Apócrifos evangelho valentino

634 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
634
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apócrifos evangelho valentino

  1. 1. 1 www.autoresespiritasclassicos.com Apócrifos Evangelho Valentino Capítulo 1 Jesus ascende aos céus e desce deles tara doutrinar seus discípulos QUANDO ressuscitou dentre os mortos, Jesus passou doze anos falando com seus discípulos. 2 E ensinava-lhes os lugares não somente dos primeiros preceitos como também do primeiro mistério, o que está no interior dos véus, no interior do primeiro preceito, que é o próprio vigésimo quarto mistério, e assim também as coisas que se acham mais além, no segundo lugar do segundo mistério, que está antes de todos os mistérios. 3 E Jesus disse a seus discípulos: "Vim desse primeiro mistério, que é o mesmo que o último mistério, que é o vigésimo quarto."
  2. 2. 2 4 Mas os discípulos não compreendiam essas coisas, porque nenhum deles havia penetrado aquele mistério, que, entretanto, consideravam como o cume do universo e a cabeça de tudo quanto existe. E pensavam que era o fim de todos os fins, porque Jesus havia-lhes dito, com relação a esse mistério, que ele rodela o primeiro preceito e os cinco moldes, a Grande Luz e os cinco assistentes e, igualmente, todo o Tesouro da Luz. 5 E Jesus não havia ainda anunciado a seus discípulos que toda a emanação de todas as regiões do Grande Invisível, e dos três tríplices poderes, e dos vinte e quatro invisíveis, de suas regiões, de seus éons e de suas hierarquias, tudo conforme à maneira como emana daqueles que são o mesmo que os próbolos do Grande Invisível, e não lhes havia explicado seus nascimentos, suas criações, suas vivificações, seus arcontes, seus anjos, seus arcanjos, seus decanos, seus satélites e todas as moradas de suas esferas. 6 Jesus não havia falado a seus discípulos de toda a ema-nação dos próbolos do Tesouro da Luz, nem tampouco dos seus salvadores, segundo a ordem de cada um deles e seu modo de existência. Não lhes havia falado do lugar dos três améns que estão espalhados pelo espaço. 7 Jesus não havia falado a seus discípulos quais as regiões dos cinco assistentes, nem onde estão, nem lhes havia falado dos cinco círculos, nem do primeiro preceito, nem em que lugar se acham. E somente havia, ao falar a seus discípulos, revelado a existência desses seres, mas sem se referir à sua emanação e à hierarquia da sua região, e eles ignoravam que havia outras regiões dentro deste mistério. 8 E não lhes havia dito de que lugar havia saído quando entrou nesse mistério no momento em que foi emanado, dizendo-lhes apenas: "Eu saí deste mistério". E por isso pensavam eles, em relação a esse mistério, que era o fim dos fins e o cume do universo. E Jesus disse a seus discípulos: "Esse mistério envolve todas as coisas que vos disse desde o dia em que vim até o dia de hoje." 9 E por isso os discípulos não pensavam que coubesse alguma outra coisa no interior desse mistério. E ocorreu que, estando os discípulos no Monte das oliveiras, disseram estas palavras, com grande alegria: "Somos mais felizes que qualquer homem, posto que o Salvador nos revelou tudo e alcançamos a elevação e a perfeição."
  3. 3. 3 10 E, enquanto assim falavam, Jesus estava sentado um pouco afastado. E ocorreu que o dia quilice da lua do mês de têbêth, dia em que havia plenilúnio, o sol, elevando-se em seu curso ordinário, emitiu uma luz incomparável. 11 Porque procedia da luz das luzes, e desceu sobre Jesus e o rodeou por inteiro. E estava um pouco distanciado dos seus discípulos e brilhava de um modo inigualável. E os discípulos não viam Jesus, porque os cegava a luz que o envolvia. 12 E só viam os feixes de luz. E estes não eram iguais entre si, e a luz não era igual e se dirigia para vários sentidos, de baixo para cima, e o resplendor dessa luz alcançava a terra e o céu. E os discípulos, ao verem aquela luz, experimentaram grande turbação e espanto. 13 E ocorreu que o grande resplendor luminoso chegou sobre Jesus e o envolveu lenta-mente. E Jesus elevou-se ao céu, e todos ficaram silenciosos. E isto se passou no décimo quinto dia do mês de têbêth. 14 E quando Jesus já havia ascendido ao céu, depois da hora terça, todas as forças dos céus se turvaram e se agitaram entre si, e todos os éons e todas as regiões e suas ordens, a terra inteira e seus habitantes estremeceram. E os discípulos e todos os homens se amedrontaram e pensaram que o mundo pudesse ser destruído. 15 E todas as forças do céu não cessavam de se agitar, e se agitaram entre si desde a hora terça daquele dia até a nona do dia seguinte. E os anjos e arcanjos, e todas as potestades das regiões superiores entoavam hinos, e todos ouviam seus cânticos, que duraram até a hora nona do outro dia. 16 Mas os discípulos estavam reunidos e cheios de terror. E se espantavam com o que sucedia, e choravam, dizendo: "Que acontecerá? Destruirá o Salvador todas as regiões?" E falavam assim e vertiam lágrimas, e à hora nona do dia seguinte os céus se abriram e eles viram descer Jesus em meio a um imenso resplendor. 17 E esse resplendor não era uniforme, mas dividia-se em muitas nuanças, umas mais brilhantes do que as outras. E havia três delas que brilhavam de forma diferente, e a segunda estava sobre a primeira, e a terceira era superior às demais. E a primeira era análoga à que envolvera Jesus quando subiu ao céu.
  4. 4. 4 18 E quando os discípulos viram tal coisa, encheram-se de espanto. E Jesus, misericordioso e doce, falou-lhes dizendo: "Tranqüilizai-vos e nada temais". E, ouvindo os discípulos estas palavras, disseram: "Senhor, se tirares de Ti essa luz deslumbrante poderemos continuar aqui. De outra maneira, nossos olhos cegarão, pois com essa luz nós e o mundo inteiro estamos perturbados." 19 E Jesus fez desaparecer aquela luz, e os discípulos, tranqüilizados, foram a Ele e, prosternando-se todos, o adoraram, dizendo: "Mestre, onde foste? Para que foste chamado? E de onde vêm todas estas perturbações?" 20 E Jesus, todo misericórdia, disse-lhes: "Regozijai-vos, porque a partir" deste momento eu vos falarei com toda a clareza, desde o principio da Verdade até o fim. Nada vos ocultarei com respeito às coisas que pertencem ás regiões superiores e às regiões da Verdade. Porque fui autorizado pelo Inefável, pelo primeiro mistério dos mistérios, para vos falar desde o princípio até a consumação, e desde as coisas interiores às exteriores e vice-versa. Escutai e vos direi todas estas coisas. 21 "Ocorreu que, estando eu sentado algo distante de vós no Monte das Oliveiras, meditava sobre a missão para a qual fui enviado, que está cumprida, e sobre o último mistério, que é omesmo que o vigésimo quarto mistério, desde as coisas interiores até as exteriores, e me ocorreu que ainda não me havia sido enviada uma veste. E estas coisas são o segundo posto do primeiro mistério. 22 "E sucedeu que quando eu compreendia que o fim do mistério pelo qual vim já estava cumprido, e que o mistério não me havia ainda enviado minha vestimenta, e refletindo sobre isto no Horto das Oliveiras, perto de vós, o sol ergueu-se dos lugares em que o colocou o primeiro mistério que o criou, e, por ordem do primeiro mistério, me foi enviada minha veste de luz, a qual me havia sido dada desde o principio, e eu me coloquei no último mistério, que é o vigésimo quarto mistério, a contar dos que estão no segundo lugar do primeiro mistério. 23 "E essa veste eu a pus no último mistério, até cumprir o tempo em que devia começar a pregar à humanidade e a revelar todas as coisas desde o princípio da Verdade até seu fim, falando do interior do interior até o exterior do exterior. Regozijai-vos e gozai, pois foi-vos outorgado que eu vos fale desde o princípio até o fim da Verdade. E eu vos escolhi
  5. 5. 5 desde o princípio pelo primeiro mistério. 24 "Regozijai-vos, porque, ao descer ao mundo, conduzi desde o começo doze forças, que tomei dos doze Salvadores do Tesouro da Luz, de acordo com o mandamento do primeiro mistério. E arrojei-as no seio de vossas mães e hoje estão no vosso corpo. 25 "E essas forças me foram outorgadas contra a vontade de todo o mundo, porque vós deveis salvar o mundo inteiro, e para isso é preciso que possais sofrer as ameaças dos senhores do mundo e os perigos do mundo, suas penas e suas perseguições. 26 "Disse-vos que a força que está depositada em vós eu a extraí dos doze Salvadores que estão no Tesouro da Luz. E por isso disse-vos desde o princípio que vós não sois deste mundo, nem eu tampouco. E os homens que são deste mundo tomaram as almas dos arcontes dos éons. Mas a força que está em vós vem de mim e pertence às regiões superiores. Eu conduzi os doze Salvadores do Tesouro da Luz, dos quais tomei uma parte da minha força. 27 "E quando vim ao mundo, vim entre os anjos das esferas, como Gabriel, o anjo dos éons e os arcontes dos éons não me reconheceram, pensavam que era o anjo Gabriel. E ocorreu que, quando estive entre os chefes dos éons, olhei de cima o mundo dos homens, como manda o primeiro mistério, e vi Isabel, mãe de João Batista, antes de o conceber. 28 "E pus nela a força que havia recebido do pequeno Ião, o bom, que está no centro, para que pudesse pregar, antes de mim, e preparar meus caminhos, e para que batizasse com a água da remissão dos pecados. E no lugar de um arconte incumbido de recebê-los, encontrei a alma do profeta Elias na esfera dos éons e recebi sua alma, e levei-a à Virgem, filha da luz, e ela deu-a aos Seus herdeiros, que a levaram ao seio de Isabel. 29 "A força de ião, aquele que está no centro, e a alma de Elias, o profeta, uniram-se no corpo de João Batista. E porque duvidastes quando eu vos disse que João havia declarado ser ele o Cristo, vós respondestes que estava na Escritura que o Cristo viria, Elias viria com Ele, e lhe prepararia os caminhos. 30"Mas, ao me falarem assim, eu vos respondi: 'Elias veio, e eu preparei tudo, como está escrito'. E como vi que não compreendíeis que a alma de Elias estava em João Batista, falei-vos em forma de parábola."
