SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 105
Baixar para ler offline
GEOMETRIA PLANA
Introdução
Você vai iniciar, agora, o estudo de uma das ciências mais belas
criadas pelo homem: a Geometria. Nascida da necessidade de
medir terras, encontra-se hoje presente, em todos os momentos
do nosso dia-a-dia, nos tamanhos e formas dos objetos que nos
cercam
Na Geometria admitimos a existência de três elementos intuitivos,
isto é, sem definição: ponto, reta e plano. A partir desses três
elementos são construídas todas as demais figuras geométricas. A
bem da verdade, esses três elementos existem apenas em nossa
imaginação. Tentaremos criar algumas imagens concretas para
representar o ponto, a reta e o plano, com a finalidade de ajudar
um pouco nossa intuição
Um pingo d’água, a cabeça de um alfinete, um grão de areia, a
marca deixada por um lápis num papel são concretizações
aproximadas da idéia de ponto; são aproximadas, pois o ponto
geométrico não tem “tamanho”, isto é, não tem dimensão.
Pense, agora, num barbante bem esticado: a figura obtida
assemelha-se a um “pedaço” de reta; “pedaço”, pois a reta
tem que ser entendida como infinitamente “comprida” em ambos
os sentidos. Da mesma forma, você pode visualizar um plano
imaginando uma folha de papel bem esticada:
NOÇÕES PRIMITIVAS
• As noções primitivas são aceitas sem definição.
• Adotaremos sem definir as noções de ponto, reta e
plano.
• PONTO
• A . ou B .
• Obs: As noções (conceitos, termos, entes) geométricos
• são estabelecidas por meio de definição.
RETA
PLANO
r
POSTULADOS OU AXIOMAS OU PROPOSIÇÕES
PRIMITIVAS
• São proposições aceitas sem demonstração.
EXEMPLO
Por um ponto passam infinitas retas.
• POSTULADO DA EXISTÊNCIA
• Numa reta, bem como fora dela, há infinitos
pontos,
A є r , B є r , C є r
D r, E r, F r, G r∉ ∉ ∉ ∉
• Num plano , bem como fora dele, há infinitos
pontos.
A Є α, B Є α, C Є α
D α, E α∉ ∉
• POSTULADO DA DETERMINAÇÃO
• Dois pontos distintos determinam uma única reta
que passa
• por eles.
• r = AB
obs .expressão duas retas
coincidentes é equivalente
a uma única reta.
• Três pontos não colineares determinam um
único plano que passa por eles.
• α = (A, B, C)
POSTULADO DA INCLUSÃO
• Se uma reta tem dois pontos distintos num
plano, então areta está contida nesse mesmo
plano.
É ESSENCIAL SABER QUE:
• Pontos coplanares são pontos que pertencem a um
• mesmo plano.
• Pontos colineares são pontos que pertencem a uma
• mesma reta.
• Figura é qualquer conjunto de pontos.
• Figura plana é uma figura que tem todos os seus
pontos num mesmo plano.
• Figura espacial é uma figura em que nem todos os
• seus pontos estão em um mesmo plano.
• Uma figura é convexa quando dois de seus pontos
definem sempre um segmento inteiramente contido nela
Notações gráficas
• Pontos coplanares
Pontos colineares
Figura plana
Figura espacial
Figura convexa
Figura não convexa (côncava)
POSIÇÃO RELATIVA ENTRE
DUAS RETAS NO PLANO.
• CONCORRENTES
PARALELAS
Obs: A expressão duas retas coincidentes
é equivalente
a uma única reta.
RETA,SEMI - RETA E SEGMENTO
DE RETA
• Considerando dois pontos distintos A e B,
temos:
• A reta AB
• O segmento AB
• A semi-reta AB
• A semi-reta BA
SEGMENTOS CONSECUTIVOS
• Dois segmentos de reta são consecutivos se, e somente
• se, uma extremidade de um coincide com uma extremidade
• do outro
SEGMENTOS COLINEARES
• Dois segmentos de reta são colineares se, e somente se,
• estão numa mesma reta.
• AB e CD são colineares (não são consecutivos)
• RS e ST são colineares (e consecutivos)
MN e NP são colineares (e consecutivos)
SEGMENTOS ADJACENTES
• Dois segmentos consecutivos e colineares são adjacentes se e
somente se, possuem em comum apenas uma extremidade(não
tem pontos internos comuns).
• RS e ST não são adjacentes
• RS ∩ ST = ST
MN e NP são adjacentesMN ∩ NP = {N}
EXERCÍCIOS
• 01. Assinale as proposições verdadeiras:
• (01) Por um ponto passam infinitas retas.
• (02) Por três pontos dados passam uma só reta.
• (04) Se dois pontos distintos de uma reta pertencem a
• um plano, então a reta está contida nesse plano.
• (08) Por dois pontos distintos passa uma reta.
• (16) Três pontos distintos são sempre colineares.
• (32) Duas retas distintas que têm um ponto comum são
• concorrentes.
• (64) Quatro pontos distintos são sempre coplanares.
• 02. Determine AB, sendo M ponto médio de AB:
ÂNGULOS
Definição
A Ô B
0 é o vértice do ângulo
0A e 0B são os lados
Figura geométrica formada por duas semi-retas de
mesma origem.
Bissetriz
• Semi-reta que divide o ângulo em dois ângulos congruentes.
OM é a
bissetriz
OBSERVAÇÕES:
• 1) A distância de um ponto P a uma reta r é
dada pela medida do segmento da perpendicular
que vai de P à reta r.
• 2) Cada ponto da bissetriz de um ângulo está a igual
distância dos dois lados
“A bissetriz é o lugar geométrico dos pontos
eqüidistantes dos dois lados do ângulo”.
ÂNGULOS CONSECUTIVOS
• Dois ângulos são consecutivos quando têm o mesmo
vértice e um lado comum.
AÔB e BÔC
AÔB e AÔC
BÔC e AÔC
ÂNGULOS ADJACENTES
• Dois ângulos são adjacentes quando são consecutivos e
não têm pontos internos comuns
AÔB e BÔC
Medidas Angulares
SISTEMA SEXAGESIMAL
O ângulo reto se divide em 90º (noventa graus),
cada grau em 60 (sessenta minutos) e cada minuto
em 60’’ ’ (sessenta segundos).
1 reto = 90º 1º = 60’ 1’= 60’’.
SISTEMA CIRCULAR
• A medida de um ângulo central é dada em radiano pela
razão entre o comprimento do arco e o raio.
Na figura acima, o ângulo α, em radiano, é dado por
• Quando o comprimento do arco é igual ao
raio temos um radiano
• . Tendo em vista que o comprimento da
circunferência é C = 2πR, então a
circunferência tem 2π rd.
• Se 2π rd corresponde a 360o, então:
• π rad corresponde a 180o
• Os problemas da conversão de medidas
de um sistema
• para outro serão tratados em
Trigonometria.
CLASSIFICAÇÃO DOS ÂNGULOS
ÂNGULOS COMPLEMENTARES
ÂNGULOS SUPLEMENTARES
ÂNGULOS REPLEMENTARES
ÂNGULOS OPOSTOS PELO
VÉRTICE
DUAS PARALELAS CORTADAS POR
UMA TRANSVERSAL
Ângulos de lados paralelos e ângulos
de lados perpendiculares
• São congruentes se ambos são agudos ou ambos obtusos.
• São suplementares se um é agudo e o outro obtuso.
EXERCÍCIOS
1.
Na figura, tem-se dois círculos concêntricos de raios
5 u. c. e 3 u.c., respectivamente. Sendo s1 o comprimento
do arco AB e s2, o comprimento do arco A’B’, então o
valor de s2 – s1, em unidade de comprimento, é
aproximadamente
igual a:
01) 0,52
02) 1,05
03) 1,57
04) 3,14
05) 4,71
• 2. Calcule a medida do complemento e do
suplemento do ângulo que mede:
• a) 70º45’
• b) 85º50’’
• 03. O dobro do complemento de um
ângulo,aumentado de 40º é igual a terça
parte do suplemento do ângulo. Calcule
o suplemento do ângulo.
• 4.Na figura abaixo, as retas r e s são paralelas
• A soma α + β é igual a:
• a) 200º
• b) 180º
• c) 170
• d) 150º
• e) 140º
TRIÂNGULO
• Elementos do triângulo
• Vértices: A, B e C
• Lados: AB, AC, e BC
• Ângulos Internos: α, β e γ
• Ângulos Externos: α’, β’, γ’
Relação entre as medidas dos lados
• Cada lado de um triângulo é maior do que
o módulo da
• diferença e menor do que a soma dos
outros dois.
• | b – c | < a < b + c
• Ex.: Se 3 e 8 são as medidas de dois
lados, o 3º lado é 5 < a < 11
Relação entre os ângulos
• SOMA DOS ÂNGULOS
• Em um triângulo qualquer:
• Si = A soma dos ângulos internos é 180º.
• Se = A soma dos três ângulos externos é 360º
ÂNGULO EXTERNO
• - Um ângulo externo e o interno consecutivos são
• suplementares. α’+ α = 180º e α + β + γ = 180º→ α’= β + γ
• Um ângulo externo vale a soma dos internos não adjacentes
Classificação dos triângulos
• Quanto aos lados:
• * Eqüilátero: três lados com medidas iguais.
• * Isósceles: dois lados com medidas iguais (havendo
um
• lado diferente, ele é considerado a “base” do triângulo).
• * Escaleno: não possui lados com medidas iguais.
• OBS: Todo triângulo eqüilátero é também triângulo
isósceles
γ
OBS.: O lado a é chamado
de base e o ângulo  é o ângulo
do vértice.
TRIÂNGULO ESCALENO
Em todo
triângulo, o
maior lado se
opõe ao maior
ângulo
Quanto aos ângulos
• TRIÂNGULO RETÂNGULO
• Possui um ângulo reto
A hipotenusa é o maior lado e o seu
quadrado é igual
à soma dos quadrados dos outros dois
(catetos).
TRIÂNGULO OBTUSÂNGULO
Possui um ângulo obtuso
Atenção:
Se a é o maior lado do triângulo
obtusângulo, então:
a2
> b2
+ c2
TRIÂNGULO ACUTÂNGULO
Possui os três ângulos agudos
Atenção:
Se a é o maior lado de um triângulo
acutângulo então:
a2
< b² + c²
EXERCÍCIOS
• 1.Na figura, sabe-se que AC = BC e que AB =
AD = CD. A medida α é igual a
• a) 60º.
• b) 45º.
• c) 40º.
• d) 36º.
• e) 30º.
ά
• 2. Com base no estudo dos triângulos, é correto
• afirmar:
a) Se o triângulo é isósceles, então é eqüilátero.
b) É possível construir um triângulo com lados medindo
8u.c., 5u.c, e 18u.c.
c) É possível construir um triângulo com ângulos medindo
30º , 40ºe 50º.
d) Se um triângulo é retângulo e isósceles, então possui
um ângulo de 45º.
e) É possível construir um triângulo retângulo com lados
medindo 1u.c., 1u.c. e 2u.c.
• 3. O triângulo ABC representado na figura abaixo
é isósceles. Se BC = BD = DE = EA, a medida θ do ângulo assinalado,
em radianos, é:
Pontos notáveis de um triângulo:
• Altura do triângulo
• A altura de um triângulo é o segmento da perpendicular baixada de um
vértice à reta suporte do lado oposto.
• ATENÇÃO!
• 01. Para cada triângulo, podemos traçar três alturas: uma relativa
• a cada lado.
• 02. As três alturas de um triângulo concorrem em um único
• ponto chamado ortocentro.
Bissetriz interna
• A bissetriz interna é o segmento da bissetriz compreendido
• entre um vértice de um ângulo e o lado oposto.
• As três bissetrizes internas de um triângulo concorrem
• em um ponto interior chamado incentro.
• ATENÇÃO!
Sendo os pontos de cada bissetriz
eqüidistante dos lados
de um ângulo, o Incentro é o único
ponto eqüidistante
dos três lados. Ele é o centro da
circunferência inscrita no
triângulo.
Mediatriz
• Mediatriz de um segmento é uma reta perpendicular, passando pelo
seu ponto médio.
• Cada ponto da Mediatriz, está a igual distância dos dois
• extremos do segmento. A mediatriz é o “lugar geométrico”
• dos pontos eqüidistantes dos extremos de um segmento.
• Teorema: As três mediatrizes de um triângulo concorrem
• em um ponto chamado circuncentro, que é o centro da
circunferência
• circunscrita. O circuncentro é o único ponto eqüidistante
• dos três vértices.
• No triângulo acutângulo, o circuncentro é um
ponto interior
• No triângulo obtusângulo, o circuncentro é um
ponto exterior.
• No triângulo retângulo, o circuncentro é o ponto
médio daHipotenusa.
• ATENÇÃO!
• No caso do triângulo retângulo, a hipotenusa coincide com o
diâmetro da circunferência circunscrita.
• Todo triângulo inscrito em um semi-círculo é retângulo
Mediana
• Mediana de um triângulo é o segmento compreendido
• entre cada vértice e o ponto médio ao lado oposto.
• As três medianas de um triângulo concorrem
• em um ponto interior chamado baricentro.
• O baricentro está localizado em cada mediana a
um terço da base e a dois terços do vértice
• .
ATENÇÃO!
• 01. No triângulo retângulo, a mediana relativa à
hipotenusa tem medida correspondendo à metade da
hipotenusa.
• Em conseqüência, os dois triângulos menores obtidos
são isósceles.
• 02. Em um triângulo isósceles, a mediana, a bissetriz, a mediatriz e
a altura relativa à base coincidem
• AM é a bissetriz do ângulo A.
