Ícaro LopesObra originalmente publicada baseada no código de ética fornecido pela ADGISBN: 978-2-34256-93-1Editor: Icaro L...
SumárioIntroduçãoSobre ADG                                        13Capítulo 1 - dos objetivos                            ...
DedicatóriaA minha familia e amigos, em especialpara minha mãe e irmã, Sony e Elissandra.
IntroduçãoO mercado de trabalho é um campo deguerra. Cada um que trate de manter seusclientes, prospectar novos, ficar de ...
Sobre ADGmarca, pertinência, dentre tantas outras         O QUE É A ADG BRASIL?expressões, fazem parte do dia-a-dia dodesi...
CAPITULO 1    Dos Objetivos
CAPITULO 1       - dos ObjetivosArtigo 1ºO Código de Ética Profissional doDesigner Gráfico tem por objetivo indicarnormas ...
CAPITULO 1          - dos Objetivos            CAPITULO 1        - dos ObjetivosArtigo 2º                                 ...
CAPITULO 1       - dos Objetivos             CAPITULO 1   - dos ObjetivosArtigo 4ºO Designer Gráfico terá sempre em vistaa...
CAPITULO 2Dos Deveres Fundamentais
CAPITULO 2      - dos Deveres Fundamentais Artigo 5º No desempenho de suas funções, o Designer Gráfico deve:          1. I...
CAPITULO 2           - dos Deveres Fundamentais   CAPITULO 2     - dos Deveres Fundamentais                               ...
CAPITULO 2            - dos Deveres Fundamentais   CAPITULO 2   - dos Deveres Fundamentais4. Não solicitar nem submeter   ...
CAPITULO 2            - dos Deveres Fundamentais   CAPITULO 2     - dos Deveres Fundamentais                              ...
CAPITULO 2              - dos Deveres Fundamentais   CAPITULO 2     - dos Deveres Fundamentais                            ...
CAPITULO 2            - dos Deveres Fundamentais   CAPITULO 2     - dos Deveres Fundamentais                              ...
CAPITULO 3    Dos Honorários
CAPITULO 3       - dos HonorariosArtigo 10ºRecomenda-se ao Designer Gráfico fixarpreviamente, em contrato escrito, seushon...
CAPITULO 3        - dos Honorários                CAPITULO 3    - dos HonorariosArtigo 11ºOs honorários profissionais deve...
CAPITULO 3        - dos Honorários                CAPITULO 3   - dos HonorariosArtigo 12ºO Designer Gráfico não deve, sozi...
CAPITULO 4Recomendações Complementares
CAPITULO 4   - Recomendações Complementares     Artigo 13º     O Designer Gráfico deve realizar de     maneira digna e dis...
CAPITULO 4       - Recomendações Complementares      CAPITULO 4                      - Recomendações ComplementaresArtigo ...
ESTA EDIÇÃO FOI PRODUZIDA EM SETEMBRO DE 2011 EM ARACAJUNA GRÁFICA BROCHURA PARA O ESTUDANTE ÍCARO LOPESUTILIZANDO-SE AS F...
Código de ética para o design gráfico ilustrado
Código de ética para o design gráfico ilustrado
Código de ética para o design gráfico ilustrado
Código de ética para o design gráfico ilustrado
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Código de ética para o design gráfico ilustrado

4.748 visualizações

Publicada em

Resultado do Meu projeto de Conclusão de Curso de Design gráfico, tinha como tema a elaboração de uma proposta da diagramação do Código de Ética para o Design Gráfico no formato de Livro de Bolso Ilustrado. Ilustração: Shirley Jacy. Orientador: Marcelo Amos

0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.748
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
221
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Código de ética para o design gráfico ilustrado

  1. 1. Ícaro LopesObra originalmente publicada baseada no código de ética fornecido pela ADGISBN: 978-2-34256-93-1Editor: Icaro LopesDesigner: Icaro LopesDIretor de Arte: Icaro LopesDesigner Ilustraitor: Shirley Jacy Santos GomesCopyrightCapa: Icaro Lopes Ilustração: Shirley JacyReservados todos os direitos de publicação, em lingua portuguesa, à ADG, Revisão Técnica:(Endereço ADG) Bruno Santana Marcelo AlmeidaÉ proibida a duplicação ou reprodução deste volume, no todo ou em parte, sobquaisquer formas ou por quaisquer meios (eletronicos, mecanicos, fotocopia, dis-tribuição na web e outros), sem permissão expressa da Editora.ARACAJUAV. Dr. José Thomas D’avilla Nabuco, - nº 70049030-270 - Aracaju - SEFone: (79) 9979 - 7228SAC: 0800 000 909090Impresso no BRASIL 2011
  2. 2. SumárioIntroduçãoSobre ADG 13Capítulo 1 - dos objetivos 12Capítulo 2 - dos deveres fundamentais 20Capítulo 3 - dos honorarios 34Capítulo 4 - recomendações complementares 42
  3. 3. DedicatóriaA minha familia e amigos, em especialpara minha mãe e irmã, Sony e Elissandra.