  6. 6. 6 Capítulo 2 Jesus promete aos discípulos instruí-los em todos os mistérios 1 E Jesus continuou falando, e disse: "E, segundo o mandamento do primeiro mistério, olhei de cima o mundo dos homens e vi Maria, que é chamada minha mãe carnal, e falei-lhe sob a figura de Gabriel. E quando ela se elevou para mim, pus nela a primeira força, que recebi do grande Barbelon, quer dizer, o corpo que vem das regiões superiores. 2 E no lugar da alma coloquei nela a força que recebi do grande Sabach, o bom, que está no hemisfério da direita. E as doze forças dos doze Salvadores do Tesouro da Luz, que recebi dos doze diáconos que estão no centro, e levei-as à esfera dos arcontes. 3 E os decanos dos arcontes e seus satélites acreditaram que eram as almas dos arcontes, e as levaram aos satélites, e eu as coloquei no seio de vossas mães. E quando chegou o tempo os pariram, e em vós não havia nada da alma dos arcontes." 4 E quando Jesus acabou de dizer todas essas coisas a seus discípulos no monte das Oliveiras, continuou instruindo-os, e disse: "Regozijai-vos, e que a alegria desça sobre vossa alegria. Porque os tempos chegaram, e eu me vestirei com a roupagem que me foi preparada desde o principio, e que no último mistério até o tempo de sua perfeição." 5 Mas seu tempo não ha via chegado, e Ele já não podia falar-vos da Verdade desde o seu principio até seu fim, com terá de ser para que o mundo seja salvo por vós. "Regozijai vos, pois, oh! Bem aventurados sois vós entre todos os homens porque haveis de salvar o mundo." 6 E quando Jesus acabou de falar assim, disse: "Eis que aqui recebo minha vestimenta e que toda a ciência me é dada pelo primeiro mistério. Esperai um pouco, e eu vos revelarei todo o mistério e toda pleroma, e nada vos ocultarei a partir de hoje. 7 Mas na perfeição eu vos instruirei de toda a perfeição e de todos os mistérios que são em si mesmos o fim de todos os fins e a gnose de todas as gnoses, que há em minha investidura. E vos explicarei todos os mistérios, desde o interior dos interiores até o exterior dos exteriores. 8 Escutai, pois, e ouvi todas as coisas que me sucederam. E ocorreu que, quando c sol se ergueu no oriente, desceu uma grande potência da luz, na qual vinha a minha vestimenta, que eu pus no vigésimo quarto
  7. 7. 7 mistério, como vos expliquei. E encontrei o mistério em minha veste, escrito nas cinco palavras que pertencem às regiões superiores, e que são: Zama, zama, ozaráchama ózai. 9 E sua explicação é esta: 'O mistério que está fora do mundo, e que é a causa de que o mundo haja sido feito, é toda a ação e toda a elevação, e projeta todas as emanações e está em todas elas. E vim para que nos associemos contigo, nós estamos inteiros contigo. E nós somos uno e idêntico, e tu és uno e idêntico. 10 E este é o primeiro mistério, feito desde o princípio, e que é inefável diante da ema-nação. E todos nós somos seu nome. E nós, pois, vivemos inteiramente para Ti, no último limite, que é o mesmo que o último mistério desde o interior. E te havemos enviado tua vestimenta, que é tua desde que no principio a situaste até o último limite, e até que seu tempo tenha chegado, segundo à disposição do primeiro mistério. 11 E havendo chegado o tempo ta darei. Vem a nós, para que sejamos em Ti, para que ta invistamos do primeiro mistério e de toda à sua glória, segundo a ordem do que nos deu o primeiro mistério. 12 Porque Tu és nosso predecessor, e foste feito antes de nós. Põe tua veste e verti a nós, que necessitamos de Ti. Para que nos vistamos com ela até que o tempo marcado pelo Inefável se tenha completado. E o tempo já se completou. Vem, pois, a nós para que te vistamos até que completes todo o mistério da perfeição do primeiro mistério determinado pelo Inefável. Vem a nós, e deixa o mundo. E receberás toda a tua glória, que é a glória do primeiro mistério.' 13 E quando reconheci o mistério dessas palavras na vestimenta que Ele me havia enviado, vesti-me com ela e me converti em uma luz imensa, e voei às regiões superiores, e cheguei ás portas do firmamento transformado em claridade incomparável. Capítulo 3 Cristo explica a seus discípulos sua viagem através das diferentes esferas 1 "E todas as portas do firmamento abriram-se diante de mim. E subi à primeira esfera, e brilhei com uma luz intensíssima, cinqüenta e nove vezes maior que aquela com que cintilei no firmamento. E quando cheguei às portas da primeira esfera, todas se abriram na hora por si
  8. 8. 8 mesmas. 2 "E quando entrei no círculo das esferas emanando uma luz infinita, iodos os arcontes perturbaram-se diante do esplendor que eu apresentava. E, vendo minha roupagem, viram o mistério de meu nome, e sua perturbação aumentou. E tiveram grande espanto, e disseram: Que mudança produziu em nós o Senhor do firmamento?' E suas fileiras e seu agrupamento se romperam. E cada um se deteve em sua fileira, e me adoraram a mim e à minha veste, e cantaram hinos do interior dos interiores, com grande temor e surpresa. 3 "E me dirigi às portas da segunda esfera, que é o Heimarméné, e suas portas abriram-se por si mesmas. E entrei no circulo de Heimarméné cercado por uma luz formidável, e não havia nenhuma outra luz que não fosse a minha. E a luz era quarenta e nove vezes maior ali do que na primeira esfera, 4 "E todos os arcontes da segunda esfera caíram, em sua perturbação, uns sobre os outros, cheios de espanto diante da luz que eu trazia. E vendo em minha roupa o mistério de meu nome, ficaram surpresos e se perguntavam: 'Como o Senhor nos mudou sem que soubéssemos?' 5 "E se romperam os laços de seus laços, e de suas fileiras, e de seus alicerces. E cada um ficou em seu posto, e, prosternando" se diante de mim e de minha vestimenta, todos me adoraram. E cantaram um hino desde o interior dos interiores, e estavam cheios de temor e perturbação. 6 "E, deixando aquele lugar, subindo para os grandes arcontes dos éons, cheguei aos seus véus e às suas portas em meio a urna claridade imensa, e não havia além da minha nenhuma outra luz. E quando cheguei aos doze éons, suas portas se moveram, e seus véus se descerraram por si mesmos, e sua portas se abriram na hora. 7 "E entrei no meio dos Bons cintilando um resplendor imenso, em que nenhuma espécie de luz faltava, e este resplendor era quarenta e nove vezes maior do que em Heimarméné. E seus anjos, e seus éons, e seus arcanjos, e seus arcontes, e seus deuses, e seus senhores, e suas forças, e suas luminárias, e seus ancestrais, e seus tríplices poderes viram que eu era a luz infinita, a que nenhuma espécie de luz é alheia. 8 "E se surpreenderam, e um grande pavor dominou-os quando viram a luz deslumbrante que havia em mim. E seu pavor e sua perturbação
  9. 9. 9 chegaram até as regiões do Grão-Mestre dos céus dos três grandes tríplices poderes. E para seu grande espanto, o Grão-Mestre e os três grandes tríplices poderes corriam de ir lado para o outro, e não puderam fechar suas regiões, tal era o grande temor que experimentavam. 9 "E reuniram todos os seus éons, todas as suas esferas e todos os seus súditos, espantados com o grande resplendor que viam em mim. Porque o mundo não teria podido suportar a luz que havia em mim entre os éons, pois se teria dissolvido. E eu brilhava ali com uma luz oito mil e setecentas vezes maior do que a que me acompanhou quando eu estava no mundo convosco. E quantos havia no circulo dos doze éons ficaram aturdidos, vendo à luz que me envolvia, e então passaram a correr de um lado para o outro. E todas as suas regiões, seus céus e seus mundos se abalaram, porque não conheciam o mistério que se havia completado. 10 "E Adamas, o grande tirano, e todos os tiranos que estão entre os éons, puseram-se a combater a luz. E não puderam ver o que combatiam, porque nada viam senão uma luz brilhante. E quando combatiam a luz sucumbiram todos, e, caindo sem forças, ficaram sem respiração, como os habitantes da terra ao morrer. 11 "E eu arrebatei-lhes a terça parte de sua força, para que não pudessem reincidir em seus maus atos, nem os homens da terra os invocassem em seus mistérios revelados pelos anjos pecadores, e que formam a magia. E, assim, se os homens os invocassem com fins perversos, não poderiam praticar suas más ações. 12 "E troquei os Heimarménés e as esferas que são suas soberanas. E voltei-as durante seis meses para a esquerda e seis meses para a direita, para que exercessem suas influências, segundo a determinação do primeiro preceito e do primeiro mistério. E Ião, o Guardião da Luz, as havia colocado com frente sempre para a esquerda, e exercendo assim seus influxos e suas funções. E eis que quando eu chegava ás suas regiões, mostraram-se rebeldes e hostis à luz. 13 "E por isso tirei-lhes a terça parte da sua força, para que não pudessem praticar suas ações maldosas. E mudei os Heimarménés e as esferas, colocando-as à direita durante seis meses, para exercer seus influxos, e seis meses à esquerda." Capítulo 4
  10. 10. 10 Diálogo de Jesus com a Virgem Maria 1 E quando o Salvador acabou de falar, disse: "Aquele que tiver ouvidos para ouvir, ouça." 2 E quando Maria ouviu as palavras do Salvador, contemplou o espaço durante uma hora. E disse: "Senhor, permite-me falar com sinceridade." 3 E Jesus, misericordioso, respondeu a Maria: "Bem-aventurada és, Maria, pois que eu te instruirei em todos os mistérios concernentes às regiões superiores. Fala com sinceridade, tu, cujo coração está mais ligado que o de todos os teus irmãos ao reino dos céus." 4 E disse Maria ao Salvador: "Senhor, tu disseste: 'Ouça quem tiver ouvidos para ouvir', para que entendamos as palavras que disseste. Escuta-me, Senhor, tu disseste: `Arrebatei a terça parte de todos os arcontes dos éons e mudei os Heimarménés e as esferas que são suas soberanas, para que, no caso de a raça de homens que está no mundo as invocasse nos mistérios que os anjos pecadores lhe ensinaram para praticar más ações nos segredos da magia, não mais pudesse exercê-los'. 5 "Posto que Tu lhes arrebataste sua força, aqueles que mostram aos homens as coisas que estão no futuro não terão, de agora em diante, a faculdade de adivinhar o que está por vir, porque tu trocaste suas esferas e as fizeste exercer seu influxo seis meses à direita e seis meses à esquerda. Em tuas palavras, Senhor, falou a força que residia em Isaías, o profeta, e que disse em parábolas, ao falar do Egito: `Onde estão, ó Egito, teus adivinhos e teus intérpretes e teus evocadores?'A força que havia em Isaías, o profeta, vaticinou, antes que Tu viesses, que Tu tirarias a força dos arcontes dos éons e que trocarias seus Heimarménés e todas as suas esferas. 6 "E quando o profeta disse: `Não sabeis o que fará o Senhor', significava que nenhum dos arcontes sabia o que Tu executarias agora, e o que disse Isaías do Egito deve aplicar-se também à matéria sem eficácia. E Isaías falava da força que há hoje no corpo material, e que Tu arrebataste de Sabaoth, o bom, que está no hemisfério da direita. E por isso, Senhor Jesus, nos disseste: 'Quem tiver ouvidos, ouça', porque Tu sabes se o coração de cada mi aspira ardentemente ao reino dos céus." 7 E quando Maria acabou de falai", disse o Salvador: "Maria, bendita és tu entre todas as mulheres da Terra, porque tu serás o Pleroma de todos os
  11. 11. 11 pleromas e o fim de todos os fins." 8 E ouvindo Jesus falar-lhe assim, Maria sentiu um extremo júbilo e se ajoelhou aos seus pés. E disse: "Senhor, ouve-me, e permite que te interrogue a respeito das palavras que disseste acerca das regiões em que tens estado." 9 E Jesus respondeu a Maria, e disse: "Fala com franqueza e não temas, que eu te revelarei quanto quiseres saber". E ela disse: "Senhor, os homens que conhecem os mistérios da magia dos arcontes dos éons, e a magia dos arcontes da Heimarméné, e a da esfera, segundo os anjos maus lhes ensinaram, e os invocam em seus mistérios, que são sua magia, para impedir as boas ações, poderão agora realizar seus desígnios ou não?" 10 E Jesus, respondendo a Maria, disse: "Não os realizarão como os realizavam desde o principio, quando eu lhes tirei a terça parte da sua força. Mas haverá quem conheça os mistérios da magia do terceiro éon." 11 E quando Jesus acabou de dizer estas palavras, Maria levantou-se e disse: "Senhor, os adivinhos e os astrólogos mostrarão daqui por diante aos homens as coisas que hão de acontecer?" 12 E Jesus respondeu a Maria: "Se os astrólogos consultarem as Heimarménés e as esferas quando estiverem voltadas para a esquerda, segundo sua primeira emanação, suas palavras se confirmarão e dirão o que há de acontecer. Mas, se observarem as Heimarménés e as esferas quando estiverem voltadas para a direita, nada dirão de verdadeiro. Porque suas influências estarão invertidas, assim como seus quatro ângulos, e seus três ângulos, e suas oito figuras. 13 "Porque desde o principio seus quatro ângulos, e seus três ângulos, e suas oito figuras estavam voltados para a esquerda. Mas eu os inverterei, fazendo que se voltem seis meses para a esquerda e outros seis para a direita. E quem houver encontrado sua posição depois que eu os mudei, dispondo que seis meses olhem para a esquerda e seis para a direita; quem os houver observado desta maneira saberá exatamente seus influxos e anunciará quantas coisas farão. 14 "E assim será para os adivinhos, se invocarem o nome dos arcontes quando suas influências, dirigidas para a esquerda, se lhes manifestarem. E assim também com todas as coisas sobre as quais inter-rogarem os decanos. Mas se os adivinhos invocarem seus nomes quando estiverem
  12. 12. 12 com a face voltada para a direita, nada compreenderão, pois não estarão na primitiva posição em que Ião os colocara, e terão uma grande surpresa ao não reconhecer seus três ângulos, nem seus quatro ângulos, nem suas oito figuras." Capítulo 5 Diálogo de Jesus com Felipe 1 E, enquanto Jesus pronunciava essas palavras, Felipe estava sentado, anotando tudo que Jesus dizia. E, ao terminar, adiantou-se, prosternou-se, adorou os pés de Jesus, dizendo: "Senhor e salvador" meu, permite-me falar, para que te interrogue sobre o que nos disseste a respeito das regiões em que estiveste no desempenho da tua missão." 2 E o Salvador, misericordioso, respondeu a Felipe dizendo: "Tens permissão. Pergunta o que quiseres". E Felipe replicou a Jesus: "Senhor, Tu mudaste o modo de ser dos arcontes, e dos éons, e de seus Heimarménés, e das esferas, e de todas as suas regiões, e os surpreendeste em seu caminho e os extraviaste em sua rota. Fizeste isso para a salvação do mundo, ou não?" 3 E Jesus respondeu a Felipe e a seus discípulos: "Eu alterei sua rota para salvar todas as almas. Porque em verdade vos digo: Se eu não os tivesse desviado, eles teriam posto a perder muitas almas. E haveria passado muito tempo antes que os arcontes de Heimarméné, e da esfera, e todas as suas regiões, e seus céus, e seus éons, houvessem sido destruídos. 4 "E as almas teriam passado muito tempo fora desse lugar, e o número das almas dos justos que foram colocadas pelo mistério na posse das regiões superiores e no Tesouro da Luz teriam deixado de realizar-se. E por isso desviei seu carrinho, para que se perturbassem e perdessem a força que forma a matéria de seu mundo, para que os que hão de salvar-se sejam prontamente purificados e levados ás regiões superiores, e para que os que não devam salvar-se sejam destruídos." 5 E quando Jesus acabou de dizer essas palavras a seus discípulos, Maria, a ditosa e de bom falar, adiantou-se e se prosternou aos pés de Jesus, dizendo: "Senhor, perdoa-me se te falo, e não te aborreças comigo pelo muito que te interrogo". E o Salvador, em sua misericórdia, disse a Maria: "Diz o que quiseres, e te responderei com clareza". E Maria respondeu a Jesus: "Senhor, como ficarão as almas fora desse lugar e
  13. 13. 13 como serão rapidamente purificadas?" 6 E o Salvador respondeu a Maria: "Maria, tu buscas a verdade em todas as tuas perguntas, que são cheias de razão, e levas a luz a tudo com teu zelo. De agora em diante não ocultarei nada, e revelarei tudo com esmero e clareza. Escuta-me, Maria, e vós, discípulos, recolhei minhas palavras." Capítulo 6 Jesus explica aos discípulos seu combate com os seres das regiões superiores 1 "Antes que eu divulgasse minha missão aos arcontes dos éons, e aos arcontes de Heimarméné e das esferas, estavam todos eles ligados às suas cadeias e às suas esferas e aos seus selos, na mesma ordem em que Ião, o Guardião da Luz, os Colocara desde o início. E cada um estava em seu posto e fazia seu caminho segundo a forma que lhe traçou Iao, o Guardião da Luz. 2 "E quando chegou o tempo de Melquizedech, o grande herdeiro da luz, ele se aproximou de todos os arcontes e de todos os éons e tirou a luz puro de todos os éons e arcontes dz Heimarméné e das esferas Porque tirou-lhes o que o havia turbado. E excitou vigilância que há sobre eles, e tirou-lhes a força que havia neles, e as lágrimas de seus olhos, e o suor dos seus corpos 3 "E Melquizedech, o herdeiro da luz, purificou essas forças, para levar sua luz ao Tesouro da Luz. E os satélites dos arcontes recolheram toda a sua matéria, e os satélites, dos arcontes das Heimarménés, e os satélites de toda as esferas que estão debaixo dos arcontes, a receberam para fazer as almas dos homens, e dos rebanhos, e dos répteis, e das bestas, e dos pássaros, e enviá-las ao mundo dos homens. 4 "E as potências do sol e as potências da lua, quando olharam o céu e viram o lugares dos caminhos dos éon: e das Heimarménés e das esferas, viram que a luz lhes havia sido tomada. E, tomando a luz pura e os resíduos da matéria os carregaram para a esfera que há debaixo dos éons, para fazer as almas dos homens, para fazer os répteis, e as bestas de carga, e os animais, e o pássaros, seguindo o circulo dos arcontes desta esfera, e seguindo as figuras de sua conversão para lançá-las no mundo do homens e convertê-las em alguns deste lugar, da maneira como vos disse.
