SlideShare uma empresa Scribd logo

Relatório prática - MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA.pdf

RELATÓRIO DE PRÁTICA Nome e matrícula RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS ENSINO DIGITAL RELATÓRIO 02 DATA: ______/______/______ RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS: Microbiologia e Parasitologia DADOS DO(A) ALUNO(A): NOME: MATRÍCULA: CURSO: POLO: PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A): ORIENTAÇÕES GERAIS:  O relatório deve ser elaborado individualmente e deve ser escrito de forma clara e  concisa;  O relatório deve conter apenas 01 (uma) lauda por tema;  Fonte: Arial ou Times New Roman (Normal e Justificado);  Tamanho: 12; Margens: Superior 3 cm; Inferior: 2 cm; Esquerda: 3 cm; Direita: 2 cm;  Espaçamento entre linhas: simples;  Título: Arial ou Times New Roman (Negrito e Centralizado). TEMA DE AULA: PREPARAÇÃO E ESTERILIZAÇÃO DE MATERIAIS UTILIZADOS NA MICROBIOLOGIA CLASSIFICAÇÃO, COMPOSIÇÃO QUÍMICA E PREPARAÇÃO DE MEIOS DE CULTURA RELATÓRIO: 1. PREPARAÇÃO E ESTERILIZAÇÃO DE MATERIAIS UTILIZADOS NA MICROBIOLOGIA A. Dentre os procedimentos utilizados na preparação de materiais utilizados na microbiologia, qual a importância no tamponamento dos tubos de ensaio e dos Erlenmeyer com algodão hidrofóbico? B. Qual material é utilizado para embalagem dos materiais que serão submetidos a processos de esterilização via estufa ou autoclave? C. Adicione uma ou mais fotos da preparação de materiais utilizados no laboratório de microbiologia. D. Descreva o fundamento da técnica de esterilização de autoclavação, e porque alguns meios de cultura não podem ser autoclavados? 2. CLASSIFICAÇÃO, COMPOSIÇÃO QUÍMICA E PREPARAÇÃO DE MEIOS DE CULTURA A. Quanto a composição química como podemos classificar os meios de cultura? B. De acordo com os tipos de meios de cultura, no que diferem os meios sólidos, semissólidos e líquidos? C. Adicione uma ou mais fotos das etapas de preparo do meio de cultura. D. Descreva como deve ser feito o cálculo da pesagem do meio de cultura. E quais consequências são geradas por erro nesse cálculo na utilização desse meio? TEMA DE AULA: TÉCNICAS ASSÉPTICAS DE ISOLAMENTO DE BACTÉRIAS COLORAÇÃO DE DIFERENCIAL DE GRAM RELATÓRIO: 1. TÉCNICAS ASSÉPTICAS DE ISOLAMENTO DE BACTÉRIAS A. O que é zona de esterilidade e qual sua importância para o manuseio de materiais microbiológicos? B. Cite as principais técnicas utilizadas para realização de semeio bacteriano? C. Qual o objetivo da técnica de semeio por esgotamento? Por que a mesma é comumente utilizada nas análises clínicas? D. Como visualmente pode-se identificar que um semeio bacteriano apresenta apenas um tipo de bactéria isolada? 2. COLORAÇÃO DE DIFERENCIAL DE GRAM A. Qual o fundamento da coloração de Gram que permite a separação das bactérias em dois grandes grupos?

