CARTILHA DE
ERGONOMIA NA
CONSTRUÇÃO CIVIL
NR-17
CartilhadeErgonomianaConstruçãoCivil
Comissão:
Alynne Obermüller
Carolina Amaral
Gabriela Silva
Mariana Ribeiro
Colaboraçã...
Ergonomia na prática:
CARPINTEIRO
SUMÁRIO
Cartilha de Ergonomia na Construção Civil4
Apresentação .............................................................
Cartilha de Ergonomia na Construção Civil5
Introdução
AConstituição Federal determina que o trabalhador tem direito à
prot...
Cartilha de Ergonomia na Construção Civil6
Apalavra “Ergonomia” vem de duas palavras Gregas: “ergon” que
significa trabalho...
Cartilha de Ergonomia na Construção Civil7
Umdosenfoquesdaergonomiaéaprevençãodafadigamuscular,quepodeseinstalarem
função ...
Cartilha de Ergonomia na Construção Civil8
DeacordocomaNR 17,torna-seimportanteexporalgunsconceitosrelativosaomanuseio
etr...
Cartilha de Ergonomia na Construção Civil9
O trabalhadordaconstruçãocivil estásubmetidoàcondiçõesambientaisdesafavoráveis....
Cartilha de Ergonomia na Construção Civil10
Nas obras, torna-se necessário prever a disponibilidade de local para efetuar ...
Cartilha de Ergonomia na Construção Civil11
Comoo próprio nomediz, osequipamentosde proteçãocoletivaou EPC sãodispositivos...
Cartilha de Ergonomia na Construção Civil12
Quando as medidas de proteçãocoletiva não forem viáveis, eficientes e suficiente...
Cartilha de Ergonomia na Construção Civil13
Ocarpinteirofazusodeumasériedemáquinaseferramentasmanuais,elétricasounão,e
por...
Cartilha de Ergonomia na Construção Civil14
Paraevitarlesões musculareseoutrosproblemasgeradosporesforçosrepetitivos, o id...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cartilha de Ergonomia na Construção civil NR 17

6.734 visualizações

Publicada em

O objetivo desta cartilha é mostrar os riscos ergonômicos nos quais submete-se o carpinteiro nos trabalhos na construção civil. Apontar os erros e acertos da rotina profissional deste trabalhador nos dá a chance de mudança e melhoria no trabalho, prevenindo-se e evitando que o trabalhador sofra acidentes ou adquira doenças ocupacionais.

Publicada em: Engenharia
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.734
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
351
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cartilha de Ergonomia na Construção civil NR 17

  1. 1. CARTILHA DE ERGONOMIA NA CONSTRUÇÃO CIVIL NR-17
  2. 2. CartilhadeErgonomianaConstruçãoCivil Comissão: Alynne Obermüller Carolina Amaral Gabriela Silva Mariana Ribeiro Colaboração: Teresa Mate
  3. 3. Ergonomia na prática: CARPINTEIRO
  4. 4. SUMÁRIO Cartilha de Ergonomia na Construção Civil4 Apresentação .............................................................. 5 Ergonomia .................................................................. 6 Posturas de trabalho .................................................. 7 Levantamento, Transporte e Descarga Individual de materiais .................................................................... 8 Condições Ambientais .............................................. 9 Organização do Trabalho ......................................... 10 Equipamentos de Proteção Coletiva - EPC ............. 11 Equipamentos de Proteção Individual - EPI .......... 12 Ferramentas Manuais .............................................. 13 Ginástica Laboral ...................................................... 14
  5. 5. Cartilha de Ergonomia na Construção Civil5 Introdução AConstituição Federal determina que o trabalhador tem direito à proteção de sua saúde, integridade física e moral e segurança na execução de suas atividades. O trabalho deve ser executado em condições que contribuam para a melhoria da qualidade de vida e a realizaçãopessoalesocial. A segurança e a saúde do trabalhador são de responsabilidade do empregadoredosprofissionaisenvolvidosnoambientedetrabalho. Objetivo O objetivodestacartilhaé mostraros riscos ergonômicos nos quais submete-se o carpinteiro nos trabalhos na construção civil. Apontaroserroseacertosdarotinaprofissionaldestetrabalhador nos dá a chance de mudança e melhoria no trabalho, prevenindo-se e evitando que o trabalhador sofra acidentes ou adquira doenças ocupacionais. Legislação Asegurança e a saúde do trabalho baseiam-se em normas regulamentadoras descritas na Portaria 3214/78 do MTE (MinistériodoTrabalhoeEmprego). A legislação trabalhista brasileira já reconhece a importância da ergonomia e dedicou ao tema uma Norma Regulamentadora específica (a NR-17). Ela é de observância obrigatória pelas empresas públicas e privadas. Esta Norma Regulamentadora visa estabelecer parâmetros que permitam aadaptaçãodascondiçõesdetrabalhooàscaracterísticaspsicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurançaedesempenhoeficiente.
