SlideShare uma empresa Scribd logo

Como se manter atualizado em medicina de família

O documento discute como médicos de família e comunidade podem se manter atualizados em seu campo por meio de leitura crítica, estudos imediatos e uso de diversas fontes de informação confiáveis. Ele destaca a importância da medicina baseada em evidências, com foco nos desfechos clínicos relevantes, no rigor metodológico e no potencial impacto das intervenções médicas.

1 de 42
Baixar para ler offline
Como Estudar e se ManterComo Estudar e se Manter
Atualizado em MedicinaAtualizado em Medicina
de Família e Comunidadede Família e Comunidade
Michael Schmidt Duncan
Médico de Família e Comunidade
“É impressionante que um médico possa
praticar a medicina com pouquíssima
leitura. O que não impressiona é o quão
mal ele pode fazê-lo.”
William Osler
Escopo da MFCEscopo da MFC
Saúde da criança
Saúde do adolescente
Saúde da mulher grávida
Saúde da mulher não-grávida
Saúde do homem
Saúde do idoso
Saúde mental
Procedimentos cirúrgicos
Saúde da família
Saúde da comunidade
Saúde
integral de
pessoas,
famílias e
comunidades
Áreas de Conhecimento em MFCÁreas de Conhecimento em MFC
Conhecimento clínico
Conhecimento relacionado às ferramentas
da MFC (método clínico centrado na
pessoa, abordagem familiar, abordagem
comunitária, entrevista motivacional,
habilidades de comunicação)
Conhecimentos do campo da APS
(atributos da APS, funcionamento do SUS,
epidemiologia clínica, etc.)
Como estudar MFCComo estudar MFC
Se inspirar em bons modelos
Identificar áreas de maior dificuldade e focar
nelas (leitura em casa, ter acesso a bons
livros a respeito)
Estudo imediato
◦ Estudo sob demanda (on the spot), focado
◦ Estudar quando surge a dúvida durante a prática
clínica
◦ Conhecer as fontes de pesquisa para as dúvidas
clínicas de modo a poder responder rapidamente às
dúvidas
Não Faltam Fontes de InformaçãoNão Faltam Fontes de Informação

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Planejamento das Medições (aula 5)
Planejamento das Medições (aula 5)Planejamento das Medições (aula 5)
Planejamento das Medições (aula 5)Sandra Lago Moraes
 
Estudos Observacionais (aula 7)
Estudos Observacionais (aula 7)Estudos Observacionais (aula 7)
Estudos Observacionais (aula 7)Sandra Lago Moraes
 
Aula 4 ensaio clínico randomizado
Aula 4   ensaio clínico randomizadoAula 4   ensaio clínico randomizado
Aula 4 ensaio clínico randomizadoRicardo Alexandre
 
Estudos epidemiológicos
Estudos epidemiológicosEstudos epidemiológicos
Estudos epidemiológicosLene So
 
Aula 4 estudo de caso controle
Aula 4   estudo de caso controleAula 4   estudo de caso controle
Aula 4 estudo de caso controleRicardo Alexandre
 
Revisão sistemática de estudos de acurácia
Revisão sistemática de estudos de acuráciaRevisão sistemática de estudos de acurácia
Revisão sistemática de estudos de acuráciaIared
 
Tipos de estudos epidemiológicos
Tipos de estudos epidemiológicosTipos de estudos epidemiológicos
Tipos de estudos epidemiológicosArquivo-FClinico
 
Princípios básicos em pesquisa.2
Princípios básicos em pesquisa.2Princípios básicos em pesquisa.2
Princípios básicos em pesquisa.2imaramorosini
 
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidênciaSistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidênciahttp://bvsalud.org/
 
Estudos longitudinais - Psicologia
Estudos longitudinais - PsicologiaEstudos longitudinais - Psicologia
Estudos longitudinais - PsicologiaHenrique Gomide
 
Aula 2 planejando e desenhando um estudo epidemiológico
Aula 2   planejando e desenhando um estudo epidemiológicoAula 2   planejando e desenhando um estudo epidemiológico
Aula 2 planejando e desenhando um estudo epidemiológicoRicardo Alexandre
 
Princípios básicos de pesquisa na área de saúde - delineamentos
Princípios básicos de pesquisa na área de saúde - delineamentosPrincípios básicos de pesquisa na área de saúde - delineamentos
Princípios básicos de pesquisa na área de saúde - delineamentosEstomatologia / Oral Medicine (UFPR)
 