1 de 6
Baixar para ler offline
RELATÓRIO DE PRÁTICA
Nome e matrícula
Relatório prática -  MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA.pdf
RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS
ENSINO DIGITAL
RELATÓRIO 02
DATA:
______/______/______
RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS: Microbiologia e Parasitologia
DADOS DO(A) ALUNO(A):
NOME: MATRÍCULA:
CURSO: POLO:
PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A):
ORIENTAÇÕES GERAIS:
 O relatório deve ser elaborado individualmente e deve ser escrito de forma clara e
 concisa;
 O relatório deve conter apenas 01 (uma) lauda por tema;
 Fonte: Arial ou Times New Roman (Normal e Justificado);
 Tamanho: 12;
Margens: Superior 3 cm; Inferior: 2 cm; Esquerda: 3 cm; Direita: 2 cm;
 Espaçamento entre linhas: simples;
 Título: Arial ou Times New Roman (Negrito e Centralizado).
TEMA DE AULA:
PREPARAÇÃO E ESTERILIZAÇÃO DE MATERIAIS UTILIZADOS NA MICROBIOLOGIA
CLASSIFICAÇÃO, COMPOSIÇÃO QUÍMICA E PREPARAÇÃO DE MEIOS DE CULTURA
RELATÓRIO:
1. PREPARAÇÃO E ESTERILIZAÇÃO DE MATERIAIS UTILIZADOS NA
MICROBIOLOGIA
A. Dentre os procedimentos utilizados na preparação de materiais utilizados na
microbiologia, qual a importância no tamponamento dos tubos de ensaio e dos
Erlenmeyer com algodão hidrofóbico?
B. Qual material é utilizado para embalagem dos materiais que serão submetidos a
processos de esterilização via estufa ou autoclave?
C. Adicione uma ou mais fotos da preparação de materiais utilizados no laboratório de
microbiologia.
RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS
ENSINO DIGITAL
RELATÓRIO 02
DATA:
______/______/______
D. Descreva o fundamento da técnica de esterilização de autoclavação, e porque
alguns meios de cultura não podem ser autoclavados?
2. CLASSIFICAÇÃO, COMPOSIÇÃO QUÍMICA E PREPARAÇÃO DE MEIOS DE
CULTURA
A. Quanto a composição química como podemos classificar os meios de cultura?
B. De acordo com os tipos de meios de cultura, no que diferem os meios sólidos,
semissólidos e líquidos?
C. Adicione uma ou mais fotos das etapas de preparo do meio de cultura.
D. Descreva como deve ser feito o cálculo da pesagem do meio de cultura. E quais
consequências são geradas por erro nesse cálculo na utilização desse meio?
TEMA DE AULA:
TÉCNICAS ASSÉPTICAS DE ISOLAMENTO DE BACTÉRIAS
COLORAÇÃO DE DIFERENCIAL DE GRAM
RELATÓRIO:
1. TÉCNICAS ASSÉPTICAS DE ISOLAMENTO DE BACTÉRIAS
A. O que é zona de esterilidade e qual sua importância para o manuseio de materiais
microbiológicos?
B. Cite as principais técnicas utilizadas para realização de semeio bacteriano?
C. Qual o objetivo da técnica de semeio por esgotamento? Por que a mesma é comumente
utilizada nas análises clínicas?
D. Como visualmente pode-se identificar que um semeio bacteriano apresenta apenas um
tipo de bactéria isolada?
2. COLORAÇÃO DE DIFERENCIAL DE GRAM
A. Qual o fundamento da coloração de Gram que permite a separação das bactérias
em dois grandes grupos?
RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS
ENSINO DIGITAL
RELATÓRIO 02
DATA:
______/______/______
B. Geralmente quais formas bacterianas são classificadas como Gram positivas e quais
são classificadas como Gram-negativas?
C. Adicione uma foto ou mais da realização da coloração de Gram ou da leitura
microscópica da lâmina.
D. Qual a importância da coloração de Gram na rotina clínica no laboratório de
microbiologia?
TEMA DE AULA: OBSERVAÇÃO DE LÂMINAS DE Schistosoma mansoni E
PROTOZOÁRIOS
RELATÓRIO:
1. OBSERVAÇÃO DE LÂMINAS DE CERCARIAS E OVOS DE Schistosoma mansoni
A. Como o ser humano é contaminado pela forma infectante (cercarias) e contrai a
esquistossomose?
B. Visto ao microscópio óptico, o ovo pode ser reconhecido pela presença de qual
estrutura morfológica?
2. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE CISTOS DE Entamoeba histolytica
A. Descrever a característica morfológica que permite a diferenciação entre os cistos da
Entamoeba histolytica da Entamoeba coli
3. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE TROFOZOITO DE Giardia lamblia.
A. Cite qual estrutura permite a fixação do trofozoíto da Giardia lamblia no intestino
humano.
4. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE Leishmania sp.
A. Quais características morfológicas permitem a diferenciação das firmas evolutivas
amastigota e promastigotas?
5. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE TROFOZOITO DE Trichomonas vaginalis
RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS
ENSINO DIGITAL
RELATÓRIO 02
DATA:
______/______/______
A. Quais as estruturas substituem as mitocôndrias no trofozoíto de Trichomonas
vaginalis?
6. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE EPIMASTIGOTA DE Trypanosoma cruzi
A. Descrever as diferenças morfológicas entre as formas evolutivas amastigota,
epimastigota e tripomastigota de Trypanosoma cruzi, citando em qual hospedeiro elas são
encontradas.
7. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE TAQUIZOITO DE Toxoplasma gondii
A. Em que fase do ciclo evolutivo do Toxoplasma gondii, estão presentes os taquizoítos.
E como eles podem infectar o ser humano?

