CAIXA supera 80 milhões de clientes no primeiro trimestre de 2015

304 visualizações

Publicada em

A Caixa Econômica Federal alcançou no primeiro trimestre de 2015 o lucro líquido de R$ 1,5 bilhão. O resultado decorreu, principalmente, do aumento das receitas de operações de crédito em 35,3%, do resultado de títulos e valores mobiliários e derivativos em 88,2% e do incremento nas receitas de prestação de serviços em 14,9%. O retorno sobre o patrimônio líquido médio nos últimos doze meses foi de 13,7%.

Publicada em: Notícias e política
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

CAIXA supera 80 milhões de clientes no primeiro trimestre de 2015

  1. 1. CAIXA supera 80 milhões de clientes no primeiro trimestre de 2015 Banco registrou lucro líquido de R$ 1,5 bilhão e índice de eficiência operacional chegou a 55,1% Caixa Econômica Federal alcançou no primeiro trimestre de 2015 o lucro líquido de R$ 1,5 bilhão. O resultado decorreu, principalmente, do aumento das receitas de operações de crédito em 35,3%, do resultado de títulos e valores mobiliários e derivativos em 88,2% e do incremento nas receitas de prestação de serviços em 14,9%. O retorno sobre o patrimônio líquido médio nos últimos doze meses foi de 13,7%. No primeiro trimestre de 2015, a base de clientes da CAIXA chegou a 80,2 milhões de correntistas e poupadores, crescimento de 8,7% em 12 meses e 2,3% em relação ao último trimestre de 2014. A carteira de clientes pessoas físicas atingiu 78 milhões, e a de pessoas jurídicas, 2,1 milhões, evoluções respectivas de 8,8% e 5,6% em comparação ao primeiro trimestre de 2014. A CAIXA também atingiu, novamente, seu melhor índice de eficiência operacional 55,1%, uma melhora de 4,4 p.p. em 12 meses, fruto da continuidade da implantação de ações de aumento da produtividade, ampliação das receitas e redução de gastos da Instituição. A carteira de crédito ampliada registrou saldo de R$ 624,4 bilhões, crescimento de 20,1% em 12 meses. A CAIXA obteve participação de 20,3% no mercado de crédito, um aumento de 1,7 p.p. nos últimos 12 meses. No período, as receitas de intermediação financeira alcançaram R$ 33,4 bilhões, com crescimento de 46,7% em 12 meses e 12,3% em relação ao trimestre anterior. Os ativos totais administrados alcançaram R$ 1,8 trilhão, crescimento de 15,7% em relação ao primeiro trimestre de 2014. Dentre esses, os ativos próprios totalizaram R$1,1 trilhão, com expansão de 18,5% em 12 meses. No primeiro trimestre, foram concedidos R$ 113,5 bilhões de crédito ante R$ 112,9 bilhões no mesmo período do ano anterior. As contratações comerciais somaram R$ 63,6 bilhões, incremento de 2,1% em relação ao contratado nos três primeiros meses de 2014, em linha com o planejado. As contratações de operações com pessoas físicas alcançaram R$ 36,6 bilhões, aumento de 5,9% em doze meses, e as com pessoas jurídicas totalizaram R$ 27,1 bilhões. Com R$ 354,2 bilhões de saldo, a carteira habitacional apresentou aumento de 24,6% em 12 meses, mantendo a liderança da CAIXA nesse segmento com 68,2% de participação no mercado. Nas operações de saneamento e infraestrutura, que possibilitam investimentos nas áreas de mobilidade urbana, energia, logística, saneamento básico e outras, a CAIXA totalizou saldo de R$ 60,1 bilhões, com evolução de 51% em 12 meses.
  2. 2. Em março de 2015, a carteira de crédito da CAIXA manteve-se concentrada em ratings de melhor qualidade, com 91,3% do seu total classificada nos ratings de AA a C. O índice de inadimplência acima de 90 dias ficou em 2,86%. Pelo lado das captações, o saldo foi de R$ 851,3 bilhões no fechamento do trimestre. Os depósitos totalizaram R$ 420,4 bilhões, aumento de 12,2% em relação ao primeiro trimestre de 2014. Somente a poupança da CAIXA somou R$ 233,2 bilhões de saldo, crescimento de 8,6% em 12 meses, mantendo a liderança do mercado, com 35,9% de participação. O saldo das captações é suficiente para cobrir 136,3% da carteira de crédito. Isso demonstra o equilíbrio entre as captações de recursos e os créditos concedidos, decorrente principalmente da eficiente capacidade de obtenção de recursos junto aos clientes. O destaque das captações foram as letras, que aumentaram 55,1% em 12 meses, encerrando o trimestre com saldo R$ 140,4 bilhões. O crescimento nominal do saldo em R$ 49,9 bilhões nos últimos 12 meses foi impulsionado pelas Letras de Crédito Imobiliário, que apresentaram evolução de 65,8%, totalizando saldo de R$ 98,7 bilhões. Carteira de habitação: As contratações da carteira de crédito habitacional somaram R$ 27,1 bilhões até março de 2015, dos quais R$ 10,7 bilhões com recursos do FGTS, incluindo subsídios, R$ 16,3 bilhões com recursos do CAIXA/SBPE e R$ 88 milhões