Recente

237 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
237
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Recente

  1. 1. INTRODUÇÃO AOS ESTUDOS A DISTÂNCIA GRUPO 1 PROFª.: LULI NERI RICETTO
  2. 2. TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E AS NOVAS RELAÇÕES DE TRABALHO NOS SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA E AMBULATORIAL DO CORPO DE BOMBEIROS DO DISTRITO FEDERAL
  3. 3. ACADÊMICOS: CARLOS HENRIQUE GOMES DA ROCHA CARLOS ROBERTO LOPES FRANCIMAR DE SOUZA PEQUENO IRANILDO JOSÉ PONTES AGUIAR JOILSON TEIXEIRA ALVES JOSÉ IVAN BARROSO LUCIMAR GOMES DO CARMO MÁRCIO RODRIGUES PEREIRA MARCUS VINICIUS DE JESUS SOUSA MARIA MARTA VICENTE SOL SERRA
  4. 4. INTRODUÇÃO Tecnologia da informação e comunicação (TIC) pode ser definida como um conjunto de recursos tecnológicos, utilizados de forma integrada, com um objetivo comum. No caso do Corpo de Bombeiros, a integração destes recursos permite a concretização da assistência prestada tanto em nível emergencial, principal atividade exercida pela corporação, como ambulatorial, para os bombeiros e seus dependentes.
  5. 5. O impacto no uso de TIC no modo de vida das pessoas, na forma como as instituições trabalham e relacionam umas com as outras, e no mundo de forma geral, tem sido tão marcantes que muitos autores consideram que estamos vivendo uma nova era, a qual deram o nome de “era digital”.
  6. 6. Segundo Turban, McLean e Wetherbe (2004, pag. 63), “Dados são itens referentes a uma descrição primária de objetos, eventos, atividades e transações que são gravados, classificados e armazenados, mas não chegam a ser organizados de forma a transmitir algum significado específico”. Sendo assim os dados são capturados e armazenados pelos sistemas de informação, ou seja, o dado é algo bruto, é a matéria prima da qual podemos extrair informação.
  7. 7. “Informação é todo conjunto de dados organizados de forma a terem sentido e valor para seu destinatário. Este interpreta o significado, tira conclusões e faz deduções a partir deles. Os dados processados por umprograma aplicativo têm uso mais específico e maior valor agregado do que aqueles simplesmente recuperados de um banco de dados”. (Turban, McLean e Wetherbe, 2004, pg. 63). Sendo assim quando um conjunto de dados possui significado temos uma informação.
  8. 8. A informação é um recurso vital no Corpo de Bombeiros Militar, quando devidamente estruturada, em diversos níveis e funções das várias unidades organizacionais da instituição.
  9. 9. “Estamos usando um GPS de um telefone com tecnologia de ponta para mapearmos o local. Com esse instrumento, conseguimos acessar a fotografia do morro e a nossa atual localização sobre os escombros. Cruzarmos as informações com antigos moradores e parentes e chegamos a 90% de acerto nos pontos de escavação”, explicou o coronel, logo após a locação de dois corpos.
  10. 10. Acompanhando os avanços tecnológicos da comunicação e para melhor atender ao povo alagoano, o número de emergência do Corpo de Bombeiros (193) passou para o sistema digital.
  11. 11. OBJETIVOS Este trabalho objetiva, de forma dinâmica, apresentar as novas relações de trabalho decorrentes das tecnologias de comunicação e informação no Corpo de Bombeiros do Distrito Federal, tanto no âmbito ambulatorial como emergencial. Apresentaremos a seguir, os principais sistemas e instrumentos tecnológicos utilizados na corporação.
  12. 12. TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NO CBMDF ...ao aprimoramento da assistência. Do clássico...
  13. 13. Nos serviços de emergência... A tecnologia nos serviços de emergência é nos dias atuais absolutamente indispensável. Como o próprio nome afirma, emergência implica num ato imediato, que não pode esperar, e a tecnologia exerce um papel fundamental nestes serviços, pois através dela se consegue atingir com mais eficiência e segurança o objetivo.
  14. 14. Central de Informação do CBMDF (CIAD) - 193   O CIADE tem por finalidade centralizar o atendimento de chamadas telefônicas de emergências, realizadas através dos números 193 (Bombeiros), 190 (Polícia Militar), e 197 (Polícia Civil) e Detran. Essa integração possibilitou a melhoria dos processos de tele atendimento e despacho de viaturas das Instituições para as mais diversas ocorrências o intercâmbio de informações entre elas e a liberação de efetivo para atuar seja em conjunto ou em apoio uma as outras tornou mais célere a comunicação e troca de informações, tendo como resultado maior qualidade e agilidade no serviço prestado à população.
  15. 15. Nos serviços ambulatoriais... Segundo a OMS, na prática raramente os sistemas de informação de saúde funcionam sistematicamente pois são complexos, fragmentados e não respondem às necessidades. Todavia, estes são de extrema importância na manutenção dos direitos humanos, podendo documentar desigualdades de acesso aos cuidados. Da mesma forma, podem auxiliar a criação de uma plataforma de ação, fomentando o desenvolvimento sanitário de um tipo de população, social e economicamente desagregada, permitindo o seu acesso à informação.