  4. 4. IntroduçãoO mercado de trabalho é um campo deguerra. Cada um que trate de manter seusclientes, prospectar novos, ficar de olho notrabalho da concorrência, e ainda cuidarpara que ela não leve os seus.Diante de tantos paradoxos, como lidar como que é justo, ético e moral?Para uma profissão que ainda não foiregulamentada, este questionamento vaiainda além.Não é fácil sustentar-se em um mercadoonde a propriedade intelectual e artísticaé seu maior produto. A fama de umaprofissão desunida também não ajuda muitona construção de uma unidade, de um grupode profissionais que têm um objetivo comumdiante da sociedade.Plágio, Direito Autoral, Softwares Livres,
  5. 5. Sobre ADGmarca, pertinência, dentre tantas outras O QUE É A ADG BRASIL?expressões, fazem parte do dia-a-dia dodesigner. Tudo envolve o que é certo, o que A Associação dos Designers Gráficos é umaé justo, o que é de quem. associação sem fins lucrativos de âmbitoFoi para isso que a ADG - Associação dos nacional fundada em 1989 com o objetivoDesigners Gráficos do Brasil criou o Código de congregar profissionais e estudantes parade Ética do Design Gráfico. o fortalecimento do design gráfico nacional eEste documento que será apresentado, o aprimoramento ético da prática profissionalnão tem por objetivo criar regras. Mas e o desenvolvimento de seus associados.despertar no profissional o instinto de união,e desenvolvimento da classe. Respeitando oscolegas, o mercado e os clientes.É a partir disso que nós, os designers,formaremos uma classe una, e sã. Para quepossamos com propriedade argumentar,barganhar, pleitear, e definir a nossa funçãosócio-econômica nas engrenagens dacomunicação.14 15
  6. 6. CAPITULO 1 Dos Objetivos
  7. 7. CAPITULO 1 - dos ObjetivosArtigo 1ºO Código de Ética Profissional doDesigner Gráfico tem por objetivo indicarnormas de conduta que devem orientarsuas atividades profissionais regulandosuas relações com a classe, clientes,empregados e a sociedade. 19
  8. 8. CAPITULO 1 - dos Objetivos CAPITULO 1 - dos ObjetivosArtigo 2º Artigo 3ºIncumbe ao Designer Gráfico dignificar O Designer Gráfico visará semprea profissão como seu alto título de honra, contribuir para o desenvolvimento do país,tendo sempre em vista a elevação moral e procurando aperfeiçoar a qualidade dasprofissional, expressa através de seus atos. mensagens visuais e do ambiente brasileiro.20 21
  9. 9. CAPITULO 1 - dos Objetivos CAPITULO 1 - dos ObjetivosArtigo 4ºO Designer Gráfico terá sempre em vistaa honestidade, a perfeição e o respeitoà legislação vigente e resguardará osinterersses dos clientes e empregados, semprejuízo de sua dignidade profissional edos interesses maiores da sociedade.22 23
  10. 10. CAPITULO 2Dos Deveres Fundamentais
  11. 11. CAPITULO 2 - dos Deveres Fundamentais Artigo 5º No desempenho de suas funções, o Designer Gráfico deve: 1. Interessar-se pelo bem público e com tal finalidade contribuir com seus conhecimentos, capacidade e experiência para melhor servir à sociedade; 2 . Contribuir para a emancipação econômica e tecnológica de nosso país, procurando utilizar técnicas e processos adequados a nosso meio ambiente e aos valores culturais e sociais de nosso país; 27
  12. 12. CAPITULO 2 - dos Deveres Fundamentais CAPITULO 2 - dos Deveres Fundamentais Artigo 6º3. Respeitar e fazer respeitar os O Designer Gráfico, em relação aospreceitos intenacionais da Propriedade colegas, deve empenhar-se em:Industrial;4 . O Designer Gráfico não deverá 1. Não cometer ou contribuir para queempreender, dentro do contexto de sua se cometam injustiças contra colegas;prática profissional, nenhuma atividadeque comprometa seu status como 2 . Não usar de descortesia no tratoprofissional independente. com colegas de profissão ou de outras profissões, fazendolhes críticas ou alusões depreciativas ou demeritórias; 3 . Não praticar qualquer ato que, direta ou indiretamente, possa prejudicar legítimos interesses de outros profissionais;28 29
