Arquitetura Hospitalar | 1ª Semana de Design de Interiores de Juiz de Fora

1.493 visualizações

Publicada em

Palestra sobre Arquitetura Hospitalar realizada na 1ª Semana de Design de Interiores de Juiz de Fora, pela Arquiteta Moema

  • Seja o primeiro a comentar

Arquitetura Hospitalar | 1ª Semana de Design de Interiores de Juiz de Fora

  1. 1. Moema Loures Arquiteta e Urbanista UFJFSócia-fundadora do Espaço IMAGINALProfessora de Arquitetura - PUC-Rio Contatos www.imaginal.com.brDoutora UFRJ / ENSAPM Paris, França moema@imaginal.com.brMestre UFRJ/ UTSA Sevilha, Espanha + 55 21 8853 7224
  2. 2. IMAginalIMAginal no sentido de dar visibilidade à imaginação IMA Unir diversos profissionais ligados ao processo criativo. Da arquitetura ao design. Da arte à engenharia. Da tecnologia à inovação.
  3. 3. ESTRUTURA
  4. 4. Núcleo voltado a projetos de arquitetura de cunho histórico- cultural, envolvendo centros culturais e restauro/revitalização de bens tombados.Casarão Colucci Espaço Cultural Cine Stella Fazenda da Tapera
  5. 5. Um elo entre arquitetura e cidade. m.arquitrip.com Conheça as cidades ao redor do mundo através da Arquitetura. Um guia mobile para aproximar a arquitetura das pessoas.
  6. 6. Núcleo dedicado a pensar o ambiente hospitalar e suascomplexidades técnicas, funcionais e estéticas. Integrando aarquitetura ao dia-a-dia de um hospital. “A arquitetura impulsiona o processo de cura do paciente e melhora a qualidade dos serviços prestados, abrindo frentes para modernização e humanização do ambiente hospitalar.
  7. 7. _ SANTA CASA DE JUIZ DE FORA PROJETOS ACUPUNTURAANTES DEPOIS
  8. 8. ANTES DEPOIS PROJETOS ACUPUNTURA
  9. 9. PROJETOS ACUPUNTURA
  10. 10. ANTES DEPOIS PROJETOS ACUPUNTURA
  11. 11. SALA DE CONVIVÊNCIAS
  12. 12. SALA DE CONVIVÊNCIAS
  13. 13. SALA DE CONVIVÊNCIAS
  14. 14. SALA DE CONVIVÊNCIAS
  15. 15. LÚDICOa O “detalhe” é chave do nosso trabalho. Através dele conseguimos despertar o lúdico em ambientes de grande rigor e complexidade. O Hospital tornou-se mais humano e aos poucos vamos aproximando a noção de “Hospital” ao conceito de habitar. Habitar como achar-se, ser e estar.“A   arquitetura,   como   sempre,   permanece   em   poucos  detalhes,   esperando   o   pontapé   da   ‘gaivota’,   a   luz   da   ALDO ROSSIescada,   o   barco   que   atravessa   o   lago   como   em   uma  cúpula  de  cristal”.    
  16. 16. AMBULATÓRIO SUS
  17. 17. AMBULATÓRIO SUS
  18. 18. AMBULATÓRIO SUS
  19. 19. AMBULATÓRIO SUS
  20. 20. EXPERIMENTAÇÃO  que  nos  importa  não   A  arquitetura  amadurece  no  dia  a  dia  do  hospital.  O é  o  projeto  de  arquitetura  como  obra  completa,  e  sim  suas  possibilidades   de   expansão,   o   projeto   deve   estar   sempre   aberto   à   experimentação   do   usuário/intérprete.    
  21. 21. Avaliação “Ouvimos as necessidades e avaliamos a situação. _ Workshops com usuários Criação Entrevistas com “stakeholders” Avaliação físico-espacial do“Geramos conceito, idéias e soluções. ambiente _ Concepção do projeto Planejamento Especificações Apresentações Projeto executivo Realização “Implementamos e acompanhamos as obras. _ Execução Equipe de suporte às obras Equipe de obras