Recomendados

Apostila pratica farm-odonto
Apostila pratica farm-odontoApostila pratica farm-odonto
Apostila pratica farm-odontoFernanda Luiza
 
Vestibular2012 grupo2 prova_dia0411
Vestibular2012 grupo2 prova_dia0411Vestibular2012 grupo2 prova_dia0411
Vestibular2012 grupo2 prova_dia0411Priscila Marins
 
Conceitos Basicos de Microgiologia
Conceitos Basicos de MicrogiologiaConceitos Basicos de Microgiologia
Conceitos Basicos de MicrogiologiaIvson Cassiano
 
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...
Macroinvertebrados Aquáticos como Bioindicadores da Avaliação da Qualidade de...Samuel J. Tacuana
 

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Relatório prática - MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA.pdf

Apostila microbiologia i
Apostila microbiologia iApostila microbiologia i
Apostila microbiologia iFredericoMMN
 
Curso de Biologia para Perito Polícia Federal
Curso de Biologia para Perito Polícia FederalCurso de Biologia para Perito Polícia Federal
Curso de Biologia para Perito Polícia FederalEstratégia Concursos
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (9).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (9).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (9).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (9).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (3).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (3).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (3).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (3).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (10).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (10).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (10).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (10).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (2).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (2).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (2).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (2).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (7).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (7).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (7).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (7).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (4).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (4).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (4).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (4).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (8).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (8).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (8).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (8).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (5).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (5).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (5).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (5).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia.pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia.pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia.pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia.pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio ópticoRoteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio ópticoCélia Maria Antunes
 
APOSTILA DE AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA
APOSTILA  DE  AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA APOSTILA  DE  AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA
APOSTILA DE AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA Gregorio Leal da Silva
 
Manual-Antibiograma-BRCAST-2019.pdf
Manual-Antibiograma-BRCAST-2019.pdfManual-Antibiograma-BRCAST-2019.pdf
Manual-Antibiograma-BRCAST-2019.pdfNarumiMiyadi
 

Semelhante a Relatório prática - MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA.pdf (20)

Bio específica lista 7.pdf
Bio específica lista 7.pdfBio específica lista 7.pdf
Bio específica lista 7.pdf
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA.pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA.pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA.pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA.pdf
 
Apostila microbiologia i
Apostila microbiologia iApostila microbiologia i
Apostila microbiologia i
 
Curso de Biologia para Perito Polícia Federal
Curso de Biologia para Perito Polícia FederalCurso de Biologia para Perito Polícia Federal
Curso de Biologia para Perito Polícia Federal
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (9).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (9).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (9).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (9).pdf
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdf
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (3).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (3).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (3).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (3).pdf
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (6).pdf
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (10).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (10).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (10).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (10).pdf
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (2).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (2).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (2).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (2).pdf
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (7).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (7).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (7).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (7).pdf
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (4).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (4).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (4).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (4).pdf
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (8).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (8).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (8).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (8).pdf
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (5).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (5).pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (5).pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia (5).pdf
 