  14. 14. 14 5 "E isso faziam com perseverança, antes que sua força fosse reduzida, e ficassem fracos e impotentes. E quando se tornaram impotentes, e sua força cessou, e ficaram debilitados, e a luz que havia em sua região desapareceu, e seu reino foi dissolvido, eis que uma vez que conheceram por um tempo essas coisas, Melquizedech, o herdeiro da luz, veio de novo para entrar no meio de todos os arcontes dos éons, e de todos os arcontes da Heimarméné e das esferas, e as conturbou, e as oprimiu para arrancarlhes sua força, e a respiração de sua boca e o suor dos seus corpos. 6 "E Melquizedech, o herdeiro da luz, purificou-os de um modo que efetuou com perseverança, e levou sua luz ao Tesouro da Luz. E quando eu vim para ascender ao ministério ao qual fui chamado por ordem do primeiro mistério, subi entre os doze arcontes dos éons, revestido da minha vestimenta. E eu resplandecia com uma luz imensa, e não havia espécie de luz que não estivesse em mim. E quando todos os tiranos do grande Adamas e os tiranos dos doze éons se esforçaram para combater a luz da minha vestimenta, queriam obter sua posse para permanecer" em seus reinos. 7 "E o faziam ignorando a quem combatiam. E quando combatiam com a luz, eu, cumprindo a ordem do primeiro mistério, mudei seus caminhos e as armas dos seus éons, e as veredas de suas Heimarménés, e os caminhos de sua esfera. E as deixei seis meses olhando os três ângulos da esquerda, e os quatro ângulos e as coisas que estão em sua região, e suas oito figuras, segundo a forma em que estavam desde o princípio. E alterei sua conversão e sua direção. 8 "Mas quando tirei-lhes a terça parte de suas forças, mudei as esferas, para que olhassem por um tempo à direita e por outro à esquerda. E mudei seu curso, e todo o seu caminho, e acelerei o caminho do seu curso, para que fossem purificados rapidamente, e abreviei seu círculo e fiz rápido seu caminho. 9 "E se apressaram muito, e foram estimulados em seu caminho, e não puderam, desde então, devorar a matéria de sua pura luz. E abreviei seu tempo e sua duração, para que o número das almas justas que recebessem os mistérios e entrassem nos Tesouros da Luz se completasse logo. Se eu não tivesse abreviado seu tempo, nem mudado seu curso, eles, por causa de sua matéria impura, não teriam deixado alma alguma vir ao mundo,
  15. 15. 15 pois as devorariam. 10 "E uma multidão de almas se teria perdido. E por isso eu disse: 'Abreviei o tempo pensando em meus eleitos'. De outra maneira, nenhuma alma teria podido salvar-se. E abreviei os tempos pelas almas justas que deverão receber os mistérios, e que são as almas dos eleitos. 11 "E se eu não houvesse abreviado seu tempo, nenhuma alma material teria podido salvar-se. Ao invés, haveriam sido consumidas pelo fogo que está na origem dos arcontes. E estas são as coisas sobre as quais me perguntaste." Capítulo 7 Jesus relata seu encontro com a Sabedoria fiel 1 E quando Jesus acabou de falar a seus discípulos, todos se prosternaram e o adoraram, dizendo: "Nós, teus discípulos, fomos elevados acima de todos os homens, pela grandeza das coisas que nos estás dizendo". E Jesus continuou falando, e disse a seus discípulos: "Ouvi o que me aconteceu com os arcontes dos doze éons, e com todos os seus arcontes, e seus mestres, e seus dignitários, e seus anjos, e seus arcanjos. 2 "Quando viram a brilhante veste que eu trazia, e cada um viu o mistério do meu nome na vestimenta brilhante que me cobria, todos se prosternaram unanimemente, adorando minha brilhante roupagem, e dizendo: 'O Senhor do universo nos mudou'. 3 "E cantaram em coro um cântico desde o interior dos interiores, e todas as suas tríplices potências, e seus antepassados, e seus anjos, e suas forças engendradas em si mesmos, e suas virtudes, e seus deuses, e todos os seus magnatas. 4 "E viram os guardiões de suas regiões, ao perderem parte de suas forças, cair em uma grande debilidade, e tiveram grande medo eles mesmos. E descobrindo o mistério do sei: nome em minha veste, apressaram-se a adorá-lo, e não puderam pela suma luz que havia em mim. 5 "E afastando-se um pouco o adoraram. E adoraram luz da minha veste, e todo cantaram um hino do interior dos interiores. E sucedeu que quando os guardiões que há ac lado dos arcontes viram toda essas coisas, caíram em abatimento e tombaram fora de suas regiões.
  16. 16. 16 6 "E ficaram como os habitantes do mundo quando são feridos de morte, e não reagiram, pois estavam do mesmo modo que quando arrebatei lhes a força. E eis que quando eu me afastava desses éons cada um dos que estão nos doze éons foi restituído a seu lugar e eles cometeram más ações segundo o modo como eu o havia disposto. 7 "Porque passam seis meses voltados para a esquerda cometendo feitos generosos em seus três ângulos e em seu quatro ângulos, e nos que es tão em sua região. E outros sei meses olhando para a direita para seus três ângulos e par seus quatro ângulos, e para o que pertencem à sua região. 8 "E este é o modo com irão aqueles que estão na Heimarméné e nas esferas. E ocorreu que subi muito depressa à regiões superiores, até os véus da décima terceira região dos éons. E quando cheguei aos seus véus, estes abriram-se diante de mim. E entrei na décima a terceira região dos éons, e encontrei a Sabedoria fiel, que estava só, sem que nenhum dos éons estivesse junto dela. 9 "E estava sob a décima terceira região dos éons, e chorava porque não a haviam conduzido à décima terceira região, que é o seu lugar nas regiões superiores. E se afligia pelos sofrimentos que lhe havia causado o orgulho de um dos tríplices poderes. E quando eu vos falar da emanação dir-vos-ei o mistério da sua criação. 10 "E quando a Sabedoria fiel me viu, e contemplou a luz que me rodeava, na qual não faltava nenhuma espécie de luz, sofreu uma grande turbação. E, fitando a luz da minha veste, viu o mistério do meu nome traçado sobre minha veste, e todo o esplendor do seu mistério como o havia sido desde o principio nas regiões superiores e nas treze regiões dos éons. E dirigiu um hino à luz que havia nas regiões superiores, que ela viu nos véus do Tesouro da Luz." 11 E quando Jesus acabou de dizer essas coisas a seus discípulos, Maria se adiantou e disse: "Senhor, ouvi de ti que a Divina Sabedoria estava também nos vinte e quatro próbolos, mas não estava em sua região, porque Tu disseste: 'Eu a encontrei debaixo da décima terceira região dos éons'. 12 E Jesus, respondendo, disse a seus discípulos: "A fiel Sabedoria estava na décima terceira região dos éons, onde estão todas as suas irmãs invisíveis, que são, elas mesmas, os vinte e quatro próbolos do Grande
  17. 17. 17 Invisível. 13 "E ocorreu que por" ordem do primeiro mistério, a Sabedoria Divina olhou para o alto e viu as asas do Tesouro da Luz. E desejou ir àquela região, mas não pôde chegar. E deixou de efetuar o mistério da décima terceira região dos éons, e dirigiu um hino à luz das regiões inferiores, que está na luz das asas do Tesouro da Luz. 14 "E quando ela elevava seu hino ás regiões superiores, todos os arcontes que estão nas doze regiões dos éons sentiram ódio por ela, porque eles estavam nas regiões inferiores, e ela se deteve em seus mistérios e quis elevar-se acima deles. E por isto se irritaram com ela, e a odiaram. 15 "E o grande tríplice poder orgulhoso, que é a terceira das tríplices potências, e que reside na décima terceira região dos éons, aquele que foi insubmisso, não dando toda a pureza da força que havia nele, e não mostrando a luz pura no tempo em que os arcontes deram sua pureza, quis ser soberano em toda a décima terceira região dos éons e nas que estão embaixo. 16 "E sucedeu que todos os arcontes das doze regiões dos éons se enfureceram contra a Sabedoria fiel, que estava sobre eles. E sentiram por ela sumo ódio, e o grande tríplice poder orgulhoso, de que vos falei, seguiu os arcontes das doze regiões das éons, e se irritou contra a Sabedoria fiel. 17 "E a odiou extremadamente, porque queria ir à luz que está sobre ele, e projetou fora de si uma grande força com cabeça de leão, feita da matéria mesma dele. E projetou muitas outras emanações materiais, e as projetou às regiões inferiores, em meio do caos, para que estendessem laços à Sabedoria fiel e lhe tirassem a força que há nela. 18 "Porque queria ir para a região superior que há sobre eles, e porque deixou de completar seus mistérios. E ela continuou chorando, em busca da luz que havia visto. E os arcontes que permaneciam no mistério de que se ocupam tiveram ódio dela, e todos os guardiões que vigiam as portas dos éons tiveram também ódio dela." Capítulo 8 Ciladas que o grande tríplice poder arara contra a Sabedoria fiel 1 "E ocorreu, segundo disposição da primeira ordem, que o grande
  18. 18. 18 tríplice poder orgulhoso, que é um dos três poderes, conduziu a Sabedoria fiel à décima terceira região dos éons. E era para que contemplasse os lugares do inferno e visse naqueles lugares sua potência de luz com cabeça de leão. E queria que fosse ali, para que lhe tirassem a luz que havia nela. 2 "E a Sabedoria olhou de cima e viu a força daquela luz na região dos infernos, e não sabia que pertencia ao tríplice poder orgulhoso. Mas pensou que provinha da luz que ela havia visto desde o princípio na região superior, e que vinha das asas do Tesouro da Luz. 3 "E pensou consigo mesma: 'irei tomar a luz que os éons da luz criaram para mim, a fim de que eu possa chegai" à luz das luzes, que está na altura das alturas'. E com esses pensa-mentos saiu do lugar para a décima terceira região dos éons, e subiu para os doze éons. 4 "E os arcontes dos éons a viram e se irritaram com ela, porque queria elevar-se às regiões superiores. E ao sair das doze regiões dos éons, chegou ás paragens do caos e avançou para a força da luz com cabeça de leão que a queria devorar. E todos os defensores da matéria a rodearam. E a grande força da luz com cabeça de leão devorou a potência da luz da Sabedoria, purgou sua luz, que ela havia devorado, e sua matéria. 5 "E a arrojaram ao caos, que é metade chamas e metade trevas. E havia um arconte com cabeça de leão, e era Ialdabaort, de quem vos tenho falado muitas vezes. E quando tudo isso aconteceu, a Sabedoria encontrou-se em estado de extrema debilidade. E a força da luz com cabeça de leão começou a arrebatar todas as forças da luz na Sabedoria, e todas as forças da matéria do poder orgulhoso rodearam por sua vez a Sabedoria e a atormentaram. 6 "E a Sabedoria fiel, lançando grandes gritos, dirigiu-se à luz das luzes que viu desde o princípio, implorando sua ajuda. E suplicou-lhe com estas palavras: Luz das luzes, a quem implorei desde o começo, escuta agora, ó luz, minhas súplicas. Protege-me, luz, porque maus pensamentos penetraram em mim. E vi, ó luz, as regiões do inferno, e vi a luz nesse lugar, e aqui vim pensando alcançar essa luz. E caí nas trevas que são o caos do inferno. 7 'E não pude voltar ao meu lugar, porque fui atormentada por todos os meus inimigos, e a força da cabeça de leão me arrebatou a luz que havia
