TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO
•

•

Algumas características
distintivas desse
tecido, também reveste
superfícies intern...
[...] TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO
•
•
•

•

Figura 8.9 e 8.10, Pag°229 , Unidade 4

As células do epitélio
podem se d...
ESPECIALIZAÇÕES DE MEMBRANA EM
EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO
•

As células dos tecidos
epiteliais apresentam diversas
especial...
[...] ESPECIALIZAÇÕES DE MEMBRANA EM
EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO
•

•

•

Assim, é importante perceber
que, por maior que se...
•

•

•

Isso apenas demonstra
que, além da vasta microbiota
que temos em certas regiões
internas do corpo, como na
boca e...
TECIDO EPITELIAL GLANDULAR
•

•

•

O epitélio que constitui as
glândulas é formado por
células especializadas em
fabricar...
Figura 8.25, Pag°234 , Unidade 4

[...] TECIDO EPITELIAL GLANDULAR
•

As glândulas salivares e
sudoríparas lançam produtos...
EDFLÁVIO, FRANCISCO JOSÉ, CESAR
MENESES, REIMUNDIM
ANJOS, MARCELO.
Tecidos epiteliais
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Tecidos epiteliais

225 visualizações

Publicada em

  • Seja o primeiro a comentar

Tecidos epiteliais

  1. 1. TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO • • Algumas características distintivas desse tecido, também reveste superfícies internas ou externas de diversos órgãos. • Figura 8.7, Pag°228 , Unidade 4 O epitélio constitui a camada externa mais superficial de nossa pele. Ele é composto por muitas células firmemente unidas, quase sem espaços entre elas.
  2. 2. [...] TECIDO EPITELIAL DE REVESTIMENTO • • • • Figura 8.9 e 8.10, Pag°229 , Unidade 4 As células do epitélio podem se dispor em uma camada única. O técido epitelial reveste órgãos como os pulmões, a traqueia e os intestinos. É importante no épitélio a maneira como essas células obtêm alimento e oxigênio. As células é uma estrutura denominada lâmina basal, composta de glicoproteínas e fibras muito resistentes de uma substância chamada “Colágeno” .
  3. 3. ESPECIALIZAÇÕES DE MEMBRANA EM EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO • As células dos tecidos epiteliais apresentam diversas especializações. • Essas estruturas são denominadas microvilos, ou microvilosidades, que ocorrem no intestino delgado a digestão e a absorção da maior parte dos nutrientes dos alimentos. • As microvilosidades das células do intestino ampliam consideravelmente a área de contato do alimento com as células do corpo, o que favorece a assimilação do alimento. Figura 8.18, Pag°232 , Unidade 4
  4. 4. [...] ESPECIALIZAÇÕES DE MEMBRANA EM EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO • • • Assim, é importante perceber que, por maior que seja o pedaço de comida que você coloque na boca, os nutrientes do alimento só serão assimilados pelo seu corpo depois de serem quebrados em pedaços menores. Pedaços pequenos o suficiente para atravessar a mambrana de uma célula do tecido epitelial de seu intestino delgado. A digestão reduzirá o alimento a moléculas relativamente pequenas e elas só irão para o sangue após passarem do interior do intestino (luz intestinal) às células que o revestem. Figura 8.19, Pag°232 , Unidade 4
  5. 5. • • • Isso apenas demonstra que, além da vasta microbiota que temos em certas regiões internas do corpo, como na boca e nos intestinos, a superfície corporal externa também mantém uma relação de equilíbrio com microrganismos. Na base da epiderme há células chamadas melanócitos que produzem um pigmento chamado melanina. A melanina ajuda na proteção contra a radiação ultravioleta e contra agentes oxidantes. Além dos melanócitos, a epiderme tem células sensíveis a estímulos mecânicos, os mecanorreceptores. Figura 8.21, Pag°233 , Unidade 4 [...] ESPECIALIZAÇÕES DE MEMBRANA EM EPITÉLIOS DE REVESTIMENTO
  6. 6. TECIDO EPITELIAL GLANDULAR • • • O epitélio que constitui as glândulas é formado por células especializadas em fabricar e expelir substâncias, atividade denominada secreção. O epitélio glandular é considerado um epitélio especializado na função secretora. As células glandulares têm tipicamente muitos ribossomos associados aos retículos endoplasmáticos, além de complexos de Golgi desenvolvidos. Figura 8.23, Pag°233 , Unidade 4
  7. 7. Figura 8.25, Pag°234 , Unidade 4 [...] TECIDO EPITELIAL GLANDULAR • As glândulas salivares e sudoríparas lançam produtos que vão para o meio externo, e não para o sangue, sendo por isso denominadas exócrinas. • Há ainda glândulas mistas, como o pâncreas, que fabrica o suco pancreático lançado no instestino delgado (secreção exócrina) e hormônios, como a insulina, lançados no sangue (secreção endócrima). • Após fabricar enzimas e outras substâncias em seu citoplasma, as células glandulares as secretam logo em seguida, por exocitose.
  8. 8. EDFLÁVIO, FRANCISCO JOSÉ, CESAR MENESES, REIMUNDIM ANJOS, MARCELO.

×