Epidemiologia Aplicada a Fonoaudiologia
Epidemiologia Aplicada a FonoaudiologiaEpidemiologia Aplicada a Fonoaudiologia
Epidemiologia Aplicada a FonoaudiologiaJames Tomaz-Morais
 
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. RilvaMedicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. RilvaRilva Lopes de Sousa Muñoz
 
Métodos empregados em epidemiologia 2013 20130302000453
Métodos empregados em epidemiologia 2013 20130302000453Métodos empregados em epidemiologia 2013 20130302000453
Métodos empregados em epidemiologia 2013 20130302000453Wilson Guedes
 
Métodos de Investigação Epidemiológica
Métodos de Investigação Epidemiológica Métodos de Investigação Epidemiológica
Métodos de Investigação Epidemiológica Daniela Frizon Alfieri
 

Mais procurados (20)

Planejamento das Medições (aula 5)
Planejamento das Medições (aula 5)Planejamento das Medições (aula 5)
Planejamento das Medições (aula 5)
 
Curso rs e ma
Curso rs e maCurso rs e ma
Curso rs e ma
 
Estudos Observacionais (aula 7)
Estudos Observacionais (aula 7)Estudos Observacionais (aula 7)
Estudos Observacionais (aula 7)
 
Aula 4 ensaio clínico randomizado
Aula 4   ensaio clínico randomizadoAula 4   ensaio clínico randomizado
Aula 4 ensaio clínico randomizado
 
Estudos epidemiológicos
Estudos epidemiológicosEstudos epidemiológicos
Estudos epidemiológicos
 
Aula 4 estudo de caso controle
Aula 4   estudo de caso controleAula 4   estudo de caso controle
Aula 4 estudo de caso controle
 
Revisão sistemática de estudos de acurácia
Revisão sistemática de estudos de acuráciaRevisão sistemática de estudos de acurácia
Revisão sistemática de estudos de acurácia
 
Tipos de estudos epidemiológicos
Tipos de estudos epidemiológicosTipos de estudos epidemiológicos
Tipos de estudos epidemiológicos
 
Princípios básicos em pesquisa.2
Princípios básicos em pesquisa.2Princípios básicos em pesquisa.2
Princípios básicos em pesquisa.2
 
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidênciaSistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
Sistema GRADE: Avaliação da qualidade da evidência
 
Estudos longitudinais - Psicologia
Estudos longitudinais - PsicologiaEstudos longitudinais - Psicologia
Estudos longitudinais - Psicologia
 
Aula 2 tipos de estudo
Aula 2   tipos de estudoAula 2   tipos de estudo
Aula 2 tipos de estudo
 
Aula 4 estudos de coorte
Aula 4   estudos de coorteAula 4   estudos de coorte
Aula 4 estudos de coorte
 
Aula 2 planejando e desenhando um estudo epidemiológico
Aula 2   planejando e desenhando um estudo epidemiológicoAula 2   planejando e desenhando um estudo epidemiológico
Aula 2 planejando e desenhando um estudo epidemiológico
 
Princípios básicos de pesquisa na área de saúde - delineamentos
Princípios básicos de pesquisa na área de saúde - delineamentosPrincípios básicos de pesquisa na área de saúde - delineamentos
Princípios básicos de pesquisa na área de saúde - delineamentos
 
Epidemiologia Aplicada a Fonoaudiologia
Epidemiologia Aplicada a FonoaudiologiaEpidemiologia Aplicada a Fonoaudiologia
Epidemiologia Aplicada a Fonoaudiologia
 
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. RilvaMedicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
Medicina Baseada em Evidências - GESME - Profa. Rilva
 
Semiologia Baseada em Evidências
Semiologia Baseada em EvidênciasSemiologia Baseada em Evidências
Semiologia Baseada em Evidências
 
Métodos empregados em epidemiologia 2013 20130302000453
Métodos empregados em epidemiologia 2013 20130302000453Métodos empregados em epidemiologia 2013 20130302000453
Métodos empregados em epidemiologia 2013 20130302000453
 
Métodos de Investigação Epidemiológica
Métodos de Investigação Epidemiológica Métodos de Investigação Epidemiológica
Métodos de Investigação Epidemiológica
 

