Analise grafica

3.091 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.091
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
52
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
189
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Analise grafica

  1. 1. Marubozus e «Spinning Tops» (10-11-2001 4:21:23 PM por MultiplicadorTRADER)Ainda mais "potentes" que as candlesticks longas, são os seus congêneres denominadosMarubozus (pretos e brancos). Um Marubozu não tem sombras, nem superior nem inferior, e omáximo e o mínimo igualam a abertura e o encerramento da sessão. Um Marubozu brancoforma-se quando o mínimo da sessão é o preço de abertura e quando o máximo é o preço defechamento, o que indica que os compradores controlaram o preço desde a primeira até àúltima transação. Um Marubozu preto forma-se quando o máximo da sessão é igual à aberturae quando o mínimo da sessão iguala o fecho. Isto indica precisamente o contrário, ou seja, queo preço é controlado desde o início da sessão pelos vendedores.Sombras compridas vs Sombras curtas ··A sombra superior e inferior das candlesticks podemfornecer informação valiosa acerca de uma sessão. As sombras superiores representam omáximo da sessão e as sombras inferiores representam o mínimo da sessão. Candlesticks comsombras compridas mostram que o trading passou muito para além da abertura e doencerramento da sessão.As "candlesticks" com uma sombra superior comprida e com uma sombra inferior curtaevidenciam que os compradores dominaram durante a sessão e que conseguiram puxar opreço. No entanto, os vendedores no final da sessão levaram "a sua avante" e forçaram ospreços a encerrar longe dos máximos intraday. Com as candlesticks com longas sombrasinferiores e curtas sombras superiores, passa-se exatamente o contrário: os vendedoresdominaram a sessão fazendo cair os preços, mas à medida que novos mínimos intraday eramatingidos, os compradores começaram a tomar posições acabando por puxar para cima o
  2. 2. preço de fecho, e dando origem à sombra inferior comprida.As candlesticks com sombras inferiores e superiores, simultaneamente compridas e com umpequeno corpo real são denominadas "spinning tops". Uma candle com uma única sombrarepresenta uma inversão de tendência ao longo da sessão, enquanto que uma um "spinningtop" é sinônimo de indecisão. O pequeno "corpo real" (quer preto quer branco) mostra que umapequena variação entre a abertura e o fecho e as sombras compridas indicam que tanto os"bulls" como os "bears" estiveram ativos durante a sessão. Apesar de a sessão ter aberto efechado com pouca variação, a volatilidade foi elevada entre esses dois momentos. Nemcompradores nem vendedores poderiam ganhar alguma vantagem e o resultado foi quase nulo.Depois de uma grande subida ou depois de uma grande candle branca, um "spinning top"indica fraqueza entre os "bulls" e uma mudança potencial ou interrupção na tendência. Apósum longo declínio ou depois de uma candle preta comprida, um "spinning top" mostra que os"bears" estão «a perder gás» e tal como no caso anterior, a tendência pode estar prestes ainverter.Ficamos por aqui na introdução dos conceitos mais básicos das candlesticks japonesas. Para asemana abordaremos um dos tipos de candlestick mais importantes que existe: o Doji. Candlesticks - Introdução (10-11-2001 4:16:03 PM por MultiplicadorTRADER)HistóriaOs japoneses começaram a utilizar a análise técnica para transacionarem no longínquo séculoXVII. Apesar de ser muito diferente da iniciada por Charles Dow em cerca de 1900, muitas de"traves mestras" eram muito similares. O "o quê" (os preços) era muito mais importante do queo "porquê" (notícias, resultados, etc...). Toda a informação conhecida está refletida no preço.Os compradores e os vendedores fazem os preços baseados nas suas expectativas eemoções (medo, ganância...). Os mercados flutuam e o preço atual pode não refletir o valorreal da empresa.Os conceitos de análise técnica introduzidos pelos japoneses estão relacionados mais com avisualização da informação a nível de preços do que propriamente análise técnica. A base daanálise técnica japonesa são as "candlesticks" (velas), cujo desenvolvimento remonta aoséculo XIX. Muito do conhecimento nesta área é atribuído a um lendário comerciante de arroz,Sakata.
  3. 3. FormaçãoAs "candlesticks" são formadas com o uso de quatro preços, o de abertura, o máximo, omínimo e o preço de fecho. Sem os preços de abertura, os gráficos de "candlesticks" sãoimpossíveis de desenhar. Se o encerramento é superior à abertura, uma "candle" transparente(normalmente branca) é disposta e caso o encerramento seja inferior à abertura então uma"candle" preenchida (normalmente preta) é disposta em cima do gráfico. A parte preenchida da"candlestick", seja ela preta ou branca é denominada de "corpo" (também designada como"corpo real"). As longas linhas finas acima e abaixo do corpo, representam o máximo e omínimo e são denominadas de "sombras" (em inglês também designadas de "wicks" e "tails").O máximo é marcado pelo topo da sombra superior e o mínimo é marcado pelo fundo dasombra inferior.
  4. 4. Quando comparadas com os tradicionais gráficos de barras, um gráfico de "candlesticks"mostra inúmeras vantagens. Mais atraentes em termos visuais, e de mais fácil interpretação.Cada "candlestick" mostra mais claramente os movimentos de preço. Um trader pode compararimediatamente a relação entre a abertura e o fecho assim como entre o máximo e o mínimo. Arelação entre a abertura e o fecho é considerada vital e é a essência das "candlesticks". Ascandles brancas indicam pressão compradora e a as candles pretas indicam pressãovendedora.Corpos Compridos vs curtosEm termos gerais, quanto mais comprido for o corpo, mais intensa é a pressão compradora ouvendedora. Analogamente, as candles curtas indicam um movimento reduzido de preços erepresentam consolidação.
  5. 5. As candlesticks longas brancas mostram uma forte pressão compradora e quanto mais longa for, mais distante está o preço de fecho do preço de encerramento. Isto indica que os compradores foram bastante agressivos. Mas atenção, apesar de as candlesticks brancas compridas serem normalmente "bullish", o significado mais real está dependente da suaposição no contexto mais amplo da análise técnica. Depois de grandes e longas quebras, umacandle branca comprida pode marcar um ponto de viragem potencial ou nível de suporte. Se ascompras se tornarem muito agressivas depois de uma grande subida pode significar que há um clima "bullish" excessivo e que se assistiu a um "buying clímax".As candlesticks pretas e compridas evidenciam pressão vendedora e quanto maior for a candlepreta, maior é essa pressão. Quanto mais comprida for, mais abaixo da abertura se encontra o fecho. Isto indica que os preços diminuíram significativamente desde a abertura e que os vendedores foram agressivos. Depois de uma longa subida, uma candlestick preta compridapode antecipar uma inversão de tendência ou marcar uma resistência. Depois de uma extensa diminuição de preços, pode indicar o fim dessa mesma descida, o intitulado "panic selling". No próximo artigo começaremos a abordar os casos de candlesticks mais importantes, como os marubozus, e faremos também uma abordagem às características das "sombras". «Bandeiras e bandeirolas» (09-28-2001 4:44:24 PM por MultiplicadorTRADER)As "flags" e as "pennants" ("bandeiras" e "bandeirolas") são formações de continuação de curtoprazo que marcam uma pequena consolidação antes do continuação do movimento prévio.Estas formações são usualmente precedidas por um avanço acentuado ou declínio com fortevolume, e marcam o ponto médio do movimento.
  6. 6. Movimento acentuado: para ser considerado um padrão de continuação, deverá existirevidência de uma tendência prévia bem marcada. Estes movimentos de subida ou descidaocorrem, normalmente, com volumes fortes e podem conter "gaps". Este movimento representaa primeira etapa de uma subida/descida significativa e o a "flag/pennant" é apenas uma pausa."Flagpole": o "flagpole" é a distância do primeiro "breakout" de resistência ou suporte até aomáximo ou mínimo da "flag/pennant". O movimento de subida/descida acentuado que forma o"flagpole" deveria quebrar uma linha de tendência ou nível de resistência/suporte. A linha quevai desde o "break" até ao máximo da "flag/pennant" forma o "flagpole"."Flag": a "flag" é um retângulo pequeno cuja inclinação é oposta à da tendência anterior. Osmovimentos de preço estão contidos entre duas linhas paralelas."Pennant": um "pennant" é um triângulo simétrico que começa largo e que converge à medidaque as formações amadurecem (como um cone). A inclinação é, normalmente, neutra. Porvezes, não existirão reações específicas aos "máximos" e "mínimos" do qual se desenharão aslinhas de tendência e os movimentos de preço deverão ser contidos dentro das linhas detendência convergentes.Duração: as "bandeiras" e as "bandeirolas" são formações de curto prazo que podem durarentre uma de doze semanas. Existem alguns debates acerca da duração destas formações e 8semanas é considerado um prazo demasiado grande. A duração deve situar-se entre uma equatro semanas. Uma vez que a "flag" dura mais de 12 semanas fica classificada como umretângulo. Um "bandeirola" de mais de 12 semanas tornar-se-ia num triângulo simétrico. Afiabilidade das formações que duram entre 8 e 12 semanas é debatível."Break": para uma bullish "bandeira" ou "bandeirola", uma subida acima da resistência assinalaque a subida prévia à "bandeira" vai continuar. Para uma "bandeira" ou "bandeirola" "bearish",uma quebra abaixo do suporte assinala que a descida prévia vai continuar.Volume: o volume deverá ser elevado durante a subida ou descida que forma o "flagpole".Volume elevado fornece legitimidade ao movimento brusco e repentino que cria o "flagpole".Uma subida/descida do volume acima/abaixo do nível de resistência/suporte dá credibilidade evalidade à formação e aumenta a probabilidade de continuação.Alvos: o comprimento do "flagpole" pode ser aplicado à quebra da resistência ou suporte da"flag/pennant" para estimar o avanço ou declínio.Apesar de as "bandeiras" e "bandeirolas" serem formações muito comuns, as linhas deidentificação não devem ser encaradas com ligeireza. É importante que as "bandeiras" e"bandeirolas" sejam precedidas por um forte avanço ou declínio. Sem este movimento forte, acredibilidade da formação torna-se dúbia e as transações podem ser mais arriscadas.
  7. 7. Movimento acentuado: depois de consolidar por três meses, a ação quebrou a resistência dos56 e iniciou uma forte subida com o acompanhamento do volume. A ação subiu de 56 para 76em 4 semanas. (Nota: é também possível que uma pequena "bandeirola" formada no início deMaio com resistência perto dos 62.25)."Flagpole": a distância desde o "breakout" nos 56 até ao máximo de 76 da "bandeira" formam o"flagpole"."bandeira": o movimento de preços estava contido entre duas linhas de tendência paralelas quese inclinavam para baixo.Duração: de um máximo de 76 até ao "breakout" nos 72.25, a "bandeira" durou 23 dias."Breakout": o primeiro "breakout" da linha superior da "bandeira" ocorreu a 21 de Junho semqualquer aumento de volume. No entanto, o título fez um "gap" de subida uma semana maistarde e encerrou forte com volumes acima da média (setas vermelhas)Volume: recapitulando - o volume subiu devido ao forte avanço para formar o "flagpole",contraiu durante a formação da "bandeira" e subiu logo após a o "breakout".Alvos: o comprimento da "flagpole" era de 20 e foi aplicado ao "breakout" (72.25) para projetarum alvo de "92.25".
