SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 13
Baixar para ler offline
CANAL RÁDIO VIDA
A ORAÇÃO DO PAI NOSSO
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
A importância da oração na vida cristã
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
O Pai Nosso é uma Aliança.
• Mostra os caminhos por onde transita as nossas
orações.
• Ela é abrangente, porque alcança todas as areas de
necessidades.
• Ela é convergente, porque tende para um mesmo fim,
Deus é o Senhor.
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
1- PAI NOSSO QUE ESTÁS NO CÉUS
• Ele diz o tipo de relacionamento teremos com Deus, Pai e filho.
• A sua origem: celestial, divina. Não é desta terra.
• A quem elevamos as nossas orações.
• Seu Filho Jesus, pelo qual unicamente temos acesso.
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
2- SANTIFICADO SEJA O TEU NOME
• Não podemos santificar a Deus.
A nossa vida de santidade é que aponta e glorifica o Deus Santo.
• Aqui o ensino da reverência desta comunhão.
Nós observamos na propria oração que sendo
Deus filho, reverenciou o Pai.
• A intimidade não cria liberdade, pois a reverencia é a honra
devída ao Senhor dos senhores.
• Em primeiro lugar em nossas orações deve vir a reverencia,
o louvor e adoração.
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
3- VENHA NÓS O TEU REINO.
• Este termo é uma forma de renúncia ao sistema terreno, e diz a
Deus da nossa decisão pelos princípios e valores divinos.
• O reino deste mundo não me interessa mais.
• Quando pedimos pelo reino, estamos dizendo que; queremos um
Rei, seu reinado, seu governo e suas leis, etc..
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
4- SEJA FEITA A TUA VONTADE ASSIM
NA TERRA COMO NO CÉU
• Aqui diz qual é o nivel, até onde vai, a vontade de Deus, segundo
a aliança que estamos realizando.
• Trata se de uma renúncia nossa vontade.
• No céu a vontade de Deus é plena, não há desobediência.
O único que existiu foi banido. Na terra, é onde está a
desobediência.
• Jesus nos ensina a trocarmos a vida terrena de desobedência por
uma vida onde a vontade do Senhor seja plena.
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
4- SEJA FEITA A TUA VONTADE ASSIM
NA TERRA COMO NO CÉU
Estamos autorizando o governo divino á interferir em nossa vida
terrena.
E isto vai muito mais além do nosso entendimento.
E dizer;
“Deus não leve em conta a minha vontade, faça a sua vontade.”
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
5- O PÃO NOSSO DE CADA DIA DAI NOS HOJE
• Se Ele dá o pão e capaz de dar tudo o que for necessário.
• Aqui fala também de fé e confiança na provisão divina.
Do cuidado do Senhor com nossas vidas, das promessas.
Através do maná no deserto, Deus já havia ensinado sobre cada,
dia.
Fala de um Deus presente a cada dia.
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
6- PERDOA A NOSSAS DIVIDAS, ASSIM COMO
NÓS PERDOAMOS AOS NOSSOS DEVEDORES
• Dívidas; tudo aquilo que Deus espera de nós e não cumprimos.
Não há como pagar ou compensar se não, arrepender-se e ser
perdoado pelo Pai.
O PECADO faz separação entre o homem e Deus.
Sem arrependimento, e alimentando nossos “PECADOS
DOMÉSTICOS”, não há comunhão com o Pai.
Não podemos entrar na presença de Deus em oração sem pedir
perdão.
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
6- PERDOA A NOSSAS DIVIDAS, ASSIM COMO
NÓS PERDOAMOS AOS NOSSOS DEVEDORES
• “Assim como” ;indica uma relação entre uma coisa e outra.
Aqui temos a ideia que quando chegamos diante de Deus para pedir
o perdão, nós já o liberamos para aqueles de quem cobramos
dívidas.
O verbo aqui, está conjugado no sentido de que o perdoar, é algo
está em nós.
Ele não faz relação entre pessoas, “o perdoar”, é algo que está em
nós.
• Devemos ser pessoas predispostas a perdoar
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
7- E NÃO NOS DEIXE CAIR EM TENTAÇÃO, MAS
LIVRA NOS DO MAL
Pedir pelo livramento das tentações enquanto temos força para
pedir e para resistir.
É reconhecer a sua fragilidade diante do pecado, e que só Deus
pode livra-lo.
Depois que o homem cai, a oração passa a ser outra,
não é livra-me do mal. Mas perdoa-me Pai pelo que fiz.
Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS
8- PORQUE TEU É O PODER A HONRA E A GLÓRIA

