1
Curso On-Line de Capacitação em
openEHR
Informações Gerais e Programa
Renato M.E. Sabbatini, PhD
Objetivos
O curso tem c...
2
• Níveis de Interoperabilidade de SRES
• Padrões de interoperabilidade semântica: o ISO 13606
• Evolução para o openEHR
...
3
Informática Biomédica e foi chefe da área de Informática Biomédica e Bioestatística da
Faculdade de Ciências Biomédicas....
4
O aluno pode acessar todo esse material de forma inteiramente assíncrona (isto é,
independente de data e hora), de acord...
5
3. Pontos adicionais (bônus) atribuidos pela sua participação nos fóruns de
discussão (até um máximo de 2 pontos
Será co...
6
O Que é e Como Estudar a Distância
Participar deste curso é bem diferente de um curso presencial, baseada em ensino em
c...
7
durante a parte a distância do curso, você será um aprendiz invisível para o professor e
demais aprendizes, em suma, voc...
8
A seguir recomendamos qual é a sequência de estudo que você pode seguir em uma
aula:
1. Inicie o estudo do curso primeir...
9
3. Ao assistir a aula, faça anotações, para fixar o seu aprendizado.
4. Reveja os slides das aulas em formato PDF, usado...
10
Videoconferência/Videochat
A realização de encontros semanais entre os participantes, tutores e professores será
marcad...
11
Todos os videochats e palestras feitas através da videoconferência são gravadas e
posteriormente disponibilizadas no si...
12
Com o objetivo de humanizar o relacionamento entre os alunos, tutores e professores
do curso, existe uma área do site o...
13
sempre ler as bibliografias básicas indicadas, pois elas são essenciais para o estudo
neste curso (não se valha apenas ...
14
• Window Media Player: http://windows.microsoft.com/pt-
BR/windows/windows-media-player
• Flash Video Player: http://ww...
15
22. Como representar a complexidade de informação de um SRES
23. Os padrões de conteúdo e estrutura de informação para ...
16
5. Qual é a situação atual
6. Interoperabilidade (níveis)
7. Terminologias e ontologias (CID10, SNOMED, UMLS)
8. Introd...
17
1. Interoperabilidade de sistemas de registros eletrônicos de saúde: necessidades
e a natureza do problema
2. Justifica...
18
Tópicos do Módulo
1. Por que gestão do conhecimento no openEHR?
2. O Modelo de Referência de Informação
3. Necessidades...
19
Objetivos Gerais
1. Apresentar os problemas e as soluções tecnológicas e legais relativos à garantia
de segurança, sigi...
20
Este módulo tem dois exercícios práticos com os seguintes objetivos:
1. Uso da assinatura digital no SRES
2. Caso práti...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Manual do Curso On-line de Capacitação em openEHR

627 visualizações

Publicada em

O curso tem como objetivo introduzir os conceitos fundamentais do modelo openEHR (open Electronic Health Record) de arquitetura e conteúdo de registros eletrônicos de saúde, e seus componentes, e dar noções de como pode ser utilizado para implementar sistemas de registro eletrônico de saúde, tais como prontuários eletrônicos do paciente.

Compõe-se de um módulo teórico, voltado para a apresentação e discussão dos aspectos conceituais, operacionais, de uso, implantação e desenvolvimento do openEHR, e de um módulo prático, voltado para os aspectos técnicos de desenvolvimento de modelos clínicos baseados na plataforma openEHR, tais como a criação e a gestão de arquétipos, templates, terminologias, etc.. Coordenadores: Prof.Dr. Renato M.E. Sabbatini, Dra. Jussara M. Rötzsch, Prof.Dr. Marivan Santiago Abrahão. Instituto HL7 Brasil.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
627
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual do Curso On-line de Capacitação em openEHR

  1. 1. 1 Curso On-Line de Capacitação em openEHR Informações Gerais e Programa Renato M.E. Sabbatini, PhD Objetivos O curso tem como objetivo introduzir os conceitos fundamentais do modelo openEHR (open Electronic Health Record) de arquitetura e conteúdo de registros eletrônicos de saúde, e seus componentes, e dar noções de como pode ser utilizado para implementar sistemas de registro eletrônico de saúde, tais como prontuários eletrônicos do paciente. Compõe-se de um módulo teórico, voltado para a apresentação e discussão dos aspectos conceituais, operacionais do uso, da implantação e do desenvolvimento do openEHR, e de um módulo prático, voltado para os aspectos técnicos de desenvolvimento de modelos clínicos baseados na plataforma openEHR, tais como a criação e a gestão de arquétipos, templates, etc.. Público alvo Profissionais e estudantes da área de saúde (médicos, enfermeiros, dentistas, fisioterapeutas, nutricionistas, etc.) e de informática, participantes de projetos de informatização em saúde e outros que tenham interesse no desenvolvimento de sistemas de informação em saúde, alinhados com a evolução clínica, e de acordo com as determinações para o uso de padrões pelo Ministério da Saúde do Brasil. Programa Didático Introdução aos Padrões de Informação em Saúde • A importância da informação para o profissional de saúde • A informática na saúde e a evolução do conhecimento clínico • O que é um SRES, características, compartilhamento e interoperabilidade • Introdução aos padrões de informação em saúde • Terminologias e ontologias (CID10, SNOMED, UMLS) • Padrões de interoperabilidade. O HL7 e padrões correlatos • Padrões de arquitetura de SRES • A Portaria de padrões do MS Introdução ao Padrão openEHR