  16. 16. Serviços Ambulatoriais do CBMDF oferecidos, a partir, de sistemas virtuais...
  17. 17. ASO e OdontoWeb Em entrevista, a Ten. Nádila, responsável pela coordenação do Auto-serviço Odontológico (ASO), nos explicou que este serviço itinerante, permite a descentralização do atendimento odontológico, tornando a assistência mais próxima dos bombeiros, levando além do atendimento, informações pertinentes aos casos atendidos, em forma de palestras e orientações.
  18. 18. Já a OdontoWeb foi criada recentemente, com o objetivo de permitir a marcação de consultas odontológicas através de um sistema virtual, diminuindo assim as filas e o desgaste de deslocamento pelos bombeiros e dependentes interessados no atendimento - Maj. Cínthia Gontijo, responsável pela elaboração do Sistema em parceria com a Diretoria de Tecnologia da Informação e Comunicação (DTIC).
  19. 19. Para a Corporação... Alguns ainda encontram-se em análise, mas muitos já podem ser acessados pela corporação.
  20. 20. Sistema para marcação de Serviços de Gratificação Voluntários (GSV)
  21. 21. Para o cidadão...
  22. 22. VANTAGENS DAS NOVAS TECNOLOGIAS - Otimização da produtividade; - Contribui de forma muito eficiente ao avanço do conhecimento; - Motivação profissional; - Evolução da corporação; - Redução de custos.
  23. 23. Mudanças nas relações de trabalho...  COM O ADVENTO DA TECNÓLOGIA, NOVAS RELAÇÕES TERÃO QUE SER IMPLEMENTADAS, POIS NESTE NOVO AMBIENTE E QUASE IMPOSSIVÉL UM AMBIENTE SEM COMUNICAÇÕES COM EQUIPAMENTOS E TÉCNICAS CAPAZES DE INFLUENCIAR E INTENSIFICAR A COMUNICAÇÃO DE PESSOAS EM UM MESMO SETOR OU EM AMBIENTES DIFERENTES, MAS INTERLIGADOS NUMA MESMA OPERAÇÃO.
  24. 24. Com o uso de informações precisas os comandantes poderão desenvolver atividades de inteligência, para o planejamento tático, estratégico e operacional, e informações relevantes para tomadas de decisão, bem como para formulação de indicadores sobre os seus resultados e previsões para estimar a quantidade de efetivo necessária e a compra de equipamentos, bem como integralização das informações das unidades do Corpo de Bombeiros Militar de todo o Distrito Federal.
  25. 25. Novas tecnologias adquiridas pela corporação que decorrem do planejamento efetivo a partir das informações coletadas e analisadas...
  26. 26. Tempos atrás os bombeiros tinham que subir centenas de degraus para alcançar o objetivo, quando chegavam no último já estavam cansados e isto dificultava a operação, hoje com aquisição de novas e modernas viaturas esta dificuldade já não existe mais, existe um elevador que leva o bombeiro ao topo de um prédio, facilitando o máximo a operação, e evitando o desgaste. USO DO ELEVADOR NAS ESCADAS MAGIRUS
  27. 27. MATERIAL DE CORTE HIDRAÚLICO Anos atrás quando tinham que fazer um resgate veicular, ou seja retirar as ferragens da vítima, os bombeiros demoravam várias horas e utilizavam ferramentas manuais , que tornava o resgate ainda mais complicado, hoje os corpos de bombeiros contam com ferramentas modernas e eficientes que agilizam bastante estas operações, e minimizando o sofrimento das vítimas.
  28. 28. RESGATE DE CRIANÇA EM POÇO Recentemente em uma cidade do entorno, uma criança de seis anos caiu em um poço, os bombeiros contando com novos equipamentos recém adquiridos pela corporação conseguiram efetuar os resgates em alguns minutos. No passado estas ocorrências demoravam até dias, pois os materiais e as técnicas eram insuficientes e aumentavam o sofrimento da vítima devido a demora.
  29. 29. Recentemente o mundo assistiu um resgate de grande complexidade, onde o avanço na tecnologia nas atividades de salvamento foi primordial para que trinta pessoas não ficassem soterradas pelo resto de suas vidas, a união de equipamentos e técnicas ultra modernas de outras nações foram a salvação para os mineiros chilenos vítimas de um acidente de serviço. RESGATE DOS MINEIROS
  30. 30. NOVAS TECNOLOGIAS É de comum acordo , que o avanço nas tecnologias coloboram significadamente nas atividades de emergência, mas em outro ponto os profissionais da cadeira de segurança/emergência precisam procurar outros meios , quando se deparam com diversas ocorrências com equipamentos com tecnologias avançadas, um despreparo ao lidar com estes equipamentos podem significar um fracasso na operação , devido a um desconhecimento profissional sobre determinado procedimento.