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

E.b.d adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 02Joel Silva
 
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +Quenia Damata
 
Propósito com a obra de Deus.
Propósito com a obra de Deus.Propósito com a obra de Deus.
Propósito com a obra de Deus.Quenia Damata
 
Propósito eterno de deus
Propósito eterno de deusPropósito eterno de deus
Propósito eterno de deusester0908
 
Refletindo nossa missão
Refletindo nossa missãoRefletindo nossa missão
Refletindo nossa missãoIvonete Angela
 
Lição 5 adoração e oração
Lição 5 adoração e oraçãoLição 5 adoração e oração
Lição 5 adoração e oraçãoconexao jr
 
Adoração
AdoraçãoAdoração
AdoraçãoADPC109
 
E.b.d adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 01Joel Silva
 
Aula EBD - Feitos para Boas Obras
Aula EBD - Feitos para Boas ObrasAula EBD - Feitos para Boas Obras
Aula EBD - Feitos para Boas ObrasDilsilei Monteiro
 
6 coisas sobre motivações(atitudes) para servir a Deus
6 coisas sobre motivações(atitudes) para servir a Deus6 coisas sobre motivações(atitudes) para servir a Deus
6 coisas sobre motivações(atitudes) para servir a Deusicmav
 

Mais procurados (20)

E.b.d adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d   adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 02E.b.d   adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 02
E.b.d adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 02
 
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +
O adolescente e a oração - lição 07 - Adolescer +
 
Domingo 28-01-12
Domingo 28-01-12Domingo 28-01-12
Domingo 28-01-12
 
Propósito com a obra de Deus.
Propósito com a obra de Deus.Propósito com a obra de Deus.
Propósito com a obra de Deus.
 
Propósito eterno de deus
Propósito eterno de deusPropósito eterno de deus
Propósito eterno de deus
 
Refletindo nossa missão
Refletindo nossa missãoRefletindo nossa missão
Refletindo nossa missão
 
A bondade de deus
A bondade de deusA bondade de deus
A bondade de deus
 
Lição 5 adoração e oração
Lição 5 adoração e oraçãoLição 5 adoração e oração
Lição 5 adoração e oração
 
Pregação - Satisfação em Deus
Pregação - Satisfação em DeusPregação - Satisfação em Deus
Pregação - Satisfação em Deus
 
Adoração
AdoraçãoAdoração
Adoração
 
O que deus quer de nós
O que deus quer de nósO que deus quer de nós
O que deus quer de nós
 
Buscai ao senhor
Buscai ao senhorBuscai ao senhor
Buscai ao senhor
 
Uma jornada com Deus
Uma   jornada  com DeusUma   jornada  com Deus
Uma jornada com Deus
 
Aprendendo a depender de deus
Aprendendo a depender de deusAprendendo a depender de deus
Aprendendo a depender de deus
 
01 Tema para GP
01   Tema para GP 01   Tema para GP
01 Tema para GP
 
Pai Nosso
Pai   NossoPai   Nosso
Pai Nosso
 
E.b.d adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d   adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 01E.b.d   adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 01
E.b.d adolescentes 1ºtrimestre 2017 lição 01
 
