Difusores
da convergência
contábil.

Como diferenciar a sua
implementação do IFRS a partir
de uma comunicação efetiva
A comunicação da sua transição para o IFRS


 • Uma comunicação pró-ativa e efetiva dos impactos da adoção do
   IFRS na o...
A implementação do IFRS
 Muito mais do que uma mudança no formato dos relatórios e das
 divulgações, os impactos atingem o...
A implementação do IFRS

 No final, muitos (se não todos os) indicadores críticos de performance
 serão impactados:
 •   R...
A importância da comunicação

Um plano de comunicação bem elaborado e executado irá assegurar
que os públicos de interesse...
A complexidade envolvida na transição para o IFRS
                                                                        ...
As etapas de um plano de comunicação efetivo para o IFRS

         Pré-transição                      Transição           ...
Pré-Transição


• Em função do estágio preliminar de implementação, as
  comunicações são limitadas às informações mais qu...
Transição

 • As comunicações durante a fase de transição serão mais difíceis,
   considerando a natureza preliminar das i...
Transição
Tópicos para as apresentações aos analistas:
 •   Histórico e contexto da transição;
 •   Status da transição pa...
Pós-Transição



 • Divulgação anual das demonstrações financeiras comparativas
   completas em IFRS finalizam o processo ...
A transição para o IFRS não envolve somente as mudanças
contábeis




Uma comunicação efetiva para o IFRS           ©2008 ...
Prepare-se para discutir essas e outras implicações.
E também como a companhia está endereçando essas questões.



 • Muda...
Outras considerações importantes sobre a comunicação

 • Comunicações similares podem ser necessárias para outros grupos d...
Sua empresa já elaborou estratégias de comunicação para o
período posterior à implantação do IFRS?

Como indicou a pesquis...
Considerações finais
 • Lembre-se: os fundamentos do seu negócio não estão sofrendo
   alterações;

 • Envolva-se e fique ...
A Deloitte oferece serviços nas áreas de Auditoria, Consultoria Tributária, Consultoria em Gestão de Riscos Empresariais, ...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

A Convergência Contábil na Visão dos RIs - Apresentação resumida

782 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
782
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A Convergência Contábil na Visão dos RIs - Apresentação resumida