• AM é a altura relativa ao lado BC.
• AM é a mediana relativa ao lado BC.
• AM é a mediatriz relativa ao lado BC.
• 03. No triângulo eqüilátero, a bissetriz, a mediana, a
mediatriz e a altura são coincidentes.
• Portanto, o ortocentro, o incentro, o baricentro e o
circuncentro coincidem.
Casos de congruência
• As condições mínimas para que dois triângulos sejam
congruentes
• são: LLL – Os lados dos dois triângulos
respectivamente congruentes
•
• LAL – Os dois triângulos apresentam dois lados
e o ângulo
• formado por esses lados respectivamente
congruentes.
• ALA – Os dois triângulos apresentam um lado e os dois
• ângulos adjacentes respectivamente congruentes.
Teorema de Tales
• .
EXERCÍCIOS
• 01. (FBDC) Na figura dada, as retas, r,s e t são
paralelas.
• Então, x + y é igual a:
• a) 29 b) 30 c) 31 d) 32 e) 33
• 02. No triângulo ABC, o lado AC mede 32
cm e o lado BC, 36cm. Por um ponto M
situado sobre AC, a 10 cm dovértice C,
traçamos a paralela ao lado AB, a qual
divide BC em dois segmentos BN e CN.
• Determine a medida de CN.
• Matematica
Semelhança de triângulo
• Dois triângulos são semelhantes se, e somente se, possuem os
três ângulos ordenadamente congruentes e os ladoshomólogos
proporcionais.
Teorema fundamental
• Se uma reta é paralela a um dos lados de
um triângulo e intercepta os outros dois
em pontos distintos, então o triânguloque
ela determina é semelhante ao primeiro
CASOS DE SEMELHANÇAS DE
TRIÂNGULO
• Os dois triângulos apresentam dois ângulos
respectivamente congruentes.
Os dois triângulos apresentam os
três lados proporcionais.
• Os dois triângulos apresentam dois lados
respectivamente
• proporcionais e o ângulo compreendido entre
esses lados respectivamente
• congruentes.
TEOREMA
• Ligando-se os pontos médios de dois lados de um
triângulo qualquer, o segmento obtido é paralelo ao
terceiro lado e com medida igual a sua metade.
• Como os dois triângulos obtidos são semelhantes,
conclui-se que:
Teorema das bissetrizes internas
• A bissetriz de um ângulo de um triângulo divide o lado oposto em
dois segmentos proporcionais aos lados adjacentes.
EXERCÍCIOS
• 01. (FJA/2006) Considerando-se as informações contidas na figura
abaixo, pode-se concluir que o segmento CF mede:
• Na figura, está representada uma escada AB, de
• comprimento c, apoiada em um muro.
• Considerando-se essa informação, pode-se concluir que
• o valor de c é igual, em metros
• (UFBA 1ª fase)
• Considere a figura acima em que:
• • a distância entre as retas paralelas r e s é igual a
• 20 u.c. os segmentos AB e CD medem, respectivamente, 10 u.c. e
30 u.c.;P é o ponto de interseção dos segmentos AD e BC.
• Com base nesses dados, calcule a área do triângulo
• APB, em u.a.
Triângulo retângulo
• TRIÂNGULO RETÂNGULO ISÓSCELES
• Se um dos ângulos agudos de um triângulo retângulo é
• 45º, então os dois catetos possuem medidas iguais.
TRIÂNGULO RETÂNGULO COM
ÂNGULO DE 30º
• A altura AH divide o triângulo equilátero ABC em dois triângulos retângulos
que apresentam um ângulo de 30º.
• Observando o triângulo AHC, concluímos:
• Se o cateto se opõe a um ângulo de 30º, a sua medida é
• igual a metade da hipotenusa.
RELAÇÕES MÉTRICAS NO TRIÂNGULO
RETÂNGULO
• O triângulo retângulo é a figura
geométrica mais freqüente nas
aplicações matemáticas
• . Por esta razão, faremos um
estudo mais detalhado
• desse tipo de triângulo.
• Se no triângulo retângulo
traçarmos a altura relativa à
• hipotenusa, obteremos 3
triângulos retângulos
semelhantes
• h é a altura relativa à hipotenusa.
• m é a projeção do cateto b sobre a hipotenusa.
• n é a projeção do cateto c sobre a hipotenusa
• Usando a proporcionalidade dos lados dos triângulos
semelhantes ΔABC, ΔHAC e ΔHBA, demonstra-se
que:
• Cada cateto é média geométrica entre a
hipotenusa e a projeção do cateto sobre ela.
• A altura é média geométrica entre os dois
segmentos
• que ela determina sobre a hipotenusa.
• h² = m.n
• O produto de um cateto pela altura é igual ao
produto da sua projeção pelo outro cateto
b.h = am e c.a =an
APLICAÇÕES DO TEOREMA DE
PITÁGORAS
• O quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos
catetos.
• a2
= b2
+ c2
OBSERVAÇÃO:
• A área de um triângulo retângulo é dada pelo semi-produto dos dois
catetos
• .
RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS
NO TRIÂNGULO RETÂNGULO
• Sendo α a medida de um dos ângulos agudos de um
triângulo retângulo, temos:
Usando as razões trigonométricas acima,
temos:
QUADRADO
TRIÂNGULO EQUILÁTERO
EXERCÍCIOS
• 01. (UNEB) Se, no triângulo ABC, representado na
• figura, a altura relativa à base AB mede 4u.c., então o
• lado AB mede, em u.c.,
• 02. (FRB) Um observador, ao nível do chão, avista a
• base da janela J1 segundo um ângulo α = 30º e a J2,
• segundo um ângulo β = 45º, como mostra a figura.
• Sendo a distância entre as bases das duas janelas igual
• a 3m, pode-se afirmar que a distância h, do chão à base
• de J1, mede, em metros,
Triângulo equilátero
• O Δ AHC é retângulo:
Circunferência inscrita
Circunferência circunscrita
• .
Triângulos quaisquer
• LEI DOS SENOS
• Os lados de um triângulo são
proporcionais aos senos
• dos ângulos opostos e a
constante de
proporcionalidade é o diâmetro
da circunferência circunscrita
ao triângulo
• Seja um triângulo qualquer
ABC, considere uma
circunferência
• circunscrita, sendo 0 o centro
dela e R o seu raio.
LEI DOS COSSENOS
• Em qualquer triângulo o
quadrado de um lado é igual à
• soma dos quadrados dos
outros dois lados menos duas
vezes o produto desses dois
lados pelo cosseno do ângulo
por eles formado
• Considere um triângulo qualquer
ABC:
• Seguindo a lei dos cossenos
• a2
= b2
+c2
- 2bc.cosÂ
• b 2
= a2
+ c2
- 2ac.cosB
• c2
= a2
+ b2
– 2ab.cosC