  2. 2. 2 • Níveis de Interoperabilidade de SRES • Padrões de interoperabilidade semântica: o ISO 13606 • Evolução para o openEHR • O modelo dual do openEHR • Arquétipos e templates • Modelos de desenvolvimento de SRES baseados no openEHR • Gestão do conhecimento em openEHR Desenvolvimento e Gestão de Modelos Clínicos em openEHR • Ferramentas de desenvolvimento e modelagem de conhecimento clínico • Como usar o Archetype Editor • Como usar o Template Designer • Como usar o Clinical Knowledge Manager (CKM) • Exemplos de arquétipos e templates • Processos de publicação de arquétipos no CKM • ADL (Archetype Description Language) 1.5 e o ADL Workbench • Integrando terminologias aos arquétipos e templates. Segurança, Confidencialidade e Certificação de Sistemas de Registros Eletrônicos de Saúde • Segurança, confidencialidade e qualidade dos SRES • O que é certificação de SRES, justificativa, objetivos e histórico • A certificação dos SRES pelo processo SBIS/CFM • Componentes da certificação: segurança, qualidade e interoperabilidade • Níveis de segurança: NGS1 e NGS1 • O uso do certificado digital nos SRES • O processo de preparação para a certificação Instrutores Dra. Jussara Macedo Pinho Rötzsch, MD Médica, Mestre em Psiquiatria e Saúde Mental pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. Diretora da Fundação OpenEHR, Membro do Programa de Conteúdos Clínicos e do Programa de Localização da Fundação OpenEHR. Coordenadora líder em gestão de arquétipos da SBIS. Membro do Grupo Executivo do Projeto de e-saúde brasileiro, sendo coordenadora do grupo de trabalho de serviços, sistemas e interoperabilidade. Dr. Renato Marcos Endrizzi Sabbatini, PhD Biomédico, doutor pela Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, e professor adjunto aposentado da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP), onde fundou e dirigiu por 20 anos o Núcleo de
  3. 3. 3 Informática Biomédica e foi chefe da área de Informática Biomédica e Bioestatística da Faculdade de Ciências Biomédicas. Foi também fundador e presidente da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde, tendo sido seu Diretor de Educação e Formação Profissional. Fundador e presidente do Instituto Edumed para Educação em Medicina e Saúde. Atualmente é Secretário Geral do Instituto HL7 Brasil e coordenador do Grupo de Interesse de Educação. Home Page: www.renato.sabbatini Dr. Marivan Santiago Abrahão, MD, MSc Médico formado pela Universidade Federal Fluminense (1982), graduação em Análise e Gestão de Sistemas de Informação pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (2002) e mestrado em Medicina (Nefrologia) pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (1988). Membro Titular da Sociedade Brasileira de Informática em Saúde, Clínico Geral, Professor da Fundação Armando Álvares Penteado. Presidente do Instituto HL7 Brasil Brasil. Tem experiência na área de Ciência da Computação, com ênfase em Sistemas de Computação, atuando principalmente nos seguintes temas: Informática Médica, Nefrologia, Sistemas de Informação, Clinica Medica e Saúde Pública. Fundador e presidente do Instituto HL7 Brasil. Coordenador Geral Dr. Marivan Santiago Abrahão, MD, MSc Presidente, Instituto HL7 Brasil Email: chair@hl7.org.br Coordenador Técnico Prof. Dr. Renato M.E. Sabbatini, PhD Secretário Geral, Instituto HL7 Brasil Presidente, Instituto Edumed, HIT Education Email: education@hl7.org.br Coordenador Científico Dra. Jussara Macedo Pinho Rötzsch, MD Diretora, Fundação openEHR Brasil Email: Jussara.macedo@gmail.com Metodologia de Ensino e Aprendizado O curso é ministrado inteiramente através de um site de apoio na Web (www.hl7.virtual.org.br) que contém vídeo-aulas gravadas, cópias dos slides utilizados nas aulas, referências e material de leitura, softwares para download, fórum de interação, chat de texto e plataforma de vídeoconferência, trabalhos e exercícios práticos, enquetes, questionários, etc., bem como um fórum para resolução de dúvidas durante o Curso.
