“Mais um Passo!”
Associação Passo a Passo
Contexto
A Associação Passo a Passo surge como uma resposta social com
uma intervenção pioneira em Portugal na área da pre...
2004
Lisboa/
Loures
2005
Amadora
2008
Sintra
2010
Arganil
2012
Ponto de
Encontro
Familiar
Missão
Prevenir o abandono efect...
Objecto do projecto:
Alargamento da intervenção a mais 150 crianças no
Concelho de Sintra.
Concelho
de Sintra
2012
327 cri...
Índice SROI:
1: 6,7€
Por cada 1 € investido 6,7 € de retorno social
As crianças institucionalizadas, representam para o es...
Stakeholders
Crianças e
Famílias
Beneficiários do
Projecto
Público alvo da intervenção
ECJ, CPCJ’s
Entidades
Sinalizadoras...
“Gostei da vossa ajuda porque mudámos a nossa vida, agora deixei
de passar fome; a família deixou de ser má para nós. Agor...
• Sensibilização da família
para a importância da
relação/comunicação e
parentalidade positiva
Curto Prazo
• Fortaleciment...
“Mudou a minha vida e a dos meus filhos, ensinaram-me coisas que
eu não sabia, principalmente na relação com os meus filho...
Famílias
2. Autonomização com vista à diminuição de situações de perigo
3- Manutenção do Vínculo afectivo entre criança e ...
“A intervenção da Passo a Passo tem sido importante pelo
acompanhamento próximo que fazem com as famílias, esse
acompanham...
ECJ, CPCJ e ISS
4. Manutenção das crianças no seio familiar
•Relação de empatia
com equipa técnica e
Consciencialização pa...
Valoração/ Recursos
Stakeholder Recurso
Crianças
Famílias Disponibilidade e empatia relativamente à equipa técnica.
ECJ
CP...
Valoração/ Benefícios
Mudança com mais retorno social: “desinstitucionalização de crianças” com um
valor significativo de ...
O ISS beneficia de uma forma muito significativa com a intervenção da Associação
Passo a Passo, situando-se com um ganho s...
Não existem diferenças
significativas entre crianças e
famílias
Retorno
Social/Entidades
Sinalizadoras: ECJ com
62%
Conclusões
Retorno
financeiro
Ganhos
emocionais
para as
crianças e
as famílias
SROI
1:6,7€
Recomendações
Análise SROI
• Alargamento da análise a mais parceiros;
• Criação de novos indicadores para melhor mensuraçã...
“A família é justamente a primeira sociedade com a qual a criança toma contacto,
que actua directamente sobre ela, com a q...
Apresentação Passo a Passo
Apresentação Passo a Passo
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação Passo a Passo

887 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
887
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
14
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação Passo a Passo