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Triângulos
TriângulosTriângulos
Triângulos
 
Razao e proporção
Razao e proporçãoRazao e proporção
Razao e proporção
 
Geometria Espacial
Geometria EspacialGeometria Espacial
Geometria Espacial
 
Quadriláteros
Quadriláteros Quadriláteros
Quadriláteros
 
Congruência de triângulos
Congruência de triângulos Congruência de triângulos
Congruência de triângulos
 
Áreas de triângulos
Áreas de triângulosÁreas de triângulos
Áreas de triângulos
 
Matrizes
MatrizesMatrizes
Matrizes
 
Apresentação geometria analítica
Apresentação geometria analíticaApresentação geometria analítica
Apresentação geometria analítica
 
Área e perímetro de figuras planas ( apresentação)
Área e perímetro de figuras planas ( apresentação)Área e perímetro de figuras planas ( apresentação)
Área e perímetro de figuras planas ( apresentação)
 
Polígonos..
Polígonos..Polígonos..
Polígonos..
 
Quadriláteros - 8º ano
Quadriláteros - 8º anoQuadriláteros - 8º ano
Quadriláteros - 8º ano
 
Dízimas periódicas (fração geratriz)
Dízimas periódicas (fração geratriz)Dízimas periódicas (fração geratriz)
Dízimas periódicas (fração geratriz)
 
Ponto, reta e plano
Ponto, reta e planoPonto, reta e plano
Ponto, reta e plano
 
Numeros racionais
Numeros racionaisNumeros racionais
Numeros racionais
 
Aula 22 probabilidade - parte 1
Aula 22   probabilidade - parte 1Aula 22   probabilidade - parte 1
Aula 22 probabilidade - parte 1
 
Quadrilateros.Ppt
Quadrilateros.PptQuadrilateros.Ppt
Quadrilateros.Ppt
 
Área e Volume
Área e VolumeÁrea e Volume
Área e Volume
 
Matemática mmc e mdc
Matemática mmc e mdcMatemática mmc e mdc
Matemática mmc e mdc
 
Progressão aritmética
Progressão aritméticaProgressão aritmética
Progressão aritmética
 
Regra de três simples e composta
Regra de três simples e compostaRegra de três simples e composta
Regra de três simples e composta
 

Destaque

Retas, semirretas e segmentos de reta
Retas, semirretas e segmentos de retaRetas, semirretas e segmentos de reta
Retas, semirretas e segmentos de retaquesado72
 
www.AulasDeMatematicaApoio.com - Matemática - Retas, Planos e Pontos
www.AulasDeMatematicaApoio.com  - Matemática - Retas, Planos e Pontoswww.AulasDeMatematicaApoio.com  - Matemática - Retas, Planos e Pontos
www.AulasDeMatematicaApoio.com - Matemática - Retas, Planos e PontosAulas De Matemática Apoio
 
Formação de Educadores: Uma Perspectiva Multidimensional
Formação de Educadores: Uma Perspectiva MultidimensionalFormação de Educadores: Uma Perspectiva Multidimensional
Formação de Educadores: Uma Perspectiva MultidimensionalHerlan Ribeiro de Souza
 
A etnomatemática e a modelagem como possibilidades
A etnomatemática e a modelagem como possibilidadesA etnomatemática e a modelagem como possibilidades
A etnomatemática e a modelagem como possibilidadesHerlan Ribeiro de Souza
 

Destaque (20)

Apostila de geometria plana exercícios resolvidos - crbrasil
Apostila de geometria plana   exercícios resolvidos - crbrasilApostila de geometria plana   exercícios resolvidos - crbrasil
Apostila de geometria plana exercícios resolvidos - crbrasil
 
Retas, semirretas e segmentos de reta
Retas, semirretas e segmentos de retaRetas, semirretas e segmentos de reta
Retas, semirretas e segmentos de reta
 
Razão áurea
Razão áureaRazão áurea
Razão áurea
 
Plano de ação lie 2014
Plano de ação lie 2014Plano de ação lie 2014
Plano de ação lie 2014
 
www.AulasDeMatematicaApoio.com - Matemática - Retas, Planos e Pontos
www.AulasDeMatematicaApoio.com  - Matemática - Retas, Planos e Pontoswww.AulasDeMatematicaApoio.com  - Matemática - Retas, Planos e Pontos
www.AulasDeMatematicaApoio.com - Matemática - Retas, Planos e Pontos
 
Lei orgânica do Município de Jacundá
Lei orgânica do Município de JacundáLei orgânica do Município de Jacundá
Lei orgânica do Município de Jacundá
 
Estatística básica
Estatística básicaEstatística básica
Estatística básica
 
Juros compostos
Juros compostosJuros compostos
Juros compostos
 
Zero de função
Zero de funçãoZero de função
Zero de função
 
Coordenadas cartesianas
Coordenadas cartesianasCoordenadas cartesianas
Coordenadas cartesianas
 
Formação de Educadores: Uma Perspectiva Multidimensional
Formação de Educadores: Uma Perspectiva MultidimensionalFormação de Educadores: Uma Perspectiva Multidimensional
Formação de Educadores: Uma Perspectiva Multidimensional
 
A geometria e a natureza
A geometria e a naturezaA geometria e a natureza
A geometria e a natureza
 
Função do 1º grau
Função do 1º grauFunção do 1º grau
Função do 1º grau
 
Funções trigonométricas
Funções trigonométricasFunções trigonométricas
Funções trigonométricas
 
A etnomatemática e a modelagem como possibilidades
A etnomatemática e a modelagem como possibilidadesA etnomatemática e a modelagem como possibilidades
A etnomatemática e a modelagem como possibilidades
 
Tabela pitagórica
Tabela pitagóricaTabela pitagórica
Tabela pitagórica
 
Educação matemática
Educação matemáticaEducação matemática
Educação matemática
 
Função polinomial
Função polinomialFunção polinomial
Função polinomial
 
Conjuntos numéricos
Conjuntos numéricosConjuntos numéricos
Conjuntos numéricos
 
Noções de geometria plana
Noções de geometria planaNoções de geometria plana
Noções de geometria plana
 

Semelhante a Geometria plana

Semelhante a Geometria plana (20)

Assunto ângulos
Assunto ângulosAssunto ângulos
Assunto ângulos
 
oi
oioi
oi
 
isoladas-matematica-do-zero-na-fundatec-aula-15-dudan.pdf
isoladas-matematica-do-zero-na-fundatec-aula-15-dudan.pdfisoladas-matematica-do-zero-na-fundatec-aula-15-dudan.pdf
isoladas-matematica-do-zero-na-fundatec-aula-15-dudan.pdf
 
Alguns tópicos de geometria
Alguns tópicos de geometriaAlguns tópicos de geometria
Alguns tópicos de geometria
 
expresao grafica i eng civil
expresao grafica i eng civil expresao grafica i eng civil
expresao grafica i eng civil
 
Figuras geométricas no tangram
Figuras geométricas no tangramFiguras geométricas no tangram
Figuras geométricas no tangram
 
M4 41 vb
M4 41 vbM4 41 vb
M4 41 vb
 
Ângulos, triângulos e quadriláteros
Ângulos, triângulos e quadriláterosÂngulos, triângulos e quadriláteros
Ângulos, triângulos e quadriláteros
 