  22. 22. ESPAÇO CLÍNICO SANTA CASA
  23. 23. PROMENADE de  periféricos   e   policêntricos.   A   O   espaço   não   é   estabelecido   a   parGr   parGr   da   justaposição   de   elementos   um   ponto   fixo,   ideal,   e   sim   a   arquitetura   é   apreciada   enquanto   movimento,   andando   e     movimentando  de  um  lugar  a  outro.  A  arquitetura  deve  ser  vivenciada.    
  24. 24. ESPAÇO CLÍNICO SANTA CASA
  25. 25. ESPAÇO CLÍNICO SANTA CASA
  26. 26. ESPAÇO CLÍNICO SANTA CASA
  27. 27. CANTEIRO DE OBRA o   pintor,   o   O   canteiro   de   obra   é   espaço   de   criação,   todos   parGcipam,   gesseiro,   o   pedreiro,   o   bombeiro.   Acompanhamos   cada   passo   do   processo.   Entre   a   realidade   e   o   desejo,   a   arquitetura   vai   oferecendo   melhores  condições  de  trabalho  e  impulsionando  a  cura  do  paciente.  
  28. 28. ESPAÇO CLÍNICO SANTA CASA
  29. 29. ESPAÇO CLÍNICO SANTA CASA
  30. 30. ESPAÇO CLÍNICO SANTA CASA
  31. 31. ESPAÇO CLÍNICO SANTA CASA `
  32. 32. ALA DE INTERNAÇÃODEPOIS ANTES
  33. 33. ALA DE INTERNAÇÃO
  34. 34. ALA DE INTERNAÇÃO
  35. 35. ALA DE INTERNAÇÃO
  36. 36. ALA DE INTERNAÇÃO
  37. 37. ALA DE INTERNAÇÃO
  38. 38. ALA DE INTERNAÇÃO
  39. 39. ALA DE INTERNAÇÃO
  40. 40. ALA DE INTERNAÇÃO
  41. 41. ALA DE INTERNAÇÃO
  42. 42. ALA DE INTERNAÇÃO EXPURGODEPOIS ANTES
  43. 43. ALA DE INTERNAÇÃOWAYFINDING DESIGN
  44. 44. ALA DE INTERNAÇÃOWAYFINDING DESIGN
  45. 45. ALA DE INTERNAÇÃOWAYFINDING DESIGN
  46. 46. FRONTEIRAS MÓVEIScasual,  real  e   Entre  o  anGgo  e  moderno,  popular  e  erudito,  ordenado  e   imaginário,  pescamos  os  fragmentos  da  nossa  arquitetura.    
  47. 47. ALA DE INTERNAÇÃO
  48. 48. ALA DE INTERNAÇÃO
  49. 49. QUE FAZEMOS:HumanizaçãoOrganização funcionalAdaptação às normas da VigilânciaPadronizaçãoInfraestrutura (elétrica, hidráulica, estrutural)Acompanhamento da obra e pós obraDesign de ambientação (Wayfinding)
  50. 50. ZUMTHOR as  ientenções  àe  stéGcas  que  ue  e  ommeus  temas   Quando  eu  tento  idenGficar   processo  de  projectar  ediNcios,   u  chego   conclusão  q m s   oGvaram  no   variam  entre  o  lugar,  o  material,  a  energia,  a  presença,  as  recordações,  as   memórias,   as   imagens,   a   densidade,   a   atmosfera,   a   permanência   e   a   concentração.   Durante   o   curso   do   meu   trabalho,   eu   tento   dar   a   estes   termos   abstractos,   conteúdos   concretos   relevantes   à   cessão   afecGva,   mantendo  na  minha  cabeça  que  estou  a  construir  algo  que  irá  fazer  parte   de   um   lugar,   parte   de   um   circundante,   que   irá   ser   usado   e   amado,   descoberto  e  abandonado,  e  porém  até  detestado  –  em  suma,  que  irá  ser   vivido,  no  senGdo  mais  amplo    
  51. 51. Moema Loures Contatos www.imaginal.com.br moema@imaginal.com.brArquiteta e Urbanista UFJF + 55 21 8853 7224 Sócia-fundadora do Espaço IMAGINALProfessora de Arquitetura - PUC-Rio Doutora UFRJ / ENSAPM Paris, FrançaMestre UFRJ/ UTSA Sevilha, Espanha

×