Semelhante a Como se manter atualizado em medicina de família

Epidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternáriaEpidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternáriaVinicius Moreira
 
MCCP aula internato APS UFOP
MCCP aula internato APS UFOPMCCP aula internato APS UFOP
MCCP aula internato APS UFOPLeonardo Savassi
 
Psico-oncologia
Psico-oncologiaPsico-oncologia
Psico-oncologiaAndressawm
 
Psico-oncologia
Psico-oncologiaPsico-oncologia
Psico-oncologiaAndressawm
 
Aulas im 2012 13 fmuc
Aulas im 2012   13 fmucAulas im 2012   13 fmuc
Aulas im 2012 13 fmuccommed1
 
Medicalização no contexto da atenção psicossocial
Medicalização no contexto da atenção psicossocialMedicalização no contexto da atenção psicossocial
Medicalização no contexto da atenção psicossocialCENAT Cursos
 
Como escrever relato de caso
Como escrever relato de casoComo escrever relato de caso
Como escrever relato de casoRenan Martins
 
Medicina baseada em evidências
Medicina baseada em evidênciasMedicina baseada em evidências
Medicina baseada em evidênciasRicardo Alexandre
 
Como fazer a transição de Allopathic à Prática Integrada - IMMH Brasil 2015
Como fazer a transição de Allopathic à Prática Integrada - IMMH Brasil 2015Como fazer a transição de Allopathic à Prática Integrada - IMMH Brasil 2015
Como fazer a transição de Allopathic à Prática Integrada - IMMH Brasil 2015Louis Cady, MD
 
Curso Curricular Consulta 1 ano - Decisão clínica
Curso Curricular Consulta 1 ano - Decisão clínica Curso Curricular Consulta 1 ano - Decisão clínica
Curso Curricular Consulta 1 ano - Decisão clínica David Rodrigues
 
01 princípios de epidemiologia clínica aplicada à cardiologia 1998
01   princípios de epidemiologia clínica aplicada à cardiologia 199801   princípios de epidemiologia clínica aplicada à cardiologia 1998
01 princípios de epidemiologia clínica aplicada à cardiologia 1998gisa_legal
 
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúde
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúdeAspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúde
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúdeVanessa Paiva
 
Medicina baseada em evidências cmmfc
Medicina baseada em evidências   cmmfcMedicina baseada em evidências   cmmfc
Medicina baseada em evidências cmmfcRicardo Alexandre
 
Aula 5- ser biopsicossocial.pptx
Aula 5- ser biopsicossocial.pptxAula 5- ser biopsicossocial.pptx
Aula 5- ser biopsicossocial.pptxCarlaAlves362153
 
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.pptMuniza Alfredo
 

Semelhante a Como se manter atualizado em medicina de família (20)

Aula31 07 2014
Aula31 07 2014Aula31 07 2014
Aula31 07 2014
 
Epidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternáriaEpidemiologia -Prevenção quaternária
Epidemiologia -Prevenção quaternária
 
MCCP aula internato APS UFOP
MCCP aula internato APS UFOPMCCP aula internato APS UFOP
MCCP aula internato APS UFOP
 
Psico-oncologia
Psico-oncologiaPsico-oncologia
Psico-oncologia
 
Psico-oncologia
Psico-oncologiaPsico-oncologia
Psico-oncologia
 
Aulas im 2012 13 fmuc
Aulas im 2012   13 fmucAulas im 2012   13 fmuc
Aulas im 2012 13 fmuc
 
Medicalização no contexto da atenção psicossocial
Medicalização no contexto da atenção psicossocialMedicalização no contexto da atenção psicossocial
Medicalização no contexto da atenção psicossocial
 
Como escrever relato de caso
Como escrever relato de casoComo escrever relato de caso
Como escrever relato de caso
 
Desenhos de pesquisa
Desenhos de pesquisaDesenhos de pesquisa
Desenhos de pesquisa
 
Medicina baseada em evidências
Medicina baseada em evidênciasMedicina baseada em evidências
Medicina baseada em evidências
 
Aula 5 as doenças os doentes e os medicos
Aula 5 as doenças os doentes e os medicosAula 5 as doenças os doentes e os medicos
Aula 5 as doenças os doentes e os medicos
 