  6. 6. Cartilha de Ergonomia na Construção Civil6 Apalavra “Ergonomia” vem de duas palavras Gregas: “ergon” que significa trabalho, e “nomos” que significa leis. Hoje em dia, a palavra é usada para descrever a ciência de “conceber uma tarefa que se adapte ao trabalhador, e não forçar o trabalhador a adaptar-se à tarefa”. Ouseja,aciênciaqueadaptaambienteseobjetosàspessoas. “A ergonomia tem um campo mais amplo. Se fossemos pensar em 3 campos, poderíamos dizer que ela está dentro do físico, cognitivo e organizacional. O físico seria a ergonomia comum a todo mundo, em que pensamos em alturas, mesas, cadeiras e acessórios”, explica Symone Miguez,ergonomista. Segunda ela, a ergonomia cognitiva está começando a ser feita no Brasil, queéaergonomiaque pensaem sua interaçãocoma máquina, sejaelaum merocomputador,ousejaumamáquinaindustrial. “E a organizacional é realmente pensando na gestão da ergonomia, desde ritmos,horasextras,comoproduzirnecessariamente”,completa. Uma ergonomia bem feita e alinhada traz saúde para o profissional com a ausência de problemas osteomusculares e gera um melhor clima para as empresas, com profissionais satisfeitos e com maior produtividade. Nos últimos anos, as empresas vêm se conscientizando cada vez mais sobre esseassunto. Sonia Okada, diretora da Air Micro, empresa de produtos ergonômicos, afirmaquedemodogeral,quemutilizacomputadorrequisitaosprodutos. “Hoje grandes empresas estão preocupadas com a ergonomia em seus postos de trabalho, como bancos e o governo. Estas são as áreas que mais requisitam os produtos”, demonstra Sonia. Para ela, a ergonomia é um mercado em crescimento, “Então é um mercado que está em crescimento, masirácrescermuitomais”,opina. Ergonomia e sus benefícios
  7. 7. Cartilha de Ergonomia na Construção Civil7 Umdosenfoquesdaergonomiaéaprevençãodafadigamuscular,quepodeseinstalarem função da postura estática prolongada, tanto em pé quanto agachada. A seguir são apresentadosalgunsaspectosespecíficosdotrabalhoemdiferentesmomentos: CARPINTARIA (Serra circular de bancada) A posição em pé é recomendada na área da carpintaria porque há freqüentes deslocamentos do local de trabalho e há necessidade de aplicar grandes forças, eventualmente. ü Necessidade de adequação da altura das bancadas de trabalho pode ocasionar estresse muscularquandoacabeçaeotroncoficam inclinados, provocandodores no pescoçoenascostas. ü Não se recomenda passar o dia todo na posição em pé, pois isso provoca fadiga nas costasepernas. CAMPO (área externa) ü Trabalharcomosbraçosparacima,semapoio,podeprovocardoresnosombros. ü As tarefas que exigem longo tempo na posição estática, devem ser intercaladas com tarefas que possam ser realizadas em movimento, ou devem ser dadas pausas para descanso. Os fatores biomecânicos são representados pelo uso excessivo de força, posturas incorretas, vibração, falta de repouso e compressão mecânica de estruturas musculoesqueléticas. A presença de mais de um fator biomecânico numa determinada atividade aumenta o risco da instalação de afecções musculoesqueléticas, cervicalgias, tendinites, ou ainda lesões poresforços repetitivos (LERs) edistúrbiososteo-musculares (DORTs). Posturas de trabalho XX XX
  8. 8. Cartilha de Ergonomia na Construção Civil8 DeacordocomaNR 17,torna-seimportanteexporalgunsconceitosrelativosaomanuseio etransportedecargas: a) o transporte manual de cargas designa todo transporte no qual o peso da carga é suportado inteiramente por um só trabalhador, compreendendo o levantamento e a deposiçãodacarga; b) transporte manual regular de cargas designa toda atividade realizada de maneira contínua ou que inclua, mesmo de forma descontínua, o transporte manual de cargas. O manuseio e transporte de cargas tende a ter diversas variáveis que corroboram para acentuar ou minimizar os problemas que podem decorrer da atividade. Nesse sentido, é importantequearelaçãoentreopesodoobjetoeascondiçõesemqueeleé transportado, elevado ou manuseado