SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 1
Baixar para ler offline
VIDA E MORTE DO
Docente: Bárbara Conceição V. B. Marques
Bacharéis em Enfermagem do 2º e 5º Período 2015.1
Os silicones são compostos quimicamente
inertes, inodoros, insípidos e incolores,
resistentes à decomposição pelo calor, água ou
agentes oxidantes, além de serem bons
isolantes elétricos podem ser sintetizados em
grande variedade de formas com inúmeras
aplicações práticas, por exemplo, como agentes
de polimento, vedação e proteção. São
também impermeabilizantes, lubrificantes e na
medicina são empregados como material
básico de próteses. Atualmente estima-se que
os silicones são utilizados em mais de 5.000
produtos. O termo silicone é o termo inglês
para a classe de compostos químicos cujo
nome correto em português é silicone, em
função da sua semelhança da sua fórmula geral
com as cetonas.
A fascinação americana por artigos artificiais e
de plástico na época do pós-guerra também
favoreceu o silicone como um forte candidato
a ser o material da vez, embora tenham sido
prostitutas japonesas as primeiras a testarem o
produto para aumentar seus seios. O mercado
de próteses de silicone no país está em
evidente crescimento, desde o surgimento da
primeira fábrica no país, hoje são cerca de 150
mil cirurgias anuais. Diante dessa demanda sua
fabricação tem passado por constantes
mudanças, que vão da sua fórmula de criação
até as medidas de segurança adotadas.
Todo material é transportado de avião, já na
fabrica são separados e recipentes individuais.
Todo material pronto passa por dezenas de
testes até chegar em uma prótese finalizada,
hoje em dia existem cerca de 15 tipos de
modelos. O material utilizado na fabricação já
foi em conscistência líquida, hoje o mesmo é
mais espesso, isso fez com que os riscos de
rejeição, infecção ou contaminação
dimunuissem, já que em caso de
extravasamento do material esse seria mais
fácil de conter.
De acordo com a última pesquisa realizada e
divulgada pelo IBOPE, em 2009 foram
realizadas no Brasil 645.464 cirurgias
plásticas, sendo 512.145 estéticas (71%).
Dessas, 220.711 usaram implantes de
silicone nas mais diversas regiões do corpo,
tanto em homens quanto em mulheres.
Atualmente, são realizados implantes para
aumento de glúteos, panturrilhas, coxas,
bíceps e tórax. Além de implantes faciais,
como o do queixo (mento), das maçãs do
rosto (malar) e do dorso nasal.
O material empregado na fabricação das
próteses mamárias geralmente é um tipo
de polímero sintético, comprovadamente
biocompatível, conhecido como silicone.
Este produto faz parte da composição do
revestimento da prótese, podendo também
ser coberto por outros produtos como o
poliuretano (substância sintética que não
provoca rejeição e que recobre o silicone
como se fosse uma cápsula).
CONCLUSÃO
DISCUSSÕES
Anderson Lima, Carolina Ferreira, Ícaro Araújo,
Lourena Correia, Shirlei Soares, Valdemira Coutinho, Vanessa Santos
Fabricação de Silicone no Estado de São Paulo
Fonte: mamoplastia.masterhealth.com.br
Princiapis tipos de próteses mamárias
Fonte: mamoplastia.masterhealth.com.br
INTRODUÇÃO RESULTADOS
Próteses utilizadas nas panturrilhas
Fonte: mamoplastia.masterhealth.com.br

Mais conteúdo relacionado

Destaque

Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose
Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose
Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose Enfº Ícaro Araújo
 
Distúrbios Alimentares na Infância - Saúde da Criança
Distúrbios Alimentares na Infância - Saúde da CriançaDistúrbios Alimentares na Infância - Saúde da Criança
Distúrbios Alimentares na Infância - Saúde da CriançaEnfº Ícaro Araújo
 
Síndrome de Crushing - Farmacologia
Síndrome de Crushing - FarmacologiaSíndrome de Crushing - Farmacologia
Síndrome de Crushing - FarmacologiaEnfº Ícaro Araújo
 
Insuficiência Venosa - Saúde do Adulto
Insuficiência Venosa - Saúde do AdultoInsuficiência Venosa - Saúde do Adulto
Insuficiência Venosa - Saúde do AdultoEnfº Ícaro Araújo
 
Alzheimer - Uma Abordagem Humanizada
Alzheimer - Uma Abordagem HumanizadaAlzheimer - Uma Abordagem Humanizada
Alzheimer - Uma Abordagem HumanizadaEnfº Ícaro Araújo
 