  8. 8. «Chávena e Asa» (09-28-2001 4:34:54 PM por MultiplicadorTRADER)Tal como vimos há duas semanas, existem dois tipos de formações, as de inversão e a decontinuação. Entre as formações de inversão, encontram-se o "Bump and Run", o "duplo topo",o "duplo fundo", a "cabeça e ombros", a "cabeça e ombros invertida", o "falling wedge", o "risingwedge", o "topo arredondado", o "triplo topo" e o "triplo fundo". Entre os padrões decontinuação encontramos o "Cup with Handle", as "Flags" e "Pennants", os "triângulossimétrico", os "triângulos ascendentes", os "triângulos descendentes", os "canais de tendência",os "retângulos", e as "measured moves" ("bull" e "bear").A maior parte destas formações já foram explicadas em artigos anteriores deste rubrica, peloque nos falta apenas fazer referência para às formações "Cup with Handle", "Flag", "Pennant" e"measured moves" ("bull" e "bear"). No entanto, para além da explicação destas formações,realizaremos sempre, ao longo das próximas 5 semanas atualizações aos artigos anterioresrelativos a formações.Neste artigo explicaremos a "cup with handle". A "cup with handle" (chávena com asa) é umaformação de continuação "bullish", que se distingue por um período de consolidação seguidopor um "breakout". Tal como o próprio nome indica, existem dois períodos na formação: a"chávena" e a "asa". A "chávena forma-se após uma subida e assemelha-se a um fundoarredondado. Quando se completa o período de formação da "chávena", os preços começam atransacionar em tendência lateral, e a "asa" é formada. Um "breakout" subseqüente dointervalo de preços que define a "asa" assinala a continuação da tendência de alta anterior.
  9. 9. Tendência: Para ser classificada como formação de continuação, deverá existir uma tendênciade alta anterior. Essa tendência deverá ser uma tendência de médio prazo (alguns meses) enão muito recente. Quanto mais recente for essa tendência, menor é a probabilidade de subidaacentuada."Chávena": A "chávena" deve ser em forma de "U" e deverá parecer-se a um "fundoarredondado". Um fundo em forma de "V" não se insere no âmbito desta formação. Quantomais suave for a forma do "U" maior é a relevância do suporte do fundo do "U". A formaçãoperfeita deveria ter máximos iguais em ambos os lados da chávena, mas nem sempre issoacontece.Profundidade da "chávena": idealmente, a profundidade da "chávena" deve ser de 1/3 oumenos da subida anterior. No entanto, em mercados voláteis, a retração deverá variar de 1/3 a1/2 e em situações extremas pode chegar a 2/3."Asa": depois dos valores mais altos no lado direito da "chávena", existe um pequeno«pullback» que forma a "asa". Por vez, esta asa assemelha-se a uma "flag" ou "pennant" (a verno próximo artigo) com inclinação negativa, por outras é apenas uma curto "pullback". A "asa"representa a consolidação final que antecede o grande "breakout" e pode retroceder até 1/3 doavanço da "chávena" antes deste "breakout". Quanto menor for esta retração, mais "bullish" é aformação e significante é o "breakout". Por vezes, é prudente esperar para que o preçoultrapasse a linha de resistência estabelecida pelo topo da "chávena".Duração: a "chávena" pode durar entre 1 e 6 meses, e por vezes mais tempo em gráficossemanais. A "asa" pode durar entre 1 semana e 4 semanas.Volume: deverá existir uma subida substancial de volume no "breakout" acima da resistênciada "asa".Alvo: a subida projetada pode ser estimada através da medição da distância entre o pico direitoe a base da "chávena".Tal como na maioria das formações, é mais importante capturar a essência da formação doque os pormenores. A "chávena" é uma consolidação em forma de U e a "asa" é um curto"pullback" seguido de um "breakout" com volume ascendente.
  10. 10. Tendência: esta ação estabelece a tendência "bullish" avançando de 10 para cima de 30 emcerca de 5 meses. O título faz um máximo em Março e depois começa a consolidar e a recuar."Chávena": o declínio de Abril é acentuado, mas o mínimo estendem-se por um período de 2meses formando o fundo arredondado da "chávena", que marca o período de consolidação.Notem também que o suporte é encontrado nos mínimos de Fevereiro de 1999.Profundidade: O mínimo da "chávena" é uma retração de 42% da anterior subida. Depois dasubida em Junho e Julho, a ação fez um pico nos 32.69 completando a "chávena" (setavermelha)."Asa": Outro período de consolidação iniciou em Julho iniciando a formação da "asa". Existeum decréscimo acentuado em Agosto que causou a retração superior a 1/3 do avanço da"chávena". Contudo, há uma recuperação rápida e a ação transacionou novamente nasfronteiras do "asa" em cerca de uma semana.Duração: A "chávena" durou cerca de três meses e "asa" cerca de 1 mês e meio.Volume: No início de Setembro de 2000, a ação quebrou os limites da resistência da "asa" comum "gap" de subida e com um incremento no volume transacionado (seta verde). Para alémdisto, o Chaikin Money Flow disparou para cima de +20%.Alvo: O avanço projetado após o "breakout" era de cerca de 9 acima de 27. Nos mesesseguintes, este título cotou facilmente acima dos 36.
  11. 11. Formações - Introdução (09-18-2001 12:16:05 PM por MultiplicadorTRADER)Existem dezenas de milhar de participantes do mercado que compram e vendem ativosfinanceiros por diversas razões: expectativa de ganho, medo de incorrer em perdas, motivosfiscais, cobertura de risco, "stop-loss", "price-targets", Análise Fundamentalista, análise técnica,recomendações de casas de corretagem e financeiras... Tentar perceber as razões porque osparticipantes compram e vendem ativos pode ser um processo assustador. As chamadasformações ("chart patterns") colocam a compra e a venda em perspectiva ao consolidarem asforças da procura e da oferta num quadro conciso. Ainda mais importante é a ajuda que, emconjunto com a análise técnica, as formações dão na identificação do vencedor da batalhaentre os "bulls" e os "bears".A análise de formações pode ser usada para a realização de previsões de curto e de longoprazo, podendo a informação ser "intraday", diária, semanal e mensal, sendo que os padrõespodem tomar lugar apenas um dia, ou até vários anos.
  12. 12. Muito do conhecimento da identificação e análise de formações data de 1932, quando RichardSchabacker escreveu "Technical Analysis and Stock Market Profits", o livro que serviu de basepara a análise moderna de formações. Em "Technical Analysis of Stock Trends", Edwards eMagee consideram que a maior parte dos conceitos do seu livro se baseia nos do já citado.A análise de padrões pode parecer acessível, mas não é, de todo, uma tarefa simples.Schabacker afirma:"A ciência da leitura de gráficos não é, no entanto, tão fácil como a mera memorização decertas formações e recordar o que normalmente se prevê quando estas acontecem. Qualquergráfico de ações é uma combinação de inúmeras formações e a sua análise cuidada dependede estudo constante, experiência e conhecimentos de indicadores tanto técnicos comofundamentais e, acima de tudo, habilidade para pesar indicadores que dão sinais contrários, deforma a ter uma perspectiva global dos seus pormenores assim como no reconhecimento dequalquer fórmula."Apesar de Schabacker se referir à "ciência da leitura de gráficos", a análise técnica é mais artedo que ciência. Adicionalmente, o reconhecimento de formações pode ser aberto ainterpretações subjetivas e que podem estar sujeitas a diferentes pontos de vista. Para evitarconclusões errôneas deve-se confirmar o "output" da formação identificada com outrosindicadores técnicos, de forma que chegar a uma conclusão coerente. Nunca existem duasformações exatamente idênticas, apesar da sua natureza poder ser similar. "Breakouts" falsos,leituras enviesadas e exceções à regra fazem parte da educação.
  13. 13. Estudo constante e cuidadoso é o necessário para que uma análise de um gráfico seja bemsucedida. Na tabela acima, o ativo quebrou a resistência de uma inversão "head andshoulders" (cabeça e ombros). Apesar de a tendência ser agora "bearish", a análise devecontinuar a confirmar essa tendência.Alguns analistas podem ter classificado o gráfico acima como uma formação "head andshoulders" com a "neckline" (linha de pescoço por volta de 17.50. Se esta análise é robustapermanece aberto a debate . Apesar de o ativo ter quebrado esse suporte, os "pull backs"foram constantes. Esta "recusa" poderia ter sido interpretada como um sinal de força ejustificado uma reavaliação da formação presente.Os dois grupos dominantesAs duas premissas básicas da análise técnica são:- os preços seguem tendências;- a história repete-se.Uma tendência de alta indica que os "bulls" e, portanto a procura controla, e uma tendência debaixa é sinônimo de que as forças da oferta ("bears") prevalecem. No entanto, os preços nãoseguem a mesma tendência indefinidamente e quando o outro "prato da balança do podercomeça a pesar mais" assiste-se à existência de formações. Certas formações como canaisparalelos denotam a presença de uma forte tendência. Contudo, a grande maioria dasformações cai em dois grandes grupos: as de inversão e as de continuação. As formações deinversão indicam uma mudança na tendência e podem ser subdivididas em dois tipos: de topoe de fundo. As formações de continuação indicam uma pausa na tendência e que a direçãoanterior vai ser retomada passado um período de tempo.
  14. 14. Só porque uma formação se forma após um movimento de subida ou descida significativo, nãoé, por si só, sinônimo de inversão. Muitas formações, tais como retângulos, podem serclassificados como formações de inversão ou de continuação. Dependo muito da ação préviado preço, do volume e de outros indicadores à medida que a formação evolui. É naidentificação destas diferenças que a ciência da análise técnica se transforma em arte. Escalas: «semi-log» ou aritmética (09-07-2001 5:08:40 PM por MultiplicadorTRADER)A partir deste artigo vamos dedicar-nos a explicar melhor alguns conceitos e curiosidadessobre a análise de gráficos de cotações, nomeadamente sobre padrões e formações,clarificando um pouco artigos já realizados, mas cuja interpretação pode ser dúbia.Mas, antes disso, no presente artigo o nosso objetivo é chamar a atenção de todos os leitorespara um aspecto que consideramos ser de extrema importância na análise de gráficos depreços - o tipo de escala usada no eixo dos Y´s (o preço). Existem dois tipos: o aritmético e ologarítmico. Uma escala aritmética dispõe 10 pontos que distam o mesmo uns dos outros,independentemente do nível de preço. Cada unidade de medida é a mesma ao longo daescala. Se uma ação sobe de 10 para 80 num período de 6 meses, o movimento de 10 para 20vai ter a mesma distância vertical do que o movimento de 70 para 80. Apesar de tal serverdade em termos meramente absolutos, não o é em termos relativos. Enquanto que a subidade 10 para 20 é de 100%, a subida de 70 para 80 é de apenas 14.28%.Uma escala logarítmica mede os movimentos de preços em termos percentuais. Uma subidade 10 para 20 representaria uma subida de 100%. Uma subida de 20 para 40 tambémascenderia a 100%, tal como um avanço de 40 para 80. Todas estas subidas apareceriam coma mesma distância vertical numa escala logarítmica. A maior parte dos programas de gráficosreferem-se à escala logarítmica como escala "semi-log scale", já que o eixo dos X´s (tempo) édisposto aritmeticamente.
