UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL
2010
NORMAS DA ABNT PARA
CITAÇÃO E REFERÊNCIAS
Aplicadas à construção do portfó...
“A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu
tamanho original”. Albert Einstein
Sumário
INTRODUÇÃO ..........................................................................................................
II.1. Autor(es):.................................................................................................19
III Co...
INTRODUÇÃO
Para Martins (2000), na elaboração de um trabalho acadêmico devemos fazê-lo
de acordo com normas técnicas, a fi...
DEFINIÇÕES
A citação é a menção de uma determinada informação extraída de outra fonte (NBR
10520, 2002a, p.1), ou seja, é ...
AS CITAÇÕES
Citações reproduzem texto ou pensamento de outra pessoa (HAMMES, 2007, p.24).
No portfólio, as citações devem ...
1. Citação direta
É quando fazemos a transcrição fiel de parte do texto consultado. Não é sempre que
fazemos isso em um tr...
de enfermagem individualizadas, documentação e avaliação do cuidado
(PEREIRA e BACHION, 2005, p.660).
1.3.Omissão em citaç...
entre a 14ª e 20ª semanas de gestação, uma discreta hipertrofia da área
cardíaca, aumento da freqüência cardíaca de 10 a 1...
dos Alienados, no Rio de Janeiro, onde os requisitos para admissão eram “saber ler e escrever
corretamente e conhecer arit...
Em caso de você mencionar nas citações indiretas mais de um texto do mesmo autor,
publicados em anos diferentes, deverá co...
 No final do portfólio você deverá colocar essas informações no capítulo
de referências;
 Para a construção de referênci...
REFERENCIAS
Só devem ser mencionados nas referências as fontes ou os autores que foram
realmente citados no texto. As obra...
I.3. Documento
Qualquer suporte que contenha informação registrada, formando uma unidade, que
possa servir para consulta, ...
I.8. Referências
São constituídas de elementos essenciais e, quando necessário, deverão ser
acrescentados os elementos com...
I.8.1.4 Editora não identificada
Quando a editora não puder ser identificada, deve-se indicar a expressão sine nomine,
abr...
FLORENZANO, Everton. Dicionário de idéias semelhantes. Rio de Janeiro: Ediouro, [1993]. 383
p.
I.8.2.2 Meses de publicação...
I.11. Suplemento
Documento que se adiciona a outro para ampliá-lo ou aperfeiçoá-lo, sendo sua relação
com aquele apenas ed...
II Construindo as referências segundo a autoria
Para a construção de referências você deverá utilizar a norma da ABNT cham...
II.1.c. Autor Desconhecido
Em caso de autoria desconhecida, você deverá colocar a entrada pelo título da
publicação. A pri...
FERRACIN, I.; OLIVEIRA, R.M.W. de. Corrimento vaginal: causa, diagnostico e
tratamento farmacológico. Infarma, v. 17, n. 5...
III Construindo as referências segundo o tipo de obra
III.1. Livro no todo
Seguir este modelo para livros e/ou folhetos (m...
CARVALHO, EC de; BACHION, MM. Processo de enfermagem e sistematização da assistência de
enfermagem – intenção de uso por p...
periódico (artigos científicos de revistas, editoriais, matérias jornalísticas, seções, reportagens
etc.). Exemplo:
MOURA,...
III.8.4. Artigo e/ou matéria de jornal
Incluem comunicações, editorial, entrevistas, recensões, reportagens, resenhas e
ou...
III.10. Evento como um todo em meio eletrônico
As referências devem obedecer aos padrões indicados para evento como um tod...
GUNCHO, M. R. A educação à distância e a biblioteca universitária. In: SEMINÁRIO DE
BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 10., 1998,...
BRASIL. Decreto-lei no 5.452, de 1 de maio de 1943. Lex: coletânea de legislação: edição
federal, São Paulo, v. 7, 1943. S...
III.13.6. Documento jurídico em meio eletrônico:
As referências devem obedecer aos padrões indicados para documento jurídi...
III.15.2. Elementos complementares
Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para
melhor ide...
assunto em discussão. Mensagens trocadas por e-mail têm caráter informal, interpessoal e
efêmero, e desaparecem rapidament...
TURANO, J. C.; TURANO, L. M. Fatores determinantes da oclusão em prótese total. In: ______.
Fundamentos de prótese total. ...
FREYRE, Gilberto. Casa grande & senzala: formação da família brasileira sob regime de
economia patriarcal. Rio de Janeiro:...
REFERENCIAS
ABNT – Associação brasileira de Normas Técnicas. Informação e documentação - Referências
– Elaboração, NBR 602...
185851200 normas-da-abnt-para-citacao-e-referencias-portfolio
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

185851200 normas-da-abnt-para-citacao-e-referencias-portfolio

1.084 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.084
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

185851200 normas-da-abnt-para-citacao-e-referencias-portfolio

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL 2010 NORMAS DA ABNT PARA CITAÇÃO E REFERÊNCIAS Aplicadas à construção do portfólio Sandra L. Felix de Freitas Maria Auxiliadora de Souza Gerk Cristina Brandt Nunes Everton Ferreira Lemos D E P A R T A M E N T O D E E N F E R M A G E M
  2. 2. “A mente que se abre a uma nova idéia jamais voltará ao seu tamanho original”. Albert Einstein
  3. 3. Sumário INTRODUÇÃO ...............................................................................................................4 DEFINIÇÕES ..................................................................................................................5 AS CITAÇÕES.................................................................................................................6 1. Citação direta.....................................................................................................7 1.1. Citação curta ..............................................................................................7 1.2. Citação longa..............................................................................................7 1.3. Omissão em citação ...................................................................................8 1.4. Citação de citação ......................................................................................8 1.5. Destaque em citação..................................................................................9 1.6. Tradução de citação ...................................................................................9 2. Citação indireta................................................................................................10 REFERENCIAS..............................................................................................................13 I Definindo os elementos das referências...........................................................13 I.1. Autor........................................................................................................13 I.2. Capítulo, seção ou parte...........................................................................13 I.3. Documento ..............................................................................................14 I.4. Edição ......................................................................................................14 I.5. Editora .....................................................................................................14 I.6. Monografia ..............................................................................................14 I.7. Publicação periódica ................................................................................14 I.8. Referências ..............................................................................................15 I.9. Separata...................................................................................................17 I.10. Subtítulo ..................................................................................................17 I.11. Suplemento..............................................................................................18 I.12. Título........................................................................................................18 II Construindo as referências segundo a autoria..................................................19
  4. 4. II.1. Autor(es):.................................................................................................19 III Construindo as referências segundo o tipo de obra..........................................22 III.1. Livro no todo............................................................................................22 III.2. Livro no todo em meio eletrônico.............................................................22 III.3. CD-ROM...................................................................................................22 III.4. Obras online.............................................................................................22 III.5. Parte de livro............................................................................................23 III.6. Parte de livro em meio eletrônico ............................................................23 III.7. Trabalhos acadêmicos ..............................................................................23 III.8. Publicação Periódica.................................................................................23 III.9. Evento como um todo ..............................................................................25 III.10. Evento como um todo em meio eletrônico.............................................26 III.11. Trabalho apresentado em evento:..........................................................26 III.12. Trabalho apresentado em evento em meio eletrônico:...........................26 III.13. Documento jurídico:...............................................................................27 III.14. Imagem em movimento: ........................................................................29 III.15. Documento iconográfico: .......................................................................29 III.16. Documento iconográfico em meio eletrônico .........................................30 III.17. Documento de acesso exclusivo em meio eletrônico: .............................30 III.18. Descrição física.......................................................................................31 III.19. Notas:.....................................................................................................32 III.20. Ordenação das referências: ....................................................................32 REFERENCIAS..............................................................................................................34
  5. 5. INTRODUÇÃO Para Martins (2000), na elaboração de um trabalho acadêmico devemos fazê-lo de acordo com normas técnicas, a fim de facilitar a comunicação e o intercambio da informação. No Brasil existe um órgão responsável pela emissão e padronização de todas as normas técnicas brasileiras: a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) (Ibdem). Percebemos que, quando falamos com os alunos que os trabalhos deverão estar de acordo com as normas da ABNT espalha-se um mal estar geral entre os mesmos, pois se imaginam passando horas a fio formatando os seus textos. Mas na verdade seguir as normas da ABNT não complica e sim facilita, além de organizar. “Na prática, a Normalização está presente na fabricação dos produtos, na transferência de tecnologia, na melhoria da qualidade de vida através de normas relativas à saúde, à segurança e à preservação do meio ambiente” (ABNT, 2008). A norma brasileira que padroniza a apresentação de citações em documentos é a NBR-10520, revisada em 2002 e, a que padroniza a elaboração das referencias é a NBR-6023, também revisada em 2002.