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia Humana
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia HumanaSistema Reprodutor Masculino - Anatomia Humana
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia HumanaEnfº Ícaro Araújo
 
Enfermagem de Reabilitação DPOC Protocolo
Enfermagem de Reabilitação DPOC ProtocoloEnfermagem de Reabilitação DPOC Protocolo
Enfermagem de Reabilitação DPOC ProtocoloBelmiro Rocha
 
Envelhecimento Ativo - Saúde do Idoso
Envelhecimento Ativo - Saúde do IdosoEnvelhecimento Ativo - Saúde do Idoso
Envelhecimento Ativo - Saúde do IdosoEnfº Ícaro Araújo
 
Febre Amarela - Saúde Coletiva II
Febre Amarela - Saúde Coletiva IIFebre Amarela - Saúde Coletiva II
Febre Amarela - Saúde Coletiva IIEnfº Ícaro Araújo
 
Síndrome Metabólica - Bioquímica
Síndrome Metabólica - BioquímicaSíndrome Metabólica - Bioquímica
Síndrome Metabólica - BioquímicaEnfº Ícaro Araújo
 
Cirurgia Bariátrica - Enfermagem Cirúrgica II
Cirurgia Bariátrica - Enfermagem Cirúrgica IICirurgia Bariátrica - Enfermagem Cirúrgica II
Cirurgia Bariátrica - Enfermagem Cirúrgica IIEnfº Ícaro Araújo
 
Rede de Frios - Temperatura e Organização - Saúde Coletiva
Rede de Frios - Temperatura e Organização - Saúde ColetivaRede de Frios - Temperatura e Organização - Saúde Coletiva
Rede de Frios - Temperatura e Organização - Saúde ColetivaEnfº Ícaro Araújo
 
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOCDoença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOCFernando Didier
 
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da MulherDescolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da MulherEnfº Ícaro Araújo
 

Destaque (17)

Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose
Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose
Doenças na Gestação - Rubéola e Toxoplasmose
 
Distúrbios Alimentares na Infância - Saúde da Criança
Distúrbios Alimentares na Infância - Saúde da CriançaDistúrbios Alimentares na Infância - Saúde da Criança
Distúrbios Alimentares na Infância - Saúde da Criança
 
Síndrome de Crushing - Farmacologia
Síndrome de Crushing - FarmacologiaSíndrome de Crushing - Farmacologia
Síndrome de Crushing - Farmacologia
 
Insuficiência Venosa - Saúde do Adulto
Insuficiência Venosa - Saúde do AdultoInsuficiência Venosa - Saúde do Adulto
Insuficiência Venosa - Saúde do Adulto
 
Alzheimer - Uma Abordagem Humanizada
Alzheimer - Uma Abordagem HumanizadaAlzheimer - Uma Abordagem Humanizada
Alzheimer - Uma Abordagem Humanizada
 
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia Humana
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia HumanaSistema Reprodutor Masculino - Anatomia Humana
Sistema Reprodutor Masculino - Anatomia Humana
 
Enfermagem de Reabilitação DPOC Protocolo
Enfermagem de Reabilitação DPOC ProtocoloEnfermagem de Reabilitação DPOC Protocolo
Enfermagem de Reabilitação DPOC Protocolo
 
Envelhecimento Ativo - Saúde do Idoso
Envelhecimento Ativo - Saúde do IdosoEnvelhecimento Ativo - Saúde do Idoso
Envelhecimento Ativo - Saúde do Idoso
 
Febre Amarela - Saúde Coletiva II
Febre Amarela - Saúde Coletiva IIFebre Amarela - Saúde Coletiva II
Febre Amarela - Saúde Coletiva II
 
Síndrome Metabólica - Bioquímica
Síndrome Metabólica - BioquímicaSíndrome Metabólica - Bioquímica
Síndrome Metabólica - Bioquímica
 
Cirurgia Bariátrica - Enfermagem Cirúrgica II
Cirurgia Bariátrica - Enfermagem Cirúrgica IICirurgia Bariátrica - Enfermagem Cirúrgica II
Cirurgia Bariátrica - Enfermagem Cirúrgica II
 
Rede de Frios - Temperatura e Organização - Saúde Coletiva
Rede de Frios - Temperatura e Organização - Saúde ColetivaRede de Frios - Temperatura e Organização - Saúde Coletiva
Rede de Frios - Temperatura e Organização - Saúde Coletiva
 