  15. 15. O gráfico acima ilustra a diferença de escalas para o mesmo título. Na "semi-log", a distânciaentre 50 e 100 é a mesma que entre 100 e 200. No entanto, ma aritmética, a distância entre100 e 200 é significativamente maior do que a distância entre 50 e 100.Quais são as vantagens de ambas as escalas:- As escalas aritméticas são úteis quando o preço varia pouco, ou seja, quando o títulotransaciona num "range" apertado.- As escalas aritméticas podem ser úteis para gráficos e "trading" de curto prazo. Osmovimentos de preços (particularmente para ações) são dispostos em termos absolutos (deeuros, por exemplo) e refletem movimentos de euros por euros.- As "semi-log scales" são úteis quando o preço se movimentou significativamente, tenha essemovimento ocorrido no curto ou no longo prazo.- As linhas de tendência tendem a ser mais fiáveis na escala semilogarítmica, ou seja, o
  16. 16. mínimos/máximos tocam mais vezes na linha de tendência de subida/descida.- As escalas semilogarítmicas podem são úteis numa análise de longo prazo, já que colocamem perspectiva as subidas/quebras acentuadas de preços.- As ações e outros ativos são comparados com base em indicadores relativos como, porexemplo, o PER. Tendo isto em mente, também fará sentido comparar os movimentos de preçode diferentes ativos com base em variações percentuais.Com estas linhas apenas pretendemos chamar a atenção para a possibilidade de relativizar emtermos gráficos as grandes variações de preços. Entendemos, no entanto, que a análise degráficos com a escala aritmética é bastante mais intuitiva e levanta menos dúvidas do queaqueles gráficos que utilizam a escala logarítmica. Teoria das Ondas de Elliot (08-31-2001 3:26:12 PM por MultiplicadorTRADER)R. N. Elliot acreditava que os mercados se moviam em "ondas" bem definidas pelas quais seprevia a sua direção. Em 1939, Elliot detalhou a sua "Wave Theory", que afirma que os preçosdas ações "são decididos" por ciclos que residem nos números de Fibonacci (1-2-3-5-8-13-21...). Mais especificamente, Elliott acreditava que o mercado se movia em cinco ondasdistintas quando sobe e em 3 distintas quando desce. A forma básica dessas ondas éapresentada em baixo.As ondas 1, 3 e 5 representam o "impulso", ou menores ondas positivas num grandemovimento de subida. As ondas 2 e 4 representam a "correção", ou menores ondas positivasnuma tendência "bullish". As ondas A e C representam as ondas negativas menores numgrande movimento de quebra, enquanto que a onda B representa o único movimento de subidanum momento "bearish".Elliott propunha que a existência das ondas em diversos níveis, demonstrando que existiamondas dentro de ondas. Significa isto que o gráfico acima representa não apenas o padrão daprimeira onda, mas também o que acontece entre os pontos 2 e 4. O diagrama abaixo mostraque as ondas primárias poderiam ser desmultiplicadas em ondas menores.
  17. 17. A "Elliot Wave theory" atribui nomes às ondas em ordem descendente de tamanho:Grand SupercycleSupercycleCyclePrimaryIntermediateMinorMinuteMinuetteSub-MinuetteAs ondas maiores determinam a tendência vigente no mercado e as ondas menoresdeterminam tendências intermédias. Esta é uma forma similar de determinação de tendênciasprincipais e secundárias, que são utilizadas na teoria de Dow. Elliot providenciou inúmerasvariações na onda principal, e deu particular importância à média dourada, 0.618, como umnível significativo para o "retracement".Transacionar utilizando os padrões de "Elliot Wave" é bastante simples. O "trader" identifica aonda principal ou "supercycle", e entra longo e posteriormente vende ou coloca-se curtoquando a inversão é determinada. Continua-se a ter esta postura à medida que os ciclos vãoencurtando e se completam até que a onda principal ressurge. O problema está naidentificação dos ciclos onde se encontra o mercado e entre os analistas técnicos surgemmuitas discussões a este propósito.Aqui está um exemplo clássico de um ciclo de Elliot:
  18. 18. Zig Zag (08-24-2001 4:46:17 PM por MultiplicadorTRADER)O ZigZag não é propriamente um indicador, mas um meio de filtragem de ruídos aleatórios ecomparação de movimentos de preço relativos. O ZigZag pode ser utilizado para reconhecermudanças de preços mínimos e ignorar as movimentações que não respeitem os critérios. Osmovimentos de preço mínimo são estabelecidos em termos percentuais e podem sercalculados com base no preço de fecho ou na diferença entre o máximo e o mínimo.Um ZigZag estabelecido em 10% com base em barras OHLC traça uma linha que apenasinverte depois de uma mudança de 10% ou superior de um máximo para um mínimo. Todos osmovimentos menores do que 10% seriam ignorados. Se uma ação transacionar de um mínimode 100 para um máximo de 109, o Zig Zag não traça uma linha porque o movimento é menordo que 10%. Se a ação subisse para um máximo de 110, então o ZigZag traçaria uma linha de100 até 110. Se a ação continuasse a subir até aos 112, esta linha seria estendida para 112(100 para 112). O ZigZag não inverteria até que a ação descesse 10% ou mais, do seu novomáximo. Caso esse máximo fosse 112, a ação teria de cair 11.2 pontos para os 100.8, deforma a que o ZigZag invertesse e desplotasse uma nova linha.Usos do Zig ZagFiltro: a volatilidade e as flutuações diárias de preços podem dar origem a movimentos erráticosou ruído aleatório. O ZigZag pode ser usado para filtrar este ruído. Se os movimentos de preçoinferiores a 5% forem considerados insignificantes, então o ZigZag pode ser estabelecido nos5% e todos os movimentos inferiores a 5% serão ignorados.Elliott Wave: O ZigZag pode ser utilizado para identificar ondas nas contagens de Elliott. (Nota:o objetivo deste artigo não é explicar a Teoria das Ondas de Elliott (Elliott Wave Theory), massimplesmente ilustrar métodos de uso do ZigZag.
  19. 19. Elliott WaveNo exemplo acima o Zig Zag foi estabelecido nos 15%. Todos os movimentos de preço de 15%ou superiores foram "desenhados" e todos os inferiores a 15% foram ignorados. Uma grandesubida tomou lugar em Outubro de 1999, formando uma estrutura de 5 ondas que durou atémeados de 2000. Dentro desta grande estrutura, outras ondas menores também podem serdecifradas.Retracements: O ZigZag pode ser usado para medir retrações (retracements). Depois de umavanço, é comum uma ação retrair-se uma porção do seu avanço com uma correção. Depoisde um declínio, é comum um ativo reagir à quebra com um pequeno "rally". De acordo com aTeoria de Dow, as retrações de 1/3, 1/2 e 2/3 são as mais prováveis. Baseado nos números deFibonacci, os retracements de 38.2% ou 61.8% são os mais significativos.Retracements
  20. 20. Durante a subida de 34 para 55, o ativo corrigiu duas vezes (ondas 2 e 4) e cumpriu os dois"retracements" de Fibonacci: 0.618 e 0.786. O mais importante número de Fibonacci é talvez0.618, que é a "média dourada". A raiz quadrada de 0.618 é 0.786 (78.6%), outro número deFibonacci usado frequentemente por Scott Carney. Em Março de 2000, o título caiu 79.8% doseu avanço da onda 1 (oval a vermelho). Desde o mínimo de Março de 2000, a ação subiu 1.70vezes o seu anterior declínio e formou a onda 3, que está perto do 1.618 de Fibonacci.A correção na onda 4 retraiu 67.6% do avanço da onda 3. Ainda que 67.6% e 79.8% não sejamos exatos "retracements" de Fibonacci, são valores aproximados o suficiente de 61.8% e de78.6% para merecerem atenção.Proteções: O ZigZag pode ser usado para medir movimentos de preço primários. Em oposiçãoà correção ou rally, um movimento de preço primário é uma movimento de preço no mesmosentido da tendência. Em vez de retrair uma porção do movimento anterior, os movimentosprimários estendem-se para além do máximo ou mínimo anteriores. Muitos analistas que usamas ondas de Elliott e sequências Fibonacci projetam o comprimento de um avanço ou declíniomultiplicando um rácio para um "retracement" prévio.Se o anterior declínio (correção) fosse de 50 pontos e um especialista de Fibonacci procurassenovos máximos no avanço subseqüente, a projeção poderia ser 1.618 vezes o movimentoanterior, ou 81 pontos (50 x 1.618 = 81). Os 81 pontos seriam acrescentados ao início doavanço para um "price target".O Zig Zag traça uma linha baseada numa variação percentual mínima no preço. A mudança depreço pode basear-se no preço de fecho, no máximo, no mínimo, na abertura e em algunsprogramas pode até basear-se na diferença entre o máximo e o mínimo. StochRSI (08-17-2001 5:37:28 PM por MultiplicadorTRADER)Desenvolvido por Tushard Chande e por Stanley Kroll, o StochRSI é um oscilador que mede o
  21. 21. nível do RSI relativamente ao seu "range" durante um determinado período de tempo. Oindicador usa o RSI como base e aplica-lhe a fórmula dos indicadores estocásticos. O resultadoé um oscilador que varia entre 0 e 1.De acordo com estes dois autores, o RSI pode situar-se abaixo de 20/30 e acima de 70/80durante largos períodos de tempo sem se encontrar em situação "oversold"/"overbought".Assim, para aumentarem a sensibilidade na forma que como o RSI fica "overbought" ou"oversold" foi criado o StochRSI.Tal como sabemos, o RSI é um oscilador de "momentum" que comprar a magnitude dosganhos, com a magnitude das perdas em determinado título, durante um certo período detempo. Os indicadores estocásticos são também osciladores de "momentum", mas quecomparam o preço de fecho relativamente aos preços máximos e mínimos de um determinadoperíodo de tempo.As fórmulas dos indicadores são as seguintes:RSI = 100 - (100/((1+ ganhos totais/n)/(perdas totais/n))Estocástico:%K = 100 x ((Preço de fecho mais recente - mínimo (n))/ (Máximo (n) - Mínimo (n))%D = média móvel simples de 3 períodos do %DStochRSI = (RSI (n) - Mínimo do RSI (n))/(Máximo do RSI (n) - Mínimo do RSI (n)))Das fórmula acima, podemos verificar que o StochRSI é o estocástico aplicado ao RSI, ou seja,é um indicador do RSI e não do preço. No entanto, tal fato não impede o indicador de dar sinaisválidos para entrar no mercado. Quando o RSI estabelece um novo mínimo para umdeterminado número de períodos, o StochRSI terá um valor de 0 e quando faz um novomáximo, assumirá o valor 100. Uma leitura de 0.20 significará que o atual RSI está 20% acimado valor mais baixo do período ou 80% abaixo do valor mais elevado do período. Um valor de0.80 significa que o atual RSI está 80% acima do nível mais baixo do período ou 20% abaixodo nível mais elevado.Existem vários tipos de sinais:"Crossovers overbought e oversold": Se uma tendência de alta está claramente identificada emdeterminado ativo, então um sinal de compra seria gerado quando o "StochRSI" avança de"oversold" (abaixo de 0.20) para cima de 0.20. Analogamente, se um "downtrend" estáperfeitamente identificado, então um sinal de compra seria gerado quando o StochRSI cai parabaixo da zona "overbought", ou seja, desce de 0.80."Crossovers" da linha central: alguns traders procuram por cortes da linha 0.50 (a linha central)para confirmar os sinais e reduzir o perigo de inversões. Uma subida de uma zona oversoldpara cima de 0.50 constituiria um sinal de compra que não seria anulado quando passassepara baixo de 0.50. Analogamente, uma quebra de uma zona "overbought" para baixo de 0.50constituiria um sinal de venda, que apenas seria anulado quando este subisse para cima de0.50.Divergências positivas e negativas: Uma divergência positiva seguida de uma ascensão acimade 0.20 constituiria um sinal de compra e uma divergência negativa seguida de um declínioabaixo de 0.80 funcionaria como um sinal de venda.Falhas: Caso se assista ao despoletar de sinais que falham (o valor desce de 0.80, maspassado um dia volta a subir, por exemplo) os autores dos indicadores aconselham aoencerramento de posições.