  19. 19. 19 em mim, e eu implorei teu auxílio, e minha voz não se ergueu nas trevas. 8 'E olhei para o alto, para que a luz na qual creio me assista. E quando olhei para o alto, vi todos os arcontes de uma infinidade de éons. E vendome neste estado, se alegravam com meus gritos. E eu não lhes fiz nenhum mal. Mas me odeiam sem motivos. E quando os próbolos do tríplice poder viram que os arcontes dos éons se regozijavam com meu mal, Compreenderam que os arcontes dos éons não me prestariam socorro. 9 'E os que me afligiam injustamente adquiriram confiança e me arrebataram a luz que eu havia recebido deles. Mas tu luz verdadeira, sabes que eu fiz essas coisas candidamente, crendo que a luz da cabeça de leão era tua. E o pecado que cometi está patente diante de ti. Não permitas, Senhor, que eu permaneça mais tempo assim. Porque desde o princípio acreditei em tua luz. 10 'Senhor, luz das forças, não me deixes mais tempo privada de tua luz, porque pela ânsia de tua luz caí na aflição e a vergonha me cobriu. E pela ânsia por tua luz fiquei estranha a minhas irmãs invisíveis, e às emanações do grande Barbelon. E isto me sucedeu, ó luz, porque desejei penetrar em teu circulo. 11 'E voltou-se contra mim a cólera do orgulhoso, aquele que irão escutou tua ordem pai-a que me estendesse sua luz. Porque eu estive na região dos éons e não pratiquei seu mistério, e todos os guardiões das portas das regiões dos éons me buscavam, e quantos compreendem seus mistérios me perseguiam. 12 'Mas eu olhei para ti, luz, e acreditei em ti. Não me deixes na aflição da escuridão do caos, mas livra-me destas trevas. Se desejas vir salvarme, grande é tua misericórdia; escuta-me na verdade, e salva-me.' 13 "Estas são as palavras que disse a Sabedoria fiel, e o que tiver ouvidos para ouvir, que ouça." Capítulo 9 Jesus responde ás consultas de Maria, Marta e Pedro 1 E disse Maria: "Senhor, meus ouvidos recebem a luz e eu ouço em mim a força de luz ouve, pois, o que tenho a dizer sobre as palavras da fiel Sabedoria ao confessar seu pecado. Tua força de luz foi profetizada pela boca de Davi, quando disse em seu salmo 68: 'Deus meu, protegeme, porque as águas chegaram até minh'alma'." E disse depois Maria: "Tal
  20. 20. 20 é, Senhor, a explicação da súplica da Sabedoria fiel." 2 E disse Jesus: "És abençoada, Maria". E continuou falando, e disse: "A fiel Sabedoria elevou um hino deste modo: 'Luz das luzes, eu creio em ti; não me deixes para sempre nas trevas. Ajuda-me e protege-me em teus mistérios. Aproxima de mim teu ouvido e salva-me. 3 'Que a força de tua luz me preserve e me leve até os éons elevados. E livra-me da força da cabeça de leão e de todos os meus inimigos. Porque acreditei em ti desde o começo, e tu és meu Salvador e meu Tesouro de Luz. Minha boca está repleta de glória, para que cante sempre em teu louvor e enalteça o mistério de tua grandeza. 4 'Não me deixes no caos e não me abandones. Porque meus inimigos quiseram arrebatar toda a minha luz. Volta para mim, ó luz, e livra-me destes malvados, e que quem quis tirar minha força caia, ó luz, nas trevas." 5 E quando acabou de dizer essas palavras Jesus perguntou aos discípulos: "Compreendeis o que vos disse?" E Pedro adiantou-se, e disse: "Senhor, não permitas que esta mulher fale sempre, porque ocupa nosso lugar e não nos deixa falar nunca." 6 E disse Jesus a seus discípulos: "Adiante-se e fale aquele em quem atua a força da inteligência. Porque eu vejo, Pedro, tua força no conhecimento das palavras que disse a fiel Sabedoria. Vem, pois, e dá tua explicação entre teus irmãos." 7 E Pedro foi, e disse: "Senhor, tua força foi profetizada por Davi no salmo 69, quando disse: 'Senhor Deus meu, pensa em socorrer-me'." 8 E o Salvador disse: "Essa é a explicação do hino da Sabedoria fiel. Bem-aventurados sois vós entre todos os homens da terra, porque vos revelei estes mistérios. E em verdade vos digo: eu vos explicarei os mistérios de todas as regiões de meu Pai e de todas as regiões do primeiro mistério. Para que o que aprovardes na terra seja aprovado no reino das regiões superiores, e para que o que recusardes na terra seja recusado no reino do meu Pai, que está nos céus. 9 "Escutai, pois, e entendei as palavras que a Sabedoria fiel pronunciou: `Luz das forças, protege-mie. Que os que querem tirar minha luz sejam submergidos no caos; e que afundem nas trevas os que me perseguem dizendo: 'Seremos tirais fortes do que ela'. Que se regozijem quantos
  21. 21. 21 buscam a luz, e que digam sempre: 'Eu celebrarei o mistério dos que querem teu mistério. Protege-me, pois, ó luz, porque eu necessito minha luz, que meus inimigos me querem arrebatar. Tu és meu salvador, luz; arranca-me e liberta-me deste caos'.” 10 E quando Jesus acabou de expor assim a seus discípulos o cântico terceiro da Sabedoria fiel, acrescentou: "Quem compreender o sentido do terceiro cântico da fiel Sabedoria, se adiante e dê-nos sua explicações." 11 E Marta abraçou-se a seus pés, gritando e chorando, entregando-se à dor e à humilhação, e disse: "Senhor, tem piedade de mim e estende sobre mim tua misericórdia, e permite que eu dê a explicação do terceiro hino da Sabedoria fiel." 12 E Jesus, dando a mão a Marta, disse: "Bem-aventurado o que se humilha, porque ele desfrutará a misericórdia. Es abençoada, Marta; dános a explicação do cântico da fiel Sabedoria." 13 E disse Marta: "Tua força, Senhor, foi profetizada no salmo 70 de Davi, quando disse: 'Senhor, creio em ti. Não permitas que eu seja humilhado para sempre'. E este é, Senhor, o sentido do terceiro hino da fiel Sabedoria." 14 E quando Jesus ouviu essas frases de Marta, disse: "Marta, falaste bem." Capítulo 10 Interpretação que dá João da quarta súplica da Sabedoria fiel 1 E Jesus, continuando em sua prédica, disse a seus discípulos: "A Sabedoria fiel fez sua quarta súplica. E fê-la antes que a força de cabeça de leão e as emanações materiais que havia com ela, e que haviam sido enviadas pelo poder orgulhoso, voltassem a atormentá-la. E disse assim: `Luz na qual eu acreditei, ouve meu rogo, e que minha voz se eleve até tua morada. Não coloques longe de mim a imagem da tua luz, mas dirigea a mim, que estou na aflição. 2 'Arranca-me, salva-me desta destruição, porque meu tempo se esvai, e eu me estou convertendo em matéria. Minha luz foi tirada e minha força foi destruída. E perdi a memória do meu mistério, ao qual fui consagrada desde o princípio. E minha força sucumbiu em virtude do meu espanto, e me converti como que em um demônio que habita na matéria, ou como um decano que está só no espaço.
  22. 22. 22 3 'E meus inimigos disseram: 'Em vez da luz que há nela, a banharemos no caos'. E devorei o suor da minha substância, e a amargura das lágrimas da matéria dos meus olhos, para que os que me atormentam não me arrebatem estas outras coisas. E todas estas coisas, luz, me sucederam por tua disposição, e foi por tua decisão e tua vontade que tudo me sucedeu. 4 'E tua vontade me trouxe ao inferno, e vim ao inferno como a força do caos. Em minha força gelou em mim. Senhor, tu és a luz na eternidade, e visitas em todas as ocasiões os aflitos. Eleva-te, luz, busca meu caminho e a alma que há em mim, e porque já está cumprida a ordem que havias dado para minha aflição; e chegou o tempo de buscar meu caminho e minh'alma; o tempo que marcaste para buscar-me. 5 'E neste tempo, todos os arcontes dos éons da matéria temerão tua luz. E todas as emanações da décima terceira região dos éons da matéria temerão os mistérios da tua luz. Para que os demais se revistam da pureza de sua luz quando o Senhor buscar a força da nossa alma.' 6 "E este mistério é o modelo oferecido à raça que está por ser criada, e esta raça eleva um hino às regiões superiores. 7 "E a luz olha do alto de sua luz, e olhará toda a matéria, para ouvir os gemidos dos que estão acorrentados, para romper a força das almas, cuja força foi dominada, e para pôr seu nome na alma e seu mistério na força." 8 E quando Jesus acabou de falar assim a seus discípulos, disse: "Eis aí a quarta súplica da Sabedoria fiel. E quem souber compreender, que compreenda." 9 E quando Jesus disse isso, João adiantou-se, a adorou o peito de Jesus, e disse: "Senhor, perdoa-me e deixa que eu dê a explicação da quarta súplica da fiel Sabedoria". E João continuou e disse: "Senhor, tua força profetizou o que disse a fiel Sabedoria no salmo 101 de Davi: `Senhor, ouvi minha súplica, e que meus clamores cheguem a ti'." 10 E ao concluir João estas palavras, disse Jesus: "Estás certo, João, e no reino da luz te está reservado um lugar.' Capítulo 11 Felipe interpreta o sentido da quinta súplica da Sabedoria fiel 1 E Jesus, prosseguindo em sua prédica, disse a seus discípulos: "As emanações do tríplice poder orgulhoso atormentaram a fiel Sabedoria no caos porque queriam tirar-lhe a luz. E o tempo de arrancá-la do caos não
  23. 23. 23 havia ainda chegado. E a ordem do primeiro mistério não havia chegado ainda e eu não devia ainda salvá-la do caos. 2 "E quando as emanações materiais a torturavam, ela clamou e disse em sua quinta súplica: 'Luz da minha salvação eu te elevo um hino no lugar das regiões superiores, e ao mesmo tempo do caos. Porque te elevo o hino que te dirigia nas regiões superiores. Vem a mim ó luz! Volta o espírito, ó luz, minha súplica, porque minha. força está cheia de trevas, minha luz se perdeu no caos. 3 'E me converti, como que nos arcontes do caos, que estão nas regiões inferiores. E sou como um corpo material, para o qual não há salvador nas regiões superiores. E me converte nas matérias cuja força foi tirada, e que caíram no caos, tu não as salvaste, e elas pereceram. E me submergiram na trevas infernais, na obscuridade, ali onde estão as matérias inertes e despojadas de toda a força. 4 'E tu deste ordem sobre mim e sobre quantas coisas organizaste. E afastaste de mim teu alento, e me submergiste no abismo. E também por tua ordem sobre as coisas que organizaste, meus inimigos me estão atormentando. E me odeiam, e não me ajudam, e estou quase que de todo perdida, e minha luz reduziu-se em mim. E clamei por tua luz, corri toda a luz que há em mim, e ergui as mãos elevando-as para ti. 5 'E agora luz, cumpriu-se tua vontade no caos? Elevar-se-ão entre as trevas os libertadores que deverão vir de acordo com teu vontade? E dirão o mistério do teu nome no caos? E dirão teu nome no caos que tu não iluminas? 6 'Eu te glorifico, luz, e minha voz chegar-te-á nas regiões Superiores. Que tua luz venha sobre mim, porque a minha tire foi tirada. E eu estou no sofrimento por causa da luz, desde que meus inimigos me atacaram. E quando olhei para o alto, para a luz, e olhei o inferno, caí nu inferno, segundo a determinação da luz, elevando-me no caos. E tua ordem veio sobre mim, e os temores e sofrimentos que tu determinaste, me envolveram, abundantes como as águas. E se apoderaram totalmente de mim. E, segundo tua vontade, não deixaste que minha companheira me ajudas-se e socorresse nesta aflição.' 7 "Tal é a quinta súplica que a Sabedoria fiel proferiu no caos, quando estava atormentada pelas emanações materiais do tríplice poder."