Lista p8-3-bimestre
Lista p8-3-bimestreLista p8-3-bimestre
Lista p8-3-bimestre
 
Geometria plana ângulos, triângulos, quadriláteros, cálculo de áreas
Geometria plana   ângulos, triângulos, quadriláteros, cálculo de áreasGeometria plana   ângulos, triângulos, quadriláteros, cálculo de áreas
Geometria plana ângulos, triângulos, quadriláteros, cálculo de áreas
 
M (1)
M (1)M (1)
M (1)
 
Feixe de retas paralelas teorema de tales
Feixe de retas paralelas teorema de talesFeixe de retas paralelas teorema de tales
Feixe de retas paralelas teorema de tales
 
Revisao geom plana pi
Revisao geom plana piRevisao geom plana pi
Revisao geom plana pi
 
Ângulos e Triângulos revisão 5ºano
Ângulos e Triângulos revisão 5ºanoÂngulos e Triângulos revisão 5ºano
Ângulos e Triângulos revisão 5ºano
 
Apostila resumao geometria
Apostila resumao geometriaApostila resumao geometria
Apostila resumao geometria
 
Ângulos
ÂngulosÂngulos
Ângulos
 
Apresentação 5 ângulos
Apresentação 5   ângulosApresentação 5   ângulos
Apresentação 5 ângulos
 
Geométria ângulos e polígonos
Geométria  ângulos e polígonosGeométria  ângulos e polígonos
Geométria ângulos e polígonos
 
Trigonometria
TrigonometriaTrigonometria
Trigonometria
 
3 Preparação Geometria
3 Preparação Geometria3 Preparação Geometria
3 Preparação Geometria
 

Mais de Herlan Ribeiro de Souza

Pré-Projeto: Etnomatemática e a Cubagem de Madeira no Município de Jacundá
Pré-Projeto:  Etnomatemática e a Cubagem de Madeira no Município de JacundáPré-Projeto:  Etnomatemática e a Cubagem de Madeira no Município de Jacundá
Pré-Projeto: Etnomatemática e a Cubagem de Madeira no Município de JacundáHerlan Ribeiro de Souza
 
Olimpíada brasileira de matemática das escolas públicas 2015
Olimpíada brasileira de matemática das escolas públicas 2015Olimpíada brasileira de matemática das escolas públicas 2015
Olimpíada brasileira de matemática das escolas públicas 2015Herlan Ribeiro de Souza
 
Livro didático na história da educação brasileira
Livro didático na história da educação brasileiraLivro didático na história da educação brasileira
Livro didático na história da educação brasileiraHerlan Ribeiro de Souza
 
Compreensão e produção de texto escrito
Compreensão e produção de texto escritoCompreensão e produção de texto escrito
Compreensão e produção de texto escritoHerlan Ribeiro de Souza
 

Mais de Herlan Ribeiro de Souza (18)

Pré-Projeto: Etnomatemática e a Cubagem de Madeira no Município de Jacundá
Pré-Projeto:  Etnomatemática e a Cubagem de Madeira no Município de JacundáPré-Projeto:  Etnomatemática e a Cubagem de Madeira no Município de Jacundá
Pré-Projeto: Etnomatemática e a Cubagem de Madeira no Município de Jacundá
 
A chegada dos portugueses ao brasil
A chegada dos portugueses ao brasilA chegada dos portugueses ao brasil
A chegada dos portugueses ao brasil
 
A água
A águaA água
A água
 
Olimpíada brasileira de matemática das escolas públicas 2015
Olimpíada brasileira de matemática das escolas públicas 2015Olimpíada brasileira de matemática das escolas públicas 2015
Olimpíada brasileira de matemática das escolas públicas 2015
 
Palestra cap rogério pm
Palestra cap rogério pmPalestra cap rogério pm
Palestra cap rogério pm
 
Projeto: Lúdico e o Tradicional
Projeto: Lúdico e o TradicionalProjeto: Lúdico e o Tradicional
Projeto: Lúdico e o Tradicional
 
Curriculo Herlan Ribeiro de Souza
Curriculo Herlan Ribeiro de SouzaCurriculo Herlan Ribeiro de Souza
Curriculo Herlan Ribeiro de Souza
 
Obmep 2014
Obmep 2014Obmep 2014
Obmep 2014
 
Projeto Proinfo
Projeto ProinfoProjeto Proinfo
Projeto Proinfo
 
Arte e tecnologia na escola
Arte e tecnologia na escolaArte e tecnologia na escola
Arte e tecnologia na escola
 
Fundamentos da educação
Fundamentos da educaçãoFundamentos da educação
Fundamentos da educação
 
Teoria do texto literário
Teoria do texto literárioTeoria do texto literário
Teoria do texto literário
 
Cálculo numérico
Cálculo numéricoCálculo numérico
Cálculo numérico
 
Fonética
FonéticaFonética
Fonética
 
Sistemas lineares
Sistemas linearesSistemas lineares
Sistemas lineares
 
Livro didático na história da educação brasileira
Livro didático na história da educação brasileiraLivro didático na história da educação brasileira
Livro didático na história da educação brasileira
 
Planejamento
PlanejamentoPlanejamento
Planejamento
 
Compreensão e produção de texto escrito
Compreensão e produção de texto escritoCompreensão e produção de texto escrito
Compreensão e produção de texto escrito
 

Último

Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfRafaela Vieira
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceRonisHolanda
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Paula Meyer Piagentini
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfceajajacu
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Paula Meyer Piagentini
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREIVONETETAVARESRAMOS
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evoluçãoprofleticiasantosbio
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMHenrique Pontes
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024GleyceMoreiraXWeslle
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSdjgsantos1981
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º BimestreProfaCintiaDosSantos
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...MANUELJESUSVENTURASA
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...azulassessoria9
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...azulassessoria9
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 

Último (20)

Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdfLivro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
Livro de bio celular e molecular Junqueira e Carneiro.pdf
 
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaeceSimulado com textos curtos e tirinhas spaece
Simulado com textos curtos e tirinhas spaece
 
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
Jogo de Revisão Terceira Série (Primeiro Trimestre)
 
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdfPARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
PARC 2024 Cadastro de estudante, turma e enturmação - BAHIA (2).pdf
 
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
Estudo Dirigido de Literatura / Primeira Série do E.M.
 
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTREVACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
VACINAR E DOAR, É SÓ COMEÇAR - - 1º BIMESTRE
 
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. EvoluçãoAs teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
As teorias de Lamarck e Darwin. Evolução
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOMNOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
NOVA ORDEM MUNDIAL - Conceitos básicos na NOM
 
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
Apresentação sobre o Combate a Dengue 2024
 
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOSUM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
UM CURSO DE INFORMATICA BASICA PARA IDOSOS
 
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º BimestreLer e compreender 7º ano -  Aula 7 - 1º Bimestre
Ler e compreender 7º ano - Aula 7 - 1º Bimestre
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
PROPUESTA DE LOGO PARA EL DISTRITO DE MOCHUMI, LLENO DE HISTORIA 200 AÑOS DE ...
 
