Ibeu ã-ndice de bem-estar urbano

255 visualizações

Publicada em

xcf

Publicada em: Indústria automotiva
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
255
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ibeu ã-ndice de bem-estar urbano

  1. 1. IBEU- Índice de bem-estar urbano. Economia Regional e Urbana Equipe: Aline Lima Hallan Kardek Halana Ferreira 30 de março de 2015
  2. 2. O que é o IBEU, e qual é seu objetivo? O Observatório das Metrópoles apresenta o Índice de Bem-Estar Urbano (IBEU) para as regiões metropolitanas do Brasil. O objetivo principal do IBEU é avaliar as condições urbanas das regiões metropolitanas brasileiras, procurando aferir múltiplas dimensões da vida urbana capazes de propiciar qualidade de vida a seus habitantes.
  3. 3. IBEU GLOBAL e IBEU LOCAL O IBEU Global é calculado para o conjunto das 15 metrópoles do país, o que permite comparar as condições de vida urbana em três escalas: entre as metrópoles, os municípios metropolitanos e entre bairros que integram o conjunto das metrópoles. O IBEU Local é calculado especificamente para cada metrópole, permitindo avaliar as condições de vida urbana interna a cada uma delas.
  4. 4. O IBEU avalia a dimensão urbana do bem-estar usufruído pelos cidadãos brasileiros promovido pelo mercado, via o consumo mercantil, e pelos serviços sociais prestados pelo Estado. Por meio do índice é possível analisar indicadores de:  mobilidade urbana;  condições ambientais urbanas;  condições habitacionais urbanas;  atendimento de serviços coletivos urbanos;  infraestrutura urbana;
  5. 5. Indicador mobilidade urbana: -Refere-se ao tempo de deslocamento casa- trabalho. Condições ambientais urbanas: -Três indicadores são utilizados: 1- arborização do entorno dos domicílios; 2- esgoto a céu aberto no entorno dos domicílios; 3- lixo acumulado no entorno dos domicílios;
  6. 6. As condições habitacionais também constituem uma importante dimensão que influencia o bem-estar das pessoas na cidade, sendo apreendida pelos seguintes indicadores: -Aglomerado subnormal, densidade domiciliar, densidade morador/banheiro, material das paredes dos domicílios e espécie dos domicílios.
  7. 7. A dimensão atendimento de serviços coletivos urbanos foi construída a partir de quatro indicadores: 1- Atendimento adequado de água; 2- Atendimento adequado de esgoto; 3- Atendimento adequado de energia; 4- Coleta adequada de lixo;
  8. 8. Na dimensão infraestrutura urbana: - Iluminação pública, pavimentação, calçada, meio-fio/guia, bueiro ou boca de lobo, rampa para cadeirantes e logradouros;
  9. 9. O IBEU foi construído a partir dos dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio) para os anos de 2001 a 2009. Analisaremos dez regiões metropolitanas: Belém, Belo Horizonte, Brasília , Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, São Paulo e Salvador, e investigaremos através deste índice como andam as condições urbanas dessas metrópoles. Esse índice varia de 0 (zero) a 1 (um). Quanto mais próximo de 1, melhor é o bem-estar urbano.
  10. 10. Bem-Estar Urbano nas Regiões Metropolitanas (2001 – 2009) O comportamento do IBEU foi de melhoria ao longo da primeira década do século XXI, apesar de apresentar pequenas oscilações para baixo, nos anos de 2005 e 2008. A melhoria do IBEU ao longo da década ocorreu, principalmente, devido à expansão do atendimento de serviços coletivos, sobretudo, à ampliação do atendimento de esgotamento sanitário. O atendimento dos serviços de água e de lixo não apresentou expansão contínua ao longo da década, pois demonstrou oscilação nesse período
  11. 11. 2001-2009
  12. 12. Na análise do Índice de Bem-Estar Urbano, em que se procurou considerar múltiplas dimensões da vida urbana, observamos que, de modo geral, houve melhoria nas condições de bem-estar para o conjunto das regiões metropolitanas brasileiras. Essa melhoria foi resultado, principalmente, da evolução do atendimento de serviços coletivos e das condições habitacionais das regiões metropolitanas, uma vez que a mobilidade urbana apresentou piora ao longo da década analisada.
  13. 13. Como anda o IBEU das regiões metropolitanas atualmente? Atualmente os resultados mostram que as regiões metropolitanas com melhor bem-estar urbano são nesta ordem: Campinas, Florianópolis, Curitiba, Goiânia, Porto Alegre, Grande Vitória e Belo Horizonte. Todas essas regiões metropolitanas estão acima da média do conjunto das metrópoles (0,605) e apenas Campinas registra IBEU superior a 0,8, apresentando 0,873, assim podemos considerar que Campinas possui nível bom ou excelente de bem- estar urbano.
  14. 14. Atualmente as regiões metropolitanas que estão abaixo da média e que apresentam bem-estar urbano de nível ruim ou péssimo, registrando valores que variam entre zero e 0,5 são: Recife (0,443) Manaus (0,395) Belém (0,251)
  15. 15. Curitiba Campinas Florianópolis
  16. 16. Belém Recife Manaus
  17. 17. De modo geral, as regiões metropolitanas que estão acima da média do conjunto das metrópoles estão localizadas nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Por outro lado, as regiões metropolitanas que apresentam resultados inferiores à média das metrópoles localizam-se nas regiões Norte e Nordeste do Brasil; a exceção fica por conta do Rio de Janeiro (Sudeste).
  18. 18. Obrigado!

×