolares são reconhecidos como aqueles produzidos pelos homens no processo histórico de produção de sua existência material e imaterial, valorizados e selecionados pela sociedade e pelas escolas que os organizam a fim de que possam ser ensinados e aprendidos, tornando-se elementos do desenvolvimento cognitivo do estudante, bem como de sua formação ética, estética e política.
  • 5. Organização curricular do Ensino Médio  O planejamento curricular passa a ser compreendido de forma estreitamente vinculada às relações que se produzem entre a escola e o contexto histórico-cultural em que a educação se realiza e se institui, como um elemento, portanto, integrador entre a escola e a sociedade.  As decisões sobre o currículo resultam de um processo seletivo, fazendo-se necessário que a escola tenha claro quais critérios orientam esse processo de escolha.
  • 6. O currículo não se limita ao caráter instrumental, assumindo condição de conferir materialidade às ações politicamente definidas pelos sujeitos da escola.  Para concretizar o currículo, essa perspectiva toma, ainda, como principais orientações os seguintes pontos:  I – a ação de planejar implica na participação de todos os elementos envolvidos no processo;  II – a necessidade de se priorizar a busca da unidade entre teoria e prática;  III – o planejamento deve partir da realidade concreta e estar voltado para atingir as finalidades legais do Ensino Médio e definidas no projeto coletivo da escola;  IV – o reconhecimento da dimensão social e histórica do trabalho docente.
  • 7.  Como proporcionar, por outro lado, compreensões globais, totalizantes da realidade a partir da seleção de componentes e conteúdos curriculares? Como orientar a seleção de conteúdos no currículo?  A resposta a tais perguntas implica buscar relacionar partes e totalidade.  Em geral, quando se discute currículo no Ensino Médio, há uma tendência a se questionar, corretamente, o espaço dos saberes específicos, alegando-se que, ao longo da história, a concepção disciplinar do currículo isolou cada um deles em compartimentos estanques e incomunicáveis.
  • 8.  Têm surgido, ao longo da história, propostas que organizam o currículo a partir de outras estratégias. É muito rica a variedade de denominações. Algumas metodologias e estratégias, apenas a título de exemplo, sendo propostas que tratam da aprendizagem baseada em problemas; centros de interesses; núcleos ou complexos temáticos;  elaboração de projetos, investigação do meio, aulas de campo, construção de protótipos, visitas técnicas, atividades artístico-culturais e desportivas, entre outras.
  • 9. Base nacional comum e a parte diversificada: integralidade  A organização da base nacional comum e da parte diversificada no currículo do Ensino Médio tem sua base na legislação e na concepção adotada nesse parecer, que apresentam elementos fundamentais para subsidiar diversos formatos possíveis. Cada escola/rede de ensino pode e deve buscar o diferencial que atenda as necessidades e características sociais, culturais, econômicas e a diversidade e os variados interesses e expectativas dos estudantes, possibilitando formatos diversos na organização curricular do Ensino Médio, garantindo sempre a simultaneidade das dimensões do trabalho, da ciência, da tecnologia e da cultura.
  • 10.  O currículo do Ensino Médio tem uma base nacional comum, complementada em cada sistema de ensino e em cada estabelecimento escolar por uma parte diversificada. Esta enriquece aquela, planejada segundo estudo das características regionais e locais da sociedade, da cultura, da economia e da comunidade escolar, perpassando todos os tempos e espaços curriculares constituintes do Ensino Médio, independentemente do ciclo da vida no qual os sujeitos tenham acesso à escola.
  • 11.  Buscam romper com a centralidade das disciplinas nos currículos e substituí-las por aspectos mais globalizadores e que abranjam a complexidade das relações existentes entre os ramos da ciência no mundo real.  Tais estratégias e metodologias são práticas desafiadoras na organização curricular, na medida em que exigem uma articulação e um diálogo entre os conhecimentos, rompendo com a forma fragmentada como historicamente tem sido organizado o currículo do Ensino Médio.