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
A alimentação na Idade Média era um mosaico de contrastes. Para a elite, banq...
 
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
Com base no excerto acima, escreva um texto explicando como a estrutura socia...
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 

Geometria plana

  • 1. GEOMETRIA PLANA Introdução Você vai iniciar, agora, o estudo de uma das ciências mais belas criadas pelo homem: a Geometria. Nascida da necessidade de medir terras, encontra-se hoje presente, em todos os momentos do nosso dia-a-dia, nos tamanhos e formas dos objetos que nos cercam Na Geometria admitimos a existência de três elementos intuitivos, isto é, sem definição: ponto, reta e plano. A partir desses três elementos são construídas todas as demais figuras geométricas. A bem da verdade, esses três elementos existem apenas em nossa imaginação. Tentaremos criar algumas imagens concretas para representar o ponto, a reta e o plano, com a finalidade de ajudar um pouco nossa intuição Um pingo d’água, a cabeça de um alfinete, um grão de areia, a marca deixada por um lápis num papel são concretizações aproximadas da idéia de ponto; são aproximadas, pois o ponto geométrico não tem “tamanho”, isto é, não tem dimensão. Pense, agora, num barbante bem esticado: a figura obtida assemelha-se a um “pedaço” de reta; “pedaço”, pois a reta tem que ser entendida como infinitamente “comprida” em ambos os sentidos. Da mesma forma, você pode visualizar um plano imaginando uma folha de papel bem esticada:
  • 2. NOÇÕES PRIMITIVAS • As noções primitivas são aceitas sem definição. • Adotaremos sem definir as noções de ponto, reta e plano. • PONTO • A . ou B . • Obs: As noções (conceitos, termos, entes) geométricos • são estabelecidas por meio de definição. RETA PLANO r
  • 3. POSTULADOS OU AXIOMAS OU PROPOSIÇÕES PRIMITIVAS • São proposições aceitas sem demonstração. EXEMPLO Por um ponto passam infinitas retas.
  • 4. • POSTULADO DA EXISTÊNCIA • Numa reta, bem como fora dela, há infinitos pontos, A є r , B є r , C є r D r, E r, F r, G r∉ ∉ ∉ ∉
  • 5. • Num plano , bem como fora dele, há infinitos pontos. A Є α, B Є α, C Є α D α, E α∉ ∉
  • 6. • POSTULADO DA DETERMINAÇÃO • Dois pontos distintos determinam uma única reta que passa • por eles. • r = AB obs .expressão duas retas coincidentes é equivalente a uma única reta.
  • 7. • Três pontos não colineares determinam um único plano que passa por eles. • α = (A, B, C)
  • 8. POSTULADO DA INCLUSÃO • Se uma reta tem dois pontos distintos num plano, então areta está contida nesse mesmo plano.
  • 9. É ESSENCIAL SABER QUE: • Pontos coplanares são pontos que pertencem a um • mesmo plano. • Pontos colineares são pontos que pertencem a uma • mesma reta. • Figura é qualquer conjunto de pontos. • Figura plana é uma figura que tem todos os seus pontos num mesmo plano. • Figura espacial é uma figura em que nem todos os • seus pontos estão em um mesmo plano. • Uma figura é convexa quando dois de seus pontos definem sempre um segmento inteiramente contido nela
  • 15. Figura não convexa (côncava)
  • 16. POSIÇÃO RELATIVA ENTRE DUAS RETAS NO PLANO. • CONCORRENTES
  • 17. PARALELAS Obs: A expressão duas retas coincidentes é equivalente a uma única reta.
  • 18. RETA,SEMI - RETA E SEGMENTO DE RETA • Considerando dois pontos distintos A e B, temos: • A reta AB • O segmento AB • A semi-reta AB • A semi-reta BA
  • 19. SEGMENTOS CONSECUTIVOS • Dois segmentos de reta são consecutivos se, e somente • se, uma extremidade de um coincide com uma extremidade • do outro
  • 20. SEGMENTOS COLINEARES • Dois segmentos de reta são colineares se, e somente se, • estão numa mesma reta. • AB e CD são colineares (não são consecutivos) • RS e ST são colineares (e consecutivos) MN e NP são colineares (e consecutivos)
  • 21. SEGMENTOS ADJACENTES • Dois segmentos consecutivos e colineares são adjacentes se e somente se, possuem em comum apenas uma extremidade(não tem pontos internos comuns). • RS e ST não são adjacentes • RS ∩ ST = ST MN e NP são adjacentesMN ∩ NP = {N}
  • 22. EXERCÍCIOS • 01. Assinale as proposições verdadeiras: • (01) Por um ponto passam infinitas retas. • (02) Por três pontos dados passam uma só reta. • (04) Se dois pontos distintos de uma reta pertencem a • um plano, então a reta está contida nesse plano. • (08) Por dois pontos distintos passa uma reta. • (16) Três pontos distintos são sempre colineares. • (32) Duas retas distintas que têm um ponto comum são • concorrentes. • (64) Quatro pontos distintos são sempre coplanares.
  • 23. • 02. Determine AB, sendo M ponto médio de AB:
  • 24. ÂNGULOS Definição A Ô B 0 é o vértice do ângulo 0A e 0B são os lados Figura geométrica formada por duas semi-retas de mesma origem.
  • 25. Bissetriz • Semi-reta que divide o ângulo em dois ângulos congruentes. OM é a bissetriz
  • 26. OBSERVAÇÕES: • 1) A distância de um ponto P a uma reta r é dada pela medida do segmento da perpendicular que vai de P à reta r.
  • 27. • 2) Cada ponto da bissetriz de um ângulo está a igual distância dos dois lados “A bissetriz é o lugar geométrico dos pontos eqüidistantes dos dois lados do ângulo”.
  • 28. ÂNGULOS CONSECUTIVOS • Dois ângulos são consecutivos quando têm o mesmo vértice e um lado comum. AÔB e BÔC AÔB e AÔC BÔC e AÔC
  • 29. ÂNGULOS ADJACENTES • Dois ângulos são adjacentes quando são consecutivos e não têm pontos internos comuns AÔB e BÔC
  • 30. Medidas Angulares SISTEMA SEXAGESIMAL O ângulo reto se divide em 90º (noventa graus), cada grau em 60 (sessenta minutos) e cada minuto em 60’’ ’ (sessenta segundos). 1 reto = 90º 1º = 60’ 1’= 60’’.
  • 31. SISTEMA CIRCULAR • A medida de um ângulo central é dada em radiano pela razão entre o comprimento do arco e o raio. Na figura acima, o ângulo α, em radiano, é dado por
  • 32. • Quando o comprimento do arco é igual ao raio temos um radiano • . Tendo em vista que o comprimento da circunferência é C = 2πR, então a circunferência tem 2π rd. • Se 2π rd corresponde a 360o, então: • π rad corresponde a 180o • Os problemas da conversão de medidas de um sistema • para outro serão tratados em Trigonometria.