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia.pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia.pdfMAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia.pdf
MAPA - BIO - PARASITOLOGIA CLÍNICA – 512023 - Copia.pdf
 
hematologia
hematologiahematologia
hematologia
 
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio ópticoRoteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
Roteiros de aulas práticas roteiro 1 microscópio óptico
 
APOSTILA DE AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA
APOSTILA  DE  AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA APOSTILA  DE  AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA
APOSTILA DE AULAS PRÁTICAS BACTERIOLOGIA
 
Edital Lupac 2015
Edital Lupac 2015Edital Lupac 2015
Edital Lupac 2015
 
Manual-Antibiograma-BRCAST-2019.pdf
Manual-Antibiograma-BRCAST-2019.pdfManual-Antibiograma-BRCAST-2019.pdf
Manual-Antibiograma-BRCAST-2019.pdf
 

Mais de D&H ASSESSORIA ACADÊMICA

TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (14).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (14).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (14).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (14).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (21) - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (21) - Copia.pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (21) - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (21) - Copia.pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (3).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (3).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (3).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (3).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia.pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia.pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (19) - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (19) - Copia.pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (19) - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (19) - Copia.pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (4).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (4).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (4).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (4).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (3).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (3).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (3).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (3).pdfD&H ASSESSORIA ACADÊMICA
 

Mais de D&H ASSESSORIA ACADÊMICA (20)

TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (18).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (18).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (18).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (18).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (25).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (25).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (25).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (25).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (9).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (9).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (9).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (9).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (23).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (23).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (23).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (23).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (11).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (11).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (11).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (11).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (8).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (8).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (8).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (8).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (30).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (30).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (30).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (30).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (16).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (16).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (16).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (16).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (5).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (5).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (5).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (5).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (6).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (6).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (6).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (6).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (4).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (4).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (4).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (4).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (1).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (1).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (1).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL (1).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (14).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (14).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (14).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (14).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (21) - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (21) - Copia.pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (21) - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (21) - Copia.pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL.pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL.pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (3).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (3).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (3).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (3).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia.pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia.pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (19) - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (19) - Copia.pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (19) - Copia.pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia (19) - Copia.pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (4).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (4).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (4).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (4).pdf
 
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (3).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (3).pdfTEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (3).pdf
TEMOS ESSE TRABALHO DISPONIVEL - Copia - Copia (3).pdf
 