  24. 24. 24 8 E quando Jesus acabou de falar assim a seus discípulos, disse-lhes: "Que ouça quem tiver ouvidos para ouvir. E quem tiver em si a voz brilhante, que se adiante e dê a explicação da quinta súplica da Sabedoria fiel." 9 E levantou-se Felipe assim que Jesus acabou de falar. E deixou no chão um livro que tinha nas mãos, e nesse livro escrevia as palavras de Jesus, e todas as coisas que havia feito. 10 E Felipe adiantou-se e disse a Jesus: "Senhor, eu sou aquele a quem confiaste o cuidado do mundo. Para que escreva quantas coisas nós dizemos e fazemos. E não me permitiste expor a explicação do mistério das súplicas da Sabedoria fiel. E meu espírito se agitou fortemente, para que eu desse a explicação desse mistério. E me adiantei, porque sou o que escreve todas as coisas." 11 E Jesus, ouvindo Felipe, disse-lhe: "Escuta, Felipe, que eu te falo, porque foi a ti, e a Tomé, e a Mateus que o primeiro mistério ordenou escrevei — todas as coisas que eu disser e quantas coisas virdes. Ainda não terminou o número de palavras que deves registrar por escrito. E quando terminares, terás vagar para dizer o que quiseres. Mas agora, vós três, escrevei as coisas que eu disser e que eu fizer e que eu vir, para dardes testemunho de tudo no reino dos céus." 12 E quando Jesus concluiu estas palavras, disse a seus discípulos: "Quem tiver ouvidos para ouvir, que ouça." 13 E Maria ergueu-se de entre os discípulos, e pôs-se junto de Felipe e disse: "Senhor, meu ouvido entendeu a voz da luz, e estou pronta a ouvir, segundo a capacidade do meu entendimento, à Palavra que Tu disseste. Mas, Senhor, deixa que te fale com clareza. Porque Tu disseste: 'Que ouça quem tiver ouvidos para ouvir'. E disseste também a Felipe: 'A ti, e a Tomé, e a Mateus, encarregou-vos o primeiro mistério de escrever todas as coisas do reino da luz, para dardes testemunho delas'. ouve, pois, a explicação da palavra que tua força de luz fez Moisés profetizar, quando disse: 'De todas as coisas se fará registro por meio de duas ou três testemunhas'. E essas três testemunhas são Felipe, Tomé e Mateus." 14 E quando Jesus ouviu isto, disse: "Essa é, Maria, a explicação. Adianta-te, pois, Felipe, e dá-nos a explicação da quinta súplica da Sabedoria fiel. E depois senta-te até o final da missão que te recomendei,
  25. 25. 25 que é a de escrever todas as coisas do reino da luz. E tu continuarás dizendo o que o teu espírito compreender. Mas agora explica o mistério da quinta súplica da fiel Sabedoria." 15 E Felipe respondeu a Jesus, e disse: "Escuta, Senhor,a explicação que eu dou da quinta súplica da fiel Sabedoria. Tua força profetizou a respeito dela, dizendo no salmo 87 de Davi: 'Senhor", Deus da minha salvação, eu clamo a ti noite e dia. Que minha palavra chegue até ti, e que prestes ouvido à minha súplica'." 16 E Jesus, ouvindo essas palavras, disse: 'Vem e senta-te, querido Felipe, e escreve todas as coisas que eu faça, e todas as palavras que eu diga, e quantas coisas vejas." 17 E Felipe sentou-se, e escreveu. Capítulo 12 André e Maria interpretam palavras da Sabedoria fiel e de Jesus 1 E Jesus continuou falando a seus discípulos e disse-lhes: "A fiel Sabedoria voltou a elevar seus clamores à luz. E esta remiu o pecado que ela havia cometido. E, deixando seu lugar, entrou nas trevas. E a Sabedoria fiel elevou sua sexta súplica desta maneira: `Eu te louvo, luz, nas trevas dos infernos. Escuta minha súplica, e que tua luz atenda o clamor dos meus rogos. Porque eu não iria perante ti, e tu não abandonarias, se tu não existisses, ó luz, minha libertadora, por causa da luz do teu nome. 2 'Eu acreditei em ti, luz, e tu és minha força. E tenho sido fiel ao teu mistério, e minha força acreditou na luz que está no alto, e acreditou nela até quando eslava submersa no caos do inferno. E toda a força que há em mim acreditou na luz, ainda quando estava submersa nas trevas do inferno. E elas acreditarão também quando chegarem às regiões superiores, porque Ele nos verá e nos resgatará. E o mistério da sua salvação é grande. E Ele preservará todas as forças contra o caos, em virtude de minha falia, quando, deixando meu lugar, vim ao caos'. E quem puder entender, que entenda." 3 E quando Jesus acabou de dizer essas palavras disse a seus discípulos: "Compreendeis o que vos disse?" 4 E André adiantou-se, dizendo: "Senhor, a força de tua luz profetizou pela boca de Davi, em seu salmo 129, ao dizer: 'E clamei, Senhor, do
  26. 26. 26 fundo do abismo. Escuta minha voz. Que Sirad ponha sua confiança no Senhor'." 5 E disse Jesus: "Está bem, André; bem-aventurado sejas. Que essa é a explicação da súplica da Sabedoria. Em verdade, em verdade vos digo, que eu vos farei conhecer todos os mistérios da luz. E toda gnose, do interior dos interiores até o exterior dos exterior"es. E desde o Inefável até as trevas das trevas. E desde a luz das luzes. E desde os deuses até os demônios. E desde todos os senhores até todos os decanos. E desde todas as revoluções até todas as emanações. E desde a criação dos homens até a das bestas, os animais e os répteis. E assim serão chamados perfeitos e completos em todas as coisas. 6 "Em verdade, em verdade vos digo: quando eu estiver no reino do meu Pai, vós estareis comigo. E quando o número do perfeito estiver completo, para que a mescla seja destruída, eu ordenarei que vos conduza a todos os deuses que não houverem dado ainda a força de sua luz. E ordenarei ao fogo da Sabedoria que respeite os perfeitos e consuma os tira-nos até que hajam dado a última pureza de sua luz." 7 E quando Jesus acabou de falar assim, disse a seus discípulos: "Compreendeis o que vos digo?" 8 E disse Maria: "Eis, Senhor, o sentido das palavras que disseste. Tu disseste que na destruição do nada estarás sentado sobre a força da luz. E que nós, teus discípulos, estaremos sentados à tua direita. E que julgaremos os tiranos que não hajam dado ainda a pureza da sua luz. E do fogo que disseste que deve consumi-los até que hajam dado a última luz que há neles, tua força da luz profetizou o salmo 24, em que disse Davi: 'Deus sentar-se-á na assembléia dos deuses para julgar os deuses'." 9 E disse Jesus: "Estás bem, Maria." Capítulo 13 Interpretação de Tomé 1 E continuou falando, e disse a seus discípulos: "E sucedeu que quando a fiel Sabedoria acabou de elevar a sexta súplica da sua remissão, voltou às regiões inferiores. Para verse seus pecados haviam sido remidos, e para ver se ia ser mandada para o caos, já que a ordem do primeiro mistério para remir seu pecado não havia dado ainda para arrancá-la do caos.
  27. 27. 27 2 "E voltou para as regiões inferiores, a fim de ver se sua súplica havia sido atendida. E viu os doze arcontes e os doze éons zombando e regozijando-se, porque não a haviam escutado. E quando viu como zombavam, afligiu-se extremamente, e elevou sua sétima súplica: 'Luz, elevei de novo minha força para ti. E te suplico que não deixes cair na ignomínia nem que os doze arcontes dos éons que te odeiam não se congratulem com à minha desgraça. Porque quem quer que te seja fiel não será entregue à ignomínia. E os que me tiraram a força não continuem de posse dela. Mas ser-lhes-á arrebatada, e eles permanecerão nas trevas. 3 'Luz, mostra-me teus caminhos, e eu me salvarei seguindo-os. E mostra-me aqueles lugares a que devo dirigir-me para livrar-me do caos. E mostra-me a senda em tua luz, e faz que eu saiba, ó luz, que tu és meu Salvador. E eu crerei em ti todo o tempo. Volta tua atenção para mim e salva-me, ó luz, porque tua misericórdia estende-se até a eternidade. 4 'Não imputes a mim, ó luz santa e reta, o pecado que minha ignorância levou-me a cometer. Mas salva-me por teu grande mistério, e que meus pecados me sejam remidos por tua grande bondade. Porque ela me devolverá ao caminho, para que me seja perdoada minha falta. E arrebatará dos meus inimigos a minha força, que foi rompida pelas emanações do tríplice poder. 5 'Porque todas as ciências da luz são para a salvação, os mistérios são para os que buscam as regiões de suas possessões, em virtude do mistério do teu nome, ó luz! 6 'E minha falta é grave, mas perdoa-me. E dará a quantos crêem na luz o mistério que deseje. E sua alma estará nas regiões da luz, e sua força será a aquisição do Tesouro da Luz. Porque a luz é que dá a força a quem crê nele. E Ele lhes mostrará o lugar das possessões que estão no Tesouro da Luz. E eu tenho sido sempre fiel à luz que libertará meus pés das cadeias das trevas. 7 'Volta tua atenção para nós, ó luz, e salva-me. Porque meus inimigos arrebataram meu nome no caos, e me causaram grandes aflições. Livrame destas trevas e coloca teu olhar na dor das minhas aflições. 8 'Perdoa meus erros, pensa nos doze arcontes que me acusam e estão com ciúme de mim. Vela pela minha força e protege-me, e não me faças ficar nestas trevas em que te tenho sido fiel. Porque meus inimigos me
  28. 28. 28 têm como privada da razão, vendo a fidelidade que mantenho por ti. E agora, ó luz, conserva minha força nas penas que me afligem, e protegeme contra meus inimigos!" 9 E havendo Jesus falado assim a seus discípulos, Tomé adiantou-se e disse: `Senhor, meu espírito se anima e eu me regozijo grandemente, porque nos revelaste essas palavras. E eu não me adiantei até agora a meus irmãos para não os molestar, porque os via reunidos para dar a explicação dos mistérios da Sabedoria fiel. 10 "E eis, Senhor, que com respeito à sétima súplica da Sabedoria fiel, tua força de luz profetizou, pela voz de Davi, em seu salmo 24, dizendo: 'Senhor, alcei minha voz para Ti, Senhor; eu tenho posto meu coração em Ti'." 11 E quando Jesus ouviu as palavras de Tomé, disse-lhe: "Falaste bem, tome, e essa é a explicação do sétimo hino da fiel sabedoria. Em verdade, em verdade vos digo que todas as criaturas vos olharão na terra como bem-aventurados, porque vos revelei estas coisas e vos infundi meu sopro e vos dei a inteligência espiritual do que vos digo. E vos hei de cumular de toda a luz e de toda a força do meu sopro, para que compreendais desde agora tudo que vos for dito e tudo quanto virdes. Esperai um pouco, e vos falarei a respeito das regiões superiores desde o exterior até o interior, e desde o interior até o exterior." Capítulo 14 A Sabedoria fiel impetra pela oitava vez o auxílio da luz 1 E Jesus continuou falando a seus discípulos e disse: "Quando a Sabedoria fiel lançou sua sétima súplica no caos, e sem que ainda me houvesse chegado ordem do primeiro mistério para libertá-la, tirando-a do caos, por minha própria decisão, e em virtude da minha misericórdia, sem esperar pela ordem, a conduzi a um lugar tranqüilo acima do caos. E seus inimigos cessaram momentaneamente de atormentá-la, crendo que iria ser definitivamente arrojada ao caos. 2 "E a fiel Sabedoria ignorava que eu a assistia, e me desconhecia de todo. E persistia em celebrar o Tesouro da Luz, que havia visto antes e à qual continuava fiel. E pensava que era ele que a assistia, e como era fiel à luz, acreditava que sua súplica Seria ouvida e ela seria tirada do caos. Mas ainda não se havia cumprido a determinação do primeiro mistério a fim de
