O papel do GIS na regulação das         atividades de E&P e na Indústria               Petrolífera brasileiraRaphael Ranna...
GIS - Quem utiliza?A indústria petrolífera em seus setores:• Upstream (Exploração e Produção)• Midstream (Transporte, Duto...
Upstream• Indispensável para todo e qualquer estudo prático em  geociências;  No mercado, quem utiliza:• No mercado de pet...
Quanto há de GIS na Indústria do petróleo?
Organograma ANPQuem utiliza o GIS na Instituição?
Onde está o GIZS?              X
Mercado de Petróleo: Zoom Out• Procedimento para atuação de uma empresa operadora no Brasil:1. ANP estuda blocos de explor...
Zoom In                 Passo 1: ANP estudando blocos• A ANP  - GIS na definição de Blocos Exploratórios;  - GIS no estudo...
Zoom In                        Passos 2 e 3: A operadora                            arremata o blocoAnalogamente à ANP, a ...
Zoom In                      Passos 4 e 5: Delimitação de                    prospectos e perfuração de poços.Com base em ...
Zoom In                Passos 6 e 7: Transporte até a                           refinariaO GIS é utilizado nos sistemas de...
Zoom In                 Passos 8: Comercialização dos                           DerivadosLogísticaGIS para soluções de aba...
Zoom In                   Passos 9: Participações                      GovernamentaisCálculo de Royalties e Participações ...
Meio Ambiente• Além dos citados anteriormente, o GIS é  utilizado durante toda a cadeia da Indústria  Petrolífera por órgã...
BDEP – Banco de dados de Exploração e Produção
BDEP – Geração eArmazenamento de Dados
Dados Sísmicos (km)                      Públicos                        Confidenciais          Pre-Stack        Post-Stac...
BDEP – WEBMAPS
Desafios futuros da ANP•   Evolução WEBMAPS;•   Apresentação interna;•   Capacitação Interna;•   Centralização da base de ...
Obrigado pela atenção!Raphael RannaEspecialista em Geologia e Geofísica do Petróleo e Gás NaturalCoordenador de Geoprocess...
Anp raphael ranna_gis_og_2011
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Anp raphael ranna_gis_og_2011

628 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
628
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Anp raphael ranna_gis_og_2011