  4. 4. 4 O aluno pode acessar todo esse material de forma inteiramente assíncrona (isto é, independente de data e hora), de acordo com sua própria disponibilidade de tempo. Além disso, serão realizadas três sessões interativas síncronas de videochat, através da plataforma de videoconferência, com participação opcional, entre os estudantes, tutores e professores do curso, em pontos pré-determinados do programa do curso, com o objetivo de discutir dúvidas, debater pontos de interesse, e, eventualmente, apresentar palestras virtuais em tempo real por convidados. O curso consta de cinco módulos de aprendizado, que serão liberados semanalmente para estudo. Os módulos já liberados ficam disponíveis e abertos até o final do curso. Além disso, o participante terá acesso livre adicional por 14 dias após o término do curso, e poderá descarregar alguns materiais para seu uso individual, para estudo off- line. Avaliação do Aprendizado A avaliação do aprendizado individual do aluno é realizado através de seu desempenho nos seguintes itens: 1. Notas obtidas nos questionários objetivos de avaliação do aprendizado (um por módulo, peso de 50%) 2. Notas obtidas na avaliação dos trabalhos práticos individuais entregues (um por módulo, peso de 50%)
  5. 5. 5 3. Pontos adicionais (bônus) atribuidos pela sua participação nos fóruns de discussão (até um máximo de 2 pontos Será considerado aprovado o aluno que obtiver uma nota mínima de 7 (sete) e tiver acessado todas as aulas e materiais do curso, de acordo com o monitor de estatísticas de acesso do site. Certificação Os participantes receberão um certificado de conclusão do Instituto HL7 Brasil. Este curso proporciona também 8 pontos no sistema proTICS de capacitação e certificação profissional da SBIS. Para receber os pontos os participantes interessados deverão obter a nota mínima. Realização Instituto HL7 Brasil: www.hl7.org.br Apoio: Instituto Edumed: www.ead.edumed.org.br Fundação openEHR Brasil: www.openehrbrasil.com.br Sociedade Brasileira de Informática em Saúde: www.sbis.org.br
  6. 6. 6 O Que é e Como Estudar a Distância Participar deste curso é bem diferente de um curso presencial, baseada em ensino em classe. Se você nunca teve a oportunidade de participar de algum curso a distância, eis algumas características importantes que você deve entender para que seu aproveitamento seja o melhor possível neste curso: As aulas expositivas são diferentes: neste curso as aulas expositivas ssão dadas na forma de vídeos pré-gravados, que você pode assistir quando quiser, sem hora marcada. Embora estejam disponíveis o tempo todo, recomendamos que você assista- as em um ritmo constante, idealmente uma ou duas por semana. Além disso, em cada módulo do site existem outros recursos para você aprender por conta própria. os módulos serão liberados para acesso uma vez por semana, para que você siga uma certa ordem, com constância e disciplina, porém os que já foram abertos continuarão disponíveis até o final do curso. Você constrói seu próprio conhecimento: O material exposto é o mínimo necessário que o professor acha que você precisa para aprender os temas propostos. Depende de você, depois disso, aprofundar seu conhecimento com os materiais adicionais sugeridos, ou fazendo pesquisa na Internet ou em bibliotecas. Em geral, se acha praticamente tudo on-line. Aproveite também, e use o glossário recomendado para este curso toda vez que não entender algum termo. Você precisa ter disciplina, hábito e persistência: a maior causa de desistência dos alunos de um curso a distância é a falta de auto-disciplina e de criação de um hábito eficaz de estudo. Reserve pelo menos 3 a 4 horas por semana para estudar o material de um módulo e responder ao questionário de avaliação do conhecimento. Tente criar um hábito (por exemplo, dois dias por semana, das 9 às 11 da noite), como se você estivesse tendo o compromisso de ir a um curso presencial. Não desista do curso se em uma semana não der para cumprir o prometido (como se você tivesse "faltado"): os materiais continuam disponíveis e você pode compensar o tempo perdido se dedicando em dobro. Nunca "falte" mais de uma semana, pois ai você terá que triplicar ou quadruplicar o trabalho em uma semana só, e evidentemente a chance de você conseguir tempo para isso será muito baixa! Responda ao questionário de avaliação: O segundo fator de sucesso no aprendizado on-line é você responder aos questionários de avaliação, pois ele auxilia o professor a avaliar o seu progresso no curso e atribuir um conceito à sua participação. Participe das discussões, expresse-se: O aprendizado a distância não é centrado na figura do professor, como acontece na sala de aula. É centrado no aluno, portanto sua eficiência, dinamismo e motivação vão depender de você, de sua participação. O diálogo é implementado através das ferramentas de comunicação disponíveis no site, que são básicamente os fóruns de discussão. Não se iniba, faça perguntas, responda aos desafios colocados pelo formador, e participe dos debates. É através deles que boa parte do seu aprendizado complementar vai se efetuar. Se você não "falar" nada