seja avaliada de forma quantitativa. Para compreender o grau de relevânciaoude implicações nasaúdedotrabalhador, o (NIOSH) – Instituto Nacional de Segurançae Saúde Ocupacional desenvolveu umaavaliaçãoespecíficaquepropõequeas tarefasdemanuseiodecargaspossamseravaliadasdeacordocomasseguintesvariáveis: 1)pesodoobjetomanuseado; 2)posiçãodacargaemrelaçãoaocorpo- medidatantonopontoinicialquantonofinaldo levantamento,emtermosdecoordenadashorizontalevertical; 3)frequênciadelevantamento; 4)períodoouduração-tempototaldolevantamento; 5)possibilidadedepreensãooupega. Éessencial identificar-seoslimitesdelevantamentodecargas. Esseprocessodeavaliação quantitativa do manuseio de cargas é essencial na determinação da estratégia de prevenção a ser adotada e possibilita estabelecer uma base sólida no planejamento das intervençõesmaiseficazesparaqueocontrolesejaalcançado. Embora a atividade do carpinteiro dentro da construção civil não se caracterize de forma expressiva pelo manuseio e transporte de carga, algumas atividades envolvem levantamento, transporteedescargade materiais, principalmenteentreoalmoxarifadoe olocaldeaplicação. Levantamento, transporte e descarga individual de materiais
  9. 9. Cartilha de Ergonomia na Construção Civil9 O trabalhadordaconstruçãocivil estásubmetidoàcondiçõesambientaisdesafavoráveis. Ele está sujeito diretamente à variações de temperatura, vento e umidade, já que, quase sempre, suasatividadessãoexecutadasaoarlivre, semdizernoambienteruidosoemque ele está inserido. A iluminância excessiva ou deficitária pode também pode atrapalharas atividadesdocarpinteiro. Como o princípio da ergonomia é a preservação da saúde e da integridade dos trabalhadores, é necessário adotar medidas necessárias e suficientes para a eliminação, minimizaçãooucontroledestesriscos, nocasodocarpinteiro, basicamentefísicos. Condições Ambientais TEMPERATURA, VENTO E UMIDADE A exposição prolongada destes fatores pode ocasionar males e até desenvolver doenças ao trabalhador. A radiação solar, por exemplo, pode ocasionar uma variedade de efeitos patológicos, como queimaduras, mudanças de pigmentação da pele, alterações imunológicas e câncer depele. É indicado que adote-se medidas para fazer com que os trabalhadores não fiquem expostos ao sol nos horários mais críticos, como das 10 às 15 horas. Além disso, as empresas devem cuidar para que haja fornecimento de água ou até mesmo soronoslocaisdetrabalho. RUÍDOS A perda de audição pode afetar todos os trabalhadores que ficam expostos a ruídos superioresa85decibéisporumperíodode oito horas por dia. Nosso carpinteiro está suscetívelatipoderuído,sejanautilização da serra circular de bancada ou manual. Por isso, é importante a utilização de protetores auriculares, ou ainda, na compra destes equipamentos, optar-se pelosmenosruidosos.
  10. 10. Cartilha de Ergonomia na Construção Civil10 Nas obras, torna-se necessário prever a disponibilidade de local para efetuar serviços de fabricaçãoeajustesdecarpintaria,conformeanecessidade. Esteespaçodeveserplano, terpisoresistente, nivelado eantiderrapante, bemdrenadoe livre de obstáculos. Ainda deve possuir cobertura capaz de proteger os trabalhadores, lâmpadas de iluminação protegidas contra impactos provenientes da projeção de partículase dotadocommesasestáveis,carcaçademotoraterradaetc. O local de trabalho deverá ser diariamente limpo e/ou sempre que apresentar qualquer acúmulo ou presença de sujeira, evidenciando desorganização e falta de higiene no trabalho. SegundoaNR-17,aorganizaçãodotrabalhodeveseradequadaàscaracterísticas psicofisiológicasdostrabalhadoreseànaturezadotrabalhoaserexecutado. Organização do Trabalho Destaforma,pudemosobservarasirregularidadesdestepostodetrabalho: 1- Faltadepartedacobertura; 2- Iluminaçãoinadequada; 3- Pisoirregular; 4- Objetosobstruindoacirculação; 5- Localutilizadotambémcomorefeitório; 6- Improvisação da bancada da serra circular; 7 - Limpezaeorganizaçãodeficiente. xx XX