  22. 22. Forte tendência: Tal como em diversos osciladores, o StochRSI pode ficar "overbought" (ou"oversold") e permanecer nesse estado durante muito tempo. Uma subida cima de 0.80 podeindicar que o título está "overbought", mas também pode querer dizer que o título segue umaclara tendência de alta. O mesmo raciocínio pode aplicar-se a títulos "oversold".ExemploNo exemplo acima, a ação fez um pico em Junho de 1999 e entrou posteriormente num claro"downtrend". De acordo com os seus autores, o StochRSI seria o indicador mais apropriadopara tomar decisões de venda, dadas as condições. Cada vez que o StochRSI sobe acima de0.80, uma situação "overbought" ocorreria. Quando um indicador desce do seu nível"overbought" (cai para baixo de 0.80), um sinal de venda seria dado.Entre Março e Junho, o indicador despoletou 4 sinais de venda; cerca de um por mês. O sinalde venda de Julho não foi reconhecido porque houve uma possível mudança na tendência. Àmedida que o título foi fazendo novos mínimos, o "downtrend" permaneceu intacto. Um mínimomaior no fim de Junho foi seguido por uma máximo maior em Julho o que questionou a força ea validade do "downtrend". Quando o máximo maior tomou lugar, o sinal do StochRSI poderiarequerer ajustamentos para proteção contra inversões.Tentar comprar o título em subidas acima de níveis "oversold" provaria ser uma estratégiaerrada. Houve retrocessos em Março e Maio que resultariam em algumas más compras. Estainstabilidade na zona por volta de 0.20 poderia ter levado ao despoletar de sinais deencerramento de posições curtas de forma prematura. Quando uma ação está em tendência dequebra, é, por vezes, prudente subir o nível do sinal de forma a obter sinais de compra (ouencerramento de posições curtas) mais fiáveis. Neste caso, um "trader" poderia ter consideradoque o sinal de compra (ou fecho de posição) apenas se daria caso o StochRSI subisse acimade 0.50. Este procedimento eliminaria os falsos sinais de Março e Maio.
  23. 23. ConclusãoÉ importante lembrar que o StochRSI é um indicador de outro indicador. A sua função é prevernovos extremos no RSI antes mesmo desse indicador atingir esses valores. Como é umindicador de outro indicador é ainda mais afastado do preço e, portanto, muito sensível, sendopor isso propenso a falsos sinais, especialmente se for utilizado incorretamente. Tal comonoutros indicadores, o StochRSI deveria ser usado conjuntamente com outros indicadores. Oscilador de Chaikin (08-10-2001 4:33:57 PM por MultiplicadorTRADER)O "Chaikin Oscillator" (Oscilador de Chaikin) é um indicador que assenta nas mesmaspremissas da linha Acumulação/Distribuição, que já cobrimos em artigo anterior. A premissabásica deste indicador reside no fato de o grau de pressão compradora ou vendedora pode serdeterminado pela localização do encerramento da sessão face aos respectivos mínimosmáximos do período correspondente. Existe pressão compradora quando uma ação encerra nametade superior do range do período (dia, semana, mês, trimestre) e há pressão vendedoraquando uma ação encerra na metade inferior do range do período.O Oscilador de Chaikin é simplesmente o MACD aplicado à linha de acumulação-distribuição,ou seja, calcula-se a diferença entre as médias móveis exponenciais de 3 e 10 dias da linhaAcumulação/Distribuição. Tal como o histograma do MACD é um indicador que dá sinais com"cross-overs" de médias móveis. Muitos dos sinais do MACD são aplicáveis ao Oscilador deChaikin, com a nuance de se aplicarem à linha de Acumulação/Distribuição e não ao ativo emsi. Aconselhamos por isso a consulta do artigo sobre o MACD de forma a relembrar quando ecomo se assistem aos vários sinais como divergências positivas e negativas.
  24. 24. Tal como o MACD injeta características de "momentum" às médias móveis, o Oscilador deChaikin também o faz relativamente à linha de Acumulação/Distribuição. Se observarmos ográfico acima podemos confirmar que movimentos desta linha são normalmente precedidos dacorrespondente divergência no Oscilador de Chaikin.Como se pode observar a partir do gráfico, a divergência negativa no Oscilador de Chaikinantecipou a fraqueza que se abateu na linha Acumulação/Distribuição. Esta é uma divergênciacaracterizada pela falta de picos distintivos para formar a divergência. O Oscilador de Chaikinfez um máximo cerca de uma semana antes do máximo da linha Acumulação/Distribuição edeu um sinal "bearish" (cruzamento da linha central) 2 semanas depois. Quando o oscilador énegativo, o momentum oara a linha de Acumulação/Distribuição é negativo ou "bearish", o queacabaria por se refletir na cotação da ação.A divergência positiva de Agosto no Oscilador de Chaikin antecipou o forte avanço na linhaAcumulação/Distribuição. Esta divergência foi mais longa do que a divergência "bearish". Estetipo de divergência caracteriza-se pela existência de dois picos bastante visíveis. O momentum"bullish" ou positivo foi confirmado quando o Oscilador de Chaikin formou um "cross-over""bullish" em finais de Agosto.Há dois tipos de sinais "bullish" gerados pelo Oscilador de Chaikin: divergências positivas e"crossovers" da linha central. Porque o Oscilador de Chaikin é um indicador de outro indicador,é prudente esperar pela confirmação da divergência positiva pelo cruzamento "bullish" demédias móveis. A tabela seguinte constitui um excelente exemplo de divergência positiva quefoi posteriormente confirmada pelo cruzamento da linha central.
  25. 25. A divergência positiva é forte e pronunciada. Quando se usa um indicador de um indicador, épreferível "assimilar" sinais fortes. O "crossover bullish" da linha central ocorreu no Oscilador deChaikin antes de a Linha Acumulação/Distribuição ter efetuado um novo máximo.No ponto do cruzamento da linha central (a linha verde feita a pontos), a cotação da açãotambém quebrou a resistência, confirmando assim o sinal bullish dado pela divergênciapositiva.Tal como no caso dos sinais "bullish", o Oscilador de Chaikin também gera 2 tipos de sinais"bearish": a divergência negativa e o "crossover bearish" da linha central. Os dois sinais emsimultâneo representam também uma garantia da sua fiabilidade. O seguinte gráfico mostra umsinal "bearish" recente que coincidiu com uma quebra de um suporte a nível de preço da ação.Podemos também confirmar que a divergência negativa não é tão acentuada como a positivano gráfico anterior, mas é detectável. As divergências que cobrem longos períodos de temposão, por vezes, difíceis a nível psicológico, já que uma pessoa nunca sabe qual o momentocerto para entrar no título.É simples verificar os efeitos no preço do Oscilador de Chaikin e da LinhaAcumulação/Distribuição neste exemplo. As linhas a azul marcam o período no qual a açãoestava a andar de lado (13 dias). No entanto, muitos dos encerramentos neste períodoestavam abaixo do ponto médio da sessão, sendo que alguns ficaram inclusivamente perto domínimo "intraday". Durante esse período quer o Oscilador de Chaikin, quer a Linha deAcumulação/Distribuição registraram um forte declínio. O "crossover bearish" da linha centralcoincidiu com a quebra da linha de tendência na Linha de Acumulação/Distribuição e com aquebra do suporte do preço.O Oscilador Chaikin é um bom indicador para acompanhar com a Linha
  26. 26. Acumulação/Distribuição, mas é por vezes de difícil interpretação. As médias móveis sãoambas relativamente curtas e serão, portanto, mais sensíveis a mudanças na LinhaAcumulação/Distribuição. Apesar de a sensibilidade ser importante, deve-se ter bastantecuidado a interpretar o indicador, que nunca deve ser utilizado isoladamente. Oscilador de preço (07-27-2001 5:40:59 PM por MultiplicadorTRADER)O Oscilador de Preço é um indicador baseado na diferença entre duas médias móveis e éexpresso ou em percentagem ou em termos absolutos, de acordo com as preferências doutilizador. As médias móveis usadas para calcular o oscilador de preço podem serexponenciais, ponderadas ou simples e o número de períodos do cálculo pode variar. Paradados diários, médias móveis de período longo são preferíveis de modo a filtrarem a normalaleatoriedade associada a dados diários. Para dados semanais, que filtram desde logo algumadessa aleatoriedade, as médias móveis mais curtas podem ser mais apropriadas.Adicionalmente, uma média móvel do indicador pode ser utilizada como "trigger" à semelhançado MACD. Nas explicações seguintes usaremos as abreviaturas OPP (PPO em inglês) e OPA(APO em inglês) para explicar o Oscilador de Preço Percentual e o Oscilador de PreçoAbsoluto, respectivamente.Oscilador Preço Absoluto (OPA)O OPA é a subtração da média móvel mais longa à média móvel mais curta. Por exemplo:MME10 (média móvel exponencial de 10 períodos) menos a MME30 (média móvel exponencialde 30 períodos.
  27. 27. O gráfico que resulta deste cálculo forma o oscilador que flutua acima e abaixo de 0, conformeas diferenças entre as médias móveis. Se a média móvel mais curta está acima da médiamóvel mais longa então o indicador é positivo. Caso a média móvel de período mais longo sejasuperior à de período mais curto, então o indicador será negativo.Nota: o MACD também é calculado através da diferença absoluto e teoricamente também podeser calculado com quaisquer dois períodos definidos pelo utilizador, mas é tipicamentecalculado utilizando as médias móveis exponenciais de 12 e 26 dias.Oscilador Preço Percentual (OPP)The Oscilador de Preço Percentual é o resultado da subtração da média móvel de período maislongo à média móvel de período mais curto que é posteriormente dividida pela média móvel deperíodo mais curto{(MME10 - MME30)/ MME10}Esta fórmula retorna a diferença dentre as duas médias móveis como uma percentagem damédia móvel de período mais curto.Diferenças entre o OPP e o OPAO OPP e o OPA geram muitas vezes os mesmo sinais e assumem, normalmente a mesmaforma. Todos os "crossovers" da média móvel de período mais longo pela média móvel deperíodo mais curto ocorrem ao mesmo tempo. No entanto, porque a forma das linhas não éexatamente igual, poderão existir discrepâncias. Esta análise ilustra algumas dessasdiferenças.
  28. 28. 1 - O círculo verde mostra que o OPP formou um máximo mais baixo em Dezembro enquantoque o OPA forma um novo máximo.2 - Em finais de Dezembro, o OPA continuou mais elevado enquanto que o PPO começou a"andar de lado". (setas a vermelho).3 - No início de Janeiro, o OPP fez um novo mínimo, um dia antes do mínimo do OPA.Há duas razões principais para utilizar o OPP contra o OPA.1 - Com o OPP é possível comparar dois osciladores de preços de ativos diferentes. Um valordo PPO de +5% significa que a MME de período mais curto é 5% superior que a média móvelde período mais longo. Esta leitura em termos relativos é comparável com outro ativo,independentemente do preço desse ativo. O OPP para o segundo ativo do gráfico seguinte sóatingiu máximos de 3% enquanto que o do Nasdaq Composite subiu acima de 7%.
