Projetar a cidade em tempos de crise

541 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
541
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Projetar a cidade em tempos de crise

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO CENTRO DE ARTES DEPARTAMENTO DE ARQUITETURA E URBANISMOPROJETAR A CIDADE EM TEMPOS DE CRISE Prova didática para processo seletivo simplificado para contratação de professor substituto na área de Planejamento Urbano Heraldo Ferreira Borges Dezembro/2012
  2. 2. MÚLTIPLAS CRISESUm mundo de janelas abertas em simultâneo Múltiplas narrativas Nexos estáveis perdidos Descontinuidades na paisagem Múltiplas perturbações Infinidade de relações Turbulência e incerteza Sociedade do risco Alterações climáticas e crise ambiental
  3. 3. CRISE PERIGO 危机 OPORTUNIDADEINEXPERIÊNCIA + INCERTEZA + INTERRELAÇÃO
  4. 4. 2008: a população urbana do planeta superou a rural 
  5. 5. Metamorfoses da cidade e do urbanoSinapses: Redes de transportes e de comunicação, redes inteligentes Isotropismo territorial ou indiferença locativa
  6. 6. “Um escritor deve ter a precisão de umpoeta e a imaginação de um cientista”Vladimir Nabokov
  7. 7. “Se trataba de hacer el esfuerzo por dar unestatuto científico a la disciplina, más allá dela lógica funcionalista o de la pretensión de lacrítica marxiana de confiar al momentoanalítico de la arquitectura y de la ciudad lacondición de su racionalidad científica, de sulegitimidad epistemológica”“La búsqueda de un estilo específico deanálisis para proyectar la ciudad, comocometido disciplinar o terreno teórico propiode la Urbanística, hermano de loarquitectónico, influido por los económico ehistórico, pero relativamente específico en susniveles de reflexión y propuesta.”Manuel de Solà-Morales i Rubiò, 1997
  8. 8. - Interpretar e analisar, de forma crítica, sintética e intencional, a estrutura doterritório e da cidade;- Desenvolver e aplicar métodos e instrumentos de projetação transescalar etransdisciplinar;- Refletir sobre as transformações urbanas contemporâneas e propor novas eadequadas técnicas de intervenção através de técnicas gráficas de representação.
  9. 9. COMO INTERPRETAR? Mudança do paradigma científicoMultidisciplinaridade >>> Transdisciplinaridade Simplificação >>> Complexidade
  10. 10. QUE INSTRUMENTOS?Pesquisa através do desenho Pesquisa Projeto Rigor científico Liberdade artística Representação Verificação Análise Síntese
  11. 11. 1) Leitura intencionada e propositiva do território da cidade de Vitória Cartas e aerofotos / Escalas 1:20.000-1:10.000 Geografias Armaduras Interstícios Enclaves Relatório (escrito e ilustrado) e Atlas Grupos de 4 alunos Duração: 5 semanas (10 aulas)
  12. 12. 2) Ensaio analíticoPlantas e aerofotos / Escalas 1:5.000-1:1.000 Densidades e população Espaço público e espaço privado Ambiente construído e paisagem Usos e ocupações Mobilidade e acessibilidade Relatório (escrito e ilustrado) e Atlas Grupos de 4 alunos Duração: 5 semanas (10 aulas)
  13. 13. 3) Ensaio projetualPlantas e aerofotos / Escala 1:5.000-1:1.000 Pólos e centralidades Filamentos e linearidades Zonas e planificidades Relatório (escrito e ilustrado) e Plano Grupos de 2 alunos Duração: 5 semanas (10 aulas)
  14. 14. Avaliação contínua = Presença e participaçãoAvaliação parcial = Avaliação das atividades25% de faltas = Reprovado automaticamente 1ª atividade (0,3) + 2ª atividade (0,3) + 3ª atividade (0,3) + participação (0,1) Atraso na entrega = -0,1 na nota final
  15. 15. Édipo e a esfinge (1808)Jean Auguste Dominique Ingres

×