SlideShare uma empresa Scribd logo
Pontos de costura
Objetivos
Proporcionar conhecimento sobre:
Normas;
Classes;
Características;
Aplicações.
Classificação
 A primeira classificação ordenada dos pontos de costura
ocorreu nos Estados Unidos na década de 30 do século
XX, esta agrupava os pontos de costura em sete classes
sendo estes identificados através de números.
 Hoje em dia as normas mais importantes pra a
identificação dos pontos de costura são a norma
americana ASTM 6193 e a européia ISO 4915.
 As normas brasileiras para classificação de pontos de
costura se baseiam na ISO 4915.
NBR 13483
Classifica, designa e ilustra as várias classes
de tipos de pontos usados em costuras
feitas à mão e à máquina.
As classes de pontos
As sete classes de ponto que são:
Classe 100 – Ponto corrente com uma só linha na agulha.
Classe 200 – Ponto feito a mão.
Classe 300 – Ponto fixo (agulha e bobina).
Classe 400 – Ponto corrente de fios múltiplos.
Classe 500 – Ponto chuleado e ponto de segurança.
Classe 600 – Ponto de cobertura.
Classe 700 – É uma variação da classe 300.
Designação
 1 - Tipos de pontos de costura
As classes dos tipos de pontos de costura são designadas e identificadas
pelo primeiro de 3 algarismos de um número.
Em cada classe, os tipos de pontos de costura são designados e
identificados pelos 2º e 3º algarismos.
 2 - Combinação de tipos de pontos de costura
A combinação de tipos de pontos de costura deve ser representada pela
designação individual de cada tipo de ponto de costura separada por
um ponto.
Ex.: 401.406
Se a combinação é efetuada numa única operação, as designações
individuais são colocadas entre parênteses.
Ex.: (401.406).
NBR 13096
Esta norma define os termos utilizados para
descrever os pontos de costura em
materiais têxteis.(na ISO 4915).
NBR 13096
PONTOS DE COSTURA
 Ponto é uma unidade estrutural resultante de uma ou
mais linhas ou laços de linhas. Podendo estar
entrelaçados entre si, entrelaçadas por outras linhas.
 Um ponto pode ser formado:
a) sem material;
b) dentro do material;
c) através do material;
d) sobre o material.
Grupos de referência
Para distinguir os tipos de pontos podemos
tomar como referência:
 Elementos mecânicos;
 Grupos de linhas;
 Entrelaçamento das linhas.
Elementos mecânicos
Agulha;
Lançadeira, laçadores, loopers;
Calcador;
Chapa da agulha;
Tensores;
Impelente.
Todos os elementos que intervém na formação do
ponto.
Grupos de linhas
Número de linhas transportadas pela
agulha, lançadeira ou outros dispositivos
que desempenham função idêntica na
formação do ponto.
Entrelaçamento das linhas
Intralooping;
interlooping;
interlacing
Intralooping
Entrelaçada entre si
Interlooping
Entrelaçamento com outra linha
Interlacing
Entrelaçamento simples
Classe 100
ponto corrente simples
Características:
 Usa linha somente na agulha;
 Alta elasticidade;
 Resistente;
 Desfaz facilmente;
 Diferente dos dois lados.
Aplicação
 Alinhavo, bainha, colocação de etiquetas e botões.
Ilustrações
Exemplos
Classe 300
ponto fixo
Características:
 Baixa elasticidade, com exceção do ponto zig-zag;
 Muito resistente;
 Muito seguro – difícil de desfazer;
 Igual em ambos os lados.
Aplicação:
 Costura em geral, caseado, travete e botão.
Ilustrações
Formação do ponto 301
301.exe
Exemplos
Classe 400 – ponto de dupla
armação (corrente de fios múltiplos)
Características:
 Alta elasticidade;
 Seguro – desfaz-se com alguma dificuldade;
 Diferente nos dois lados – volumoso num deles.
 Com recobrimento em apenas um dos lados (sup. ou inf.)
quando utilizar 2 ou mais agulhas.
Aplicação:
 Costura em geral e ornamento.
Ilustrações
Formação do ponto 401
401.exe
Exemplos
Classe 500
ponto chuleado (overlock)
Características:
 Alta elasticidade;
 Resistente;
 Seguro;
 Diferente nos dois lados.(volumoso)
Aplicação:
 Costura em geral e ornamento.
Ilustrações
Ilustrações
Formação do ponto 504
504.exe
Exemplos
Exemplos
Classe 600
ponto cobertura
Características:
 Alta elasticidade;
 Resistente;
 Seguro;
 Diferente dos dois lados.
 Com recobrimento em ambos os lados (sup. e inf.).
Aplicações:
 Costura em malha, Ornamento
Ilustrações
Formação do ponto 605
605.exe
Exemplos
Classe 700
Segundo ABNT- Associação Brasileira de
Normas Técnicas – esta classe é uma
variação da classe 300, sendo similar ao
ponto 301, porém diferencia-se pela bobina
que se enche automaticamente com linha
da própria agulha. O primeiro ponto
não possui pontas livres. Esse ponto
é usado em costuras curtas e pespontos.
Exemplo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila de corte e costura.
Apostila de corte e costura.Apostila de corte e costura.
Apostila de corte e costura.
Adequin
 