Como fazer a transição de Allopathic à Prática Integrada - IMMH Brasil 2015
Como fazer a transição de Allopathic à Prática Integrada - IMMH Brasil 2015Como fazer a transição de Allopathic à Prática Integrada - IMMH Brasil 2015
Como fazer a transição de Allopathic à Prática Integrada - IMMH Brasil 2015
 
Anamnese eraldo2014.pptj
Anamnese eraldo2014.pptjAnamnese eraldo2014.pptj
Anamnese eraldo2014.pptj
 
Curso Curricular Consulta 1 ano - Decisão clínica
Curso Curricular Consulta 1 ano - Decisão clínica Curso Curricular Consulta 1 ano - Decisão clínica
Curso Curricular Consulta 1 ano - Decisão clínica
 
01 princípios de epidemiologia clínica aplicada à cardiologia 1998
01   princípios de epidemiologia clínica aplicada à cardiologia 199801   princípios de epidemiologia clínica aplicada à cardiologia 1998
01 princípios de epidemiologia clínica aplicada à cardiologia 1998
 
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúde
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúdeAspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúde
Aspectos emocionais, condições de vida e de trabalho dos trabalhadores da saúde
 
Epidemiologia básica 1
Epidemiologia básica 1Epidemiologia básica 1
Epidemiologia básica 1
 
Medicina baseada em evidências cmmfc
Medicina baseada em evidências   cmmfcMedicina baseada em evidências   cmmfc
Medicina baseada em evidências cmmfc
 
Aula 5- ser biopsicossocial.pptx
Aula 5- ser biopsicossocial.pptxAula 5- ser biopsicossocial.pptx
Aula 5- ser biopsicossocial.pptx
 
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
1. CONCEITO E USOS EPIDEMIOLOGIA.ppt
 

Mais de Inaiara Bragante (20)

Aula Abordagem Comunitária
Aula Abordagem ComunitáriaAula Abordagem Comunitária
Aula Abordagem Comunitária
 
Edital prmfc2018
Edital prmfc2018Edital prmfc2018
Edital prmfc2018
 
Regimento2017
Regimento2017Regimento2017
Regimento2017
 
Rmnf2222
Rmnf2222Rmnf2222
Rmnf2222
 
Cmaj.140703.full
Cmaj.140703.fullCmaj.140703.full
Cmaj.140703.full
 
Pós teste
Pós testePós teste
Pós teste
 
Pré teste
Pré testePré teste
Pré teste
 
Pós teste
Pós testePós teste
Pós teste
 
Comunicando más notícias
Comunicando más notíciasComunicando más notícias
Comunicando más notícias
 
Ciclo de vida individual e familiar
Ciclo de vida individual e familiarCiclo de vida individual e familiar
Ciclo de vida individual e familiar
 
Bb dm – extra
Bb dm – extraBb dm – extra
Bb dm – extra
 
Bb dm2
Bb dm2Bb dm2
Bb dm2
 
Conduta terapeutica
Conduta terapeuticaConduta terapeutica
Conduta terapeutica
 
Caso clinico alcool
Caso clinico alcoolCaso clinico alcool
Caso clinico alcool
 
M1 d2a6q1 cage_2009-03-13
M1 d2a6q1 cage_2009-03-13M1 d2a6q1 cage_2009-03-13
M1 d2a6q1 cage_2009-03-13
 
Tratamento farmacológico em dependência química helio -sandra
Tratamento farmacológico em dependência química  helio -sandraTratamento farmacológico em dependência química  helio -sandra
Tratamento farmacológico em dependência química helio -sandra
 
Rz clin residentes_brasil_2
Rz clin residentes_brasil_2Rz clin residentes_brasil_2
Rz clin residentes_brasil_2
 
Aula31 07 2014
Aula31 07 2014Aula31 07 2014
Aula31 07 2014
 
Casos clínicos (3)
Casos clínicos (3)Casos clínicos (3)
Casos clínicos (3)
 
P4 idosos j. gervas (1) (1)
P4 idosos   j. gervas (1) (1)P4 idosos   j. gervas (1) (1)
P4 idosos j. gervas (1) (1)
 