  1. 1. O papel do GIS na regulação das atividades de E&P e na Indústria Petrolífera brasileiraRaphael RannaCoordenador de GeoprocessamentoAgência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis - ANP GIS ÓLEO & GÁS 2011
  2. 2. GIS - Quem utiliza?A indústria petrolífera em seus setores:• Upstream (Exploração e Produção)• Midstream (Transporte, Dutos e Refinarias)• Downstream (Abastecimento e distribuição)Além destes, é utilizado também por agentes ambientais e econômicos.
  3. 3. Upstream• Indispensável para todo e qualquer estudo prático em geociências; No mercado, quem utiliza:• No mercado de petróleo, envolve, além de geógrafos, engenheiros cartógrafos e engenheiros geodesistas, também geólogos e geofísicos, oceanógrafos, bem como engenheiros ambientais, de petróleo e economistas.
  4. 4. Quanto há de GIS na Indústria do petróleo?
  5. 5. Organograma ANPQuem utiliza o GIS na Instituição?
  6. 6. Onde está o GIZS? X
  7. 7. Mercado de Petróleo: Zoom Out• Procedimento para atuação de uma empresa operadora no Brasil:1. ANP estuda blocos de exploração com vistas às licitações;2. Licitação de Blocos – A empresa arremata;3. A empresa solicita as pesquisas já levantadas por EADs na área dos blocos ou realiza suas próprias pesquisas (Upstream);4. Delimita seus prospectos dentro do bloco (Upstream);5. Perfura poços(Upstream);6.Em se encontrando óleo, transporta o mesmo até a refinaria (Midstream);7. Refina esse óleo e obtém seus derivados (Midstream);8. Comercializa seus derivados(Downstream).9. A empresa paga tributos ao Governo (Royalties, Participação Especial), que são redistribuídos entre Estados e municípios.
  8. 8. Zoom In Passo 1: ANP estudando blocos• A ANP - GIS na definição de Blocos Exploratórios; - GIS no estudo geológico dos Poços pré-existentes (análise 3D?); - GIS na definição das linhas sísmicas pré-existentes utilizadas para o estudo; - GIS também nos outros métodos geofísicos; - GIS na análise ambiental e viabilidade da área para este tipo de atividade; - Finalmente, GIS na confecção dos mapas que serão apresentados no Seminário Técnico para a Indústria.
  9. 9. Zoom In Passos 2 e 3: A operadora arremata o blocoAnalogamente à ANP, a empresa seleciona os dados disponíveis sobre o bloco (seleção espacial) para realizar sua avaliação geológica.Realiza também suas próprias pesquisas:PEM – Contratação de EADs: levantamentos sísmicos.. Levantamento terrestre: dados georreferenciados (GIS) pela equipe de topografia;. Levatamento marítimo: dados georreferenciados (GIS) pela equipe de navegação.
  10. 10. Zoom In Passos 4 e 5: Delimitação de prospectos e perfuração de poços.Com base em dados georreferenciados, a empresa delimita seus prospectos (GIS);. Define então a melhor locação do poço (GIS);. Ao perfurar, são feitos testes (TLD) e em se declarando comercialidade, o poço é posto em produção. O prospecto se torna campo.
  11. 11. Zoom In Passos 6 e 7: Transporte até a refinariaO GIS é utilizado nos sistemas de navegação das embarcações atuais para posicionamento e na resolução de questões de logística de midstream.
  12. 12. Zoom In Passos 8: Comercialização dos DerivadosLogísticaGIS para soluções de abastecimento do mercado interno;InvestimentosGIS nos estudos para necessidade de implementação de novos postos distribuidores;EconomiaCruzamento de bancos de dados georreferenciados (GIS) na análise econômica e demanda dos mercado interno e externo (exemplo do Statistical Review da BP)
  13. 13. Zoom In Passos 9: Participações GovernamentaisCálculo de Royalties e Participações Especiais
  14. 14. Meio Ambiente• Além dos citados anteriormente, o GIS é utilizado durante toda a cadeia da Indústria Petrolífera por órgãos ambientais e mesmo setores ambientais internos das empresas, de modo a evitar e/ou remediar possíveis danos ao meio ambiente.
  15. 15. BDEP – Banco de dados de Exploração e Produção
  16. 16. BDEP – Geração eArmazenamento de Dados
  17. 17. Dados Sísmicos (km) Públicos Confidenciais Pre-Stack Post-Stack Pre-Stack Post-Stack3D 15.472.441,3 13.719.217,1 13.827.747,7 14.090.648,8 57.110.054,82D 1.187.166,0 1.402.420,9 272.017,5 514.065,8 3.375.670,3Sísmica Pre-Stack: 3.450,8 TB/ 212.594 fitas (ago/2011)Sísmica Post-Stack 1.383 programas (ago/2011) Poços 25.950 Perfis compostos 7.634 Pastas de poço 18.173 AGP 6.104 Métodos Não-Sísmicos (km²) Terra Mar ArPúblico fomento Público Confidencial Confidencial Fomento Público 2.466.287 95.735 3.380.081 1.940.248 1.217.009 4.093.113 8.157.511Total de levantamentos TOTAL (km) 665 programas 18.883.696
  18. 18. BDEP – WEBMAPS
  19. 19. Desafios futuros da ANP• Evolução WEBMAPS;• Apresentação interna;• Capacitação Interna;• Centralização da base de dados;• Conversão dos dados de SAD69 para SIRGAS2000
  20. 20. Obrigado pela atenção!Raphael RannaEspecialista em Geologia e Geofísica do Petróleo e Gás NaturalCoordenador de GeoprocessamentoSuperintendência de Definição de Blocos – SDTAgência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANPTel: +55-21-3545-0408 +55-21-3545-0102E-mail: rrtsilva@anp.gov.br

×