Face a face com Deus
Face a face com DeusFace a face com Deus
Face a face com Deus
 
Aula EBD - Feitos para Boas Obras
Aula EBD - Feitos para Boas ObrasAula EBD - Feitos para Boas Obras
Aula EBD - Feitos para Boas Obras
 
6 coisas sobre motivações(atitudes) para servir a Deus
6 coisas sobre motivações(atitudes) para servir a Deus6 coisas sobre motivações(atitudes) para servir a Deus
6 coisas sobre motivações(atitudes) para servir a Deus
 

Destaque

Interpretação da oração pai nosso
Interpretação da oração pai nossoInterpretação da oração pai nosso
Interpretação da oração pai nossoHelio Cruz
 
Oração do pai nosso
Oração do pai nossoOração do pai nosso
Oração do pai nossoG. Gomes
 
Oração do pai nosso
Oração do pai nossoOração do pai nosso
Oração do pai nossoIvan Monteiro
 
OraçãO Do Pai Nosso Para Meditar
OraçãO Do Pai Nosso Para MeditarOraçãO Do Pai Nosso Para Meditar
OraçãO Do Pai Nosso Para MeditarMaquinista
 
Reflexão sobre a oração do Pai nosso
Reflexão sobre a oração do Pai nossoReflexão sobre a oração do Pai nosso
Reflexão sobre a oração do Pai nossoRosiane Paes
 
Interpretando a Oração Pai Nosso
Interpretando a Oração Pai NossoInterpretando a Oração Pai Nosso
Interpretando a Oração Pai NossoHelio Cruz
 
Pai nosso Ministério Pedras Vivas
Pai nosso Ministério Pedras VivasPai nosso Ministério Pedras Vivas
Pai nosso Ministério Pedras VivasElias Silva
 
Pai nosso (ministério pedras vivas)
Pai nosso (ministério pedras vivas)Pai nosso (ministério pedras vivas)
Pai nosso (ministério pedras vivas)Robson Carmo
 

Destaque (15)

Interpretação da oração pai nosso
Interpretação da oração pai nossoInterpretação da oração pai nosso
Interpretação da oração pai nosso
 
Pai nosso
Pai nossoPai nosso
Pai nosso
 
Oração do pai nosso
Oração do pai nossoOração do pai nosso
Oração do pai nosso
 
Pai Nosso
Pai NossoPai Nosso
Pai Nosso
 
C17 pai nosso
C17 pai nossoC17 pai nosso
C17 pai nosso
 
Pai nosso
Pai nossoPai nosso
Pai nosso
 
Oração do pai nosso
Oração do pai nossoOração do pai nosso
Oração do pai nosso
 
OraçãO Do Pai Nosso Para Meditar
OraçãO Do Pai Nosso Para MeditarOraçãO Do Pai Nosso Para Meditar
OraçãO Do Pai Nosso Para Meditar
 
Reflexão sobre a oração do Pai nosso
Reflexão sobre a oração do Pai nossoReflexão sobre a oração do Pai nosso
Reflexão sobre a oração do Pai nosso
 
Oração do pai nosso
Oração do pai nossoOração do pai nosso
Oração do pai nosso
 
Interpretando a Oração Pai Nosso
Interpretando a Oração Pai NossoInterpretando a Oração Pai Nosso
Interpretando a Oração Pai Nosso
 
Painosso
PainossoPainosso
Painosso
 
Pai nosso Ministério Pedras Vivas
Pai nosso Ministério Pedras VivasPai nosso Ministério Pedras Vivas
Pai nosso Ministério Pedras Vivas
 
PAI NOSSO
PAI NOSSOPAI NOSSO
PAI NOSSO
 
Pai nosso (ministério pedras vivas)
Pai nosso (ministério pedras vivas)Pai nosso (ministério pedras vivas)
Pai nosso (ministério pedras vivas)
 