  1. 1. Difusores da convergência contábil. Como diferenciar a sua implementação do IFRS a partir de uma comunicação efetiva
  2. 2. A comunicação da sua transição para o IFRS • Uma comunicação pró-ativa e efetiva dos impactos da adoção do IFRS na organização será essencial para a manutenção da confiança dos investidores e para proteger e melhorar o valor para os públicos de interesse. • O RI será a figura central desse processo de comunicação e terá um papel importante no gerenciamento das expectativas de mercado. • Não há respostas certas ou erradas com relação ao conteúdo e à forma com que as comunicações são feitas – é sempre preciso customizar, de acordo com a empresa, sua cultura e as expectativas dos públicos de interesse. • Um plano de comunicação bem elaborado e abrangente pode ser o fator de diferenciação na sua implementação do IFRS. Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  3. 3. A implementação do IFRS Muito mais do que uma mudança no formato dos relatórios e das divulgações, os impactos atingem os mais diversos aspectos da organização: • No resultado (não há amortização do ágio, uso do valor justo, plano de remuneração em ações, arrendamentos financeiros); • No patrimônio líquido (ganhos e perdas não realizados, passivo vs. patrimônio líquido); • Nas considerações sobre consolidação (mudanças nos parâmetros utilizados para a classificação de empresas controladas, associadas e de controle compartilhado); • Na apresentação de ativos e passivos (categorias de ativos e classificação, ágio, passivo vs. patrimônio líquido); • Nas notas explicativas e divulgações (segmentos e divulgações mais detalhadas). • Considerar os impactos do IFRS 1 na transição. Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  4. 4. A implementação do IFRS No final, muitos (se não todos os) indicadores críticos de performance serão impactados: • Receita; • Margem bruta; • Resultado do exercício; • Lucro por ações; • EBITDA; • Covenants; • Capacidade de gerar dividendos; • Outros índices (capital de giro, índice de dívida sobre o patrimônio líquido etc). Investidores, analistas e outros públicos de interesse estão possivelmente tão ansiosos como você para entender as implicações do IFRS na sua empresa. Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  5. 5. A importância da comunicação Um plano de comunicação bem elaborado e executado irá assegurar que os públicos de interesse estejam preparados antecipadamente para a divulgação das primeiras demonstrações financeiras em IFRS. Ele permitirá também: • Evitar surpresas que poderiam resultar em especulação ou volatilidade no preço das ações; • Gerenciar proativamente as expectativas do mercado; • Fortalecer o relacionamento com os analistas e contribuir para a confiança geral do mercado; • Aumentar a eficiência e eficácia da função do RI. Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  6. 6. A complexidade envolvida na transição para o IFRS As companhias de capital aberto (CVM), as instituições financeiras (BC) e as O CPC emitirá normas seguradoras (Susep) Implementação obrigatoriamente devem reportar contábeis brasileiras em das mudanças da regulatório demonstrações financeiras harmonia com o IFRS Roadmap Lei n°11.638/07 consolidadas de acordo com o IFRS em 2010 (dois anos comparativos) 2007 2008 2009 2010 2011 Primeira adoção Demonstrações financeiras em BR GAAP (convergindo com o IFRS) DFs em IFRS IFRS 1 Ações preparativas ao IFRS Primeiras DFs em IFRS Data do relatório Data de transição Primeira demonstração Balanço de abertura - IFRS financeiras em IFRS (dois anos) Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  7. 7. As etapas de um plano de comunicação efetivo para o IFRS Pré-transição Transição Pós-transição • Plano e status da • Press release de • Plano e status da implementação do IFRS informações anuais implementação do comparativas IFRS • Avaliação das diferenças e dos • DF´s anuais • Estratégia de transição impactos significativos comparativas, – gradual, através das do IFRS e das incluindo nota informações interinas informações explicativa de ou somente anuais preliminares reconciliação requerida • Calendário de pelo IFRS 1 e CVM • Informações interinas: comunicações durante (controladora BR BR GAAP e/ou IFRS a fase de transição GAAP x Consolidado • Expectativa financeira IFRS) (guidance) do ano em • Plano de IFRS sustentabilidade • Outros impactos Características das informações Qualitativa Precisão Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  8. 8. Pré-Transição • Em função do estágio preliminar de implementação, as comunicações são limitadas às informações mais qualitativas. • A empresa deve definir a estratégia de transição: • Quando será a última divulgação do BR GAAP – trimestral ou anual? • Quando haverá informação suficientemente precisa para a transição? • Quais são os planos de transição dos concorrentes no setor/indústria? • O calendário de comunicações durante o período de transição deve ser formalizado e comunicado antecipadamente, quando existir certeza de que será cumprido. Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  9. 9. Transição • As comunicações durante a fase de transição serão mais difíceis, considerando a natureza preliminar das informações disponíveis; • Os encontros com analistas (via webcast, seminário etc) serão úteis para apresentar e discutir os impactos preliminares da implementação, em antecipação à divulgação das primeiras demonstrações financeiras em IFRS; • A seqüência das comunicações deve ser bem planejada para minimizar potencial confusão com informações a serem disponibilizadas em BR GAAP; • Companhias acostumadas a fornecer guidance devem incorporar o IFRS dentro de suas expectativas. Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  10. 10. Transição Tópicos para as apresentações aos analistas: • Histórico e contexto da transição; • Status da transição para o IFRS; • Mensagens críticas; • Impactos preliminares da aplicação do IFRS • Base para a preparação do balanço de abertura, conforme o IFRS 1, e reconciliação com informações correspondentes em BR GAAP; • Análises detalhadas das mudanças de práticas contábeis relevantes; • Reconciliação dos itens relevantes do balanço, resultado do exercício, patrimônio e indicadores de desempenho com BR GAAP; • Descrição e reconciliação dos efeitos por segmento de negócios. • Guidance para o período anual – considerando o IFRS; • Atualização dos planos de comunicação; • Outros tópicos. Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  11. 11. Pós-Transição • Divulgação anual das demonstrações financeiras comparativas completas em IFRS finalizam o processo de comunicação. • As divulgações nas notas explicativas em IFRS são geralmente mais abrangentes e detalhadas: • Reconciliações de informações exigidas pelo IFRS 1 e pela CVM; • Novas divulgações podem gerar dúvidas ou revelar aspectos dos negócios que não foram disponibilizados anteriormente; • Transparência x complexidade. Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  12. 12. A transição para o IFRS não envolve somente as mudanças contábeis Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  13. 13. Prepare-se para discutir essas e outras implicações. E também como a companhia está endereçando essas questões. • Mudança de política ou de comportamento gerencial como resultado do IFRS (dividendos, aquisições, relatórios gerenciais/orçamentos); • Fatores de riscos novos ou não divulgados no passado e como a administração gerencia estes riscos (derivativos e atividades de hedging); • Impactos nos sistemas de informação e qualquer mudança significativa realizada ou planejada; • Conseqüências fiscais (neutralidade); • Adequação do pessoal e treinamento; • Custos de implementação. Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  14. 14. Outras considerações importantes sobre a comunicação • Comunicações similares podem ser necessárias para outros grupos de stakeholders • Credores: envolvimento da Tesouraria; • Agências reguladoras; • Clientes e fornecedores que confiam nas informações financeiras. • Coordenar, com os responsáveis pela governança (Conselho de Administração, Conselho Fiscal etc) e os auditores externos, antes de comunicar externamente; • Um plano de comunicação próprio para os stakeholders internos (como os funcionários) é também importante para criar conscientização e assegurar que os objetivos e mensagens da companhia serão compreendidos. Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  15. 15. Sua empresa já elaborou estratégias de comunicação para o período posterior à implantação do IFRS? Como indicou a pesquisa, a comunicação, ponto essencial na atividade de RI, já foi ou vem sendo endereçada por quase metade (47%) das empresas, demonstrando antecipação em relação ao tema – afinal, 90% da amostra ainda não conta com o IFRS atualmente. Em % de executivos assinalando cada item Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  16. 16. Considerações finais • Lembre-se: os fundamentos do seu negócio não estão sofrendo alterações; • Envolva-se e fique conectado com o plano de implementação do IFRS; • Comece já a desenvolver seu plano de comunicação; • Comunique – de forma clara, abrangente e transparente; • Faça você mesmo a sua informação disponível; • Monitore as mudanças nas análises de projeções e ajuste suas comunicações. Uma comunicação efetiva para o IFRS ©2008 Todos os direitos reservados.
  17. 17. A Deloitte oferece serviços nas áreas de Auditoria, Consultoria Tributária, Consultoria em Gestão de Riscos Empresariais, Corporate Finance, Consultoria Empresarial, Outsourcing, Consultoria em Capital Humano e Consultoria Atuarial para clientes dos mais diversos setores. Com uma rede global de firmas- membro em mais de 140 países, a Deloitte reúne habilidades excepcionais e um profundo conhecimento local para ajudar seus clientes a alcançar o melhor desempenho, qualquer que seja o seu segmento ou região de atuação. Os 165 mil profissionais da Deloitte estão comprometidos a tornarem-se o padrão de excelência do mercado e estão unidos por uma cultura colaborativa, que encoraja a integridade, o comprometimento, a força da diversidade e a geração de valor aos clientes. Eles vivenciam um ambiente de aprendizado contínuo, experiências desafiadoras e oportunidades de carreira enriquecedoras, dedicando-se ao fortalecimento da responsabilidade corporativa, à conquista da confiança do público e à geração de impactos positivos em suas comunidades. No Brasil, onde atua desde 1911, a Deloitte é uma das líderes de mercado e seus mais de 3.500 profissionais são reconhecidos pela integridade, competência e habilidade em transformar seus conhecimentos em soluções para seus clientes. Suas operações cobrem todo o território nacional, com escritórios em São Paulo, Belo Horizonte, Brasília, Campinas, Curitiba, Fortaleza, Joinville, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Recife e Salvador. A Deloitte refere-se a uma ou mais Deloitte Touche Tohmatsu, uma verein (associação) estabelecida na Suíça, e sua rede de firmas-membro, sendo cada uma delas uma entidade independente e legalmente separada. Acesse www.deloitte.com/about para a descrição detalhada da estrutura legal da Deloitte Touche Tohmatsu e de suas firmas-membro. ©2008 Todos os direitos reservados.

×