Origens dos stocks <br />Os stocks podem ter diversas origens, uns são involuntários enquanto outros são deliberados.<br />
Os stocks involuntários derivam de: <br />Erros na previsão da procura.<br />Produção acima da necessária.<br />
Os stocks deliberados derivam de:<br />Produção antecipada devido a um prazo longo que decorre entre a encomenda e a produ...
Objectivo dos stocks:<br />Permitir anular ou minimizar as variações imprevisíveis da procura do consumo de materiais, dos...
Limitações<br />Sempre que os stocks ultrapassem os limites do razoável tornam-se inúteis e passam a ser considerados uma ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Origens dos stocks

470 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
470
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
12
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Origens dos stocks

  1. 1. Origens dos stocks <br />Os stocks podem ter diversas origens, uns são involuntários enquanto outros são deliberados.<br />
  2. 2. Os stocks involuntários derivam de: <br />Erros na previsão da procura.<br />Produção acima da necessária.<br />
  3. 3. Os stocks deliberados derivam de:<br />Produção antecipada devido a um prazo longo que decorre entre a encomenda e a produção.<br />Produção antecipada para nivelamento das flutuações da procura.<br />Stocks necessários para compensar irregularidades na gestão da fabricação (maquilhagem), do controlo e dos transportes.<br />Stocks de segurança para o caso de avaria das máquinas ou da existência de produtos defeituosos.<br />Stocks resultantes da produção por lotes de grande dimensão a fim de evitar os tempos longos de mudança de série.<br />
  4. 4. Objectivo dos stocks:<br />Permitir anular ou minimizar as variações imprevisíveis da procura do consumo de materiais, dos prazos de entrega e da qualidade dos materiais recebidos.<br />Conseguir uma certa autonomia entre a produção, as vendas e as compras, não fazendo reflectir na produção e nas vendas as variações sazonais. <br />Permitir a compra a custos mais favoráveis e a produção de bens a custos inferiores.<br />Beneficiar de descontos pela compra de grandes quantidades.<br />Fazer face a situações imprevisíveis de falta de produtos em armazém.<br />
  5. 5. Limitações<br />Sempre que os stocks ultrapassem os limites do razoável tornam-se inúteis e passam a ser considerados uma grande desvantagem para a empresa.<br />Existem produtos que não podem ser guardados em stock, como o caso do pão, dos legumes e de tantos outros produtos cuja fragilidade não permite a sua conversação durante muito tempo.<br />O custo de constituição de um stock é bastante elevado e a empresa tem de o suportar(pois enchem armazéns e tornam-se um peso morto para a empresa).<br />A possibilidade de ruptura de stock conduz a uma falha nas vendas ou na produção. As empresas arriscam-se a perder clientes ou a parar toda a sua linha de fabrico devido à falta de produtos ou de matérias-primas.<br />

×