DPOC
DPOCDPOC
DPOC
 
Aula: DPOC
Aula: DPOCAula: DPOC
Aula: DPOC
 
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOCDoença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC
Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica - DPOC
 
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da MulherDescolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
Descolamento Prematuro da Placenta e Placenta Prévia - Saúde da Mulher
 
SAE aplicada ao DPOC - Enfermagem
SAE aplicada ao DPOC - EnfermagemSAE aplicada ao DPOC - Enfermagem
SAE aplicada ao DPOC - Enfermagem
 

Semelhante a Silicone próteses fabricação SP

Onde esta a_quimica_br
Onde esta a_quimica_brOnde esta a_quimica_br
Onde esta a_quimica_brmarievellyn
 
Doenças de pele característico do RN.pdf
Doenças de pele característico do RN.pdfDoenças de pele característico do RN.pdf
Doenças de pele característico do RN.pdfGlaucya Markus
 
Biossegurança blog lei veta o uso de jalecos fora do local de trabalho
Biossegurança blog  lei veta o uso de jalecos fora do local de trabalhoBiossegurança blog  lei veta o uso de jalecos fora do local de trabalho
Biossegurança blog lei veta o uso de jalecos fora do local de trabalhoConceicao Cavalcante
 
Controle ambiental de microrganismos e formação de biofilme
Controle ambiental de microrganismos e formação de biofilmeControle ambiental de microrganismos e formação de biofilme
Controle ambiental de microrganismos e formação de biofilmeAndré Oliveira
 

Semelhante a Silicone próteses fabricação SP (9)

Onde esta a_quimica_br
Onde esta a_quimica_brOnde esta a_quimica_br
Onde esta a_quimica_br
 
Preenchimentos
PreenchimentosPreenchimentos
Preenchimentos
 
implante
implanteimplante
implante
 
Doenças de pele característico do RN.pdf
Doenças de pele característico do RN.pdfDoenças de pele característico do RN.pdf
Doenças de pele característico do RN.pdf
 
Biossegurança blog lei veta o uso de jalecos fora do local de trabalho
Biossegurança blog  lei veta o uso de jalecos fora do local de trabalhoBiossegurança blog  lei veta o uso de jalecos fora do local de trabalho
Biossegurança blog lei veta o uso de jalecos fora do local de trabalho
 
05 cosmeticos final2
05 cosmeticos final205 cosmeticos final2
05 cosmeticos final2
 
UNEB
UNEBUNEB
UNEB
 
Controle ambiental de microrganismos e formação de biofilme
Controle ambiental de microrganismos e formação de biofilmeControle ambiental de microrganismos e formação de biofilme
Controle ambiental de microrganismos e formação de biofilme
 
05 cosmeticos final2
05 cosmeticos final205 cosmeticos final2
05 cosmeticos final2
 

Mais de Enfº Ícaro Araújo

Diagnosticando as Hepatites - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando as Hepatites - Interpretação de Exames Laboratoriais Diagnosticando as Hepatites - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando as Hepatites - Interpretação de Exames Laboratoriais Enfº Ícaro Araújo
 
Diagnosticando a Mononucleose - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Mononucleose - Interpretação de Exames Laboratoriais Diagnosticando a Mononucleose - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Mononucleose - Interpretação de Exames Laboratoriais Enfº Ícaro Araújo
 
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais Enfº Ícaro Araújo
 
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de Caso
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de CasoSemiologia do Sistema Locomotor - Estudo de Caso
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de CasoEnfº Ícaro Araújo
 
GASTRECTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
GASTRECTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoGASTRECTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
GASTRECTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoEnfº Ícaro Araújo
 
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoLAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoEnfº Ícaro Araújo
 
DOENÇAS CAUSADAS PELOS EXCESSOS DE CARBOIDRATOS
DOENÇAS CAUSADAS PELOS EXCESSOS DE CARBOIDRATOSDOENÇAS CAUSADAS PELOS EXCESSOS DE CARBOIDRATOS
DOENÇAS CAUSADAS PELOS EXCESSOS DE CARBOIDRATOSEnfº Ícaro Araújo
 
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERES
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERESO CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERES
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERESEnfº Ícaro Araújo
 

Mais de Enfº Ícaro Araújo (9)

Diagnosticando as Hepatites - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando as Hepatites - Interpretação de Exames Laboratoriais Diagnosticando as Hepatites - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando as Hepatites - Interpretação de Exames Laboratoriais
 