  1. 1. “Mais um Passo!” Associação Passo a Passo
  2. 2. Contexto A Associação Passo a Passo surge como uma resposta social com uma intervenção pioneira em Portugal na área da prevenção da institucionalização infantil. 2012: 8577 crianças em acolhimento institucional Tempo médio de acolhimento institucional: 3 anos Portugal
  3. 3. 2004 Lisboa/ Loures 2005 Amadora 2008 Sintra 2010 Arganil 2012 Ponto de Encontro Familiar Missão Prevenir o abandono efectivo, a ausência de figuras parentais, a fragilidade psicossocial, a delinquência infanto-juvenil, os maus-tratos, o abuso e, acima de tudo, prevenir a institucionalização de crianças. Metodologia Intervenção Sistémica, no domicílio, através de equipas multidisciplinares. Articulação permanente com a rede de suporte social presente na comunidade Estratégias de Intervenção O superior interesse da criança O tempo útil das crianças Prevalên- cia na família Autono- mização das famílias
  4. 4. Objecto do projecto: Alargamento da intervenção a mais 150 crianças no Concelho de Sintra. Concelho de Sintra 2012 327 crianças acompanhadas 91,7% crianças com medida de promoção e protecção
  5. 5. Índice SROI: 1: 6,7€ Por cada 1 € investido 6,7 € de retorno social As crianças institucionalizadas, representam para o estado custos financeiros elevados. E, para as crianças, desvantagens sócio emocionais. Análise
  6. 6. Stakeholders Crianças e Famílias Beneficiários do Projecto Público alvo da intervenção ECJ, CPCJ’s Entidades Sinalizadoras Entidades que sinalizam as situações com maior expressão Associação Ajuda de Berço Entidade Sinalizadora CAT que sinaliza e solicita o acompanhamento na desinstitucionalização de crianças ISS Entidade Financiadora Parceiro e principal financiador
  7. 7. “Gostei da vossa ajuda porque mudámos a nossa vida, agora deixei de passar fome; a família deixou de ser má para nós. Agora já posso brincar, mas cada coisa tem a sua hora. Primeiro temos que ajudar a tia a arrumar a casa, comer o almoço, brincar, comer o jantar.” (Carla, 8 anos)
  8. 8. • Sensibilização da família para a importância da relação/comunicação e parentalidade positiva Curto Prazo • Fortalecimento de relações securizantes e Melhoria na dinâmica familiar Médio Prazo • Estabelecimento do vínculo afectivo entre a criança e a família Longo Prazo Crianças 1. Melhoria do Bem estar Sócio Emocional
  9. 9. “Mudou a minha vida e a dos meus filhos, ensinaram-me coisas que eu não sabia, principalmente na relação com os meus filhos e como cuidar deles. Agora brinco com eles, já tenho horas para os deitar, dar-lhes de comer. Ajudaram-me a preparar os biberons e a esteriliza- los, coisas que eu nem tão pouco sabia.” Luísa (22 anos )
  10. 10. Famílias 2. Autonomização com vista à diminuição de situações de perigo 3- Manutenção do Vínculo afectivo entre criança e família •Relação de empatia com equipa técnica e Consciencialização para a mudança Curto Prazo • Melhoria nos cuidados a prestar às crianças e Reorganização da gestão familiar Médio Prazo • Diminuição das situações de risco; Ausência da negligência; Aquisição de competências parentais necessárias para o desenvolvimento harmonioso das crianças Longo Prazo
  11. 11. “A intervenção da Passo a Passo tem sido importante pelo acompanhamento próximo que fazem com as famílias, esse acompanhamento vai ser essencial, quer na redução do tempo de intervenção, quer na mudança de comportamentos das famílias com vista ao bem-estar das crianças. Este tipo de acompanhamento não conseguimos fazer devido ao número processual.” Dina Macedo (coordenadora da ECJ Sintra).
  12. 12. ECJ, CPCJ e ISS 4. Manutenção das crianças no seio familiar •Relação de empatia com equipa técnica e Consciencialização para a mudança Curto Prazo •Melhoria na alteração de comportamentos das famílias Médio Prazo •Ausência de factores de perigo e Redução do tempo da intervenção com as famílias Longo Prazo ECJ, Ajuda de Berço e ISS 5. Desinstitucionalização de crianças •Consciencialização das famílias para a prevenção de situações de perigo Curto Prazo •Melhoria das competências parentais Médio Prazo •Reintegração definitiva da criança na família Longo Prazo 6. Promoção do trabalho em rede
  13. 13. Valoração/ Recursos Stakeholder Recurso Crianças Famílias Disponibilidade e empatia relativamente à equipa técnica. ECJ CPCJ Ajuda de Berço Sinalização de crianças em risco/perigo, recurso essencial para o projecto. ISS Financiamento que permite a intervenção 167 150€
  14. 14. Valoração/ Benefícios Mudança com mais retorno social: “desinstitucionalização de crianças” com um valor significativo de 70%.
  15. 15. O ISS beneficia de uma forma muito significativa com a intervenção da Associação Passo a Passo, situando-se com um ganho superior a 60%
  16. 16. Não existem diferenças significativas entre crianças e famílias Retorno Social/Entidades Sinalizadoras: ECJ com 62%
  17. 17. Conclusões Retorno financeiro Ganhos emocionais para as crianças e as famílias SROI 1:6,7€
  18. 18. Recomendações Análise SROI • Alargamento da análise a mais parceiros; • Criação de novos indicadores para melhor mensuração dos ganhos emocionais das crianças e das famílias; • Adaptar o programa SROI à linguagem técnica e científica utilizada na intervenção; • Manutenção do apoio por parte da equipa SROI.
  19. 19. “A família é justamente a primeira sociedade com a qual a criança toma contacto, que actua directamente sobre ela, com a qual aos seus interesses pela primeira vez se chocam e portanto são os traços da sua influência que ficam mais profundamente marcados. A família é principalmente para a criança pequena, o seu mundo” João dos Santos (1948). Obrigada!

×