Contratos de Transação
Brenda Engelke
Helíssia Coimbra
Letícia Silva
Rafaella Pombo
Vitória Abreu
1. Considerações Iniciais
• Consiste em um contrato pelo qual as partes pactuam a extinção de uma obrigação por
meio de co...
1.1 Continuação
• A transação interpreta – se restritivamente, e por ela não se transmitem, apenas se
declaram ou reconhec...
1.2 Exemplificando o Tema
2. Espécies de Transação
• Transação judicial ou extintiva: feita perante o magistrado, havendo litígio em relação à
deter...
2.1 Fotografando a Questão
3. Elementos Constitutivos
• Acordo entre as partes: A transação é um negócio jurídico bilateral, em que a
convergência de...
4. Relacionamento das Partes
• Se um dos transigentes der a evicção da coisa por renúncia, ou for transferida de sua
pesso...
5. Nulidade das Transações
• Qualquer das cláusulas de operações que sejam anuladas, inoperantes serão as demais. Contudo,...
Conteúdo Adicional
Contratos de Transação
Brenda Engelke
Helíssia Coimbra
Letícia Silva
Rafaella Pombo
Vitória Abreu
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Contratos de Transação (Teoria Geral dos Contratos - Direito Civil III)

389 visualizações

Publicada em

Vídeo sobre Conciliação
https://www.youtube.com/watch?v=lMMucI4yHnc

A questão tratada pela equipe versa - se sobre a diferença entre o contrato de transação e a conciliação.

Publicada em: Direito
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
389
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
8
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Contratos de Transação (Teoria Geral dos Contratos - Direito Civil III)

  1. 1. Contratos de Transação Brenda Engelke Helíssia Coimbra Letícia Silva Rafaella Pombo Vitória Abreu
  2. 2. 1. Considerações Iniciais • Consiste em um contrato pelo qual as partes pactuam a extinção de uma obrigação por meio de concessões mútuas ou recíprocas, o que também ocorrer de forma preventiva (art. 480 do Código Civil). • Trata – se de espécie bilateral, onerosa, consensual, comutativa e não – solene (em regra). • As partes envolvidas são denominadas transigentes e transatores. • Os objetos contratuais são direitos obrigacionais de cunho patrimonial e de caráter privado.
  3. 3. 1.1 Continuação • A transação interpreta – se restritivamente, e por ela não se transmitem, apenas se declaram ou reconhecem direitos (art. 843 do Código Civil). • A transação não aproveita, nem prejudica senão os que nela intervierem, ainda que diga respeito a coisa indivisível (art. 844, caput, do Código Civil). • É admissível que haja pena convencional. • Incorre de pleno direito o devedor na cláusula penal, desde que, culposamente, deixe de cumprir a obrigação ou se constitua em mora.
  4. 4. 1.2 Exemplificando o Tema
  5. 5. 2. Espécies de Transação • Transação judicial ou extintiva: feita perante o magistrado, havendo litígio em relação à determinada obrigação. A lei prevê a necessidade de escritura pública ou de termo nos autos, assinado pelas partes e homologado pelo juiz da causa. • Transação extrajudicial ou preventiva: realizada com o intuito de prevenir eventual litígio judicial, não havendo maiores solenidades apontadas pela lei, extinguindo – se apenas a forma escrita. • Vale salientar que a homologação da transação judicial será feita por escritura pública ou por termos nos autos, sempre homologado pelo juiz. A homologação da transação extrajudicial poderá ser feita por escritura pública ou por instrumento particular.
  6. 6. 2.1 Fotografando a Questão
  7. 7. 3. Elementos Constitutivos • Acordo entre as partes: A transação é um negócio jurídico bilateral, em que a convergência de vontades é essencial para impor sua força obrigatória, sendo indispensável a capacidade e legitimação entre as partes. • Existência de relações jurídicas controvertidas: Se houver dúvida sobre o contrato de transação, torna-se nulo de acordo com o art. 850, CC. • Intenção das partes de prevenirem ou terminarem o litígio: Na transação, cada uma das partes abre mão de uma parcela de seus direitos, para evitar ou extinguir o conflito entre elas. • Concessões recíprocas para comporem o conflito: Se não houver recuo de ambas as partes ou se não fizerem concessões, haverá renúncia de direitos ou doação, e não transação.
  8. 8. 4. Relacionamento das Partes • Se um dos transigentes der a evicção da coisa por renúncia, ou for transferida de sua pessoa a outra parte, a obrigação extinta pelo ato não será revivida; mas ao evicto, que sofrer os efeitos da transação, terá total direito de reclamar perdas e danos. • Inclui – se, por conseguinte, que após a transação, se um dos transigentes adquirir novo direito sobre a coisa que fora renunciada ou transferida, a operação feita não o inibirá de gozar do exercício de suas garantias. • Qualquer pacto concernente a obrigações que resultem de delito não tem poderio para extinguir a ação penal pública.
  9. 9. 5. Nulidade das Transações • Qualquer das cláusulas de operações que sejam anuladas, inoperantes serão as demais. Contudo, a excepcionalidade versa – se sobre os direitos contestados independentes entre si, cujo fato de não prevalecer a transação em relação a um não prejudicará os restantes. • Anula – se os pactos por dolo, coação, erro essencial quanto à pessoa ou coisa controversa. Ainda assim, as questões de erro de direito correspondentes as que forem objeto de controvérsia entre as partes não serão invalidadas. • A transação é considerada insignificante quando disser respeito ao litígio decidido por sentença passada em julgado, se dela um dos transatores não tinha ciência, ou quando, por descoberta de título ulterior, verificar – se que nenhuma das partes tinha real direito sobre o objeto da operação.
  10. 10. Conteúdo Adicional
  11. 11. Contratos de Transação Brenda Engelke Helíssia Coimbra Letícia Silva Rafaella Pombo Vitória Abreu

×