Recursos Hídricos da freguesia da Chamusca

20.979 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
20.979
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
18.946
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Recursos Hídricos da freguesia da Chamusca

  1. 1. Escola Básica dos 2º e 3º Ciclos com Ensino Secundário da Chamusca Operação Sistemas e Estações de Tratamento Ambiental Sistemas e Estações de Tratamento Recursos Hídricos na Freguesia da Chamusca Ano Lectivo 2007/08
  2. 2. <ul><li>Introdução </li></ul><ul><li>Disciplinas </li></ul><ul><li>Conclusão </li></ul><ul><li>Bibliografia </li></ul>
  3. 3. Introdução <ul><li>Este trabalho surgiu no âmbito das disciplinas de Sistemas e Estações de Tratamento e de Operação Sistemas e Estações de Tratamento Ambiental, com o intuito de fazer um levantamento sobre os componentes hídricos na freguesia da Chamusca. </li></ul><ul><li>Os componentes hídricos da freguesia da Chamusca em estudo foram : qualidade, distribuição e tratamento final da água, os pontos hídricos existentes, desde nascentes a furos, principais utilizações da água, o controlo da qualidade da água e a percentagem de população que é abrangida pela rede de distribuição de água e o seu respectivo tratamento. </li></ul>
  4. 4. Disciplinas <ul><li>Operação Sistemas e Estações de Tratamento Ambientais; </li></ul><ul><li>Sistemas e Estações de Tratamento. </li></ul><ul><li> </li></ul>
  5. 5. Componentes em Estudo <ul><li>Origem da água para consumo humano; </li></ul><ul><li>Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR); </li></ul><ul><li>Estação de Tratamento de Águas (ETA); </li></ul><ul><li>Estações Elevatórias ; </li></ul><ul><li>Depósitos de Armazenamento ; </li></ul><ul><li>Redes de Distribuição e Saneamento ; </li></ul><ul><li>Ponto de Rejeição das Águas Residuais; </li></ul><ul><li>Rede de Drenagem das Águas Residuais . </li></ul>
  6. 6. Componentes em estudo <ul><li>Entidade Gestora ; </li></ul><ul><li>Nascentes e minas ; </li></ul><ul><li>Linhas de Água ; </li></ul><ul><li>Chafarizes e Fontanários ; </li></ul><ul><li>Furos ; </li></ul><ul><li>Principais utilizações da água ; </li></ul><ul><li>Controlo da água ; </li></ul><ul><li>Reutilização da água . </li></ul>
  7. 7. Origem da água para consumo humano <ul><li>No que respeita à captação de água para consumo humano, esta vem de dois furos (CBR1 e CBR2) provenientes da freguesia de Vale de Cavalos, vindo assim directamente para a Chamusca. </li></ul>
  8. 8. Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR); <ul><li>ETAR do tipo misto; </li></ul><ul><li>volume anual afluente: 143901,25 m 3 (valor estimado); </li></ul><ul><li>Freguesia abrangida por esta ETAR: Chamusca; </li></ul><ul><li>Apresenta mau cheiro; </li></ul><ul><li>Bom estado de conservação; </li></ul><ul><li>limpa; </li></ul><ul><li>fácil acesso; </li></ul><ul><li>Tipo de Tratamento: Secundário </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Consiste em cinco fases: </li></ul><ul><ul><li>a primeira fase consiste na remoção de sólidos suspensos que é feita na chegada das águas à ETAR . </li></ul></ul><ul><ul><li>Seguidamente as águas passam por um decantador primário de modo a separar as lamas da água; (Estas lamas são canalizadas para um digestor anaeróbio para serem digeridas durante algum tempo). </li></ul></ul><ul><ul><li>a terceira fase denomina-se de leito perculador que tem por objectivo dar à água um tratamento biológico. </li></ul></ul>