  7. 7. 7 durante a parte a distância do curso, você será um aprendiz invisível para o professor e demais aprendizes, em suma, você não "existirá". Verifique e registre seu progresso: aprender é progredir. O objetivo do ensino é um só: mudar alguma coisa em você. Portanto, da mesma forma que o médico faz o seguimento do paciente em vários momentos após a terapia, para se assegurar que houve efeito, você deve avaliar seu próprio progresso. Use o diário do aluno para registrar o que você fez em uma determinada sessão de estudo, e quais as dificuldades e facilidades que teve. Use o questionário de acompanhamento de atividades para seu próprio registro e para dar um feedback do seu progresso para o professor. Ele poderá revisar revisar a ambos, periodicamente, e sugerir ações que melhoraráo o seu aprendizado. Roteiro de Estudo das Aulas O curso é organizado em várias aulas, cada módulo tratando de um tema específico do curso, ou, seja, relativo ao openEHR e conhecimentos subsidiários. No site, cada aula é organizada em uma caixinha numerada, como no exemplo abaixo: Para acessar cada recurso ou ferramenta, basta clicar no título de cada linha. Os vários recursos e ferramentas disponíveis na plataforma de ensino e aprendizado utilizada no curso são identificados por um ícone:
  8. 8. 8 A seguir recomendamos qual é a sequência de estudo que você pode seguir em uma aula: 1. Inicie o estudo do curso primeiramente lendo o Roteiro de Estudo do Módulo. Esse passo é muito importante, pois ele dá uma visão geral do curso, seus objetivos gerais, tópicos que serão tratados, estrutura das aulas, demonstrações, videos instrucionais, leituras, exercícios e tarefas, avaliação do seu aprendizado, etc.; 2. Em seguida assista a(s) video-aula(s) gravada(s). Essas aulas constam geralmente de slides acompanhados do áudio e/ou vídeo do professor, e duram entre 20 a 60 minutos, sendo algumas vezes divididas em dois segmentos de menor duração, para facilitar. Usando os controles da tela de exibição, você pode parar, pausar, retroceder e avançar, como se fosse um gravador de vídeo. Você também pode exibir o vídeo em tela cheia, se quiser;
  9. 9. 9 3. Ao assistir a aula, faça anotações, para fixar o seu aprendizado. 4. Reveja os slides das aulas em formato PDF, usados pelo professor, para reforçar alguns temas. Você pode rever a vídeo-aula e os slides quantas vezes desejar, e na hora que puder; 4. O mais cedo que você puder, logo após a vídeo-aula, responda ao questionário de avaliação da aula, ou seja, o que você achou da mesma quanto à qualidade. Sua opinião é muito importante para nós, com a finalidade de aperfeiçoar o seu aprendizado; 5. Quando tiver tempo, entre no site e roteiro de estudos do módulo novamente, e leia os materiais de estudo recomendados, que ampliarão e aprofundarão o seu conhecimento sobre o tema. Existem leituras básicas e leituras de aprofundamento. Visite os sites da Internet recomendados pelo professor, também; 6. Faça os exercícios práticos e tarefas adicionais propostas, para ajudar a sedimentar os conceitos através de uma visão concreta das aplicações. Alguns exercícios pedem que você colete os resultados dos mesmos em um arquivo DOC, usando um processador de texto comum, ou que escreva em um espaço próprio (formulário). Outros pedem que você coloque o resultado no fórum de discussão, para outros alunos verem e participarem; 7. Se tiver dúvidas ou perguntas a fazer fora de classe sobre a matéria de uma aula, ou do material de leitura, coloque-as por escrito no fórum de dúvidas e discussão geral do curso. O professor ou o tutor as responderá em 1 a 3 dias. Debata também os temas propostos pelo professor, com ele e seus colegas (são propostos um a três temas por módulo); 8. Finalmente, responda ao teste de avaliação do conhecimento. São 5 a 10 questões de múltipla escolha em cada módulo, o que geralmente tomarão cerca de 15 minutos do seu tempo. O sistema é auto-corrigido, ou seja, você saberá a nota que tirou assim que terminar. GEralmente ele é disponibilizado mais no final do tempo dedicado ao módulo, de modo que fique alerta aos avisos; 9. Após completar um módulo, entre no questionário de auto-avaliação do módulo, e clique na opção que mais se aplica ao seu aproveitamento do mesmo. Deste modo, o professor também poderá acompanhá-lo e ajudá-lo em caso de necessidade ou atraso.