Semelhante a A oração do pai nosso

Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1Luiza Dayana
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptxAdina Silva
 
Representando Deus e os Verdadeiros Pais
Representando Deus e os Verdadeiros PaisRepresentando Deus e os Verdadeiros Pais
Representando Deus e os Verdadeiros PaisChristian Lepelletier
 
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12Pai nosso 3 - Tema 25/05/12
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12EBJ IPBCP
 
Lbj lição 4 adoração como cumprimento da vontade de deus
Lbj lição 4    adoração como cumprimento da vontade de deusLbj lição 4    adoração como cumprimento da vontade de deus
Lbj lição 4 adoração como cumprimento da vontade de deusboasnovassena
 
2021 1º trimestre jovens lição 10
2021 1º trimestre jovens lição 102021 1º trimestre jovens lição 10
2021 1º trimestre jovens lição 10Joel Silva
 
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 9 - A oração...
 [EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 9 - A oração... [EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 9 - A oração...
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 9 - A oração...José Carlos Polozi
 
Pai nosso 2 - Tema 06/05/12
Pai nosso 2 - Tema 06/05/12Pai nosso 2 - Tema 06/05/12
Pai nosso 2 - Tema 06/05/12EBJ IPBCP
 
Praticando os cinco tipos de oração
Praticando os cinco tipos de oraçãoPraticando os cinco tipos de oração
Praticando os cinco tipos de oraçãobaixarlivros1
 
LBJ LIÇÃO 4 - Adoração como cumprimento da vontade de deus
LBJ LIÇÃO 4 - Adoração como cumprimento da vontade de deusLBJ LIÇÃO 4 - Adoração como cumprimento da vontade de deus
LBJ LIÇÃO 4 - Adoração como cumprimento da vontade de deusNatalino das Neves Neves
 
10ª oração como estilo de vida - revizado
10ª   oração como estilo de vida   - revizado10ª   oração como estilo de vida   - revizado
10ª oração como estilo de vida - revizadoZorli da Costa
 
Lição 06 Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD
Lição 06  Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPADLição 06  Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD
Lição 06 Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPADJoão Paulo Silva Mendes
 
Palavra: Genesis e a Redenção - Separados para Deus
Palavra: Genesis e a Redenção - Separados para DeusPalavra: Genesis e a Redenção - Separados para Deus
Palavra: Genesis e a Redenção - Separados para DeusAdriano Gonçalves Martins
 
Lição 11 - Adotados por Deus
Lição 11 - Adotados por DeusLição 11 - Adotados por Deus
Lição 11 - Adotados por DeusAilton da Silva
 
Lição 3 "Obediência e Adoração".
Lição 3 "Obediência e Adoração".Lição 3 "Obediência e Adoração".
Lição 3 "Obediência e Adoração".Marcus Wagner
 
Aliança de avivamento jovem igreja evangélica assembléia de deus
Aliança de avivamento jovem igreja evangélica assembléia de deusAliança de avivamento jovem igreja evangélica assembléia de deus
Aliança de avivamento jovem igreja evangélica assembléia de deusLucas Kosta
 

Semelhante a A oração do pai nosso (20)

Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
Ebook 264 oração-como-estilo-de-vida1
 
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptxSÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
SÉRIE VIDA QUE VENCE - ESTUDO 4.pptx
 
Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vidaLivro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
Livro ebook-oracao-como-estilo-de-vida
 
Representando Deus e os Verdadeiros Pais
Representando Deus e os Verdadeiros PaisRepresentando Deus e os Verdadeiros Pais
Representando Deus e os Verdadeiros Pais
 
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12Pai nosso 3 - Tema 25/05/12
Pai nosso 3 - Tema 25/05/12
 
Lbj lição 4 adoração como cumprimento da vontade de deus
Lbj lição 4    adoração como cumprimento da vontade de deusLbj lição 4    adoração como cumprimento da vontade de deus
Lbj lição 4 adoração como cumprimento da vontade de deus
 
2021 1º trimestre jovens lição 10
2021 1º trimestre jovens lição 102021 1º trimestre jovens lição 10
2021 1º trimestre jovens lição 10
 
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 9 - A oração...
 [EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 9 - A oração... [EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 9 - A oração...
[EBD Maranata] Revista O Poder e o Ministério da Oração | Lição 9 - A oração...
 