  10. 10. <ul><ul><li>Sucessivamente, a água passa por um decantador secundário onde são separadas da água algumas lamas que não tenham sido removidas na segunda fase. </li></ul></ul><ul><ul><li>Após este tratamento as águas são lançadas para o meio ambiente. </li></ul></ul><ul><ul><li>As lamas resultantes deste processo de tratamento são secas, após um tempo de repouso, e são enviadas para a agricultura ou jardins sob a forma de fertilizante. </li></ul></ul>
  11. 11. Fotografia 1 – Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR)
  12. 12. Estação de Tratamento de Águas (ETA); <ul><li>A ETA da Chamusca de momento encontra-se extinta. Esta localiza-se na Rua Norberto Pedroso, é de fácil acesso e encontra-se em razoável estado de conservação. </li></ul>Fotografia 2 – Estação de Tratamento de Água (ETA)
  13. 13. Estações Elevatórias <ul><li>Na freguesia existem duas estações elevatórias de águas residuais, ambas são de fácil acesso e encontram-se em bom estado de conservação. </li></ul><ul><li>A primeira estação tem 16 anos e é ampla. A sua pressão é de 20 L/s, a água apresenta-se turva, com uma tonalidade escura e com alguns resíduos à vista. </li></ul><ul><li>A segunda estação, encontra-se em remodelação (não se encontrando totalmente desactivada), situa-se perto da população e é muito pequena. A sua pressão de água é de 7L/s e tem mau cheiro exterior. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>Na freguesia em estudo existe uma subestação elevatória de águas doméstica que se localiza no Largo do Mirante. Esta subestação tem por objectivo abastecer a zona do Bairro Primeiro de Maio e as zonas mais altas da vila em estudo. </li></ul>Fotografia 5 – Interior da Subestação
  15. 15. Fotografia 3 – Estação Elevatória de Águas Residuais Fotografia 4 –Estação Elevatória de Águas Residuais
  16. 16. <ul><li>A freguesia possui cinco depósitos de armazenamento de água; </li></ul><ul><li>Três destes depósitos encontram-se todos de fácil acesso e não provocando nenhum tipo de ruído: </li></ul><ul><ul><li>O primeiro depósito encontra-se relativamente em bom estado, com alguma vegetação na parte superior e é de pequenas dimensões; </li></ul></ul><ul><ul><li>O segundo encontra-se em bom estado, rodeado com alguma vegetação, também é de pequenas dimensões e apenas abastece as duas habitações em seu redor; </li></ul></ul>Depósitos de Armazenamento
  17. 17. <ul><li>O terceiro encontra-se em condições razoáveis, e está coberto com areia e é de dimensões médias; </li></ul><ul><li>O quarto depósito é de difícil acesso. Apresenta um estado algo deficitário e a sua entrada encontra-se coberta com silvas. </li></ul><ul><li>O quinto e último depósito perto da população, é de fácil acesso e serve de miradouro. Apresenta-se em bom estado, é alto e tem um chafariz próprio. </li></ul>
  18. 18. Fotografia 6 – Depósito de Armazenamento
  19. 19. Fotografia 7 – Depósito de Armazenamento
  20. 20. Fotografia 8 – Depósito de Armazenamento
  21. 21. Fotografia 9 – Depósito de Armazenamento
  22. 22. Fotografia 10 – Depósito de Armazenamento
  23. 23. Redes de Distribuição e Saneamento; <ul><li>Ambas as redes atingem toda a vila, incluindo actualmente a zona industrial. Sendo cerca de 3504 mil pessoas servidas por ambas as redes. </li></ul>