  29. 29. 29 que seu rogo fosse ouvido. 3 "Escutai, pois, e eu vos direi quantas coisas sucederam à fiel Sabedoria. Ocorreu que quando eu a levei a um lugar mais desafogado do caos, as emanações do tríplice podei" deixaram de atormentá-la, acreditando que eu a lançaria definitivamente no caos. E quando souberam que a Sabedoria fiel não iria ser conduzida ao caos, tornaram a torturá-la cruelmente. E por isso ela elevou sua oitava súplica. 4 "E falou assim: 'Eu coloquei, ó luz, meu coração em ti não me deixes no caos. Escuta-me e livra-me em teu pensa-mento. Volta teu espírito para mim, e livra-me; sê meu salvador, ó luz, e livra-tire. Leva-me à tua luz, porque tu és meu salvador e tu tire conduzirás para ti. E pelo mistério do teu nome, indica-me teu caminho e dá-me teu mistério. E livra-me da força da cabeça de leão, e de meus inimigos que me lançaram armadilhas. Porque tu és meu salvador, e eu entregarei a pureza da minha luz em tuas mãos. Liberta-me, ó luz, em teu conhecimento. E tu te irritarás contra aqueles que me vigiam, para que não se apossem de mim totalmente. Porque acreditei na luz, e eu te adorarei e cantarei em teu louvor, para que tenhas piedade de mim e voltes teu coração para o sofrimento em que me encontro. E tu me livrarás e me restituirás minha força do caos. E não me abandonarás à mercê da força com cabeça de leão, mas me conduzirás à região em que a aflição não existe'." 5 E quando Jesus falou assim a seus discípulos, prosseguiu e disse: "Quando a força de cabeça de leão soube que a Sabedoria fiel não havia sido arrojada ao caos, veio com todas as outras emanações materiais do tríplice poder. E de novo atormentaram a fiel Sabedoria. E enquanto a atormentavam, ela continuava implorando. 6 'E disse: 'tem piedade de mim, luz, porque eles ainda me atormentam. E tudo que há em mim, e minha força e meu espírito, são perturbados, segundo tua ordem, ó luz! E minha força sofreu grandes perdas, enquanto eu eslava sendo submetida a tormentos. 7 'E o número do meu tempo está no caos. E minha luz eclipsou-se, porque minha força foi arrebatada. E quantas forças havia em mim foram destruídas. E sou impotente diante de todos os arcontes dos éons que me odeiam e diante das vinte e quatro emanações em cujas regiões eu estava. E meu irmão temeu seguir-me, em vista das perseguições em que me viu
  30. 30. 30 envolvida. 8 'E todos os arcontes das regiões superiores olharam para mim como a matéria em que não há nenhuma luz. E fui convertida em uma força material que caiu distante dos arcontes. E todos que estão nos éons disseram: 'Ela é como o caos'. E todas as forças que não têm misericórdia caíram sobre mim, para tirar-me toda a luz. Mas eu acreditei em ti, ó luz, e disse: Tu és meu salvador, e minha sorte, que tu marcaste, está em tuas mãos. Livra-me, pois, dos inimigos que me acusam e me perseguem. Estende sobre mim tua luz, porque eu não sou nada em tua presença e conserva-me em tua misericórdia. E não consintas em que caia sobre mim a ignomínia, porque é a ti, ó luz, que eu glorifico em meus hinos. 9 'Que o caos envolva meus perseguidores, e que eles sejam submergidos nas sombras infernais. Cerra a porta aos que querem devorar-me e que dizem: 'Arranquemos a luz que há nela'. Porque eu não lhes fiz mal algum'." Capítulo 15 Nona súplica da Sabedoria fiel 1 E Mateus, assim que Jesus acabou de falar, adiantou-se e disse: "Senhor, tua luz instruiu-me para que eu explique a oitava súplica da Sabedoria fiel. Porque tua força profetizou no salmo 30 de Davi, dizendo: 'Em ti coloquei, Senhor, meu coração. Não permitas que me humilhem eternamente'." 2 E, ouvindo Jesus estas palavras, disse: "Em verdade te digo, Mateus, que quando o número perfeito for completado, e quando o universo for destruído, eu estarei sentado no Tesouro da Luz. E vós estareis sentados sobre as doze forças da luz, até que seja restabelecida a hierarquia dos doze salvadores nas regiões de cada um deles" 3 E continuou falando, e disse: "Compreendeis o que eu vos disse?" 4 E Maria adiantou-se e disse: "Senhor, Tu sempre nos tem falado em parábolas. E nos disseste nelas: 'Eu estabelecerei convosco um reino como o que meu Pai estabeleceu comigo. E estareis sentados nos doze tronos para julgar as doze tribos de Israel'." 5 E Jesus respondeu: "Está bem, Maria." 6 E continuou, e disse a seus discípulos: "E as emanações do tríplice poder continuaram atormentando, no caos, a Sabedoria fiel. E ela
  31. 31. 31 pronunciou sua nona súplica, e disse: O luz, confunde os que me arrebatam minha força e devolve-me as que me tiraram! Vem e salva-me. Porque grandes trevas me envolvem e me afligem. Diz à minha força: eu te libertarei. E que quantos quiserem arrebatar-me minha luz sejam privados da sua força, e voltem ao caos. 7 'Que sejam reduzidos à impotência os que querem roubar-me a luz. Que sua força seja como o pó, e que teu anjo, leu, os fira. E se quiserem chegai" ao alto, que as trevas os rodeiem. E que sejam arrojados no caos, e que Ieú, teu anjo, os persiga para feri-los nas trevas do inferno. Porque me estenderam armadilhas, e o mesmo a força com cabeça de leão. E sem que eu os haja molestado, me atormentam e querem arrebatar toda a minha força. 8 'Arranca, ó luz, a pureza da força de cabeça de leão, sem que ela o saiba. E confunde o plano maquinado pelo tríplice poder para arrebatar minha força, e arrebata tu a sua. E minha força se regozijará na luz, e será alegre, porque tu a terás salvado. E todas as partes da minha força dirão: não há mais salvador do que tu. Porque me terás livrado da força com cabeça de leão, que arrebatava minha força. E me salvarás de todos que me tiram minha força e minha luz. Porque se levantaram contra ti, proferindo mentiras, e dizendo que eu conhecia o mistério da luz da região superior. E me pressionavam, dizendo: 'Diz-nos os mistérios da luz da região superior'. Mas eu ignorava esses mistérios, e me infligiram grandes males. Porque tenho sido fiel à luz da região superior. E me sentei nas trevas, com a alma imersa no sofrimento. 9 'Salva-me, ó luz, a quem elevo meus hinos! Porque eu sei que tu me salvarás, pois que eu fazia tua vontade quando estava na região dos éons. E eu cumpria tua vontade como as potências invisíveis que estão em minhas regiões, e eu chorava, buscando zelosamente tua luz. 10 'E agora meus inimigos me envolvem, e se alegram de meus males, e me infligem, impiedosamente, grandes aflições. E rangem os dentes para mim, e me querem arrebatar toda a luz. 11 'Até quando, luz, permitirás que continuem afligindo-me? Livra minha força de seus maus propósitos, e preserva-me da força com cabeça de leão. Porque eu estou sozinha nestas regiões. E em meio de todos quantos se juntaram contra mim eu te glorifico, ó luz! E clamarei sempre
  32. 32. 32 por ti, no meio de todos os que me afligem. Que não se regozijem mais com o meu sofrimento, atormentando-me e arrancando minha força. 12 'Tu conheces sua astúcia, ó luz! Não permitas que tua ajuda se afaste de mim. Apressa-te, ó luz! Julga-me com tua bondade e vinga-me. ó luz das luzes! Que meus inimigos não me arrebatem minha luz. E que não digam entre si: 'Nossa força aumentou caiu na luz'. E que não digam: `Devoramos sua força'. Mas que as trevas os rodeiem e laçam impotentes aqueles que me queiram roubar a luz. E que aqueles que dizem: 'Nós roubamos sua força e sua luz', sejam submergidos no caos e nas trevas. Salva-me para que eu seja feliz. Porque eu aspiro à décima terceira região dos éons, que é a região da justiça. E para que eu diga a toda hora: a luz de Ieú, teu anjo, irá aumentando de brilho. E minha língua cantará eternamente teus louvores na décima terceira região dos éons'." Capítulo 16 Tiago explica o significado da nona súplica da Sabedoria fiel e Maria interpreta as palavras de Cristo 1 E quando Jesus disse essas palavras a seus discípulos, continuou: "Que aquele dentre vós que compreendeu nos de a explicação." 2 E Tiago adiantou-se e abraçou o peito de Jesus e disse: "Senhor, teu sopro infundiu-me inteligência, e estou pronto a explicar o que nos disseste. Porque a respeito disto foi que profetizou tua força, pela boca de Davi, em seu salmo 34, dizendo: 'Julga, Senhor, aqueles que me agravam, combate aqueles que me combatem'." 3 E quando Tiago falou assim, disse Jesus: "Falaste bem, Tiago. Porque essa é a explicação da nona súplica da fiel Sabedoria. E em verdade, em verdade vos digo que entrareis comigo no reino dos céus antes de todos os invisíveis e todos os deuses e ídolos os arcontes que estão com o décimo terceiro éon e com o décimo segundo éon. E não somente vós, mas todo aquele que haja praticado meus mistérios." 4 E quando o Salvador acabou de falar assim, disse: "Compreendeis o que acabo de dizer?" 5 E disse Maria: "Senhor, é o que nos disseste outras vezes. Que os últimos serão os primeiros e os primeiros serão os últimos. Porque os criados antes de nós são os invisíveis, pois existiram antes do gênero humano. E os deuses, e os arcontes, e os homens que receberem teus
  33. 33. 33 mistérios entrarão em primeiro lugar no reino dos céus." 6 E disse Jesus: "Assim é, Maria." Capítulo 17 O primeiro mistério envia Jesus para socorrer a Sabedoria fiel 1 E Jesus prosseguiu falando a seus discípulos e disse: "E aconteceu que quando a fiel Sabedoria entoou sua nona súplica, a força que tinha cabeça de leão atormentou-a mais ainda. E queria arrebatar-lhe sua luz. Mas a Sabedoria fiel dirigiu-se, clamando, para a luz e disse: 'Luz na qual acreditei desde o principio, e pela qual tenho sofrido tantas dores, verti e socorre-me'. 2 "E seu rogo foi então atendido. Porque o primeiro mistério o ouviu, e enviou-me a mim para auxiliá-la. E vim para ajudá-la, e a reconduzi ao caos. Porque havia sofrido grandes penas e aflições por causa de sua fé na luz. E assim, fui enviado pelo primeiro mistério pai a socorrê-la em tudo. 3 "E ainda que eu não houvesse ido ainda ao inundo dos éons, irrompi entre todos eles. E nenhum deles o soube, nem os que pertencem ao interior do interior, nem os que estão no exterior do exterior. E o primeiro mistério sabia de tudo. E quando cheguei ao caso para ajudá-la, ela me viu, porque eu resplandecia com uma grande luz, e me apresentava misericordioso. E não me apresentava altaneiro, como a força com cabeça de leão que arrebatou a força e a luz da Sabedoria fiel, e que a atormentou para arrancar quanta luz havia nela. 4 "E me viu brilhando como uma luz dez mil vezes mais poderosa do que a da força como cabeça de leão. E compreendeu que eu vinha das regiões superiores, em cuja luz ela havia tido fé desde o principio das coisas. E a fiel Sabedoria teve então confiança, e elevou sua décima súplica. 5 "E disse: 'Clamei por ti, luz das luzes. E em minha aflição me ouviste; protege agora minha força contra os lábios injustos e enganosos. Porque estou cercada de ciladas e calúnias dos orgulhosos e dos que não conhecem a misericórdia. Maldita sou, então distante estou de minha morada, e me vejo forçada a habitar no caos. Porque minha força não está nas regiões que me pertencem. E falei com doçura aos meus inimigos, e quando eu lhes falava com doçura, eles me atacaram sem motivo'." Capítulo 18
  34. 34. 34 A força satânica de cabeça de leão se encoleriza diante de Jesus Cristo 1 E quando Jesus disse estas palavras a seus discípulos, disse: "Que se adiante aquele que se sinta impregnado de minha inteligência, e que explique a décima súplica da Sabedoria fiel." 2 E Pedro respondeu, e disse: "Senhor, tua força de luz profetizou isso pela boca de Davi, quando disse no salmo 119: 'Clamou por ti, Senhor, em minha aflição. E Tu me ouvis-te, Senhor", mas protege minha alma dos lábios injustos e da língua mentirosa'. Tal é, Senhor, a explicação da décima súplica da Sabedoria fiel, tal como ela a pronunciou quando sentia atormentada pelas emanações materiais do tríplice puder, e estas e a força de cabeça de leão a faziam sofrer extremamente." 3 E disse Jesus: "Está belo, Pedi-o. Falaste com justeza." 4 E continuou Jesus falando aos seus discípulos e disse: "falando a força que tinha cabeça de leão se aproximava de mim, ao ir para a fiel Sabedoria, viu-me resplandecer como uma luz intensa. E encheu-se de cólera, e lançou foi-a de si uma infinidade de outras emanações enfurecidas. 5 "Então a Sabedoria fiel pronunciou sua décima primeira súplica, e disse: 'Por que a força de cabeça de leão se prepara para fazer-me mal? Seu propósito era ferir-me e roubar a luz que havia em mim. Porque eu preferi descer ao caos a permanecer na região do décimo terceiro éon, que é a região da justiça. 6 'E quiseram envolver-me em suas astúcias, pai a arrebatar-me toda a minha luz. Mas a luz lhes tirará toda a luz, e lhes tirará toda a sua matéria. E lhes arrebatará toda a sua luz, e não os deixará permanecer no décimo terceiro éon, sua morada. E não deixará seus nomes entre os nomes dos vi-vos. E as vinte e quatro emanações verão o que sucede à força com cabeça de leão para que lhes sirva de exemplo, e temam, e não sejam indóceis. 7 'E darão a pureza de sua luz, e te verão, para que te glorifiquem. E haverão de dizer: `Eis o que não deu o brilho de sua luz para salvar-se'. Mas quer ser glorificado em todo o esplendor da sua luz, e ele disse: 'Eu arrebatarei a luz da Sabedoria fiel'.' 8 "E que aquele cuja força for exaltada, se adiante e diga a explicação da décima primeira súplica da Sabedoria fiel."