  • 38. DUAS PARALELAS CORTADAS POR UMA TRANSVERSAL
  • 39. Ângulos de lados paralelos e ângulos de lados perpendiculares • São congruentes se ambos são agudos ou ambos obtusos. • São suplementares se um é agudo e o outro obtuso.
  • 40. EXERCÍCIOS 1. Na figura, tem-se dois círculos concêntricos de raios 5 u. c. e 3 u.c., respectivamente. Sendo s1 o comprimento do arco AB e s2, o comprimento do arco A’B’, então o valor de s2 – s1, em unidade de comprimento, é aproximadamente igual a: 01) 0,52 02) 1,05 03) 1,57 04) 3,14 05) 4,71
  • 41. • 2. Calcule a medida do complemento e do suplemento do ângulo que mede: • a) 70º45’ • b) 85º50’’
  • 42. • 03. O dobro do complemento de um ângulo,aumentado de 40º é igual a terça parte do suplemento do ângulo. Calcule o suplemento do ângulo.
  • 43. • 4.Na figura abaixo, as retas r e s são paralelas • A soma α + β é igual a: • a) 200º • b) 180º • c) 170 • d) 150º • e) 140º
  • 44. TRIÂNGULO • Elementos do triângulo • Vértices: A, B e C • Lados: AB, AC, e BC • Ângulos Internos: α, β e γ • Ângulos Externos: α’, β’, γ’
  • 45. Relação entre as medidas dos lados • Cada lado de um triângulo é maior do que o módulo da • diferença e menor do que a soma dos outros dois. • | b – c | < a < b + c • Ex.: Se 3 e 8 são as medidas de dois lados, o 3º lado é 5 < a < 11
  • 46. Relação entre os ângulos • SOMA DOS ÂNGULOS • Em um triângulo qualquer: • Si = A soma dos ângulos internos é 180º. • Se = A soma dos três ângulos externos é 360º
  • 47. ÂNGULO EXTERNO • - Um ângulo externo e o interno consecutivos são • suplementares. α’+ α = 180º e α + β + γ = 180º→ α’= β + γ • Um ângulo externo vale a soma dos internos não adjacentes
  • 48. Classificação dos triângulos • Quanto aos lados: • * Eqüilátero: três lados com medidas iguais. • * Isósceles: dois lados com medidas iguais (havendo um • lado diferente, ele é considerado a “base” do triângulo). • * Escaleno: não possui lados com medidas iguais. • OBS: Todo triângulo eqüilátero é também triângulo isósceles
  • 49. γ
  • 50. OBS.: O lado a é chamado de base e o ângulo  é o ângulo do vértice.
  • 51. TRIÂNGULO ESCALENO Em todo triângulo, o maior lado se opõe ao maior ângulo
  • 52. Quanto aos ângulos • TRIÂNGULO RETÂNGULO • Possui um ângulo reto A hipotenusa é o maior lado e o seu quadrado é igual à soma dos quadrados dos outros dois (catetos).
  • 53. TRIÂNGULO OBTUSÂNGULO Possui um ângulo obtuso Atenção: Se a é o maior lado do triângulo obtusângulo, então: a2 > b2 + c2
  • 54. TRIÂNGULO ACUTÂNGULO Possui os três ângulos agudos Atenção: Se a é o maior lado de um triângulo acutângulo então: a2 < b² + c²
  • 55. EXERCÍCIOS • 1.Na figura, sabe-se que AC = BC e que AB = AD = CD. A medida α é igual a • a) 60º. • b) 45º. • c) 40º. • d) 36º. • e) 30º. ά
  • 56. • 2. Com base no estudo dos triângulos, é correto • afirmar: a) Se o triângulo é isósceles, então é eqüilátero. b) É possível construir um triângulo com lados medindo 8u.c., 5u.c, e 18u.c. c) É possível construir um triângulo com ângulos medindo 30º , 40ºe 50º. d) Se um triângulo é retângulo e isósceles, então possui um ângulo de 45º. e) É possível construir um triângulo retângulo com lados medindo 1u.c., 1u.c. e 2u.c.
  • 57. • 3. O triângulo ABC representado na figura abaixo é isósceles. Se BC = BD = DE = EA, a medida θ do ângulo assinalado, em radianos, é:
  • 58. Pontos notáveis de um triângulo: • Altura do triângulo • A altura de um triângulo é o segmento da perpendicular baixada de um vértice à reta suporte do lado oposto. • ATENÇÃO! • 01. Para cada triângulo, podemos traçar três alturas: uma relativa • a cada lado. • 02. As três alturas de um triângulo concorrem em um único • ponto chamado ortocentro.
  • 59. Bissetriz interna • A bissetriz interna é o segmento da bissetriz compreendido • entre um vértice de um ângulo e o lado oposto. • As três bissetrizes internas de um triângulo concorrem • em um ponto interior chamado incentro. • ATENÇÃO! Sendo os pontos de cada bissetriz eqüidistante dos lados de um ângulo, o Incentro é o único ponto eqüidistante dos três lados. Ele é o centro da circunferência inscrita no triângulo.
  • 60. Mediatriz • Mediatriz de um segmento é uma reta perpendicular, passando pelo seu ponto médio. • Cada ponto da Mediatriz, está a igual distância dos dois • extremos do segmento. A mediatriz é o “lugar geométrico” • dos pontos eqüidistantes dos extremos de um segmento. • Teorema: As três mediatrizes de um triângulo concorrem • em um ponto chamado circuncentro, que é o centro da circunferência • circunscrita. O circuncentro é o único ponto eqüidistante • dos três vértices.
  • 61. • No triângulo acutângulo, o circuncentro é um ponto interior
  • 62. • No triângulo obtusângulo, o circuncentro é um ponto exterior.
  • 63. • No triângulo retângulo, o circuncentro é o ponto médio daHipotenusa.
  • 64. • ATENÇÃO! • No caso do triângulo retângulo, a hipotenusa coincide com o diâmetro da circunferência circunscrita. • Todo triângulo inscrito em um semi-círculo é retângulo
  • 65. Mediana • Mediana de um triângulo é o segmento compreendido • entre cada vértice e o ponto médio ao lado oposto. • As três medianas de um triângulo concorrem • em um ponto interior chamado baricentro.
  • 66. • O baricentro está localizado em cada mediana a um terço da base e a dois terços do vértice • .
  • 67. ATENÇÃO! • 01. No triângulo retângulo, a mediana relativa à hipotenusa tem medida correspondendo à metade da hipotenusa. • Em conseqüência, os dois triângulos menores obtidos são isósceles.
  • 68. • 02. Em um triângulo isósceles, a mediana, a bissetriz, a mediatriz e a altura relativa à base coincidem • AM é a bissetriz do ângulo A. • AM é a altura relativa ao lado BC. • AM é a mediana relativa ao lado BC. • AM é a mediatriz relativa ao lado BC.
  • 69. • 03. No triângulo eqüilátero, a bissetriz, a mediana, a mediatriz e a altura são coincidentes. • Portanto, o ortocentro, o incentro, o baricentro e o circuncentro coincidem.