  10. 10. 10 Videoconferência/Videochat A realização de encontros semanais entre os participantes, tutores e professores será marcada episodicamente e figurará no calendário de eventos do site do curso, com data e hora marcada (evento sincrônico). A plataforma de videoconferência utilizada (Adobe Connect) do Instituto Edumed oferece vários recursos para o participante, tais como transmissão de áudio e vídeo, compartilhamento de documentos em PDF, exibição sincronizada de slides, quadro branco, enquetes em tempo real, quadro de perguntas e respostas, chat de texto, etc. Para utilizar a plataforma de videoconferência, você deve entrar no site do curso, e clicar no ícone da Classe Virtual, no canto superior esquerdo da tela principal. Em seguida, informe ao Adobe Connect que você entrará como convidado, digite seu nome completo, e clique no botão Entrar na sala. Não é necessário digitar login e senha. Para entender os vários recursos e ferramentas disponíveis na plataforma de videoconferência, assista antes ao vídeo instrucional existente no site do curso. Você pode fazer perguntas e comentários de duas maneiras: usando o chat de texto, ou usando o seu microfone. Caso queira falar, é obrigatório que você esteja usando fones de ouvido, e não alto-falantes no seu computador. A interface do Adobe Connect exige a última versão do Adobe Flash Video instalada em seu computador. Para usar em dispositivos portáteis com sistema operacional iOS ou Android, você deve baixar antes, e instalar, o app do Adobe Connect, que é gratuito.
  11. 11. 11 Todos os videochats e palestras feitas através da videoconferência são gravadas e posteriormente disponibilizadas no site do curso. Diário do Aluno Coloque aqui o seu registro diário do seu progresso no curso, tais como o que você estudou, o que falta completar, dificuldades e obstáculos, anotações de aula para uso próprio, etc. Essas anotações são particulares, e apenas o professor pode visualizá-los (e atribuir uma nota de avaliação, eventualmente, porém não obrigatoriamente). Não coloque contribuições que podem ser de valor para outros colegas ou expresse dúvidas ou perguntas. Para isso use o fórum geral de discussões ou mensagens particulares para o professor. FAQ: Dúvidas Mais Frequentes Antes de fazer uma pergunta sobre o funcionamento do curso, verifique aqui se ela já foi respondida, para evitar duplicidade. Novas perguntas devem ser colocadas no fórum de discussão. Mural de Avisos e Notícias sobre o Curso Uma área do site do curso é dedicada às notícias e avisos colocados pelos professores para os alunos. Estas mensagens também são distribuídas automaticamente por email para todos os participantes. Somente os professores podem postar. Se você quiser postar alguma coisa, use o fórum de discussão geral para isso. Perfil do Participante
  12. 12. 12 Com o objetivo de humanizar o relacionamento entre os alunos, tutores e professores do curso, existe uma área do site onde você pode colocar o seu perfil biográfico e profissional breve, e colocar uma foto, além de outros dados que julgar interessantes, como endereço, telefones, áreas de interesse pessoal e profissional (tags), etc. Embora seja opcional, recomendamos fortemente que o mesmo seja preenchido, além da participação no fórum de auto-apresentação, descrito abaixo. Fórum de Auto-Apresentação Como atividade inicial para construir este grupo de aprendizagem, gostaríamos que você se apresentasse aos professores e colegas, descrevendo brevemente os seguintes ítens: • onde você trabalha, • qual é a sua linha de trabalho ou especialidade, • o que o motivou a participar deste curso virtual, • como é sua família, quais são os seus hobbies, e tudo mais que você queira compartilhar conosco. Auto-Avaliação Crítica Final A avaliação crítica e nota final do seu desempenho, dadas pelo professor, para fins de recebimento do certificado, dependem de você colocar aqui uma auto-avaliação por escrito, em que você deve expressar sua opinião sobre quanto o curso contribuiu para o aumento do seu conhecimento, como você julga que foi seu desempenho de aprendizado, e qual o seu grau de satisfação com os resultados atingidos, em relação às metas e objetivos que você tinha fixado para este curso. O professor atribuirá uma nota