  13. 13. CAPITULO 2 - dos Deveres Fundamentais CAPITULO 2 - dos Deveres Fundamentais4. Não solicitar nem submeter 8. Não procurar suplantar outropropostas contendo condições que profissional depois deste ter tomadoconstituam desleal competição de providência paraobtenção de empregopreço por serviços profissionais; ou serviço;5. Em busca de oportunidade de 9. Não substituir profissional em relaçãotrabalho, o Designer Gráfico deve de trabalho, ainda não encerrada, semapoiar a concorrência íntegra e seu prévio conhecimento e autorização;transparente, baseada no mérito doprofissional e de sua proposta de 10. Não rever ou corrigir o trabalhotrabalho; de outro profissinal, sem o seu prévio conhecimento e sempre após o término6. Não se interpor entre outros de suas funções;profissionais e seus clientes, sem sersolicitada e esclarecida sua intervenção 1 Prestar-lhe assistência de qualquer 1.e, neste caso, evitar, na medida do ordem e natureza no que for de direitopossível, que se cometa injustiça; e justiça;7. Não se aproveitar, nem concorrerpara que se aproveitem de idéias,planos ou projetos de autoria de outrosprofissionais, sem a necessária citaçãoou autorização expressa destes;30 31
  14. 14. CAPITULO 2 - dos Deveres Fundamentais CAPITULO 2 - dos Deveres Fundamentais Artigo 7º12. O Designer Gráfico não deve O Designer Gráfico, em relação à classe,reivindicar ter crédito sozinho em um deve:projeto onde outros Designers Gráficoscolaboraram. 1. Prestar seu concurso moral,13. Quando o Design Gráfico não é intelectual e material às entidades dede um só autor, cabe a este designer classe;ou à empresa de design identificarclaramente as responsabilidades 2 . Desde que eleito, desempenharespecíficas e envolvimento com o cargos diretivos nas entidades dedesign. Trabalhos não devem ser classe;usados para publicidade, display ouportfólio sem uma clara identificação 3 . Acatar as resoluções regularmentedas autorias específicas. votadas pelas entidades da classe;32 33
  15. 15. CAPITULO 2 - dos Deveres Fundamentais CAPITULO 2 - dos Deveres Fundamentais Artigo 8º4. Facilitar a fiscalização do exercício O Designer Gráfico, em relação a seusda profissão; clientes e empregadores, deve:5. Não se aproveitar, quando dodesempenho de qualqer função 1. Oferecer-lhes o melhor de suadiretiva em entidade representativa capacidade Técnica e Profissional,da classe, dessa posição em benefício procurando contribuir para a obtençãopróprio; de máximos benefícios em decorrência de seu trabalho;6. Manter-se em dia com a legislaçãovigente e procurar difundi-la, a fim 2 . Orientar-lhes, de preferênciade que seja prestigiado e definido o de forma expressa, com dados elegítimo exercício da profissão; elementos precisos sobre o que for consultado, após cuidadoso exame.7. Não utilizar o prestígio da classepara proveito pessoal, ter sempre 3 . Considerar como sigilosa eem vista o bem-estar, as adequadas confidencial toda informação quecondições de trabalho e o progresso souber em razão de suas funções, nãotécnico e funcional dos demais as divulgando sem o consentimento dosprofissionais e tratá-los com retidão, clientes e/ou empregadores;justiça e humanidade, recohecendo erespeitando seus direitos.34 35