  • 70. Casos de congruência • As condições mínimas para que dois triângulos sejam congruentes • são: LLL – Os lados dos dois triângulos respectivamente congruentes •
  • 71. • LAL – Os dois triângulos apresentam dois lados e o ângulo • formado por esses lados respectivamente congruentes.
  • 72. • ALA – Os dois triângulos apresentam um lado e os dois • ângulos adjacentes respectivamente congruentes.
  • 74. EXERCÍCIOS • 01. (FBDC) Na figura dada, as retas, r,s e t são paralelas. • Então, x + y é igual a: • a) 29 b) 30 c) 31 d) 32 e) 33
  • 75. • 02. No triângulo ABC, o lado AC mede 32 cm e o lado BC, 36cm. Por um ponto M situado sobre AC, a 10 cm dovértice C, traçamos a paralela ao lado AB, a qual divide BC em dois segmentos BN e CN. • Determine a medida de CN. • Matematica
  • 76. Semelhança de triângulo • Dois triângulos são semelhantes se, e somente se, possuem os três ângulos ordenadamente congruentes e os ladoshomólogos proporcionais.
  • 77. Teorema fundamental • Se uma reta é paralela a um dos lados de um triângulo e intercepta os outros dois em pontos distintos, então o triânguloque ela determina é semelhante ao primeiro
  • 78. CASOS DE SEMELHANÇAS DE TRIÂNGULO • Os dois triângulos apresentam dois ângulos respectivamente congruentes.
  • 79. Os dois triângulos apresentam os três lados proporcionais.
  • 80. • Os dois triângulos apresentam dois lados respectivamente • proporcionais e o ângulo compreendido entre esses lados respectivamente • congruentes.
  • 81. TEOREMA • Ligando-se os pontos médios de dois lados de um triângulo qualquer, o segmento obtido é paralelo ao terceiro lado e com medida igual a sua metade. • Como os dois triângulos obtidos são semelhantes, conclui-se que:
  • 82. Teorema das bissetrizes internas • A bissetriz de um ângulo de um triângulo divide o lado oposto em dois segmentos proporcionais aos lados adjacentes.
  • 83. EXERCÍCIOS • 01. (FJA/2006) Considerando-se as informações contidas na figura abaixo, pode-se concluir que o segmento CF mede:
  • 84. • Na figura, está representada uma escada AB, de • comprimento c, apoiada em um muro. • Considerando-se essa informação, pode-se concluir que • o valor de c é igual, em metros
  • 85. • (UFBA 1ª fase) • Considere a figura acima em que: • • a distância entre as retas paralelas r e s é igual a • 20 u.c. os segmentos AB e CD medem, respectivamente, 10 u.c. e 30 u.c.;P é o ponto de interseção dos segmentos AD e BC. • Com base nesses dados, calcule a área do triângulo • APB, em u.a.
  • 86. Triângulo retângulo • TRIÂNGULO RETÂNGULO ISÓSCELES • Se um dos ângulos agudos de um triângulo retângulo é • 45º, então os dois catetos possuem medidas iguais.
  • 87. TRIÂNGULO RETÂNGULO COM ÂNGULO DE 30º • A altura AH divide o triângulo equilátero ABC em dois triângulos retângulos que apresentam um ângulo de 30º. • Observando o triângulo AHC, concluímos: • Se o cateto se opõe a um ângulo de 30º, a sua medida é • igual a metade da hipotenusa.
  • 88. RELAÇÕES MÉTRICAS NO TRIÂNGULO RETÂNGULO • O triângulo retângulo é a figura geométrica mais freqüente nas aplicações matemáticas • . Por esta razão, faremos um estudo mais detalhado • desse tipo de triângulo. • Se no triângulo retângulo traçarmos a altura relativa à • hipotenusa, obteremos 3 triângulos retângulos semelhantes
  • 89. • h é a altura relativa à hipotenusa. • m é a projeção do cateto b sobre a hipotenusa. • n é a projeção do cateto c sobre a hipotenusa
  • 90. • Usando a proporcionalidade dos lados dos triângulos semelhantes ΔABC, ΔHAC e ΔHBA, demonstra-se que:
  • 91. • Cada cateto é média geométrica entre a hipotenusa e a projeção do cateto sobre ela.
  • 92. • A altura é média geométrica entre os dois segmentos • que ela determina sobre a hipotenusa. • h² = m.n
  • 93. • O produto de um cateto pela altura é igual ao produto da sua projeção pelo outro cateto b.h = am e c.a =an
  • 94. APLICAÇÕES DO TEOREMA DE PITÁGORAS • O quadrado da hipotenusa é igual a soma dos quadrados dos catetos. • a2 = b2 + c2
  • 95. OBSERVAÇÃO: • A área de um triângulo retângulo é dada pelo semi-produto dos dois catetos • .
  • 96. RAZÕES TRIGONOMÉTRICAS NO TRIÂNGULO RETÂNGULO • Sendo α a medida de um dos ângulos agudos de um triângulo retângulo, temos:
  • 97. Usando as razões trigonométricas acima, temos: QUADRADO
  • 99. EXERCÍCIOS • 01. (UNEB) Se, no triângulo ABC, representado na • figura, a altura relativa à base AB mede 4u.c., então o • lado AB mede, em u.c.,
  • 100. • 02. (FRB) Um observador, ao nível do chão, avista a • base da janela J1 segundo um ângulo α = 30º e a J2, • segundo um ângulo β = 45º, como mostra a figura. • Sendo a distância entre as bases das duas janelas igual • a 3m, pode-se afirmar que a distância h, do chão à base • de J1, mede, em metros,
  • 101. Triângulo equilátero • O Δ AHC é retângulo:
  • 104. Triângulos quaisquer • LEI DOS SENOS • Os lados de um triângulo são proporcionais aos senos • dos ângulos opostos e a constante de proporcionalidade é o diâmetro da circunferência circunscrita ao triângulo • Seja um triângulo qualquer ABC, considere uma circunferência • circunscrita, sendo 0 o centro dela e R o seu raio.
  • 105. LEI DOS COSSENOS • Em qualquer triângulo o quadrado de um lado é igual à • soma dos quadrados dos outros dois lados menos duas vezes o produto desses dois lados pelo cosseno do ângulo por eles formado • Considere um triângulo qualquer ABC: • Seguindo a lei dos cossenos • a2 = b2 +c2 - 2bc.cos • b 2 = a2 + c2 - 2ac.cosB • c2 = a2 + b2 – 2ab.cosC

Notas do Editor

  1. EXEMPLO Por um ponto passam infinitas retas.
  2. DefiniçãoFigura geométrica formada por duas semi-retas de mesma origem. 0 é o vértice do ângulo 0A e 0B são os lados
  3. OM é a bissetriz
  4. Na figura acima, o ângulo α, em radiano, é dado por
  5. - Um ângulo externo e o interno consecutivos são suplementares. α’+ α = 180o
  6. A hipotenusa é o maior lado e o seu quadrado é igual à soma dos quadrados dos outros dois (catetos).