  29. 29. 2 - O OPP representa melhor a relação entre as duas médias móveis exponenciais. A diferençaentre as duas médias móveis é mostrada em relação à média móvel mais curta. Isto permitecomparações entre diferentes períodos, independentemente do preço. Com OPA, quanto maiselevado for o preço de um ativo, maiores são os extremos do oscilador. Com o PPO, umacomparação entre um ativo em diferentes períodos de tempo é possível caso o preço da açãoseja de 10 ou de 100.
  30. 30. O Histograma OPPO OPP diário, com o uso de médias móveis exponenciais de 12 e 26 dias é muito similar aoMACD, que também usa as mesmas médias móveis. O OPP mede a diferença entre as duasmédias móveis como uma percentagem da média móvel mais curta.Como o OPP e o MACD são muito similares, o conceito do histograma MACD pode seraplicado ao OPP. O histograma OPP mostra a diferença entre o OPP e a média móvelexponencial de 9 dias do OPP. Os valores deste cálculo são apresentados em histograma deforma a que os "crossovers" e divergências sejam facilmente identificáveis. Os mesmoprincípios que se aplicam ao histograma MACD aplicam-se neste caso. O OPA é exatamente omesmo que o MACD.Se o valor do OPP é maior do que a sua média móvel exponencial de 9 dias, então o valor dohistograma será positivo. Analogamente, se o valor do OPP é menor do que o valor da suaMME9, então o valor do histograma PPO será negativo.
  31. 31. Outros aumentos ou decréscimos no gap entre o OPP e a sua MME9 serão refletidos nohistograma OPP. Aumentos bruscos no histograma OPP indicam que o a subir maisrapidamente do que a sua MME9, logo a o momento "bullish" está a fortalecer-se. Diminuiçõesbruscas no histograma OPP indicam que o OPP está a cair mais rapidamente do que a suaMME9 - o momento "bearish" está a fortalecer. Desvio-padrão (07-27-2001 5:33:05 PM por MultiplicadorTRADER)O desvio-padrão é um indicador estatístico de volatilidade. Mede a dispersão de valores deuma amostra (os preços de fecho de 20 sessões de determinado ativo, por exemplo) em tornoda sua média. A dispersão é a diferença entre o valor de um determinado dado da amostra e asua média. Quanto maior for essa diferença, maior será o desvio-padrão e, portanto maior seráa volatilidade. Quanto mais perto o preço de fecho estiver da sua média, menor será o valor dodesvio-padrão e menor será a volatilidade. O cálculo do desvio-padrão é baseado no númerode períodos escolhido. Vinte dias é um período bastante usual, dado que representa o númerode dias úteis do mês.Os passos para o cálculo deste indicador são os que se seguem:
  32. 32. - calcular o preço médio, que é soma dos preços dos 20 períodos a dividir pelo número deperíodos (2246.06/20 = 112.30);- para cada período, subtrair o preço médio ao preço de fecho, obtendo assim o desvio paracada período (-3.30, -9.24...);- calcular o quadrado de cada desvio, obtendo assim o quadrado dos desvios (10.89, 85.38…);- realizar a soma dos quadrados dos desvios (921.4551);- dividir a soma dos quadrados dos resíduos por 20 (921.4551/20 = 46.0728).- calcular a raiz quadrada da média da soma dos quadrados dos resíduos, o que nos dáprecisamente o desvio-padrão (6.7877).De acordo com a seguinte tabela, podemos observar que o desvio-padrão muda à medida queo tempo avança, dado que utilizamos os 20 dados anteriores ao cálculo. Portanto, cada vezque acrescentamos um dado à tabela, eliminamos o dado mais antigo.
  33. 33. Interpretação:Como podemos observar, após longos períodos de consolidação, ou seja, em alturas reduzidomovimento de preços, o desvio padrão cai. Repare que nos finais de Dezembro e Março, oativo transacionava num intervalo de preços, o que levou à redução da volatilidade. A partir deMarço, quando os preços explodiram, a volatilidade também aumentou.
  34. 34. Já neste ativo, apesar de os preços serem idênticos aos do ativo anterior, os desvios-padrãosão também maiores. Até final de Dezembro, o desvio-padrão estava abaixo de 5. Após asubida acentuada de Dezembro, o desvio-padrão subiu cima de 15. Desde então, ficou-se pelo10 e nos períodos mais avançados no tempo ficou acima de 17. Conclusão: este ativo é bemmais arriscado do que o primeiro, logo pode possibilitar resultados maiores (quer negativos,quer positivos) a quem o transacionei.Conclusão:Sendo um indicador bastante básico, o desvio-padrão não é um indicador que aponteclaramente se deve apostar na compra ou na venda de determinado ativo. É antes um valiosotestemunho da volatilidade de um título. Uma conclusão a retirar deste indicador pode ser: "Seo ativo tem um desvio-padrão reduzido, a volatilidade é baixa. Ou seja, pode estar próximo ummovimento acentuado e brusco de preços, portanto é melhor assumir uma posição (longa oucurta) depois de analisar a situação."Recordo-me bem dos tempos em que a Cimpor não saía dos 16 euros (entre Junho de 1999 eMaio de 2000), tempos em que a volatilidade do título era tão reduzida, que tornavam os títulosda cimenteira dos menos atrativos do mercado. Em menos de 1 ano a cotação da Cimpor maisque duplicou... TRIN (07-20-2001 7:11:12 PM por MultiplicadorTRADER)Desenvolvido por Richard Arms, o TRIN, ou "índice Arms" é um indicador de detecção deinversão de tendência, ao determinar zonas "overbought" e "oversold". Devido ao seu métodode cálculo, o TRIN reage inversamente ao mercado, ou seja, a subida deste índice indica umasituação "bearish" e quebra uma situação "bullish". Por vezes pode observar-se a escala doTRIN invertida de forma a facilitar a sua interpretação.
  35. 35. O TRIN é o rácio subidas/descidas dividido pelo rácio volume das subidas/volume dasdescidas:((Nº de títulos que encerraram positivos/Nº de títulos com encerramento negativo) / (volumedos títulos que encerraram positivos/volume dos títulos que encerraram negativos))Exemplos:No primeiro exemplo, os rácios eram iguais e o TRIN era 1, o que indica uma situação deindefinição, com o volume a entrar em títulos que registravam valorizações virtualmente igualao que entrava em ações em quebra. No segundo exemplo, o rácio volume de descida/volumede descida não se manteve ao mesmo ritmo do que o rácio nº de subidas/nº de descidas e oTRIN subiu acima de 1. Quando tal acontece, significa que o volume a afluir mais rapidamentea ações que descem do que a ações que sobem. No exemplo final, o TRIN está abaixo de 1,indicando precisamente o contrário.As interpretações para este indicador têm evoluído. O próprio criador deste índice usa-o paradetectar condições de topo ou fundo no mercado. Este considera que o mercado está"overbought" quando a média móvel simples de 10 dias do TRIN desce abaixo de 0.8 e"oversold" quando se move acima de "1.2". Outras interpretações procuram considerar adireção e o valor absoluto do TRIN de forma a determinar divergências "bullish" e "bearish". Nográfico a seguir pode confirmar estas interpretações.
  36. 36. Preço por volume (07-13-2001 5:28:41 PM por MultiplicadorTRADER)"Preço pelo Volume" é um histograma horizontal disposto em cima do gráfico de preços. Asbarras do histograma estão dispostas da esquerda para a direita no gráfico. O comprimento decada barra é definido pela soma dos volumes dos dias em que o ativo teve preços deencerramento no "range" vertical de cada barra do histograma.No gráfico abaixo, cada barra de "Preço pelo Volume" tem um limite vertical de 5 pontos. Amaior barra é a que tem como limites 27.5 e 32.5. O comprimento da barra é determinado pelasoma das barras de volume dos dias em que o encerramento ocorreu entre 27.5 e 32.5.A cor verde aponta para o volume dos dias em que o preço subiu e a cor vermelha aponta parao volume dos dias em que o preço caiu.InterpretaçãoEste indicador não dá qualquer sinal de compra ou venda, mas antes uma idéia geral sobre ospreços que o ativo tem tendência a cotar mais dias ou que geram maiores volumes detransação. Este é um ponto importante, dado que o volume é um dos indicadores maisimportantes de confirmação de movimentos de preço.
