Hermi Down(2)

2.296 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Saúde e medicina
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.296
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
62
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
88
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Hermi Down(2)

  1. 1. Down “ A única síndrome é a do preconceito”
  2. 2. O que é síndrome de down A síndrome não é uma doença mas uma condição clínica causada por uma alteração genética. Todas as pessoas têm, dentro de cada célula, 23 pares de cromossomos estruturas que guardam o material genético. As pessoas com Down têm uma trinca do cromossomo 21, em vez de um par. Elas têm características em comum, como os olhos puxados, a baixa estatura, a tendência obesidade e a facilidade em contrair as mais variadas infecções.
  3. 3. <ul><li>A síndrome de Down é uma ocorrência genética natural e universal, estando presente em todas as raças e classes sociais. É a alteração genética mais comum, sendo registrada aproximadamente em 1 de cada 700 nascimentos. Não é uma doença e portanto as pessoas com síndrome de Down não são doentes. Não é correto dizer que uma pessoa sofre de, é vítima de, padece ou é acometida por síndrome de Down. O correto seria dizer que a pessoa tem ou nasceu com síndrome de Down. A síndrome de Down também não é contagiosa. Por motivos ainda desconhecidos, durante o desenvolvimento das células do embrião são formados 47 cromossomos no lugar dos 46 que se formam normalmente. O material genético em excesso altera o desenvolvimento regular da criança. Este material extra se encontra localizado no par de cromossomos 21, daí o outro nome pelo qual é conhecida, Trissomia do 21. Para confirmar o diagnóstico de síndrome de Down é necessário fazer um exame genético, chamado cariótipo. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>No Brasil, essa é a maior causa de deficiência intelectual, e atinge cerca de 300 mil pessoas. Atualmente, uma em cada 650 crianças nascidas vivas, tem Síndrome de Down. Cerca de 80% das crianças down nascem de mulheres com menos de 35 anos devido à maternidade ser mais comum nessa faixa etária. No entanto, a incidência da síndrome em filhos de mulheres mais velhas é maior. De cada 400 bebês nascidos de mães com mais de 35 anos, um tem a alteração genética. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Dia 21 de março, é celebrado o Dia Internacional da Síndrome de Down. A data foi escolhida pela Associação Down Syndrome International em alusão aos 3 cromossomos no par de número 21 (21/3), que as pessoas com síndrome de down possuem. </li></ul>
  6. 6. <ul><li>O preconceito começa dentro de casa, na cabeça dos próprios familiares.O maior problema é a desinformação. </li></ul><ul><li>Muitos pais não aceitam a condição de seus filhos. </li></ul>
  7. 7. Aprendendo com as Diferenças <ul><li>A pessoa com síndrome de Down é um benefício para todos, porque aponta e promove valores que fazem a sociedade mais digna de chamar-se humana. </li></ul><ul><li>PENSE NISSO. </li></ul>
  8. 8. Entrevista <ul><li>Quando você soube que seu filho tinha sindrome de down? E qual foi sua reação? </li></ul><ul><li>Como você tem encarado a Síndrome de Down? E a deficiência física do bebê? </li></ul>
  9. 9. <ul><li>O que você tem feito para socializar o seu filho? </li></ul><ul><li>Vocês já sofreram preconceito? </li></ul><ul><li>E como é lidar com isso? </li></ul><ul><li>Você tinha preconceitos antes em relação a crianças com Síndrome de Down? </li></ul>
  10. 10. Síndrome de Down hoje <ul><li>Pessoas com síndrome de Down têm apresentado avanços impressionantes e rompido muitas barreiras. Em todo o mundo, e também aqui no Brasil, há pessoas com síndrome de Down estudando, trabalhando, vivendo sozinhas, se casando e até chegando à universidade. A melhor forma de combater o preconceito é através da informação e da inclusão de todas as pessoas, na família, na escola, no mercado de trabalho e na comunidade. </li></ul>
  11. 12. <ul><li>Entrevista realizada na Fundação Perpétua Magalhães na cidade de Caucaia em junho de 2010. </li></ul><ul><li>Recebemos o auxílio da assistente social Marta Menezes para a realização das entrevistas. </li></ul>Equipe: Ana Virgínia Deborah Dayanne Hermilaine Menezes Michele Mesquita

×