  6. 6. DEFINIÇÕES A citação é a menção de uma determinada informação extraída de outra fonte (NBR 10520, 2002a, p.1), ou seja, é um conhecimento que foi produzido por outra pessoa, mas que optamos por utilizá-lo. As referências são um conjunto padronizado de elementos descritivos retirados de um documento, que permite sua identificação individual (ABNT, 2005). As referências podem ser livros, manuais, periódicos, atlas, CDs, DVDs, etc. Trabalho acadêmico é um documento que representa o resultado de estudo, devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser obrigatoriamente emanado da disciplina, módulo, estudo independente, curso, programa e outros ministrados (Ibdem).
  7. 7. AS CITAÇÕES Citações reproduzem texto ou pensamento de outra pessoa (HAMMES, 2007, p.24). No portfólio, as citações devem ser feitas de uma maneira uniforme, segundo critérios da NBR 10520 e elas podem ser diretas ou indiretas. França et al. (2003, p. 109) definem as citações como sendo, [...] trechos transcritos ou informações retiradas das publicações consultadas para a realização do trabalho. São introduzidas no texto com o propósito de esclarecer ou complementar as idéias do autor. A fonte de onde foi extraída a informação deve ser citada obrigatoriamente, respeitando-se desta forma os direitos autorais. Armando Nogueira, jornalista e cronista esportivo brasileiro, que faleceu em 29 de março de 2010, era famoso por suas frases do tipo “Se Pelé não tivesse nascido gente teria nascido bola” também disse: “Copiar o bom é melhor que inventar o ruim”. Isso é uma grande verdade, pois, em sempre que realizamos um trabalho ou projeto, acabamos “copiando ou emprestando parte do conhecimento de outras pessoas” (XAVIER, 2008). O fato de utilizarmos o conhecimento de outros em nosso trabalho não o torna menos valioso, pelo contrário, provamos que existem autores que embasaram o desenvolvimento do nosso trabalho e por este motivo foram consultados. A citação confere credibilidade ao nosso trabalho. Algumas vezes ao estudarmos determinado assunto observamos que alguns autores discordam entre si, e é importante que esses pontos de vistas diferentes sejam relatados. Existem diversas maneiras de se fazer uma citação, são elas:  Citação direta – que podem ser nas seguintes formas: o Curta, o Longa, o Omissão de citação, o Citação de citação, o Destaque em citação, o Tradução de citação;  Citação indireta.
  8. 8. 1. Citação direta É quando fazemos a transcrição fiel de parte do texto consultado. Não é sempre que fazemos isso em um trabalho acadêmico. Esse tipo de citação deverá ser feito quando encontramos uma frase que é muito importante ao nosso trabalho e queremos destacar o pensamento do autor sobre o assunto. A citação direta pode ser curta (com até três linhas) ou longa (com mais de três linhas). 1.1.Citação curta A citação a seguir é curta. Observe que a ela aparece entre aspas duplas e junto ao sobrenome das autoras aparece também o ano de publicação e número da página em que este parágrafo foi encontrado. Está é a regra básica para citações diretas com até três linhas. Exemplo:  O enfermeiro desempenha importante papel no Pré-natal. A sua atuação nos “programas de pré-natal implica seu preparo clínico para identificação de problemas reais e potenciais da gestante, família e comunidade, com vistas ao manejo adequado das diversas situações práticas” (PEREIRA e BACHION, 2005, p.660) 1.2.Citação longa Para a citação longa ou com mais de três linhas é preciso uma formatação diferente, a saber:  Colocá-la em parágrafo distinto;  Fonte menor que a que vem sendo utilizada, por exemplo, se você está usando a fonte Arial 12, fará a citação com Arial 10;  Espaçamento simples entre linhas (para trabalhos digitados);  Recuo de 04 cm da margem esquerda;  Não colocá-la entre aspas. Exemplo:  Os problemas de saúde do cliente quando classificados à luz de uma taxonomia possibilitam a utilização de uma linguagem padronizada para melhor comunicar os fenômenos de interesse da prática da enfermagem, além de nortear a tomada de decisão, seleção de intervenções
  9. 9. de enfermagem individualizadas, documentação e avaliação do cuidado (PEREIRA e BACHION, 2005, p.660). 1.3.Omissão em citação Ainda falando em citações diretas podemos encontrar algumas vezes a omissão em citação, que é um recurso que utilizamos quando não é necessário citar o texto de determinado autor de maneira integral. Para isso devemos ter o cuidado de não alteramos o sentido do texto original. As omissões podem aparecer no início, no fim e no meio de uma citação, indicadas por um sinal de colchetes com reticências ([...]). Este sinal significa que uma parte do texto não foi usada. Veja um exemplo:  As adaptações do organismo materno [...] têm por finalidade proteger o funcionamento do organismo da mulher e preencher as demandas de oxigênio do feto. Assim, [...] observa-se entre a 14ª e 20ª semanas de gestação, uma discreta hipertrofia da área cardíaca, aumento da freqüência cardíaca de 10 a 15 batimentos por minuto. A freqüência respiratória aumenta aproximadamente duas inspirações por minuto, a respiração é predominantemente torácica com aspecto ofegante e de cansaço (NEME, 2000; LOWERMILK; PERRY; BOBAK, 2002 apud PEREIRA e BACHION, 2005, p.661-62). Veja que na citação acima o colchete com reticências aparece no início e no meio do parágrafo. A parte do texto que considerei desnecessária citar foi omitida com o referido sinal. 1.4.Citação de citação Na citação anterior é possível observar também a citação de citação. Ao lermos o parágrafo fica claro que aquele conceito, citado por Pereira e Bachion, no ano de 2005, nas páginas 661 e 662, foi fundamentado em textos de Neme publicado no ano de 2000 e, em Lowermilk, Perry e Bobak, publicado em 2002. Devemos lançar mão deste tipo de citação quando queremos citar uma obra que está indisponível para nós. Se pudermos ter acesso à obra não devemos usar a citação de citação. Esse tipo de citação deve ser indicado por apud ou citado por. Outra maneira de se realizar a citação seria:  De acordo com Neme (2000) e Lowermilk; Perry; Bobak (2002) citados por Pereira e Bachion (2005 p.661-62), algumas das adaptações do organismo materno, [...] têm por finalidade proteger o funcionamento do organismo da mulher e preencher as demandas de oxigênio do feto. Assim, [...] observa-se