Como se manter atualizado em medicina de família

  • 1. Como Estudar e se ManterComo Estudar e se Manter Atualizado em MedicinaAtualizado em Medicina de Família e Comunidadede Família e Comunidade Michael Schmidt Duncan Médico de Família e Comunidade
  • 2. “É impressionante que um médico possa praticar a medicina com pouquíssima leitura. O que não impressiona é o quão mal ele pode fazê-lo.” William Osler
  • 3. Escopo da MFCEscopo da MFC Saúde da criança Saúde do adolescente Saúde da mulher grávida Saúde da mulher não-grávida Saúde do homem Saúde do idoso Saúde mental Procedimentos cirúrgicos Saúde da família Saúde da comunidade Saúde integral de pessoas, famílias e comunidades
  • 4. Áreas de Conhecimento em MFCÁreas de Conhecimento em MFC Conhecimento clínico Conhecimento relacionado às ferramentas da MFC (método clínico centrado na pessoa, abordagem familiar, abordagem comunitária, entrevista motivacional, habilidades de comunicação) Conhecimentos do campo da APS (atributos da APS, funcionamento do SUS, epidemiologia clínica, etc.)
  • 5. Como estudar MFCComo estudar MFC Se inspirar em bons modelos Identificar áreas de maior dificuldade e focar nelas (leitura em casa, ter acesso a bons livros a respeito) Estudo imediato ◦ Estudo sob demanda (on the spot), focado ◦ Estudar quando surge a dúvida durante a prática clínica ◦ Conhecer as fontes de pesquisa para as dúvidas clínicas de modo a poder responder rapidamente às dúvidas
  • 6. Não Faltam Fontes de InformaçãoNão Faltam Fontes de Informação
  • 7. Leitura CríticaLeitura Crítica Conhecer bem as fontes Estudar por diversas fontes Dominar conceitos básicos de epidemiologia clínica e MBE (estar atento a vieses e aos desfechos não relevantes clinicamente)
  • 8. Alguns livros importantesAlguns livros importantes
  • 9. Alguns livros importantesAlguns livros importantes
  • 10. Alguns livros importantesAlguns livros importantes
  • 11. Alguns livros importantesAlguns livros importantes
  • 12. Alguns livros importantesAlguns livros importantes
  • 13. Alguns livros importantesAlguns livros importantes
  • 14. Alguns livros importantesAlguns livros importantes
  • 15. Alguns livros importantesAlguns livros importantes
  • 16. Alguns livros importantesAlguns livros importantes
  • 17. Alguns livros importantesAlguns livros importantes
  • 18. Leitura CríticaLeitura Crítica Conhecer bem as fontes Estudar por diversas fontes Dominar conceitos básicos de epidemiologia clínica e MBE (estar atento a vieses e aos desfechos não relevantes clinicamente)
  • 19. Medicina Moderna: Início em torno deMedicina Moderna: Início em torno de 1830, com abandono de rituais1830, com abandono de rituais terapêuticosterapêuticos
  • 20. Medicina no Pós-GuerraMedicina no Pós-Guerra Penicilina, 1941 Cortisona, 1949 Estreptomicina, 1950 Clorpromazina, 1952 Cirurgia cardíaca, 1955 Fumo x Câncer pulmão, 1950
  • 21. Uma Cornucópia de Novas DrogasUma Cornucópia de Novas Drogas 1930s Aspirina Digoxina Tiroxina e insulina Salvarsan Brometos Barbituratos Morfina 1960s Mais de 2000 The rise and fall of modern medicine, James Le Fanu, 1999
  • 25. O Ensaio Clínico Randomizado
  • 26. As physicians, whether serving individual patients or populations, we always have sought to base our decisions and actions on the best possible evidence. Sackett DL and Rosenberg WMC. The need for evidence-based medicine. J Royal Soc Med 1995;88:620-624.
  • 27. The ascendancy of the randomized trial heralded a fundamental shift in the way that we establish the clinical bases for diagnosis, prognosis, and therapeutics. Sackett DL and Rosenberg WMC. The need for evidence-based medicine. J Royal Soc Med 1995;88:620-624.
  • 28. The ability to track down, critically appraise (for its validity and usefulness), and incorporate this rapidly growing body of evidence into one’s clinical practice has been named “evidence-based medicine”. Sackett DL and Rosenberg WMC. The need for evidence-based medicine. J Royal Soc Med 1995;88:620-624.