01 modelagem -tecnologia-de-costura-e-modelagem-i
01   modelagem -tecnologia-de-costura-e-modelagem-i01   modelagem -tecnologia-de-costura-e-modelagem-i
01 modelagem -tecnologia-de-costura-e-modelagem-i
vmaria03
 
Fibras Naturais
Fibras NaturaisFibras Naturais
Fibras Naturais
Larissa Alves
 
Processos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_modaProcessos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_moda
Nilzeth Gusmao
 
Mostruário de tecidos
Mostruário de tecidosMostruário de tecidos
Mostruário de tecidos
Barbara Allexia
 
Padronagem de tecidos planos
Padronagem de tecidos planosPadronagem de tecidos planos
Padronagem de tecidos planos
tcredu
 
Processos formadores de tecidos
Processos formadores de tecidosProcessos formadores de tecidos
Processos formadores de tecidos
Augusto Junior
 
Materiais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil IIIMateriais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil III
Fernanda
 
As maquinas especiais
As maquinas especiaisAs maquinas especiais
As maquinas especiais
Julyana Biavatti
 
Desenho Técnico do Vestuário - IFSC
Desenho Técnico  do  Vestuário - IFSCDesenho Técnico  do  Vestuário - IFSC
Desenho Técnico do Vestuário - IFSC
Vivian Los
 
Corte e costura
Corte e costuraCorte e costura
Corte e costura
dalvasdias
 
Como tirar medidas do corpo feminino
Como tirar medidas do corpo   femininoComo tirar medidas do corpo   feminino
Como tirar medidas do corpo feminino
Marcos Cinto
 
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhasControlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
Constantino Monteiro Alves
 
Materiais e Processos Têxteis
Materiais e Processos TêxteisMateriais e Processos Têxteis
Materiais e Processos Têxteis
José Carlos de Castro
 
Apostilaintroduoatecnologiatextil
ApostilaintroduoatecnologiatextilApostilaintroduoatecnologiatextil
Apostilaintroduoatecnologiatextil
Benedito Cruz
 
Tecido. o que é tecido
Tecido. o que é tecidoTecido. o que é tecido
Tecido. o que é tecido
tcredu
 
Fibras têxteis
Fibras têxteis Fibras têxteis
Fibras têxteis
maariane27
 
Apostila de Padronagem Têxtil
Apostila de Padronagem TêxtilApostila de Padronagem Têxtil
Apostila de Padronagem Têxtil
Rodrigo Lacerda
 
Analise tecidos planos e controlo da qualidade
Analise tecidos planos e controlo da qualidadeAnalise tecidos planos e controlo da qualidade
Analise tecidos planos e controlo da qualidade
Constantino Monteiro Alves
 
Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
Tecnologia Textil - Apostilha tecnica Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
Consultor em negócios de moda mineira
 

Mais procurados (20)

Apostila de corte e costura.
Apostila de corte e costura.Apostila de corte e costura.
Apostila de corte e costura.
 