  35. 35. 35 Capítulo 19 O tríplice poder orgulhoso envia reforços para suas emanações combaterem o poder de Jesus 1 E Salomé adiantou-se e disse: "Senhor, tua força de luz profetizou isto pela boca de Davi, no salmo 51, dizendo: 'Por que o ímpio se gaba de sua malícia?'." 2 E quando Jesus ouviu estas palavras, disse: "Está bem, Salomé. E em verdade, em verdade vos digo que eu os instruirei em todos os mistérios do reino da luz." 3 E, Jesus continuou falando, e disse a seus discípulos: "Aproximei-me logo do caos e ia revestido de uma luz imensa, para tirar a luz da força com cabeça de leão. E quando a força com cabeça de leão me viu, teve medo e chamou seu deus para que a socorresse. E se encheu de cólera, e a fiel Sabedoria encheu-se de espanto. 4 "E dirigiu-se a mim, e disse: 'Não me esqueças, ó luz! Porque meus inimigos abriram a boca contra mim. E quiseram arrebatar-me minha luz, e me odiaram, porque eu cantava louvares a ti e te amava. Que sejam submergidos nas trevas exteriores; tira-lhes sua força, e não os deixes retornar. às suas regiões. E que o caos os envolva como uma veste. Tem piedade de mim, ó luz! Pelo mistério do teu nome, salva-me em tua misericórdia. Vem em minha ajuda, porque minha força está destruída. Porque aqui não há nenhum mistério, e minha matéria foi acorrentada, porque foi me tirada toda a minha força'. 5 "E que aquele que tiver sido animado em seu intimo, adiante-me e explique as palavras da fiel Sabedoria." 6 E disse André: "Senhor, tua força de luz profetizou isto quando disse, pela boca de Davi, no salmo 108: 'Deus meu, não cesses de elogiar-me, porque os pecadores e os pérfidos abriram a boca contra mim'. 7 "E o primeiro mistério, continuando seu discurso, disse assim: 'E ocorreu que eu não tirei ainda do caos a Sabedoria fiel porque eu não havia ainda recebido a ordem de meu Pai. E as emanações do tríplice poder, vendo a Sabedoria fiel outra vez provida de luz como desde o princípio, interromperam seus ataques a ela. E em grandes gritos pediram auxilio ao tríplice poder, para que ele as ajudasse a arrancar outra vez as forças que havia na Sabedoria fiel. E o tríplice poder enviou outra grande
  36. 36. 36 força de luz, que descia no caos como uma flecha que voa. E era para que ajudasse seus servidores a arrebatar à Sabedoria fiel a força que lhe havia sido reintegrada'." Capítulo 20 Jesus confunde as forças do tríplice poder 1 "E quando aquela força de luz desceu, os servidores do tríplice poder adquiriram grande confiança. E outra vez perseguiram a Sabedoria fiel, que estava cheia de turbação e espanto, e a atormentaram cruelmente. E um deles se transformou em um basilisco de sete cabeças. E outro tomou a forma de um dragão, e a primeira potência do tríplice poder, com cabeça de leão, e outros muitos se reuniram. 2 "E atacaram a fiel Sabedoria, e a levaram de novo às regiões inferiores do caos, e a atormentaram muito. E ela fugiu, e veio as regiões superiores do caos, e eles a perseguiram e a torturaram cruelmente. 3 "E Adamas, o tirano, contemplou as doze regiões dos éons, e também se tomou de coragem contra a Sabedoria fiel, porque havia desejado subir à luz das luzes, que está acima de todos eles. E Adamas contemplou, e viu que os inimigos da Sabedoria a atormentavam até tirar-lhe quantas luzes havia nela. 4 "E quando a potência do tríplice poder desceu ao caos, encontrou a fiel Sabedoria. E a força corri cabeça de leão, e a força com cabeça de serpente, e a força com aspecto de basilisco, e a força com cabeça de dragão, e todas as forças do tríplice poder rodearam a fiel Sabedoria, tentando arrebatar-lhe pela segunda vez suas forças. 5"E quando a atormentavam e afligiam, ela se dirigiu de novo à luz e disse: `Luz em que caí, que tua luz vinha a mim. Porque tu és quem me tomou nela, e tu me livrarás de meus perseguidores'. 6 "E quando a Sabedoria fiel falou deste modo, por ordem de meu Pai, enviei Miguel, e Gabriel, e os satélites da luz, para que conduzissem a Sabedoria fiel em seus braços, de maneira que seus pés não tocassem as trevas exteriores. E ordenei-lhes que se dirigissem às regiões do caos para onde deveriam conduzi-la. 7 "E quando os anjos e as emanações da luz desceram ao caos, todas as emanações do tríplice poder e as de Adamas viram a emanação da luz formar uma luz imensa, à qual nenhuma classe de luz era alheia. E
  37. 37. 37 ficaram atemorizados, e deixaram a Sabedoria fiel. 8 "E uma grande emanação de luz cercou por todos os lados a Sabedoria, à direita e à esquerda, e sobre sua cabeça ergueu-se uma coroa de luz. E quando a emanação de luz rodeou a fiel Sabedoria, esta se sentiu cheia de confiança. E aquela emanação não deixava de rodeá-la, e ela não tinha mais as emanações do tríplice poder. E os servidores do tríplice poder não puderam mais transformar sua figura, nem aproximar-se da Sabedoria fiel, devido à grande luz que a rodeava. E não puderam fazerlhe nenhum mal porque ela acreditava na luz. 9 "E, conforme o mandato de meu Pai, o primeiro mistério desceu ao caos. E ataquei a potência da cabeça de leão, que era a maior luz, e lhe m.rebatei toda a sua luz. E feri todas as emanações do tríplice poder, e todas caíram, impotentes, no caos. E conduzi a fiel Sabedoria à direita de Miguel e Gabriel. E uma grande emanação de luz a penetrou. E olhou para os seus inimigos, cuja luz havia arrebatado já completamente. E a fez sair do caos, e pôs a seus pés us servidores do tríplice poder que têm cabeça de serpente, o servidor que tem forma de basilisco de sete cabeças, e potência de cabeça de leão e a potência de cabeça de dragão. 10 "E fiz permanecer a Sabedoria acima da potência que tem o aspecto de um basilisco de sete cabeças, e que é a mais forte de todas por sua malícia. E eu, o primeiro mistério, permaneci em cima dela e tirei-lhe todas as suas forças, e destruí toda a sua matéria, para que não possa reproduzir-se." Capítulo 28 A Sabedoria fiel louva Jesus no meio dos vinte e quatro invisíveis 1 "E, elevando-se entre os vinte e quatro invisíveis, e estando no meio deles, dedicou-me um hino e disse: Eu declaro diante de ti, o luz, que tu és o Redentor e o Salvador eterno. E entoarei um hino à luz que me libertou e protegeu da mão dos meus inimigos os arcontes. Porque tu me livraste em todas as regiões: tanto nas regiões superiores como no fundo do caos. E nas esferas dos arcontes dos éons, e quando baixei da altura. E quando me perdi nas regiões em que não há nenhuma luz, porque eu não haveria podido voltar-me para ti na décima terceira região dos éons. Pois não havia em mim nenhuma luz nem força alguma, pois minha força estava esgotada sob a aflição. E a luz me protegeu em todos os momentos
  38. 38. 38 de dor, e me ouviu quando eu estava entregue aos meus inimigos. E mostrou-me o caminho na região das éons, para conduzir-me à décima terceira região dos éons, que é a minha morada. 2 'Eu te rendo homenagem, ó luz! Porque tu me salvaste. E eu te celebrarei, e a teus milagres, diante da raça dos homens. E porque quando eu estava privada da minha luz, tu me infundiste uma luz pura. E porque quando eu estava privada da minha força, tu me deste a força. Porque eu estive nas trevas e nas sombras do caos. E estive subjugada por duras cadeias, no caos em que não há luz alguma. Porque eu mereci a ira da luz ao desobedecer sua ordem e sair da região que me correspondia. 3 'E quando desci, fui privada da minha força e da minha luz. E ninguém me socorreu, e quando meus inimigos me torturavam eu me dirigia à luz e ela me protegeu de iodos os meus inimigos. E rompeu minhas cadeias, e me arrancou das trevas e da aflição do caos. 4 'Eu te glorifico, luz, porque tu me salvaste. E porque teus milagres têm sido patentes diante da raça dos homens. Porque tu vulneraste as elevadas portas das trevas e os fortes grilhões do caos. E quando meus inimigos me mortificavam, eu dirigi um hino à luz e ela livrou-me de todos os meus perseguidores. Porque ao enviares tua emanação para mim, ela me deu força e me tirou de todas as aflições. 5 'Eu te exalto, ó luz, porque me salvaste, e porque tens feito milagres diante da Humanidade'. 6 "Este foi o hino entoado pela Sabedoria fiel quando se encontrava no centro dos vinte e quatro invisíveis, para fazer saber quantos milagres havia feito eu por ela. E para que se soubesse que, vindo ao mundo dos humanos, eu lhes havia transmitido os mistérios das regiões superiores. Que aquele cuja inteligência tenha sido iluminada chegasse a compreender este hino proferido pela Sabedoria." 7 E, quando Jesus acabou de dizer estas palavras, Felipe adiantou-se e disse: "Senhor, clara está minha mente, e me sinto capaz de interpretar o hino da Sabedoria. Porque sobre isto profetizou Davi no salmo 106, quando disse: 'Rendei homenagem ao Senhor. Porque é compassivo e a sua misericórdia se estende à eternidade'. E esta é, Senhor, a explicação do hino da Sabedoria fiel." Capítulo 29
  39. 39. 39 Maria Madalena pergunta a Jesus sobre a essência, com posição e o modo de ser dos vinte e quatro invisíveis 1 E, depois de todas essas coisas, Maria Madalena adiantou-se e prosternou-se aos pés de Jesus e disse: "Senhor, não te incomodes se te interrogo. Porque nós nos informamos de tudo com ardoroso zelo. Tu nos dizes sempre: `Buscai e encontrareis. Chamai, e se vos abrirá'. Quem é, Senhor, aquele que encontraremos? Quem é aquele a quem havemos de chamar? quem pode dar-nos a explicação para as coisas que perguntamos? porque Tu nos deste o conhecimento da luz e nos revelaste coisas sublimes. Não há no mundo ser humano que possua este conhecimento. Não existe ninguém nas regiões superiores dos éons que nos possa explicar o sentido das palavras que Tu dizes. só Tu, que tudo sabes e em tudo és perfeito, nos podes explicar. Porque nós não inquirimos sobre estas coisas como os demais homens que há no mundo. Mas buscamos o conhecimento que das regiões superiores Tu nos tens dado. E buscamo-las também no lugar da explicação perfeita com que Tu nos instruíste. Não te aborreças comigo, Senhor, mas revela-me a palavra sobre cujo sentido te interroguei." 2 Quando Maria Madalena acabou de dizer essas palavras, Jesus respondeu-lhe: "Pergunta o que quiseres, pergunta e eu te revelarei com interesse e verdade quanto deverás fazer. Em verdade, em verdade vos digo que vos entregueis a uma grande alegria e a um júbilo extremo. E que me pergunteis com todo o zelo sobre tudo. Porque eu me alegrarei dizendo-vos fielmente o que convém que saibais. Pergunta, Madalena, o que queres conhecei", e eu te explicarei com satisfação." 3 E quando Maria ouviu as palavras do Salvador, sentiu um supremo regozijo e disse a Jesus: "Meu Salvador e Senhor, como são os vinte e quatro invisíveis? E como são suas regiões, e de que espécie são, ou de que gênero é sua luz?" 4 E Jesus respondeu a Maria: "Que haverá neste mundo parecido com eles? A que os compararei e que poderei dizer-vos a respeito deles? Nada neste mundo se lhes compara, nada se lhes pode assemelhar, porque nada há neste mundo que seja da espécie das coisas do céu. 5 "Em verdade vos digo que cada invisível é maior do que o céu e do que a esfera que está debaixo dele. Porque nada há traste mundo mais