  10. 10. entre a 14ª e 20ª semanas de gestação, uma discreta hipertrofia da área cardíaca, aumento da freqüência cardíaca de 10 a 15 batimentos por minuto. A freqüência respiratória aumenta aproximadamente duas inspirações por minuto, a respiração é predominantemente torácica com aspecto ofegante e de cansaço. Abaixo trazemos mais um exemplo de citação de citação:  Segundo Campedelli (1986 apud MARGARIDO, CASTILHO, 2004) a consulta de enfermagem é definida como o conjunto de ações realizadas pelo enfermeiro, em uma sucessão ordenada, para conhecer a situação de saúde da clientela e tomar decisões quanto à assistência a ser prestada, visando mudanças favoráveis à saúde. Observa-se que o autor “Campedelli” foi quem discorreu sobre o assunto, contudo dentro dos parênteses, em CAIXA ALTA aparecem os autores que citaram a obra juntamente com o ano. 1.5.Destaque em citação É um recurso utilizado somente em citações diretas quando queremos destacar ou realçar uma palavra, uma expressão ou uma frase no texto do autor citado. Para isso devemos colocar a parte do texto a ser destacada em negrito, seguida, imediatamente, da expressão grifo meu ou grifo nosso entre parênteses.  Enkin (2005) diz que a prática obstétrica foi lento em adotar as evidências científicas que confirmam a segurança do parto vaginal após cesariana prévia. É difícil explicar o grau de oposição ao parto vaginal após cesariana *...+ “considerando-se a força das evidências de que o parto vaginal após cesariana é, em circunstâncias apropriadas, seguro e eficaz” (ENKIN, 2005, p. 196) (grifo meu). Se o grifo já existe no texto original, devemos manter o destaque indicando sua existência pela expressão grifo do autor ou grifo dos autores, também entre parênteses.  Carvalho (1972) afirma que a enfermagem profissional em nosso meio teve início em 1890, com a criação da Escola Profissional de Enfermeiros e Enfermeiras do Hospital Nacional
  11. 11. dos Alienados, no Rio de Janeiro, onde os requisitos para admissão eram “saber ler e escrever corretamente e conhecer aritmética elementar” (p. 21, grifo da autora). 1.6.Tradução de citação Se você pretende incluir em seu trabalho uma parte do texto que foi traduzido por você não se esqueça de avisar com a seguinte expressão tradução nossa entre parênteses. 2. Citação indireta Citação indireta é a transcrição não literal de uma parte do texto que foi consultado, ou seja, ela é a utilização do conhecimento do autor descrito com a sua interpretação, suas palavras. Este é o tipo de citação que encorajamos, pois estimula o acadêmico a ler com atenção para compreender e gerar conhecimento próprio a partir do conhecimento de outros autores. Para exemplificar, pegamos a primeira citação direta de Pereira e Bachion da página anterior e, após a compreensão da mesma, escrevemos o seu conteúdo com nossas próprias palavras. Neste caso não se coloca entre aspas e indicar o número da página não é necessário. Veja abaixo como fica:  Para que o enfermeiro desenvolva suas atividades no pré-natal faz-se necessário a sua capacitação para que seja capaz de identificar os problemas da gestante, família e comunidade, a fim de planejar suas ações de acordo com os problemas encontrados (PEREIRA e BACHION, 2005). Ou... De acordo com Pereira e Bachion (2005), para que o enfermeiro desenvolva suas atividades no pré-natal faz-se necessário a sua capacitação para que seja capaz de identificar os problemas da gestante, família e comunidade, a fim de planejar suas ações de acordo com os problemas encontrados. Conforme você pode observar, quando indicamos o(s) nome(s) do(s) autor(es) no final da citação ele(s) deve(m) estar em maiúscula. Se o(s) colocarmos no início da citação somente a primeira letra do sobrenome deverá estar em maiúscula.
  12. 12. Em caso de você mencionar nas citações indiretas mais de um texto do mesmo autor, publicados em anos diferentes, deverá colocar os anos separados por vírgula. Exemplo:  A enfermeira desempenha um papel importante na atenção pré-natal, pois atua na transmissão de apoio, orientações e confiança a fim de fortalecer a gestante e ela possa conduzir com mais autonomia a gestação e o parto (FREITAS, 2008, 2009). Na citação de um texto com mais de três autores você deverá escrever o sobrenome do primeiro autor acompanhado pela expressão et al. Exemplo:  O diagnóstico e o tratamento das vulvovaginites em gestantes devem ser rápidos e eficazes por causa da possibilidade de ocorrência de um grande número de complicações à gestação, ao parto, ao puerpério e ao recém-nascido (TRISTÃO et al., 2003). Quando os sobrenomes dos autores forem semelhantes, você deverá acrescentar as iniciais de seus prenomes. No caso de persistência de coincidência coloque os prenomes por extenso, até desfazer a coincidência. Exemplos:  Autores: Maria Geralda Silva e Mario Ernesto Silva - Nas citações você deverá colocar: SILVA, M.G. e SILVA, M.E. Nos casos em que as iniciais dos prenomes dos autores também forem coincidentes:  Autores: Fernanda Santos e Fabrício Santos – Colocar nas citações: SANTOS, Fernanda e SANTOS, Fabrício. Importante: Para fazer uma citação indireta você deve:  Ler o texto original mais de uma vez e atenciosamente, até que consiga escrevê-lo com as suas palavras;  Não usar aspas nas citações indiretas;  Indicar os seguintes dados referentes à fonte: sobrenome do autor seguido do ano de publicação da obra.  Caso a citação seja oriunda de um livro, deverá ser indicado o sobrenome do autor do capítulo e ano de publicação;
  13. 13.  No final do portfólio você deverá colocar essas informações no capítulo de referências;  Para a construção de referência de livro em que foi utilizado um capítulo do mesmo – colocar o sobrenome do autor, seguido pelas iniciais do prenome; nome do capitulo; e bem seguida as informações referentes á obra. Exemplo:  ZDANUK, J.L. Avaliação de Saúde. In: LOWDERMILK, D.L. et al. O cuidado em enfermagem materna. 5.ed. Porto alegre: Artmed Editora, 2002.
  14. 14. REFERENCIAS Só devem ser mencionados nas referências as fontes ou os autores que foram realmente citados no texto. As obras que foram consultadas, porém não foram citadas não deverão fazer parte da lista de referências e sim de outra lista com o título: FONTES CONSULTADAS. Você poderá incluir, também, uma lista de obras com o titulo: BIBLIOGRAFIA RECOMEDADA onde você registra outras referências que servirão para aprofundamento do assunto. As referências são um conjunto padronizado de elementos descritivos e minuciosos, retirados de um documento, que permite sua identificação individual. A lista com as referências deverá aparecer no final de cada estudo individual do portfólio. Voltando à linha de pensamento de Armando Nogueira (página___) gostaria de lembrar-lhe que não é feio copiar um texto de alguém para fundamentar o seu próprio conhecimento. Feio é deixar de citar o autor do texto copiado, ou seja, apropriar-e do conteúdo alheio como se seu fosse. Todas as pessoas gostam de receber créditos e ficam satisfeitas quando ficam sabendo que um conteúdo seu foi útil para outras pessoas. A maneira de descobrir que o seu conteúdo foi útil a alguém é por meio das citações e referências. I Definindo os elementos das referências Segundo a NBR 6023 (ABNT, 2002b): I.1. Autor Pessoa física ou entidade responsável pela criação do conteúdo intelectual ou artístico de um documento. I.2. Capítulo, seção ou parte É a divisão de um documento, seja ele numerado ou não.