final, levando em conta suas notas parciais durante o curso, e ajustes realizados em função da avaliação do seu desempenho, assiduidade, etc. Você terá direito a receber o certificado de aprovação apenas se essa nota final for igual ou superior a 7 (sete). Bibliografia e Recursos de Estudo Um número razoável de indicações de livros, artigos, manuais, relatórios técnicos, documentos legais (como portarias e leis relevantes), sites recomendados, etc., referentes aos temas tratados ao longo do curso, são fornecidos ao aluno através da seção de Bibliografia e Recursos de Estudo. A grande maioria dos recursos são on-line, com acesso gratuito. Nos roteiros de estudo você encontrará também as indicações de leitura para estudo do módulo, que são divididas em dois grupos: básicas e de aprofundamento. Procure
  13. 13. 13 sempre ler as bibliografias básicas indicadas, pois elas são essenciais para o estudo neste curso (não se valha apenas das aulas expositivas para aprender). Download dos Materiais do Curso A área de download do site contém arquivos zipados com material do curso, slides, etc., que podem ser descarregados para uso exclusivamente pessoal pelos alunos inscritos. Não distribua para terceiros ou coloque na Internet, sem autorização prévia. Para descompactar os arquivos você precisa de um programa do tipo UNZIP, PKZIP, etc., dependendo do seu sistema operacional. Pré-requisitos Técnicos para Participação Para participar deste curso são necessários: • Um computador tipo PC, com sistema operacional Windows versões XP ou superior, com memória mínima de 1 GB, disco rígido, monitor de vídeo colorido, mouse e teclado, e placa de som, com microfone e fones de ouvido conectados; • O site do curso deve funcionar também com sistema operacional Apple MacOS ou iOS, bem como Android, Linux e derivados, porém não foram todos testados e não podemos garantir que funcione em todos; • Conectividade à Internet e Web através de um provedor de acesso, em conexão de banda larga mínima de 2 Mbps (a banda larga é necessária apenas se você quiser visualizar os vídeos); • Um software de navegação na Web, como Internet Explorer, Firefox, Safari. Chrome. Opera ou similar; • Um software de leitura de documentos em padrão PDF, como o Adobe Acrobat Reader ou similar; • Plugins Windows Media Player e Adobe Flash Video Player, ambos versáo mais recente; • Um software de compressão e descompressão de arquivos (ZIP). Softwares Aplicativos Necessários Todos os softwares aqui listados podem ser baixados e usados gratuitos (freeware).
  14. 14. 14 • Window Media Player: http://windows.microsoft.com/pt- BR/windows/windows-media-player • Flash Video Player: http://www.adobe.com/shockwave/download/ • PDF Acrobat Reader: http://www.adobe.com/br/products/acrobat/readstep2.html (ou equivalente, como FoxIt Reader) • ZIPador: IZArc: http://www.izarc.org/download2.html Programa dos Módulos Módulo 1: Padrões em Informação em Saúde Objetivos Gerais 1. Dar uma introdução sucinta ao problema, necessidades, criação e implementação de padrões nacionais e internacionais utilizados em sistemas de informação em saúde, quais são os mais conhecidos e como funcionam. 2. Dar noções sobre os padrões usados em informação em saúde, nas áreas de interoperabilidade e arquitetura, examinando em maior detalhe os padrões Health Level 7 (HL7), e CCR e openEHR Tópicos do Módulo 1. Porque padrões? A questão da padronização 2. Definição de padrão 3. Portaria MS 2073 sobre padrões de informação em saúde 4. O que é interoperabilidade 5. O que é HL7, porque, missão e organização 6. Organizações padronizadoras 7. HL7 Brasil: objetivos, metas e ações 8. O projeto educacional do HL7 9. Formas de interoperabilidade 10. Motivos para a interoperabilidade 11. Integração entre sistemas: explosão combinatória 12. Padrões de comunicação 13. Padrões de interoperabilidade de sinais e imagens: ASTM e DICOM 14. HL7 Caso de aplicação: SIGA/SP 15. HL7 V2.x: Tipos de dados 16. Padrões de representação e estrutura de informação: o HL7 CDA e o openEHR 17. Objetivos primários e secundários dos registros eletrônicos de saúde 18. Requisitos fundamentais de um SRES 19. SRES baseado em padrões 20. Conceitos, tipos e níveis de compartilhamento 21. Interoperabilidade básica e semântica. Requisitos.