01 modelagem -tecnologia-de-costura-e-modelagem-i
01   modelagem -tecnologia-de-costura-e-modelagem-i01   modelagem -tecnologia-de-costura-e-modelagem-i
01 modelagem -tecnologia-de-costura-e-modelagem-i
 
Fibras Naturais
Fibras NaturaisFibras Naturais
Fibras Naturais
 
Processos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_modaProcessos produtivos da ind_da_moda
Processos produtivos da ind_da_moda
 
Mostruário de tecidos
Mostruário de tecidosMostruário de tecidos
Mostruário de tecidos
 
Padronagem de tecidos planos
Padronagem de tecidos planosPadronagem de tecidos planos
Padronagem de tecidos planos
 
Processos formadores de tecidos
Processos formadores de tecidosProcessos formadores de tecidos
Processos formadores de tecidos
 
Materiais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil IIIMateriais e tecnologia têxtil III
Materiais e tecnologia têxtil III
 
As maquinas especiais
As maquinas especiaisAs maquinas especiais
As maquinas especiais
 
Desenho Técnico do Vestuário - IFSC
Desenho Técnico  do  Vestuário - IFSCDesenho Técnico  do  Vestuário - IFSC
Desenho Técnico do Vestuário - IFSC
 
Corte e costura
Corte e costuraCorte e costura
Corte e costura
 
Como tirar medidas do corpo feminino
Como tirar medidas do corpo   femininoComo tirar medidas do corpo   feminino
Como tirar medidas do corpo feminino
 
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhasControlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
Controlo qualidade e processos de fiações de fios para malhas
 
Materiais e Processos Têxteis
Materiais e Processos TêxteisMateriais e Processos Têxteis
Materiais e Processos Têxteis
 
Apostilaintroduoatecnologiatextil
ApostilaintroduoatecnologiatextilApostilaintroduoatecnologiatextil
Apostilaintroduoatecnologiatextil
 
Tecido. o que é tecido
Tecido. o que é tecidoTecido. o que é tecido
Tecido. o que é tecido
 
Fibras têxteis
Fibras têxteis Fibras têxteis
Fibras têxteis
 
Apostila de Padronagem Têxtil
Apostila de Padronagem TêxtilApostila de Padronagem Têxtil
Apostila de Padronagem Têxtil
 
Analise tecidos planos e controlo da qualidade
Analise tecidos planos e controlo da qualidadeAnalise tecidos planos e controlo da qualidade
Analise tecidos planos e controlo da qualidade
 
Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
Tecnologia Textil - Apostilha tecnica Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
Tecnologia Textil - Apostilha tecnica
 

Último

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
Momento da Informática
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
WELITONNOGUEIRA3
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Momento da Informática
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
Momento da Informática
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
TomasSousa7
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
joaovmp3
 

Último (6)

DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdfDESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARE I_aula1-2.pdf
 
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdfManual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
Manual-de-Credenciamento ANATER 2023.pdf
 
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptxLogica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
Logica de Progamacao - Aula (1) (1).pptx
 
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdfTOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
TOO - TÉCNICAS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS aula 1.pdf
 
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptxHistória da Rádio- 1936-1970 século XIX   .2.pptx
História da Rádio- 1936-1970 século XIX .2.pptx
 
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdfCertificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
Certificado Jornada Python Da Hashtag.pdf
 