  15. 15. I.3. Documento Qualquer suporte que contenha informação registrada, formando uma unidade, que possa servir para consulta, estudo ou prova. Inclui impressos, manuscritos, registros audiovisuais, sonoros, magnéticos e eletrônicos, entre outros. I.4. Edição Todos os exemplares produzidos a partir de um original ou matriz. Pertencem à mesma edição de uma obra todas as suas impressões, reimpressões, tiragens etc., produzidas diretamente ou por outros métodos, sem modificações, independentemente do período decorrido desde a primeira publicação. I.5. Editora Empresa, pessoa(s) ou instituição responsável pela produção editorial. Conforme o suporte documental, outras denominações são utilizadas: produtora (para imagens em movimento), gravadora (para registros sonoros), entre outras. NOTA - Não confundir com a designação do editor, utilizada para indicar o responsável intelectual ou científico que atua na reunião de artigos para uma revista, jornal etc. ou que coordena ou organiza a preparação de coletâneas. I.6. Monografia Item não seriado, isto é, item completo, constituído de uma só parte, ou que se pretende completar em um número preestabelecido de partes separadas. I.7. Publicação periódica Publicação em qualquer tipo de suporte, editada em unidades físicas sucessivas, com designações numéricas e/ou cronológicas e destinada a ser continuada indefinidamente. Exemplos de periódicos de enfermagem:  Acta Paulista de Enfermagem;  Nursing;  Pediatric Nursing;  Revista Brasileira de Enfermagem;  Revista da Escola de Enfermagem da USP;  Revista Eletrônica de Enfermagem.
  16. 16. I.8. Referências São constituídas de elementos essenciais e, quando necessário, deverão ser acrescentados os elementos complementares. Os elementos de referência bibliográfica de documentos (livros, textos, periódicos, anais de congressos, folhetos etc.) considerados no todo ou em parte devem ser retirados sempre que for possível da folha de rosto da obra consultada. Dividem-se em essenciais e complementares. I.8.1 Elementos essenciais das referências São informações indispensáveis à identificação do documento. Estão estritamente ligados ao suporte documental e variam, portanto, conforme o tipo de documento. Ex.: autor, título, local, editora, data de publicação, página inicial e final (quando se tratar de capítulos ou partes de um documento). I.8.1.1 Homônimos No caso de homônimos de cidades (que possuem o mesmo nome), acrescenta-se o nome do estado, do país etc. Exemplos:  Batalha (AL), Batalha (PI), Valença (RJ), Valença (BA) e Valença (PI). I.8.1.2 Editora: O nome da editora deve ser indicado tal como figura no documento, abreviando-se os prenomes e suprimindo-se palavras que designam a natureza jurídica ou comercial, desde que sejam dispensáveis para identificação. Exemplo: ALMEIDA, AB. Higiene feminina. In: HALBE, H.W. Tratado de ginecologia. 3. ed. São Paulo: Roca, 2000. p. 109. CARPENITO-MOYET LJ. Manual de diagnóstico de enfermagem. 11 ed. Porto Alegre: Artmed, 2008. I.8.1.3 Quando houver duas editoras Indicam-se ambas, com seus respectivos locais (cidades). Se as editoras forem três ou mais, indica-se a primeira ou a que estiver em destaque. Exemplo: ALFONSO-GOLDFARB, Ana Maria; MAIA, Carlos A. (Coord.) História da ciência: o mapa do conhecimento. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura; São Paulo: EDUSP, 1995. 968 p. (América 500 anos, 2).
  17. 17. I.8.1.4 Editora não identificada Quando a editora não puder ser identificada, deve-se indicar a expressão sine nomine, abreviada, entre colchetes [s.n.]. Exemplo: FRANCO, I. Discursos: de outubro de 1992 a agosto de 1993. Brasília, DF: [s.n.], 1993. 107 p. I.8.1.5 Local e editor não identificados Quando o local e o editor não puderem ser identificados na publicação, utilizam-se ambas as expressões, abreviadas e entre colchetes [S.l.: s.n.]. Exemplo: GONÇALVES, F. B. A história de Mirador. [S.l.: s.n.], 1993. I.8.1.6 Editora e Instituição autora são os mesmos Quando a editora é a mesma instituição ou pessoa responsável pela autoria e já tiver sido mencionada, não é indicada. Exemplo: UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. Catálogo de graduação, 1994-1995. Viçosa, MG, 1994. 385 p. I.8.2 Data da publicação A data de publicação deve ser indicada em algarismos arábicos. Exemplo: NEME, B. Obstetrícia Básica. 3 ed. São Paulo: Sarvier, 2006. I.8.2.1 Sem data de publicação Se nenhuma data de publicação, distribuição, copirraite, impressão etc.: puder ser determinada, registra-se uma data aproximada entre colchetes, conforme indicado nos exemplos que se seguem [1971 ou 1972] um ano ou outro [1969?] data provável [1973] data certa, não indicada no item [entre 1906 e 1912] use intervalos menores de 20 anos [ca. 1960] data aproximada [197-] década certa [197-?] década provável [18--] século certo [18--?] século provável
  18. 18. FLORENZANO, Everton. Dicionário de idéias semelhantes. Rio de Janeiro: Ediouro, [1993]. 383 p. I.8.2.2 Meses de publicação Os meses devem ser indicados de forma abreviada, no idioma original da publicação. Exemplos: SANTOS, PA dos; RODRIGUES, J de A; GARCIA, Patricia, PNS. Conhecimento sobre prevenção de carie e doença periodontal e comportamento de higiene bucal de professores de ensino fundamental. Cienc Odontol Bras., 2003 jan./mar.; 6 (1): 67-74. I.8.2.3 Estações do ano Se a publicação indicar, em lugar dos meses, as estações do ano ou as divisões do ano em trimestres, semestres etc., transcrevem-se os primeiros tais como figuram no documento e abreviam-se os últimos. Exemplos: MANSILLA, H. C. F. La controversia entre universalismo y particularismo en la filosofía de la cultura. Revista Latinoamericana de Filosofía, Buenos Aires, v. 24, n. 2, primavera 1998. I.8.3 Elementos complementares das referências São informações que, acrescentadas aos elementos essenciais, permitem melhor caracterizar o documento. Ex.: edição, editor, páginas, porte físico, ilustrações, dimensões, série. Todos estes elementos juntos permitem caracterizar, localizar e datar publicações referenciadas em bibliografias, resumos e/ou recensões. I.9. Separata Publicação de parte de um trabalho (artigo de periódico, capítulo de livro, colaborações em coletâneas etc.), mantendo exatamente as mesmas características tipográficas e de formatação da obra original, que recebe uma capa, com as respectivas informações que a vinculam ao todo, e a expressão “Separata de” em evidência. As separatas são utilizadas para distribuição pelo próprio autor da parte, ou pelo editor. I.10. Subtítulo Informações apresentadas em seguida ao título, visando esclarecê-lo ou complementá- lo, de acordo com o conteúdo do documento.
  19. 19. I.11. Suplemento Documento que se adiciona a outro para ampliá-lo ou aperfeiçoá-lo, sendo sua relação com aquele apenas editorial e não física, podendo ser editado com periodicidade e/ou numeração própria. I.12. Título Palavra, expressão ou frase que designa o assunto ou o conteúdo de um documento.