  37. 37. Indicador e Oscilador Aroon (07-10-2001 9:51:47 AM por MultiplicadorTRADER)Desenvolvido por Tushar Chande em 1995, o Aroon é um sistema que pode ser utilizado paradeterminar se um ativo financeiro está a seguir uma tendência, se está "a andar de lado" ecaso se verifique a existência de uma tendência, quão forte ela é. "Aroon" significa "luz damadrugada" em sânscrito e Chande escolheu este nome em função do objetivo do indicador -revelar o início de uma nova tendência.O indicador Aroon é constituído por duas linhas, a Aroon de subida e a Aroon de descida. Ooscilador Aroon é apenas uma linha definida como a diferença entre as anteriores. As três têmum único parâmetro - o número de períodos usados no cálculo. Dado que, quer a linha Aroonde subida e a Aroon de descida variam entre 0 e 100, o Oscilador Aroon varia de -100 a +100,sendo o 0, a linha de sinal.MetodologiaO método de cálculo de uma linha Aroon de subida de determinado nº de períodos consiste nadeterminação do período de tempo (em %) que o preço demora a atingir um novo máximo(fecho) compreendido nesse período. Quando o ativo estabelece novos máximos para esseperíodo, a linha Aroon de subida assumirá o valor 100. Se, pelo contrário, o ativo se trocar avalores mais baixos cada dia que passa, a linha Aroon de subida terá o valor de zero. A linhaAroon de descida é calculada da forma análoga, mas tendo os novos mínimos como base.A fórmula da linha Aroon de subida é:[ (número de períodos) - (número de períodos desde o encerramento mais alto relativo aonúmero de períodos) ] / (número de períodos) x 100A fórmula da linha Aroon de descida é:[ (número de períodos) - (número de períodos desde o encerramento mais baixo relativo aonúmero de períodos) ] / (número de períodos) x 100Exemplo:Considere uma linha Aroon de subida de 10 períodos numa tabela diária. Se o preço maiselevado dos últimos 10 dias ocorreu há seis dias (4 desde o início do período de 10 dias), alinha Aroon de subida terá o valor de 40 ((10-6)/10) x 100). Se o encerramento mais baixo domesmo período aconteceu há 1 dia (i.e. no dia 9), a linha Aroon de descida seria de 90 ((10-1)/10 x 100).Interpretação
  38. 38. O seu criador advoga que quando as linhas Aroon (de subida e de descida) assumem valores cada vez mais baixos e próximos é sinal de que assistimos a um período de consolidação e de que não existe uma clara tendência (ver consolidação no gráfico). Quando a linha Aroon de subida cai para baixo de 50, é sinal de que a atual tendência perdeu o seu balanço de subida. Similarmente, se a linha Aroon de descida cair abaixo de 50, a atual tendência de quebra também perdeu "momentum". Valores acima de 70 indicam uma forte tendência na mesma direção da tendência evidenciada pela linha Aroon (ou de subida ou de descida). Valores abaixo de 30 indicam que se prepara a existência de uma forte tendência na direção oposta à da tendência atual (ver gráfico). O Oscilador Aroon assinala a proximidade de uma tendência de subida quando está acima de zero e a proximidade de uma tendência "bearish" se desce abaixo de zero. Quanto mais longe estiver de zero mais forte é a tendência. CBOE Volatility Index (VIX) (03-27-2001 2:18:10 AM por MultiplicadorTRADER)Introduzido em 1993 pelo Chicago Board Options Exchange, o VIX não é mais do que uma medidaponderada da volatilidade implícita em 8 opções de compra e venda (OEX put and call options). Maisconcretamente, o peso atribuído a essas 8 opções de compra e venda (ou 8 «puts» e «calls») édefinido de acordo com o tempo restante e com a posição das mesmas, ou seja, «in the money» ou«out of the money». O resultado obtido dá lugar a uma hipotética opção composta, a qual se encontra«at-the-money» e sob um prazo de 30 dias até expirar - recorde-se que uma opção «at-the-money»significa que o preço de exercício e o preço do ativo se igualam. Conclui-se, desta forma, que o VIXrepresenta a volatilidade implícita nesta (hipotética) opção composta.Exemplo:
  39. 39. Aplicação: Como que a acompanhar a evolução das opções transacionadas, o VIX é atualizadodiariamente, podendo ser utilizado numa base de «intraday», diária, semanal ou mensal para medir ograu de volatilidade implícita, bem como para analisar as expectativas que se vão formando nomercado. Habitualmente, o VIX tem uma relação inversa com o mercado, razão pela qual os gráficosutilizados na sua representação são ilustrados com a escala invertida: os valores mais baixos ficam emcima e os mais altos em baixo. Por outras palavras, o valor do indicador aumenta quando o mercadoestá em declínio e diminui quando o mercado está em expansão.Chegou agora a altura de referir um ponto importante, o enviezamento «bullish» existente no mercadode ações. O que significa isto? Quando o mercado de ações se encontra numa fase de expansão, osinvestidores acreditam que o risco é menor do que quando o mercado se encontra em queda. Quantomais elevado for o risco percepcionado pelos investidores, maior será também a volatilidade implícita eo preço das respectivas opções, particularmente as opções de venda. Por esta razão, a volatilidadeimplícita não se refere à amplitude dos movimentos dos preços, mas sim ao risco implícito subjacenteao mercado de ações. É também por isso que a quantidade procurada de opções de venda aumentaquando o mercado está em declínio, fazendo subir o preço das opções e os níveis de volatilidadeimplícita.A partir da explicação dada até este momento, facilmente se conclui que a comparação entre aevolução do VIX e a do mercado permite algumas pistas importantes relativamente à direção e duraçãodas tendências. Assim, quanto mais avançar o VIX, maior será o pânico no mercado; quanto menoresforem os valores assumidos pelo indicador, maior satisfação existirá no mercado. Precisamente paraavaliar o grau de pânico ou de satisfação, o VIX é muitas vezes utilizado como um indicador contrário.De que forma? Valores muito baixos indicam um elevado grau de satisfação e são vistos como sinais«bearish». Por sua vez, valores extremamente elevados – os quais ocorrem habitualmente depois deuma descida acentuada e sob um ambiente ainda bastante «bearish» - sugerem uma forte ansiedadeou pânico entre os investidores, sendo interpretados como sinais «bullish».Note-se que os sinais «contrários» gerados pelo VIX e pelo mercado nos permitem também formarexpectativas relativamente ao curto prazo. Assim, um forte sentimento de satisfação ou «overly bullish»é interpretado como «bearish» pelos defensores da teoria do contrário – os «contrarians». Pela mesmalógica, um sentimento de pânico generalizado ou «overly bearish» é visto como «bullish». Se omercado se encontra numa fase de acentuado declínio e o VIX permanece inalterado ou diminui emvalor, podemos ser levados a acreditar que o declínio ainda se vai manter por mais algum tempo. Damesma forma, se o mercado está em forte expansão e o VIX aumenta em valor, isso poderá significarque o crescimento verificado poderá ainda persistir.
  40. 40. Vejamos agora o gráfico acima apresentado e a relação «inversa» entre o VIX e o mercado, traduzidopelo índice S&P 100:A aplicação de uma média móvel de 10 dias (10-day SMA) permite harmonizar a tendência de ambos econcluir que, nos últimos 3 anos (entre Outubro de 1997 e Setembro de 2000), o VIX registrou 4valores (ver setas verdes) acima de 30, os quais são associados a uma tendência excessivamente«bearish»/de pânico e a uma volatilidade implícita muito elevada. Por sua vez, os 3 registros (ver setasvermelhas) abaixo de 20 indicam uma excessiva satisfação/tendência «bullish» e uma volatilidadeimplícita bastante reduzida. Repare-se, finalmente, que uma vez registrados aqueles valores extremos,o sinal de confirmação é dado pelo regresso do VIX ao intervalo compreendido entre os valores acimade 20 e abaixo de 30. Williams %R (03-21-2001 11:44:47 AM por MultiplicadorTRADER) Desenvolvido por Larry Williams, o Williams %R (também conhecido por %R) é um indicador muito utilizado para medir níveis «overbought» e «oversold». Na prática, o seu funcionamento é semelhante ao do oscilador estocástico, na medida em que nos permite conhecer a relação entre o valor de fecho e o intervalo [máximo;mínimo] verificado num determinado período de tempo. A escala de valores vai de zero (0) até (-100), correspondendo os níveis «overbought» ao intervalo (0;-20) e os níveis «oversold» ao intervalo (-80;-100). Pelo que até aqui foi dito, facilmente se deduz que:
  41. 41. a. Quanto mais próximo do topo da escala estiver o valor de fecho, mais próximo de zero (logo,mais elevado) estará o indicador;b. Quanto mais afastado do topo (ou mais próximo da base) estiver o valor de fecho, mais pertode -100 (logo, menor) estará o indicador;c. Se o valor de fecho igualar o máximo do intervalo, então o indicador será igual a zero (valormáximo). Pela mesma lógica, se o valor de fecho igualar o mínimo do intervalo, então oindicador assumirá o valor mínimo (-100).Fórmula:%R = [(maior dos máximos–valor de fecho)/(maior dos máximos–menor dos mínimos)*(-100)]Habitualmente, o Williams %R é calculado com base em 14 observações/períodos, quer seja aum nível de «intraday», diário, semanal ou até mensal. Porém, tal como já foi referidoanteriormente, o número de períodos e a duração dos mesmos pode e deve ser adequado àscaracterísticas próprias de um determinado ativo.Antes de continuarmos, devemos ter em atenção um aspecto crucial relativamente àinterpretação dos valores encontrados: «overbought» não significa necessariamente que sedeve vender, bem como «oversold» não significa que estejamos em boa altura para comprar.Na verdade, um ativo poderá estar em tendência de queda, registrar um nível considerado«oversold» e aí permanecer enquanto o preço continua a descer. Por outro lado, mal um ativoatinja níveis «overbought» ou «oversold», os investidores deverão esperar por um sinal queconfirme uma inversão nos preços. Para isso, pode ser utilizado (mas não só) um método muitosimples: aguardar que o Williams %R cruze (para cima ou para baixo) o nível (-50).
  42. 42. Vejamos atentamente o gráfico anterior, a partir do qual podemos salientar alguns aspectos sobre a aplicação do Williams %R a 14 e a 28 dias: a. O %R a 14 dias mostra-se muito volátil e propício a sinais falsos; b. O %R a 28 dias é menos sensível aos valores observados e por isso mais fiável; c. Quando o indicador a 28 dias se move para níveis «overbought» ou «oversold», verificamos que aí permanece por um período de tempo prolongado enquanto as ações prosseguem a sua tendência; d. Surgem alguns sinais relevantes (no caso do %R a 28 dias) se optarmos por esperar por uma confirmação, ou seja, por um movimento para cima ou para baixo de (-50). Average True Range (03-13-2001 12:15:03 PM por MultiplicadorTRADER)Desenvolvido por J. Welles Wilder, o Average True Range (ATR) é um indicador utilizado para medir avolatilidade de um ativo. Mais concretamente, o ATR não identifica a tendência (crescente ou decrescente)dos preços, nem sequer a sua duração, mas apenas o nível de variação dos mesmos, i.e., o grau devolatilidade.
  43. 43. Wilder definiu também a «true range» (TR), ou seja, a amplitude de variação, como a maior das seguintesdiferenças:a. O máximo atual menos o mínimo atual;b. O valor absoluto da diferença entre o máximo atual e o valor de fecho anterior;c.O valor absoluto da diferença entre o mínimo atual e o valor de fecho anterior;Assim, se a diferença entre máximo e mínimo for grande, tudo indica que será utilizada como «true range».Se tal não acontecer, poder-se-á recorrer a uma das outras fórmulas, especialmente se o valor de fecho formaior do que o máximo atual (ou menor do que o mínimo).A imagem anterior permite-nos analisar 3 situações distintas em que a TR não seria determinada pelointervalo [máximo;mínimo]:a. Depois de um «gap» positivo, formou-se uma diferença entre mínimo e máximo muito reduzida. Por estarazão, a TR foi determinada pela diferença absoluta entre o máximo atual e o valor de fecho anterior.b. O intervalo [máximo;mínimo] encontrado após um «gap» negativo é também reduzido, pelo que a TR foideterminada pela diferença absoluta entre o mínimo atual e o valor de fecho anterior.c. Embora o valor de fecho pertença ao intervalo de variação anterior, a diferença atual entre máximo emínimo é, de fato, muito pequena – menor até do que a diferença absoluta entre o máximo e o valor defecho anterior, sendo esta a fórmula utilizada para determinar a TR.Geralmente, a aplicação do ATR compreende 14 períodos (ou um período de 14 dias), podendo oindicador ser calculado numa base «intraday», diária, semanal ou mensal. Vejamos, a este propósito, oseguinte exemplo (calculado numa base diária): como seria de esperar, o primeiro valor TR encontradonão é mais do que a diferença entre o máximo e o mínimo da sessão inicial, sendo o ATR a 14 diasdeterminado pela média dos TRs registrados nos últimos 14 dias. Para calcularmos o próximo ATR a 14dias, bastaria (de acordo com o método descrito por Wilder) realizar os seguintes passos:a. Multiplicar o ATR a 14 dias imediatamente anterior por 13;b. Adicionar o valor TR mais recente;
  44. 44. c. Dividir por 14;Exemplo:Na folha de cálculo acima ilustrada, podemos encontrar o primeiro valor TR (1.9688 corresponde àdiferença entre máximo e mínimo) e também o primeiro ATR a 14 dias (3.6646 é igual à média dos 14valores TR iniciais). Seguem-se outros valores ATR calculados a partir do procedimento descritoanteriormente.