  40. 40. 40 deslumbrante do que a luz do sol. Mas, em Verdade, em verdade vos digo: os vinte e quatro invisíveis têm uma luz dez mil vezes mais brilhante do que a do sol deste mundo. E à luz do grande antepassado invisível é dez mil vezes mais brilhante do que a luz que eu vos disse que têm os vinte e quatro invisíveis. Mas esperai um pouco e eu vos conduzirei, a ti e aos discípulos, teus irmãos, a iodos os lugares das regiões superiores e levarei aos três fundamentos o primeiro mistério e até o lugar único do circulo do Inefável." Capítulo 30 Jesus descreve aos seus discípulos o aspecto das regiões superiores 1 "E então vereis na realidade essas formas que não têm comparação. E quando eu vos houver conduzido às regiões superiores, vereis a glória em que se encontram e olhareis o mundo que está diante de vós como a obscuridade da obscuridade. 2 "E quando mirardes o mundo em que habita o gênero humano, ele vos parecerá um grão de poeira, pela grande distância que vos separará dele. E quando eu vos conduzir à região dos doze éons, vereis a glória em que se encontram. E essa glória vos fará ver a região dos arcontes da Heimarméné como a obscuridade das trevas, e ela será diante de mim como um" grão de poeira. 3 "E quando vos tiver levado à décima terceira região dos éons, as doze regiões dos éons vos parecerão como a obscuridade das trevas. E quando olhardes as doze regiões dos éons, elas vos parecerão como um grão de poeira. E quando vos levar à região do centro e olhardes a glória que ali brilha, a décima terceira região dos éons vos parecerá a obscuridade das trevas. E se dali olhardes os doze éons, e suas esferas, e tudo quanto as acompanha, parecer-vos-ão, devido à distância e à superioridade sobre eles, como um grão de poeira. 4 "E quando vos houver conduzido às regiões daqueles que pertencem à direita, e virdes a glória em que se encontram, as regiões dos que pertencem ao centro vos parecerão como a noite do mundo dos homens. E ao olhar o centro, vossos olhos o verão como um grão de poeira, pela grande distância que o separa das regiões onde habitam os que estão à direita. 5 "E quando eu vos conduzir à terra de luz onde está o Tesouro da Luz,
  41. 41. 41 para que vejais a glória que ali esplende, as regiões da direita vos parecerão como a luz do meio-dia no mundo dos homens quando o sol não brilha. E quando olhardes as regiões da direita, elas vos parecerão como um grão de poeira, pela grande distância que as separa do Tesouro da Luz. 6 "E quando eu vos conduzir às regiões dos que receberam os mistérios da luz, para que vejais a glória da luz em que se encontram, a terra da luz vos parecerá como a da luz do sol do mundo do gênero humano. E quando virdes a terra da luz, a distância e sua interioridade vos farão parecer como um grão de poeira." 7 E quando Jesus acabou de dizei essas palavras a seus discípulos, Maria Madalena adiantou-se e disse: "Senhor, não te incomodes se te pergunto, porque nós nos informamos com zelo de todas as coisas." 8 E Jesus respondeu a Maria: "Pergunta o que quiseres perguntar e eu te responderei claramente, sem parábola, e direi todas as coisas desde o interior dos interiores até o exterior dos exteriores. E desde o Inefável até a obscuridade das trevas, para que de tudo tenhais conhecimento completo. Diz-me, pois, Maria, e que desejas saber, e eu te revelarei com satisfação." 9 E disse ela: "Senhor, os homens que receberam os mistérios da luz serão tirais exaltados em teu reino do que os privados do Tesouro da Luz? Porque eu te ouvi dizer. 'Quando vos tiver levado a região dos que receberam os mistérios, a região da terra da luz Vos parecerá como um grão de poeira. E isto devido à grande distância e a grande glória em que está a região dos que receberam os mistérios'. Diz-nos, pois, Senhor: serão mais exaltados os homens que recebem os mistérios, do que a terra da luz? Serão, pois, mais elevados do que ela no reino da luz?" 10 E Jesus respondeu a Maria: "E bom que te informes zelosamente de tudo. Mas eu te falarei da missão dos éons e da Construção do universo." Capítulo 31 Jesus explica a seis discípulos os mistérios dos doze salvadores, as parábolas e as Arvores do Tesouro da Luz 1 "Porque já vos disse. Quando vos tiver conduzido às regiões que são patrimônio daqueles que receberam os mistérios da luz, as regiões dos próbolos da luz não vos parecerão mais do que um grão de poeira e do
  42. 42. 42 que a luz do sol do dia. E estas coisas ocorrerão no tempo da construção do universo. 2 "E os doze salvadores dos tesouros, e as doze categorias daqueles que são os próbolos das sete vozes e das cinco árvores, estarão comigo nas regiões do patrimônio da luz. E estarão comigo em meu reino. E cada um estará sobre seus próbolos, e cada um será rei sobre sua glória, grande sobre sua grandeza e pequeno sobre sua pequenez. E o salvador do próbolo da primeira voz estará na região das almas que receberam o primeiro mistério do primeiro mistério em meu reino. E o salvador do próbolo da segunda voz estará na região das almas que receberam o segundo mistério do primeiro mistério em meu reino. E o salva-dor do próbolo da terceira voz estará na região dos que receberam o terceiro mistério do primeiro mistério no patrimônio da luz. E o salvador do próbolo da quarta voz do Tesouro da Luz estará na região das almas dos que receberam o quarto mistério no patrimônio da luz. E o salvador do próbolo da quinta voz do Tesouro da luz estará na região das almas que receberam o quinto mistério do primeiro mistério no patrimônio da luz. E o sexto salvador do próbolo da sexta voz residirá nas regiões das almas que tiverem recebido o sexto mistério do primeiro mistério. E o sétimo salvador do próbolo da sétima voz do Tesouro da Luz estará na região das almas que receberam o sétimo mistério do primeiro mistério do Tesouro da Luz. E o oitavo salvador, que é o salvador do próbolo da primeira árvore do Tesouro da Luz, estará na região das almas que recebem o oitavo mistério do primeiro mistério no patrimônio da luz. E o nono salvador, que é o salvador do próbolo da segunda árvore do Tesouro da Luz, estará na região das almas que recebem o nono mistério do primeiro mistério no patrimônio da luz. E o décimo salvador, que é o salvador do próbolo da quarta árvore do Tesouro da Luz, estará na região dos que recebem o décimo mistério no patrimônio da luz. E o décimo primeiro Salvador que é o salvador do próbolo da quarta árvore .do Tesouro da Luz, estará na região dos que recebem o décimo primeiro mistério do primeiro mistério no patrimônio da luz. E o décimo segundo salvador, que é o salvador do próbolo da quinta árvore do Tesouro da Luz, estará na região das almas que recebem o décimo segundo mistério do primeiro mistério no patrimônio da luz.
  43. 43. 43 3 "E os sete améns, e as cinco árvores, e os três améns, estarão à minha direita, como reis que subsistem no patrimônio da luz. E os salvadores gêmeos que são o filho do filho. E os nove guardiões estarão à minha esquerda, como reis que continuam sendo no patrimônio da luz. 4 "E cada um dos salvadores será rei sobre seu próbolo, no patrimônio da luz, como o são no Tesouro da Luz. E os nove guardiões dos Tesouros da Luz estarão mais acima dos salvadores no patrimônio da luz. E os salvadores gêmeos estarão mais acima dos nove guardiões do reino. E os três améns estarão mais acima dos nove salvadores gêmeos no reino. E as cinco árvores estarão mais acima dos três améns no patrimônio da luz. 5 "E Ieú, guardião das possessões da luz, e o grande Sabaoth, o bom, serão reis sobre o primeiro salvador da primeira voz do tesouro da Luz, que está na região daqueles que receberem o primeiro mistério do primeiro mistério. Porque Ieú é o guardião das regiões dos que estão à direita, e Melquizedeque, o grande herdeiro da luz. E os dois grandes chefes que emanam da luz eleita, que é a própria pureza, e que se estende desde a primeira árvore até a quinta. 6 "Ieú é o bispo da luz, que emana o primeiro na pureza da luz da primeira árvore. E é o guardião do patrimônio dos que Pertencem à direita e emanam da segunda árvore, e os dois chefes emanam também da pura luz eleita da terceira e da quarta árvore no Tesouro da Luz. E Melquizedeque emana da quinta árvore. E o grande Sabaoth, o bom, a quem chamei meu Pai, emana de Ieú, o guardião da luz." Capitulo 32 Jesus explica a seus discípulos o destino das almas dos homens que tiveram sido iniciados nos mistérios 1 "E por causa da sublimidade da essência que foi colocada neles, todos serão reis associadamente no primeiro mistério da primeira voz do Tesouro da Luz. E estarão na região das almas que recebem o primeiro mistério do primeiro mistério. E onde estão a virgem da luz e o grande condutor do meio, que os arcontes dos éons chamam o grande Ieú. E este é o nome do grande arconte que está em suas regiões. 2 "E ele, e a virgem da luz e seus doze diáconos serão também reis, todos eles. E vós tereis a forma e a força dos doze diáconos. 3 "E o primeiro salvador da primeira voz estará na região das almas dos
  44. 44. 44 que receberam o primeiro mistério do primeiro mistério nas possessões da luz. E os quinze satélites das sete virgens da luz que estão no centro, emanarão das regiões dos doze salvadores. E igualmente os demais anjos do centro, cada um sobre sua glória, para que sejam reis comigo nas possessões da luz. 4 "E todas as coisas que vos digo não sucederão agora, mas sim quando se verificar a associação dos éons, que é a solução de todas as coisas, e quando se completar a conta das almas que participarão das possessões da luz. 5 "E antes da associação de que vos falo, nenhuma dessas coisas ocorrerá. E cada um estará em sua região, na qual foi colocado desde o começo, até que o número da congregação das almas admitidas se tenha completado. 6 "E as sete vozes, e as cinco árvores, e os três améns, e os salvadores gêmeos. E os nove guardiões, e os doze salvadores, e os que estão nas regiões dos que pertencem à direita, e os que estão no centro, todos permanecerão na região e no lugar em que foram colocados, até que sejam transportados para fora, e o número das almas admitidas à luz se tenha completado. 7 "E os outros arcontes que pertencem ao centro permanecerão igualmente em seus lugares até que essas mesmas coisas se hajam cumprido. E todas as almas chegarão no tempo em que cada uma recebei" o seu mistério. E serão transportadas para os arcontes que estão no centro, e virão às regiões dos que pertencem ao centro. E os que pertencem ao centro os batizarão com a unção espiritual. E passarão pelas regiões dos que pertencem ao centro, e passarão às regiões dos que estão à direita, e às regiões dos nove, guardiões, e às regiões dos salvadores gêmeos, e as regiões dos três améns, e dos doze salvadores e ás cinco árvores, e ás sete vozes, e cada um lhe dará suas chaves e seus mistérios. 8 "E eles virão a todas essas almas que chegam ás regiões da luz, à medida que forem recebendo os mistérios da luz e tomando posse da luz." Capítulo 33 Maria Madalena expõe o sentido perfeito das revelações do Salvador 1 "E todas as almas humanas que receberem a luz chegarão aos arcontes que estão no centro. E chegarão a todos quantos pertencem à região do

×