  20. 20. II Construindo as referências segundo a autoria Para a construção de referências você deverá utilizar a norma da ABNT chamada NBR 6023. Os elementos essenciais e complementares que constituem a referência devem ser apresentados em sequência padronizada. As referências deverão ser alinhadas somente à margem esquerda e não com margens justificadas. A seguir colocaremos as formas de entrada segundo o numero de autores, de obras e exemplos de referências. Segundo a NBR 6023 (ABNT, 2002): II.1. Autor(es): II.1.a. Pessoa(s) física(s) Pessoa(s) responsável(eis) pela criação do conteúdo intelectual ou artístico de um documento. Para indicação da forma correta de entrada de nomes, pessoais e/ou de entidades, deve ser utilizado o Código de Catalogação Anglo-Americano vigente. Indica(m)-se o(s) autor(es), de modo geral, pelo último sobrenome, em maiúsculas, seguido do(s) prenome(s) e outros sobrenomes, abreviado(s) ou não. Recomenda-se, tanto quanto possível, o mesmo padrão para abreviação de nomes e sobrenomes, usados na mesma lista de referências. Os nomes devem ser separados por ponto-e-vírgula, seguido de espaço. Exemplos: ARANTES, Sandra Lucia. FREITAS, Sandra L. Felix de. GERK, Maria Auxiliadora de Souza. II.1.b. Entidade(s) ou Instituição: Instituição(ões), organização(ões), empresa(s), comitê(s), comissão(ões), evento(s), entre outros, responsável(eis) por publicações em que não se distingue autoria pessoal. Exemplos: BRASIL. CONSELHO FEDERAL DE ENFERMAGEM
  21. 21. II.1.c. Autor Desconhecido Em caso de autoria desconhecida, você deverá colocar a entrada pelo título da publicação. A primeira palavra deve ser impressa em letras maiúsculas. Exemplo: SAÚDE da Mulher. II.1.d. Editores literários, compiladores, coordenadores ou organizadores Obras elaboradas por vários autores, que possuam um responsável intelectual (organizador, coordenador etc), são referenciados pelo nome desse(s) autor(es), seguido(s) da abreviatura pertinente, no singular. Exemplo: CHIANCA, Tânia Couto Machado; ANTUNES, Maria José Moraes, orgs. A classificaçao internacional das práticas de enfermagem em saúde coletiva - CIPESC. Brasília: Associaçao Brasileira de Enfermagem, 1999. 355 p. II.1.e. Um autor Inicia-se pelo último sobrenome em letras maiúsculas, seguido dos prenomes. Exemplo: BARBARO, Luisa. Vulvovaginite micotica e batterica. La Colposcopia in Itália, ano 19, n. 2, p. 18-27, 2003. II.1.f. Sobrenomes ligados por hífens Você deverá manter o hífen. Exemplo: ALFARO-LEFREVE, Rosalinda. Aplicação do processo de enfermagem: promoção do cuidado colaborativo. Tradução de Regina Garcez. 5. ed. Porto Alegre, RS: Artmed, 2005. II.1.g. Sobrenomes com indicação de parentesco Você deverá manter. Exemplos: BRESSAN FILHO, Nelson Pedro. Modificações gravídicas locais. In: NEME, B. Obstetrícia básica. Sao Paulo: Sarvier, 2000. p. 37-42. FRIEDRICH JUNIOR, E.G. Current perspectives in candidal vulvovaginitis. Am J Obstet Gynecol., v. 158, n. 4, p. 985, 1988. II.1.h. Até três autores Mencionam-se os nomes de todos na mesma ordem em que aparecem na publicação, separados por ponto e vírgula. Exemplos:
  22. 22. FERRACIN, I.; OLIVEIRA, R.M.W. de. Corrimento vaginal: causa, diagnostico e tratamento farmacológico. Infarma, v. 17, n. 5-6, p. 82-86, 2005. PEREIRA, S.V.M; BACHION, M.M. Diagnósticos de Enfermagem identificados em gestantes durante o pré-natal. Rev Bras Enferm. v.58, n.6, p.659-64, 2005. FREITAS, S.L.F. de; ARANTES, S.L.; BARROS, S.M.O. Role of the obstetric nurse in the Anhanguera community, Campo Grande (MS), for the prevention of cervical uterine cancer. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirao Preto, v. 6, n. 2, p. 57-64, 1998. II.1.i. Mais de três autores Indica-se apenas o primeiro, seguido da expressão em latim et al. que significa “e outros”. Exemplos: GALVAO, C.M. et al. A pratica baseada em evidencias: considerações teóricas para sua implementação na enfermagem pré-operatória. Rev. Latino-Am. Enfermagem, v. 10, n. 5, p. 690-695, 2002. TRISTAO, A. da R. et al. Infecções do trato genital inferior e gravidez. Femina, v. 31, n. 8, p.679-695, 2003.
  23. 23. III Construindo as referências segundo o tipo de obra III.1. Livro no todo Seguir este modelo para livros e/ou folhetos (manual, guia, catálogo, enciclopédia, dicionário etc.) e trabalhos acadêmicos (teses, dissertações, entre outros). Os elementos essenciais são: autor(es), título, edição, local, editora e data de publicação. Exemplo: NEME, B. Obstetrícia Básica. 3 ed. São Paulo: Sarvier, 2006. Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Exemplo: NEME, B. Obstetrícia Básica. 3 ed. São Paulo: Sarvier, 2006. 1379p. ISBN: 8573781602. Nota: ISBN - International Standard Book Number - é um sistema internacional padronizado que identifica numericamente os livros segundo o título, o autor, o país, a editora, individualizando-os inclusive por edição. III.2. Livro no todo em meio eletrônico Inclui os mesmos informações do modelo anterior, em meio eletrônico (disquetes, CD- ROM, online etc.). III.3. CD-ROM As referências devem obedecer aos padrões indicados para os documentos monográficos no todo, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico. Exemplo: KOOGAN, André; HOUAISS, Antonio (Ed.). Enciclopédia e dicionário digital 98. Direção geral de André Koogan Breikmam. São Paulo: Delta: Estadão, 1998. 5 CD-ROM. III.4. Obras online Quando se tratar de obras consultadas online, também são essenciais as informações sobre o endereço eletrônico, apresentado entre os sinais < >, precedido da expressão Disponível em: e a data de acesso ao documento, precedida da expressão “Acesso em”, opcionalmente acrescida dos dados referentes a hora, minutos e segundos. NOTA – Não se recomenda referenciar material eletrônico de curta duração nas redes. Exemplo:
  24. 24. CARVALHO, EC de; BACHION, MM. Processo de enfermagem e sistematização da assistência de enfermagem – intenção de uso por profissionais de enfermagem. Rev. Eletr. Enf. [Internet]. v. 11, n.3, p.466, 2009. Disponível em <http://www.fen.ufg.br/revista/v11/n3/v11n3a01.htm> Acesso em 13 fev 2010, 15:30:26. III.5. Parte de livro Inclui capítulo, volume, fragmento e outras partes de uma obra, com autor(es) e/ou título próprios. Os elementos essenciais desta referência são: autor(es), título da parte, seguidos da expressão “In:”, e da referência completa da monografia (ou libro) no todo. No final da referência, deve-se informar a paginação ou outra forma de individualizar a parte referenciada. Exemplos: VICOSA, G. R. Grupos com gestantes. In ZIMERMAN, D. E.; OSORIO, L. C. Como Trabalhamos com Grupos. Porto Alegre: Artes Médicas, 1997. RICCI, SS. Conduta de enfermagem durante a gravidez. In: ______. Enfermagem materno- neonatal e saúde da mulher. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2008, p.215-261. Nota: No caso acima a linha logo após o termo “In” (______) nos diz que o autor da obra é o mesmo autor do capítulo. Observe que a parte em destaque (negritada) é o nome da obra e não do capítulo. III.6. Parte de livro em meio eletrônico As referências devem obedecer aos padrões indicados para partes de monografias, de acordo com III.3.3, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, você deverá proceder conforme o item 4. III.7. Trabalhos acadêmicos Para referenciar os trabalhos acadêmicos (teses, dissertações, entre outros) você deverá seguir o mesmo modelo para livros. Os elementos essenciais são: autor(es), título, edição, local, editora e data de publicação. Exemplo: FREITAS, S.L.F de. Ocorrência das vulvovaginites em gestantes de baixo risco. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Centro de Ciências Biológicas e da Saúde. Campo Grande, MS, 2008. III.8. Publicação Periódica Inclui a coleção como um todo, fascículo ou número de revista, número de jornal, caderno etc. na íntegra, e a matéria existente em um número, volume ou fascículo de