Diagnosticando a Mononucleose - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Mononucleose - Interpretação de Exames Laboratoriais Diagnosticando a Mononucleose - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Mononucleose - Interpretação de Exames Laboratoriais
 
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais
Diagnosticando a Sífilis - Interpretação de Exames Laboratoriais
 
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de Caso
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de CasoSemiologia do Sistema Locomotor - Estudo de Caso
Semiologia do Sistema Locomotor - Estudo de Caso
 
GASTRECTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
GASTRECTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoGASTRECTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
GASTRECTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
 
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de CasoLAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
LAPAROTOMIA - Enfermagem Cirúrgica - Estudo de Caso
 
DOENÇAS CAUSADAS PELOS EXCESSOS DE CARBOIDRATOS
DOENÇAS CAUSADAS PELOS EXCESSOS DE CARBOIDRATOSDOENÇAS CAUSADAS PELOS EXCESSOS DE CARBOIDRATOS
DOENÇAS CAUSADAS PELOS EXCESSOS DE CARBOIDRATOS
 
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERES
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERESO CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERES
O CUIDADO DE ENFERMAGEM NAS COMPLICAÇÕES DO PÓS-ABORTO EM MULHERES
 
Doença de Addison
Doença de AddisonDoença de Addison
Doença de Addison
 

Silicone próteses fabricação SP

  • 1. VIDA E MORTE DO Docente: Bárbara Conceição V. B. Marques Bacharéis em Enfermagem do 2º e 5º Período 2015.1 Os silicones são compostos quimicamente inertes, inodoros, insípidos e incolores, resistentes à decomposição pelo calor, água ou agentes oxidantes, além de serem bons isolantes elétricos podem ser sintetizados em grande variedade de formas com inúmeras aplicações práticas, por exemplo, como agentes de polimento, vedação e proteção. São também impermeabilizantes, lubrificantes e na medicina são empregados como material básico de próteses. Atualmente estima-se que os silicones são utilizados em mais de 5.000 produtos. O termo silicone é o termo inglês para a classe de compostos químicos cujo nome correto em português é silicone, em função da sua semelhança da sua fórmula geral com as cetonas. A fascinação americana por artigos artificiais e de plástico na época do pós-guerra também favoreceu o silicone como um forte candidato a ser o material da vez, embora tenham sido prostitutas japonesas as primeiras a testarem o produto para aumentar seus seios. O mercado de próteses de silicone no país está em evidente crescimento, desde o surgimento da primeira fábrica no país, hoje são cerca de 150 mil cirurgias anuais. Diante dessa demanda sua fabricação tem passado por constantes mudanças, que vão da sua fórmula de criação até as medidas de segurança adotadas. Todo material é transportado de avião, já na fabrica são separados e recipentes individuais. Todo material pronto passa por dezenas de testes até chegar em uma prótese finalizada, hoje em dia existem cerca de 15 tipos de modelos. O material utilizado na fabricação já foi em conscistência líquida, hoje o mesmo é mais espesso, isso fez com que os riscos de rejeição, infecção ou contaminação dimunuissem, já que em caso de extravasamento do material esse seria mais fácil de conter. De acordo com a última pesquisa realizada e divulgada pelo IBOPE, em 2009 foram realizadas no Brasil 645.464 cirurgias plásticas, sendo 512.145 estéticas (71%). Dessas, 220.711 usaram implantes de silicone nas mais diversas regiões do corpo, tanto em homens quanto em mulheres. Atualmente, são realizados implantes para aumento de glúteos, panturrilhas, coxas, bíceps e tórax. Além de implantes faciais, como o do queixo (mento), das maçãs do rosto (malar) e do dorso nasal. O material empregado na fabricação das próteses mamárias geralmente é um tipo de polímero sintético, comprovadamente biocompatível, conhecido como silicone. Este produto faz parte da composição do revestimento da prótese, podendo também ser coberto por outros produtos como o poliuretano (substância sintética que não provoca rejeição e que recobre o silicone como se fosse uma cápsula). CONCLUSÃO DISCUSSÕES Anderson Lima, Carolina Ferreira, Ícaro Araújo, Lourena Correia, Shirlei Soares, Valdemira Coutinho, Vanessa Santos Fabricação de Silicone no Estado de São Paulo Fonte: mamoplastia.masterhealth.com.br Princiapis tipos de próteses mamárias Fonte: mamoplastia.masterhealth.com.br INTRODUÇÃO RESULTADOS Próteses utilizadas nas panturrilhas Fonte: mamoplastia.masterhealth.com.br