Excelência nos relacionamentos homero reis

327 visualizações

Publicada em

Por que construímos relacionamentos nitidamente desumanos?
O que nos faz agir de modo tão brutal nas relações mais simples do cotidiano?
Por que vivemos em constante estado de competição?
O que nos faz legitimar tudo isso julgando ser a nossa forma de ser, “normal”?
O que nos faz pender cronicamente para a dissolução e para necessidade de superar o outro?
Existem outras possibilidades?
SIM!

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Excelência nos relacionamentos homero reis

  1. 1. ABERTURA NOSSA HISTÓRIA RELACIONAL A CULTURA PATRÍSTICA A CULTURA MATRÍSTICA
  2. 2. ABERTURA NOSSA ORIGEM, NOSSOS CAMINHOS, NOSSA CULTURA MIGRAÇÕES MATRÍSTICAS MIGRAÇÃO PATRÍSTICA
  3. 3. A ESPÉCIE HOMO 30.000 A.C – A PRÉ-HISTÓRIA HOMOS SIMIUS GORILAS ORANGOTANGOS MACACOS CHIMPANZÉS SAPIENS HUMANOS AS PINTURAS RUPÉSTRES O LIXO DAS CIVILIZAÇÕES
  4. 4. A Migração Patrís>ca 20.000 A.C. – SOBRE HOMENS E LOBOS O SURGIMENTO DA PROPRIEDADE O APARECIMENTO DA HIERARQUIA AS CONVERSAS PATRÍSTICAS • A DOMINAÇÃO • A VIOLÊNCIA • O COMANDO • O CONTROLE
  5. 5. A Migração Matrís>ca 20.000 A.C. – SUSTENTAÇÃO E CUIDADO O PRINCÍPIO MATER (brincar e amar) AS CONVERSAS MATRÍSTICAS • O CUIDADO • A RELAÇÃO MÃE-FILHO • O SURGIMENTO DOS PAPEIS • A COOPERAÇÃO • A AFETIVIDADE
  6. 6. A HISTÓRIA 10.000 A.C. – A ESCRITA E O NASCIMENTO DA HISTÓRIA RETORNO DA MIGRAÇÃO PATRÍSTICA as conversas de dominação CONQUISTAS OS GRANDES IMPÉRIOS A NOÇÃO DE EXCLUSÃO A SUPERPOPULAÇÃO A INSUSTENTABILIDADE
  7. 7. O QUE FEZ A DIFERENÇA O CONVERSAR E O ATUAR COMO FUNDAMENTO DA INTELIGÊNCIA RELACIONAL O Desafio de hoje é quebrar nossa Transparência para que sejamos capazes de reconstruir o senso de humanidade a partir de uma nova forma de nos relacionar.
  8. 8. A QUEBRA DA TRANSPARÊNCIA • Por que caçamos e perseguimos os outros? • Por que construímos relacionamentos nitidamente desumanos? • O que nos faz agir de modo tão brutal nas relações mais simples do cotidiano? • Por que vivemos em constante estado de competição? • O que nos faz legitimar tudo isso julgando ser a nossa forma de ser, “normal”? • O que nos faz pender cronicamente para a dissolução e para necessidade de superar o outro?
  9. 9. PERGUNTA CHAVE EXISTEM OUTRAS POSSIBILIDADES?
  10. 10. ALTERNATIVAS MODELO DOMINADOR: segundo o qual aprendemos a crer que os mais hábeis, mais fortes, mais “espertos”, devem vencer e subjugar os “perdedores”. MODELO DE PARCERIA: segundo o qual podemos aprender que todos fazem parte do mesmo sistema e que os relacionamentos devem se dar a partir da cooperação mútua, do acolhimento e da capacidade de sustentação.
  11. 11. O QUE FEZ A DIFERENÇA O reconhecimento de que é impossível afirmar uma verdade absoluta sobre qualquer coisas, mas é possível aprender a aceitar as diferentes possibilidades e o respeito pelo outro como fundamento de nossas relações
  12. 12. O QUE FEZ A DIFERENÇA Entender que o amor não precisa de explicações para acontecer, mas o desamor sim, mesmo travestido de afeto. Quando perdemos a capacidade de amar passamos a ter a necessidade de explicar as relações.
  13. 13. O QUE FEZ A DIFERENÇA EVIDÊNCIAS CONTEMPORÂNEAS: 1. A integração felinos – fazendeiros; 2. O exemplo das tribos; 3. As políticas de convivência; 4. OUTRAS.
  14. 14. INTERAÇÃO RELACIONAL NOS PROCESSOS CONVERSACIONAIS A B “N” C “SE MOVENTE” Aquilo que move o Mundo
  15. 15. PRESSUPOSTOS • A LEGITIMIDADE DO OUTRO • O OUTRO COMO SER AUTÔNOMO • O OUTRO COMO INDIVÍDUO LIVRE • O OUTRO COMO DIFERENTE
  16. 16. FECHAMENTO ... A essa altura da vida, descubro que cheguei aonde planejei chegar. Cheguei aonde meu coração queria. OBRIGADO! Homero Reis homero@homeroreis.com (61) 9985.8153

×