  16. 16. CAPITULO 2 - dos Deveres Fundamentais CAPITULO 2 - dos Deveres Fundamentais Artigo 9º4. Receber somente de uma única O Designer Gráfico, em relação ao setorfonte honorários ou compensações público, deve:pelo mesmo serviço prestado, salvose, para proceder de modo diverso,tiver movido consentimento de todas as 1. Interessar-se pelo bem públicopartes interessadas; com sua capacidade para esse fim, subordinando seu interesse particular5. O Designer Gráfico não deverá ao da sociedade;aceitar instruções do cliente queimpliquem infração contra os direitos 2 . Envitar esforços para que sepróprios de outras pessoas ou estabeleça a mais ampla coordenaçãoconscientemente, agir de maneira a entre as classes profissionais, de formaacarretar alguma infração; a concorrer para a maior e melhor justiça social;6. O Designer Gráfico, quando atuarem países que não o de origem, 3 . Contribuir para uma utilizaçãodeve observar os códigos de conduta racional dos recursos materiais epróprios de cada local. humanos, visando o estabelecimento de melhores condições sociais e ambientais.36 37
  17. 17. CAPITULO 3 Dos Honorários
  18. 18. CAPITULO 3 - dos HonorariosArtigo 10ºRecomenda-se ao Designer Gráfico fixarpreviamente, em contrato escrito, seushonorários. 1. O Designer Gráfico não deve encarregar-se de nenhum trabalho sem que tenha havido a devida compensação financeira, exceto em casos de prestação de serviços para instituições não-lucrativas. 41
  19. 19. CAPITULO 3 - dos Honorários CAPITULO 3 - dos HonorariosArtigo 11ºOs honorários profissionais devem ser 4. O caráter do serviço a prestar,fixados de acordo com as condições locais conforme se tratar de cliente ou empregador eventual, habitual oudos mercados de trabalho, atendidos os permanente;seguintes elementos; 5. O lugar da prestação de serviço; 6. O conceito profissional da classe; 1. A complexidade, o vulto e a dificuldade do trabalho a executar; 7. As tabelas ou recomendações oficiais existentes, inclusive por 2 . O trabalho e o tempo necessário; resolução das entidades de classe. 3 . A situação econômico-financeira do cliente ou empregador e os benefícios que para este advirão de seu serviço profissional;42 43
  20. 20. CAPITULO 3 - dos Honorários CAPITULO 3 - dos HonorariosArtigo 12ºO Designer Gráfico não deve, sozinho ouem concorrência, participar de projetosespeculativos pelo qual só receberá opagamento se o projeto vier a ser aprovado. 1. O Designer Gráfico pode participar de concursos, abertos ou fechados, cujas condições sejam aprovadas pela entidade de classe; 2 . Uma taxa administrativa justa pode ser adicionada, com o conhecimento e compreensão do cliente, como porcentagem de todos os itens reembolsáveis pelo cliente que tenham passado pela contabilidade do Designer Gráfico; 3 . O Designer Gráfico que é chamado para opinar sobre uma seleção de designers ou outros consultores não deverá aceitar nenhuma forma de pagamento por parte do designer ou consultor recomendado.44 45
  21. 21. CAPITULO 4Recomendações Complementares
  22. 22. CAPITULO 4 - Recomendações Complementares Artigo 13º O Designer Gráfico deve realizar de maneira digna e discreta a publicidade de sua empresa ou atividade, impedindo toda e qualquer manifestação que possa comprometer o conceito de sua profissão ou de colegas. 49
  23. 23. CAPITULO 4 - Recomendações Complementares CAPITULO 4 - Recomendações ComplementaresArtigo 14º Artigo 15ºO Designer Gráfico deve procurar difundir Este Código de Ética Profissional entraos benefícios e as corretas metodologias em vigor na data de sua aprovaçãode sua atividade profissional, em qualquer em Assembléia Geral da ADG Brasil -tempo ou condição. Associação dos Designers Gráficos. As infrações deste Código de Ética Profissional serão julgadas pela ADG Brasil - Associação dos Designers Gráficos50 51
  24. 24. ESTA EDIÇÃO FOI PRODUZIDA EM SETEMBRO DE 2011 EM ARACAJUNA GRÁFICA BROCHURA PARA O ESTUDANTE ÍCARO LOPESUTILIZANDO-SE AS FONTES GEOSANSLIGHT 8/12 E ALTE HAAS GROTESK 9/12 SOBRE PAPEL COUCHE 97 G/M²

×