Pontos de costura do vestuário

  • 3. Classificação  A primeira classificação ordenada dos pontos de costura ocorreu nos Estados Unidos na década de 30 do século XX, esta agrupava os pontos de costura em sete classes sendo estes identificados através de números.  Hoje em dia as normas mais importantes pra a identificação dos pontos de costura são a norma americana ASTM 6193 e a européia ISO 4915.  As normas brasileiras para classificação de pontos de costura se baseiam na ISO 4915.
  • 4. NBR 13483 Classifica, designa e ilustra as várias classes de tipos de pontos usados em costuras feitas à mão e à máquina.
  • 5. As classes de pontos As sete classes de ponto que são: Classe 100 – Ponto corrente com uma só linha na agulha. Classe 200 – Ponto feito a mão. Classe 300 – Ponto fixo (agulha e bobina). Classe 400 – Ponto corrente de fios múltiplos. Classe 500 – Ponto chuleado e ponto de segurança. Classe 600 – Ponto de cobertura. Classe 700 – É uma variação da classe 300.
  • 6. Designação  1 - Tipos de pontos de costura As classes dos tipos de pontos de costura são designadas e identificadas pelo primeiro de 3 algarismos de um número. Em cada classe, os tipos de pontos de costura são designados e identificados pelos 2º e 3º algarismos.  2 - Combinação de tipos de pontos de costura A combinação de tipos de pontos de costura deve ser representada pela designação individual de cada tipo de ponto de costura separada por um ponto. Ex.: 401.406 Se a combinação é efetuada numa única operação, as designações individuais são colocadas entre parênteses. Ex.: (401.406).
  • 7. NBR 13096 Esta norma define os termos utilizados para descrever os pontos de costura em materiais têxteis.(na ISO 4915).
  • 8. NBR 13096 PONTOS DE COSTURA  Ponto é uma unidade estrutural resultante de uma ou mais linhas ou laços de linhas. Podendo estar entrelaçados entre si, entrelaçadas por outras linhas.  Um ponto pode ser formado: a) sem material; b) dentro do material; c) através do material; d) sobre o material.
  • 9. Grupos de referência Para distinguir os tipos de pontos podemos tomar como referência:  Elementos mecânicos;  Grupos de linhas;  Entrelaçamento das linhas.
  • 10. Elementos mecânicos Agulha; Lançadeira, laçadores, loopers; Calcador; Chapa da agulha; Tensores; Impelente. Todos os elementos que intervém na formação do ponto.
  • 11. Grupos de linhas Número de linhas transportadas pela agulha, lançadeira ou outros dispositivos que desempenham função idêntica na formação do ponto.
  • 16. Classe 100 ponto corrente simples Características:  Usa linha somente na agulha;  Alta elasticidade;  Resistente;  Desfaz facilmente;  Diferente dos dois lados. Aplicação  Alinhavo, bainha, colocação de etiquetas e botões.
  • 19. Classe 300 ponto fixo Características:  Baixa elasticidade, com exceção do ponto zig-zag;  Muito resistente;  Muito seguro – difícil de desfazer;  Igual em ambos os lados. Aplicação:  Costura em geral, caseado, travete e botão.
  • 21. Formação do ponto 301 301.exe
  • 23. Classe 400 – ponto de dupla armação (corrente de fios múltiplos) Características:  Alta elasticidade;  Seguro – desfaz-se com alguma dificuldade;  Diferente nos dois lados – volumoso num deles.  Com recobrimento em apenas um dos lados (sup. ou inf.) quando utilizar 2 ou mais agulhas. Aplicação:  Costura em geral e ornamento.
  • 25. Formação do ponto 401 401.exe
  • 27. Classe 500 ponto chuleado (overlock) Características:  Alta elasticidade;  Resistente;  Seguro;  Diferente nos dois lados.(volumoso) Aplicação:  Costura em geral e ornamento.
  • 30. Formação do ponto 504 504.exe
  • 33. Classe 600 ponto cobertura Características:  Alta elasticidade;  Resistente;  Seguro;  Diferente dos dois lados.  Com recobrimento em ambos os lados (sup. e inf.). Aplicações:  Costura em malha, Ornamento
  • 35. Formação do ponto 605 605.exe
  • 37. Classe 700 Segundo ABNT- Associação Brasileira de Normas Técnicas – esta classe é uma variação da classe 300, sendo similar ao ponto 301, porém diferencia-se pela bobina que se enche automaticamente com linha da própria agulha. O primeiro ponto não possui pontas livres. Esse ponto é usado em costuras curtas e pespontos.