contratados com outros recursos. No Programa Minha Casa Minha Vida foram contratados pela CAIXA R$ 11,1 bilhões, nos primeiros três meses do ano, totalizando 102,6 mil unidades habitacionais. Dessas, 2,4% foram destinadas à Faixa 1, que atende os beneficiários com renda de até R$ 1,6 mil em modalidades integralmente subsidiadas pelo programa. Crédito comercial: Em março de 2015, o saldo da carteira de crédito comercial totalizou R$ 192,4 bilhões, acréscimo de 6,5% em 12 meses. O segmento de pessoas físicas registrou saldo de R$ 97,4 bilhões e o de pessoas jurídicas, R$ 95 bilhões, altas de 12,9% e 0,7%, respectivamente, quando comparados ao mesmo período de 2014. Os principais destaques da carteira de crédito comercial pessoa física são o consignado, com saldo de R$ 54 bilhões, e o CDC, com R$ 7,5 bilhões, ambos com crescimento de 10,5% nos últimos 12 meses.
  3. 3. Saneamento e infraestrutura: As operações de saneamento e infraestrutura apresentaram, no final de março de 2015, saldo de R$ 60,1 bilhões, crescimento de 51% em relação ao mesmo período do ano anterior. Rural: O Crédito Rural CAIXA registrou saldo de R$ 5,3 bilhões em março de 2015, evolução de 94,5% em relação ao mesmo período do ano anterior. Na comparação com o último trimestre de 2014, a evolução foi de 7,2%. As contratações do período atingiram a soma de R$ 942 milhões. Os recursos são destinados ao custeio agrícola e pecuário, às operações de investimento em máquinas e equipamentos, à aquisição de animais e a projetos de infraestrutura rural. Captações de recursos: Uma das principais fontes de recursos para o crédito imobiliário, a poupança da CAIXA apresentou saldo de R$ 233,2 bilhões no primeiro trimestre de 2015, alta de 8,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. Com esse saldo, a CAIXA permaneceu na liderança do mercado com 35,9% de participação, ganho de 0,8 p.p. em 12 meses. Em março de 2015, a instituição possuía 59,2 milhões de contas de poupança, crescimento de 10,1% em relação ao primeiro trimestre do ano anterior. Os depósitos à vista, em março de 2015, apresentaram saldo de R$ 25,8 bilhões, o que representa 17% de participação no mercado. Os depósitos de pessoas físicas foram destaque com saldo de R$ 11,7 bilhões, evolução de 20,5% em 12 meses, e os depósitos oriundos de pessoas jurídicas alcançaram R$ 14 bilhões no trimestre. Os depósitos a prazo somaram R$ 148,4 bilhões no primeiro trimestre de 2015, evolução de 21,8% em 12 meses. Os recursos em CDB correspondiam a 62,8% desse total, com saldo de R$ 93,2 bilhões, alta de 23,5% em relação a março de 2014. Na mesma comparação, os depósitos judiciais aumentaram 19%, atingindo saldo de R$ 55,2 bilhões no trimestre. As Letras Financeiras encerraram o trimestre com saldo de R$ 40 bilhões, crescimento de 40,4% em 12 meses. As Letras de Crédito do Agronegócio totalizaram R$ 1,7 bilhão em março de 2015 ante R$ 2,5 bilhões no mesmo período do ano anterior.
  4. 4. Fundos de Investimento: A CAIXA, no primeiro trimestre de 2015, era responsável pela administração de R$ 511,6 bilhões em fundos de investimentos e carteiras administradas, incluindo os FI de FIC, evolução de 9,7% em 12 meses e 4,8% no trimestre. Os fundos de rede e exclusivos somavam R$ 277,5 bilhões, ante R$ 255,2 bilhões em março de 2014. Benefícios Sociais e ao Trabalhador: No primeiro trimestre de 2015, foram pagos cerca de 41,3 milhões de benefícios sociais, correspondendo a R$ 7 bilhões. O principal programa de transferência de renda, Bolsa Família, pagou cerca de 39,7 milhões de benefícios no período, totalizando R$ 6,7 bilhões. Em relação aos programas voltados ao trabalhador, a CAIXA foi responsável por realizar 36,9 milhões de pagamentos de benefícios no primeiro trimestre de 2015, que totalizaram R$ 49,1 bilhões. Entre eles o Seguro-Desemprego, Abono Salarial e PIS, correspondendo a R$ 10,6 bilhões. As aposentadorias e pensões pagas aos beneficiários do INSS totalizaram 16,3 milhões, somando R$ 16,5 bilhões. A arrecadação do FGTS atingiu R$ 29 bilhões e os saques, R$ 22,1 bilhões. No primeiro trimestre de 2015, o fundo era composto por 135,2 milhões de contas ativas. Rede de Atendimento: A rede da CAIXA possui 66,8 mil pontos de atendimento. São 4,2 mil agências e postos de atendimento, 17,2 mil correspondentes CAIXA Aqui, 13,2 mil lotéricos, e 32,1 mil máquinas distribuídas nos postos e salas de autoatendimento, além de 2 agências-barco e 18 caminhões- agência. A instituição conta com mais de 100 mil empregados concursados, além dos 15,8 mil estagiários e aprendizes. 03/06/2015 Assessoria de Imprensa da CAIXA (61) 3206-4488/ 4489 caixa.gov.br/agenciacaixadenoticias| @imprensacaixa | imprensa@caixa.gov.br

×