  • 12. Formas de oferta e de organização do Ensino Médio  O Ensino Médio, etapa final da Educação Básica, deve assegurar sua função formativa para todos os estudantes, sejam adolescentes, jovens ou adultos, atendendo:  I – O Ensino Médio pode organizar-se em tempos escolares no formato de séries anuais, períodos semestrais, ciclos, alternância regular de períodos de estudos, grupos não  seriados, com base na idade, na competência e em outros critérios, ou por forma diversa de organização, sempre que o interesse do processo de aprendizagem assim o recomendar.
  • 13.  II – No Ensino Médio regular, a duração mínima é de 3 anos, com carga horária mínima total de 2.400 horas, tendo como referência uma carga horária anual de 800 horas, distribuídas em pelo menos 200 dias de efetivo trabalho escolar.  III- O Ensino Médio diurno Formas de oferta e de organização do Ensino Médio  O Ensino Médio, etapa final da Educação Básica, deve assegurar sua função formativa  para todos os estudantes, sejam adolescentes, jovens ou adultos, atendendo:  III – O Ensino Médio regular diurno, quando adequado aos seus estudantes, pode se  organizar em regime de tempo integral, com no mínimo 7 horas diárias;
  • 14.  IV – No Ensino Médio regular noturno, adequado às condições de trabalhadores e respeitados os mínimos de duração e carga horária, o projeto pedagógico deve atender com qualidade a sua singularidade, especificando uma organização curricular e metodológica diferenciada, e pode, para garantir a permanência e o sucesso destes estudantes:  a) ampliar a duração para mais de 3 anos, com menor carga horária diária e anual, garantido o mínimo total de 2.400 horas para o curso;
  • 15.  V – Na modalidade de Educação de Jovens e Adultos, observadas suas Diretrizes específicas, a duração mínima é de 1.200 horas, sendo que o projeto pedagógico deve atender com qualidade a sua singularidade, especificando uma organização curricular e metodológica diferenciada que pode, para garantir a permanência e o sucesso de estudantes trabalhadores:  a) ampliar seus tempos de organização escolar, com menor carga horária diária e anual, garantida sua duração mínima;
  • 16. Implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais e o compromisso com o sucesso dos estudantes
  • 17.  O Ensino Médio, fundamentado na integração das dimensões do trabalho, da ciência, da tecnologia e da cultura, pode contribuir para explicitar o significado da formação na etapa conclusiva da Educação Básica, uma vez que materializa a formação humana integral.  Para que essa educação integral constitua-se em política pública educacional é necessário que o Estado se faça presente e que assuma uma amplitude nacional, na perspectiva de que as ações realizadas nesse âmbito possam enraizar-se em todo o território brasileiro.
  • 18.  É esse regime de colaboração mútua que deve contribuir para que as escolas, as redes e os sistemas de ensino possam desenvolver um Ensino Médio organicamente articulado e  sequente em relação às demais etapas da Educação Básica, a partir de soluções adequadas para questões centrais como financiamento; existência de quadro específico de professores efetivos; formação inicial e continuada de docentes, profissionais técnico-administrativos e de gestores; infraestrutura física necessária a cada tipo de instituição, entre outros aspectos relevantes.
  • 19.  imprescindível que o MEC articule e compatibilize, com estas Diretrizes, as expectativas de aprendizagem, a formação de professores, os investimentos em materiais didáticos, e as avaliações de desempenho e exames nacionais, especialmente o ENEM. Com essa compatibilização, o Ensino Médio, em âmbito nacional, ganhará coerência e consistência, visando à sua almejada qualidade social.  Ao Ministério cabe, ainda, oferecer subsídios para a implementação destas Diretrizes.
  • 20. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA  PARECER DCNEM- CNE/CEB Nº: 5/2011. APROVADO EM: 4/5/2011. HOMOLOGADO EM 24/1/2012
  • 22. PESQUISA E FORMATAÇÃO Iraci Sartori dos Santos