Aula 2 As duas naturezas de Cristo

260 visualizações

Publicada em

Exposição sobre a união das duas naturezas de Cristo.

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
260
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
158
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Aula 2 As duas naturezas de Cristo

  1. 1. As duas NATUREZA S de Cristo
  2. 2. As Duas Naturezas A palavra natureza denota substância ou essência. “São as propriedades de uma substância, que fazem parte do que ela é [mas], não a forma individual que ela possa assumir”. W.G.T.Shedd, Dogmatic Theology, Nashiville: Thomas Nelson Publishers, vol 2, pág 291 1 “HOMOOSUIOS” (homos - mesmo e ousia - essência) 2 “PHYSIS” (Na cristologia aponta para um atributo)
  3. 3. As Duas Naturezas A palavra natureza denota substância ou essência. “São as propriedades de uma substância que fazem parte do que ela é [mas], não a forma individual que ela possa assumir”. W.G.T.Shedd, Dogmatic Theology, Nashiville: Thomas Nelson Publishers, vol 2, pág 291
  4. 4. As Duas Naturezas A palavra natureza denota substância ou essência. “São as propriedades de uma substância que fazem parte do que ela é [mas], não a forma individual que ela possa assumir”. W.G.T.Shedd, Dogmatic Theology, Nashiville: Thomas Nelson Publishers, vol 2, pág 291 Jesus “teve todas as propriedades essenciais para que ele fosse humano e todas as propriedades essenciais para que ele fosse divino”. Aplicação na cristologia
  5. 5. O que é uma pessoa? Individualidade autoconsciente Pessoa
  6. 6. Definição “Quando falamos de pessoa, referimo-nos a individualidade autoconsciente. Na trindade, a essência divina é comum ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo, mas a subsistência pessoal de cada um deles é distinta”. Heber Carlos de Campos. A União das Naturezas do Redentor, pág 89. Pessoa
  7. 7. A confissão de Fé de Westminster (8.2) “As duas naturezas, inteiras, perfeitas e distintas - a Divindade e a humanidade – foram inseparavelmente unidas em uma só pessoa, sem conversão composição ou confusão; essa pessoa é verdadeiro Deus e verdadeiro homem” Pessoa
  8. 8. A NECESSIDADE DAS DUAS NATUREZAS NO REDENTOR
  9. 9. A NECESSIDADE DA NATUREZA HUMANA Sem a natureza humana era impossível o Filho fazer o que necessariamente tinha de fazer. 1 O redentor tinha de ser um verdadeiro homem para poder substituir homens “Por isso mesmo convinha que, em todas as cousas, se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel sumo sacerdote nas cousas referentes a Deus, e para fazer propiciação pelos pecados do povo” (Hb 2.17).
  10. 10. A NECESSIDADE DA NATUREZA HUMANA Sem a natureza humana era impossível o Filho fazer o que necessariamente tinha de fazer. 2 O redentor tinha de ser um homem ideal, não simplesmente um homem real “Com efeito, nos convinha um sumo sacerdote, assim como este, santo, inculpável, sem mácula, separado dos pecadores, e feito mais alto do que os céus” (Hb 7.26).
  11. 11. A NECESSIDADE DA NATUREZA HUMANA Sem a natureza humana era impossível o Filho fazer o que necessariamente tinha de fazer. 3 O redentor tinha de ser tentável, mas não poderia pecar “Porque não temos sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, antes foi ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado” (Hb 4.15).
  12. 12. A NECESSIDADE DAS DUAS NATUREZAS NO REDENTOR
  13. 13. A NECESSIDADE DA NATUREZA DIVINA “Se Jesus Cristo fosse somente um homem, ele apenas teria obedecido e morrido, mas sem poder ganhar o que ganhou para nós, pois teria poder para voltar a viver pelo seu próprio poder”. (Tio Heber, o pai) 1 O redentor tinha de ser verdadeiro Deus para ser um poderoso salvador. “Assim como lhe conferiste autoridade sobre toda a carne, a fim de que ele conceda a vida eterna a todos os que lhe deste.” (Jo. 17.2).
  14. 14. A NECESSIDADE DA NATUREZA DIVINA “Se Jesus Cristo fosse somente um homem, ele apenas teria obedecido e morrido, mas sem poder ganhar o que ganhou para nós, pois teria poder para voltar a viver pelo seu próprio poder”. (Tio Heber, o pai) 2 O redentor teve que ser também divino para apresentar um sacrifício de valor infinito “Não por meio de sangue de bodes e novilhos, mas pelo seu próprio sangue, ele entrou no Santo dos Santos, uma vez por todas, e obteve eterna redenção” (Hb. 9. 12).
  15. 15. A NECESSIDADE DA NATUREZA DIVINA “Se Jesus Cristo fosse somente um homem, ele apenas teria obedecido e morrido, mas sem poder ganhar o que ganhou para nós, pois teria poder para voltar a viver pelo seu próprio poder”. (Heber Carlos de Campos) 3 O redentor teve que ser também divino para que pudesse suportar a ira divina “Todavia, ao Senhor agradou moê-lo, fazendo-o enfermar” (Isaías 53. 10) “A minha alma está profundamente triste até à morte” (Mc 14.34).
  16. 16. A NECESSIDADE DA NATUREZA DIVINA “Se Jesus Cristo fosse somente um homem, ele apenas teria obedecido e morrido, mas sem poder ganhar o que ganhou para nós, pois teria poder para voltar a viver pelo seu próprio poder”. (Heber Carlos de Campos) 4 O redentor teve que ser também divino para que pudesse merecer toda a sua obra ao seu povo. “Se o Redentor fosse unicamente humano, não haveria a possibilidade de sua obra ter livrado os homens eternamente do castigo do pecado”.
  17. 17. APLICAÇÕES O que tudo isso tem a ver com a terça-feira? 1 Cristo te entende 2 Cristo sabe o que é sofre 3 Cristo tem poder para ajudar Cristo e meus dilemas
  18. 18. OBRIGADO Tio Jailson Santos

×