  24. 24. Ponto de Rejeição das Águas Residuais <ul><li>Localização: bacia hidrográfica do Tejo; </li></ul><ul><li>Entidade Gestora: Câmara Municipal da Chamusca; </li></ul><ul><li>Concelho Servido: Concelho da Chamusca; </li></ul><ul><li>Meio Receptor: através de um troço de linha de água ; </li></ul><ul><li>Número anual descarregado: 385440,00 m 3 (valor estimado). </li></ul>
  25. 25. Fotografia 11 – Troço de linha de água que transporta as águas residuais da freguesia
  26. 26. Rede de Drenagem das Águas Residuais <ul><li>Encontra-se na localidade da Chamusca e o volume total de drenagem das águas residuais é de 177754,80 m 3 (valor estimado). </li></ul>
  27. 27. Entidade Gestora <ul><li>A Entidade Gestora por Natureza e Tipo de Serviços Prestados é a Câmara Municipal da Chamusca, sendo do tipo município, a natureza do serviço prestado é o abastecimento de água e a drenagem e tratamento de águas residuais. </li></ul>
  28. 28. Nascentes e minas <ul><li>Existem seis nascentes naturais: </li></ul><ul><li>a primeira situa-se na ladeira do Outeiro, encontrando-se a respectiva mina no mesmo local; </li></ul><ul><li>a segunda e terceira no Parque Municipal da Chamusca (encontrando-se uma mina no mesmo); </li></ul><ul><li>a quarta que é privada situa-se no Jardim Amaral Neto; </li></ul>
  29. 29. <ul><li>a quinta pertence à Sede dos Bombeiros Voluntários da Chamusca; </li></ul><ul><li>e finalmente a sexta nascente natural localiza-se na Cova da Moura. </li></ul><ul><li>Todas as nascentes naturais encontram-se em bom estado de conservação. </li></ul>
  30. 30. Fotografia 12 - Nascente natural e mina
  31. 31. Fotografia 13 - Nascente natural Fotografia 14 – Nascente natural e mina
  32. 32. Linhas de Água <ul><li>Na Freguesia da Chamusca existem três linhas de água: </li></ul><ul><ul><li>o Rio Tejo ; </li></ul></ul><ul><ul><li>o ribeiro de Arraiolos ; </li></ul></ul><ul><ul><li>a ribeira do Vale. </li></ul></ul>
  33. 33. Fotografia 15 – Rio Tejo (principal linha de água)
  34. 34. Fotografia 16 – Ribeiro de Arraiolos
  35. 35. Chafarizes e Fontanários <ul><li>A freguesia da Chamusca contém três chafarizes situados; </li></ul><ul><ul><li>um no miradouro do Mirante ; </li></ul></ul><ul><ul><li>no Largo 25 Abril denominado por “ Branca de Neve ”; </li></ul></ul><ul><ul><li>na Rua General Humberto Delgado . </li></ul></ul><ul><li>Encontram-se dispersos pelo resto da freguesia fontanários, sete dos quais denominados por “ sete anões ”. </li></ul>
  36. 36. Fotografia 17 - Chafariz
  37. 37. Fotografia 18 – Chafariz “Branca de Neve”
  38. 38. Fotografia 19 - Chafariz
  39. 39. Fotografia 20 – Exemplo de um dos anões
  40. 40. Furos <ul><li>Na freguesia não existem barragens, vindo a água para consumo humano de dois furos (CBR1 e CBR2) de Vale de Cavalos, embora a freguesia da Chamusca possua quatro furos . </li></ul>
  41. 41. <ul><li>Porto do Carvão ; </li></ul><ul><li>Tecedeiro ; </li></ul><ul><li>São Domingos ; </li></ul><ul><li>Tejo Velho . </li></ul>
  42. 42. Porto d o Carvão <ul><li>Coordenada M (m): 170240 </li></ul><ul><li>Coodenda P (m): 266560 </li></ul><ul><li>Cota (m): 18 </li></ul><ul><li>Bacia Hidrográfica: Tejo </li></ul><ul><li>Unidade hidrogeológica: Bacia do Tejo/Sado </li></ul><ul><li>Sistema Aquífero: T7 – Aluviões do Tejo </li></ul><ul><li>Tipo de Ponto de água: furo vertical </li></ul><ul><li>Profundidade: 17,5 m </li></ul><ul><li>Ano de Construção: 1982 </li></ul><ul><li>Objectivo: este furo encontra-se desactivado. </li></ul>Imagem 1 – Perfil do furo