Relatório prática - MICROBIOLOGIA E PARASITOLOGIA.pdf

  • 3. RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS ENSINO DIGITAL RELATÓRIO 02 DATA: ______/______/______ RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS: Microbiologia e Parasitologia DADOS DO(A) ALUNO(A): NOME: MATRÍCULA: CURSO: POLO: PROFESSOR(A) ORIENTADOR(A): ORIENTAÇÕES GERAIS:  O relatório deve ser elaborado individualmente e deve ser escrito de forma clara e  concisa;  O relatório deve conter apenas 01 (uma) lauda por tema;  Fonte: Arial ou Times New Roman (Normal e Justificado);  Tamanho: 12; Margens: Superior 3 cm; Inferior: 2 cm; Esquerda: 3 cm; Direita: 2 cm;  Espaçamento entre linhas: simples;  Título: Arial ou Times New Roman (Negrito e Centralizado). TEMA DE AULA: PREPARAÇÃO E ESTERILIZAÇÃO DE MATERIAIS UTILIZADOS NA MICROBIOLOGIA CLASSIFICAÇÃO, COMPOSIÇÃO QUÍMICA E PREPARAÇÃO DE MEIOS DE CULTURA RELATÓRIO: 1. PREPARAÇÃO E ESTERILIZAÇÃO DE MATERIAIS UTILIZADOS NA MICROBIOLOGIA A. Dentre os procedimentos utilizados na preparação de materiais utilizados na microbiologia, qual a importância no tamponamento dos tubos de ensaio e dos Erlenmeyer com algodão hidrofóbico? B. Qual material é utilizado para embalagem dos materiais que serão submetidos a processos de esterilização via estufa ou autoclave? C. Adicione uma ou mais fotos da preparação de materiais utilizados no laboratório de microbiologia.
  • 4. RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS ENSINO DIGITAL RELATÓRIO 02 DATA: ______/______/______ D. Descreva o fundamento da técnica de esterilização de autoclavação, e porque alguns meios de cultura não podem ser autoclavados? 2. CLASSIFICAÇÃO, COMPOSIÇÃO QUÍMICA E PREPARAÇÃO DE MEIOS DE CULTURA A. Quanto a composição química como podemos classificar os meios de cultura? B. De acordo com os tipos de meios de cultura, no que diferem os meios sólidos, semissólidos e líquidos? C. Adicione uma ou mais fotos das etapas de preparo do meio de cultura. D. Descreva como deve ser feito o cálculo da pesagem do meio de cultura. E quais consequências são geradas por erro nesse cálculo na utilização desse meio? TEMA DE AULA: TÉCNICAS ASSÉPTICAS DE ISOLAMENTO DE BACTÉRIAS COLORAÇÃO DE DIFERENCIAL DE GRAM RELATÓRIO: 1. TÉCNICAS ASSÉPTICAS DE ISOLAMENTO DE BACTÉRIAS A. O que é zona de esterilidade e qual sua importância para o manuseio de materiais microbiológicos? B. Cite as principais técnicas utilizadas para realização de semeio bacteriano? C. Qual o objetivo da técnica de semeio por esgotamento? Por que a mesma é comumente utilizada nas análises clínicas? D. Como visualmente pode-se identificar que um semeio bacteriano apresenta apenas um tipo de bactéria isolada? 2. COLORAÇÃO DE DIFERENCIAL DE GRAM A. Qual o fundamento da coloração de Gram que permite a separação das bactérias em dois grandes grupos?
  • 5. RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS ENSINO DIGITAL RELATÓRIO 02 DATA: ______/______/______ B. Geralmente quais formas bacterianas são classificadas como Gram positivas e quais são classificadas como Gram-negativas? C. Adicione uma foto ou mais da realização da coloração de Gram ou da leitura microscópica da lâmina. D. Qual a importância da coloração de Gram na rotina clínica no laboratório de microbiologia? TEMA DE AULA: OBSERVAÇÃO DE LÂMINAS DE Schistosoma mansoni E PROTOZOÁRIOS RELATÓRIO: 1. OBSERVAÇÃO DE LÂMINAS DE CERCARIAS E OVOS DE Schistosoma mansoni A. Como o ser humano é contaminado pela forma infectante (cercarias) e contrai a esquistossomose? B. Visto ao microscópio óptico, o ovo pode ser reconhecido pela presença de qual estrutura morfológica? 2. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE CISTOS DE Entamoeba histolytica A. Descrever a característica morfológica que permite a diferenciação entre os cistos da Entamoeba histolytica da Entamoeba coli 3. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE TROFOZOITO DE Giardia lamblia. A. Cite qual estrutura permite a fixação do trofozoíto da Giardia lamblia no intestino humano. 4. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE Leishmania sp. A. Quais características morfológicas permitem a diferenciação das firmas evolutivas amastigota e promastigotas? 5. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE TROFOZOITO DE Trichomonas vaginalis
  • 6. RELATÓRIO DE AULAS PRÁTICAS ENSINO DIGITAL RELATÓRIO 02 DATA: ______/______/______ A. Quais as estruturas substituem as mitocôndrias no trofozoíto de Trichomonas vaginalis? 6. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE EPIMASTIGOTA DE Trypanosoma cruzi A. Descrever as diferenças morfológicas entre as formas evolutivas amastigota, epimastigota e tripomastigota de Trypanosoma cruzi, citando em qual hospedeiro elas são encontradas. 7. OBSERVAÇÃO DE LÂMINA DE TAQUIZOITO DE Toxoplasma gondii A. Em que fase do ciclo evolutivo do Toxoplasma gondii, estão presentes os taquizoítos. E como eles podem infectar o ser humano?