  25. 25. periódico (artigos científicos de revistas, editoriais, matérias jornalísticas, seções, reportagens etc.). Exemplo: MOURA, ERF; LINARD, AG; ARAUJO, TL de. Diagnostico de enfermagem em gestante: estudo de caso. Ciência, Cuidado e Saúde. Maringá, v. 3, n. 2, p. 129-135, mai./ago. 2004.Publicação periódica como um todo III.8.1. Partes de revista, boletim etc. Inclui volume, fascículo, números especiais e suplementos, entre outros, sem título próprio. Os elementos essenciais são: título da publicação, local de publicação, editora, numeração do ano e/ou volume, numeração do fascículo, informações de períodos e datas de sua publicação. Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. III.8.2. Artigo e/ou matéria de revista, boletim etc. Inclui partes de publicações periódicas (volumes, fascículos, números especiais e suplementos, com título próprio), comunicações, editorial, entrevistas, recensões, reportagens, resenhas e outros. Os elementos essenciais são: autor(es), título da parte, artigo ou matéria, título da publicação, local de publicação, numeração correspondente ao volume e/ou ano, fascículo ou número, paginação inicial e final, quando se tratar de artigo ou matéria, data ou intervalo de publicação e particularidades que identificam a parte (se houver). Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Exemplo: COSTA, V. R. À margem da lei: o Programa Comunidade Solidária. Em Pauta: revista da Faculdade de Serviço Social da UERJ, Rio de Janeiro, n. 12, p. 131-148, 1998. III.8.3. Artigo e/ou matéria de revista, boletim etc. em meio eletrônico As referências devem obedecer aos padrões indicados para artigo e/ou matéria de revista, boletim etc., de acordo com ítem b, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme 4. Exemplo: SILVA, M. M. L. Crimes da era digital. .Net, Rio de Janeiro, nov. 1998. Seção Ponto de Vista. Disponível em: <http://www.brazilnet.com.br/contexts/brasilrevistas.htm>. Acesso em: 28 nov. 1998.
  26. 26. III.8.4. Artigo e/ou matéria de jornal Incluem comunicações, editorial, entrevistas, recensões, reportagens, resenhas e outros. Os elementos essenciais são: autor(es) (se houver), título, título do jornal, local de publicação, data de publicação, seção, caderno ou parte do jornal e a paginação correspondente. Quando não houver seção, caderno ou parte, a paginação do artigo ou matéria precede a data. Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Exemplo: PAIVA, Anabela. Trincheira musical: músico dá lições de cidadania em forma de samba para crianças e adolescentes. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, p. 2, 12 jan. 2002. III.8.5. Artigo e/ou matéria de jornal em meio eletrônico As referências devem obedecer aos padrões indicados para artigo e/ou matéria de jornal, de acordo com 5.5, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme III.11.2. Exemplo: KELLY, R. Electronic publishing at APS: its not just online journalism. APS News Online, Los Angeles, Nov. 1996. Disponível em: <http://www.aps.org/apsnews/1196/11965.html>. Acesso em: 25 nov. 1998. III.9. Evento como um todo Inclui o conjunto dos documentos reunidos num produto final do próprio evento (atas, anais, resultados, proceedings, entre outras denominações). Os elementos essenciais são: nome do evento, numeração (se houver), ano e local (cidade) de realização. Em seguida, deve-se mencionar o título do documento (anais, atas, tópico temático etc.), seguido dos dados de local de publicação, editora e data da publicação. Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Exemplo: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE QUÍMICA, 20.,1997, Poços de Caldas. Química: academia, indústria, sociedade: livro de resumos. São Paulo: Sociedade Brasileira de Química, 1997.
  27. 27. III.10. Evento como um todo em meio eletrônico As referências devem obedecer aos padrões indicados para evento como um todo, de acordo com 6.1 e 6.2, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme III.11.2. Exemplo: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe, 4., 1996, Recife. Anais eletrônicos... Recife: UFPe, 1996. Disponível em: <http://www.propesq.ufpe.br/anais/anais.htm>. Acesso em: 21 jan. 1997. III.11. Trabalho apresentado em evento: Inclui trabalhos apresentados em evento (parte do evento). III.11.1. Elementos essenciais de trabalho apresentado em evento: Os elementos essenciais dos trabalhos apresentados em eventos são: autor(es), título do trabalho apresentado, seguido da expressão In:, nome do evento, numeração do evento (se houver), ano e local (cidade) de realização, título do documento (anais, atas, tópico temático etc.), local, editora, data de publicação e página inicial e final da parte referenciada. Exemplo: SOUZA, L. S.; BORGES, A. L.; REZENDE, J. O. Influência da correção e do preparo do solo sobre algumas propriedades químicas do solo cultivado com bananeiras. In: REUNIÃO BRASILEIRA DE FERTILIDADE DO SOLO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS, 21., 1994, Petrolina. Anais... Petrolina: EMBRAPA, CPATSA, 1994. p. 3-4. III.11.2. Elementos complementares de trabalho apresentado em evento: Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Exemplo: MARTIN NETO, L.; BAYER, C.; MIELNICZUK, J. Alterações qualitativas da matéria orgânica e os fatores determinantes da sua estabilidade num solo podzólico vermelho-escuro em diferentes sistemas de manejo. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE CIÊNCIA DO SOLO, 26., 1997, Rio de Janeiro. Resumos... Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de Ciência do Solo, 1997. p. 443, ref. 6- 141. III.12. Trabalho apresentado em evento em meio eletrônico: As referências devem obedecer aos padrões indicados para trabalhos apresentados em evento, de acordo com III.9.1 e III.9.2, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme III.11.2. Exemplos:
  28. 28. GUNCHO, M. R. A educação à distância e a biblioteca universitária. In: SEMINÁRIO DE BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS, 10., 1998, Fortaleza. Anais... Fortaleza: Tec Treina, 1998. 1 CD- ROM. SILVA, R. N.; OLIVEIRA, R. Os limites pedagógicos do paradigma da qualidade total na educação. In: CONGRESSO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UFPe, 4., 1996, Recife. Anais eletrônicos... Recife: UFPe, 1996. Disponível em: <http://www. propesq. ufpe.br/anais/anais/educ/ce04.htm>. Acesso em: 21 jan. 1997. SABROZA, P. C. Globalização e saúde: impacto nos perfis epidemiológicos das populações. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EPIDEMIOLOGIA, 4., 1998, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos... Rio de Janeiro: ABRASCO, 1998. Mesa-redonda. Disponível em: <http://www.abrasco.com.br/epirio98/>. Acesso em: 17 jan. 1999. KRZYZANOWSKI, R. F. Valor agregado no mundo da informação: um meio de criar novos espaços competitivos a partir da tecnologia da informação e melhor satisfazer às necessidades dos clientes/usuários. In: CONGRESSO REGIONAL DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIAS DA SAÚDE, 3., 1996, Rio de Janeiro. Interligações da tecnologia da informação: um elo futuro. Disponível em: <http://www.bireme.br/cgibin/crics3/texto?titulo= VALOR+AGREGADO+NO+MUNDO>. Acesso em: 26 jan. 1999. III.13. Documento jurídico: Inclui legislação, jurisprudência (decisões judiciais) e doutrina (interpretação dos textos legais). III.13.1. Legislação Compreende a Constituição, as emendas constitucionais e os textos legais infraconstitucionais (lei complementar e ordinária, medida provisória, decreto em todas as suas formas, resolução do Senado Federal) e normas emanadas das entidades públicas e privadas (ato normativo, portaria, resolução, ordem de serviço, instrução normativa, comunicado, aviso, circular, decisão administrativa, entre outros). III.13.2. Elementos essenciais da legislação Os elementos essenciais são: jurisdição (ou cabeçalho da entidade, no caso de se tratar de normas), título, numeração, data e dados da publicação. No caso de Constituições e suas emendas, entre o nome da jurisdição e o título, acrescenta-se a palavra Constituição, seguida do ano de promulgação, entre parênteses. Exemplos: SÃO PAULO (Estado). Decreto no 42.822, de 20 de janeiro de 1998. Lex: coletânea de legislação e jurisprudência, São Paulo, v. 62, n. 3, p. 217-220, 1998. BRASIL. Medida provisória no 1.569-9, de 11 de dezembro de 1997. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, DF, 14 dez. 1997. Seção 1, p. 29514.