  31. 31. CAPACITAÇÃO DO PROFISSIONAL PRESTADOR DE SERVIÇO Muitos questionamentos são feitos sobre a capacitação de pessoas envolvidas em serviços de emergência de diversas naturezas, uma vez que a capacitação em diversas áreas são feitas fora do país, estes treinamentos geram custos altíssimos no primeiro momento, com gastos de diárias, passagens aéreas, alimentação e outros, mas logo podemos perceber que gastos que pensamos ser descartáveis, são bem aproveitados em relações ao aprendizado adquirido por diversos profissionais que detém em um certo aprimoramento de técnicas.
  32. 32. INTERAÇÕES DOS ÓRGÃOS ENVOLVIDOS NO SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA Diversos orgãos compõe os serviços de emergência , quando acionamos um destes orgãos , isto sgnifica que provavelmente outro também estará envolvido em um serviço de urgência, sem um serviço de comunicação eficiente esta atividade estará seriamente comprometida, por isso a importancia de mecanismos modernos e seguros para estabelecer uma integração continua em todos as estapas , principalmente no que tange as comunicações, somos de acordo que quando falha a comunicação, todo conjunto empenhado sofre prejuizos.
  33. 33. CUSTOS DE INVESTIMENTOS DE NOVOS EQUIPAMENTOS No passado os serviços de emergência , eram carentes por faltas de equipamentos nescessários para executar determinada atividade, mas uns dez anos atrás de forma bem gradativa foram percebendo algumas melhorias nestas áreas, nos tempos atuais não de forma gradativa, mas subitamente, novos materiais estaõ disponíveis para serem empregados de acordo com o que for necessário, logo a frente da apresentação será listado alguns materiais que contam com tecnologias de alto nível, e simbolizam um avanço consideravelmente nos serviços de urgéncia de vários orgãos.
  34. 34. INTERAÇÕES DOS ORGÃOS NOS SERVIÇOS DE EMEGÊNCIAS  Comando Unificado - O Comando Unificado aplica-se quando várias instituições com competência técnica e jurisdicional promovem acordos conjuntos para gerenciar um incidente em que cada instituição conserva sua autoridade, responsabilidade e obrigação de prestar contas. Embora as decisões sejam tomadas em conjunto, deve haver UM ÚNICO COMANDANTE. Será da instituição de maior pertinência ou competência legal no incidente  Gerenciamento padronizado entre os órgãos envolvidos  Cadeia de Comando – cada pessoa responde e informa somente a uma pessoa designada, (Comandante, Oficial, Chefe, Encarregado, Coordenador, Líder, Supervisor), proporcionando o cumprimento das ordens.
  35. 35. INTERAÇÕES DOS ORGÃOS NOS SERVIÇOS DE EMERGÊNCIA  Comunicações integradas - as comunicações são estabelecidas em um único plano, no qual é utilizada a mesma terminologia.  Organização modular – delegação de funções de modo a não sobrecarregar apenas uma pessoa  Alcance de controle - nas ações operacionais, cada profissional envolvido no incidente não pode se reportar a um número muito grande de pessoas onde cada profissional tenha sob sua supervisão um numero ideal de cinco pessoas.  Terminologia instalações comum – nomes comuns para recursos e
  36. 36. CONCLUSÃO  HOJE NO MUNDO ATUAL, AS INOVAÇÕES TECNOLÓGICAS AVANÇAM EM POUCOS SEGUNDOS, MOTIVO ESTE QUE CAUSAM MUITAS DISCUSSÕES SOBRE O IMPACTO NA VIDAS DAS PESSOAS, QUE CULPAM ESTAS INOVAÇÕES A VÁRIOS DISTÚRBIOS ENCONTRADOS NO MUNDO ATUAL, QUE MUITOS DESCONFORMADOS COM OS DESEQUILIBRIOS NO COTIDIANO, DEIXAM DÚVIDAS POSITIVAMENTE OU NEGATIVAMENTE SOBRE UM SISTEMA COBERTO DE UM NOVO MODO DE FUNCIONAMENTO, MAS ESTAS NÃO TEM COMO SER FREADAS, POIS A CADA MOMENTO DESCOBRIMOS A IMPORTÂNCIA E NESCESSIDADE DE NOVOS ATALHOS MAIS EFICIENTES NO MUNDO GLOBALIZADO E RECHEADO DE INFORMAÇÕES INOVADORAS.
  37. 37. REFERÊNCIAS  Info      Escola: Tecnologia da Informação. Disponível em: http://www.infoescola.com/informatica/tecnologia-da-informacao-e-comunicacao/ http://www.sirc.unifra.br/artigos2010/11.pdf http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/bitstream/handle/10438/3026/P00262_1.pdf?sequence=1 http://www.bombeiros.mt.gov.br/?f=noticia&id=1115 http://www.cbm.al.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=402:desdeterca-feira-telefone-193-do-cbmal-e-digital&catid=64:noticias&Itemid=50 http://www.quintalvirtual.blog.br/?p=2507

×