  • 29. EvidênciasEvidências 1- Priorizam pesquisas em seres humanos, em especial aquelas com desfechos clínicos de significância ao paciente e à sociedade. 2-Valorizam rigor metodológico (delineamento da pesquisa). 3-Estimam o potencial impacto de condutas clínicas. Duncan BB, Schmidt MI. Medicina Baseada em Evidências. Em: Duncan, Schmidt, Giugliani. Medicina Ambulatorial, 2004
  • 30. 1-Priorizam a Significância1-Priorizam a Significância do Desfecho de Saúdedo Desfecho de Saúde Doença (ou complicação clínica de doença) Disfunção Desconforto Descontentamento Desenlace (morte) Despesa Significância direta: •Medidas fisiológicas •Medidas bioquímicas, etc Significância indireta:
  • 31. 2-Valorizam o Delineamento2-Valorizam o Delineamento Níveis de EvidênciaNíveis de Evidência Guyatt G et al. BMJ 2008;336:924-926. Ensaio Clínico Randomizado Estudos Observacionais
  • 32. 3-Estimam o Potencial Impacto3-Estimam o Potencial Impacto Risco relativo (RR e RRR) Risco absoluto (NNT)
  • 33. Medicina Baseada emMedicina Baseada em EvidênciasEvidências • Medicina de torre de marfim • Medicina de livro de receita • Medicina baseada apenas em ensaios clínicos randomizados e meta-análises • Forma de gestores/seguradoras de saúde limitarem os gastos médicos Não é:
  • 34. A Prática da Medicina Baseada emA Prática da Medicina Baseada em EvidênciasEvidências
  • 35. A Prática da Medicina Baseada emA Prática da Medicina Baseada em EvidênciasEvidências PassosPassos 1. Converter a necessidade de informação em questão padronizada que possa ser efetivamente respondida.
  • 36. A Prática da Medicina Baseada emA Prática da Medicina Baseada em EvidênciasEvidências PassosPassos 2. Rastrear a literatura em busca das melhores evidências para responder a questão formulada.
  • 37. Hieraquia de OrganizaHieraquia de Organizaçãoção das Evidenciasdas Evidencias Haynes B. Of studies, synteheses, synopses, summaries and systems: the “ 5S” evolution of information services for evidence-baswed healthcare decisions. Ev Based Nursing 2007; 10:6-7.
  • 38. A Prática da Medicina Baseada emA Prática da Medicina Baseada em Evidências: PassosEvidências: Passos 3. Analisar criticamente as evidências em termos de validade, impacto e aplicabilidade
  • 39. 1. Examine o título, autores, instituição, revista e data. INDAGAÇÃO CIENTÍFICA 2. Leia a introdução e o resumo. Qual o objetivo do estudo? Qual o enfoque médico? Qual o fator em estudo; o desfecho clínico? Qual a hipótese? Qual o quadro teórico? VALIDADE INTERNA 3. Leia materiais e métodos. Qual a população e o delineamento da pesquisa? Houve vícios de seleção? E de aferição das variáveis? ERROS SISTEMÁTICOS 4. Examine os resultados (figuras e tabelas e, se necessário, o texto). Quais são os achados principais? O potencial para confundimento foi controlado? INFERÊNCIA ESTATÍSTICA Os resultados foram estatisticamente significativos? Se sim, qual o p alfa ou intervalo de confiança? Houve comparações múltiplas? Se não significativos, quais os seus intervalos de confiança ou qual o poder estatístico (1 - p beta) do estudo? SIGNIFICÂNCIA CLÍNICO- EPIDEMIOLÓGICO A abrangência e magnitude dos achados têm relevância clínico-epidemiológica? VALIDADE EXTERNA Qual a capacidade de generalização dos resultados? São válidos para seu contexto de trabalho? APLICABILIDADE Os resultados são aplicáveis em seu contexto de trabalho? 5. Termine a leitura do artigo. Suas conclusões concordam com as conclusões dos autores? ESQUEMA DE LEITURA CRÍTICA
  • 40. A Prática da Medicina Baseada emA Prática da Medicina Baseada em Evidências: PassosEvidências: Passos 4. Aplicar as evidências na prática clínica
  • 42. CKS (Prodigy) Dynamed SIGN NICE Uptodate Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade American Family Physician Annals of Internal Medicine Best Practice Guias de referência rápida da SUBPAV Cadernos de atenção básica do MS Portais a serem demonstrados em aula