  15. 15. 15 22. Como representar a complexidade de informação de um SRES 23. Os padrões de conteúdo e estrutura de informação para o SRES 24. O HL7 Reference Information Model. CCR e CDA 25. O openEHR, arquétipos e modelosm como funciona 26.O HL7 FHIR> um novo padrão de interoperabilidade de SRES 27.O IH: integrando softwares de saúde Aulas do Módulo Este módulo consta de três vídeo-aulas, a seguir: 1. Introdução aos Padrões de Informação em Saúde (Dr. Marivan S. Abrahão) 2. Padrões para Interoperabilidade de Registros Eletrônicos de Saúde (Dr. Renato M.E. Sabbatini) 3. Padrões para Arquitetura de Registros Eletrônicos de Saúde (Dr. Renato M.E. Sabbatini) Além disso, há uma aula opcional, sobre modelagem e representação do conhecimento médico, pelo Dr. Marivan. Tarefas e Exercícios Este módulo tem um exercício prático com os seguintes objetivos: 1. Elaboração de uma reflexão sobre o uso de padrões em sistemas usados ou desenvolvidos pelo aluno. Módulo 2: Introdução ao openEHR Objetivos Gerais 1. Fazer uma revisão sucinta dos objetivos e situação atual dos registros eletrõnicos de saúde, dos níveis de interoperabilidade e das terminologias e ontologias atualmente em maior uso 2. Introduzir os conceitos básicos do padrão openEHR, como ocorreu a sua evolução, e seus fundamentos estruturantes, como arquétipos, templates, etc., caracterizando o chamado modelo dual 3. Dar uma visão geral das metodologias de construção e atualização do padrão openEHR, e as ferramentas utilizadas para o desenvolvimento e gestão da sua base de conhecimento para suas aplicações (CKM) Tópicos do Módulo 1. A importância da informação para o profissional de saúde 2. A crescente evolução do conhecimento clínico 3. A informática na saúde 4. O que é um RES
  16. 16. 16 5. Qual é a situação atual 6. Interoperabilidade (níveis) 7. Terminologias e ontologias (CID10, SNOMED, UMLS) 8. Introdução ao standard 9. HL7 e ISO 13606 10. Evolução para o openEHR 11. Modelo dual 12. Arquétipos 13. Templates 14. Programas de desenvolvimento 15. Clinical Knowledge Management 16. Processos de publicação de arquétipos no CKM Aulas do Módulo Este módulo consta de 2 vídeo aulas, a seguir: 1. Introdução ao openEHR, Parte 1: Introdução - Profa.Dra. Jussara M. Roetzsch 2. Introdução ao openEHR, Parte 2: O Padrão - Profa.Dra. Jussara M. Roetzsch Tarefas e Exercícios Este módulo tem um exercício prático com os seguintes objetivos: 1. Identificar casos reais de aplicação do openEHR, selecionar, resumir e comentar um da preferência do aluno. Módulo 3: Ferramentas de desenvolvimento para o openEHR Objetivos Gerais 1. Rever os conceitos estruturantes do padrão openEHR, características, funções, componentes e utilização; 2. Discutir em detalhe os componentes principais, baseados em arquétipos, dando exemplos reais; 3. Demonstrar como é o processo de desenvolvimento e gestão dos modelos clínicos de uma plataforma openEHR 4. Aprender na prática como criar um arquétipo e um template, usando ferramentas de software do openEHR; 5. Discutir as implicações das plataformas de desenvolvimento de dois níveis do openEHR e sua integração, com a finalidade de implementação de PEPs Tópicos do Módulo
  17. 17. 17 1. Interoperabilidade de sistemas de registros eletrônicos de saúde: necessidades e a natureza do problema 2. Justificativa para o openEHR como padrão de arquitetura e conhecimento 3. Princípios fundamentais do openEHR 4. A estrutura de dois níveis do openEHR 5. A plataforma de modelagem do openEHR: tipos de estruturas hierárquicas 6. Arquétipos, seções, composições, agregados e templates: definições, usos e exemplos 7. A metodologia de desenvolvimento de uma plataforma openEHR> atores e plataformas 8. Ferramentas mais comuns utilizadas para o desenvolvimento: Archetype Editor e Template Designer 9. O papel das terminologias no desenvolvimento 10. A Archetype Definition Language (ADL) 11. Como desenvolver ou modificar um arquétipo em openEHR 12. Como desenvolver ou modificar um arquétipo em openEHR 13. Pontos positivos e problemas no modelo openEHR Aulas do Módulo Este módulo consta de três vídeo aulas, a seguir: 1. Vídeo-aula expositiva: Metodologias de Desenvolvimento para o openEHR. Prof. Renato M.E. Sabbatini 2. Video-aula prática: Como usar o Archetype Editor. Prof. Marivan S. Abrahão Vídeo-aula prática: Como usar o Template Designer. Prof. Marivan S. Abrahão Tarefas e Exercícios Este módulo tem dois exercícios práticos com os seguintes objetivos: 1. Desenvolvimento de um arquétipo simples usando o Archetype Editor 2. Desenvolvimento de um template simples usando o Template Designer Módulo 4: Representação e Gestão do Conhecimento no openEHR Objetivos Gerais 1. Dar noções gerais de gestão do conhecimento e sua aplicação em informática em saúde. 2. Expor o que é gestão e representação do conhecimento na modelagem de um sistema de registro de informações em saúde, e como é implementado 3. Como a gestão e representação do conhecimento são implementados na plataforma openEHR