Pai nosso 2 - Tema 06/05/12
Pai nosso 2 - Tema 06/05/12Pai nosso 2 - Tema 06/05/12
Pai nosso 2 - Tema 06/05/12
 
Pai Nosso
Pai NossoPai Nosso
Pai Nosso
 
Praticando os cinco tipos de oração
Praticando os cinco tipos de oraçãoPraticando os cinco tipos de oração
Praticando os cinco tipos de oração
 
LBJ LIÇÃO 4 - Adoração como cumprimento da vontade de deus
LBJ LIÇÃO 4 - Adoração como cumprimento da vontade de deusLBJ LIÇÃO 4 - Adoração como cumprimento da vontade de deus
LBJ LIÇÃO 4 - Adoração como cumprimento da vontade de deus
 
10ª oração como estilo de vida - revizado
10ª   oração como estilo de vida   - revizado10ª   oração como estilo de vida   - revizado
10ª oração como estilo de vida - revizado
 
ministerio videira2.pdf
ministerio videira2.pdfministerio videira2.pdf
ministerio videira2.pdf
 
Lição 06 Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD
Lição 06  Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPADLição 06  Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD
Lição 06 Jovens - "Pai-Nosso" - 2º Trimestre de 2017/ Lições Bíblicas CPAD
 
Palavra: Genesis e a Redenção - Separados para Deus
Palavra: Genesis e a Redenção - Separados para DeusPalavra: Genesis e a Redenção - Separados para Deus
Palavra: Genesis e a Redenção - Separados para Deus
 
Lição 11 - Adotados por Deus
Lição 11 - Adotados por DeusLição 11 - Adotados por Deus
Lição 11 - Adotados por Deus
 
Destinados a reinar
Destinados a reinarDestinados a reinar
Destinados a reinar
 
Lição 3 "Obediência e Adoração".
Lição 3 "Obediência e Adoração".Lição 3 "Obediência e Adoração".
Lição 3 "Obediência e Adoração".
 
Aliança de avivamento jovem igreja evangélica assembléia de deus
Aliança de avivamento jovem igreja evangélica assembléia de deusAliança de avivamento jovem igreja evangélica assembléia de deus
Aliança de avivamento jovem igreja evangélica assembléia de deus
 

Último

TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.HildegardeAngel
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxAntonioVieira539017
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAEdioFnaf
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxHlioMachado1
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 

Último (20)

TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
LIVRO A BELA BORBOLETA. Ziraldo e Zélio.
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptxQUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
QUIZ – GEOGRAFIA - 8º ANO - PROVA MENSAL.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZAAVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
AVALIAÇÃO INTEGRADA 1ª SÉRIE - EM - 1º BIMESTRE ITINERÁRIO CIÊNCIAS DAS NATUREZA
 
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptxRevolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
Revolução Industrial - Revolução Industrial .pptx
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 