  29. 29. BRASIL. Decreto-lei no 5.452, de 1 de maio de 1943. Lex: coletânea de legislação: edição federal, São Paulo, v. 7, 1943. Suplemento. BRASIL. Código civil. 46. ed. São Paulo: Saraiva, 1995. III.13.3. Elementos complementares da legislação Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Exemplos: SÃO PAULO (Estado). Decreto no 42.822, de 20 de janeiro de 1998. Dispõe sobre a desativação de unidades administrativas de órgãos da administração direta e das autarquias do Estado e dá providências correlatas. Lex: coletânea de legislação e jurisprudência, São Paulo, v. 62, n. 3, p. 217-220, 1998. III.13.4. Jurisprudência (decisões judiciais) Compreende súmulas, enunciados, acórdãos, sentenças e demais decisões judiciais. 13.4.1.1. Os elementos essenciais da jurisprudência São jurisdição e órgão judiciário competente, título (natureza da decisão ou ementa) e número, partes envolvidas (se houver), relator, local, data e dados da publicação. Exemplos: BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula no 14. In: ______. Súmulas. São Paulo: Associação dos Advogados do Brasil, 1994. p.16. 13.4.1.2. Elementos complementares Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Exemplos: BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula nº14. Não é admissível por ato administrativo restringir, em razão de idade, inscrição em concurso para cargo público. In: ______. Súmulas. São Paulo: Associação dos Advogados do Brasil, 1994. p. 16. III.13.5. Doutrina Inclui toda e qualquer discussão técnica sobre questões legais (monografias, artigos de periódicos, papers etc.), referenciada conforme o tipo de publicação. Exemplo: BARROS, Raimundo Gomes de. Ministério Público: sua legitimação frente ao Código do Consumidor. Revista Trimestral de Jurisprudência dos Estados, São Paulo, v. 19, n. 139, p. 53- 72, ago. 1995.
  30. 30. III.13.6. Documento jurídico em meio eletrônico: As referências devem obedecer aos padrões indicados para documento jurídico, de acordo com III.19.1 a III.19.3, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme III.11.2. Exemplo: BRASIL. Lei no 9.887, de 7 de dezembro de 1999. Altera a legislação tributária federal. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 8 dez. 1999. Disponível em: <http://www.in.gov.br/mp_leis/leis_texto.asp?ld=LEI%209887>. Acesso em: 22 dez. 1999. III.14. Imagem em movimento: Incluem filmes, videocassetes, DVD, entre outros. Os elementos essenciais são: título, diretor, produtor, local, produtora, data e especificação do suporte em unidades físicas. Exemplo: OS PERIGOS do uso de tóxicos. Produção de Jorge Ramos de Andrade. São Paulo: CERAVI, 1983. 1 videocassete. Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Exemplos: OS PERIGOS do uso de tóxicos. Produção de Jorge Ramos de Andrade. Coordenação de Maria Izabel Azevedo. São Paulo: CERAVI, 1983. 1 videocassete (30 min), VHS, son., color. CENTRAL do Brasil. Direção: Walter Salles Júnior. Produção: Martire de Clermont-Tonnerre e Arthur Cohn. Intérpretes: Fernanda Montenegro; Marilia Pera; Vinicius de Oliveira; Sônia Lira; Othon Bastos; Matheus Nachtergaele e outros. Roteiro: Marcos Bernstein, João Emanuel Carneiro e Walter Salles Júnior. [S.l.]: Le Studio Canal; Riofilme; MACT Productions, 1998. 1 bobina cinematográfica (106 min), son., color., 35 mm III.15. Documento iconográfico: Inclui pintura, gravura, ilustração, fotografia, desenho técnico, diapositivo, diafilme, material estereográfico, transparência, cartaz entre outros. III.15.1. Elementos essenciais: Os elementos essenciais de um documento iconográfico são: autor, título (quando não existir, deve-se atribuir uma denominação ou a indicação Sem título, entre colchetes), data e especificação do suporte. Podem-se indicar as ilustrações de qualquer natureza pela abreviatura il.; para ilustrações coloridas, usar il. color. Exemplos: KOBAYASHI, K. Doença dos Xavantes. 1980. 1 fotografia.