  45. 45. Vejamos agora o gráfico anterior, baseado nos valores registrados (na folha de cálculo) entre 23 deOutubro e 7 de Dezembro de 2000, e a forma como são calculados os valores para os dias 15 e 16:a. Dia 15: ATR = = 3.713b. Dia 16: ATR = = 3.7536
  46. 46. O gráfico anterior permite-nos visualizar a aplicação prática do ATR: os níveis extremos (máximos emínimos) podem significar pontos de inflexão ou o início de uma nova tendência no preço das ações.Sendo um mero indicador da volatilidade, o ATR não consegue prever a direção dessa tendência. NíveisATR elevados podem traduzir um período de forte «trading», enquanto que níveis reduzidos poderãocorresponder a períodos de «trading» fraco. Finalmente, refira-se que os valores ATR elevados resultam,geralmente, de descidas/subidas acentuadas e não poderão persistir por períodos de tempo muitoprolongados.Nota final: na medida em que o ATR demonstra a volatilidade em níveis absolutos, depressa nosapercebemos que as ações mais baratas terão níveis ATR mais baixos do que os títulos mais caros. Porexemplo, uma ação cotada em 10$ (USD) teria um valor ATR muito inferior a uma ação cujo preçoascendesse aos 200$. Por esta razão, dever-se-á ter algum cuidado no momento de fazer comparaçõesentre níveis ATR de diferentes ativos, ou até do mesmo ativo se tiverem ocorrido variações muito grandesno preço da ação. Percentage Volume Oscillator (PVO) (03-13-2001 12:05:44 PM por MultiplicadorTRADER) Conceito: o «Percentage Volume Oscillator» (PVO) não é mais do que a diferença percentual entre 2 médias móveis de volume. Mais concretamente, o cálculo deste indicador é feito através da seguinte fórmula: Volume Oscillator (%) - PVO = [(Vol 12day EMA - Vol 26day EMA)/Vol 12day EMA] x 100
  47. 47. Note-se que as médias móveis exponenciais (EMA) a 12 e 16 dias foram utilizadas apenas a títuloexemplar. Na verdade, o número de dias pode ser ajustado por forma a corresponder a períodos maiscurtos ou mais longos. Note-se também que, pela própria descrição da fórmula, o PVO assumirá umvalor máximo de 100 não havendo, porém, qualquer valor mínimo. Na verdade, o valor absoluto não émuito importante para aquilo que estamos a analisar – importa, isso sim, conhecer a direção e osmovimentos cruzados para cima ou para baixo da linha central/neutra.Aplicação: existem 3 maneiras diferentes através das quais o PVO pode ser utilizado para detectarperíodos em que o volume se expande ou contrai:a. «Centerline Crossovers» - o PVO flutua para cima e para baixo da linha central (nível zero). Assim,quando o PVO é positivo, uma EMA curta será superior a uma EMA longa; quando é negativo, umaEMA curta será inferior a uma EMA longa. Por outro lado, um PVO acima de zero significa que os níveisde volume são, de um modo generalizado, superiores à média; pela mesma lógica, um PVO abaixo dezero permite identificar níveis de volume levels inferiores à média.b. «Directional Movement» - as direções em que se movimenta o PVO permitem retirar (visualmente)uma conclusão imediata sobre os padrões de volume: um PVO crescente significa que os níveis devolume estão a aumentar, enquanto um PVO decrescente mostra que os mesmos estão a diminuir.c. «Moving average crossovers» - a última variável do PVO dá origem a uma linha de tendência/sinal.Quer isto dizer que, por exemplo, um PVO(12,26,9) contém uma média móvel exponencial a 9 dias, bemcomo um histograma representativo da diferença existente entre o PVO e a sua EMA a 9 dias. Quando oPVO se move para cima da sua linha, podemos concluir que, de um modo generalizado, os níveis devolume estão a crescer, e vice-versa.Refira-se, antes de mais, que os movimentos descritos pelo PVO são completamente distintos dosmovimentos dos preços, podendo ser correlacionados para se inferir sobre os níveis de pressão decompra ou venda: uma subida dos preços combinada com um reforço do PVO seria interpretada comoum aumento do volume, enquanto que uma quebra no preço do ativo, em conjunto com um declínio doPVO, levar-nos-ia a concluir que os níveis de volume estariam a decrescer.Nota: sendo definido por 3 variáveis, o PVO poderá assumir, por exemplo, os seguintes valores:PVO(12,26,9): a 1ª variável refere-se à EMA de volume curta, a 2ª refere-se à EMA de volume longa e,por último, a 3ª diz respeito à linha de sinal (podendo também assumir uma posição curta ou longa). Dadiferença entre o PVO e a sua linha de sinal resulta o histograma (a área sólida acima e abaixo de zero).Aqueles que não quiserem utilizar o histograma, terão apenas que igualar a 3ª variável a 1.
  48. 48. No gráfico anterior, podemos encontrar 2 PVOs diferentes: o primeiro encontra-se na parte superior e édefinido pela expressão PVO (12,26,9); o segundo encontra-se na parte inferior e contém uma variávelfinal igual à unidade, PVO (5,60,1). Quando isto acontece, verificamos que não existe qualquer linha desinal ou histograma. Se olharmos atentamente para o gráfico, podemos facilmente reparar que entreAgosto e Setembro as ações foram negociadas entre os 15 e os 21 dólares, período em que o PVOpermaneceu (quase sempre) abaixo de zero. Assistiu-se a uma pequena recuperação com o avançoregistrado no final de Agosto, mas os títulos nunca ultrapassaram a sua «trading range». Quando, emOutubro, as ações começaram finalmente a subir, o PVO moveu-se para terreno positivo deixando umamarca bem acentuada (veja-se a linha verde). Este avanço, plenamente confirmado pelo aumento dosníveis de volume e pela quebra da resistência, viria a consistir um fortíssimo sinal de compra.
  49. 49. Relativamente ao exemplo anterior, verificamos que, embora as linhas dos PVOs descrevammovimentos muito semelhantes, existem algumas diferenças importantes entre o PVO «standard»(12,26,9) e o PVO definido como (5,60,1):a. Enquanto o PVO (12,26,9) ultrapassou o nível +20 no final de Outubro, o PVO (5,60,1) superou onível +50;b. No início do referido mês (ver linha vermelha 1), o PVO (5,60,1) passou para terreno negativo mas oPVO (12,26,9) permaneceu acima de zero;c. No início de Dezembro (ver linha vermelha 2), o PVO (5,60,1) avançou mais rapidamente para terrenopositivo do que o PVO (12,26,9);As diferenças assinaladas prendem-se, essencialmente, com a EMA curta associada a ambos os PVOs.De fato, uma EMA de volume a 5 dias é muito mais sensível do que uma EMA a 12 dias. Por outraspalavras, as médias móveis mais curtas são bastante mais voláteis e, por isso, mais sujeitas a«crossovers» na linha centra/neutra. Refira-se, finalmente, que os períodos de volume acima da mediapodem também ser confirmados pelas barras de volume que excedam a média móvel exponencial a 60dias (ver elipse verde em Outubro).
  50. 50. Rabbitt Q-StockRank (03-06-2001 12:37:26 PM por MultiplicadorTRADER)O Q-Rank é um indicador formado a partir da combinação de 9 modelos de análise técnica efundamental. Os valores resultantes da sua aplicação variam entre 1 (mínimo) e 99 (máximo) –assim, uma ação com um Q-Rank de 99 contém uma combinação ideal decaracterísticas/qualidades que a tornam superior a 99% do total de ações analisadas. Estemétodo compreende 2 componentes que, em conjunto, permitem conhecer melhor asqualidades (de uma ação) determinantes para o cálculo do Q-Rank: o Technical Sub-rank(TSR) e o Earnings Sub-rank (ESR). Na prática, seríamos tentados a comprar ações com umQ-Rank superior a 70 e a não comprar se o Q-Rank for inferior a 50.DecomposiçãoO Technical Sub-Rank (TSR) recorre a 4 modelos/indicadores:1. O indicador de força relativa (relative strength) compara a performance de cada ação (emtermos de preço) ao longo dos últimos 4 trimestres com o conjunto de todas as outras açõesem análise. Desta forma, se uma ação atinge uma força relativa de 99, isso significa que aperformance registrada nos últimos quatro trimestres superou 99% do universo Q-Rank. Note-se, porém, que o desempenho verificado no último trimestre tem um peso reforçado.2. O indicador de inversão do retorno (return reversal) destina-se apenas às transações decurto prazo e reflete a tendência das ações em atingirem níveis «overbought» ou «oversold».Na prática, os títulos que tenham retornos mais elevados nas últimas 2 semanas sãopontuados «desfavoravelmente» porque tendem a inverter os ganhos/a «under-perform» nas 2semanas subseqüentes; valores acima dos 90 sugerem uma potencial «out-performance» decurto prazo.3. O rácio preço/média móvel a 200 dias é utilizado para identificar a tendência de uma ação; épositivo acima de 120% e negativo abaixo de 90%.4. Finalmente, o modelo de combinação industrial analisa a atratividade da indústria (à qualpertence a empresa em estudo) a partir dos resultados anunciados (e posteriores revisões), deuma série de rácios (preço/cash-flow e preço/vendas, entre outros) e do montante dedividendos.O Earnings Sub-rank (ESR) agrega características de crescimento e valor, as quais se podemdividir em 4 categorias:
  51. 51. 1. Earnings surprise: é a diferença entre a mais recente divulgação dos resultados e asestimativas consensuais formadas no mercado;2. Earnings Revision: compara a última variação mensal dos ganhos esperados pelo mercadocom as previsões a um ano feitas pelas empresas;3. Earnings acceleration: identifica as empresas que geraram ganhos nos últimos 4 anos e que,segundo as estimativas do mercado, poderão alcançar resultados crescentes para os 2 anosseguintes; na prática, este modelo premia as empresas cujos ganhos possam ser descritos porsucessivas taxas de crescimento crescentes;4. Earnings consistency: identifica as empresas que apresentaram resultados pouco voláteis epositivos nos últimos 3 anos;Para além disso, utilizam-se também os seguintes indicadores:1. «Return on Equity» (ROE) – importa identificar as empresas com um ROE substancialmentediferente do universo em análise;2. 99 EPS Growth – baseia-se nas previsões dos ganhos feitas consensualmente pelo mercadopara o próximo ano fiscal;3. «Price/Earnings» - rácio utilizado a partir das estimativas dos ganhos a obter no próximoano;4. «Growth to P/E» - importa comparar os ganhos médios esperados para os próximos 2 anoscom um P/E médio baseado nesses mesmos ganhos;AplicaçãoImaginemos a seguinte analogia: o Q-Rank funciona como um «assistente de pesquisa» –permite-nos acompanhar a evolução de um grande número de ações e, a partir daí, inferir deuma forma objetiva, consistente e acessível. Para além disso, permite-nos ainda:a. analisar mais detalhadamente determinadas questões;b. obter uma «segunda opinião» sobre eventuais títulos a comprar/vender;c. identificar novas ações cujas qualidades possam ser relevantes;d. monitorizar determinados aspectos específicos, tais como as revisões dos resultadosesperados, etc.