  43. 43. Tecedeiro <ul><li>Nº de inventário: 330/230 </li></ul><ul><li>Coordenada M (m): 174000 </li></ul><ul><li>Coordenada P (m): 271850 </li></ul><ul><li>Bacia Hidrográfica: Tejo </li></ul><ul><li>Unidade hidrogeológica: Bacia do Tejo/Sado </li></ul><ul><li>Sistema Aquífero: T7 – Aluviões do Tejo </li></ul><ul><li>Tipo de Ponto de água: furo vertical </li></ul><ul><li>Profundidade: 20 m </li></ul><ul><li>Objectivo: este furo tem por objectivo a captação/ extracção de água para fins próprios. </li></ul>
  44. 44. São Domingos <ul><li>Nº de inventário: 341/251 </li></ul><ul><li>Coordenada M (m): 166960 </li></ul><ul><li>Coordenada P (m): 260910 </li></ul><ul><li>Bacia Hidrográfica: Tejo </li></ul><ul><li>Unidade hidrogeológica: Bacia do Tejo/Sado </li></ul><ul><li>Sistema Aquífero: T7 – Aluviões do Tejo </li></ul><ul><li>Tipo de Ponto de água: furo vertical </li></ul><ul><li>Profundidade: 15 m </li></ul><ul><li>Objectivo: este furo tem por objectivo a captação/ extracção de água para fins próprios. </li></ul>Fotografia 21 – Furo de São Domingos
  45. 45. Tejo Velho <ul><li>Nº de inventário: 330/332 </li></ul><ul><li>Coordenada M (m): 174380 </li></ul><ul><li>Bacia Hidrográfica: Tejo </li></ul><ul><li>Unidade hidrogeológica: Bacia do Tejo/Sado </li></ul><ul><li>Sistema Aquífero: T7 – Aluviões do Tejo </li></ul><ul><li>Tipo de Ponto de água: furo vertical </li></ul><ul><li>Profundidade: 15 m </li></ul><ul><li>Objectivo: este furo tem por objectivo a captação/ extracção de água para fins próprios. </li></ul>
  46. 46. Controlo da água <ul><li>Na freguesia em estudo, o controlo da água abastecida e tratada é feita com base em análises químicas e bacteriológicas. </li></ul>
  47. 47. Principais Utilizações da água <ul><li>As principiais utilizações da água destinam-se ao abastecimento de consumo humano, rega de pequenas áreas agrícolas e jardins. </li></ul>
  48. 48. Reutilização da água <ul><li>A reutilização da água na freguesia da Chamusca é feita através da adição de leite de cal, no caso da água ácida e através da filtragem da água com carvão activado, no caso da água alcalina. Esta reutilização é elaborada na Estação de Tratamento de Águas Residuais. </li></ul>
  49. 49. Conclusão <ul><li>Neste trabalho podemos concluir que a água assume uma grande importância na freguesia da Chamusca, uma vez que é usada em diversas actividades. </li></ul><ul><li>No decorrer do trabalho, elaboramos resumos e pesquisas sobre o trabalho pretendido, efectuámos trabalhos de campo onde retiramos fotografias e apontamentos referentes ao que nos foi solicitado e falamos com algumas pessoas dentro da área do ambiente. </li></ul><ul><li>Este trabalho foi muito útil para um melhor conhecimento dos diversos componentes hídricos da freguesia da Chamusca. </li></ul>
  50. 50. Bibliografia <ul><li>Livro </li></ul><ul><ul><li>Pasta intitulada “Água”, na Biblioteca Municipal da Chamusca </li></ul></ul><ul><li>Entrevistas </li></ul><ul><ul><li>Engenheira Helena Petisca </li></ul></ul><ul><ul><li>Técnico e responsável pelo departamento das águas José Francisco </li></ul></ul><ul><ul><li>População da vila da Chamusca </li></ul></ul><ul><li>Site </li></ul><ul><ul><li>http://insaar.inag.pt/index2_noflash.htm </li></ul></ul>

×