A oração do pai nosso

  • 2. A ORAÇÃO DO PAI NOSSO Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS A importância da oração na vida cristã
  • 3. Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS O Pai Nosso é uma Aliança. • Mostra os caminhos por onde transita as nossas orações. • Ela é abrangente, porque alcança todas as areas de necessidades. • Ela é convergente, porque tende para um mesmo fim, Deus é o Senhor.
  • 4. Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS 1- PAI NOSSO QUE ESTÁS NO CÉUS • Ele diz o tipo de relacionamento teremos com Deus, Pai e filho. • A sua origem: celestial, divina. Não é desta terra. • A quem elevamos as nossas orações. • Seu Filho Jesus, pelo qual unicamente temos acesso.
  • 5. Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS 2- SANTIFICADO SEJA O TEU NOME • Não podemos santificar a Deus. A nossa vida de santidade é que aponta e glorifica o Deus Santo. • Aqui o ensino da reverência desta comunhão. Nós observamos na propria oração que sendo Deus filho, reverenciou o Pai. • A intimidade não cria liberdade, pois a reverencia é a honra devída ao Senhor dos senhores. • Em primeiro lugar em nossas orações deve vir a reverencia, o louvor e adoração.
  • 6. Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS 3- VENHA NÓS O TEU REINO. • Este termo é uma forma de renúncia ao sistema terreno, e diz a Deus da nossa decisão pelos princípios e valores divinos. • O reino deste mundo não me interessa mais. • Quando pedimos pelo reino, estamos dizendo que; queremos um Rei, seu reinado, seu governo e suas leis, etc..
  • 7. Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS 4- SEJA FEITA A TUA VONTADE ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU • Aqui diz qual é o nivel, até onde vai, a vontade de Deus, segundo a aliança que estamos realizando. • Trata se de uma renúncia nossa vontade. • No céu a vontade de Deus é plena, não há desobediência. O único que existiu foi banido. Na terra, é onde está a desobediência. • Jesus nos ensina a trocarmos a vida terrena de desobedência por uma vida onde a vontade do Senhor seja plena.
  • 8. Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS 4- SEJA FEITA A TUA VONTADE ASSIM NA TERRA COMO NO CÉU Estamos autorizando o governo divino á interferir em nossa vida terrena. E isto vai muito mais além do nosso entendimento. E dizer; “Deus não leve em conta a minha vontade, faça a sua vontade.”
  • 9. Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS 5- O PÃO NOSSO DE CADA DIA DAI NOS HOJE • Se Ele dá o pão e capaz de dar tudo o que for necessário. • Aqui fala também de fé e confiança na provisão divina. Do cuidado do Senhor com nossas vidas, das promessas. Através do maná no deserto, Deus já havia ensinado sobre cada, dia. Fala de um Deus presente a cada dia.
  • 10. Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS 6- PERDOA A NOSSAS DIVIDAS, ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS AOS NOSSOS DEVEDORES • Dívidas; tudo aquilo que Deus espera de nós e não cumprimos. Não há como pagar ou compensar se não, arrepender-se e ser perdoado pelo Pai. O PECADO faz separação entre o homem e Deus. Sem arrependimento, e alimentando nossos “PECADOS DOMÉSTICOS”, não há comunhão com o Pai. Não podemos entrar na presença de Deus em oração sem pedir perdão.
  • 11. Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS 6- PERDOA A NOSSAS DIVIDAS, ASSIM COMO NÓS PERDOAMOS AOS NOSSOS DEVEDORES • “Assim como” ;indica uma relação entre uma coisa e outra. Aqui temos a ideia que quando chegamos diante de Deus para pedir o perdão, nós já o liberamos para aqueles de quem cobramos dívidas. O verbo aqui, está conjugado no sentido de que o perdoar, é algo está em nós. Ele não faz relação entre pessoas, “o perdoar”, é algo que está em nós. • Devemos ser pessoas predispostas a perdoar
  • 12. Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS 7- E NÃO NOS DEIXE CAIR EM TENTAÇÃO, MAS LIVRA NOS DO MAL Pedir pelo livramento das tentações enquanto temos força para pedir e para resistir. É reconhecer a sua fragilidade diante do pecado, e que só Deus pode livra-lo. Depois que o homem cai, a oração passa a ser outra, não é livra-me do mal. Mas perdoa-me Pai pelo que fiz.
  • 13. Escola Bíblica – ICNV ILHÉUS 8- PORQUE TEU É O PODER A HONRA E A GLÓRIA