  52. 52. e. tirar conclusões sobre a atratividade de uma empresa/indústria;Em suma, o Q-Rank constitui um abrangente ponto de partida para a identificação de títulosaos quais poderão ser aplicados a experiência, o conhecimento e os juízos de valor doutilizador. A aplicação prática deste modelo poderá seguir 2 notas: os investidores que estejaminteressados na aquisição de ações com um Q-Rank inferior a 50 devem ponderar a hipótesede adiar essa compra, a não ser que o título em causa garanta um valor muito seguro; pelocontrário, os investidores cujo interesse recaia na venda de ações com um Q-Rank superior a90, deverão considerar a possibilidade de as manter na sua posse por mais algum tempo, pelomenos até o «rank» começar a cair.Não esquecer: tal como muitos outros instrumentos de análise técnica, o Q-Rank não deve serusado isoladamente, mas sim como um complemento no processo de pesquisa dosinvestidores. O Q-Rank não contempla ações (1) de empresas cuja capitalização bolsista sejainferior a 200 milhões de dólares, (2) com um preço unitário abaixo dos $6 e (3) sem uma basede informação financeira adequada. Price Relative (02-19-2001 3:32:31 PM por MultiplicadorTRADER)O preço relativo serve, essencialmente, para comparar a performance entre dois ativos. Namaioria das vezes, este indicador é utilizado para comparar a performance de uma ação face aum índice de mercado. Pensemos, por exemplo, nos inúmeros gestores de carteira cujoprincipal objetivo é bater (melhor dizendo, «outperform») o S&P 500. Naturalmente, as suasescolhas irão recair sobre os títulos mais fortes. A importância do preço relativo resideprecisamente neste aspecto, uma vez que permite, de uma forma acessível, fazer umadescrição detalhada da performance de uma determinada ação relativamente ao mercado.Como calcular o preço relativo? Através da fórmula: Preço de fecho/Valor do índiceExemplo: Vamos supor que as ações da Wal-Mart (WMT) estão a cotar nos 60 dólares e que oS&P 500 fechou nos 1400 pontos. Pode verificar-se, muito facilmente, que o preço relativoseria (neste caso) igual a 60/1400=0.0428. Se posteriormente as ações valorizassem para os70 dólares e o S&P 500 avançasse para os 1450 pontos, então o novo preço relativo situar-se-ia nos 0.0482. Uma vez que este valor é superior ao primeiro preço relativo encontrado,conclui-se que as ações (WMT) bateram o índice de mercado no período considerado. Estadiferença pode ser registrada graficamente no eixo das ordenadas (Y), dando assim origem auma linha de preços relativos, a qual poderá ser calculada numa base diária, semanal, oumensal.
  53. 53. Repare-se no gráfico anterior: o preço relativo (associado às ações WMT) atingiu o pico a 16de Dezembro (ver linha vermelha), cerca de 2 semanas antes de as ações atingirem o valormáximo. Seguiu-se uma série de novos picos (embora inferiores) e, passado alguns dias, alinha de preços relativos quebrou a tendência de crescimento que se vinha a verificar desdeAgosto (ver linha azul). O mesmo viria a acontecer às ações da Wal-Mart algum tempo depois.Conclusão: o comportamento descrito pela linha de preços relativos constitui um bom presságiodaquilo que poderá acontecer ao valor dos títulos. Neste caso concreto, a quebra acentuadadas ações WMT foi precedida por uma diminuição do preço relativo.
  54. 54. Veja-se agora o exemplo da Sun Microsystems: Depois de se ter registrado um mínimo maiselevado no fim de Agosto, seguiu-se uma rápida subida no início de Setembro (note-se o picoassinalado pela seta negra). Este aumento súbito do preço relativo significa, como vimosanteriormente, que as ações da Sun estavam muito mais fortes do que o mercado. Como seriade esperar, o sinal positivo dado pela linha de preços relativos viria a refletir-se na sólidaascensão (a partir de Outubro) dos títulos, fazendo com que as ações da Sun fossem um dos«top performers» nos 17 meses que se seguiram.Refira-se, finalmente, que os preços relativos podem também ser aplicados a sectoresindustriais: ao fazê-lo, gestores e investidores poderão identificar sinais de força ou fraquezarelativa. Estes, por sua vez, permitir-lhes-ão prever com alguma segurança quais os sectoresem destaque, isto é, aqueles que poderão «galvanizar» o mercado. Chaikin Money Flow (12-28-2000 1:08:25 PM por MultiplicadorTRADER)Desenvolvido por Marc Chaikin, o CMF - Chaikin Money Flow é um indicador calculado a partirda análise diária da linha de acumulação/distribuição. Esta assenta na idéia de que a pressãoexercida pelos sinais de compra e venda pode ser determinada através daobservação/comparação do valor de fecho (Closing Location Value) face ao máximo e mínimoregistrados no período em análise.Assim, facilmente se conclui que existe pressão para comprar quando um determinado títuloencerra na parte superior do intervalo de valores observados. Pela mesma lógica, os sinais devenda manifestam-se com mais intensidade quando as ações encerram na parte inferior doreferido intervalo. Note-se que o valor de acumulação/distribuição é obtido a partir damultiplicação do «Closing Location Value» pelo volume registrado em cada período.
  55. 55. MetodologiaRecorrendo ao gráfico acima representado, podemos determinar a relação entre os valoresassumidos pela linha de acumulação/distribuição e o CMF. Mais concretamente, se dividirmoso total dos valores de acumulação/distribuição relativos aos 21 dias contidos na caixa púrpura(ver gráfico) pelo volume acumulado ao longo desses 21 dias, obteremos o valor do CMF.Naturalmente, a atualização diária do valor do indicador requer apenas a remoção do valorregistrado no 1º dia e a inclusão do novo (e último) valor.Note-se também que o número de períodos poderá ser alterado para melhor se ajustar àanálise em curso. Assim, enquanto o CMF a 21 dias constitui uma boa forma de representar aspressões de compra e venda numa base mensal, a utilização de um período temporal maisalargado estará menos sujeita a variações ou, pelo contrário, um período temporal mais curtoestará mais de acordo com uma análise semanal.Uma vez feita esta abordagem inicial, podemos então concluir que o Chaikin Money Flow é«bullish» quando assume um valor positivo e «bearish» quando é negativo.Sinais de AcumulaçãoDe que forma são representados os sinais «bullish» gerados pelo CMF? Através da indicação
  56. 56. de que um ativo financeiro se encontra sob acumulação. Para sabermos se tal é o caso, e paradeterminarmos qual a intensidade da acumulação, podemos proceder através de uma dasseguintes maneiras:1. Verificar se o CMF é maior do que zero. Se tal acontecer, o indicador assume valorespositivos e por isso constitui uma indicação de pressão de compra e de acumulação;2. Determinar há quanto tempo se encontra positivo o indicador. Quanto maior a duração desseperíodo, mais evidente se torna o fato de o ativo estar sob pressão de compra/acumulaçãosustentada.3. Conhecer o valor atual do indicador. Para além de ser superior a zero, o indicador deveincorporar uma consistente capacidade de subida que o permita atingir níveis mais elevados.Não nos devemos esquecer que a observação da tendência assumida pelo CMF é importantepara podermos distinguir entre indicações de compra fortes e sinais de acumulação meramenteincipientes.Vejamos atentamente a situação ilustrada no gráfico: enquanto as ações se continuam adesvalorizar, o CMF assume (progressivamente) valores mais elevados. Por exemplo, seolharmos para o que se passa no mês de Outubro, concluímos que, embora as ações tenhamsido negociadas a um nível «flat», o indicador permaneceu positivo e continuou a reforçar-se.Por sua vez, os níveis de acumulação (representados pelo CMF) registraram valores muitoelevados no referido mês.Quando, no fim de Outubro, as ações sofreram uma desvalorização abrupta, o indicadorcomeçou então a diminuir – tendência que se manifestou durante o mês de Novembro.Contudo, os níveis de distribuição nunca ultrapassaram os (-0.10), querendo isto dizer que apressão de venda nunca foi muito intensa.
  57. 57. Relativamente à situação ilustrada pelo gráfico anterior, devemos destacar o períodocompreendido (sensivelmente) entre 28 de Setembro e 22 de Outubro. Um olhar atentopermite-nos verificar que o CMF continuou a crescer (os sinais de compra intensificaram-se)numa fase em que as ações foram transacionadas «sideways». Para além disso, o indicadorpassou de (+0.1208) em 28 de Setembro para (+0.2377) em 22 de Outubro, ou seja, a pressãode compra quase aumentou para o dobro. Naturalmente, isto constitui uma forte indicação«bullish» que viria a ser responsável por uma forte valorização das ações – veja-se a subidados títulos de 50 para 90 (valores aproximados). Commodity Channel Index (CCI) (12-14-2000 11:33:30 AM por MultiplicadorTRADER)Desenvolvido por Donald Lambert, o Commodity Channel Index (CCI) foi criado com o objetivode tornar mais simples a identificação de períodos cíclicos no valor dos ativos. Por outraspalavras, o cálculo deste indicador parte do pressuposto de que:1. O valor dos bens (ações e obrigações) se movimenta ciclicamente2. Os valores máximos e mínimos ocorrem em intervalos regularesNo sentido de facilitar a análise dos dados, o autor aconselha que a unidade de medidatemporal corresponda a 1/3 da duração do ciclo. Assim, se (por exemplo) a duração do ciclo forde 60 dias, então deverá ser utilizado um CCI de 20 dias.O processo de cálculo do CCI envolve 4 passos:1) Determinar o Typical Price (TP) relativo ao dia de hoje, comTP=(H+L+C)/3 e H=high (máximo), L=low (mínimo) e C=close (valor de fecho)2) Calcular o SMATP (Simple Moving Average of the Typical Price) a 20 dias3) Calcular o desvio médio (Mean Deviation) da seguinte forma: determinar o valor absoluto dadiferença entre o SMATP e o Typical Price para cada um dos últimos 20 dias; somar todos osvalores resultantes e dividi-los por 20
  58. 58. 4) Finalmente, aplica-se um factor constante (0.0015) e resolve-se a seguinte fórmula:O factor constante assume o valor de 0.0015 por uma simples razão: pretende-se confinar 70%a 80% das observações a um intervalo compreendido entre (–100 e +100). Deste modo, oindicador CCI flutua à volta de zero e a percentagem de valores incluídos no referido intervalovai depender do número de períodos temporais considerados. Quer isto dizer que:--> Um CCI curto será mais volátil, logo a percentagem de valores incluídos no intervalo (–100,+100) será reduzida--> Um CCI longo (i.é, cujo cálculo requer um elevado número de períodos) estará, pela mesmarazão, associado a uma elevada percentagem de valores incluídos no intervalo (–100, +100)Que conclusões se poderão retirar a partir dos valores registrados pelo indicador ? Em primeirolugar, urge salientar que os valores acima de (+100) e abaixo de (-100) representam,respectivamente, indicações de compra e de venda.Em segundo lugar, como cerca de 70% a 80% dos valores pertencem ao referido intervalo,podemos concluir que os sinais de compra e venda só surgem durante 20% a 30% do tempoconsiderado.
  59. 59. Vejamos, mais concretamente, como se desenrola este processo:--> Quando o indicador se move para valores superiores a (+100), um novo sinal de comprapoderá surgir, caso se verifique uma forte tendência de subida--> Quando o indicador se move para valores inferiores a (-100), um novo sinal de vendapoderá surgir, caso se verifique uma forte tendência de quedaRefira-se, finalmente, que a natureza generalista do CCI nos permite aplicá-lo de diversasmaneiras a uma série de ativos, desde as ações às obrigações. Commodity Channel Index (CCI) (12-14-2000 11:33:30 AM por MultiplicadorTRADER)Desenvolvido por Donald Lambert, o Commodity Channel Index (CCI) foi criado com o objetivode tornar mais simples a identificação de períodos cíclicos no valor dos ativos. Por outraspalavras, o cálculo deste indicador parte do pressuposto de que:1. O valor dos bens (ações e obrigações) se movimenta ciclicamente

×