  18. 18. 18 Tópicos do Módulo 1. Por que gestão do conhecimento no openEHR? 2. O Modelo de Referência de Informação 3. Necessidades de interconectividade e interoperabilidade em saúde: os 4. problemas e como resolvê-los 5. Sistemas de intercâmbio de informações em saúde 6. Dificuldades de gestão do conhecimento em saúde 7. Conceitos básicos sobre conhecimento e sobre gestão do conhecimento. 8. O ciclo do conhecimento 9. O que é conhecimento na atenção à saúde, lógica da gestão e interoperabilidade 10. Gestão do conhecimento em openEHR: o ADL Workbench 11. Gestão do conhecimento em openEHR: o CKM 12. Fontes de conhecimento em openEHR 13. Formalização dos modelos de referência em openEHR 14. Gestão do conhecimento em openEHR 15. Ferramentas e recursos de desenvolvimento 16. Usando o ADL Workbench 17. Usando o CKM 18. Fontes de conhecimento em openEHR 19. Compartilhamento de conhecimento: projetos e incubadores 20. Terminologia e openEHR: o que é, exemplos de uso 21. Conectando terminologias a arquétipos e templates 22. Terminologias internas e externas 23. OTS: Ocean Terminology Server 24. A equipe de modelagem clínica Aulas do Módulo Este módulo consta de duas vídeo aulas, a seguir: 1. Introdução à Gestão do Conhecimento Clínico em openEHR. Prof.Dr. Renato M.E. Sabbatini (Parte 1 - 29 min, Parte 2 - 24 min) Além disso, há uma aula suplementar opcional, sobre: 1. openEHR ADL Workbench: Getting Started. openEHR Foundation (em 3 partes, Prof. Thomas Beale) Tarefas e Exercícios Este módulo tem um exercício prático com os seguintes objetivos: 1. Utilização do openEHR CKM Módulo 5: Segurança, Qualidade e Certificação do SRES
  19. 19. 19 Objetivos Gerais 1. Apresentar os problemas e as soluções tecnológicas e legais relativos à garantia de segurança, sigilo, confidencialidade, integridade, etc. dos registros eletrônicos de saúde, especialmente o PEP; 2. Apresentar a justificativa e os critérios de certificação de segurança do PEP; 3. Discutir o uso do certificado digital para autenticação, assinatura e criptografia dos registros de saúde; 4. Dar uma visão geral sobre o problema e as soluções possíveis para a certificação de qualidade, segurança e interoperabilidade de Sistemas de Registro Eletrônico de Saúde; 5. Expor o processo brasileiro (SBIS/CFM) de certificação de S -RES, seus objetivos, escopo, características e funcionamento. Tópicos do Módulo 1. Os dados médicos na era da informática; 2. Evolução da informática em saúde e a segurança dos registros eletrônicos; 3. Os eixos da segurança das informações em saúde e as ameaças; 4. Aspectos éticos e legais; 5. Controles para garantir a segurança: níveis 1 e 2, o que significam; 6. A eliminação do papel nos sistemas de informação em saúde; 7. Certificação de segurança dos SRES; 8. O uso do certificado digital, como funciona, status no Brasil; 9. O CRM Digital. 10. Motivação e objetivos da certificação de software em saúde 11. Padrões, segurança e qualidade 12. Histórico da certificação de SRES no Brasil 13. O processo da certificação SBIS/CFM R 14. eferenciais teóricos , princípios e escopo da certificação 15. Conceitos, normas e condições da certificação 16. Validade e extensibilidade da certificação 17. O processo para a certificação SBIS/CFM 18. Uso da informação relacionada com a certificação 19. O futuro da certificação SBIS/CFM 20. Capacitação e formação profissional em certificação de SRES Aulas do Módulo Este módulo consta de duas vídeo aulas, a seguir: 1. Segurança e confidencialidade do prontuário eletrônico do paciente. Prof.Dr. Renato M.E. Sabbatini 2. Certificação de Sistemas de Registro Eletrônico de Saúde. Prof.Dr. Renato M.E. Sabbatini Tarefas e Exercícios
  20. 20. 20 Este módulo tem dois exercícios práticos com os seguintes objetivos: 1. Uso da assinatura digital no SRES 2. Caso prático de certificação de SRES Tópicos Avançados (Módulo Opcional) • Os padrões HL7 CDA e FHIR • ASTM Standards for the Electronic Health Record • DCM: Detailed Clinical Models • openEHR Archetypes for HL7 CDA Documents • FHIR-openEHR Data Types Cross Analysis • openEHR to ISO 13606-1 and ISO 21090 Mapping • Vídeo: Introdução ao IHE - Integrating the Health Enterprise • IHE Wiki • Video: Concept. History and Evolution of Clinical Archetypes - Thomas Beale Copyright © 2014 Renato Marcos Endrizzi Sabbatini, Campinas, Brasil Todos os direitos reservados. O material aqui exposto não pode ser copiado, reproduzido ou distribuído sem autorização do autor.

×