  31. 31. III.15.2. Elementos complementares Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Exemplos: KOBAYASHI, K. Doença dos xavantes. 1980. 1 fotografia, color., 16 cm x 56 cm. FRAIPONT, E. Amilcar II. O Estado de S. Paulo, São Paulo, 30 nov. 1998. Caderno 2, Visuais. p. D2. 1 fotografia, p&b. Foto apresentada no Projeto ABRA/Coca-cola. III.16. Documento iconográfico em meio eletrônico As referências devem obedecer aos padrões indicados para documento iconográfico, de acordo com 10.a e 10.b, acrescidas das informações relativas à descrição física do meio eletrônico (disquetes, CD-ROM, online etc.). Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme III.11.2. Exemplos: VASO.TIFF. 1999. Altura: 1083 pixels. Largura: 827 pixels. 300 dpi. 32 BIT CMYK. 3.5 Mb. Formato TIFF bitmap. Compactado. Disponível em: <C:CarolVASO.TIFF>. Acesso em: 28 out. 1999. III.17. Documento de acesso exclusivo em meio eletrônico: Inclui bases de dados, listas de discussão, BBS (site), arquivos em disco rígido, programas, conjuntos de programas e mensagens eletrônicas entre outros. III.17.1. Os elementos essenciais São: autor(es), título do serviço ou produto, versão (se houver) e descrição física do meio eletrônico. Quando se tratar de obras consultadas online, proceder-se-á conforme III.11.2. NOTA – No caso de arquivos eletrônicos, acrescentar a respectiva extensão à denominação atribuída ao arquivo. Exemplos: MICROSOFT Project for Windows 95. Version 4.1. [S.l.]: Microsoft Corporation, 1995. 1 CD- ROM. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central. Normas.doc. Curitiba, 1998. 5 disquetes. III.17.2. Elementos complementares Quando necessário, acrescentam-se elementos complementares à referência para melhor identificar o documento. Exemplos: NOTA - As mensagens que circulam por intermédio do correio eletrônico devem ser referenciadas somente quando não se dispuser de nenhuma outra fonte para abordar o
  32. 32. assunto em discussão. Mensagens trocadas por e-mail têm caráter informal, interpessoal e efêmero, e desaparecem rapidamente, não sendo recomendável seu uso como fonte científica ou técnica de pesquisa. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Biblioteca Central. Normas.doc: normas para apresentação de trabalhos. Curitiba, 1998. 5 disquetes, 3 ½ pol. Word for Windows 7.0. III.18. Descrição física Pode-se registrar o número da última página, folha ou coluna de cada seqüência, respeitando-se a forma encontrada (letras, algarismos romanos e arábicos). Exemplos: LUCCI, E. A. Viver e aprender: estudos sociais, 3: exemplar do professor. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 1994. 96, 7 p. FELIPE, Jorge Franklin Alves. Previdência social na prática forense. 4. ed. Rio de Janeiro: Forense, 1994. viii, 236 p. JAKUBOVIC, J.; LELLIS, M. Matemática na medida certa, 8. série: livro do professor. 2. ed. São Paulo: Scipione, 1994. 208, xxi p. III.18.1. Volume único Quando o documento for constituído de apenas uma unidade física, ou seja, um volume, indica-se o número total de páginas ou folhas, seguido da abreviatura p. ou f. NOTA – A folha é composta de duas páginas: anverso e verso. Alguns trabalhos, como teses e dissertações, são impressos apenas no anverso e, neste caso, indica-se f. Exemplos: PIAGET, Jean. Para onde vai a educação. 7. ed. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1980. 500 p. TABAK, F. A lei como instrumento de mudança social. Fortaleza: Fundação Waldemar Alcântara, 1993. 17 f. III.18.2. Mais de um volume Quando o documento for publicado em mais de uma unidade física, ou seja, mais de um volume, indica-se a quantidade de volumes, seguida da abreviatura v. Exemplo: TOURINHO FILHO, F. C. Processo penal. 16. ed. rev. e atual. São Paulo: Saraiva, 1994. 4 v. III.18.3. Parte de uma publicação Quando se referenciarem partes de publicações, mencionam-se os números das folhas ou páginas inicial e final, precedidos da abreviatura f. ou p., ou indica-se o número do volume, precedido da abreviatura v., ou outra forma de individualizar a parte referenciada. Exemplos: REGO, L. L. B. O desenvolvimento cognitivo e a prontidão para a alfabetização. In: CARRARO, T. N. (Org.). Aprender pensando. 6.ed. Petrópolis: Vozes, 1991. p. 31-40.
  33. 33. TURANO, J. C.; TURANO, L. M. Fatores determinantes da oclusão em prótese total. In: ______. Fundamentos de prótese total. 4. ed. São Paulo: Quintessence, 1998. cap. 13. III.18.4. Publicação não paginada Quando a publicação não for paginada ou a numeração de páginas for irregular, indica- se esta característica. Exemplos: MARQUES, M. P.; LANZELOTTE, R. G. Banco de dados e hipermídia: construindo um metamodelo para o Projeto Portinari. Rio de Janeiro: PUC, Departamento de Informática, 1993. Paginação irregular. SISTEMA de ensino Tamandaré: sargentos do Exército e da Aeronáutica. [Rio de Janeiro]: Colégio Curso Tamandaré, 1993. Não paginado. III.19. Notas: Sempre que necessário à identificação da obra, devem ser incluídas notas com informações complementares, ao final da referência, sem destaque tipográfico. Exemplos: LAURENTI, R. Mortalidade pré-natal. São Paulo: Centro Brasileiro de Classificação de Doenças, 1978. Mimeografado. MARINS, J. L. C. Massa calcificada da naso-faringe. Radiologia Brasileira, São Paulo, n. 23, 1991. No prelo. III.20. Ordenação das referências: As referências dos documentos citados em um trabalho devem ser ordenadas de acordo com o sistema utilizado para citação no texto, conforme NBR 10520. Os sistemas mais utilizados são: alfabético (ordem alfabética de entrada) e numérico (ordem de citação no texto). III.20.1. Sistema alfabético Se for utilizado o sistema alfabético, as referências devem ser reunidas no final do trabalho, do artigo ou do capítulo, em uma única ordem alfabética. As chamadas no texto devem obedecer à forma adotada na referência, com relação à escolha da entrada, mas não necessariamente quanto à grafia, conforme a NBR 10520. III.20.2. Obras de um mesmo autor: Eventualmente, o(s) nome(s) do(s) autor(es) de várias obras referenciadas sucessivamente, na mesma página, pode(m) ser substituído(s), nas referências seguintes à primeira, por um traço sublinear (equivalente a seis espaços) e ponto. Exemplos:
  34. 34. FREYRE, Gilberto. Casa grande & senzala: formação da família brasileira sob regime de economia patriarcal. Rio de Janeiro: J. Olympio, 1943. 2 v. ______ . Sobrados e mucambos: decadência do patriarcado rural no Brasil. São Paulo: Ed. Nacional, 1936. III.20.3. Exemplos no texto: Para Gramsci (1978) uma concepção de mundo crítica e coerente pressupõe a plena consciência de nossa historicidade, da fase de desenvolvimento por ela representada [...] Nesse universo, o poder decisório está centralizado nas mãos dos detentores do poder econômico e na dos tecnocratas dos organismos internacionais (DREIFUSS, 1996). Os empresários industriais, mais até que os educadores, são, precisamente, aqueles que hoje identificam tendências na relação entre as transformações pelas quais vêm passando o processo de trabalho, o nível de escolaridade e a qualificação real exigida pelo processo produtivo (CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA, 1993). III.20.4. Exemplos na lista de referências: CONFEDERAÇÃO NACIONAL DA INDÚSTRIA (Brasil). Educação básica e formação profissional. Salvador, 1993. DREIFUSS, René. A era das perplexidades: mundialização, globalização e planetarização. Petrópolis: Vozes, 1996. GRAMSCI, Antonio. Concepção dialética da História. 2. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978. III.20.5. Mesmo autor, mesma obra, anos diferentes de publicação Além do nome do autor, o título de várias edições de um documento referenciado sucessivamente, na mesma página, também pode ser substituído por um traço sublinear nas referências seguintes à primeira (conforme 13.b). Exemplos: FREYRE, Gilberto. Sobrados e mucambos: decadência do patriarcado rural no Brasil. São Paulo: Ed. Nacional, 1936. 405 p. ______.______. 2. ed. São Paulo: Ed. Nacional, 1938. 410 p.
  35. 35. REFERENCIAS ABNT – Associação brasileira de Normas Técnicas. Informação e documentação - Referências – Elaboração, NBR 6023. Rio de Janeiro, 2002. _______. Informação e documentação - apresentação de citações em documentos, NBR 10520: Rio de Janeiro, 2002. _______. Informação e documentação - Trabalhos acadêmicos, NBR 14724. Rio de Janeiro, 2005. FRANÇA, J. L. et al. Manual para normalização de publicações técnicocientificas. 6. ed. Ver. E ampl. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2003. HAMMES, Érico João. Orientações e normas para trabalhos científicos: Conforme ABNT 2005/2006. Porto Alegre, Janeiro de 2007. Material didático-instrucional. MARTINS, Gilberto de Andrade. Manual para elaboração de monografias e dissertações. São Paulo: Atlas, 2000. XAVIER, Andressa Cristina. Aprenda a usar as Normas da ABNT. 2008. Disponível em <http://www.baixaki.com.br/info/776-aprenda-a-usar-as-normas-da-abnt-1-de-4-.htm> Acesso em set 2010.

×