  11. 11. Cartilha de Ergonomia na Construção Civil11 Comoo próprio nomediz, osequipamentosde proteçãocoletivaou EPC sãodispositivos deproteçãoqueabrangeomaiornúmeropossíveldeindivíduosnoambientedetrabalho, ou seja, são dispositivos que protegem os indivíduos ocupantes de um determinado ambientelaboral. OsobjetivosdoEPC: ü Preservara integridade físicados trabalhadores ede terceiros presentes noambiente detrabalho ü Minimizarasperdas, melhorarascondiçõesdetrabalhoeaumentaraprodutividade ü Minimizar ou neutralizar os riscos inerentes ao processo de produção no local de trabalho Naconstruçãocivil,podemoscitar: ü Sinalizaçãodesegurança,fitadesegurança,redesdeisolamento,cones; ü Guarda-corpo; ü Linhadevida; ü Lava-olhos; ü Extintoresdeincêndio; ü Barreirasdeproteçãoemmáquinas,etc. EPC - Equipamentos de Proteção Coletiva
  12. 12. Cartilha de Ergonomia na Construção Civil12 Quando as medidas de proteçãocoletiva não forem viáveis, eficientes e suficientes paraa atenuaçãodosriscosenãoofereceremcompletaproteçãocontraosriscosdeacidentesdo trabalhoe/ou dedoenças profissionaisedo trabalho, EPI (dispositivoou produto, de uso individual)deveráserutilizadopelotrabalhador. Ocarpinteirodeveráutilizar: EPI - Equipamentos de Proteção Individual ü Capacete; ü Sapatodesegurança; ü Protetorauricular; ü AventaldeCouro; ü Óculosdesegurança,Viseirafacial,Máscaraparapó; ü CintodeSegurançacomtravaquedas; ü Luvasderaspanosserviçosdeformaedesforma; ü Cremeprotetorcomfiltrosolar. Neste posto de trabalho, podemos observar que o c a r p i n t e i r o n ã o e s t á utilizando protetor auricular, nem as luvas adequadas aos serviçosdeforma. A falta desses EPIs coloca em risco sua integridade física. É dever do trabalhador exigir e utilizar os EPIs, assim como utilizá-los apenas para a finalidadeaquesedestiname mantê-los sob sua guarda e conservação. XX
  13. 13. Cartilha de Ergonomia na Construção Civil13 Ocarpinteirofazusodeumasériedemáquinaseferramentasmanuais,elétricasounão,e por isso, deve sempre verificar as condições gerais das ferramentas manuais e elétricas antes de usá-las. É importante que se faça manutenção preventiva nas ferramentas manuaisecomuniquequalqueralteraçãonasferramentaselétricas,pararegistroemlivro deinspeção. Ferramentas Manuais Em relação a ferramentas manuais e elétricas, neste posto de trabalho foram observadas asseguintesinadequações: ü Faltadedispositivodefixaçãodomarteloaopunhodotrabalhador,gerandooriscode quedadaferramentapodendocausaracidente; ü Ferramentas manuais de disco deixadas no piso, conectadas a um ponto de força, incorrendoemriscodeutilizaçãoportrabalhadoresnãocapacitados. ü Serroteouserradearco; ü Esquadro; ü Prumoenível; ü Formão; ü Martelo; ü Trena; ü Machadinha; Ÿ Lápisdecarpinteiro; Ÿ Pé-de-cabra; Ÿ Cintodeferramentas; Ÿ Serratico-tico(elétrica); Ÿ Serracircularportátil(elétrica); Ÿ Plainaportátil(elétrica); Ÿ Furadeiras,etc. Comumente,oscarpinteirosutilizam:
  14. 14. Cartilha de Ergonomia na Construção Civil14 Paraevitarlesões musculareseoutrosproblemasgeradosporesforçosrepetitivos, o ideal é se alongar com a ginástica laboral - uma série de exercícios físicos realizada durante o trabalhoparamelhoraraqualidadedodia,edavida. Os exercícios servem para alongar o tronco, cabeça, membros superiores e inferiores.“Eles devem ter baixa intensidade e todos podem ser feitos em um intervalo de 15 minutos, já que cada movimento tem uma única repetição. Assim, o alongamento não cansanemsobrecarregaotrabalhador”,explicaoeducadorfísicoNilsonXavier. “Quem trabalha na construção deve se preocupar não só com a fadiga muscular provocada pela rotina, mas se atentar também a possíveis deformações da estrutura óssea.” Os exercícios devem ser realizados antes do expediente, mas também podem ser repetidos durante e após o trabalho. Em cada exercício, o ideal é alongar um membro de cadavez – braços, pernas, ombros, pescoço, coluna–, segurandoo na mesma posição por 10segundos. Ginástica Laboral

×